Blogs e Colunistas

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

11:34 \ Futebol

Sem segredo

 

CBF:briga na Justiça

CBF:briga na Justiça

A briga entre a CBF e a Marfrig na Justiça do Rio de Janeiro teve um novo capítulo no mês passado. A CBF processa a empresa, ex-parceira da entidade e patrocinadora da Copa, por rompimento do contrato e uso indevido da marca da seleção brasileira.

No fim de janeiro, a 48ª Vara Cível não aceitou o pedido da empresa para tornar a ação sob segredo de Justiça. O valor cobrado no processo chega a 50 milhões de reais.

Por Lauro Jardim

sábado, 21 de setembro de 2013

7:04 \ Economia

Um “campeão” em apuros

Molina: depois de vender a Seara três meses atrás, agora é a vez de se desfazer do restante

O encrencado Marfrig, o segundo maior frigorífico nacional, decidiu que é hora de resolver seus problemas para não ser tragado pro eles.

Que problemas? Um endividamento de 11 bilhões de reais. A solução desenhada pelo conselheiro da Marfrig, Sérgio Rial, com o o.k. do controlador Marcos Molina, é vender os ativos que possui no Brasil ao Minerva, o terceiro maior frigorífico do país. A operação internacional ficaria com a BRF (Sadia/Perdigão).

As negociações com o Minerva já começaram. Rial quer fechá-la com rapidez.

A oferta para a venda conta com um deságio em relação ao valor da ação na Bovespa. Se a transação avançar, será o fim do Marfrig como conglomerado. E também o fim de mais um “campeão nacional” em que o BNDES apostou alto.

Por Lauro Jardim

sábado, 15 de junho de 2013

6:26 \ Futebol

Nas asas da Seara Air

Teixeira: jatinho para facilitar a vida

Advogados que participaram da negociação de venda da Seara para a JBS ficaram de cabelo em pé há duas semanas quando viram uma peculiar cláusula do contrato de patrocínio que a ex-empresa de Marcos Molina tinha com a CBF.

Assinado há três anos por um Ricardo Teixeira ainda todo-poderoso, o contrato tinha uma espécie de contrapartida aérea: o jato da Marfrig (então dona da Seara) podia ser utilizado por Teixeira para viagens mundo afora em troca do abatimento do dinheiro que a empresa deveria pagar à CBF.

Ou seja, muitos reais deixaram de entrar nos cofres da CBF para que Teixeira não se visse na desagradável condição de ter que se juntar aos pobres mortais que viajam em aviões de carreira. Voava, inclusive, para Miami, onde tem casa.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 3 de junho de 2013

11:31 \ Economia

BRF e Marfrig

Abilio: à frente da BRF

A BRF, agora com Abílio Diniz à frente de sua estratégia, está negociando a compra de ativos na Ásia, Europa e EUA da encrencada Marfrig. Na mesa, um negócio em torno de 1,2 bilhão de dólares. A Marfrig tem pressa. Uma oferta mais firme deve ser feita nos próximos dias.

Esse bilhão de dólares, imagina o a Marfrig, seria suficiente pra acalmar seus credores, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander. Há vencimentos pesados da dívida da empresa de Marcos Molina.

Se o negócio fechar mesmo, a Marfrig ganha fôlego, mas o mercado financeiro avalia que a empresa necessite de uma nova oferta de ações de pelo menos 3 bilhões de reais para sair da UTI.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

7:22 \ Judiciário

…E a Marfrig também

Obras no terminal de passageiros

A propósito, além dos financiamentos para o grupo de Eike Batista, o procurador Marinus Marsico também enviará um outro pedido de informações ao BNDES.

O alvo é o dinheiro liberado para a Marfrig. Os pedidos sairão do gabinete de Marsico, no MP junto ao TCU, na semana que vem.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

11:16 \ Economia

Mudanças na Marfrig

Rial, o novo rosto da Marfrig

Sergio Rial,  que até a semana passada era o diretor financeiro da Cargill, está assumindo o cargo de CEO da Seara Foods, do Grupo Marfrig.  É a primeira etapa de uma mudança muito maior no segundo maior frigorídico brasileiro.

Rial está sendo preparado para substituir o controlador, Marcos Molina, no comando do grupo a partir de 1º de janeiro de 2014.

É uma contratação estratégica feita por Molina.  O mercado vem há tempos se mostrando cético em relação ao grupo. As dívidas de curto prazo apertam o caixa da empresa. Dinheiro novo é necessário a todo o momento. Assim, a mudança é necessária para tentar convencer credores e investidores.

Por Lauro Jardim

sábado, 29 de setembro de 2012

9:08 \ Economia

Na hora certa

Marfrig: fábrica em funcionamento

A Marfrig conseguiu um empréstimo na Caixa Econômica Federal de 350 milhões de reais no mês passado. Justamente no momento em que BNDES, Brasdesco, Banco do Brasil e Itaú montavam uma estratégia em conjunto com a própria Marfrig para que alguns ativos da empresa fossem vendidos.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 25 de maio de 2012

18:49 \ Economia

Mudanças na Marfrig

Marfrig: fábrica em funcionamento

A Marfrig anuncia nos próximos dias o seu novo vice-presidente de Relações Institucuionais. Será João Sampaio, ex-secretário de Agricultura de José Serra e Geraldo Alckmin.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 27 de março de 2012

18:17 \ Economia

De olho no balanço

Marcos Molina: alavancagem

No balanço da Marfrig, divulgado ontem, chamaram a atenção dos analistas do mercado financeiro o crescimento da alavancagem da empresa e a alta de suas ações.

A alavancagem passou de 4,04 no terceiro trimestre para 4,39 no quarto trimestre de 2011.  Já o papel fechou em alta de 5,25% – quase 20% do total dos papeis da Marfrig negociados ontem tiveram ordem de compra dadas pela Umuarama, corretora onde opera a familia de Marcos Molina, o controlador do grupo.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 15 de março de 2012

7:01 \ Economia

Deu errado

Acordo entre a JLS e Marcos Molina subiu no telhado

Fez água o acordo celebrado em 21 de dezembro passado entre a Marfrig e a JLS (leia mais em Marfrig vende) no qual a empresa de Marcos Molina vendia seus ativos na área de logística para a companhia fundada por Júlio Simões (que, aliás, morreu há duas semanas).

Na hora de concretizar tudo, JLS e Marfrig não chegaram a um acordo quanto ao valor a ser pago. Inicialmente, era um negócio em torno dos 150 milhões de reais. A Marfrig segue em busca de vender esses mesmos ativos.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

11:35 \ Economia

Marfrig vende

Depois de ficar com todos os ativos que o Cade obrigou a Brasil Foods (BRF) a se desfazer, a Marfrig agora é quem vendeu alguns ativos. A JSL, uma das gigantes do setor de logística, acaba de abocanhar toda a gestão de logística do Grupo Marfrig no Brasil. Comprou ativos de logística do segundo maior frigorífico brasileiro por 150 milhões de reais.

Um dos objetivos da Marfrig, além de fazer caixa e focar no seu core business, é preparar a empresa para operar com o volume de produtos que virá das aquisições que fez na BRF. O acordo deve ser ampliado para o Mercosul.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

10:20 \ Economia

Marfrig e Sadia: negócio fechado

Molina: aquisição

A Marfrig e a BRFoods/Sadia fecharam nesta madrugada uma permuta que vai balançar o setor de carnes e alimjentos. A BRFoods cederá à Marfrig todas as marcas e fábricas que o Cade a obrigou vender, depois que houve a fusão com a Perdigão.

A Marfrig cederá parte dos ativos da Quickfood – empresa do grupo instalada na Argentina, incluindo a marca Paty, líder do mercado de hambúrgueres naquele país -, granjas de suínos no Mato Grosso e fará um pagamento de 200 milhões de reais em até seis anos.

No pacote que a BRF está se desfazendo estão incluídas as marcas Rezende, Wilson, Texas, Tekitos, Patitas, Escolha Saudável, Light Ellegant, Fiesta, Freski, Confiança; Doriana e Delicata.

A Marfrig leva também oito centros de distribuição em cinco estados, dois abatedouros de frangos,, um de suíno, seis unidades processadoras, equipamentos, imóveis e os funcionários.

Surpreendentemente, ao contrário de todos os últimos negócios do setor, este não tem dinheiro do BNDES envolvido.

O negócio será anunciado ainda hoje. Aliás, Marcos Molina, controlador da Marfrig, e Wilson Melo no lugar dele, diretor de assuntos corporativos da BRF, se reúnem hoje com o Cade, em Brasília, para comunicar o fechamento do negócio.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

15:31 \ Economia

Na carne

Os resultados trimestrais dos dois maiores frigoríficos brasileiros, JBS e Marfrig, devem sair nos próximos dias. O mercado financeiro está atento e preocupado. O Minerva, o número três do setor, anunciou seu resultado trimestral com queda de 36,5% nos lucros.

(Atualização. O  Minerva entra em contato “para esclarecer que os resultados ficaram bastante acima das previsões do mercado e surpreenderam os analistas positivamente. Tanto assim que nossas ações saíram de  4,80 reais para 5,05 reais no fechamento” do dia seguinte). “Além disso, o Minerva registrou uma receita líquida de 1,06 bilhão de reais no 3º trimestre, 13,1% maior do que o resultado do 2º trimestre de 2011″)

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

8:04 \ Economia

Cresce o pedaço de Molina no Marfrig

Molina foi às compras

Marcos Molina, o controlador do Marfrig, acaba de aumentar sua participação no segundo maior frigorífico brasileiro. Aproveitou a maré baixa no valor das ações e foi às compras. Tinha 44,15% do Marfrig e agora passou para 45,01%.

Por Lauro Jardim

sábado, 1 de outubro de 2011

5:42 \ Economia

Megafusão preocupa

A movimentação do JBS junto aos bancos para financiar uma megafusão com o Marfrig e o frigorífico Minerva acendeu um sinal amarelo na equipe
econômica. Internamente, o governo tem dito que não vê com bons olhos tamanha concentração no setor. O JBS é o maior produtor de carne e frango do mundo.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 1 de abril de 2011

16:03 \ Congresso

Incompatibilidade de interesses

A subcomissão criada na Comissão de Agricultura da Câmara para acompanhar as fusões entre Sadia e Perdigão, JBS e Bertim, Marfrig e Seara e Citrosuco e Citrovita aprovou a recondução de Leandro Vilela à presidência. Beleza, não fosse o fato de Vilela ter recebido doações de 300 mil reais do JBS na campanha eleitoral passada.

Por Lauro Jardim

sábado, 30 de outubro de 2010

Me dá um dinheiro aí?

A propósito do Banco do Brasil, gente graúda do governo ficou preocupada com a maneira desenvolta com que pelo menos um vice-presidente do BB, Allan Toledo, se envolveu nas eleições, pedindo contribuições a grandes empresas. Ao menos dois gigantes do setor de carne – JBS e Marfrig – foram procurados.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 28 de setembro de 2010

7:31 \ Economia

A Marfrig avança

A Marfrig deve assumir a gigante Keystone, comprada em junho por 1,26 bilhão de dólares, já na sexta- feira. Todas as autorizações nos EUA e na União Europeia já foram obtidas.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 20 de julho de 2010

10:11 \ Economia

O BNDES aposta na carne…e banca 2,5 bilhões de reais para a Marfrig

Acaba de acontecer o que todo mercado apostava, mas não podia cravar: o BNDES, através da BNDESPAR, resolveu subscrever 100% da emissão de debêntures conversíveis em ações  no valor de 2,5 bilhões de reais que será feita pela Marfrig.

Na prática, é o montante que a gigante brasileira do setor de carnes (faturamento de 28 bilhões de reais e vendas em 22 países) precisava para conseguir fechar uma megaoperação anunciada no mês passado — a aquisição da americana Keystone Foods. A Marfrig comprou a Keystone por 1,26 bilhão de dólares. Portanto, o dinheiro do BNDES financiou integralmente a aquisição.

O BNDES no início do ano fez uma operação semelhante com a JBS Friboi, concorrente da Marfrig: subscreveu a emissão de debêntures conversíveis em ações da JBS/EUA no valor de 2,3 bilhões de reais. Àquela altura, o objetivo foi o mesmo: financiar a compra da americana Pilgrim’s Pride.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 29 de junho de 2010

11:34 \ Economia

Briga de boi grande

A Marfrig investiu pesado na exposição da marca Seara na Copa do Mundo, mas a sua publicidade nos comerciais de televisão ainda é menor que a dos principais concorrentes.

De janeiro a 29 de junho, a Seara levou ao ar 137 anúncios nas cinco maiores emissoras do país. O badalado comercial com Robinho, Neymar e Ganso dançando a música Single Ladies apareceu apenas quinze vezes na televisão.

A Sadia teve dez vezes mais inserções (1 266 comerciais) e até a Perdigão fica na frente com 193 comerciais no mesmo período.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 15 de junho de 2010

6:33 \ Economia

A Marfrig avança nos EUA

A Marfrig fechou ontem à noite a compra da Keystone Foods, maior empresa privada americana a base de proteínas animais. Pagou 1,6 bilhão de reais pelo negócio. Com a aquisição, a brasileira Marfrig torna-se um dos maiores fornecedores globais do do McDonald´s e do Subway, entre outras cadeias de fast food. Com sede na Pensilvânia, a Keystone fornece para cerca de 28 000 restaurantes em treze países.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 1 de abril de 2010

12:01 \ Economia

Seara quer ser marca global

A África, de Nizan Guanaes, acaba de ganhar a conta do Marfrig, um dos maiores frigoríficos do mundo. A missão da agência será lançar a Seara como uma marca global. A Seara foi comprada da gigante americana Cargill pelo Marfrig seis meses atrás por 900 milhões de reais. Agora,  vai ganhar o mundo. Te cuida, Brasil Foods.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

11:25 \ Economia

A Marfrig avança

A Marfrig pagou 6,4 milhões de dólares por um terreno na Argentina que será usado para a construção de um confinamento para 22 000 cabeças de gado.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 27 de outubro de 2009

12:04 \ Economia

As previsões do Marfrig

O gigante da carne do frango Marfrig acaba de rever sua projeção de faturamento para este ano e para 2010. Para este ano, reviu para baixo – e culpa a “forte mudança nas taxas cambiais” que afetou o real. Mas para o ano que vem, só vê céu azul.

Aos números: o Marfrig previa faturar em 2009 entre 10,5 bilhões de reais e 12 bilhões de reais; agora, projeta uma receita entre 10 e 10,5 bilhões de reais. Em 2010, espera um aumento de mais de 60% no faturamento: entre 16,5 bilhões de reais e 18 bilhões de reais.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 22 de setembro de 2009

11:28 \ Economia

O Marfrig reage e vai às compras

O Marfrig, que na semana passada viu seus dois maiores concorrentes (Bertin e JBS) unirem as forças, reagiu rápido. Realiza hoje dois movimentos para ganhar musculatura.

1) está comprando 51% do centenário grupo uruguaio Zenda, que fabrica couros acabados e cortados para a indústria automobilística e de aviação civil. Vai pagar 50 milhões de dólares pela empresa.

2) acaba de arrendar onze frigoríficos pertencentes ao Margen e ao Mercosul. Acrescenta, assim, 8 800 cabeças de gado por dia em sua capacidade de abate, que era de 22 350 bovinos por dia.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

10:42 \ Economia

A festa da carne

O setor está agitado: anteontem, o Marfrig comprou a Seara (da americana Cargill) por 900 milhões de dólares.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

11:32 \ Economia

100 milhões de dólares

O Marfrig, um dos maiores frigoríficos do Brasil, acaba de pegar um financiamento de 100 milhões de dólares (com vencimento em cinco anos) com o Credit Suisse.  Segundo a própria empresa, a “operação contribui para melhorar o perfil do endividamento do Marfrig”.

Por Lauro Jardim

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados