Blogs e Colunistas

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

7:22 \ Congresso

Beija-mão no Senado

Pedido de apoio no Senado

Pedido de apoio no Senado

Presidente da ANTT, Jorge Bastos, cumpriu ontem a conhecida missão das autoridades que precisam cuidar do futuro próximo: passou o dia no processo do beija-mão no Senado, ou seja, procurando cada uma das excelências e pedindo apoio à sua recondução ao cargo.

O nome de Bastos começará a ser apreciado hoje, às 7h30m, na Comissão de Infraestrutura, presidida pelo notório Fernando Collor.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

9:21 \ Economia

Pregão da BR-153

BR-153 hoje, altura de Anápolis

BR-153 hoje, altura de Anápolis

Só falta o ponto final para a Antt concluir os termos de licitação da BR 153, trecho de aproximadamente 620 quilômetros entre as cidades de Aliança, no Tocantins, e Anápolis, em Goiás. A agência deve publicar o edital na última semana de fevereiro.

O grupo vencedor da concorrência terá que investir 4,2 bilhões de reais ao longos do 30 anos do contrato e precisará entregar a obra de duplicação da rodovia no prazo de cinco anos.

O teto do valor do pedágio estipulado no edital será de 9,30 reais, com uma praça de cobrança a cada cem quilômetros. Olhando para os recentes processos licitatórios de outras rodovias, o governo estima que a melhor proposta deve conseguir baratear o preço inicial em cerca de 50%.

Se a expectativa se confirmar, a concessionária vitoriosa apresentará uma proposta de pedágio a 4,15 reais, aproximadamente.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

16:22 \ Brasil

Todo ouvidos

Mudança no formato

Mudança no formato

A ANTT anda trabalhando para evitar novos fiascos para 2014. O governo se convenceu de que o antídoto contra eventuais micos virá da ampliação do diálogo com o mercado. No pacote de concessões de ferrovias, a exemplo do que ocorreu na reta final das concorrências das rodovias, o setor privado será mais ouvido.

ANTT e Casa Civil estão finalizando um modelo em que os próprios grupos interessados apresentariam um projeto de concessão. O governo escolheria o mais alinhado com seus objetivos em cada ferrovia e abriria o leilão. Concluído o processo, o autor do projeto licitado receberia pelo serviço prestado, sendo ou não o vencedor da concorrência.

Os técnicos da ANTT consideram a etapa de linhas férreas extremamente delicada. Ao contrário das rodovias, muitos trechos precisarão ser totalmente construídos.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

9:59 \ Governo

Os postulantes

Alvo da licitação

Alvo da licitação

O governo está contando que o leilão do lote da BR-163 (Mato Grosso do Sul), marcado para o dia 25, atraia pelo menos cinco grupos interessados. Internamente, a ANTT tem uma lista extra-oficial de quatro prováveis participantes: CCR, Eco Rodovias, Queiroz Galvão e Odebrecht.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

12:23 \ Brasil

Concessão das rodovias

Próximo da definição

Confirmadas as rodovias, a ANTT vai definir amanhã a data do leilão de concessões para a BR 060 e BR 153 (Leia mais em: Os próximos leilões). Hoje, há 99% de chances de ocorrer no dia 9 de novembro.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

19:29 \ Brasil

Finalizando o paliativo

Rotina a caminho do porto

A ANTT está finalizando um projeto para atenuar um gargalo de infraestrutura rodoviária do país que engole boa parte dos lucros da exportação agrícola nacional: a dificuldade de escoamento no porto de Santos.

A agência anunciará um escalonamento das viagens para caminhões que costumam fazer o percurso entre o Mato Grosso do Sul e o terminal. A ideia é reduzir as centenas de quilômetros de engarrafamentos registrados no período de escoamento, principalmente na BR 163.

Por Lauro Jardim
19:28 \ Brasil

Lugar de interino

Agência dos interinos

A propósito, dos quatro diretores da Agência Nacional de Transportes Terrestres, três são interinos e há uma cadeira vaga. Isso tudo às vésperas dos leilões de concessões das rodovias.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

6:02 \ Congresso

Cabo de guerra

Nova batalha: audiência pública

O nome de Bernardo Figueiredo ainda causa calafrios ao Planalto. A maior derrota imposta ao governo Dilma Rousseff pelo Congresso, quando o Senado rejeitou a recondução dele à ANTT, continua fresca na memória. E o cabo de guerra está só começando.

Contabilizado o golpe,  Dilma passou recibo: nomeou Figueiredo, por Medida Provisória, para a presidência da recém-criada Empresa de Planejamento e Logística. Como se trata de empresa pública, e não agência reguladora, ele não precisaria ser sabatinado. Ingenuidade imaginar que o Congresso engoliria o contra-ataque sem rebater.

A oposição encheu a MP de emendas cujo objetivo era condicionar a posse de Figueiredo à apreciação do seu nome. Mas a coisa não funciona bem assim. Como saída alternativa para reduzir danos, o relator da MP, Henrique Fontana, marcou uma audiência pública para debater os rumos e atribuições da EPL no dia 30 de outubro,  terça-feira, com a presença do próprio.

A oposição já está esfregando uma mão na outra. Já há data para a nova batalha.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

18:33 \ Congresso

Requião desce a borduna

Na mira de Requião

Bernardo Figueiredo que se prepare. O barulhento Roberto Requião voltou a usar a tribuna do Senado ontem para descer a borduna em Dilma Rousseff por ter novamente indicado Figueiredo para o comando de uma estatal. Requião lembrou que o Senado já havia defenestrado Figueiredo da máquina pública ao recusar sua indicação para a ANTT, no começo do ano. Diante da nova oportunidade dada a Figueiredo por Dilma, desabafou Requião:

– A rejeição do nome de Figueiredo por esta Casa deixou o projeto do trem-bala órfão do seu carinhoso e dedicado pai. Vai, então, que os fazedores de mágica do Planalto arquitetam uma saída para contornar a desaprovação ao ex-diretor da ANTT: criar a Empresa de Planejamento e Logística para tocar o projeto do trem-bala e nomear para presidi-la ninguém mais, ninguém menos do que o senhor Bernardo Figueiredo… Para que serve o Senado da República? O que é que nós estamos fazendo aqui?

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 9 de julho de 2012

8:59 \ Governo

A ministra “sem noção”

"Cadê a minha ministra da Desarticulação?"

Veja como a vida de ministra da Articulação também não é fácil. Dilma Rousseff costuma tratar Ideli Salvatti pelo apelido carinhoso de “sem noção” no dia-a-dia do Planalto. Quando fica sabendo das travessuras da base aliada pela imprensa (como a rejeição de Bernardo Figueiredo na ANTT, por exemplo), Dilma pergunta:

– Cadê a minha ministra da Desarticulação? Por que eu nunca sei de nada antes da imprensa?

(Atualização, às 18h29. O porta-voz da Presidência, Thomas Traumann, enviou a seguinte nota: “Informo que são inverídicas as frases atribuídas à presidenta Dilma Rousseff. A nota desrespeita a  ministra Ideli Salvatti.  A presidenta Dilma Rousseff considera  a ministra Ideli Salvatti uma colaboradora competente e com excelentes serviços prestados ao governo”.)

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 23 de maio de 2012

12:50 \ Congresso

Dilma veta

Ameaças ao Planalto

Renan Calheiros e seus liderados do PMDB vão tentar atormentar a vida de Dilma Rousseff no Senado. Renan apresentou recentemente uma lista de indicados a cargos no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Depois de uma breve olhada na escalação, Dilma vetou os apadrinhados de Renan. Como não poderia deixar de ser, o peemedebista mandou recados ao palácio: vai haver retaliação.

E qual será a oportunidade para a vingança? A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado sabatinou nesta manhã três indicados por Dilma para cargos estratégicos do Cade.

Os senadores aprovaram a recondução de Alessandro Serafin Octaviani Luis para o cargo de conselheiro e as indicações de Carlos Ragazzo para o cargo de superintendente-geral e de Vinícius Marques de Carvalho para a presidência do Cade.

Se depender do pessoal de Renan, um desses indicados (ou o trio) será “premiado” com a rejeição no plenário. As indicações, aprovadas na CAE, dependem agora de um acordo de líderes para serem votadas, o que pode acontecer ainda hoje. Diz um integrante da cúpula peemedebista:

– O Renan está enlouquecido. Essa votação do Cade vai ser uma nova ANTT.

O peemedebista se refere ao episódio do veto à recondução de Bernardo Figueiredo na Agência Nacional de Transportes Terrestres.

O “homem do trem-bala”, um dos queridinhos de Dilma, foi degolado pelo Senado em uma operação patrocinada por Renan, que vingou-se do Planalto depois de ter um apadrinhado vetado por Dilma no órgão (leia mais em Por que Dilma foi derrotada).

Por Lauro Jardim

domingo, 6 de maio de 2012

6:23 \ Brasil

Clima quente

Borges: o quase foi destituído por outros três interinos

Não bastasse estar sem diretor-geral, por causa do veto do Senado a um indicado por Dilma Rousseff, a Agência Nacional de Transportes Terrestres, (ANTT) viveu nos últimos dias um pequeno terremoto. Três diretores interinos tentaram destituir na marra o diretor-geral interino, Ivo Borges. Chegaram a mandar a decisão ao Diário Oficial. Antes da publicação, porém, Renan Calheiros e Gim Argello, padrinhos de Borges, entraram em ação e nada aconteceu.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 14 de março de 2012

16:22 \ Congresso, Governo

Prestes a dizer sim

Blairo ministro

Ideli Salvatti se reuniu nesta manhã com Blairo Maggi para desenhar o que pode ser o fim da novela do PR na Esplanada.

Pelo esboço colocado à mesa, Blairo assumirá o comando dos Transportes, o governo dará um jeito de desvincular o Fundo da Marinha Mercante da pasta (o impedimento legal para a posse de Blairo) e enviará Paulo Sérgio Passos para o comando da ANTT no lugar de Bernardo Figueiredo, rejeitado pelo Senado.

No papel, o plano ficou do agrado da cúpula do PR. Na prática, falta Blairo dizer sim ao convite. Dilma só aceita ele para o ministério e Blairo só topa a empreitada se tiver carta branca para tocar o trabalho. Despachar com Miriam Belchior nem pensar. Sem autonomia e canal direto com Dilma não dá. Blairo está quase dizendo sim…

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 9 de março de 2012

13:22 \ Governo

A ANTT de Gim e Renan

Renana: força na ANTT

Com a não recondução de Bernardo Figueiredo na ANTT, restaram dois diretores na agência. Um nomeado por Gim Argello e o outro por Renan Calheiros.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 8 de março de 2012

19:49 \ Congresso

“Perdemos uma batalha”

Superada a ressaca da derrota imposta pelos senadores ao Planalto, na recondução de Bernardo Figueiredo na ANTT (leia mais em Por que Dilma foi derrotada), as palavras de ordem mais pronunciadas hoje pela cúpula peemedebista no Senado pregavam a necessidade de uma reconstrução da bancada.

A leitura é que o resultado da votação acabou por escancarar a divisão entre os peemedebistas, situação que exigirá de Renan Calheiros o devido trabalho para juntar os cacos e aproximar pontos de vista dentro da bancada.

O próprio Renan passou o dia ao telefone, com os colegas, buscando amenizar o clima no partido e na relação com o Planalto. Para Renan, o momento “não é de buscar culpados”, mas sim de “aprender com os erros” e ampliar o diálogo entre base e governo:

- Perdemos uma batalha e isso tem que nos ensinar para vencermos as próximas que virão.

Por Lauro Jardim
6:03 \ Congresso

Renan tentou

Integrantes da cozinha peemedebista no Senado argumentam que Renan Calheiros estava, de fato, contrariado com o Planalto por causa de pleitos por cargos, mas não atuou ontem para derrubar Bernardo Figueiredo.

Ameaçado pelo grupo crescente de dissidentes na bancada peemedebista, Renan fez o possível para aprovar a indicação e não sair com a imagem de líder que não lidera. Não conseguiu.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 7 de março de 2012

19:29 \ Congresso

Por que Dilma foi derrotada

ANTT e Bernardo Figueiredo levam Dilma à derrota no Congresso

O voto secreto foi um dos principais responsáveis pela derrubada de Bernardo Figueiredo (leia mais em Indicação derrubada), o indicado de Dilma Rousseff para o comando da ANTT.

Momentos antes da votação no Senado, Roberto Requião apresentou requerimento para derrubar a indicação de Figueiredo. Como a votação foi aberta, o resultado foi positivo para o Planalto: 37 a trinta a favor de Figueiredo.

Na hora da análise final, Requião fez questão de pedir que José Sarney confirmasse a votação secreta. A partir da resposta afirmativa de Sarney, a rebelião se consumou.

A indicação de Dilma foi preterida pelos senadores por diferentes fatores: teve peso de ouro a atuação da bancada peemedebista, inflada por Requião e pelo descontentamento de Renan Calheiros. Falou alto também a insatisfação da base governista que chegou ao limite e explodiu. Disse Romero Jucá:

- Os senadores estão desgostosos por diversos motivos: o ministro que não atendeu, a indicação que não saiu, a emenda que não foi liberada…

O silêncio tomou conta do plenário do Senado nos instantes que antecederam a divulgação do resultado da votação. Imediatamente à revelação, parte dos peemedebistas festejou com Roberto Requião e outra parte tratou de esvaziar o plenário.

Por Lauro Jardim
19:28 \ Congresso

Recado para o PT

Um graúdo líder da base governista no Senado interpreta assim a queda de Bernardo Figueiredo da ANTT:

- É um recado claro de que o PT sozinho não consegue nada aqui. Isso aqui não é só o PT. A Dilma tem que saber que existe base também. Acabou esse negócio de mandar qualquer coisa aqui e a gente aprovar. Agora tem que conversar.

Por Lauro Jardim
19:27 \ Congresso

Gostinho de votar contra

Aloysio, radiante com a derrota do governo

Radiante com a derrota de Dilma Rousseff no plenário do Senado nesta tarde, Aloysio Nunes Ferreira resumiu assim a votação que derrubou Bernardo Figueiredo do comando da ANTT:

– Votar contra o governo é tão bom que isso não pode ser privilégio só da oposição.

Por Lauro Jardim
18:31 \ Sem categoria

Indicação derrubada

Roberto Requião tanto fez que conseguiu derrubar Bernardo Figueiredo do comando da ANTT. Na votação desta tarde no plenário do Senado, os senadores rejeitaram a recondução do homem do trem-bala por31 votos a 36.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 5 de março de 2012

17:17 \ Congresso

Mais uma crise

Na mira de metade da bancada

É mais do que pesado o clima na bancada do PMDB do Senado. Pelo menos nove dos dezoito senadores pemedebistas estão indignados com Renan Calheiros, Romero Jucá e José Sarney no Congresso e reclamam dos métodos de atuação do trio, que utiliza o partido como instrumento para pressionar o Planalto a satisfazer interesses pessoais.

No final do ano passado, em uma das últimas reuniões da bancada, os descontentes advertiram Renan. Recentemente Vital do Rêgo procurou Romero Jucá para comunicar que não seguiria mais orientações de Renan. O clima azedou ainda mais na semana passada, quando Renan, para pressionar o governo a manter um apadrinhado na ANTT, utilizou a indignação de Roberto Requião para dificultar a recondução de Bernardo Figueiredo.

Um peemedebista graúdo, que acompanha os desdobramentos, diz que o assunto foi tratado até agora como “questão interna” da bancada, mas diz que o grupo estuda a melhor forma de escancarar a divisão entre os senadores: vem aí mais um manifesto.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 2 de março de 2012

19:23 \ Congresso

Planalto preocupado

Briga entre PT e PMDB pode afetar votações

O Planalto está preocupado com a evolução do movimento do PMDB no Congresso. A avaliação é que a insatisfação vai eclodir justamente na semana da votação do Código Florestal, tema que não conta com a menor simpatia de boa parte da base governista ligada ao agronegócio.

Olheiros do palácio no Senado também identificaram avanço na crise envolvendo a recondução de Bernardo Figueiredo na ANTT. Roberto Requião já não articula sozinho para derrubar o homem do trem-bala.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

16:53 \ Congresso

Subiu no telhado 

PMDB barra recondução do comandante da ANTT

Reunida neste momento no Senado, a bancada do PMDB decidiu adiar a análise da recondução de Bernardo Figueiredo para o comando da ANTT. Diante do dossiê apresentado por Roberto Requião, Renan Calheiros preferiu adiar a votação para analisar melhor as supostas irregularidades contra Figueiredo. 

Se os peemedebistas derem ouvidos para Requião a indicação de Figueiredo pode até subir no telhado. Cabe a Figueiredo tocar um dos projetos  que Dilma Rousseff mais  se preocupa – e um dos mais encrencados do seu governo – o trem-bala.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

17:31 \ Congresso

Dossiê ANTT

Papel, cobras e lagartos

Depois de metralhar o diretor-geral da ANTT, Bernardo Figueiredo, na sabatina da Comissão de Infraestrutura do Senado (leia mais em Sufoco na sabatina), Roberto Requião passou a semana distribuindo aos senadores um dossiê com informações sobre eventuais falcatruas envolvendo o diretor da ANTT. Na próxima semana, a recondução de Figueiredo deve ser votada no plenário do Senado e o barulhento Requião promete agir novamente.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

18:33 \ Congresso

Sufoco em sabatina

Jucá suou para segurar a língua de Requião

O diretor-geral da ANTT, Bernardo Figueiredo, vai demorar para esquecer a reunião desta quarta-feira da Comissão de Infraestrutura do Senado, que aprovou sua recondução ao cargo. Em uma longa sabatina, Figueiredo foi alvo de tiroteio pesado dos senadores.

Com a elegância característica, Roberto Requião levantou na sabatina todo o histórico de processos contra o diretor da ANTT e acusou Figueiredo (em um dos trechos mais elegantes de sua fala) de defender interesses das concessionárias. O clima ficou tão tenso que Romero Jucá teve de suar para conter Requião.

O diretor da ANTT também ouviu uma série de críticas sobre a situação das estradas concedidas no país. Apesar do barulho, no final, Figueiredo foi aprovado e seu nome será submetido ao plenário do Senado.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 15 de abril de 2011

6:02 \ Judiciário

O futuro do trem-bala

O juiz Antonio Corrêa, da 9ª Vara Federal em Brasília, marcou para o dia 26 uma audiência pública em que se discutirá o pedido do Ministério Público para suspender o leilão do controvertido trem-bala que ligará o Rio de Janeiro a São Paulo. É mais um fator de risco para atrapalhar o andamento do projeto, que teve esta semana sua licitação adiada para julho.

Corrêa quer saber na audiência com representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres e da União, entre outras coisas, se o empreendimento receberá subvenção econômica para sair do papel. O MP argumenta que o governo só deveria injetar verba no negócio depois que todas as linhas interestaduais e internacionais de transporte rodoviário de passageiros estiverem em funcionamento. Após ouvir as partes no encontro é que o juiz vai decidir se suspende o empreendimento.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

7:22 \ Economia

Da rodoviária ao aeroporto

Desde 2005, de acordo com dados da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), os terminais rodoviários já perderam 13 milhões de passageiros. Para onde eles foram? Para os aeroportos. É uma turma que agora está preferindo (ou mais precisamente, podendo) voar.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

19:22 \ Governo

Cesta na ANTT

Lula nomeou hoje Jorge Luiz Macedo Bastos, ex-diretor do time de basquete Universo, de Brasília, para o cargo de diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres. Bastos assessorou no Senado Hélio Costa e o suplente dele, Wellington Salgado, dono da universidade patrocinadora da equipe campeã nacional deste ano. O novo diretor tem mandato até fevereiro de 2014.

Por Lauro Jardim

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados