Blogs e Colunistas

domingo, 25 de março de 2012

8:29 \ Governo

Sob pressão, não

Dilma não aceita pressões para mudar ministério

Pela segunda vez no governo Dilma Rousseff, o lobby dos artistas pela queda de Ana de Hollanda segurou a ministra da Cultura no cargo. Pelo menos por mais alguns meses. O recado é: Dilma não aceita pressões.

Por Lauro Jardim

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

19 Comentários

  1. Ricardo

    -

    26/03/2012 às 15:13

    Cultura? Vou a shows de Rock Internacional!!Não me importo em pagar porque gosto!

  2. Valdir A. C.

    -

    26/03/2012 às 13:16

    Ah.. Tá! Pressão contra a cumadre não pode!! Imaginem se fôsse da base aliada… já tava fritinha! A boçal da cultura vai continuar com sua incapacidade administrativa por muito tempo.

  3. Maria de Lourdes

    -

    26/03/2012 às 12:23

    Eu tenho vergonha de ser mulher e brasileira com Dilma presidenta incompetenta e coniventa com corruptos.
    Fora Ana de Hollanda, Ideli Salvatti, Maria do Rosário, Gleisi Hoffmann, Miriam Belchior, Graça Foster, e tantas outras incompetentes e assíduas frequentadoras das páginas de escândalos das revistas e jornais!

  4. Osvaldo Aires

    -

    26/03/2012 às 4:55

    Você vai até onde por Justiça – OAB?

  5. MURDAC

    -

    25/03/2012 às 23:21

    A cultura é a alma de um povo – CACÁ DIEGUES

    Vira e mexe, a ministra Ana de Hollanda é atacada pelos jornais, através de artigos e manifestos, como uma Geni da cultura. Esta semana, texto subscrito por professores universitários, no jornal “O Estado de S. Paulo”, e entrevista do ex-ministro Juca Ferreira, na “Folha de S.Paulo”, pareciam petardos sincronizados, como numa campanha bélica bem tramada.

    Não sou especialista em administração pública. Mas conhecendo a ministra e acompanhando de longe sua ação à frente do ministério, me estarreço com a violência praticada contra ela. Chego a pensar que não estamos acostumados à política exercida com discrição e serenidade, gostamos da tradição dos berros e dos murros na mesa, confundimos delicadeza com fragilidade.

    São tão tortuosos e pouco sólidos os rumos desses desaforos, tão clara sua voracidade política, que seria mais simples se os agressores declarassem logo: “É que não vamos com a cara dela.”

    Juca Ferreira, o ministro do projeto autoritário da Ancinav, não esconde contra o que se bate: “Num estado com pouco controle social como o Brasil, você diz e faz o que quiser”, declara em tom de lamentação, sobre algo que devia nos orgulhar. Antes dele, os professores liderados por Marilena Chauí listam várias expressões acadêmicas que gostariam de ouvir vindas do MinC e exigem dele uma participação criativa que não lhe cabe ousar ter. O velho e místico sebastianismo brasileiro ainda pensa que é o estado que produz e deve produzir cultura.

    Ora, para os que já se esqueceram dele, lembro trechinho do belo discurso de posse da presidente Dilma Rousseff: “A cultura é a alma de um povo, essência de sua identidade. Vamos investir em cultura, ampliando a produção e o consumo em todas as regiões de nossos bens culturais.” E então fui me informar do que anda fazendo o MinC de Ana de Hollanda para atender a esse programa anunciado pela presidente. Aqui transmito algumas respostas ouvidas por mim.

    Em 2011, o MinC não só conseguiu dar conta de um enorme passivo de compromissos que ficaram a descoberto em 2010, como alcançou uma execução recorde de 98,98% dos limites autorizados para empenho. Isso significou R$1,069 bilhão em investimentos diretos, o maior número já alcançado pelo Ministério no que se refere ao efetivamente investido.

    Ao contrário do que se tem dito, o orçamento do MinC, na gestão da presidente Dilma, é maior e mais realista do que o de gestões anteriores. O total de investimentos é de R$1,24 bilhão. Somando-se a isso os R$400 milhões a serem incorporados através do Fundo Setorial do Audiovisual, chega-se a R$1,64 bilhão, um recorde sem precedentes na pasta. E não se computa aqui o investimento indireto através das leis de incentivo, como a Rouanet.

    E para onde têm ido esses recursos?

    Os Pontos de Cultura encontravam-se sem pagamento desde o mês de março de 2010. Na atual gestão, o MinC já pagou cerca de R$100 milhões. O crescimento do orçamento do Programa Cultura Viva tem permitido a criação de novos Pontos de Cultura, o revolucionário projeto inaugurado por Gilberto Gil. Em 2010 o investimento nos Pontos de Cultura era de R$50 milhões. Em 2011, o primeiro ano da gestão atual, foram empenhados R$62 milhões e em 2012 esse valor saltou para R$114 milhões.

    Em fevereiro deste ano, a ministra aprovou, junto à presidência, uma lista de programas prioritários que já estão em execução: o Brasil Criativo, que visa a ampliar as possibilidades de emprego e renda, a partir do potencial criativo; o Mais Cultura & Mais Educação, em parceria com o Ministério da Educação, para investir em cultura nas escolas; o PAC das Cidades Históricas, atuando em 125 cidades que possuem sítios históricos ou bens tombados; o de Praças dos Esportes e da Cultura, na periferia de 345 cidades, para construção de parques esportivos, bibliotecas, salas de espetáculo, cineclubes.

    O ministério está investindo no processo de implantação do Sistema Nacional de Cultura, que pulou de 337 municípios e um estado integrados até 2010, para 782 municípios e 17 estados hoje. Na área do audiovisual, a aprovação recente da lei 12.485 vai permitir a presença do produto nacional independente nas televisões por assinatura e o crescimento dos recursos do Fundo Setorial. Um instrumento de remissão do cinema brasileiro.

    Além disso, o MinC, com o apoio da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Cultura, se empenha na aprovação, pelo Congresso, de leis como as do Vale Cultura, do Procultura e sobretudo da revisão dos Direitos Autorais. Sou internauta e sei que não é mais possível nem desejável recolher esses direitos como se fazia no passado. Mas também não estou disposto a entregar o que sai de minha cabeça ao Creative Commons, um projeto de marketing de empresa esperta.

    Foi isso o que me contaram e eu ouvi do MinC. Se alguém não concorda, que apure e se manifeste. Não precisa trucidar quem está do outro lado.

  6. MURDAC

    -

    25/03/2012 às 23:19

    UM JORNALISTA GANHA R$ 884.175,62 pra criar um site (leia abaixo segundo a Coluna do Ancelmo de hoje, no O Globo) e o BLOG DE MARIA BETHÂNIA NÃO PODIA COM 1 MILHÃO E MEIO??

    COMO FICA A QUESTÃO — RENÚNCIA FISCAL É DINHEIRO PÚBLICO — NO CASO DESSE JORNALISTA PRA FAZER UM SITE?

    ALGUÉM LEU CACÁ DIEGUES ONTEM NO GLOBO?

    ANA DE HOLLANDA NÃO CAIU, PORQUE DILMA PENSA!!!

  7. Sheila Yared Venancio

    -

    25/03/2012 às 22:09

    Ela pode continuar..Não precisa nem pensar…porque há..tantos projetos,,,tanta gente sonhando concretizar a Cultura precisando um aval,,porque patrocínio se busca,,Basta não se enclausurar,,Medo do que??

  8. cristina garcia

    -

    25/03/2012 às 21:37

    Planato acha que o setor cultural é como o PMDB e pode ser enquadrado….a avalanche não vai parar porque não tem lider, não tem centro, não tem com quem negociar….

  9. maria-maria

    -

    25/03/2012 às 18:32

    A viajante com despesas pagas é a ministra da incultura à imagem e semelhança da boçalidade instituída nesta sbórnia. A criatura tem espaço cativo nos “espetáculos” da mediocridade, da baixaria, do primitivismo.

  10. G. Carvalho

    -

    25/03/2012 às 14:26

    Enquanto pseudo-revolucionários saturnídeos tramam para devorar os seus filhos, sempre à procura de mais uma boquinha, destinada a expandir os tentáculos da Nomenclatura da esquerda nominal, o PSDB, em São Paulo, parte para as prévias, a fim de escolher seu candidato à prefeitura da mais rica cidade do País. Finalmente compreenderam os tucanos, mesmo os que padecem do Complexo Agudo de Coriolano, que a alternativa para as prévias é o dedão podre, cujo modelo é o dedazo podrido, hoje rejeitado pelo PRI, do México. Ou as prévias ou o dedão. Há quem goste de um dedão, mas, tudo indica, é coisa da minoria.

  11. Marcos

    -

    25/03/2012 às 11:57

    eita presidente besta meu deus! o autoritarismo é tanto que ela está preocupada em que pensem que mandam nela! gente sem humildade num cargo de liderança dá nisso já vimos esse filmes há 9 anos

  12. guaraci rodrigues

    -

    25/03/2012 às 11:41

    Lógico que a presidente não pode decidir sobre pressão, se esse tipo de lobby, vira moda, o governo cai.

  13. Rodolfo

    -

    25/03/2012 às 11:25

    Essa PILANTRA já devolveu ao BRASIL a grana das diárias?

  14. José Aloisio Soares

    -

    25/03/2012 às 11:10

    Segundo a Coluna do Ancelmo de hoje, no OGlobo: “O Ministério da Cultura aprovou a captação de quase R$ 900 mil para o site sobre música chamado Farofafá, coordenado por Pedro Alexandre Sanches, que mete o malho na gestão de Ana”. Êta fogo amigo. Será que ela sabe? Vale a pena ela aguentar tanta pressão? O seu antecessor anda louco para voltar ao cargo, e já fez declarações antiéticas contra ela. A classe artística está deitando e rolando na gestão da Ana: Através do ECAD uma caixa-preta que a ministra acoberta e através das captações que empresas deixam de contribuir para os cofres públicos, via Lei Rouanet. Não há critérios para captação. Quaisquer peças, filmes e shows são contemplados, desde que os promotores consigam patrocínio. Quem tiver o QI (quem indique) está garantida a farra. Movimento Gospel e Funk. Foram considerados expressões culturais brasileiras, oriundos a alguns anos do exterior. Pode ser cultura brasileira aonde? É claro que nenhum artista quer que ela saia.

  15. Maria Helena Rial

    -

    25/03/2012 às 10:50

    Os votos que a elegeram foram aceitos,sem problemas…As pessoas que votaram não podem pressionar ela não aceita.Alguém me explique…

  16. Nilson da Silva

    -

    25/03/2012 às 10:50

    A Revista VEJA, é uma das melhores do Brasil, e talvez do mundo. Fui assinante durante mais de 10 anos.

    Agora assino o Jornal de Piracicaba.

    Nilson da Silva

  17. Ramez Reis

    -

    25/03/2012 às 10:37

  18. Mari Labbate *44 Milhões*

    -

    25/03/2012 às 10:18

    AS PRESSÕES SUFOCAM A DONA DILUÍZA II! NINGUÉM É IMUNE! QUEM TEIMA, ACABA PERDENDO O CARGO…

  19. PAULO BOCCATO

    -

    25/03/2012 às 9:56

    TEWM ESTA E A M@#$A DO ROSARIO PELAS DENUNCIAS DE CORRUPÇAO QUANDO DA CAMPANHA A PREF. DE P. ALEGRE !
    AQU NO SUDESTE DAS FoLHAS DA VIDA, NAO SAI UMA LINHA…CAIXA DOIS , TRES, BRABO !!!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados