Blogs e Colunistas

quarta-feira, 7 de maio de 2014

19:06 \ Congresso

Atuação elogiada

Apertando o ministro

Apertando o ministro

Ronaldo Caiado apertou como pôde Manoel Dias hoje, durante audiência pública na Câmara, para tratar dos aspectos trabalhistas do Mais Médicos. Bem ao seu estilo, Caiado fez de um tudo para pressioná-lo.

Eis que lá pelas tantas, Bendita da Silva resolveu ironizar o colega oposicionista, citando a enteada famosa:

- Você é o ator. Até Camila Pitanga perde para você em interpretação.

Caiado não aguentou e riu.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 30 de abril de 2014

6:32 \ Congresso

Microfone aberto

Convite na Câmara

Pode falar

Rachel Sheherazade terá a oportunidade de falar, caso seja autorizada por sua chefia. Ronaldo Caiado apresentou um requerimento convidando Sheherazade a comparecer à Comissão de Segurança Pública da Câmara. Vai pôr lenha na fogueira.

Caiado quer saber, da própria, se Sheherazade vem tendo sua liberdade de expressão cerceada no SBT, desde que a emissora proibiu a apresentadora de fazer comentários sobre as reportagens exibidas no telejornal apresentado por ela, o SBT Brasil.

O requerimento seria votado ontem na comissão, mas a falta de quorum adiou a apreciação do convite à Sheherazade.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Caiado desiste

Notas de apoio

Notas de apoio

Favas mais do que contadas, Ronaldo Caiado anunciou aos seus pares a desistência de disputar a Presidência da República. Não causou qualquer comoção, claro. Mas cumpriu sua função de ganhar espaço na mídia por uns meses.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

7:29 \ Partidos

Também não quero

Sem contato com Eduardo Campos

Sem contato com Eduardo Campos

Ronaldo Caiado não quer nem ouvir falar em Eduardo Campos, como se sabe. No dia em que Marina Silva disse publicamente não haver o menor espaço para Caiado em seu palanque, o deputado do DEM esperou cinco horas por uma ligação de Campos. Nada.

Assim que soltou uma nota oficial rebatendo a declaração, Caiado então foi procurado por emissários de Campos. O caldo já tinha entornado, e Caiado avisou:

- Agora, vai por mim, diga que não é para ele me ligar de jeito nenhum.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Primeiro passo

Duas possibilidade

Duas possibilidades

A cúpula do DEM vai se reunir hoje em Brasília para discutir pela primeira vez a possibilidade de lançar Ronaldo Caiado à presidência da República no ano que vem. Hoje, não passa de uma ideia embrionária.

Ainda que o plano Caiado morra antes mesmo de virar realidade, pelo menos agora o DEM tem um trunfo embaixo do braço para barganhar espaço e apoio de quem já está com a candidatura posta. Leia-se Aécio Neves.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

18:29 \ Congresso

Estamos juntos

Notas de apoio

Notas de apoio

Depois da trombada que levou de Marina Silva e, consequentemente, ver Eduardo Campos descer de seu palanque, resta a Ronaldo Caiado agarrar-se aos seus. Pelo menos sete siglas de associações ligadas ao agronegócio começaram a disparar notas oficiais de apoio a Caiado. Se não tem mais um candidato a presidente para chamar de seu, pelo menos Caiado ficou com a certeza de que não terá problemas de caixa para fazer a campanha.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 17 de setembro de 2013

14:28 \ Congresso

Ficando à vontade

Alvo do projeto

Ronaldo Caiado acaba de apresentar um projeto de lei que basta começar a tramitar para criar perturbação ao governo. A proposta determina a concessão de vistos permanentes a todos os médicos cubanos vindos por meio do Mais Médicos que solicitarem o documento.

Na prática, se o projeto for aprovado, algo pouquíssimo provável, o visto garantiria a essa turma o direito de nunca mais pisar em Cuba e permanecer trabalhando no Brasil por tempo indeterminado. Bem ao seu estilo, Caiado usou a justificativa da proposta para expôr o Palácio do Planalto.

O alvo? Uma frase de Gilberto Carvalho sobre o fato de os cubanos receberem apenas uma fração dos 10 000 reais pagos aos demais profissionais do programa – o restante vai para o caixa do Estado cubano.

A frase de Carvalho:

- Se o médico aceitou vir para cá nessas condições, é uma relação do cidadão cubano com seu governo. Esse não é um problema nosso.

Uma vez tramitando na Câmara, não faltará munição para os opositores do Mais Médicos apedrejarem Dilma Rousseff e Alexandre Padilha.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Longe de Aécio

Aliança descartada

Ronaldo Caiado não quer nem ouvir falar em apoiar Aécio Neves em 2014. Caiado não suporta o tucano Marconi Perillo, sustentáculo do palanque de Aécio em Goiás.

A relação, que sempre andou às turras, piorou recentemente, quando Perillo capitaneou as negociações e conseguiu levar para o PSDB dois correligionários de Caiado no estado, o deputado estadual José Vitti e Wilson Oliveira, candidato derrotado à prefeitura de Anápolis.

Embora ideologicamente faria todo sentido fechar com Aécio, Caiado vai apoiar Eduardo Campos na corrida pelo Palácio do Planalto.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

18:29 \ Congresso

A experiência ensina

O último do Democratas cassado

Ronaldo Caiado e Agripino Maia, no Senado, andam propalando que o partido irá obstruir todas as votações na Câmara, enquanto não for votado em segundo turno o projeto que extingue o voto secreto no Parlamento, instrumento de garantia da aviltante manutenção do mandato de Natan Donadon, na sessão de ontem.

A iniciativa do DEM é respeitável, já que o partido sabe como ninguém o que é ter quadros afogados na lama da imoralidade: tanto Demóstenes Torres quanto José Roberto Arruda estavam no DEM quando protagonizaram dois dos mais recentes escândalos de Brasília.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

11:23 \ Congresso

Só uma dúvida

Pergunta constrangedora

Ronaldo Caiado estava dando uma entrevista coletiva na Câmara quando foi abordado por um grupo de policiais sedentos para apresentar suas reivindicações.

A turma expôs, chiou e pediu o que queria, principalmente a votação da PEC 300, proposta sobre a qual o governo não quer nem ouvir falar.

Caiado ouviu atentamente e, ao final, perguntou:

- Está certo, gente, mas vamos ser sinceros: quem aqui votou na Dilma?

Passados alguns segundos de silêncio constrangedor, um dos policiais admitiu:

- Eu votei, mas juro que não voto nunca mais.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

12:42 \ Governo

Mercadante na berlinda

Denúncia no MP

Ronaldo Caiado acaba de entrar com uma representação no Ministério Público acusando Aloizio Mercadante  e a cúpula do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, o Inep, de improbidade administrativa e crime contra as finanças públicas.

A razão: o projeto do governo de pagar 400 reais aos estudantes de medicina que participarem do pré-teste do Exame Nacional de Revalidação do Diploma Médico, o Revalida.

Caiado argumenta que a benesse é ilegal. O Revalida será aplicado no dia 25 pelo Inep, vinculado ao Ministério da Educação.

(Atualização, às 16h45: O MEC entrou em contato para rebater os argumentos de Caiado: defende a importância do auxílio e afirma que, cabendo a representação no MP, quem deve respondê-la é a cúpula do Inep, uma autarquia do governo. Acrescenta que a prova não foi realizada, por isso Caiado deveria contestá-la administrativamente ou via Judiciário para impugnar o pagamento e que, além disso, o valor concedido aos estudantes é semelhante ao cobrado na inscrição dos programas de residência médica e tem como objetivo incentivar a formação profissional na área).

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 12 de julho de 2013

10:39 \ Congresso

Caiado mira STF

Próximo passo

Ronaldo Caiado vai criar todos os tipos de problema para tentar afundar a MP dos Médicos, que abre espaço para a contratação de profissionais estrangeiros.

O primeiro tiro já foi dado: Caiado enviou uma questão de ordem a Renan Calheiros, pedindo ao presidente do Congresso para devolver a MP ao Palácio do Planalto – algo praticamente impossível de acontecer.

No documento, Caiado desce a lenha no fato de Dilma Rousseff ter envido uma proposta por MP – recurso do Executivo para dar início à apreciação de temas que requerem urgência – para solucionar uma questão a partir de 2015, ano a partir do qual recém-formados em medicina terão de prestar dois anos de serviço no sistema público de saúde.

Mais adiante, Caiado mira as criticas no trecho da MP que cria essa obrigatoriedade, desanca a possibilidade de esses médicos trabalharem com registro profissional provisório e exige que a mão de obra estrangeira seja submetida a uma reavaliação no Brasil.

Obviamente, Caiado não tem qualquer esperança de que seu bombardeio ganhe força nas mãos de Renan e já definiu o passo seguinte para perturbar a vida de Dilma:

- Vou procurar Renan na terça-feira para cobrar uma resposta. Em seguida, como pessoa física, vou recorrer ao STF contra os absurdos contidos na MP.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 9 de julho de 2013

11:28 \ Congresso

Pelo fim dos programas

Projeto pelo debate

Na esteira dos propostas de apelo popular, Ronaldo Caiado vai apresentar até o final da semana que vem um projeto extinguindo os programas eleitorais transmitidos durante o período de campanha. Caiado quer substituir o tempo de TV dedicado às obras de marqueteiros por debates ente os candidatos.

A propósito, Caiado só se refere a João Santana como o primeiro-ministro de Dilma.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 4 de julho de 2013

18:23 \ Brasil

Não conte comigo

Contra a importação de médicos

Ronaldo Caiado andou fazendo estardalhaço nas redes sociais contra a ideia do governo de importar médicos. A reação veio em seguida. Ontem, Alexandre Padilha convidou Caiado para uma reunião.

Padilha contou a Caiado o que todo mundio já sabia: enviará uma MP ao Congresso abrindo vagas para os profissionais de saúde, mas será dada prioridade a médicos brasileiros (Saiba mais em: MP dos médicos) e, apenas se sobrar espaço, o governo procurará mão de obra de outros países.

Caiado foi objetivo:

- Ministro, qualquer projeto que abra brecha para contratação de médicos estrangeiros vai enfrentar todos os tipos de problemas para passar nas comissões da Câmara. Essa é a nossa posição.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 3 de julho de 2013

11:03 \ Congresso

Encontro com a oposição

Portas abertas à OAB

Depois do constrangimento de ser desmentido pelo Palácio do Planalto logo após reunir-se com Dilma Rousseff, o presidente da OAB, Marcos Vinicius Furtado, foi apresentar suas sugestões de reforma política em outra freguesia: a oposição. Furtado encontrou-se com Ronaldo Caiado e José Agripino, ontem à tarde, no Congresso. Pelo menos desta vez, não houve duas versões para a mesma conversa.

Quando esteve com Dilma, Furtado saiu da reunião dizendo que o governo havia desistido de convocar uma constituinte para realizar reforma política. A previsão até se confirmou, mas, na ocasião, o Planalto soltou uma nota oficial afirmando que Dilma ainda não havia tomado qualquer decisão sobre o tema.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 24 de junho de 2013

16:42 \ Congresso

Quem topa

Sugestão a Dilma

Ronaldo Caiado subirá à tribuna da Câmara daqui a pouco e pedirá à Dilma Rousseff que suspenda o recesso parlamentar deste ano, por causa das manifestações.

Caiado lembra a prerrogativa constitucional que permite ao chefe do Executivo convocar o Congresso extraordinariamente. .

Falta lembrar apenas que, mesmo com a canetada presidencial, a convocação precisaria ser votada em plenário.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 14 de maio de 2013

18:15 \ Congresso

Baixo parlamento

Baixaria no plenário

Não é à toa que a Câmara dos deputados é conhecida como Câmara baixa. Anthony Garotinho e Ronaldo Caiado comprovaram, mais uma vez, que são seus fieis representantes.

Garotinho voltou a bater na tecla de que sobram interesses nada republicanos nas negociações da MP dos Portos e pediu aos colegas que procurassem Daniel Dantas para ter mais detalhes. Caiado respondeu, chamando o parlamentar de chefe de quadrilha.

O resumo: a baixaria promovida pela dupla recolocou a MP na corda bamba.

O grand finale do episódio, tão pitoresco quando lamentável, foi protagonizado pelo desconhecido Toninho Pinheiro, que subiu ao platô da Mesa Diretora com uma faixa criticando a falta de recursos para a saúde e saiu agarrado pelos seguranças.

Em meio à baixaria, um parlamentar da base aliada provocou, fazendo referência ao apoio de Ideli Salvatti a Garotinho (Leia mais em: Ideli e Garotinho).

- Será que também foi a Ideli que mandou Toninho bagunçar a sessão desse jeito?

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 20 de março de 2013

17:32 \ Congresso

Novamente no STF

Recado dado

Alessandro Molon não vai perder um segundo de sono com a ameaça de uma PEC, prometida pelo DEM, que garantiria o quinhão dos royalties desejado pelos estados não-produtores (Leia mais em: Reação imediata).

Justifica Molon:

- Já avisei ao Ronaldo Caiado. Assim que ele apresentar a PEC, mais uma vez, recorreremos ao STF. Uma PEC também pode ser inconstitucional.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

8:33 \ Congresso

DEM versus PT

Painel do constrangimento

O DEM prepara uma surpresinha para estragar a festa que o PT planeja fazer, hoje de tarde, na Câmara.

Em comemoração aos dez anos no comando do Palácio do Planalto, lideranças petistas anunciaram uma visita, às 17h, à exposição com fotos de momentos históricos do partido, instalada num túnel de ligação entre o Salão Verde e os anexos da Casa.  As imagens, claro, não fazem alusão ao período do Mensalão.

Ronaldo Caiado e seus correligionários mandaram confeccionar um painel de 2,40 metros para ser exibido ao lado da exposição, a partir das 15h: trata-se de um apanhado de reportagens sobre o mensalão. Além de páginas de jornais e capas de revistas, há fotos de Lula com ar de lamento e dos petistas condenados pelo STF.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

17:31 \ Brasil

Contraofensiva oposicionista

Encontro com ministros

Está marcada para quarta-feira a reunião entre Ronaldo Caiado e outros líderes da oposição com ministros do STF para tratar dos vetos presidenciais pendentes no Congresso. Já confirmaram presença Celso de Mello, Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Carmen Lúcia e Marco Aurélio. Trata-se da contraofensiva oposicionista aos encontros de Luiz Inácio Adams, que procurou cada um dos magistrados da corte.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

18:08 \ Congresso

Bate boca

Elevando o tom

Ronaldo Caiado e Romero Jucá bateram boca, hoje à tarde, durante a reunião de líderes no Congresso.

Na tentativa de convencer a oposição de votar o orçamento esta semana, Jucá falou grosso e lembrou que um acordo firmado no final do ano passado determinava que a matéria fosse apreciada logo após o fim do recesso parlamentar.

Caiado reagiu, elevando ainda mais o tom:

- Não venha com vestal de cumpridor de palavra que você é quem mais desrespeita acordos fechados aqui.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

15:38 \ Congresso

DEM sem consenso

Mais combativo

Às vésperas do fim do recesso parlamentar, a bancada do DEM na Câmara continua dando cabeçada para escolher o líder do partido em 2013. Na disputa, Ronaldo Caiado e Mendonça Filho.

A turma de Caiado defende que, no ano anterior às eleições presidenciais, a legenda deve ter um comandante combativo, disposto a todo e qualquer embate com o governo.

Os seguidores do adversário querem justamente o oposto: um líder conciliador, capaz de fazer oposição, mas sem tensionar a corda mais do que o necessário para, entre outras coisas, causar menos problemas a ACM Neto, no primeiro ano de mandato em Salvador.

O martelo do consenso, se é que ele será construído, vai ser batido no final desta semana. O grupo de Caiado tentará convencer Mendonça Filho a adiar o sonho por um ano, prometendo garantir-lhe a liderança em 2014. Se ele vai aceitar são outros quinhentos.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

16:00 \ Congresso

Plenário fervendo

Chega para lá

O pau está quebrando no plenário da Câmara neste momento. Em ânimos para lá de exaltados, deputados e senadores estão discutindo, em sessão mista do Congresso, o requerimento de urgência para votação dos vetos de Dilma Rousseff ao projeto de redistribuição dos royalties.

A bancada do Rio se reveza aos berros nos microfone. O clima está tão tenso que Ronaldo Caiado deu um encontrão em Anthony Garotinho, atrás da Mesa Diretora, ao vê-lo cochichando no ouvido de Rose de Freitas, que está presidindo a plenária.

Nem a suspensão da sessão por dez minutos foi suficiente para esfriar os nervos. Isso porque a votação sequer começou. Até o final do dia, não deverá faltar confusão e gritaria.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 2 de outubro de 2012

16:46 \ Congresso

Caiado e Chico

Caiado: o médico dos colegas

No começo de setembro, os líderes partidários da Câmara estavam reunidos para discutir a votação do Código Florestal (aprovado duas semanas depois), quando Ronaldo Caiado e outros colegas perceberam o desconforto de Chico Alencar, que estava pálido e reclamando de dificuldades para respirar e de cansaço.

Médico ortopedista de formação, Caiado examinou rapidamente Alencar e o aconselhou a procurar um médico para fazer uma bateria de exames. Alencar seguiu o conselho do colega vindo, assim, a descobrir os problemas que o levaram a passar por uma cirurgia de revascularização e a implantar quatro pontes de safena.

Dois dias antes de ser internado para passar pelo procedimento, Alencar ainda votou o texto do código no plenário da Câmara. Aos colegas, ele dizia (para gozação geral) que Caiado, um notório líder do DEM, havia salvado a sua vida.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

10:03 \ Congresso

Alves na mira

Ideli: um refresco no Congresso

Não era aquilo que o governo sonhava, mas o resultado da votação do Código Florestal, ontem, no plenário da Câmara, deu aquele refresco a Ideli Salvatti. Depois de ser surpreendida pela manobra dos ruralistas com os senadores da base governista na comissão especial, Ideli conseguiu costurar um acordo pelo qual o governo aceitou votar o texto da comissão, mas sem as pressões dos ruralistas sobre os vetos de Dilma Rousseff.

Um dos responsáveis pelo acordo na Câmara, Henrique Eduardo Alves acabou no prejuízo com os ruralistas. Ronaldo Caiado criticou Alves por romper o acordo feito por Luiz Henrique da Silveira na comissão. Disse Caiado:

– Quem quer ser presidente da Câmara tem que estar com os deputados.

Caiado ficou indignado com Alves porque creditou ao PMDB todo o trabalho para dividir a base ruralista e enfraquecer a obstrução no plenário. Diante da debandada dos colegas de Caiado, o peemedebista Valdir Colatto desabafou:

– A Frente Parlamentar Agrícola saiu estraçalhada dessa discussão.

Por Lauro Jardim
10:02 \ Congresso

Quem é que manda

Alves tentou, mas não deu certo...

Em defesa de Henrique Eduardo Alves, os líderes que acompanharam as negociações com Ideli Salvatti contam que o líder peemedebista chegou a propor ao Planalto uma saída pacífica para o Código Florestal, sem vetos de Dilma Rousseff (como os ruralistas queriam). Ideli, no entanto, avisou que o governo não iria ceder às pressões de Ronaldo Caiado. Um líder que acompanhou as negociações resume a decisão do Planalto:

– O Caiado esticou demais a corda, falou muito. Aí, a Dilma quis mostrar pra ele que quem manda é a presidenta.

Por Lauro Jardim
10:01 \ Congresso

“Todo mundo quer virar ministro”

Caiado: os colegas debandaram

Enfurecido com a “traição” dos colegas ruralistas, Ronaldo Caiado listava, ontem à tarde, os motivos para a debandada dos colegas na discussão do Código Florestal:

– O Stephanes, a Kátia Abreu, o Moreira Mendes, todo mundo está querendo agora agradar a Dilma para virar ministro.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

19:24 \ Congresso

“Meninos do bloquinho”

Caiado: Ideli ameaçou parlamentares no palácio

Ronaldo Caiado resolveu mostrar as armas contra o governo. Ele diz que Ideli Salvatti reuniu ontem à tarde, no Palácio do Planalto, um grupo de deputados para tentar chegar a um acordo e votar o Código Florestal. Segundo Caiado, como não obteve sucesso, Ideli disse aos parlamentares que o vencimento da medida provisória do código, em 8 de outubro, iria provocar sérias consequências para os desmatadores:

– Ontem à tarde, a Ideli chamou uns deputados no Planalto para negociar. Os parlamentares tentaram ponderar, mas ouviram da Ideli que não teria acordo, que a posição do governo era votar o texto original da medida provisória. Depois de falar isso, a Ideli disse que se a MP caducar, a partir do dia 8 ela vai soltar os “meninos do bloquinho” para sair distribuindo multas aos produtores rurais. Quer mais chantagem do que isso? Será que o Jorge Viana vai desmentir isso também?

A guerra de versões sobre o entrevero do código começou ontem com Caiado dizendo que Ideli havia patrocinado o acordo na comissão mista (leia mais em Sem coragem para bancar).

Ideli negou envolvimento nas negociações da comissão e criticou Caiado e os ruralistas por tentarem privar Dilma Rousseff da prerrogativa do veto (leia mais em É muita petulância e em Ficarão as multas).

O caso continuou quente depois que Caiado voltou a criticar Ideli (leia mais em A Ideli tem que tomar gardenal). Viana tomou as dores de Ideli (leia mais em Caiado chantagista) e foi respondido por Caiado (leia mais em “O Jorge Viana é um canalha”).

A polêmica seguiu com Luiz Henrique da Silveira revelando que assessores do governo participaram das negociações (leia mais em O governo negociou).

Por Lauro Jardim
17:49 \ Congresso

Jogo pesado

"Moleque de recados da Ideli"

Depois de mandar Ideli Salvatti tomar gardenal (leia mais em A Ideli tem que tomar gardenal), o deputado goiano Ronaldo Caiado levou o troco do petista Jorge Viana, que o chamou de chantagista (leia mais em Caiado chantagista) na discussão do Código Florestal. Como era de se esperar, Caiado não gostou das críticas do petista e resolveu revidar:

– O Jorge Viana, para mim, é um canalha. Eu estava discutindo, até aqui, um acordo que foi feito na comissão e o fato de que todos querem blindar a Ideli. Aí ele vem nesse tom? É um canalha. Pior: um senador da República aceitar fazer esse papel de moleque de recados de ministro? De ministro, não, da Ideli! Não tem estatura, é um moleque da Ideli.”

A guerra de versões sobre o entrevero do código começou ontem com Caiado dizendo que Ideli havia patrocinado o acordo na comissão mista (leia mais em Sem coragem para bancar).

Ideli negou envolvimento nas negociações da comissão e criticou Caiado e os ruralistas por tentarem privar Dilma Rousseff da prerrogativa do veto (leia mais em É muita petulância e em Ficarão as multas).

O caso segue quente desde que Luiz Henrique da Silveira revelou que assessores do governo participaram das negociações (leia mais em O governo negociou).

(Atualização, às 18h25: Viana entra em contato para responder a Caiado o seguinte: “Ser atacado pelo Caiado, para mim, é um elogio. Ruim seria se o Caiado estivesse falando bem de mim.)

Por Lauro Jardim
14:02 \ Congresso

“A Ideli tem que tomar gardenal”

A polêmica continua

Chamado de mentiroso por Ideli Salvatti, o deputado goiano Ronaldo Caiado reage, volta a dizer que Ideli patrocinou o acordo na comissão mista do Código Florestal e provoca:

– A Ideli tem que tomar gardenal. Ela está querendo dar uma de Pôncio Pilatos, está lavando as mãos de um processo que ela coordenou.

Segundo Ideli, o acordo firmado com os ruralistas na comissão mista do código foi fechado pelos senadores Luiz Henrique da Silveira e Jorge Viana que, embora governistas, não falavam em nome do governo. Nas conversas que teve, por telefone, durante a negociação, Ideli diz que orientou os parlamentares a “manter o texto original da MP”.

Caiado não concorda com a versão de Ideli e diz que os ruralistas, em ampla maioria na comissão, só aceitaram realizar um acordo porque os senadores falavam em nome do governo.

– Esse processo foi produzido pelo Luiz Henrique e pelo Jorge Viana, mas foi conduzido pela Ideli. O tempo todo eles diziam que a posição era do governo, eles conversavam com a Ideli e depois apareciam com o texto pra gente. Agora, ela quer crucificar o Jorge e o Luiz Henrique. Não quer assumir. Está com medo do bilhete. Na discussão da LDO, a Ideli fez o acordo com a oposição, não cumpriu, e quase queimou o Chinaglia.

Por Lauro Jardim
 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados