Blogs e Colunistas

sexta-feira, 14 de junho de 2013

7:29 \ Economia

Lá e cá

Caoa: negociação continua

Apesar de ter o banco Plural como consultor de sua tentativa de compra do BVA, Carlos Alberto de Oliveira Andrade, o Caoa, andou se aconselhando com o BTG Pactual.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 5 de abril de 2013

16:10 \ Economia

Alternativas para Eike

Eike: ações em queda de novo

As empresas X continuam derretendo na Bolsa – neste momento, a OGX, por exemplo, cai 15% na Bovespa. Algum risco sistêmico por causa dessa derrocada? Não. Por alguns motivos.

*O crédito de Eike Batista está nas mãos dos grandes bancos – Bradesco, Itaú e BTG Pactual;
*Eike tem ativos com valor muito bom. Terá, claro, que restruturar seus ativos e dívidas.
Provavelmente, Eike forçará os bancões a engolirem parte das perdas.

Por Lauro Jardim
16:09 \ Economia

Midas falhou

Ações em queda depois da parceria

A propósito, desde que o BTG assinou o contrato de cooperação com a EBX, as ações da OGX, a principal empresa do grupo, já caíram 40%.  Quem, por exemplo, comprou o papel no dia seguinte do acordo, ou seja, no dia 7 de março, acreditando no toque de Midas de André Esteves, perdeu quase metade do seu patrimônio.

Por Lauro Jardim

sábado, 28 de abril de 2012

8:27 \ Economia

Fatia comprada

Accioly: o novo sócio de André Esteves do Pactual

O BTG Pactual vai abrir mais uma frente. Acaba de fechar a compra de 30% da Bodytech, rede de academias do empresário carioca Alexandre Accioly.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 26 de março de 2012

18:30 \ Economia

Salgado vai à CVM

CVM no caso Pan Americano

Depois de entrar com um pedido de instauração de inquérito na Polícia Federal contra o BTG Pactual,  os advogados de Adalberto Salgado Júnior protocolaram na CVM um pedido para que a autarquia se pronuncie sobre o imbróglio envolvendo o investidor – que é acusado pelo Pactual de participar da fraude contábil no PanAmericano, por causa dos 400 milhões de reais aplicados em CDBs a taxas muito altas.

Os advogados argumentam que, como pôde o Pactual ter coordenado o IPO do Panamericano em 2008 sem encontrar nada contra Salgado Júnior e, logo em seguida, depois de se tornar controlador do banco, não honrar o pagamento a aplicadores que livraram o PanAmericano da quebra quatro anos atrás, entre eles Salgado Júnior?

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

7:29 \ Economia

Ainda há chance

O barulho em torno de uma suposta compra iminente da Hypermarcas pelo BTG Pactual baixou, mas a conversa o alto comando do grupo e do banco não morreu. Ambos ainda querem a operação.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

14:22 \ Economia

A união WTorre e Pactual

Está definido o nome da empresa que nascerá da fusão entre WTorre e Pactual. A One Properties está nascendo com 5,3 bilhões de reais em ativos.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 28 de junho de 2011

7:22 \ Economia

Pão de Açúcar-Casino-Carrefour: o que os papeis apreendidos vão dizer?

A novela Pão de Açúcar-Casino-Carrefour terá nas próximas horas um capítulo importante: um grupo de investidores, articulado por um fundo de private equity do BTG Pactual, propôs uma associação entre o Carrefour e o Pão de Açúcar no Brasil. O controle das operações combinadas seria compartilhado e a participação acionária idem. Dessa operação, que seria tocada pelo Pão de Açúcar, o Casino continuaria fazendo parte como sócio.

A operação proposta, contudo, é mais ambiciosa, pois não está restrita ao mercado nacional. A ideia é criar uma nova empresa que reuniria os atuais acionistas do Pão de Açúcar, o fundo do BTG Pactual e o BNDESpar (que participa da operação) e se tornaria um dos mais importantes acionistas do Carrefour na França.

O governo brasileiro abençoa a proposta (e a participação do BNDESPar diz tudo sobre isso). Seria uma espécie de reedição do que fez o trio Jorge Paulo Lemann, Marcell Telles e Beto Sicupira, quando em 2003 viraram sócios importantes da belga Interbrew, criando a InBev.

Se o negócio der certo, apenas no Brasil a nova empresa seria dona de 2 386 pontos de vendas – e Abílio Diniz terá dado a volta por cima. Aparentemente, a proposta que agora torna-se pública é a mesma que Abílio propôs ao Carrefour há três meses, quando iniciaram conversações.

Essa resposta, aliás, poderá ser dada pelos papéis apreendidos na semana passada na sede do Carrefour francês pela Justiça francesa, a pedido do Casino. Abílio, evidentemente, nega que o teor seja a mesmo. O Casino tem certeza de que é. Oficialmente, Abílio dirá que foi surpreendido pela proposta e irá estudá-la.

E agora cabe ao Casino dizer se quer ter laços societários com o seu maior concorrente na França.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 5 de outubro de 2010

7:29 \ Economia

Muita liquidez

A empresa de investimentos que está sendo aberta em São Paulo para gerir as fortunas de Marcel Telles, Jorge Paulo Lemann e Beto Sicupira não terá clientes. Administrará somente a grana dos três e de mais alguns poucos e bons sócios – como Tom Freitas Valle, ex-Matrix. Quem tocará a empresa será Marco Kheirallah, ex-Pactual e ex-Vinci.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 7 de abril de 2010

18:49 \ Economia

Esteves ajuda Cezar

André Esteves, do BTG Pactual, e Edson Macedo, da SolFin, ambos ex-sócios de Luiz Cezar Fernandes estão apagando o incêndio do litígio entre o Banco BBM e o ex-banqueiro – uma disputa que ameaça tirar de Fernandes sua própria casa, uma cinematográfica fazenda nos arredores de Petrópolis (RJ). Deve sair acordo até o final da semana.

Nada como um dia depois do outro.  Fernandes foi ejetado do Pactual em 1998 por Esteves e sua turma. Até pouco tempo atrás, Fernandes falava mal do ex-sócio em entrevistas.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 22 de setembro de 2009

7:37 \ Economia

A vez de Sayão

A turma de uns 30 graúdos que deixou o Pactual na sexta-feira tem planos de, obviamente, manter-se no setor financeiro. E vai fazê-lo em breve.

Mas e o tal acordo de não competição, tão falado no mercado nos últimos dias? 

O trato só existe se o grupo quiser montar um banco ou uma corretora. O resto, como já disse o sábioTim Maia, vale tudo.

Ou seja, essa turma, que tem Gilberto Sayão e outros à frente, pode (e vai) abrir uma empresa de gestão de recursos, montar privaty equities, dar assessoria em fusões e aquisições etc.  Enfim, uma gama de serviços de boa monta.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

7:27 \ Economia

O dia do “checão”

É hoje o dia: vinte sócios que estão deixando o Pactual recebem 700 milhões de reais a que têm direito ainda do tempo em que o UBS comprou o banco em 2006. Quem fará os cheques é André Esteves, que acaba de recomprar o Pactual do UBS. Alguns desses vinte felizardos, porém passaram os últimos dias em expectativa.  Diz um deles:

- Houve tantos lances rocambolescos nesta negociação, que incluiu até sumiço de contratos, que eu quero ver para crer. Não foi um processo fácil. Só acredito que tudo acabou quando o dinheiro estiver na conta.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

13:42 \ Economia

Mudança de casa

Leandro Torres vendeu sua participação de 6% na corretora Link e mudou-se de armas e bagagens para o BTG Pactual.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 15 de setembro de 2009

17:06 \ Economia

Proposta aceita

Foi bem sucedida a reunião que acabou agora à tarde entre André Esteves, o UBS e os sócios do Pactual. Esteves comprou (ou melhor, recomprou) o Pactual dos suíços.

Assim, os cerca de 2,1 bilhões de dólares que o UBS devia aos sócios do Pactual passou a ser dívida de Esteves. O banqueiro, entretanto, conseguiu que todos os 70 sócios assinassem sua proposta para o pagamento dessa bolada – havia dúvidas se todos dariam o o.k. à oferta, mas o acerto foi unânime.

Em resumo, a partir de agora essa turma deixa de ser credora do UBS e passam a ser de Esteves.

Dos 70 que assinaram, dez já não estavam mais no banco, 25 irão sair e 35 permanecem ao lado de Esteves.

Na sexta-feira, Esteves assinará um encorpado cheque de 1,8 bilhão de dólares para liquidar a maior parte dos seus compromissos com os sócios (e ex-sócios). E, na segunda-feira, nasce oficialmente o BTG/Pactual.

Por Lauro Jardim
7:29 \ Economia

Bye bye, Pactual

O Pactual, agora nas mãos de André Esteves, mais do que nunca deverá ser chamado de “novo Pactual”. Há uma turma de peso que deixará o barco (ou o iate, se preferirem) a partir de agora.

Mais da metade do atual Comitê Executivo do UBS/ Pactual sai. Entre os que tomarão novos rumos estão Gilberto Sayão, Mario Campos, Rodolfo Riechert, Rodrigo Xavier – todos eles, diretores e sócios importantes.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

11:25 \ Economia

O sonho de Esteves

Uma eventual associação entre o Bradesco e o Pactual de André Esteves é o assunto número um, dois e três do mercado financeiro hoje. O que banqueiros graúdos têm dito em caráter reservado é que Esteves já falou do assunto mais de uma vez em conversas privadas.

Mas atenção: seria, por enquanto, muito mais um desejo de Esteves do que efetivamente um negócio já em curso. O Bradesco sabe do interesse de Esteves. Conversas já aconteceram, mas estágio embrionário.

O que Esteves pensa é numa associação nos moldes do que foi feito entre o Itaú e o BBA, em 2002. Se o negócio vingasse, Esteves viraria um dos principais acionistas do Bradesco.

Por Lauro Jardim

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados