Blogs e Colunistas

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Tracking que incomoda

pezão

Pezão: pé atrás com as pesquisas

Mesmo com uma vantagem de até dois dígitos nas pesquisas Ibope e Datafolha, a campanha de Luiz Fernando Pezão não consegue se tranqüilizar na disputa com Marcelo Crivella.

Culpa do tracking de Pezão que continua detectando um empate técnico no segundo turno do Rio de Janeiro. Como as pesquisas erraram feio no início do mês, o clima de tensão na campanha vai até o próximo domingo.

(Atualização às 15h37: a campanha de Pezão entrou em contato para dizer que o tracking está com uma diferença de 16 pontos percentuais a favor do peemedebista. O Radar afirma, contudo, que o empate no tracking até a semana passada foi primordial para a definição de estratégia de ataque a Edir Macedo)

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Entre dois adversários

Aliada em comum

Crivella e Pezão: Dilma em comum

A propósito, Dilma Rousseff cancelou a agenda que tinha amanhã no Rio de Janeiro, sob a alegação que precisa descansar. Transferiu-a para quarta-feira, quando participará de atos dos adversários Pezão e Marcelo Crivella.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Melhor não ir

Record: debate cancelado

Record: debate cancelado

As campanhas de Luiz Fernando Pezão e Marcelo Crivella estão chegando a um acordo agora à tarde para não participar do debate na Record, no domingo.

É bom para os dois lados. Pezão, líder nas pesquisas com mais de 12% de diferença dos votos, teria um embate a menos com Crivella. E a Igreja Universal também não correria o risco de ser esculhambada ao vivo na Record.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Mãos abaixo

Tempo quente

Tempo quente

Mais um capítulo da Guerra Santa entre Luiz Fernando Pezão e Marcelo Crivella no Rio de Janeiro, desta vez no TRE-RJ.

A campanha de Pezão entrou com uma ação contra a Record e a CNT, que transmitem os cultos-comício da Igreja Universal de Edir Macedo e Crivella.

A juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza proibiu as duas emissoras de veicular qualquer manifestação de apoio a Crivella e notificou também a Igreja Universal.

Os pastores não poderão tocar no nome de Crivella nos cultos e em páginas oficiais e estão proibidos até de promover apoios “subliminares”, como os gestos com as duas mãos espalmadas que aludem ao número dez de Crivella.

A multa a quem desobedecer a decisão do TRE-RJ é de 500 000 reais por dia.

Por Lauro Jardim

Guerra Santa no Rio 2

Record: debate em risco

Record: debate em risco

A campanha de Marcelo Crivella pediu ontem o cancelamento do debate na Record no próximo domingo. Luiz Fernando Pezão – que dia sim, dia não, desce a borduna em Edir Macedo – por enquanto continua querendo comparecer.

Depois de Anthony Garotinho acusar a Globo de sonegar impostos ao vivo no primeiro turno, será que Pezão no segundo turno atacará a Universal e a Record dentro da própria emissora?

A propósito, em busca de reduzir a rejeição da Universal, Crivella está tentando marcar um encontro com centros espíritas. Vale tudo na reta final para conseguir mais votos.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Telemarketing contra Macedo

Crivella: agora virou ameaça

Crivella: alvo de ação de telemarketing

A ação para dizimar a popularidade de Marcelo Crivella não se limitou ao programa de TV de Luiz Fernando Pezão – um telemarketing agressivo começou a ser adotado no Rio de Janeiro desde o fim de semana.

A pergunta feita é: “você sabia que o Crivella é sobrinho do Edir Macedo? Se sim, digite um. Se não, digite dois. E você sabia que o Edir Macedo comanda a igreja Universal? Se não, digite dois”.

Pesquisas qualitativas da campanha de Pezão revelam que boa parte do eleitorado esqueceu o parentesco de Crivella e Macedo. E, o chefe da Universal, ainda é muito rejeitado no Rio, estado onde, aliás, Macedo iniciou sua jornada.

Por Lauro Jardim

Aliado escondido

Palavra de consolos

Malafaia não gostou do programa de Pezão

Silas Malafaia, que o PMDB dava como certo no apoio a Pezão no segundo turno, ficou revoltado com a campanha feita contra a igreja Universal. Mandou na lata para quem quisesse ouvir que “o marqueteiro do Pezão é um idiota”. Hoje, o programa de Pezão começou a mostrar pastores na TV como Abner Ferreira – Valdemiro Santiago também gravou.

Ontem, a campanha de Pezão exibiu um vídeo em que Crivella trata de oferta de fiéis e um diálogo com seu tio Macedo. O curioso é que a campanha de Pezão escondeu a cara do pastor Abner Ferreira, que participa do culto com Crivella. Abner faz parte da Assembleia de Deus e apoia Pezão desde o primeiro turno.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Feitiço contra o feiticeiro

Crivella: agora virou ameaça

Crivella: agora virou ameaça

O tom bélico de Marcelo Crivella contra Luiz Fernando Pezão na reta final da campanha fluminense surpreendeu os peemedebistas que tanto trabalharam pela sua candidatura ao governo do Rio de Janeiro.

Em fevereiro, Sérgio Cabral e Jorge Picciani haviam garantido apoio a Crivella caso Luiz Fernando Pezão não fosse para o segundo turno (Leia mais aqui e aqui). Naquela ocasião, verdade seja dita, poucos acreditavam na vitória de Pezão. Agora, os ventos tomaram outro rumo e Crivella ameaça a hegemonia do PMDB.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Coligação anti-Pezão

Fechando apoios

Fechando apoios

Marcelo Crivella agora corre atrás de quem ficou para trás. Parte do PT do Rio de Janeiro e Anthony Garotinho estão a um passo de aderir ao palanque anti-Pezão.

Hoje, Crivella almoçou com Washington Quaquá, presidente do diretório petista fluminense, no Centro do Rio. O acordo está praticamente fechado, apesar de uma considerável parcela do PT do Rio preferir Luiz Fernando Pezão.

E Anthony Garotinho? Crivella está arrumando a agenda para ir a Campos amanhã e voltar à capital com a palavra de apoio de Garotinho.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Ibope no Rio

Pezão: subindo nas pesquisas

Pezão: subindo nas pesquisas

O Ibope divulga logo mais uma nova pesquisa de intenção de votos para o governo do Rio de Janeiro. Por ela, todos os candidatos oscilaram dentro da margem de erro – Luiz Fernando Pezão para cima e Anthony Garotinho e Marcelo Crivella para baixo.

Aos números: Pezão aparecerá com 31% das intenções de votos (tinha 29% na semana passada); Garotinho, com 24% (tinha 26%), Crivella, 16% (tinha 17%). Já Lindberg Farias oscilou de 8% para 9%.

Na simulação do segundo turno, Pezão ampliou a vantagem para Garotinho. Antes era de 43% a 33%. Agora de 46% a 31%.

Por Lauro Jardim

Crivella confiante

Crivella: acordo com o PMDB?

Crivella: vai passar Garotinho?

De Marcelo Crivella sobre as eleições para o governo do Rio de Janeiro:

- Não tem possibilidade de eu ter menos de 20% dos votos.

Hoje, segundo o Ibope e o Datafolha, o senador tem 17% das intenções de voto. Se realmente alcançar o patamar que promete, Crivella e Anthony Garotinho podem ter uma briga acirrada pelo segundo lugar na reta final.

Os trackings de todas as campanhas estão detectando uma queda de Garotinho na reta final.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Garotinho, não

Crivella: acordo com o PMDB?

Crivella: acordo com o PMDB?

Marcelo Crivella vai ficar neutro ou apoiar Luiz Fernando Pezão caso fique fora do segundo turno na disputa pelo governo do Rio de Janeiro. Apoiar Anthony Garotinho, jamais, garante a cúpula do PRB.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Dilma in Rio

dilma

Dilma: acompanhada por qual candidato ao governo do Rio?

Além de um comício com Marcelo Crivella na sexta-feira, a coordenação de campanha de Dilma Rousseff no Rio de Janeiro planeja mais duas agendas da petista no estado até a eleição. Uma delas será uma carreata na Zona Oeste da cidade.

A questão é: qual candidato a governador vai estar junto de Dilma nestes dias? Os petistas estão enciumados com a quantidade de eventos que Pezão tem realizado com Dilma.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Campanha paralisada

candidatos

Candidatos no Rio: nada combinado com o PT

Uma reunião entre representantes da campanha de Dilma Rousseff e representantes das quatro candidaturas a governador do Rio anteontem revela como o PT está paralisado no Estado.

Falou-se em material de campanha, novos eventos no Rio e nada ficou decidido. Não há ainda espalhadas pela cidade imagens de Dilma com Anthony Garotinho, Marcelo Crivella e Lindbergh Farias. Com Luiz Fernando Pezão, há, mas muito pouco.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Crivella e as empreiteiras

Crivella: sem empreiteiras

Crivella: sem empreiteiras

Na semana passada, Marcelo Crivella disse em alto e bom som que não aceitará doações de empreiteiras na campanha deste ano. Disse o pastor:

- É preciso ter padrões éticos. A gente não pode receber doações de 8 milhões de reais se essas doações vêm das grandes empreiteiras.

Pois não foi esta a filosofia de Crivella nas últimas cinco campanhas que disputou. O senador recebeu mais de 1 milhão de reais de empreiteiras e construtoras em disputas para prefeito, governador e senador – entre elas a OAS, Carioca Engenharia e outras 14 empresas do setor. 2014 vai ser diferente então?

Por Lauro Jardim

terça-feira, 22 de julho de 2014

Eu vou

cabral lindbergh

Está valendo tudo

Dilma Rousseff precisará montar suas visitas ao Rio de Janeiro atenta para não ferir suscetibilidades dos quatro candidatos ao governo estadual que integram a base aliada – Lindbergh Farias, Luiz Fernando Pezão, Anthony Garotinho e Marcelo Crivella.

Até agora, não há nada previsto, para agonia dos políticos fluminenses em campanha.

Mas Lindbergh não quer nem saber. Quando Dilma for ao Rio e convidá-lo para estar junto, Lindbergh irá, mesmo se tiver que dividir palanque e a atenção da correligionária com Pezão e os demais adversários.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 21 de julho de 2014

20:03 \ Internet

Está onde?

crivella

A gafe de Crivella (clique para aumentar)

Se Marcelo Crivella dependesse da noção geográfica de quem opera seu Twitter, poderia se confundir em suas andanças de campanha.

Na sexta-feira, o candidato ao governo do Rio de Janeiro foi a Campo Grande, Zona Oeste da capital fluminense. Pois a rede social de Crivella não teve dúvidas: localizou – equivocadamente – o bairro na Baixada Fluminense:

– Agora Crivella está em Campo Grande. A Baixada merece atenção especial, em vez de tanta indiferença!

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Crivella vai ter fôlego?

Crivella: sempre bem no início da disputa

Crivella: sempre bem no início da disputa

O resultado da pesquisa Datafolha para o governo do Rio de Janeiro, com Anthony Garotinho e Marcelo Crivella empatados na liderança (ambos com 24% das intenções de voto), abre a seguinte questão: terão fôlego para se manter na ponta, com muito menos tempo de TV e estrutura de campanha que Luiz Fernando Pezão (14%) e Lindbergh Farias (12%)?

A história mostra que o sobrinho de Edir Macedo tem tido dificuldade em alcançar em outubro o patamar das pesquisas do meio do ano. Em 2008, no mesmo mês de julho, quando disputou a prefeitura do Rio, Crivella marcava os mesmos 24% das intenções de voto no Datafolha. Era seguido por Jandira Feghali (16%) Eduardo Paes (13%) e Fernando Gabeira (7%). Em outubro, Crivella despencou e a eleição polarizou entre Paes e Gabeira.

Em 2006, quando concorreu ao governo do Rio, Crivella marcava neste mesmo período do ano 20% das intenções de voto contra 41% de Sérgio Cabral e 9% de Denise Frossard. Acabou ficando de fora mais uma vez da briga pelo segundo turno.

A diferença agora, apontam os aliados de Crivella, é que a rejeição do representante da igreja Universal está muito menor. Em 2008, por exemplo, a sua rejeição em julho era de 31%. Hoje, segundo o Datafolha, o índice está em 16% – o menor entre os candidatos à sucessão de Sérgio Cabral.

Ou seja, tem muita água para rolar ainda na eleição fluminense.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Chapa pela sobrevivência

Crivella: líder nas pesquisas

Crivella: mirando 2018

Nem a oferta de Lula demoveu Marcelo Crivella da ideia de lançar-se candidato ao governo do Rio de Janeiro (Leia mais aqui). Questão de sobrevivência. Essa é a justificativa dada por Crivella aos emissário de Lindbergh Farias que tentaram convencê-lo a ocupara vice da chapa petista fluminense.

Ao sair candidato agora, Crivella mira 2018, quando tentará a reeleição ao Senado. Quer aproveitar o tiroteio eleitoral para voltar à mídia e não cair no esquecimento. Crivella costuma dar o exemplo que daqui quatro anos, se continuar longe dos holofotes, o eleitorado jovem não fará ideia de quem ele é.

Por Lauro Jardim

sábado, 28 de junho de 2014

Afinal, quem nomeia?

a

Lula: sem-cerimônia nas articulações para a formação de um segundo governo Dilma

Há cerca de um mês, Lula esteve com Marcelo Crivella e lhe propôs renunciar à candidatura ao governo do Rio de Janeiro, virar vice de Lindbergh Farias e, em 2015, ganhar um ministério importante num eventual segundo governo Dilma.

Pode parecer uma articulação como outra qualquer. Não é. Significa que Lula já está nomeando ministros num governo que não é o seu. E, até onde se sabe, Dilma não lhe deu essa procuração.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 24 de junho de 2014

Dia D

Crivella: candidato

Crivella: decisão amanhã

A decisão sobre o destino da candidatura de Marcelo Crivella ao governo do Rio de Janeiro será tomada amanhã numa reunião entre o candidato e a cúpula do partido.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 16 de maio de 2014

9:23 \ Cultura

Nas livrarias

Crivella e a mulher sendo homenageados na Câmara do Rio

Crivella e a mulher sendo homenageados na Câmara do Rio

A mulher de Marcelo Crivella é a mais nova contratada da Thomas Nelson para publicar um livro.

A editora vendeu mais de 1,5 milhão de exemplares de Casamento Blindado, escrito por Cristiane Cardoso, filha de Edir Macedo. Sylvia Jane Crivella lançará um livro sobre como criar filhos.

A Thomas Nelson também iniciou conversas para Crivella lançar a sua obra. Como vai concorrer ao governo do Rio de Janeiro, o senador preferiu adiar o projeto para 2015.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Apoio mútuo

Visita ao PPS

Bom para os dois

Eduardo Campos iniciou  anteontem conversas com Marcelo Crivella para apoiá-lo na disputa pelo governo do Rio de Janeiro. Romário seria o senador na chapa.

A aliança  estilo palanque duplo alcança dois alvos: Campos teria finalmente um palanque competitivo no Rio e Crivella, tempo de TV.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 15 de abril de 2014

18:45 \ Brasil

Trabalhando por Crivella

Crivella: candidato

Contribuição do PMDB

Depois de garantir o apoio à candidatura de Marcelo Crivella no segundo turno (Leia mais aqui), o PMDB do Rio de Janeiro agora trabalha para aumentar o tempo de TV do ex-ministro da Pesca. O PSC do pastor Everaldo Dias, até a semana passada, lançaria para o governo o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Aluisio Gama.

Aluisio desistiu da disputa e agora o PSC de Everaldo abriu conversas com o PRB de Crivella no Rio. O PMDB vê com bons olhos a iniciativa porque acha que Crivella tira votos de Anthony Garotinho no meio evangélico.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 26 de março de 2014

Fora das eleições

Teixeira: candidato

Convite recusado

Apesar da insistência do PRB, o pastor indicado por Marcelo Crivella e que há três anos ocupa a diretoria financeira da Transpetro não aceitou o convite para se candidatar a deputado federal. Rubens Teixeira segue na estatal comandada por Sérgio Machado.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Acordo para o futuro

Crivella: candidatíssimo

Crivella: candidatíssimo

Sérgio Cabral e Jorge Picciani se reuniram com Marcelo Crivella na sexta-feira passada. Em pauta, um compromisso do PMDB apoiar o bispo da Igreja Universal em um segundo turno na campanha ao governo do Rio de Janeiro caso Luiz Fernando Pezão não consiga chegar lá. “Entregar o Palácio Guanabara para Lindbergh Farias ou Anthony Garotinho, nem pensar”, é uma espécie de mantra da dupla Cabral e Picciani.

(Atualização, às 15h51: Sérgio Cabral entra em contato para afirmar que “há meses não se encontra com Crivella”. Picciani também nega que a reunião tenha acontecido)

(Atualização às 13h38 do dia 14: a O Globo de hoje, o presidente do PRB, Marcos Pereira, afirmou que a conversa entre Crivella, Picciani e Cabral existiu)

Por Lauro Jardim

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Na campanha

Crivella: candidato

Crivella: candidato

Marcelo Crivella dá cada vez mais indícios de que será mesmo candidato a governador no Rio de Janeiro. Acaba de fechar contrato com um escritório de advocacia para as possíveis ações eleitorais que vem por aí. Crivella também está em conversas com o publicitário Lula Vieira para tocar a sua campanha.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Dois vices, quatro problemas

Lindbergh: silêncio

Em busca do vice

Lindbergh Farias já iniciou as conversas para tentar convencer Marcelo Crivella a sair como vice em sua chapa. Lindbergh tem dois problemas: as pretensões de Crivella e as da cúpula do PT.

Os caciques do partido sonham com quatro palanques para Dilma Rousseff no Rio: do próprio Crivella e os de Lindbergh, Luiz Fernando Pezão e Anthony Garotinho.

Crivella também não se mostra disposto a ocupar lugar de coadjuvante. Acha importante ser candidato novamente para voltar a pôr o rosto na televisão e evitar o esquecimento do eleitorado fluminense.

Caso Crivella dê-lhe um ‘não’ definitivo, Lindbergh deverá formalizar o convite ao deputado estadual Pedro Fernandes, do Solidariedade, e terá outros problemas: o Solidariedade, de Paulinho da Força, apoiará Aécio Neves para o Palácio do Planalto, e a mãe de Pedro, a vereadora Rosa Fernandes, anda querendo ser candidata ao governo, contra PT, Lindbergh e os demais.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

12:34 \ Brasil

Pupilo best seller

Teixeira: candidato

Teixeira: candidato

O pastor Rubens Teixeira, indicado de Marcelo Crivella na Transpetro e pré-candidato a deputado federal (Leia mais aqui), é também um dos maiores vendedores de livros do Brasil. E já tem projeto novo para 2014 .

Depois de vender 120 000 cópias de As 25 Leis Bíblicas de Sucesso pela Sextante, vai lançar este ano mais um livro religioso chamado Sociedade com Deus. Rubens é pastor da Assembléia de Deus.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

12:08 \ Brasil

Poucos se destacam

Garotinho: liderando o ranking de mais seguidos do Facebook

Garotinho: liderando o ranking de mais seguidos do Facebook

Os políticos falam muito da importância das redes sociais, mas ainda estão engatinhando no quesito (Leia mais aqui). Entre os pré-candidatos a governador no Sudeste, são raros os que ultrapassaram a marca de 100 000 amigos no Facebook.

No Rio de Janeiro, Anthony Garotinho é o campeão de ‘curtidas’ na rede (300 717 internautas), seguido de Marcelo Crivella (168 096), Luiz Fernando Pezão (40 126), Lindbergh Farias (30 456) e Cesar Maia (23 679).

Em São Paulo, apenas Geraldo Alckmin bate a meta com 108 722 curtidores. Alexandre Padilha está muito atrás na disputa, com 4 981 amigos no Facebook.

Já em Minas Gerais, os números são sofríveis. Fernando Pimentel tem 6 104 curtidores e Marcio Lacerda (1 813).

Por Lauro Jardim
 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados