Blogs e Colunistas

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

16:24 \ Brasil

Homenagem retirada

Ricardo Pessoa: sem fotos

Pessoa, o benemérito

Ricardo Pessoa, o número um da UTC preso pela Operação Lava Jato, está prestes a perder uma homenagem da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. O deputado Felipe Peixoto, futuro secretário de Saúde de Pezão, apresentou ontem projeto para cassar-lhe o título de cidadão benemérito do Estado do Rio dado pelo ex-deputado e hoje prefeito de Niterói, Rodrigo Neves.

Benemérito, segundo o dicionário, é aquele que “é digno de prêmios, aplausos, recompensas e homenagens”. Pessoa, convenhamos, não merece nada disso.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

17:26 \ Brasil

Homenagem recompensada

Palmares: doação de PRC

Palmares: doação de PRC

Certamente é uma enorme coincidência, mas, dois anos depois de receber o título de cidadão do Estado do Rio a pedido de Gilberto Palmares, Paulo Roberto Costa doou 10 000 reais para o comitê financeiro único do PT do Rio, principal financiador da campanha de Palmares.

Não só ele, aliás. As notórias Queiroz Galvão, OAS e UTC doaram juntas 2 milhões de reais ao caixa do diretório estadual do partido naquele ano.

Por Lauro Jardim

sábado, 9 de junho de 2012

8:34 \ Brasil

Laranjal aéreo

Viracopos: até hoje o contrato da concessão não foi assinado

Os laranjas usados pela Delta também trabalharam para outras empreiteiras, como a UTC e a Triunfo, conforme detectado pelo Coaf e revelado por VEJA na semana passada.

E o que a UTC e a Trinfo têm em comum, além do fato de serem empreiteiras e terem o governo como cliente principal?

Ambas lideraram o consórcio que venceu a bilionária licitação da Infraero para a privatização do aeroporto de Viracopos há quatro meses.

A Casa Civil já foi informada pelo Coaf do laranjal cultivado pela UTC e Triunfo. Talvez por isso, até hoje o contrato da concessão não foi assinado pela Infraero.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 5 de abril de 2012

6:07 \ Brasil

Novo leilão?

Viracopos: decisão sai hoje

A Anac decide hoje se acolhe o recurso da Odebrecht contestando o resultado do leilão de concessão do aeroporto de Viracopos. Possivelmente nenhuma decisão hoje no Brasil será mais importante do que essa.

Se depender da análise estrita do edital do leilão – a Aeroporto Brasil, que reúne Triunfo Participações(45%), UTC (45%) e Egis (10%) – vai dançar. Simplesmente, porque não cumpriu as regras do edital.

É também a vontade do governo que o leilão volte à estaca zero. Dilma Rousseff não se conforma que as regras da Anac tenham dado a vitória a um consórcio cujo operador, a Egis, não cuida de nenhum aeroporto com um movimento maior do que 5 milhões de passageiros por ano. Viracopos, o governo espera, terá 90 milhões de passageiros por ano ainda nesta década.

(Atualização, às 11h23:  neste momento, o governo dá como certo que a Anac confirmará  o leilão vencido pela Aeroporto Brasil. Mas, para os próximos leilões, como o do Galeão, por exemplo, as regras mudarão para não permitir que consórcios como o Aeroporto Brasil, sem experiência em operar grandes aeroportos, possam participar)

(Atualização, às 16h23: A diretoria da Anac, por unanimidade, julgou improcedente o recurso da Odebrecht. O leilão foi mantido.)

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 12 de março de 2012

18:42 \ Economia

Guerra de Viracopos

Odebrecht faz questionamento semelhante ao feito em fase anterior da concorrência

O consórcio que arrematou o aeroporto de Viracopos já tem uma carta na manga contra o recurso apresentado pela Odebrecht na Anac contra a concorrência.

O consórcio Aeroportos Brasil, composto pela Triunfo Participações e Investimentos, UTC Participações e Egis Airport Operation, afirma que os questionamentos feitos pela concorrente já foram respondidos pela mesma comissão de licitação numa fase anterior da disputa.

No passado, o consórcio BAA perguntou se uma empresa que não controla nenhum aeroporto pelo mundo poderia estar na licitação. A participação foi tornada válida desde que a empresa participasse da sociedade de algum aeroporto de pelo menos 5 milhões de passageiros. É exatamente o questionamento repetido pela Odebrecht agora.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

18:33 \ Economia

Na briga por Angra 3

Dois consórcios na disputa pela obra

Dois consórcios foram habilitados tecnicamente pela Eletronuclear para a montagem eletromecânica da Usina Nuclear Angra 3.

O primeiro consórcio é formado pela EBE, a Queiroz Galvão e a Techint. A concorrência é formada pelas empresas Andrade Gutierrez, Odebrecht, UTC e Camargo Corrêa. A obra está orçada em 10 bilhões de reais, com previsão de entrar em operação em dezembro de 2015.

Por Lauro Jardim

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados