Blogs e Colunistas

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

23:30 \ Economia

Divergências de bilionários

Fricção| Eike e Esteves: atuação em conjunto da dupla durou pouco| Fotos: Marcos d'Paula/AE e divulgação

Fricção| Eike e Esteves: atuação em conjunto da dupla durou pouco| Fotos: Marcos d'Paula/AE e divulgação

O BTG Pactual, de André Esteves, não está mais assessorando Eike Batista na tentativa que o homem mais rico do Brasil está empreendendo para comprar a Vale. Eike diz a quem quiser ouvir que não gostou do modo de atuação de Esteves na (até agora) frustrada tentativa de controlar a Vale. Esteves bota panos quentes: “Do meu lado, não há stress algum”. Diz que pode estar fora dessa negociação, mas continua fazendo outras para o grupo de Eike.

Leia a coluna completa da edição impressa

Por Lauro Jardim

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

8 Comentários

  1. Frank

    -

    28/09/2009 às 12:25

    O que na realidade o Eike quer, é arrumar um comprador para a MMX. Pelo o que a imprensa anda dizendo, esta´com seu EBITDA negatico e sofrendo fortes pressões de seus acionistas por lucro imediato.
    Vamos ver no que vai dar, nesse governo do PT tudo é possível.

  2. paulo cesar

    -

    27/09/2009 às 22:25

    é claro que seria rico, o pai dele sabia onde tinha todas as jazidas de minerais no Brasil todo. o pai dele era presidente da Vale.
    paulo cesar

  3. paulo cesar

    -

    27/09/2009 às 22:24

    é claro que seria rico, o pai dele sabia onde tinha todas as jazidas de minerais no Brasil todo. o pai dele era presidente da Vale.

  4. carlos ramires

    -

    27/09/2009 às 18:36

    O berço (cultura familiar) é fundamental até para se vestir.

  5. Just-for-fun

    -

    27/09/2009 às 12:56

    Vai demorar muito o dia em que teremos empresas como Google, Microsoft, Intel, Toyota, etc. E assim o país vai ficar oscilando em torno de 1% do GNP mundial, o resto é lorota de mídia pelego que sobrevive do mesmo jeito como faz o Baptista, o Dantas e o Jereissati (Oi), e outros. A riqueza aqui se faz na base da barganha e corrupção para isso alterando até as normas e marcos jurídico, dificilmente florescerá no país das bananeiras empresas com inovações tecnológicas advinda de conhecimentos e inovações tecnológicas.

  6. jcafonso

    -

    26/09/2009 às 19:58

    Sr Lauro,

    Eu queria ser jornalista no Brasil.
    Pegaria sua sentenca: “… homem mais rico do Brasil…” e correria atras: Ficou rico como? Vem de onde tanto dinheiro? Faria uma pesquisa da arvore genealogica: quem eh o pai do riquinho?
    Nasceu aonde o pai dele? Era rico? Recebeu heranca? Trabalhou aonde? Trabalha aonde?
    Tem licenca para mineracao na amazonia? Conseguiu como?
    Abracos para Elizeu, meu Brazilzao veio de guerra.

  7. JOSE BATISTA

    -

    26/09/2009 às 19:45

    O QUE O EIKE QUER E AGRADAR O LULA COMPRANDO A VALE,CUJO O PRESIDENTE ESTA NO DESAGRADO DO LULA, E COM ISSO ELE CONSEGUIR NOVOS EMPRESTIMOS NO BNDS.

  8. Cândida Rúbia

    -

    26/09/2009 às 15:10

    dificil opinar. Mas cada m tem o seu lado. Eu gostaria imensamente de trabalhar com Eike. No mais, Sucessos a todos.
    Att,

    Cândida Rúbia A. de Medeiros D. V

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados