Meio milhão

A Editora Globo decidiu aumentar a tiragem de Agapinho, o mais novo sucesso do Padre Marcelo Rossi. Depois de colocar à venda 350 000 exemplares, vai imprimir mais 200 000 unidades.

Livro infantil é mais um sucesso do padre

A Editora Globo decidiu aumentar a tiragem de Agapinho, o mais novo sucesso do Padre Marcelo Rossi.

Depois de colocar à venda 350 000 exemplares, vai imprimir mais 200 000 unidades.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Rubens Vaz

    Augusto,
    A questão dos recursos para a Cultura no Brasil é assunto dos mais cínicos. Sempre foi público e notório o acordo tácito e mundano entre os artistas e o o pessoal do dinheiro. Mas até aí era um problema do capital privado. Aí entraram as estatais e a invitável propina ainda sob forma de patrocínio. Até chegarmos à Lei Rouanet que pretendia dar a forma de renúncia fiscal a esses patrocínios. Começou a perversidade. Rios de dinheiro que viriam para o tesouro sob forma de impostos para saúde, educação, etc, etc eram destinados a patrocínios de obras de artistas das zelites. Quantos milhões e milhões de reais não foram gastos em obras, peças, filmes, livros, etc que o povão jamais teve acesso. E se tivesse não entenderia nada. Para completar esse quadro de compadrio, hoje, muitos artistas consagrados, usam esse artifício para minimizar os resultados negativos de suas obras de curto alcance de público. Está aí uma das poucas coisas que o Collor acertou. Baixou um barraco contrariando toda a classe e empurrou todo mundo a correr atrás do dinheiro, concebendo suas obras pensando em resultado. Talvez por isso a maioria dos cineastas consagrados torçam o nariz para o sucesso extraordinário do Tropa de Elite 2. Ao mesmo tempo, para fazer média com o poder indiquem o filme do Lula para o Oscar. Bem, com eventos públicos – privados não – o céu é o limite. Deixa apertar o prazo e alega notória competência para não ter licitação. Estiquei o assunto mas é um tema que vai longe, e todo mundo sabe que todo mundo sabe.

    Curtir

  2. Comentado por:

    f tavares, na oposição.

    o verdadeiro valor é quinhentas milhetas, quebrado pra atender a algum limite de autorização sem licitação, ou pra disfarçar mesmo: combinaram quinhentos mas quatrocentos e noventa e oito é muito menos… esse governo pode reivindicar mais um record no guiness book: a desfaçatez para usar o dinheiro público com apadrinhados. é a maior do mundo, fácil…

    Curtir

  3. Comentado por:

    elvira

    Show do meio milhão.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Sérgio

    Que traquitana o quê! É ratazana mesmo, e com cloaca.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Sérgio

    Ao invés de “honra ao mérito” é “honra à cloaca”.

    Curtir

  6. Comentado por:

    Leonardo X, na oposição

    Ô, f tavares – 26/11/2010 às 3:45 – quem você acha que foi o verdadeiro contemplado com o prêmio. Eu preferia receber o cachê da Bia Lessa.

    Curtir

  7. Comentado por:

    V.H.

    Só o estado no brasil é rico. Quem mais se daria ao luxo de queimar tanto dinheiro?

    Curtir

  8. Comentado por:

    Pirajibe

    É POR ESTAS QUE TEM UM BANDO DE INTELEQUITUAIS FRACASSADOS BABANDO EGGS PRA SE DAREM DE BENS COM A MÃE DOS RICOS NOS ERARIOS PUBLICOS

    Curtir

  9. Comentado por:

    Reginaldo Gadelha

    Não acredito que ela receba essa grana integralmente. Na hora do pagamento vai sobrar x% para o cara que encaminhou o pedido, x% ao cara que assinou, x% a figura que deu apoio, x% ao cara que agilizou o pgto, x2% ao diretor disso ou daquilo, e, vão sobrar uns R$10.00,00 livres.
    Coisas de petralhas.

    Curtir

  10. Comentado por:

    Ana Muniz

    Quantas traquitanas serão necessárias para transportar quase meio milhão de reais?
    Ou como uma traquitana gigantesca irá para o palco servir de cenário na entrega do prêmio?

    Curtir

  11. Comentado por:

    caipira mermo

    Augusto
    Ô BIA,por favor, não se junte á gentalha.
    Tenho a honra de ter sido amigo de seu pai,
    excelente profissional e pessoa corretissima.
    Não desdoure a sua origem.Um abração.

    Curtir

  12. Comentado por:

    Flávio Monteiro

    Mas tem mais 4 anos para ficar.

    Curtir

  13. Comentado por:

    Waldemar

    Augusto,
    E, complementando o Rubens Vaz… quando tentaram mexer na Lei Rouanet os “artistas” ficaram todos alvoroçados, lembro bem da caravana capitaneada pela honorável Fernanda Montenegro indo ao palácio reivindicar a manutenção dos privilégios.
    Nepotismo, corporativismo, compadrio, malversação de fundos públicos, corrupção, tem tudo disso nesse enredo. Eis ai um bom tema para alguém competente como você destrinchar.

    Curtir

  14. Comentado por:

    J.Torres

    E a “Ordem do Mérito Cultural”, o que é mesmo? serve para que? certo, para essa gente 500 mil (NOSSO dinheiro) é troco, mas poderiam ser usados em coisas mais concretas em prol da população, não?

    Curtir

  15. Comentado por:

    Rakel Maia

    Como diria Alberto Roberto: ‘e ela é a famosa quem?’
    Rakel

    Curtir