Blogs e Colunistas

quinta-feira, 19 de abril de 2012

8:29 \ Congresso

O fim da prova

Cunha versus OAB

Eduardo Cunha intensificou a cruzada contra o exame da OAB. O deputado conseguiu a assinatura do Jilmar Tatto, líder do PT na Câmara, para a urgência na tramitação do projeto que trata sobre o fim da prova da Ordem. Outros líderes prometeram assinar o documento.

Por Lauro Jardim

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

150 Comentários

  1. Pedro felippe

    -

    30/03/2014 às 11:16

    A prova é inconstitucional, porém o judiaciario ainda mantém ganhos de causas para a OAB porque muitos dos desembargadores, juízes e possivelmente ministros devao ser proprietários de cursinhos.

  2. Paulo Cesar de Souza

    -

    20/06/2013 às 1:52

    UM EXAME ESPECÍFICO DEVERIA SER APLICADO PELO MEC PARA OS CURSOS DE BACHARELADO DE VÁRIAS ÁREAS, SENDO MAIS RIGOROSOS PARA AS CARREIRAS QUE ENVOLVESSEM DE MANEIRA AMPLA RISCO A SAÚDE, SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE, EX: MEDICINA, ENFERMAGEM, ENGENHARIA,ARQUITETURA, GEOLOGIA, ETC… OS DEMAIS CURSOS,TERIA A EXIGÊNCIA DE UMA ESPECIALIZAÇÃO NA ÁREA DE ATUAÇÃO, ex: DIREITO, ADMINISTRAÇÃO, ECONOMIA,CONTABILIDADE, TURISMO, JORNALISMO, ETC..SENDO SUPRIDA A EXIGÊNCIA DE QUALQUER EXAME,SE OS PROFISSIONAIS TIVESSEM ACESSO A ESTÁGIO EM ÓRGÃOS PÚBLICOS E NOS SEUS CONSELHOS ESPECÍFICOS DE NO MÍNIMO 430HS APÓS A COLAÇÃO DE GRAU. TEM CARREIRAS QUE ESTÃO NAS ESTATÍSTICAS DE ACIDENTES E HOMICÍDIOS NA MÍDIA TODOS OS ANOS. MESMO ASSIM OS NÃO HABILITADOS NOS CONSELHOS, SENDO BACHAREL, PODERIAM LECIONAR NAS ESCOLAS DE ENSINO MÉDIO E NOS 50% DOS PERÍODOS ANTERIORES DA SUA FORMAÇÃO UNIVERSITÁRIA, AFIM SE APLIMORAREM NAS PESQUISAS ESPECÍFICAS DAS ÁREAS DE SUAS CARREIRAS, SENDO POSSÍVEL O INGRESSO NOS ULTIMOS 12 MESES APÓS SUA COLAÇÃO DE GRAU . ULTRPASSANDO OS 12 MESES, SÓ PODERIAM LECIONAR NO PERÍÓDO DE MATRICULADO EM UMA PÓS ESPECÍFICA DA MATÉRIA, SUJEITO A ANÁLISE DE CURRÍCULO PELA INSTITUIÇÃO INTERESSADA. O BACHAREL EM DIREITO NÃO PODE SER ESTAGIÁRIO, POIS ESTÁ FORMADO E NÃO É ADVOGADO,PERGUNTO A OAB QUAL A CLASSIFICAÇÃO LEGAL PARA ESTE CIDADÃO? EU ME ESCREVI NA ORDEM,SOU FORMADO PAGO EM DIA,ME SENTINDO UM DOADOR PORQUE OS ESCRITÓRIOS SÓ ADMITEM FORMANDOS.

  3. luiz carlos da silva

    -

    27/04/2013 às 11:41

    Bom dia;
    Queridos colegas, estamos vivendo dias difíceis, os partidos políticos divorciados das suas militâncias, os corruptos mandando em todos, inclusive no STF, as instituições mergulhadas numa burocracia sem igual
    os presídios todos lotados, a globo coloca no ar mais uma telenovela.
    Os corruptos estão por toda parte e esses milhões que a OAB arrecada com essa vergonha de exame é um prato cheio, todos querem um pouquinho desse dinheiro fácil de ganhar. NOSSA LUTA não será nada fácil estaremos lutando diretamente contra o poder e contra milhões de pessoas IGNORANTES que pouco ou nada entende.
    Estarei lá na Av. Paulista, mesmo que seja o único, estarei LUTANDO pelo pai, pelo filho, por todos os espíritos santos, por todos os brasileiros que ainda acreditam na VERDADE, na justiça e que e POSSIVEL MUDAR.
    Ah, estarei gritando VITÓRIA, VITÓRIA, VITÓRIA estou aqui e não vou mais me calar.
    ADVOGADOS COM CARTEIRA OU NÀO VAMOS LUTAR, TODOS NA PAULISTA.

    MUITO OBRIGADO

    LUIZ
    \

  4. JOÃO BATISTA SUAVE

    -

    25/04/2013 às 15:50

    A/C DA VOSSA SANTIDADE PAPA “FRANCISCO”

    NOTÁVEL PAPA FRANCISCO:

    Nós Bacharéis em Direito do Brasil, pedimos o Vosso apoio em nossa árdua luta, que já perdura desde o ano de 1994, pedimos que ore por nós principalmente, pois temos fé em DEUS e em ti. “Nosso Movimento”, gostaria de ter o direito ao livre ofício do trabalho, já que atendemos as exigências da LEI de nosso PAÍS. infelizmente, vemos nosso direito ser suprimido pela OAB(ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL), que insistentemente discrimina aqueles que não passam no seu EXAME IMORAL, ANTIÉTICO, INJUSTO, DESUMANO e com o fim específico de arrecadar milhões com suas taxas exorbitantes, mantendo a quase uma década a sua reserva de mercado.
    Ressalta-se que seu EXAME imposto, não têm nenhuma função pedagógica para acrescentar à aqueles que já concluíram a faculdade(universidade).
    Há milhões de Bacharéis em Direito no Brasil que muita dificuldade conseguiram formar com aprovação do MEC, hoje são impedidos de exercerem com dignidade sua profissão, se amontoando aos outros milhões de desempregados em nosso País, que se dizem “ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO”.
    Enfim, Vossa Santidade que o MESTRE JESUS CONTINUE TE ILUMINANDO SEMPRE.
    Cordialmente,
    JOÃO BATISTA SUAVE
    PRESIDENTE NACIONAL DOS BACHARÉIS EM DIREITO DO BRASIL

    ABAIXO TRANSCREVEMOS A CARTA ABERTA ENVIADA AOS POLÍTICOS DO NOSSO PAÍS:
    “CARTA ABERTA AOS EXCELENTÍSSIMOS SENHORES DEPUTADOS FEDERAIS E SENADORES DA REPÚBLICA :
    Nós BACHARÉIS EM DIREITO de todo o Brasil, estamos contando com apoio de V.Exa, de forma irrestrita para acabar com o exame desleal imposto pela OAB, pois os milhares de bacharéis em direito, são impedidos de advogar, por um exame, que não têm nenhuma função pedagógica, pois quase toda a sociedade de um modo em geral, sabem que a OAB arrecada todo ano valores milionários, para impor tal restrição e discriminação à aqueles que formaram de acordo com as exigência do MEC, os quais são impedidos de exercer com dignidade sua profissão. A OAB como sempre, utiliza o seu EXAME para manter sua reserva de mercado e como meio de arrecadação milionária. O que nos causa estarrecimento, é que a OAB continua mantendo sua arrecadação milionária todo ano, não paga imposto e tampouco presta conta da sua gestão. O GOVERNO FEDERAL deixa de arrecadar todo ano, impostos significativos para os cofres públicos, por tal omissão. “É LAMENTÁVEL QUE O EX-PRESIDENTE DA OAB OPHIR CAVALCANTE, TER AFIRMADO QUE O CONGRESSO NACIONAL É CONSIDERADO UM PÂNTANO, MESMO ASSIM OS DEPUTADOS VOTARAM A FAVOR DA MANUTENÇÃO DO EXAME PARA O BACHAREL EM DIREITO PODER ADVOGAR”
    Enfim, Notáveis Deputados Federais e Senadores da República , pedimos os Vossos apoio como forma da mais LÍDIMA JUSTIÇA!
    Atenciosamente,
    Vitória – ES, 23/04/2013
    JOÃO BATISTA SUAVE
    PRESIDENTE NACIONAL DA MARCHA DOS BACHARÉIS EM DIREITO

  5. Alex Baldwin

    -

    21/02/2013 às 14:44

    Boa tarde a todos,
    Sabe quando as injustiças da OAB vão cessar? Quando acabarem com a corrupção no Brasil, ou seja, nunca. Afinal, o mensalão da OAB sustenta oposição e governo. Estão todos na mesma lama, exceto raríssimos políticos (5%).

  6. CIPRIANO LACERDA

    -

    20/01/2013 às 10:52

    NÃO SOU BACHAREL EM DIREITO, E SIM ENGENHEIRO CIVIL, PROFESSOR DE MATEMÁTICA E FÍSICA. NÃO ENTENDO O PODER DA OAB EM DECIDIR PELA CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DOS BACHAREIS EM DIREITO, POIS O UNICO ORGÃO CERTIFICADOR LEGAL NO BRASIL É O MEC, SÃO SITUAÇÕES ANACRÔNICAS QUE NÃO ENCONTRAM JUSTIFICATIVA OU AMPARO LEGAL. SUJIRO AOS BACHARÉIS IMPEDIDOS NO EXERCICIO LEGAL DA SUA PROFISSÃO QUE LUTEM PELA CRIAÇÃO DE UM CONSELHO INDEPENDENTE DA (OAB), QUE POSSIBILITE UMA PROVA CERTIFICADA PELO MEC COM AMPARO PEDAGÓGICO, SEGUINDO PELAS VEREDAS DA QUALIFICAÇÃO DOS CURSOS DE DIREITO NO BRASIL, COM PROVAS TRANSPARENTES A TODA A SOCIEDADE. O FEUDALISMO EDUCACIONAL HÁ MUITO NAUFRAGOU, APESAR DE EXISTIREM AQUELES INTERESSADOS EM PRESERVAR SEUS FEUDOS.COMO PROFESSOR EU GOSTARIA DE SABER DA ATUAL BANCA QUAL A TEORIA AVALIATIVA QUE PERMITE AVALIAR 5 OU 6 ANOS DE ESTUDOS EM APENAS UMA PROVA!!!!!

  7. WANDERLY AGUIAR OLIVEIRA

    -

    06/12/2012 às 23:59

    NÓS BACHARÉIS EM DIREITO, VAMOS CONTINUAR NOSSA LUTA DE FORMA DEMOCRÁTICA PARA MUDAR O EXAME QUE É APLICADO PELA OAB PARA A COMPETÊNCIA DO MEC. O DISCURSO PODE MUDAR, DESDE QUE SEJA LEGAL E DEMOCRÁTICO; A OAB A CADA EXAME APLICADO, REPROVA OS BACHARÉIS EM MASSA, SOB A ÓTICA QUE ESTÁ PROTEGENDO O PROFISSIONAL QUE NÃO PASSA NO EXAME, GERARÁ RISCOS PARA A SOCIEDADE. TAMANHO ABSURDO TAL AFIRMAÇÃO, A SOCIEDADE NÃO É DESPROVIDA DE CONHECIMENTOS COMO A OAB ACHA, QUEM VAI AVALIAR O PROFISSIONAL DEPOIS DE FORMADO É A PRÓPRIA SOCIEDADE. A OAB DESDE O ANO DE 1994, QUANDO PASSOU SER OBRIGATÓRIO O EXAME, VEM IMPEDINDO OS BACHARÉIS QUE NÃO PASSAM NO SEU EXAME PRECÁRIO, QUE SÓ TEM DE FATO, MEIO ARRECADATÓRIO DE FORMA MILIONÁRIA, GERANDO DESEMPREGO E OBRIGANDO QUEM ESTUDOU POR CINCO ANOS NUMA FACULDADE E UNIVERSIDADE, VIVER EM CONDIÇÕES NÃO DIGNAS PARA QUEM ACREDITOU NUM DIPLOMA AVALIADO PELO MEC. UM VELHO DITADO GANHOU, MAS NÃO LEVOU!
    VAMOS MUDAR ISTO, CUSTE O QUE CUSTAR, VAMOS LUTAR SEMPRE, UM DIA A JUSTIÇA PREVALECERÁ!

  8. LUIZ SANTANA COUTINHO

    -

    06/11/2012 às 14:59

    DIANTE DO GRANDE DESEMPREGO QUE ASSOLA NO NOSSO PAÍS, ONDE VAI TRABALHAR OS CINCO MILHÕES DE BACHARÉIS EM DIREITO FORMADO NO BRASIL, DE QUE TEMOS NOTÍCIA, QUE NÃO POSSUEM A CARTEIRA DA OAB? O PRESIDENTE NACIONAL DA OAB NÃO SE SUBMETEU AO EXAME DA ORDEM QUE ELE COMANDA, portanto há vicio cristalino que não corrobora com o “Princípio de Razoabilidade”, previsto no nosso ordenamento jurídico. O Dr. Ophir Cavalcante (Presidente Nacional da OAB), MANTÉM O EXAME, PORQUE UM VELHO DITADO “PIMENTA NOS OLHOS DOS OUTROS É REFRESCO”. A IMPRENSA DE QUASE TODOS OS PAÍSES JÁ TEM CONHECIMENTO DESTE FATO VERGONHOSO DENOMINADO “EXAME DA OAB”, CUJA FINALIDADE É UMA ARRECADAÇÃO MILIONÁRIA, EM TORNO DE SETENTA E CINCO MILHÕES POR ANO, SEM NENHUMA FINALIDADE ACADÊMICA, ONDE SIMPLESMENTE QUEM APLICA A PROVA, INCENTIVA A “RESERVA DE MERCADO”, VIOLANDO UM DOS PRINCÍPIOS “ISONOMIA(IGUALDADE), QUE É A NOSSA MURALHA PARA QUE DE FATO VIVEMOS NUM PAÍS DEMOCRÁTICO. BREVE A SOCIEDADE TERÁ ACESSO A VÁRIOS PUBLICAÇÕES DE NÍVEL INTERNACIONAL, SOBRE TEMA “EXAME DA OAB”. O Nobre Deputado Eduardo Cunha elabora o Projeto lei 2154/2011, que “Revoga o inciso IV e § 1º do art. 8º da Lei nº 8.906, de 04 de julho de 1994”, que dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)”, que aguardamos que os demais deputados federais, votem para sua votação, como forma da mais lídima justiça aos Bacharéis em Direito.

  9. LUIZ SANTANA COUTINHO

    -

    30/10/2012 às 19:24

    AS FAMÍLIAS DOS BACHARÉIS EM DIREITO VÃO NAS SUAS FORMATURAS E REALIZAM UM SONHO, VEM A OAB, E FRUSTA ESTE SONHO, COM UMA ALEGAÇÃO PATÉTICA, QUE SEU EXAME PREPARA MELHOR O PROFISSIONAL PARA O MERCADO, NÃO GERANDO RISCO PARA A PRÓPRIA SOCIEDADE. TAL AFIRMAÇÃO É TOTALMENTE IRRELEVANTE, POIS QUEM PREPARA O PROFISSIONAL SÃO AS FACULDADES(APROVADAS PELO MEC), POIS O ACADÊMICO EM DIREITO, ANTES DE FORMAR, REALIZA PRÁTICA JURÍDICA DO 7º AO 10º PERÍODO. ENFIM COM ESTAS PRECÁRIAS ALEGAÇÕES DA OAB, A MESMA CONTINUA MANTENDO A SUA ” RESERVA DE MERCADO”, AFRONTANDO A CONSTITUIÇÃO, FERINDO SEUS PRINCÍPIOS CRISTALINOS TAIS COMO “ISONOMIA”, “DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA”, “RAZOABILIDADE”, ENTRE OUTROS. O LIVRE EXERCÍCIO DA PROFISSÃO É UM DIREITO CONSTITUCIONAL, CUMPRINDO O QUE A LEI EXIGIR; O BACHAREL PREENCHE TODOS REQUISITOS, QUANDO É PORTADOR DE UM DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR, REGISTRADO PELO MEC.
    A OAB ARRECADA EM MÉDIA 75 MILHÕES DE REAIS CADA ANO, COM TAL EXAME ABSURDO E IMORAL, CUJA ENTIDADE SE ACHA ACIMA DA LEI, NÃO PAGANDO IMPOSTOS, NÃO PRESTANDO CONTA DE SUA GESTÃO, MANTENDO SEU VOTO SECRETO NA ELEIÇÃO DOS SEUS MANDATÁRIOS. É IMPORTANTE RESSALTAR, QUE TODOS SEUS DIRIGENTES NÃO SUBMETERAM AO EXAME DA ORDEM DOS ADVOGADOS. “OS DONOS DE CURSINHOS CADA VEZ MAIS RICOS E A MAIORIA DOS BACHARÉIS EM DIREITO, CADA VEZ MAIS POBRE”. O ÚLTIMO EXAME DA OAB REPROVOU MAIS DE 85% DOS SEUS INSCRITOS, OU SEJA A OAB DIFICULTA, PORQUE QUER O MERCADO SOMENTE PARA MANTER OS INTERESSES DELA. ENQUANTO ISTO A MAIORIA DAS FACULDADES E UNIVERSIDADES, CONTINUA COM A NOTA NO FUNDO DO POÇO, SENDO A CREDIBILIDADE DAS CREDENCIADAS PELO MEC, SEUS NOMES SÃO JOGADOS NA LAMA, PERANTE A TODA PODEROSA “OAB”.
    OS DEPUTADOS, DEVERIAM CRIAR UMA CPI PARA SABEREM O DESTINO DOS SETENTA E CINCO MILHÕES ARRECADADOS TODO ANO, COM O EXAME DA OAB.
    OS CINCO MILHÕES DE BACHARÉIS EM DIREITO EXISTENTE NO BRASIL, DEVERIAM INGRESSAR COM UMA AÇÃO EM CONJUNTO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS CONTRA A OAB, JÁ QUE ELA IMPEDE, SEM NENHUMA FUNDAMENTAÇÃO JURÍDICA PLAUSÍVEL, PARA IMPEDIR O BACHAREL EM DIREITO, TRABALHAR COM DIGNIDADE, EXERCENDO A PROFISSÃO DE ADVOGADO.
    ESPERAMOS QUE O PL 2154/2011, DE AUTORIA DO ILUSTRE DEPUTADO “EDUARDO CUNHA”, SEJA VOTADO DE FORMA FAVORÁVEL PARA EXTINÇÃO DO EXAME INCONSTITUCIONAL DA OAB, AINDA NESTE MÊS DE NOVEMBRO(2012); GOSTARIA DE CONTAR COM O APOIO DA NOSSA PRESIDENTA DILMA, A QUAL ELEGEMOS NOSSA MAIOR REPRESENTANTE NA REPÚBLICA FEDERATIVA BRASILEIRA, PARA EVITAR PROTELAÇÕES DOS DEPUTADOS, E HAJA QUÓRUM NO MÊS DE NOVEMBRO/2012, PARA QUE A VOTAÇÃO SE CONCRETIZE. JUSTIÇA URGENTE PARA OS BACHARÉIS DE DIREITO E SUAS FAMÍLIAS!

  10. JOÃO BATISTA SUAVE

    -

    30/10/2012 às 18:56

    NÓS BACHARÉIS EM DIREITO E NOSSAS FAMÍLIAS, REPRESENTADOS PELOS NOSSOS MOVIMENTOS NACIONAIS E ESTADUAIS ESPALHADOS POR TODO TERRITÓRIO BRASILEIRO(MOVIMENTO NACIONAL DOS BACHARÉIS EM DIREITO, ORDEM DOS BACHARÉIS DO BRASIL, ORGANIZAÇÃO DOS ACADÊMICOS E BACHARÉIS DO BRASIL, BACHARÉIS EM AÇÃO, ENTRE OUTROS). VAMOS LUTAR PARA SER EXTINTO O EXAME DA OAB, DANDO APOIO AO DEPUTADO EDUARDO CUNHA, AUTOR DO PROJETO DE LEI 2154/2011, PARA SER VOTADO DE FATO NO MÊS DE NOVEMBRO DESTE CORRENTE ANO EM CARÁTER DE URGÊNCIA. AQUELES DEPUTADOS QUE CONTINUAREM MANTENDO OPOSIÇÃO OU PROTELANDO A VOTAÇÃO DO PROJETO CITADO, SIMPLESMENTE NÃO VAMOS VOTAR NELES. “A OAB ARRECADA EM MÉDIA SETENTA E CINCO MILHÕES DE REAIS CADA ANO”, REALIZANDO TAL EXAME INCONSTITUCIONAL, É EVIDENTE QUE PARA ELA É RELEVANTE MANTER TAL MEIO DE ARRECADAÇÃO, UTILIZANDO DESTE INSTRUMENTO, “A RESERVA DE MERCADO”. A OAB É UMA ENTIDADE SUI-GENERIS, CONFORME PARECER DO STF. SABEMOS QUE A OAB NÃO PAGA IMPOSTO, NÃO PRESTA CONTA DE SUA GESTÃO, E SUA VOTAÇÃO É SECRETA. ONDE IMPERA A TRANSPARÊNCIA DA OAB, PERANTE AO PODER PÚBLICO? É UMA VERGONHA, É UM ABSURSO, A OAB NÃO RESPEITAR A NOSSA CONSTITUIÇÃO E NINGUÉM FAZ NADA. O MEC SE MANTÉM OMISSO, O QUAL TERIA LEGITIMIDADE PARA COIBIR OS ABUSOS PRATICADOS PELA OAB, EM IMPEDIR O BACHAREL QUE ESTUDOU E INVESTIU DURANTE CINCO ANOS DE SUA VIDA, SEJA NO LADO FINANCEIRO E EMOCIONAL, PARA DEPOIS DE FORMADO, SER ESBARRADO DE TRABALHAR COM DIGNIDADE NA SUA “PROFISSÃO DE ADVOGADO”, POR UM EXAME DA OAB QUE LEVA EM MÉDIA 5 HORAS POR CADA ETAPA, TOTALIZANDO 10 HORAS NO MÁXIMO. AFINAL A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL É UMA FACULDADE OU UNIVERSIDADE, COM FILIAL EM BRASÍLIA E MATRIZES EM TODO TERRITÓRIO BRASILEIRO? A OAB É CREDENCIADA PELO MEC?
    PELO QUE SABEMOS, QUEM SÃO APTAS A FUNCIONAR NO PAÍS NA ÁREA DE DIREITO, SÃO AS FACULDADES E UNIVERSIDADES DE DIREITO, AUTORIZADAS PELO MEC.
    SE OS DEPUTADOS FICAREM ADIANDO A VOTAÇÃO; ESPERAMOS QUE A PRÓPRIA PRESIDENTA DILMA, INTERFIRA NESTA DITADURA IMPOSTA PELA OAB, EM MANTER TAL EXAME INCONSTITUCIONAL, QUE FERE DE FORMA AVASSALADORA OS PRINCÍPIOS DE “RAZOABILIDADE”, “DIGNIDIDADE DA PESSOA HUMANA”, “ISONOMIA”, ENTRE OUTROS. CONFIAMOS NO ESPÍRITO DE JUSTIÇA DA NOSSA PRESIDENTA DILMA, PARA SOCORRER OS INJUSTIÇADOS “BACHARÉIS EM DIREITO” E OUTROSSIM SEUS FAMILIARES, QUE SOFREM DE TEREM IDO NA FORMATURA DE SEUS FILHOS, TEREM REALIZADO UM SONHO; SENDO DEPOIS DO SONHO REALIZADO, VEREM ESTE MESMO SONHO, SER SUPRIMIDO. UM VELHO DITADO “GANHOU, MAS NÃO LEVOU”!

  11. rUBENS DOS SANTOS PIRES

    -

    27/10/2012 às 13:30

    Para mim como bachárel em Direito e uma honrar temos Deputado como vossa excelência para lutar contra a injustiça da OAB.

  12. PEDRO PAULO NETO

    -

    14/09/2012 às 21:26

    Parabéns ao Deputado Eduardo Cunha pela iniciativa de fazer justiça aos bacharéis com seu projeto. O exame de ordem está ultrapassado e não mostra a realidade de quem deve ou não exercer a profissão de advogado. A verdadeira missão da OAB é sim! de fiscalizar os maus profissionais, mas, não tem competência para usurpar a tão fragilizada condição muitas vezes até financeira do bacharel. É preciso por um fim nesse absurdo chamado exame de ordem.

  13. Alessandra santos

    -

    13/09/2012 às 14:24

    Concordo em acabar com essa prova , ou pelo menos o candidato que fosse aprovado na 1° fase , e ficasse reprovado na 2° fase não teria que voltar para fazer a primeira fase de novo isso eu acho uma covardia, porque os médicos que se formam não fazem prova? gostaria de saber ?

  14. Elço Santos

    -

    07/09/2012 às 10:54

    Parabens Dep. Eduardo Cunha, uma luta justa em defesa dos bachareis de direito. A OAB, sempre teve essa prova, era uma forma de compensar os formandos em direito, que faziam o curso a noite e durante o dia, trabalha em outra atividade, ou seja não tinha a pratica juridica nos cursos de direito. Aqueles que trabalhavam na área do direito apresentavam a ordem, certidão de horas trabalhadas e com isso conseguiam a inscrição da ordem sem auxilio de prova. Aqueles formandos assinalados acima que não tinha a certidão, faziam uma prova elaborado na ordem de suas regiões e tinham a sua inscrição caso tivesssem aprovação. Era um critério justo, pois a prova era uma ajuda para os formando que não tinha a pratica juridica. Ocorre que com o tempo as fuculdades incluiram na grade de direito, 4 periodos de pratica juridica, ou seja 7º, 8º . 9º e 10º periodos, essa grade era com aulas praticas e em laboratórios de informatica, com atendimento da população carente, eu especialmente atendi várias pessoas nos juízados, distribui varios processos no forum, tive varios MS distribuidos e ganhos, fiz varias conciliações com sucesso, evidente com acessoria de um advogado (professor) que assinava as peças, mas eu é que fazia as peças.
    Ora deputado, a OAB daquela época era a verdadeira OAB, a tual oab (a letra minuscula) é como vejo a oab atual, com um presidente nacional que comseguiu cargo de procurador sem concurso, por indicação politica, esse despoda esclarecido faz uma campanha de difamação contra o deputado, como fez contra o desembargador que deu ganho de causa aos bachareis, dizendo que o desembargador tinha um filho que não tinha passado em 4 exame, pura mentira, a ação era de uma associação dos bachareis, o desembargador jurista probo, juiz sério, foi difamado por esse presidente da ordem nacional, que evidente almeja notariedade,ou cargo público melhor do que possui.
    É bom lembrar que ser presidente do Conselho Nacional ou não, é cargo não remunerado, esses candidatos gastam enormes quantias para esse cargo, qual será o objetivo?
    A oab atual, não presta conta a ninguem, é tudo entre os grupos do poder instituidos, bastante estranho, os outros conselhos prestam contas ao TCU, porque a oab não?
    Caro deputa Eduardo Cunha, até não sou contra o exame, mas quem deveria faze-lo é o MEC, êsse sim tem titularidade moral e legal para exercer esse direito a oab não. Ganharam no STF o deireito de ser constitucional o exame, claro um ministro é dono de curso os outros dão aulas online ou palestra nesse curso, alem de forte lobbi da oab,
    em que amicus curio professores renomados, foram em defesa da oab, quanto custou isso, qual era o objetivo, estou falando do sr. Barroso os bachareis não tiveram amicus curio, com tal projeção.
    Deputado dizer que o exame não fere o princípio da esonomia, é rasgar a Constituição, alias o STF está até fazendo leis, quando muito poderia alerta a ao poder legislativo com relaçao ao assunto, e aí sim o poder legislativo elaborar projeto de leis, é assim que tem que funcionar.
    Deputado sou solidario ao amigo, conte com meu apoio, sou do Rio de Janeiro, e estou acompanhado a sua luta. Um aviso a oab, o mercado é o grande selecionador de profisionais, querer evitar a entrada de bachareis, e temer a concorrência, essa é a verdade. O verdadeiro Ministro Sepulveda Pertence, êsse sim um jurista super qualificado, diz que o exame da oab fere o principio da esonomia. Qualquer pensamento diferente, há interesse proprio, não levo a sério.
    Amigo Eduardo, conte comigo nessa luta.

  15. Emilton

    -

    10/08/2012 às 16:00

    Se até o ex-presidente Lula tem ojeriza a esse deputado, é porque ele não é boa bisca. Essa luta toda é puramente por interesses pessoais e do seu partido.

  16. carlos

    -

    09/08/2012 às 0:33

    Peço a DEUS que acabe com essa prova.
    sou chefe de familia e estou sem trabalho no momento.
    Fui fazer a prova da oab,passei na primeira faze e fui reprovado na segunda faze.(fiquei com nota zero na peça).
    Preciso muito de trabalho pois tenho familia para manter .
    gastei 200 reais com essa prova e não tive exito.
    só gostaria de trabalhar e manter minha familia com dignidade.
    vou pedir dinheiro emprestado para pagar essa proxima prova do dia 9 de setembro,pois eu estudei muito e tenho fé em DEUS que ele vai me abençoar dessa vez.
    Infelismente é essa a situação de um pai de familia hoje no brasil

  17. Helio

    -

    25/07/2012 às 1:02

    Espero que os Doutos revejam esta situação ou uma lei seja criada, mas por enquanto temos que cumprir a ordem.

  18. Helio

    -

    25/07/2012 às 0:56

    Espero que consigam, pois quem passa neste exame esquece da luta e os que nunca fizeram acham bom, pois menos concorrência é melhor.Então para que faculdade de direito?

  19. Helio

    -

    25/07/2012 às 0:38

    Todo tirano tem um triste fim, hoje se fartam junto com seus cursinhos, mas estão a espera de serem descobertos, pois com a gordura acumulada acham que vão se safar. Lembren-se que são milhares de brasileiros prejudicados por poucos.
    Avante deputado.

  20. Pedro

    -

    17/07/2012 às 13:20

    Daqui alguns dias vão além da prova, ter que ser submetidos ao exame psiquiátrico pra reprovar mais bacharéis para inflar os grandes escritórios dos ministros do STF e STJ em São Paulo pra trabalharem de empregadinhos. Vamos então estiguir as faculdades e louvar os cursinhos que ensinam mais que as faculdades do país, assim daremos mais dinheiro ao Damasio e outros brilhantes juristas que visam somente o próprio capital. Cadê a isonomia nesse país? Alô Ophir não seria bom você fazer a prova pra ver se você consegue passar? Aposto que não! obrigado!

  21. ANTONIO DA SILVA

    -

    05/07/2012 às 12:29

    NOBRE DEPUTADO FEDERAL, DR. EDUARDO CUNHA, QUERO PARABENIZÁ-LO PELA BRILHANTE INICIATIVA DE LEVAR ADIANTE ESSE PL QUE EXTIRPA, EXTINGUE ESSA ABERRAÇÃO QUE O TÃO PROPALADO EXAME DE ORDEM FEITO POR MEIO DE RESOLUÇÃO DO CONSELHO FEDERAL DA OAB. TAL EXAME SÓ SERVE MESMO PRA ENCHER OS COFRES DA OAB. JÁ NÃO BASTA A OAB ARRECADAR COM CURSINHOS, PATROCINADORES, PARTICIPAÇÃO PERCENTUAL NAS CUSTAS JUDICIAIS, ETC. TAL EXAME DE ORDEM, ALÉM DE TER UMA TAXA DE INSCRIÇÃO MAIS DO QUE UM CONCURSO PARA MAGISTRATURA, NÃO PROVA NADA, POIS É MAIS UMA BARREIRA INTENTADA PELOS OPHIR PARA IMPEDIR OS BACHARÉIS DE EXERCEREM A PROFISSÃO DE ADVOGADO.
    MAIS UMA VEZ, DEPUTADO FEDERAL, QUERO PARABENIZÁ-LO POR ESSA BRILHANTE INICIATIVA DE PEITAR A OAB.

  22. Márcia

    -

    28/06/2012 às 11:35

    O problema aqui não é material de direito, e sim de português!!!É inaceitável uma pessoa assassinar a língua portuguesa publicamente, com tantos recursos que temos hoje, ainda mais sendo um operador de direito. Querido, use o word, escreva tudo que quiser no word antes, para não passar vergonha. Lembre-se que se você conseguir passar no exame de ordem, ainda sim, a sua inscrição pode ser cancelada se incidir em erros reiterados que evidenciem inépcia profissional, segundo o estatuto da ordem.

  23. Adelson

    -

    28/06/2012 às 0:15

    ProteJe, baIXarel, preSisa, infelismente… Esse pessoal ainda quer o fim do Exame? Nem no MOBRAL vão passar!
    O deputado quer IBOPE!

  24. Adelson

    -

    28/06/2012 às 0:14

    Putaquepariu… ProteJe, baIXarel, preSisa, infelismente… Esse pessoal ainda quer o fim do Exame? Nem no MOBRAL vão passar!
    O deputado quer IBOPE!

  25. Anderson Belchior

    -

    27/06/2012 às 23:43

    Espero que o Exame ainda persista. Já pensou se os “bachareis” que cometam abaixo virarem “adevogados”?

  26. felipe

    -

    23/06/2012 às 19:15

    nao acredito na justiça , o stf mostrou que nao proteje a constituição e ano faz justiça esta sempre do lado dos ricos, muitos deputados tem rabo preso com oab e existe trocas de favores a presidente que ja foi humilhada nada faz para mudar isso visto que e competencia do executivo resolver tal merda que o stf ja fez cada deputado tem um rabo preso por causa de emprenteiras e foi advogado ligado a oab quem defendeu assim a oab sabe dos podres nao conheço deputado e senador que tenha culhoes para acabar com isso nao irei mais sonhar pois minha familia nao como ilusões,minha familia paga imposto que gera o salarios dos ministor do stf que nao fizeram justiça

  27. maria

    -

    23/06/2012 às 17:38

    nao entendo porque so a oab exige exame
    exame rigoroso deveria ter os medico ja trabalha com vidas
    se um baixarel presisa do exame da ordem para exercer a profisao, porque
    os engenheiros nao precisam,os administradores pubico e estatais nao precisa
    os candidato ao cargo publico nao precisa de ser diplomado em universidade mesmo exercendo cargo de responsabilidade
    vamos la brasil ou ordem total ou desordem total

  28. MARCOS CUNHA

    -

    23/06/2012 às 13:18

    Os bacharéis, não tem direito a greve, não tem direito de se expressar suas opiniões na mídia não tem direito respeitado na CF/88, não tem direito a nada ou seja após a formutura as portas se fecham e o seu diploma de cinco anos não tem serventia para nada, isso tem que acabar URGENTE milhares de brasileiros com o 3° grau desempregados pelos dirigentes da OAB APOIO O NOBRE DEP EDUARDO CUNHA..

  29. Antonio Almada

    -

    18/06/2012 às 14:33

    Apoio totalmente a iniciativa do Deputado em acabar com essa vergonha, que distingue de maneira desfavorável os bacharéis em direito, coisa que a CF de 88 repudia. A OAB e o STF deveriam se preocupar em acabar com essas diferenças e não simplesmente impedir os futuros advogados de trabalharem depois de terem investido 5 a 6 anos de suas vidas social e financeira no curso. Se algo esta errado esse erro provém das faculdades, das maneiras de ensino e não se resolve isso penalizando os alunos que não tem poder para exercer tais mudanças. Diga-se de passagem que os advogados que não forem competentes, como qualquer outro profissional, serão excluídos pelo próprio mercado e não por demagogos que se intitulam defensores do cidadão, que acharam neste exame uma fonte inexgotável de renda. Desejo bom senso aos lideres dos partidos para acabar com essa pouca vergonha do exame da oab.

  30. Luiz Gama

    -

    15/06/2012 às 20:58

    OAB não é MEC, por isso ela não tem o direito de avaliar um aluno. É um grande afronto que a OAB faz com todas as faculdades de Direito de nosso pais.

  31. MILTON ROSA NUNES

    -

    11/06/2012 às 12:18

    Para ser um médico o estudante passa seis anos na faculdade. depois de formado e cumprir a residência médica pode exercer sua função sem prestar prova ao seu conselho. E porque a exigência para o bacharel de direito ? o STF, que ao invés de guardar a constituição infelismente está rasgando a carta magna. Lembro que um dos ministros disse que a exigência da prova deveria ter em todos os demais cursos superiores.Tomara que essa lei seja aprovada para acabar essa mamata da oab. Cabe a união a fiscalização das instituições de ensino superior. Prova de ordem não mede uma coisa importante para o advogado ou qualquer outra profissão: ÉTICA.

  32. VASCO VASCONCELOS-ANALISTA E ESCRITOR-BRASÍLIA-DF

    -

    01/06/2012 às 12:19

    FIM DO CAÇA-NÍQUEIS EXAME DE ORDEM (BULLYING SOCIAL)

    PELO FIM DA MÁQUINA DE ARRECADAÇÃO O CAÇA-NÍQUEIS EXAME DE ORDEM (BULLYING SOCIAL)

    As provas da OAB estão num nível de dificuldade absolutamente igual às da defensoria do Ministério Público e, se bobear, da magistratura”, desabafou recentemente num jornal carioca o desembargador Sylvio Capanema, ex-vice-presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro “Posso dizer com absoluta sinceridade que eu, hoje, não passaria no Exame de Ordem”. Dias depois ou seja, dia 16/05/2011 OAB por maioria dos seus pares, aprovou alteração no Provimento n° 136/2009, pasmem, para dispensar do Exame de Ordem os bacharéis em direito oriundos da Magistratura e do Ministério Público. No ano passado isentou desse exame os Bacharéis em Direito oriundos de Portugal, e com essas tremendas aberrações e discriminações ainda têm a petulância de afirmarem que esse tipo de excrescência é Constitucional? Amanhã irá dispensar do referido exame, filhos, netos e esposas de Senadores, bem como de Deputados etc.

    Aliás os mercenários da OAB, atuam com fossem dirigentes de futebol de várzeas. “A bola é minha e no meu time só joga quem eu quero”.

    Meus nobres causídicos se realmente esse tipo de Exame qualificasse alguém, questiono: por que a OAB, foi contra a provinha do Exame de admissão ao Quinto Constitucional exigida pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro/TJ/RJ, para os apadrinhados da OAB e do Ministério Público, ao ponto da OAB questionar a inconstitucionalidade de tal Exame junto ao Conselho Nacional de Justiça que incontinente julgou inconstitucional? Onde está a coerência da OAB? Ou é correto ela se utilizar de dois pesos e duas medidas? OAB tem que parar com essa ciclotimia de contradições e aberrações.

    VASCO VASCONCELOS

    Analista e Escritor

    BRASÍLIA-DF
    ……..

  33. Sergio

    -

    25/05/2012 às 13:45

    Prezado Deputado fico feliz pela luta que abraçou e principalmente em mostrar o respeito a nossa contituição (art. V) todos são iguais…

  34. WELLINGTON

    -

    14/05/2012 às 20:47

    SR. DEPUTADO PARABÉNS E GOSTARIA DE ENFATIZAR QUE O CÓDIGO DE ÉTICA EM SEU ART. 29 § 1 DIZ:
    § 1º Títulos ou qualificações profissionais são os relativos à profissão de advogado, conferidos por universidades ou instituições de ensino superior, reconhecidas.
    § 2º Especialidades são os ramos do Direito, assim entendidos pelos doutrinadores ou legalmente reconhecidos.

    DESSA FORMA, ISSO SÓ VEM CONTRIBUIR COM O EXPOSTO NO PL E NO PARECER DO RELATOR DA CCJC.

    SOU VIZINHO DO EX SENADOR PAULO DUQUE, ELE É DE MARICÁ.

    ABÇ.

  35. André Souza

    -

    08/05/2012 às 12:50

    ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬●ஜ │
    ۞۩۩● MNBD. Movimento Nacional Bacharéis Direito ●۩۞๑۩
    Bacharéis em Ação
    ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ
    Nos deste movimento democrático lutamos por vários anos para
    Moralizar este exame, conscientes da necessidade de uma avaliação
    Para aferir realmente conhecimentos lutamos por Isonomia
    Que este exame seja aplicado pelo MEC para todos os cursos
    antes a graduação e gratuitamente.
    Visto que a OAB não é uma instituição de ensino para aferir
    Conhecimento, nem tão pouco Órgão da fiscalização educacional
    Pois estas atribuições ela não e detentora na CF/88.
    Desta forma solicitamos o apoio de todos os Juristas justos
    Deste País a apoiar nossa movimentação , agradeceremos a
    todos, qual quer apoio será bem vindo, compreendemos o
    esforço, mas no presente momento a aberração é suprema e
    inevitável será uma resposta ao agravo que a OAB tem criado.
    Uma boa tarde.
    André Souza.
    ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬●ஜ │
    ۞۩۩● MNBD. Movimento Nacional Bacharéis Direito ●۩۞๑۩
    Bacharéis em Ação
    ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ

  36. willyan johnes

    -

    02/05/2012 às 17:53

    Caros membros e demais bacharéis

    O exame de ordem foi mantido com o objetivo de proteger a sociedade, até mesmo o Art. 84,IV da CF, que reza sobre matéria privativa da presidência da república, foi posto como artigo em desuso “fora de moda” pelos ministros do STF de tanta preocupação e com isso, também preocupada com a sociedade, nossa presidenta, por intermédio de grandes figurinistas, cabeleireiros e esteticistas, privativos da presidência, fez questão de mostrar aos brasileiros que ela não compartilha com essa opinião, pois, sendo representante da mãe gentil, está sempre na moda.

    Sabemos que os Ministros do STF, filhos justos da mãe gentil, jamais entrariam no lobby da OAB e tampouco seriam injustos com centenas de milhares de brasileiros que pagam seus míseros salários, até porque, mesmo com baixos rendimentos, a exemplo dos professores no Brasil, trabalham por amor a arte.

    Sabemos também, que o Procurador Geral da União, filho próximo, jamais mudaria o parecer dado pelo subprocurador, no tocante a inconstitucionalidade do exame de ordem, se não tivesse a certeza da incompetência daquele irmão que com certeza, fundamentou em mais de quarenta páginas a inconstitucionalidade da prova da OAB com criatividade, falsas doutrinas e interesse pessoal no sentido de mostrar poder, provavelmente para tentar fazer parte da cúpula exemplar, composta de grandes personagens políticos, que desfrutam de propinas através de envolvimento com jogos ilícitos e outras falcatruas no país, enfim, o Procurador Geral da República, provou que é um fenômeno em sabedoria e grande orador, pois conseguiu mostrar esse dom de cabisbaixo com uma única palavra. “É constitucional.”

    Quanto aos políticos brasileiros é inadmissível alguém questionar a honestidade de cada um deles, pois foram escolhidos pelo povo e a sociedade brasileira não erra, estuda os programas de governo e analisa a idoneidade de cada candidato antes de votar no intuito de evitar que pessoas desonestas assumam o poder em nossa pátria amada. Tanto que ninguém vai pescar no dia das eleições, pois, democraticamente, não sendo obrigados, conscientemente exercem um dever cívico.

    Vivemos em um país que prega a paz para o mundo inteiro, um Estado que cuida de seus filhos, principalmente daqueles mais queridos pela mãe pátria, os que governam, onde nada lhes falta, inclusive a imunidade. Somos contra a bomba atômica e a favor da igualdade, sendo notória a igualdade entre os filhos mais queridos pela mãe gentil, que os protege até mesmo na mais alta corte do país.

    Nossa constituição adotou os princípios constitucionais e entre eles temos os princípios da isonomia, legalidade e moralidade, princípios esses que os demais não ferem tais prerrogativas, mas respeitam a imunidade e o fórum privilegiado dos protegidos, pois a lei é igual para todos que não foram acolhidos pela mãe gentil. O que está certo, pois cada mãe cuida mais ou apenas de seu filho próximo, sendo assim um dever materno.

    Em que pese os filhos saírem do mesmo ventre, é comum os filhos próximos da mãe, terem maiores cuidados dispensados pela genitora e assim, não é diferente com a mãe gentil que, não só cuida de determinados filhos próximos com segurança e privilégios, como até mesmo de suas noras, como vimos recentemente a proteção dada a mulher do Senador Demóstenes Torres, que foi presenteada com a carteira vermelha da OAB por seus dirigentes no intuito de agradar a mãe gentil e receber em troca o mesmo carinho.

    É certo que é comum também uma mãe ter filhos rebeldes, onde com a mãe gentil, também não é diferente, haja vista os bacharéis em direito que vivem enciumados, não concordam com a natureza e se sentem discriminados, não entendem que uma mãe cuida melhor dos filhos que convivem ao seu redor, principalmente dos que ainda estão mamando, portanto, a mãe gentil só consegue ver os filhos que se encontram debaixo de sua saia, ou seja, no poder, mas vale lembrar que os bacharéis em direito, mesmo distantes são lembrados pela mão gentil, que não é omissa e sim defensora dos interesses dos que ainda mamam, três vezes por ano com uma “prova” de amor que nada rende aos cofres públicos, mas promove o bom relacionamento entre seus filhos dependentes e suas negociações. Como em qualquer família.

    Vale lembrar também, que entre esses rebeldes, alguns se destacam lutando arduamente no sentido de obter mudanças, mas felizmente para os filhos dependentes da mãe gentil, esses bacharéis rebeldes não se unem em massa na luta por seus objetivos, assim, são ignorados pelos irmãos protegidos e tampouco constrange a mãe gentil, que poderia ser interpretada como uma mãe desnaturada, por dar tanto a poucos e nada a muitos de seus filhos.

    Mas isso não quer dizer que a mãe gentil se esquece dos demais filhos esparramados pela pátria amada, pois assim como todas as mães, vive escrevendo para seus filhos ausentes, quer seja por notificações de impostos, citações, intimações e até mesmo como prova de amor e orgulho desses filhos, mostra seu lado enérgico com fins disciplinares com as execuções.

    Nossa mãe gentil é tão protetora, que protege seus filhos próximos até mesmo dos poucos jornalistas intrometidos, basta observar que, quando um desses profissionais comete uma injustiça, divulgando corrupção ou qualquer crime cometido por qualquer um de seus filhos dependentes, imediatamente é divulgada na mesma emissora matéria esportiva ou cômica com a intenção de distrair a atenção dos filhos distantes, assim, não só protege o filho injustiçado, como também protege a sociedade de ataques cardíacos, tensão nervosa, depressão, revolta…

    É certo que, entre tantos filhos dessa amada mãe gentil, muitos só desmamaram ao partirem numa “urna” depois de descobrirem que não eram imortais, outros desmamaram por decisão da maioria de seus filhos distantes que se sentiram enganados em outro tipo de “urna”, mas é certo também, que existem filhos que ali se encontram e não concordam com essa proteção, mas que precisam da ajuda dos irmãos distantes daquela casa, onde muitos não se apresentam, por acreditarem que não preenchem os requisitos necessários para frequentar a casa sede da família, ou seja, por não serem formados em desonestidade, banditismo e possuírem valores que não interessam aos que lá estão. O que não procede, afinal, a mãe gentil é mãe de todos e precisa de amparo, tanto que existem filhos conscientes que tentam entrar naquela casa com esse objetivo, no entanto são barrados pelo sistema implantado pelos que ainda mamam e não sobrevivem longe das tetas da mãe gentil, onde compram decisões, são intocáveis e ajudam os filhos mais carentes dessa mãe na época de eleições em troca de seus votos.

    Contudo, devemos ser gratos aos nossos irmãos protegidos pela mãe gentil, afinal, independente do orgulho que eles têm de seus irmãos desafortunados, geram milhares de empregos em diversos setores com nosso dinheiro, cabos eleitorais, mordomos, empregadas/os domésticos para todos os seus familiares, professores particulares e de dança, motoristas particulares, pilotos para seus jatinhos, seguranças particulares para seus familiares, garçons e músicos para suas festas, lindas/os acompanhantes, babás para seus filhos, massagistas, enfermeiras/os particulares… Isso sem contar com o cabide de empregos, mão de obra fantasma e ainda contribuírem com a produtividade do país, aumentando de forma significativa o consumo de bebidas alcoólicas, produtos eróticos, produtos de beleza e guloseimas em geral.

    PATRIA AMADA BRASIL, UMA MÃE TRAÍDA E EXPLORADA QUE PRECISA DA AJUDA DE TODOS OS FILHOS QUE A AMAM.

    Willyan Johnes
    Ordem dos Bacharéis do Brasil

    Acesse e faça parte de corpo http://www.obb.net.br

    Todos os direitos reservados-OBB 2011_ http://www.obb.net.br
    contato@obb.net.br

  37. Jamara Dias da Silva Bertoluchi

    -

    01/05/2012 às 15:49

    Apoio totalmente e penso que nosso direito de registro na carteira da OAB tem que ser retroativo, ou seja, desde quando nos formamos.

    Outra coisa os médicos não fazem prova alguma eles exercem e tá tudo certo.Também temos o direito.

  38. LEONICE

    -

    30/04/2012 às 2:01

    Lamento é ter que esperar mais quantos anos até o projeto ser votado e quando que chegar ao nossos ilustres julgadores do STF que julgam com as vantagens jultamente com a OAB, teremos no julgamento novamente por unanimidade a constritucionalidade, o que sabemos que as mãosinhasjá se apertaram para este resultado. É INCONSTITUCIONAL ESTE EXAME, UMA MÁQUINA DE DINHEIRO PARA ELES, UM DESRRESPEITO AO DIREITO.

  39. LEONICE

    -

    30/04/2012 às 1:49

    Sou a favor de acabar com este exame que qualifica nenhum profissional o mercado é seletista não precisa de OAB. Chega de reserva de mercado, pura politica e se julgam muito fortes que tudo podem. Vão realmente trabalhar.

  40. WALQUIRIA MARY COSTA DE MELO MOLINA

    -

    29/04/2012 às 0:08

    PARABÉNS DEPUTADO POR SUA INICIATIVA EM EXTERMINAR COM ESTE NEFASTO EXAME DE DESORDEM E NÃO DE ORDEM COMO QUER FAZER CRER A OAB,VAMOS PRESSINAR TODOS OS DEPUTADOS A DAREM SEU APOIO PARA ACABAR COM ESTE EXAME INCONSTITUCIONAL,POIS EU NUNCA VI UM EXAME TÃO ABSURDO COMO ESTE OBRIGADO DEPUTADO POR NOS AJUDAR POIS SÓ QUEM FORMOU COM MUITA DIFICULDADE FINACEIRA COMO EU POSSO FALAR COMO É DIFICIL PAGAR UM EXAME MOSTRUOSO COMO ESTE QUE AO FINAL NÃOOOO QUALIFICA NINGUEM,POIS CONHEÇO VÁRIOS ADVOGADOS QUE PASSARAM NESTE EXAME E NÃO SABE NADA,PORTANTO NÃO É UM EXAME DESTES QUE QUALIFICA ALGUEM MAS SIM O QUE O BACHAREL APRENDEU EM UMA FACULDADE OU UNIVERSIDADE,PARABÉNS DEPUTADO PODE CONTAR COM TODOS OS BACHARÉIS E VAMOS NOS UNIR MAIS E PEDIR A TODOS OS DEPUTADOS QUE ESTÃO NOVAMENTE EM CAMPANHA PARA VOTAREM A FAVOR DO SEU PROJETO…UM GRANDE ABRAÇO
    WALQUIRIA

  41. Sidney Perdigao

    -

    26/04/2012 às 20:29

    ou melhor resgata a dignidade e a valoracao da qualificacao do ensino superior.

  42. Sidney Perdigao

    -

    26/04/2012 às 20:27

    Carissimo Parlamentar parabens pelo seu projeto tras de volta a dignidade de todos os Bachareis em direito.

  43. juarez

    -

    26/04/2012 às 17:45

    Ufa! Até que em fins uma noticia que presta!

  44. ANDREALAM

    -

    26/04/2012 às 17:03

    “SE VC É NEUTRO EM QUESTÕES DE INJUSTIÇA, VC ESCOLHEU O LADO DO OPRESSOR.” DESMOND TUTU
    PARABÉNS DEPUTADO EDUARDO CUNHA, O SR. FAZ A DIFERENÇA. E ESSES HIPOCRITAS QUE CRITICAM ALGUEM QUE FAZ A DIFERENÇA, DEVEM SER SIMPLESMENTE O ESGOTO DE NOSSA NAÇÃO MERGULHADA NA CORRUPÇÃO. ACREDITO QUE TODA AÇÃO TEM UMA REAÇÃO, E ESTA, SERÁ A REAÇÃO DO FIM DA CORRUPÇÃO EM NOSSO PAÍS.
    REFLEXÃO: O QUE A AOB FAZ REALMENTE PARA MELHORAR O NOSSO PAÍS E A CLASSE?
    A OAB TEM CONCLUSÃO DO ROMBO FINANCEIRO NA CAARJ?
    AONDE ESTA SENDO APLICADO A ARRECADAÇÃO DOS 10% CUSTAS PROCESSUAIS QUE VÃO DIRETO PARA A CONTA DA CAARJ?
    O CÓDIGO DE ÉTICA DOS ADVOGADOS E ESTATUTO ESTA SENDO RESPEITADO POR SEUS LIDERES DA OAB?
    A PROPRIA ORDEM FAZ EXECRAR SEUS INSCRITOS.
    A QUEM DE DIREITO FAZ VALER, SERÁ COLOCADO EM PRÁTICA.
    GLÓRIA A DEUS!

  45. THADEU

    -

    26/04/2012 às 1:19

    Prezado Deputado – Eduardo Cunha, venho, respeitosamente, a presença de V.Exa., dizer do orgulho que tenho como Cidadão Brasileiro, ao deparar-me com o projeto de Lei de sua autoria, que visa resgatar do limo, o direito de milhares de concidadãos que estão cerceados de exercerem seus ofícios ou profissões, pela total “INCONSTITUCIONALIDADE”, imposta por um simples conselho de classe, que quer se passar por Estado, uma vez que exige o (exame da OAB),para o Bel., que já se acha graduado por uma Instituição de Ensino Superior, fiscalizada, reconhecida e, legalizada pelo Governo Federal através do MEC, assim cumprindo todos os preceitos fundamentais da nossa Carta Magna.
    Assim sendo, o Graduado já passou pelo Crivo e, pela Chancela do “ESTADO”, sendo achado apto para exercer as profissões inerentes ao ofício e, para o qual se qualificou.

    ANTE AO EXPOSTO – e certo de merecer sua obsequiosa atenção, transmito-lhe votos de estima e, consideração.

    Att:. Bel. Thadeu.

  46. Adilson Marcos

    -

    24/04/2012 às 21:26

    Que os bachareis e qualificados pelo MEC, por meio de seus representantes politicos elaborem projetos de Lei para que o MEC faça a aferição do processo educacional pedagogico que o formado em ciencias juridica foi submetido ao longo de cinco longos anos, além do estágio de dois anos (que acabaram).Que se cumpra a Constituição. Afinal o MEC tem essas prerrogativas para avaliação desses academicos e está devidamente legitimado, destarte, o exame não seria de responsabilidade exclusiva da OAB,mas de quem de direito; O MEC com uma comissão formada por membros do Judiciario e professores. Os valores arrecadados seriam investidos em politicas educacionais.

  47. Adilson Marcos

    -

    24/04/2012 às 21:00

    É um absurdo esse caça niquel da oab(sic) que afronta a CRFB/88, nos principios elementares como: principio da dignidade humana, direito ao trabalho e da livre iniciativa.Rasgaram a LDB, usurpam atribuições e prerrogativas do MEC; jogam no monturo a formação academica de 5 anos em nome do vil metal, porque a oab não presta conta pra ninguem nem mesmo ao TCU – até estagiários(meu caso) paguei durante dois anos e nunca obtive nada em contra partida, ou seja a oab (sic) só arrecada, fora a anuidade extratosferica que cobra de cada advogado e R$ 200 por cada prova, 4 X ao ano, com uma natureza jurídica hibrida – IMPAR – a oab é um caça niquel poderoso, até mesmo o presidente Ophir Cavalcante não fez a prova que obriga todos que querem exercer a advocacia a fazer(video na internet). É a única profissão que depois de formado ainda precisa se submeter a tal inconstitucionalidade. O caso da esposa do Senado Demóstenes, é um caso que merece ser apurado. recentemente o ex presidente do STF foi acusado pelo ministro Barbosa de manipular decisões e de ser tirânico, Barbosa sofreu Bullying Social do ministro Peluso. Isso poem em xeque uma série de decisões contra os estudantes de direito que se formaram, afinal os tentaculos da oab são extensos, além do capital acumulado. Não se deixe enganar. Não se pode ignorar os muitos interesses em manter esse negócio da china ou “Tupiniquim”, onde todos lucram menos os que se formaram ao longo de 5 anos + dois anos de estagio que o STF tirou. Não se pode ignorar os interesses…Todos lucram menos os academicos formados e legitimados pelo MEC, mas, contudo, todavia, Ophir Cavalcante, é um coveiro eficiente no curso de ci~encias jurídicas. O “latifundiário” do Behaviorismo do direito, que massifica em nome do vil metal para formatação de uma geração robotizada, que não aprende direito mas “apenas” passar numa infame prova cheia de pegadinhas, que já foi amplamente questionada, muitos juizes e desembargadores deram seus depoimentos que não passariam nessa prova que não afere realmente o que uma academico estudou durante 5 longos anos, mas apenas serve para reprodução de um sistema nefasto e pernicioso. Um latifundio improdutivo ou seria um título de uma capitania hereditária que ficará nas mãos dos novos coroneis que afrontam a Constituição Federal. A mão de obra barata é outra vantagem para quem promove essas coisas que atentam contra a dignidade humana, e o direito ao trabalho. Mas, quanto é que a oab arrecada/ Como é essa caixa preta que não presta contas a ninguem nem mesmo ao Tribunal de contas da União? Que metodologia nefasta é essa, que não faz a devida aferição dos conhecimentos academicos adquiridos ? Que correção é essa que tem por finalidade promover a reserva de mercado, arrecadar e a promoção da exclusão social?

    Os excluidos estudantes de direito que se formaram aumentarão seja em proporção PG OU PA, com certeza esses australopitecus que promovem essa reserva de mercado não passarão. Todos estaremos unidos derrotando nas urnas todos aqueles que afrontam a CRFB/88 dando suporte e apoio a essa prova imoral e inconstitucional gerada no ventre da tenebrosa treva do capitalismo. Adilson Marcos.

  48. VASCO VASCONCELOS - ANALISTA E ESCRITOR

    -

    23/04/2012 às 22:37

    Demóstenes X Cachoeira X Caça-níqueis Exame de Ordem

    Relativamente às gravações da Polícia Federal na Operação Monte Carlo e o envolvimento do Senador Demóstenes Torres com o contraventor Carlinhos Cachoeira um fato me chamou atenção. Num dos trechos da gravação divulgado por VEJA , Cachoeira fala com a mulher de Demóstenes, Flávia, que comemora a obtenção de sua carteira da OAB; a conquista aí é nossa” Tô com a vermelha no bolso, 32.650, pode arrumar cliente aí pra mim (…) Tô com a vermelhaça no bolso (…) Um detalhe antes mesmo de colar grau, Flavia passou no caça níqueis exame de ordem com… NOTA MÁXIMA !!! 10 !!! Gabaritou a prova de 2ª fase. Como se vê caça-níqueis atrai caça-níqueis. Agora estou entendendo porque esse pálido Senador foi o Relator que rejeitou e arquivou a PEC nº01/2010 do nobre Senador Giovane Borges -PMDB-AP, que pretendia banir do nosso ordenamento jurídico a máquina de arrecadação, o caça-níqueis Exame de Ordem, feito para reprovação quanto maior reprovação maior o faturamento. Abocanha R$ 72,6 milhões por ano,sem dar nada em contrapartida, sem prestar contas ao TCU, cujo faturamento é de fazer inveja aos CAÇA-NÍQUEIS DO CARLINHOS CACHOEIRA, gerando fome desemprego (num país de desempregados) e doenças psicossociais, verdadeiro mecanismo de exclusão social (Bullying Social).

    A privação do emprego é um ataque frontal aos direitos humanos. “Assistir os desassistidos e integrar na sociedade os excluídos. Segundo Martin Luther King “Na nossa sociedade, privar um homem de emprego ou de meios de vida, equivale, psicologicamente, a assassiná-lo.”

    VASCO VASCONCELOS

    Analista, Escritor, Poeta, Jornalista, Administrador e Bacharel em Direito

    BRASÍLIA-DF
    E-mail: vasco.vasconcelos@brturbo.com.br

  49. Marcia

    -

    23/04/2012 às 19:22

    Eu não sou contra a prova,e sim contra o comércio que ela virou!!QUE O MELHOR SEJA FEITO.. PARA O BEM DE TODOS!!!

  50. Ricardo

    -

    23/04/2012 às 15:08

    Se é para medir os conhecimentos dos Bachareis, porque o exame não passa a ser gerido pelo MEC com uma comissão formada por membros da OAB e Judiciario, com os valores arrecadados ficarem apenas com o MEC. Duvido que a OAB aceitaria.

  51. Alvaro

    -

    22/04/2012 às 20:15

    Pergunte-se aos já inscritos se concordam que o exame seja cíclico e periódico, digamos a cada 3 ou mesmo 5 anos para a renovação da inscrição. Se quem recém saiu da Faculdade deve ser avaliado, imagine aqueles que estão sem atualização. Quem estiver atualizado não deve temer, mesmo com a abrangencia de todas as matérias. Ophires também.

  52. VASCO VASCONCELOS -ANALISTA E ESCRITOR

    -

    22/04/2012 às 19:39

    Em defesa do Projeto de Lei nº 2154/2011 do nobre Deputado Federal Eduardo Cunha /PMDB/RJ

    Fim do caça-níqueis Exame da OABllying Social)

    (Bullying Social)

    ———————————-

    VASCO VASCONCELOS

    Congratulo-me com o nobre Deputado Federal e Homem Público, Eduardo Cunha/PMDB/RJ, um dos melhores deputados da atual Legislatura pela coragem, honradez enfim pela feliz iniciativa de apresentar aos seus pares na Câmara dos Deputados, o PROJETO DE LEI Nº 2154/2011, dispondo sobre a revogação do o inciso IV e § 1º do art. 8º da Lei nº 8.906, de 04 de julho de 1994, ou seja, o fim do pernicioso, abusivo, restritivo, nefasto, inconstitucional, cruel, fraudulento, caça-níqueis, famigerado Exame da OAB, o qual vem gerando terror, fome desemprego (num país de desempregados), doenças psicossociais, verdadeiro mecanismo de exclusão social (BULLYING SOCIAL).

    Em sua justificativa o eminente parlamentar foi muito feliz ao explicitar: “ Um dos objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil é a “livre expressão da atividade intelectual” (art. 5°, IX, CF), do “livre exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão” (art. 5º, XIII, CF). A exigência de aprovação em Exame de Ordem, prevista no inciso IV do art. 8º, da Lei 8906, de 04 de julho de 1994, que “dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), é uma exigência absurda que cria uma avaliação das universidades de uma carreira, com poder de veto. Vários bacharéis não conseguem passar no exame da primeira vez. Gastam dinheiro com inscrições, pagam cursos suplementares, enfim é uma pós-graduação de Direito com efeito de validação da graduação já obtida. A constitucionalidade da referida obrigação está sendo discutida no STF, com parecer do Ministério Público Federal pela inconstitucionalidade.

    Esse exame cria uma obrigação absurda que não é prevista em outras carreiras, igualmente ou mais importantes. O médico faz exame de Conselho Regional de Medicina para se graduar e ter o direito ao exercício da profissão? O poder de fiscalização da Ordem, consubstanciado no Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil e no Código de Ética e Disciplina da OAB, não seria mais eficaz no combate aos maus profissionais do que realizar um simples exame para ingresso na instituição?”

    Como bem explicitou Doutor J.C. Xavier de Aquino, Desembargador do TJ/SP, que em seu clarividente artigo publicado na Folha de S.Paulo de 20.12.2010, detectou o problema de desqualificação dos Bacharéis em Direito no Brasil, decorrente da incompetência do MEC. Incúria, aliás, que contribui para o aferimento de grandes lucros pelas indústrias dos cursos preparatórios para o caça-níquel e concupiscente Exame de Ordem da OAB.

    A OAB, vem se aproveitando da palidez, frouxidão e inoperância do Ministério da Educação – MEC, que não impõe suas atribuições insculpidas na Constituição Federal e na Lei de Diretrizes e Bases – LDB, para impor o seu caça-níqueis, abusivo, inconstitucional, famigerado, Exame da OAB, feito para reprovação em massa, (parque das enganações) abocanhando por ano cerca de R$ 72,6 milhões, com altas taxas, sem prestar contas ao Tribunal da Contas a União – TCU, para suprir cerca de quase 30% (trinta por centos) dos advogados inadimplentes com anuidades, manter sua reserva pútrida de mercado num flagrante desrespeito aos art. 70 parágrafo único e art. 71 da Constituição, jogando ao infortúnio, dizimando sonhos de milhares de Bacharéis em Direito (Advogados), sufocados em dívidas do Fies, negativados no SERASA e SPC, pela CEF, milhares de operadores do direito, devidamente qualificados pelo Estado (MEC), aptos para o exercício da advocacia, gerando fome, corroborando para o aumento do caldo da miséria elevação do número de desempregados, num país de desempregados, num verdadeiro mecanismo de exclusão social, (Bullying Social), afrontando dentre outros os seguintes dispositivos: Art. 5º, inciso XIII, “É livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer. Art. 205 CF. “A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. Art. 43. da LDB – Lei 9.394/96 “a educação superior tem por finalidade (.); inciso 2 – formar diplomados nas diferentes áreas de O art. 48 da LDB diz que os diplomas de cursos superiores reconhecidos, quando registrados, terão validade nacional como prova da formação recebida por seu titular. O art. 209 da Constituição Federal diz que compete ao poder público avaliar o ensino. O art. 29 § 1º do Código de Ética Disciplina da OAB (Das regras deontológicas fundamentais) “Títulos ou qualificações profissionais são os relativos à profissão de advogado, conferidos por universidades ou instituições de ensino superior, reconhecidas.

    Não sei a razão de tantos alaridos da OAB motivada por questões econômicas para defender seu nefasto Exame. Será o medo da concorrência para manter essa reserva pútrida de mercado? medo de perder as mordomias? Medo da Transparência? Sabemos que esse dinheiro tosquiado dos bacharéis é para suprir o alto nº de advogados inadimplentes com a OAB, que se aproxima dos quase 30% (trinta por cento). Ora se para ser Ministro do Egrégio STF basta o cidadão ter mais de trinta e cinco anos e menos de sessenta cinco anos de idade, de notável saber jurídico e reputação ilibada (art. 101 CF)? Por que para ser advogado o bacharel tem que passar por essa cruel humilhação/terror. Ora se o Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, declarou na TV Câmara Programa Participação Popular, veiculado no dia 19.08 p.p. QUE NÃO FEZ EXAME A OAB, ele não tem moral para exigir dos seus colegas Bacharéis em Direito (Advogados), essa excrescência.

    Aliás um bom advogado se faz ao longo dos anos de militância forense e não com um exame medíocre feito para reprovação em massa; quanto maior o número de reprovados, maior o faturamento da OAB. Está em jogo a vida de milhares de Bacharéis em Direito (Advogados), devidamente qualificados pelo Estado (MEC), atolados em dívida do Fies, aptos para o exercício da advocacia, impedidos pela OAB, (Leviatã) do livre exercício cujo título universitário habilita,os quais não têm a quem recorrer pois o sistema está tudo dominado, desrespeitando não só a Constituição, como os seus próprios Provimentos com provas que estão barbarizando Bacharéis em Direito, a exemplo da última Prova do Exame 2009.3, (2ª fase), do Direito do Trabalho,tão difícil que até o professor Renato Saraiva, Procurador do Trabalho, Escritor e Palestrante, declarou no site do Blog do Exame de Ordem, que não passaria nesse Exame. Recomendo aqui uma leitura no DESABAFO LUTE POR SEU DIREITOS,

    do nobre Professor Renato Saraiva disponível no Blog Exame de Ordem, http://www.portalexamedeordem.com.br/renato/2011/03/lutem-por-seus-direitos/ (…) “Excelentíssimo Presidente da OAB, Excelentíssimo Conselheiros da OAB e Representantes da FGV. Tenho 10 anos de Magistério, 7 livros editados sobre Trabalho e processo do Trabalho, com 70 mil livros em média vendidos anualmente. Fui aprovado num dos concursos mais difíceis do Brasil, o do Ministério Publico do Trabalho – MPT. Já preparei e APROVEI no exame de ordem, talvez, mais da metade do quando atual de advogados. Portanto, de exame de ordem, eu entendo.O QUE ESTÃO FAZENDO COM O EXAMINANDOS É UMA COVARDIA !!!VOU SER CLARO: EU, RENATO SARAIVA, NÃO PASSARIA NESSE EXAME, POIS ERA HUMANAMENTE IMPOSSÍVEL TERMINAR A PROVA. É VERDADE!!! SÓ FALTA O PRESIDENTE DA OAB DIZER QUE EU, RENATO SARAIVA, NÃO ESTAVA PREPARADO PARA A PROVA.QUAL SERÁ DESCULPA AGORA? (…).

    Repito: abocanha R$ 72,6 milhões por ano extorquindo/ tosquiando com altas taxas e sem prestar contas ao Tribunal de Contas da Contas da União – TCU, gerando fome, desemprego e doenças psicossociais, causando incomensuráveis prejuízos ao país, deixando de contribuir com a Receita Federal, Previdência Social, etc.. A propósito esse tipo de excrescência é tão lucrativa que há um bando de figuras pálidas de olhos famintos no lucro fácil, infestando o Congresso Nacional, com projetos de leis horripilantes, querendo estender esse tipo de extorsão para todas as profissões. Já imaginaram o quanto esse bando irá arrecadar com altas taxas, cursinhos preparatórios, apostilas, livros etc, sem dar nada em contrapartida? . E ainda tem a desfaçatez que afirmar que tal Exame protege a sociedade? Punindo os profissionais por antecipação sem o devido processo legal? Num flagrante desrespeito aos arts.( 5º LIV-LV CF).

    Estranha-se a morosidade do Egrégio Supremo Tribunal Federal-STF, que há quase dois anos, está procrastinando o julgamento do RE 603.583, que visa extirpar esse câncer (Exame da OAB) do nosso ordenamento jurídico.

    Pesquisa realizada pela Agência Senado: Fim do famigerado Exame da OAB conta com apoio de 94,32 % dos internautas (A voz do povo é a voz de Deus). Esmagadora vitória na enquete promovida pela Agência Senado: http://www.senado.gov.br/noticias/verNoticia.aspx?codNoticia=102989&codAplicativo=2 Você é a favor ou contra a proposta que acaba com o Exame de Ordem, como requisito para o exercício da advocacia (PLS 186/2006)? a favor do fim do Exame da OAB, 94,32 % contra 5,68 % (posição do dia 01.07.2010. 12:00 hs) – (Grifo do Blog).

    Ratifico mais uma vez que a privação do emprego é um ataque frontal aos direitos humanos. O STF deverá cumprir com zelo, dedicação, pertinácia e denodo e com absoluta independência moral, os elevados objetivos norteadores de sua criação, inclusive tem que dar um basta nesse leviatã, (OAB), julgando urgentemente o Recurso Extraordinário (RE) 603583, que visa extirpar esse câncer (Exame da OAB), esse (BULLYING SOCIAL), do nosso ordenamento jurídico, essa máquina de arrecadar a qual trata-se de e pura reserva de mercado, em respeito à Constituição Federal ao Estado de Direito e aos Direitos Humanos.

    Portanto a OAB deve-se limitar a fiscalizar os seus inscritos e puni-los exemplarmente, fato que não está acontecendo veja o que relatou a REPORTAGEM DE CAPA DA REVISTA ÉPOCA Edição nº 297 de 26/01/2004 “O crime organizado já tem diploma e anel de doutor. Com livre acesso às prisões, advogados viram braço executivo das maiores quadrilhas do país. O texto faz referência aos advogados que se encantaram com o dinheiro farto e fácil de criminosos e resolveram usar a carteira da OAB para misturar a advocacia com os negócios criminosos de seus clientes.

    Como é sabido a nossa Justiça que vem da época de D.João VI, foi estruturada para proteger as elites e punir os pobres. E os nossos caros representantes do judiciário fazem isso até hoje. Aliás as “nossas leis são como as serpentes só picam os pés descalços”.

    Senhores Ministros do Egrégio STF, OAB não tem condão e/ou alçada constitucional para regulamentar Leis, esse poder compete ao Presidente da República conforme em está insculpido no art. 84-IV CF). OAB não tem poder de avaliar ninguém; muito menos punir por antecipação, milhares de Bacharéis em Direito, (Advogados), soterrados em dívidas do Fies já devidamente qualificados pelo Estado, aptos para o exercício advocacia em flagrante contradição com a missão da OAB, sem o devido processo legal violando a Constituição e o Estado de Direito. (art. 5º LIV-LV CF) . (DUE PROCESS OF LAW”,lembrando que após Bacharel em Direito se inscrever nos quadros da OAB, ela tem poder de advertir e até excluir dos seus quadros os maus advogados. Basta uma rápida leitura no art. 35 do Estatuto da OAB.

    O diploma registrado confere ao seu titular todos os direitos e prerrogativas reservados ao exercício profissional da carreira de nível superior.

    As provas da OAB estão num nível de dificuldade absolutamente igual às da defensoria do Ministério Público e, se bobear, da magistratura”, desabafou recentemente num jornal carioca o desembargador Sylvio Capanema, ex-vice-presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro “Posso dizer com absoluta sinceridade que eu, hoje, não passaria no Exame de Ordem”. Dias depois ou seja, dia 16/05 OAB por maioria dos seus pares, aprovou alteração no Provimento n° 136/2009, pasmem, para dispensar do Exame de Ordem os bacharéis em direito oriundos da Magistratura e do Ministério Público. No ano passado isentou desse exame os Bacharéis em Direito oriundos de Portugal, e com essas tremendas aberrações e discriminações ainda têm a petulância de afirmarem que esse tipo de excrescência é Constitucional? Amanhã irá dispensar do referido exame, filhos, netos e esposas de Senadores ,bem como de Deputados etc.Aliá os mercenários da OAB, atuam com fossem dirigentes de futebol de várzeas. “A bola é minha e no meu time só joga quem eu quero”.

    Senhores mercenários da OAB, mirem-se em um dos trechos do discurso do Rui Barbosa “A injustiça, senhores, desanima o trabalho, a honestidade, obem; cresta em flor os espíritos dos moços, semeia no coração das gerações que vêm nascendo a semente da podridão, habitua os homens a não acreditar senão na estrela, na fortuna, no acaso, na loteria da sorte, promove a desonestidade, promove a venalidade (…) promove a relaxação, insufla a cortesania, a baixeza, sob todas as suas formas”.

    Os leitores e os mercenários da OAB, têm todo o direito de se manifestarem a favor ou contra a indecência do Exame da OAB. Porém usando argumentos jurídicos. Há meliantes de plantão que costumam depreciar os batalhadores Bacharéis em Direito, utilizando termos como: “ADIVOGADOS, ADEVOGADOS, DIVOGADOS, ESTÃO COM MEDO? VÃO ESTUDAR VAGABUNDOS” ? Outros alegam que o Exame de Ordem se faz necessário em face da existência no país de 1240 cursos de direitos. A propósito mil vezes os jovens nos bancos das universidades à busca do conhecimentos em buscas de suas qualificações, do que nos bancos das praças fumando maconha, crack e outras drogas,e praticando assaltos etc.. Afirmam que conhecem faculdades de esquina, de fundo de quintal, faculdades domingueiras, de shopping Center, que conhecem advogados que escrevem cachaça com “X”, chuchu com “X” entre outras bobagens, para justificarem essa excrescência.

    E quando deparam com juristas sérios, portadores de alto saber jurídicos, contrários à essa excrescência partem para insultos e ofensas rasteiras, dizendo: vão estudar vagabundos;” brucharéis” “universotários” que vocês passam. Tais mercenários querem por tudo manter a reserva de imunda de mercado, não aceitam concorrentes na profissão, se olvidando que o mercado é seletivo; que só sobrevivem os bons profissionais, independentemente da área. Deveriam saber que a privação do emprego é um ataque frontal aos direitos humanos. ”Assistir os desassistidos e integrar na sociedade os excluídos.”

    “Exame de Ordem protege o cidadão?” Isso é uma falácia. E eu questiono: Afinal os bacharéis em direito, por acaso são celerados? São delinqüentes? são fugitivos de alguma penitenciária? São, sim, senhores, homens épicos, homéricos, portadores de caracteres invejáveis; egressos das Universidades, uns falam dois três idiomas, possuem mais de uma graduação, premiados pela administração pública com idéias moralizadoras e inovadoras, portanto, os bacharéis em direito não são meliantes e/ou celerados para causar medo a ninguém. Vamos parar com esse terrorismo (Bullying) . São pessoas devidamente qualificadas pelo Estado (MEC), que depois e sacrificarem suas famílias, pagando altas mensalidades, se formaram, atolados em dívidas do Fies, e outros empréstimos, com o diplomas nas nãos, são impedidos do livre exercício cujo título universitário habilita. Diferentemente do exame nefasto, abusivo, imoral, cruel fraudulento, medíocre infestado de

    pegadinhas feito para reprovação em massa, para enriquecer OAB donos de cursinhos editoras etc, e ainda manter essa vergonhosa reserva de mercado. Saibam que a fila anda, e um dia o país vai saber o real destino de todo esse volume de dinheiro tosquiados /extorquido dos bolso e dos sacrifícios desses operadores do direito. E ainda tem a desfaçatez de afirmar em horário nobre da televisão que as Universidades formam Bacharéis e a OAB, Advogados. Assim é fácil ganhar dinheiro. Sem adquirir uma só unidade de giz, sem contratar um só professor, sem ministrar uma só aula, uma só palestra, e dizer que isso é qualificação.

    Doutores por falar em qualificação de verdade conclamo os dirigentes da OAB, visitarem o Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, para conhecer/saber “in-loco” o que é QUALIFICAÇÃO. Doutores enquanto a QUALIFICAÇÃO do Ministério em pauta, está voltada ao combate às desigualdades de oportunidades; preparando o trabalhador para os desafios que caracterizam os tempos modernos ou seja sua inserção no mercado do trabalho, contribuindo com o aumento da produtividade e da renda, rumo à conquista da sua autonomia financeira, sua dignidade do ser humano, para que passe a integrar a sociedade, a tal “QUALIFICAÇÃO” que se diz fazer a OAB, e os seus defensores de plantão, é totalmente inversa, visa a manutenção da reserva pútrida de mercado, em um país de desempregados, gerando fome, desemprego e doenças psicossomáticas enfim corroborando para o aumentando do caldo da miséria,da mendicância e as desigualdades sociais, num flagrante desrespeito a dignidade da pessoa humana. ISSO É UMA VERGONHA INTERNACIONAL, É UM BULLYING SOCIAL.

    Ninguém em sã consciência é contra a melhoria do ensino e a fiscalização dos cursos superiores. Se a Universidade não presta o correto é fechá-las. Se o MEC não fiscaliza as universidades a culpa não é dos alunos. Por que a OAB não fiscaliza? Ah Dr. Vasco Vasconcelos , mas isso dá trabalho, não gera lucro fácil.

    Para os seguidores da corrente bagreniana as (cabecinhas de bagres), que insistem na defesa do Exame da OAB (Bullying Social), saibam que a preocupação maior dos dirigentes da OAB, é que, com a extinção dessa excrescência e o ingresso de milhares de Bacharéis em Direito, (Advogados) nos quadros da OAB, na primeira eleição serão todos serão expurgados dos cargos que ocupam, e respeitando os Princípios da Moralidade Pública Transparências, Concurso Público,(…) ) irão tornar transparentes as contas da OAB, prestando contas ao Egrégio Tribunal de Contas da União, irão exigir eleição diretas para todos os níveis ao invés de listas, enfim mostrar ao pais e ao mundo os reais beneficiários desse volume de dinheiro, surrupiados dos bolsos dos Bacharéis em Direito (Advogados), endividados com o Fies e desempregados.

    O que me dá asco, é o despreparo de certos juristas, não se sabe qual o interesse maior, em se prostituir, movidos pro interesses escusos, em rasgar a Constituição para defender tal excrescência, sem nenhum argumento jurídico plausível. O simples fato da existência no país de 1240 faculdades de direito e falta de fiscalização do Ministério da Educação, não dão direito à OAB e a nenhuma outra organização de substituir o papel do Estado (MEC), respeitem senhores o art. 205 da Constituição Federal. “A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”. (Grifei).

    Destarte na qualidade de cidadão brasiliense, Analista, Escritor, Jornalista, administrador público morador desta Capital há quarenta anos, autor da idéia que acabou com o Entulho Burocrático do Governo do Distrito Federal, anos atrás, sendo o 1º cidadão brasileiro que mesmo ainda não sendo Senador da República, a ter um Projeto de Lei aprovado por unanimidade no Senado Federal (PLS 104/96) dispondo sobre a criação do dinheiro com caracteres em Braille para facilitar a vida dos deficientes visuais, quero congratular-me por esse importante Projeto de Lei,(PL 2154/2011), moralizador e humanitário, voltado ao respeito ao livre exercício da profissão, a dignidade do ser humano, enfim respeito aos Direitos Humanos, rogando a Deus que multipliquem homens do caráter e inteireza desse nobre parlamentar carioca e que multipliquem homens épicos, homéricos, probos, portadores dos caracteres invejáveis, como o nobre Deputado Federal Eduardo Cunha, para que os órgãos entidades e instituições possam encontrar remédios, complementos e suplementos, capazes de encurtar os caminhos entre o desejável e o alcançável.Parabéns mesmo nobre Deputado Federal Eduardo Cunha, os Direitos Humanos agradecem.

    Por tudo isso exposto, estou convencido de que o Egrégio Supremo Tribunal Federal-STF, a maior Corte e Justiça do nosso País, não irá se curvar aos “jus sperniandi” dos mercenários a OAB, deverá acolher na íntegra o Parecer do Doutor Rodrigo Janot Monteiro de Barros, nobre Subprocurador-Geral da República , relativo ao RE 603.583 em tramitação no STF, declinando com muita sapiência e coragem, em respeito à Constituição, ao Estado de Direito e aos Direitos Humanos, a inconstitucionalidade do caça-níqueis Exame da OAB, verdadeiro mecanismo de exclusão social , o qual vem gerando, terror, fome desemprego e doenças psicossociais. (BULLYING SOCIAL).

    O STF deverá cumprir com zelo, dedicação, pertinácia e denodo e com absoluta independência moral, os elevados objetivos norteadores de sua criação, inclusive tem que dar um basta nesse leviatã, (OAB), julgando urgentemente o Recurso Extraordinário (RE) 603583, que visa extirpar esse câncer (Exame da OAB), do nosso ordenamento jurídico, essa máquina de arrecadar trata-se de pura reserva de mercado, em respeito à Constituição Federal ao Estado de Direito e aos Direitos Humanos. Destarte suplico aos Nobres Ministros do Egrégio Supremo Tribunal Federal – STF: mire-se na celeridade, seriedade, inteligência, honradez e no exemplo humanitário e moralizador do Tribunal Constitucional de Portugal, que num gesto de extrema grandeza, declarou inconstitucional o famigerado Exame de Ordem de Portugal, em respeito à Constituição, ao Estado de Direito e aos Direitos Humanos. Por último reafirmo mais uma vez que a privação do emprego é um ataque frontal aos direitos humanos. ”Assistir os desassistidos e integrar na sociedade os excluídos.” Senhores respeitem a Declaração Universal dos Direitos Humanos, notadamente art. XXIII -1 – Toda pessoa tem o direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, (…) e à proteção contra o desemprego. Afinal a função primordial dos Direitos Humanos é proteger os indivíduos das arbitrariedades, do autoritarismo, da prepotência e dos abusos de poder.

    VASCO VASCONCELOS
    Analista e Escritor
    BRASÍLIA-DF

  53. VASCO VASCONCELOS -ANALISTA E ESCRITOR

    -

    22/04/2012 às 18:38

    Brasília, 22 de abril de 2012
    OPINIÃO
    O Selo da OAB X Cursos Jurídicos X Máquina de Arrecadação, Caça -Níqueis Exame de Ordem
    ———————————
    VASCO VASCONCELOS

    Segundo Martin Luther King “Na nossa sociedade, privar um homem de emprego ou de meios de vida, equivale, psicologicamente, a assassiná-lo.”

    Tiro o meu chapéu para toda e qualquer medida moralizadora que visa melhoria da nossa educação em todos os níveis, notadamente a melhoria dos cursos de direito. Nenhum cidadão ou entidade cônscias de suas responsabilidades sociais, é contra a melhoria do ensino, bem como a fiscalização dos cursos superiores. Se a Universidade não presta o correto é diagnosticar possíveis falhas, corrigi-las e de última hipótese fechá-las. Se o MEC não fiscaliza as universidades a culpa não é dos alunos. Por que a OAB não fiscaliza? Ah nobre jurista Vasco Vasconcelos, mas isso dá trabalho; não gera lucro fácil.

    Mil vezes os jovens nos bancos das universidades do que nos bancos dos réus ou nas ruas fumando crack e outras drogas pesadas, colocando a população em risco iminente. É claro que a elite não quer corrente. Só ela pode ser advogado, assim como na época do café, em que os filhos dos abastados atravessavam o atlântico para cursar direito na Universidade de Coimbra Portugal. Senhores a fila anda, o mercado é seletivo só sobrevivem os bons profissionais.

    O propalado Selo da OAB é uma falácia. Não compete a OAB emitir Selo. “In casu” Símbolos Nacionais. De acordo com a Constituição Federal em seu art. 13 § 1º – São símbolos da República Federativa do Brasil a bandeira, o hino, as armas e o selo nacionais. Relativamente ao selo nacionais, é usado para autenticar atos do governo, diplomas e certificados expedidos por escolas oficiais. Sua apresentação e seu uso são regulados pela Lei n. 5.700 de 1º de setembro de 1971, que “Dispõe sobre a forma e a apresentação dos Símbolos Nacionais e dá outras providências .

    Isso é mais jogo de cena para enganar os incautos e OAB continuar com sua imunda reserva de mercado, não obstante chuchando os bolsos de milhares de Bacharéis em Direito devidamente qualificados pelo Estado, aptos para o exercício da Advocacia.

    Na solenidade de entrega desse Selo foi sentida a ausência do Senador Demóstenes Torres, e de Marconi Perillo, maiores defensores do caça-níqueis da OAB, acusados de envolvimento, segundo a Operação Monte Carlos, da Polícia Federal, o com, o rei das máquinas caças-níqueis. Demóstenes que em 03 de março de 2011, Rejeitou de maneira cruel, irresponsável e atendendo interesses dos mercenários da OAB, a PEC nº01/2010 no nobre Senador Geovane Borges -PMDB-AP, que iria extirpar do nosso ordenamento jurídico o nefasto, caça-níqueis, a máquina de arrecadação da OAB, o Exame de Ordem. Dizem que caça-níqueis, atrai caça-níqueis. E agora o Senado Federal tem o dever moral e ético, em respeito à decência e a moralidade pública, de tornar nulo aquele nefasto Parecer, bem como o Parecer do então Senador Marconi Perillo, que arquivou o PLS 186/2006, ambos relatados por essas duas figuras políticas de Goiás, acusados de envolvimento com o contraventor Carlinhos Cachoeira. Aqui se faz aqui se paga.

    Assegura o art. 205 da Constituição Federal, “A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

    É papel do Estado (MEC) o qual tem por missão definir, coordenar, executar e avaliar a política nacional relativa ao sistema educativo, no âmbito da educação pré-escolar, dos ensinos básico e secundário e da educação extra-escolar, educação superior bem como articular, no âmbito das políticas nacionais de promoção da qualificação da população, a política nacional de educação e a política nacional de formação profissional (…) dentre outra atribuições, autorizar reconhecer fiscalizar os cursos superiores e avaliação dos cursos e dos estudantes.

    Porém vejo com preocupação o jogo de cena, a iniciativa da Colenda Ordem dos Advogados do Brasil -OAB, ao divulgar no dia 19/04/2012 o ‘selo de qualidade na avaliação da 4ª edição do Programa OAB RECOMENDA’. com a indicação dos cursos de Direito avaliados pelo Conselho Federal da OAB como os de melhor qualidade do País, Estado por Estado. Afirmou que num universo de 1.210 cursos existentes no Brasil apenas 7,3% do total de 1.210 cursos existentes no país receberam recomendação da OAB como cursos de destacada qualidade, dentro de critérios objetivos aplicados pela Comissão Especial da entidade para sua elaboração.

    O fato da proliferação de cursos jurídicos de baixa qualidade, da existência no país de cerca de 1210 faculdades de direito, não dão poder à OAB de usurpar prerrogativas constitucionais do Estado (MEC).

    Se Karl Marx fosse nosso conteporâneo, a sua célebre frase seria: “Sem sombra de dúvida, a vontade da OAB, consiste em encher os bolsos, o mais que possa. E o que temos a fazer não é divagar acerca da sua vontade, mas investigar o seu poder, os limites desse poder e o caráter desses limites.

    Imperioso se faz aos mercenários da OAB, honrarem a Constituição e a Declaração Universal dos Direitos Humanos, acima de suas vontades.

    Estou convencido que a OAB deve se limitar a cumprir o seu papel constitucional de órgão de fiscalização da profissão, a exemplo dos demais conselhos de classes e fiscalizar e punir exemplarmente, respeitando a ampla defesa e o devido processo legal, os seus inscritos que desrespeitarem o Estatuto da OAB.

    Se todas as faculdades de direito são devidamente autorizadas e reconhecidas pelo Ministério da Educação, com o aval da OAB, conforme dispõe a a Lei nº 8.906/94 -Estatuto da Advocacia e da OAB -, em seu art. 54, inciso XV, conferiu à Ordem dos Advogados do Brasil a competência de “colaborar com o aperfeiçoamento dos cursos jurídicos, e opinar, previamente, nos pedidos apresentados aos órgãos competentes para criação, reconhecimento ou credenciamento desses cursos”. Ora se quase todos os professores são advogados juristas devidamente inscritos nos quadros da OAB, ela também tem sua parcela de culpa pela má qualidade dos cursos de direito.

    Está na hora de se pensar em alternativas inteligentes, visando a humanização da OAB transformando-a parceira dos bacharéis em direito (advogados), ao invés de algoz. Com todo esse volume dinheiro, R$ 72,6 Milhões, por ano, sem dar nada em contrapartida, tosquiados dos bolsos e dos sacrifícios dos bacharéis em direito, atolados em dívidas do Fies, livres de prestação de contas, junto ao TCU, numa afronta ao princípio da publicidade e transparência, deveriam substituir tal excrescência por estágio supervisionado nos escritórios órgãos credenciados pela OAB, e/ou convocando os maiores juristas deste país, das mais variadas áreas, para ministrarem palestras, durante a SEMANA JURÍDICA DA OAB ou seja para transmitir suas experiências positivas e negativas, idéias, reflexões e conselhos seguindo os ensinamentos de Ruy Barbosa, enriquecendo assim os conhecimentos dos jovens e velhos operadores do direito, rumo aos futuros desafios forenses.

    Todos sairiam ganhando: A OAB através das altas taxas cobradas principal objetivo do seu exame, cujo faturamento é de fazer inveja aos caça-níqueis do Carlinhos Cachoeira, além de manter a reserva pútrida de mercado, é claro, e os bacharéis em direito (advogados), através da aprendizagem e dos ensinamentos/práticos jurídicos disseminados pelos renomados mestres, e o livre ingresso dos operadores do direito nos quadros da OAB, sem precisar se submeter à humilhação do seu abusivo exame, o qual vem gerando, terror, (bullying), fome, desemprego (num país de desempregados), depressão e outras doenças psicossociais mecanismo de exclusão social, causando incomensuráveis prejuízos ao país. Já imaginaram os prejuízos causados à Previdência Social, Receita Federal com esse enorme contingente de advogados qualificados pelo Estado, fora do mercado de trabalho?

    Art. 29 § 1º do Código de Ética Disciplina da OAB (Das regras deontológicas fundamentais) “Títulos ou qualificações profissionais são os relativos à profissão de ADVOGADO, conferidos por universidades ou instituições de ensino superior, reconhecidas.

    A OAB precisa substituir o verbo arrecadar pelo verbo humanizar. Precisa respeitar a Convenção nº 168 da Organização Internacional do Trabalho -OIT, relativa à Promoção do Emprego e à Proteção contra o Desemprego, assinada em Genebra, em 1º de junho de 1988. Conclamo aos dirigentes da OAB, inclusive os Ministros do Egrégio STF visitarem o Ministério do Trabalho e Emprego -MTE, para conhecer “in-loco” o que é qualificação o Programa Nacional de Qualificação. Doutores enquanto a QUALIFICAÇÃO do Ministério do Trabalho e Emprego,está voltada ao combate às desigualdades de oportunidades; preparando o trabalhador para os desafios que caracterizam os tempos modernos ou seja sua inserção no mercado do trabalho, contribuindo com o aumento da produtividade e da renda, rumo à conquista da sua autonomia financeira, sua dignidade do ser humano, para que passe a integrar a sociedade, a tal “QUALIFICAÇÃO” que se diz fazer a OAB, e os seus defensores de plantão, é totalmente inversa, visa a manutenção da reserva pútrida de mercado, em um país de desempregados, gerando fome, desemprego e doenças psicossomáticas enfim corroborando para o aumentando do caldo da miséria,da mendicância e as desigualdades sociais, num flagrante desrespeito a dignidade da pessoa humana.

    Vamos respeitar a Declaração Universal dos Direitos Humanos, notadamente art. XXIII -1 -Toda pessoa tem o direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, (…) e à proteção contra o desemprego. Afinal a função primordial dos Direitos Humanos é proteger os indivíduos das arbitrariedades, do autoritarismo, da prepotência e dos abusos de poder. É indubitavelmente uma vergonha internacional, que deve ser denunciado à Organização Mundial do Trabalho -OIT, bem à Corte Interamericana de Direitos humanos, haja vista que o Exame de Ordem é mesmo um bullying social.

    É uma falácia afirmarem que Exame de Ordem protege a sociedade. É uma mentira deslavada afirmar que as Universidades formam Bacharéis em Direito e OAB, advogados..A propósito, lesões maiores à ordem, à saúde, à segurança e à economia pública, estão sendo causadas, por advogados inscritos na OAB, a exemplo do advogado do ex-goleiro Bruno Fernandes, fumando crack em uma favela de Belo Horizonte conforme vídeo disponível na internet, e tantos outros fatos de advogados envolvidos em crimes bárbaros,bem como advogados repassando ordens de celerados presos, para os ataques criminosos no Rio, ao ponto dos principais matutinos do país estamparem em suas manchetes: Presidente do TJRJ classifica advogados envolvidos nos crimes como ‘pior que bandidos’.

    A OAB tem que se limitar a fiscalizar os seus inscritos e puni-los exemplarmente, fato que não está acontecendo veja o que relatou a REPORTAGEM DE CAPA DA REVISTA ÉPOCA Edição nº 297 de 26/01/2004 “O crime organizado já tem diploma e anel de doutor. Com livre acesso às prisões, advogados viram braço executivo das maiores quadrilhas do país. O texto faz referência aos advogados que se encantaram com o dinheiro farto e fácil de criminosos e resolveram usar a carteira da OAB para misturar a advocacia com os negócios criminosos de seus clientes”. Reportagem da FOLHA DE S. PAULO de 29/09/2011 Advogado é acusado de abusar de filha.Advogado de Bauru é acusado de abuso sexual de uma filha de 9 anos, um filha de 13 e uma cunhada de 18 anos.(…). Matéria do BLOG ESPAÇO VITAL: Porto Alegre, 03.10.11″Advogado professor mata a aluna na saída da faculdade “O professor de direito do UniCeub, em Brasília, e coordenador-adjunto da mesma cadeira na Faculdade Projeção, advogado Rendrik Vieira Rodrigues, 35 anos, se entregou na sexta-feira (30) na 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas) após matar a estudante Suênia Sousa Faria, 24. A jovem, que era aluna do 7º semestre do curso de Direito no UniCeub, foi surpreendida por Rendrik quando entrava no carro que ela costumava usar, para deixar a faculdade, na Asa Norte”.
    Reportagem de O GLOBO de 21/11 “MP vai pedir a prisão preventiva de advogados que forjavam ações. Polícia suspeita do envolvimento de cerca de 20 profissionais no golpe. O lucro da quadrilha pode chegar a R$ 10 milhões”. Disponível:http://oglobo.globo.com/rio/mp-vai-pedi r-prisao-preventiva-de-advogados-que-forjavam-acoe s-3285799#ixzz1edQZMm8c
    Sempre é tempo de repetir a avaliação feita pelo magistrado Sylvio Capanema em alguns veículos da mídia – neles incluído o Espaço Vital (edição de 09 de maio 2911 ): “as provas da OAB estão num nível de dificuldade absolutamente igual às da defensoria do Ministério Público e da magistratura; posso dizer com absoluta sinceridade que eu, hoje, não passaria no Exame de Ordem”.

    Ora senhores, se o Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil -OAB, declarou na TV Câmara Programa Participação Popular, veiculado no dia 19.08.2011 QUE NÃO FEZ EXAME A OAB, ele não tem moral para exigir dos seus colegas Bacharéis em Direito (Advogados), essa excrescência. Senhores mercenários um bom advogado se faz ao longo dos anos de militância forense, tanto é verdade que nenhum dos juristas favoráveis a essa excrescência submeteu a esse bullying social.
    Art. 22 CF Compete privativamente a União legislar sobre ;(EC nº19/98) (…) XVI -organização do sistema nacional de emprego e condições para o exercício de profissões” .
    A privação do emprego é um ataque frontal aos direitos humanos. “Assistir os desassistidos e integrar na sociedade os excluídos.” Lembro mais uma vez que os atentados contra os Direitos Humanos terão repercussão nacional e internacional, por serem considerados “bien commun de l’humanité” e crime de lesa humanidade.
    Temos o dever de respeitar a Declaração Universal dos Direitos Humanos, um dos documentos básicos das Nações Unidas e foi assinado em 1948. Nela estão enumerados os direitos que todos os seres humanos possuem. Está previsto Artigo XXIII -1 -Toda pessoa tem o direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, à justas e favoráveis condições de trabalho e à proteção contra o desemprego. Os documentos que o Brasil é um dos signatários, impõem a obrigação de tomar medidas para garantir o exercício do direito ao trabalho como meio de prover a própria vida e existência. A privação do emprego é um ataque frontal aos direitos humanos. Afinal a função primordial dos Direitos Humanos é proteger os indivíduos das arbitrariedades, do autoritarismo, da prepotência e dos abusos de poder. Segundo Martin Luther King
    “Há um desejo interno por liberdade na alma de cada humano. Os homens percebem que a liberdade é fundamental e que roubar a liberdade de um homem é tirar-lhe a essência da humanidade”. “Na nossa sociedade, privar um homem de emprego ou de meios de vida, equivale, psicologicamente, a assassiná-lo.”

    VASCO VASCONCELOS
    Analista, Escritor, Poeta, Compositor, Jornalista, Administrador e Bacharel em Direito
    BRASÍLIA-DF
    E-mail:vasco.vasconcelos@brturbo.com.br

    …………………………………………………………… ………..

  54. alvaro lopes

    -

    22/04/2012 às 15:17

    É MAIS FÁCIL ACABAR COM O EXAME DA OAB DO QUE INVESTIR NAS FACULDADES DE DIREITO E EXIGIR MAIS DOS ALUNOS NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO!!
    COM CERTEZA SÓ QUEM NÃO TEM CAPACIDADE PARA PASSAR NA PROVA PODE SER CONTRA A PROVA!! RIDÍCULO!!!!!1
    COISA DE “VERMELINHOS PETRALHAS” …
    VAI ESTUDAR SUA “CAMBADA DE BURROS”!!!!

  55. Joaquim Amarildo

    -

    22/04/2012 às 12:53

    Esse será o maior gesto de demonstração de igualdade que o congresso dará no sentido de corrigir um grande erro cometido com os Bachareis em Direito de todo Brasil!

  56. wagner bleite

    -

    22/04/2012 às 11:52

    Àqueles que são a favor do “exame de ordem”, favor assistir ao vídeo…http://www.youtube.com/watch?v=_TJ04rkAzUo e depois apresentem as suas manifestações sobre o tal exame. O mister primordial da OAB é a fiscalização do profissional ADVOGADO e não dizer se este ou aquele bacharel, já diplomado, pode exercer a profissão. Ela, oab, só está impedindo o bacharel de trabalhar. Por que a OAB não fiscaliza as universidades/faculdades de direito? Vários conselheiros da OAB dão aula nas faculdades de direito. Como seria a avaliação desses professores/conselheiros dos seus alunos? Portanto, para aqueles que defendem o “exame de ordem”, basta observar que o que está em jogo não é aferir os conhecimentos do bacharel, mas tão somente arrecadar milhões de reais anualmente, sem prestar contas dessa mega-sena. Meus parabéns senhor deputado!

  57. WAGNER BLEITE

    -

    22/04/2012 às 11:40

    Àqueles que são a favor do “exame de oredem”, só faço uma pergunta: QUAL A NATUREZA JURÍDICA DA OAB? Assista ao vídeo…http://www.youtube.com/watch?v=_TJ04rkAzUo e e depois se manifestem sobre o assunto. Meus parabéns deputado!

  58. Marcos

    -

    22/04/2012 às 11:06

    O que vai ter de picaretas por aí, somado já ao tanto de mercenários – imaginem o que vai virar esse Brasil sil sil sil ???

  59. Antonio Carlos

    -

    22/04/2012 às 9:37

    Na verdade, em um país sério, esta prova “caça-níqueis” da OAB não deveria existir.Não é admissível que uma pessoa faça um curso de Direito na melhor Universidade Federal do país, receba o diploma do MEC e não possa exercer sua profissão de Advogado, porque não fez a prova de uma Associação de Classe. Se ele passou 5 anos estudando e sendo avaliado em uma Universidade aprovada pelo MEC, que competência tem a OAB para avaliar, com apenas uma prova teórica, se ele pode ou não exercer a profissão? No Brasil, como não existe fiscalização séria por parte do MEC, milhares de cursos de Direito foram criados,sem o menor critério, com qualidade duvidosa e então a prova da OAB virou um “mal necessário”. Já é hora do Brasil sair do terceiro mundo! Não adianta ser a sexta potência mundial com a educação de péssima qualidade que possuimos. ACORDA BRASIL!

  60. Silvio Pereira

    -

    22/04/2012 às 8:21

    profissão liberal como advocacia não pode se transformar em um concurso isso vai gerar uma massa de desempregados e venda de assinaturas coisa que ja ocorre.

  61. Gilmar

    -

    21/04/2012 às 22:08

    Está na hora de alguém fazer alguma coisa!
    Estudei desde criança para ter que enfrentar um exame para poder trabalhar na profissão que escolhi?
    Se as outras áreas não exigem exame, quer dizer que não tem importância?
    O que tem a OAB que os outros conselhos não tem?
    Eu deveria ser indenizado por ter tirado notas razoáveis em todas as provas e exames que fiz desde que iniciei meus estudos e ficar impedido de exercer minha profissão após receber um diploma em uma faculdade reconhecida pelo MEC.
    Foram muitos anos de luta, frequentando escolas e anos de viagem à faculdade.
    Aqueles que dizem ser fácil passar no exame, não devem ter tido problemas financeiros para pagar os cursos preparatórios, talvez, por terem pais em boa situação financeira.
    Poucos sabem o que é levantar todos os dias bem cedo, trabalhar oito horas e à noite enfrentar horas de viagem para conseguir um diploma de nível superior.
    Na minha opinião, nenhum maluco recém formado vai sair advogando sem antes fazer estágios ou adquirir experiência em escritórios já atuantes.

  62. Carlos Esteves

    -

    21/04/2012 às 21:52

    Parabéns, Deputado Eduardo Cunha. Esse exame da ordem serve apenas para enriquecer a OAB e os cursinhos, cujos proprietários, suponho, têm estreitos laços com a OAB.A prova não avalia coisa nenhuma e os cursinhos são oferecidos na base da decoreba. Aliás, lembre-se, o relator de um projeto já apresentado com o mesmo fim teve como relator um profissional antiético, oportunista e hoje denunciado por lobby enrustido em favor de empreiteiras, associação com criminosos, etc. Refiro-me ao Senhor “moralista” Demóstenes Torres, que relatou e recomendou arquivamento, sendo seguido por seu séquito. Vá em frente deputado. Filhos e pais investiram em cursos e hoje são prejudicados pela arrogância do poder e do dinheiro de uma instituição corporativa que nada fez para evitar os cursos que hoje condena, porquanto os donos das faculdades privadas são fortes financeiramente e têm advogados experientes e melhores do que muitos que hoje são a favor do exame.

  63. fatima

    -

    21/04/2012 às 20:54

    Quem defende o exame da oab é advogado que passou no exame e quer reserva de mercado. O exame é inconstitucional, portanto ilegal e imoral , não avalia 5 anos de estudo em 2 provas ridículas,só serve para dar dinheiro a pessoas inescrupulosas,que vivem as custas da ilegalidade.Não sou advogada e sim engenheira,espero que essa ilegalidade acabe.

  64. Fabio

    -

    21/04/2012 às 17:29

    Espero que o deputado consiga mesmo as assinaturas e por fim neste nefasto exame, que tem apenas como objetivo arrecadar dinheiro para os cofres desta mafia chamada OAB.

  65. Leander

    -

    21/04/2012 às 11:43

    Tem que extinguir mesmo ou começar a cobrar em todos os cursos de nivel superior a realizarem o exame para praticar o curso que se formou

  66. Andre Souza

    -

    20/04/2012 às 16:55

    Uma merda, são vcs advogadozinhos de merda que achando que passaram em um exame ilegal deste, sem criterio algum de avaliação são alguma coisa, quero ver fazer assim. ODONTOLOGIA,PSICOLOGIA,DIREITO. 3 graduações/ Pós ORTONDONTIA /DOCENCIA SUPERIOR/PSICOLOGIA /MESTRE PELA PUC /DOUTORANDO DIREITO PUBLICO.FAC/EL SALVADOR/BUENOS AIRES/LIDERANÇA MOVIMENTO NACIONAL CONTRA EXAME DA OAB/ QUAL é o seu problema Rapaz não Chama OPHIR de Doutor /OLHA PRA MIM E DIZ ASSIM DR.ANDRE SOUZA REALMENTE O EXAME É ILEGAL ,advogados de merda que não tem carater por estarem levando vantagem com a reserva , este exame não exclui mal carater da aprovação caso for o quadro da OAB seria de menos de 50 mil advogados no Brasil , corja de aves de rapina.

  67. J4S0N7

    -

    20/04/2012 às 14:37

    O Brasil acabou quando os PTralhas chegaram ao palácio do planalto. Quem não estuda, não gosta de fazer esforço, vai ter um caminho mais fácil a partir do momento em que o exame for extinto.

  68. MAG ZOCCOLI

    -

    20/04/2012 às 13:57

    Dep. Eduardo Cunha, parabéns por essa iniciativa. Numa época em que todos os excluídos estão sendo incluídos o Sr. lembrou do sofrimento do Bacharel, que após 05 anos de estudo sai da faculdade sem profissão.Todos que são bem informados como o Sr., sabem que esse exame é imoral e inconstitucional. No julgamento do Volante ,no STF tanto o Gurgel como a Advogada da AGU, pareciam estar lendo um relatório da OAB, tanta era a semelhança com as palavras sempre proferidas pelo Sr. OPHIR (

  69. Marilda

    -

    20/04/2012 às 13:41

    Parabénssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

  70. Marilda

    -

    20/04/2012 às 13:39

    Deputado parabézzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
    E exame arrecadatório precisa ser extinto,pois se eles estivessem preocupados com a qualidade e o mínimo de conhecimentos jurídicos como dizem não cobrariam essa exorbitante taxa.

  71. Alexandre

    -

    20/04/2012 às 13:26

    Parabéns Deputado. No Brasil tem-se a mania de preferir cortar o nariz ao limpar o esgoto. O problema não está nos alunos, está na falta de fiscalização e ineficiência do MEC que não obriga que se fechem as faculdades insuficientes. Hoje em dia não precisa nem de vestibular para se tornar universitário, a Cândido Mendes, reconhecida e mais antiga outrora faculdade, exige apenas uma redação e uma entrevista. A redação é para saber se o cara é analfabeto demais (semi-analfabeto pode)e a entrevista é para saber se o cara pode pagar.
    O exame não ataca o problema, só beneficia a OAB que arrecada milhões por ano, sem obrigação de demonstrar onde gasta e ao donos de faculdades que mantém a sua caderneta de poupança mensal.

  72. Gisele

    -

    20/04/2012 às 13:18

    André – Blumenau quem te disse que o STF decidiu? Vc viu a publicação da decisão? Pois bem, ela não saiu ainda e, sabe os motivos? Quando sair a publicação será interposto embargos, pois não julgaram o mérito. Destarte, sair falando como um papagaio falante é condenável, ainda mais por que deve ser jurista. Dizer que este VEXAME É CONSTITUCIONAL É NÃO CONHECER NOSSA CF, POIS QUEM DOMINA JAMAIS TENHA A SANDICE DE FALAR E ARGUMENTAR TAL AFIRMATIVA.

  73. PEDRO

    -

    20/04/2012 às 12:02

    Tem que acabar também com concurso para cargo pequeno, ninguém que está estudando e muito vai querer ocupar carguinho estão de olho nos altos cargos, e estes sim devem ter concurso, e não para cargos pequenos operacionais, deve ser pela CLT, por isto falta pessoal para atendimento e serviços pequenos que qualquer um faz, esta constituição de 1988 só veio para cimentar, a lei 8.112 têm que mudar também.

  74. CEKA

    -

    20/04/2012 às 11:42

    Se com o exame já se veem “adevogados” fazendo misérias com o direito de seus clientes, imaginem como vai ser sem ele…Até o tal de “mercado” expulsar uns, centenas tão incompetentes quanto já se formaram, restabelecendo o círculo vicioso…Hoje em dia, eu já procuro profissionais pela data de formatura: quanto mais antiga melhor; pelo menos saberão escrever, acho.

  75. Marilda

    -

    20/04/2012 às 9:47

    Caro Arthur vc mesmo já disse tudo:o próprio mercado excluirá o mau profissional, não precisa temer a concorrência.

  76. Marilda

    -

    20/04/2012 às 9:44

    E os advogados que não fizeram o exame, acaso não são qualificados?Como por exemplo o Dr.Ophir e muitos outros?
    Este exame além de inconstitucional,se fosse sério apenas para verificar os requisitos mínimos de conhecimentos jurídicos,não poderia ser cobrado este valor exorbitante e deveria ser realizado pelo PODER PÙBLICO como reza a CF.

  77. Dinho

    -

    20/04/2012 às 8:33

    O exame apenas reflete a preocupação da OAB com a qualidade do ensino praticado hoje no Brasil, graças à omissão do Ministério da Educação, que não fecha os cursos “caça-níqueis”. Na realidade o fato decorre de um desejo de aumentar a população universitária em quantidade e não em qualidade. Seria como vender cadeiras numeradas pelo preço de uma geral para aumentar o quantidade de espectadores nu jogo da seleção Brasileira, mantendo o seu padrão de jogo atual. O deputado quer agir sobre os efeitos e não sobra as causas.

  78. Eduardo Moraes Rodrigues

    -

    20/04/2012 às 3:22

    Quem tem medo do exame, é falta de competência para passar. Quando vocês optaram pelo curso de Direito todos sabia da prova e de suas dificuldades.
    Este ultimo exame mostrou bem na segunda fase como o candidato esta preparado, uma merda só nas peças (…)

  79. Andre Souza

    -

    20/04/2012 às 2:52

    VERDADES E MENTIRAS DA OAB.
    Na passeata de manifestação contra a inconstitucionalidade do exame de ordem aplicado pela OAB, foi dito muitas verdades e mentiras sobre a instituição.
    Verdade: que a OAB hoje é uma instituição muito poderosa, que ela hoje manda no executivo no legislativo no judiciário e até no clero.
    Que ela impõe suas vontades contrariando as leis e a constituição.
    Que ela usa e abusa de seus poderes que seja por pressão ou por propina.
    Mentiras: que ela esta do lado da sociedade, que o interesse dela é proteger esta sociedade carente de justiça.
    Que ela esteve sempre ao lado da sociedade durante o período da Ditadura Militar.
    Então vejamos, quando na edição doa AI-5 ato institucional numero cinco, esta organização ficou do lado dos militares, pois foi dado a ela o privilegio de apontar juízes e promotores delegados de policia para os cargos daqueles que eram cassados pelos militares ou aposentados compulsoriamente.
    Foi a OAB quem mais fomentou a cassação do presidente Collor, em represaria por ter vetado o famigerado exame de ordem.
    É que o Brasileiro tem memória curta, e nossa imprensa é corrupta e viciada, só publica aquilo que lhes dá dinheiro ou fama.
    É mentira também que o exame de ordem é para qualificar melhor os profissionais do direito e as faculdades de ciência jurídicas, pois a OAB sabe que não é da competência dela e sim do MEC.
    O que a OAB quer é continuar auferindo lucros com este imoral e inconstitucional exame, alem de selos aos cursinhos, das editoras de livros, chega a ultrapassar a barreira dos duzentos milhões de reais ano.
    Verdade: que deste dinheiro sem prestar conta a ninguém pode aplicar em contas em paraísos fiscais, pagar propina Para Juízes, Desembargadores, Promotores, procuradores, Deputados, Senadores, Ministros e Secretários de Estados.
    Muito dinheiro nas mãos de um grupo secreto e fechado com são os conselheiros da OAB, pode se quiserem financiar campanhas políticas milionárias, pois o Congresso Nacional, o Tribunal de Contas da União não tem poder fiscalizatório sobre ela, por se auto intitular Autarquia Suigeneres o que não existe no ordenamento jurídico Brasileiro.
    Ela pratica bulligs o que é crime no Brasil e ninguém diz nada nem a nossa presidenta.
    Quando questionamos alguns Deputados Estaduais, e comissões de Direitos Humanos, nos respondem que este é um problema do Congresso Nacional, só se esquecem que o cidadão prejudicado não mora em Brasília, moram nos Estados e nos Municípios, onde estes senhores Deputados recebem seus votos.
    O Ministro da Educação, e seus assessores, foram indicados por algum partido que apoiou ou apóia a Presidente Dilma.
    Como a instituição OAB, não tem que prestar conta a ninguém com que faz com mais de Duzentos Milhões por ano, pode aplicar onde quiser, no mercado financeiro, nos paraísos fiscais, da mesma forma que o narcotráfico faz , dinheiro que é retirado da boca do povo , a OAB não declara o estado cala, por que ? mais de 10 milhões de reais sonegados por ano , dinheiro do POVO BRASILEIRO .
    Infelizmente nossos Deputados com raras exceções têm medo da mafiosa e poderosa OAB.
    Tudo isto que estou lendo não foi criado à toa para denegrir a imagem de uma instituição centenária, foi fruto de muita pesquisa.
    É tanto que é a única organização que ainda mantém o voto indireto para Presidente Nacional, apesar do repudio de alguns presidentes da subseções Brasileira.
    A OAB para manter o exame só apresenta dois argumentos, o da melhoria dos profissionais, o da melhoria doa instituições de ensino, mas todos caem por terra quando na letra viva da Constituição da Republica Federativa do Brasil de mil novecentos e oitenta e oito.
    É claro que a OAB sabe e nós também sabemos que a maioria dos nosso parlamentares, são influenciáveis, alguns corruptos, não entendem nada de constitucionalidade, que seus assessores são indicados por amigos financiadores de campanhas, também nada entendem da matéria de constitucionalidade, que tem no mínimo algum podre para que a OAB os ameacem, mas ainda há aqueles que não concordam nem aceita nem pressão nem propina, e que estudam a matéria com seriedade e respeito aos milhares de Bacharéis em Direito vivendo de subempregos.

  80. André - Blumenau

    -

    20/04/2012 às 0:44

    O Exame de Ordem é CONSTITUCIONAL, conforme decidiu o STF em outubro de 2011, por inteligência do art. 5º, XIII da CRFB. Qualquer teste de suficiência seria constitucional, em qualquer área do conhecimento. Existe um PL do Senador Tião Viana que trata da instituição desse exame na medicina. Quanto mais carreiras instituírem exames de suficiência, melhor para toda a população. Nas nações civilizadas há exame semelhante para se exercer a advocacia, é assim nos EUA e na Alemanha, que só admite 3 tentativas. Cobre razoabilidade e proporcionalidade do Exame de Ordem, mas não perca seu tempo defendendo sua desnecessidade. Aos bacharéis, um conselho: estude 8h por dia durante 3 meses que a aprovação é certa. Senão no 1º exame, no 2º. Saudações!

  81. wagner

    -

    19/04/2012 às 23:48

    Uma prova que não avalia nada.O mercado que vai dizer que é bom ou não.Se fosse feito pelo MP e fosse de graça apoiaria sim o exame. Como é feito pela FGV e cobra R$ 200,00 reais, mais caro que a prova de juiz.

  82. Gessy

    -

    19/04/2012 às 23:27

    Mais um anônimo e pobre deputado buscando um pouquinho de luz, coitado dele, nem vai ganharmos 5minutos de fama.
    Porque nao luta para melhorar a sua classe política que esta em frangalhos.
    Lute por um melhor ensino, isso nao da voto, certo deputados.
    CPI neles e nao mude o foco.

  83. Artur

    -

    19/04/2012 às 23:23

    O exame da ordem apenas verifica se o candidato tem conhecimentos mínimos para exercer a advocacia. Eu não contrataria um advogado incapaz de passar nesse exame, mesmo que o exame deixasse de ser obrigatório. Acho, no entanto, que o exame deveria ser aberto a qualquer pessoa que quisesse prestá-lo, e que a OAB deveria aceitar a inscrição de qualquer um que passasse no exame, uma vez que é perfeitamente possível aprender direito como auto-didata, sem necessariamente frequentar uma escola.

  84. flavio

    -

    19/04/2012 às 23:14

    Não vou analisar se o exame é certo ou errado. Apenas estou notando que estão facilitando os exames em todos os setores e cursos da nossa educação. Na pré-escola passa, no segundo grau passa, no terceiro grau passa, na faculdade entra se voce for negro,branco,mulato,vermelho,amarelo, mameluco e cafuso. Se tem mais renda entra se tiver menos renda entra. E assim por diante, daqui a pouco vamos ter um cara que disse ter feito curso (só que nunca trabalhou)de torneiro mecanico mas que agora quer ser médico. E ai o cara vai operar. A coisa esta feia.

  85. Marilda

    -

    19/04/2012 às 22:42

    Deixe que o próprio mercado se incumba de excluir o mau profissional.

  86. Marilda

    -

    19/04/2012 às 22:37

    O exame é aplicado por uma entidade corporativista que cobra mais caro que um concurso público para juiz.

  87. Marilda

    -

    19/04/2012 às 22:35

    Enfim alguém corajoso para acabar com essa aberração. A OAB só quer arrecadar sem prestar contas.Seria a favor do exame se fosse realizado pelo Poder Pùblico em conformidade com a CF e que fosse gratuito.

  88. virgulino ferreira

    -

    19/04/2012 às 22:01

    André – Blumenau
    o ilustre requisitos minimos nao estudou direito constitucional ou tem dificuldade de raciocinio eu passei no exame mas sempre observei que os que , estão defendendo este exame são mal carater somente seria valido se aplicado pelo mec para todos os cursos antes da graduaçao estou achando que nao estudou para receber sua vermelhaça vc era da turma da esposa do ministro ne ? ou pegou a vermelhaça antes de 1994 no correto provao? muitos advogados são incompetentes para analisar um controle de constitucionalidade estão regidos por uma lei/ EAOAB – Lei nº 8.906 de 04 de Julho de (1994)que não foi elaborada pelo congresso e sim pelo corruptos marajás do conselho Federal da OAB

    REALIDADE DO EXAME DA OAB .

    O Regulamento Geral da Ordem dos Advogados do Brasil, aprovado há quase dez anos, em novembro de 1994, pelo seu Conselho Federal, é inteiramente inconstitucional. São 158 artigos nulos, que de acordo com a melhor doutrina nunca existiram, e que tratam dos mais diversos assuntos, desde o exercício da advocacia, as prerrogativas e os direitos dos advogados, a inscrição na OAB, o estágio, a cobrança das anuidades e taxas, até a fiscalização dos cursos jurídicos, o exame de ordem e as eleições para os conselhos dessa autarquia corporativa.

    O Regulamento Geral é inconstitucional porque foi elaborado pelo Conselho Federal da Ordem, que não teria competência para regulamentar a Lei nº 8906, de 04.07.1994, exatamente o Estatuto da Advocacia, porque compete privativamente ao Presidente da República, de acordo com a Constituição Federal (art. 84, IV), expedir decretos e regulamentos para a fiel execução das leis.

    É verdade que a Lei nº 8906/94 disse, em seu art. 54, V, que compete ao Conselho Federal da OAB “editar e alterar o Regulamento Geral, o Código de Ética e Disciplina e os provimentos que julgar necessários”, e que o art. 78 dessa mesma Lei determinou que “Cabe ao Conselho Federal da OAB, por deliberação de dois terços, pelo menos, das delegações, editar o regulamento geral deste Estatuto, no prazo de seis meses, contados da publicação desta lei”.

    No entanto, é evidente que esses dispositivos do Estatuto da OAB conflitam frontalmente com a norma constitucional, do art. 84, IV, que atribuiu privativamente ao Presidente da República o poder de regulamentar as leis federais. Além disso, cabe esclarecer que nem mesmo o Presidente da República poderia delegar esse poder que lhe é constitucionalmente atribuído, haja vista que o parágrafo único do mesmo art. 84 estabelece que o Presidente poderá delegar aos Ministros de Estado, ao Procurador Geral da República ou ao Advogado Geral da União, as atribuições mencionadas nos incisos VI, XII, e XXV, primeira parte, desse artigo. Não se refere, portanto, ao poder regulamentar, constante do inciso IV, nem se refere, muito menos, à Ordem dos Advogados.

    É princípio inconteste, em nosso ordenamento jurídico, a supremacia constitucional, de modo que, ocorrendo o conflito entre a norma constitucional e a Lei 8906/94 (arts. 54, V e 78), que pretendeu atribuir ao Conselho Federal da OAB uma competência que é privativa do Presidente da República, não resta outra solução: a norma infraconstitucional não poderá produzir efeitos jurídicos. Por essa razão, é nulo e de nenhum efeito todo o Regulamento Geral da OAB, aprovado em 1994 pelo Conselho Federal, em obediência a essas normas inconstitucionais do Estatuto da OAB.

    Mas como seria possível que, durante dez anos, fossem aplicadas essas normas inconstitucionais, sem que nenhuma providência fosse tomada? Não foi a primeira, nem será a última vez. Ocorre que somente o Judiciário, se provocado através da propositura de uma ação, poderia decidir a respeito dessa inconstitucionalidade, e até mesmo retirar da ordem jurídica os dispositivos que conflitam com a Constituição Federal, provavelmente depois de alguns anos de tramitação processual, devido à tradicional morosidade de nossa Justiça. No Supremo Tribunal Federal, apenas para que se tenha uma idéia, existem mais de mil ações diretas de inconstitucionalidade aguardando julgamento, além dos outros milhares de processos que congestionam esse Órgão. Por essa razão, como tem ocorrido em inúmeros outros casos, a nossa Constituição se torna inefetiva, porque costumam prevalecer, durante décadas, as normas inconstitucionais. A Constituição se torna letra morta, porque a nossa jurisdição constitucional tem sido incapaz de impedir os frequentes atentados contra a sua supremacia.

    No entanto, em pelo menos uma oportunidade, a questão já foi levada até o Supremo Tribunal Federal, através da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 1.194, ajuizada em 1.996, pela Confederação Nacional da Indústria, que arguiu a inconstitucionalidade de diversos dispositivos do Estatuto da Advocacia, entre eles o do art. 78, que pretendeu transferir o poder regulamentar ao Conselho Federal da OAB. O Supremo julgou inconstitucionais alguns desses dispositivos, mas acatou a preliminar de ilegitimidade ativa da Confederação Nacional da Indústria, em relação ao art. 78, por falta de pertinência temática. Em outras palavras: devido a certos detalhes técnico-processuais, o Supremo se negou a examinar o art. 78 do Estatuto da OAB, para decidir se ele é ou não inconstitucional, porque a Confederação da Indústria somente poderia arguir a inconstitucionalidade desse artigo se ficasse comprovada a pertinência temática, isto é, a existência de uma relação entre a norma impugnada e as atividades da requerente.

    Apesar disso, todos sabem que essa norma é inconstitucional, assim como a do art. 54, V, também do Estatuto, porque nenhuma lei poderia atribuir ao Conselho Federal da OAB uma competência, a de regulamentar as leis, que é privativa do Presidente da República, de acordo com o art. 84, IV, da Constituição Federal, e todos sabem, também, que o Regulamento Geral é nulo, porque não poderia ter sido aprovado pelo Conselho Federal da OAB.

    É estranho que a própria OAB, que também deveria saber dessa inconstitucionalidade, tenha preferido utilizar a competência que lhe foi irregularmente atribuída, ao em vez de defender a Constituição, conforme previsto no art. 44 de nosso Estatuto.
    O Regulamento Geral da Ordem dos Advogados do Brasil, aprovado há quase dez anos, em novembro de 1994, pelo seu Conselho Federal, é inteiramente inconstitucional. São 158 artigos nulos, que de acordo com a melhor doutrina nunca existiram, e que tratam dos mais diversos assuntos, desde o exercício da advocacia, as prerrogativas e os direitos dos advogados, a inscrição na OAB, o estágio, a cobrança das anuidades e taxas, até a fiscalização dos cursos jurídicos, o exame de ordem e as eleições para os conselhos dessa autarquia corporativa.

    O Regulamento Geral é inconstitucional porque foi elaborado pelo Conselho Federal da Ordem, que não teria competência para regulamentar a Lei nº 8906, de 04.07.1994, exatamente o Estatuto da Advocacia, porque compete privativamente ao Presidente da República, de acordo com a Constituição Federal (art. 84, IV), expedir decretos e regulamentos para a fiel execução das leis.

    É verdade que a Lei nº 8906/94 disse, em seu art. 54, V, que compete ao Conselho Federal da OAB “editar e alterar o Regulamento Geral, o Código de Ética e Disciplina e os provimentos que julgar necessários”, e que o art. 78 dessa mesma Lei determinou que “Cabe ao Conselho Federal da OAB, por deliberação de dois terços, pelo menos, das delegações, editar o regulamento geral deste Estatuto, no prazo de seis meses, contados da publicação desta lei”.

    No entanto, é evidente que esses dispositivos do Estatuto da OAB conflitam frontalmente com a norma constitucional, do art. 84, IV, que atribuiu privativamente ao Presidente da República o poder de regulamentar as leis federais. Além disso, cabe esclarecer que nem mesmo o Presidente da República poderia delegar esse poder que lhe é constitucionalmente atribuído, haja vista que o parágrafo único do mesmo art. 84 estabelece que o Presidente poderá delegar aos Ministros de Estado, ao Procurador Geral da República ou ao Advogado Geral da União, as atribuições mencionadas nos incisos VI, XII, e XXV, primeira parte, desse artigo. Não se refere, portanto, ao poder regulamentar, constante do inciso IV, nem se refere, muito menos, à Ordem dos Advogados.

    É princípio inconteste, em nosso ordenamento jurídico, a supremacia constitucional, de modo que, ocorrendo o conflito entre a norma constitucional e a Lei 8906/94 (arts. 54, V e 78), que pretendeu atribuir ao Conselho Federal da OAB uma competência que é privativa do Presidente da República, não resta outra solução: a norma infraconstitucional não poderá produzir efeitos jurídicos. Por essa razão, é nulo e de nenhum efeito todo o Regulamento Geral da OAB, aprovado em 1994 pelo Conselho Federal, em obediência a essas normas inconstitucionais do Estatuto da OAB.

    Mas como seria possível que, durante dez anos, fossem aplicadas essas normas inconstitucionais, sem que nenhuma providência fosse tomada? Não foi a primeira, nem será a última vez. Ocorre que somente o Judiciário, se provocado através da propositura de uma ação, poderia decidir a respeito dessa inconstitucionalidade, e até mesmo retirar da ordem jurídica os dispositivos que conflitam com a Constituição Federal, provavelmente depois de alguns anos de tramitação processual, devido à tradicional morosidade de nossa Justiça. No Supremo Tribunal Federal, apenas para que se tenha uma idéia, existem mais de mil ações diretas de inconstitucionalidade aguardando julgamento, além dos outros milhares de processos que congestionam esse Órgão. Por essa razão, como tem ocorrido em inúmeros outros casos, a nossa Constituição se torna inefetiva, porque costumam prevalecer, durante décadas, as normas inconstitucionais. A Constituição se torna letra morta, porque a nossa jurisdição constitucional tem sido incapaz de impedir os frequentes atentados contra a sua supremacia.

    No entanto, em pelo menos uma oportunidade, a questão já foi levada até o Supremo Tribunal Federal, através da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 1.194, ajuizada em 1.996, pela Confederação Nacional da Indústria, que arguiu a inconstitucionalidade de diversos dispositivos do Estatuto da Advocacia, entre eles o do art. 78, que pretendeu transferir o poder regulamentar ao Conselho Federal da OAB. O Supremo julgou inconstitucionais alguns desses dispositivos, mas acatou a preliminar de ilegitimidade ativa da Confederação Nacional da Indústria, em relação ao art. 78, por falta de pertinência temática. Em outras palavras: devido a certos detalhes técnico-processuais, o Supremo se negou a examinar o art. 78 do Estatuto da OAB, para decidir se ele é ou não inconstitucional, porque a Confederação da Indústria somente poderia arguir a inconstitucionalidade desse artigo se ficasse comprovada a pertinência temática, isto é, a existência de uma relação entre a norma impugnada e as atividades da requerente.

    Apesar disso, todos sabem que essa norma é inconstitucional, assim como a do art. 54, V, também do Estatuto, porque nenhuma lei poderia atribuir ao Conselho Federal da OAB uma competência, a de regulamentar as leis, que é privativa do Presidente da República, de acordo com o art. 84, IV, da Constituição Federal, e todos sabem, também, que o Regulamento Geral é nulo, porque não poderia ter sido aprovado pelo Conselho Federal da OAB.

    É estranho que a própria OAB, que também deveria saber dessa inconstitucionalidade, tenha preferido utilizar a competência que lhe foi irregularmente atribuída, ao em vez de defender a Constituição, conforme previsto no art. 44 de nosso Estatuto.

  89. Regina

    -

    19/04/2012 às 21:20

    graças a DEUS, até que enfim um ANJO desceu e iluminou um ser humano para nos proteger,ESPERO QUE NÃO SOMENTE ESTE MAS QUE SURGEM EM NOSSAS VIDAS VARIOS ANJOS, POIS PRECISAMOS MUUITO DE TODA PROTEÇÃO DOS CEUS.

  90. jorge litwinczuk

    -

    19/04/2012 às 21:08

    Andre de blumenau, sempre irão existir os que fazem faculdade nos butecos, parem de colocar a imensidão de Bachareis trabalhadores, que fizeram faculdade a noite, estudaram de madrugada, criando família, não podendo pagar cursinhos caros nivelando com os abastados que tem as dicas dadas pela própria Oab, onde seus dirigentes na maioria são sócios destes cursinhos, as dicas quentes do que irá cair na prova quem recebe?. Se olharmos o acontecido com a mulher do Demóstenes chegaremos a seguinte conclusão; ou ela é gênio ou a Oab usa este tipo de barganha para facilitar seus interesses.

  91. Lene Cezar

    -

    19/04/2012 às 21:07

    Não existe exame de Ordem, existe exame da OAB; para ser exame de Ordem, ele teria que ser totalmente controlado pelo estado, isso foi uma nomenclatura que a OAB adotou para confundir a sociedade, pois até hoje existem pessoas que pensam que o exame de ordem é feito pelo estado, não imaginam o alto lucro financeiro da OAB por intermédio do seu nefasto e inconstitucional exame, enquanto está a desgraçar vidas, a destruir laços familiares.

    A Lei 8906/94 não especificou o exame da OAB, o legislador afrontou a competência do poder executivo (CF. art. 84, IV) e delegou poderes a OAB para expedir o regulamento da lei, por intermédio de um provimento.

    Se a OAB que comandar os advogados, se eles aceitam, que o faça, mas enquanto os Bacharéis em Direito não estão inscritos em seus quadros, eles estão sob os auspícios do Estado, jamais a OAB poderia intervir para dizer se estão qualificados os já qualificados pela Lei Maior e pela Lei 9394/96.

  92. jorge litwinczuk

    -

    19/04/2012 às 20:58

    Simples e objetivo, aprendi que cláusula pétrea não pode ser mudada, a justificativa de proteger a sociedade tambem não procede, cabe a Oab proteger a sociedade dos maus Advogados inscritos na ordem, o Advogado iniciante é escolido pelo seu futuro cliente, se for incompetente deve ser trocado e a Oab notificada do mau profissional, depois de trocado ainda existem muitos recursos para correção do erro. Mas, se a Oab acha tão importante o exame, que seja no valor mínimo, apenas para cobrir os custos,um exame justo para quem é iniciante, nada de pegadinhas ou perguntas que nem a Magistratura responde, defender o exame com uma receita de R$70.000.000,00 ao ano, eu e qualquer um defende com unhas e dentes. Não acredito que uma prova atesta a qualidade do profissional, se não tiver honestidade e carater não existe avaliação que o torne confiável. O mercado vai qualificar os bons.

  93. joão

    -

    19/04/2012 às 20:43

    A prova é discriminatória, já que quem qualifica profissionalmente é a Universidade, como nas demais profissões. Profissionais ruins há em todas categorias e cabe ao cliente selecionar.

  94. Messias Alves

    -

    19/04/2012 às 20:34

    O bacharel em direito não pode continuar sendo mineirado pela OAB. A Ordem achaca seus filiados e torra dinheiro sem prestar contas de nada. Pelo menos 3 deputados têm projetos para acabar com a farra dos concursos, entre eles Jair Bolsonaro e o falecido Max Hoseman do Paraná. Parabéns ao Dep Eduardo Cunha.

  95. André Souza

    -

    19/04/2012 às 20:19

    Gabriel Guimarães, relator na CCJ Projeto de Lei nº 2154/2011, onde extingue o exame de ordem ” Deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ)”. Mineiro de Governador Valadares, Gabriel Guimarães foi eleito aos 27 anos o deputado federal mais jovem do Estado. Formado em Direito no Centro Universitário de Brasília/DF (UNICEUB) e com relevante experiência profissional, trabalhou no Ministério Público Estadual de Minas Gerais, na Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, no Tribunal de Justiça/MG, na assessoria da Presidência da Câmara Federal, no Instituto Brasileiro de Administração Municipal – seção Minas Gerais – e no escritório Sacha Calmon & Mizabel Derzi.
    Câmara dos Deputados – Anexo IV
    Gab. 821 – CEP: 70160-900 – Brasília – DF

    Brasília:
    email: agenda1311@gabrielguimaraes.com.br
    site: http://www.gabrielguimaraes.com.br

    Gabinete:
    Gabinete 821, anexo IV, na Câmara dos Deputados.
    Cep: 70160-900 – Brasília-DF
    Telefone: (61) 3215-5821.
    | (61) 3215-2821 [FAX]
    MNBD /MG André de Souza/Governador Valadares.MG
    Fone:(033)84111115
    Email jus.andresouza@hotmail.com
    Conselho Federal dos Juristas Do Brasil(CFJB)

  96. JOSE MARIA DE AQUINO

    -

    19/04/2012 às 19:59

    Para nós Bacharéis em Direito é uma vitória ver restaurada a democracia no Brasil. O exame de ordem é absurdamente inconstitucional, pois um simples estatuto não poderá ter força de constituição. A OAB tem competencia para fiscalizar internamente seus advogados associados, enquanto a competencia para avaliar aprendizado é exclusivo do MEC. Sou ainda bastante pequenino para comentar assuntos deste naipe, mas até a prova que a OAB confia a terceiros(FGV) por questão legal deveriam ter reconhecimento do MEC. Agora, quanto ao fim da OAB vou deixar para os homens de reconhecida sabedoria.

  97. Luana

    -

    19/04/2012 às 19:32

    Zeca,
    Então não é justo exigir só dos advogados e médicos.
    Vamos condicionar todos os profissionais, de todas as áreas possíveis e imagináveis a um órgão e a uma prova.
    Vai ser bem interessante! rs

  98. pf

    -

    19/04/2012 às 19:32

    Só choradeira, como sempre. A mesma argumentação batida, rebatida, pisoteada e etc. O mundo civilizado exige exame de aptidão não só do advogado. Mas seria interessante ver o exame da OAB acabar e cada profissional ser responsabilizado e recompensado de acordo com sua habilidade, como são os médicos. Como se a carteira vermelha fosse garantia de sucesso. Sucesso é o resultado da disciplina, da dedicação e do esforço pessoal. Nesse caminho a prova da OAB é só mais uma pedra, só mais uma prova entre as muitas que já fizemos e faremos.

  99. André - Blumenau

    -

    19/04/2012 às 19:11

    A prova só exige requisitos mínimos para o profissional entrar no mercado. A maioria absoluta dos que reclamam são iletrados e preguiçosos, porque quem se esforça passa na 1ª, 2ª ou 3ª tentativa. A permanência do Exame não impede que se abra a caixa preta no Conselho Federal da OAB.

  100. Andréssa Andrade

    -

    19/04/2012 às 18:48

    Caro Zeca uma vez a mente se abre jamais voltara ao seu estado anterior , se o exame da OAB que pra vc parece um conto de fadas for exatamente isto ai que vc sonha seria otimo mas no entanto Dormia a nossa pátria mãe tão distraída sem perceber que era subtraída. Em tenebrosas transações. Seus filhos erravam cegos . Todos que defendem os moldes deste exame ou fazem de picardia ou são absolutamente analfabetos constitucionais . vc escolha qual das duas categorias vc quer fazer parte , ou então leia a constituição que vai chegar a um denominador comum em diversos aspectos . principalmente na elaboraçao do tal estatuto todo nulo , afinal conselho federal de classe não foi eleito pelo povo para legislar sobre lei alguma . senta analisa. kkk

  101. Rodrigo

    -

    19/04/2012 às 18:43

    Esta prova fere a liberdade constitucional ao ingresso do trabalho, artigo 60 da Constituição Federal de 1988.CLAUSULAS PÉTREAS.Não é um acerto a mais de uma prova que vai fazer a diferencia do bom e do mal profissional. Este Exame é uma vergonha.

  102. Robson

    -

    19/04/2012 às 18:12

    Jayna Silva
    Olha são poucos advogados que pensam como você, sabe por quê? digo isso que são poucos, se fosse assim eles mesmos já teriam acabado com esse nefasto exame que prejudica muitas famílias, e seus defensores, sempre com a mesma desculpa esfarrapadas, mas não vão longe com elas, a injustiça os erros são muitos nessa prova escabrosa e que não prova nada. Conhecida pela sua inconstitucionalidade, mesmo tendo sido analisada pelo STF, todavia até hoje não saiu o acórdão, vão dizer que lá no STF é assim mesmo. Bom em que pese as opiniões divergentes uma coisa parece está acontecendo o Povo já está acordando do sono profundo, amanhã mesmo terá uma Marcha contra a Corrupção, talvez alguns que são licenciados a mais de 10 anos de suas funções pública, recebendo sem trabalhar, não sendo nada ético tal procedimento esteja na marcha, aí será mesmo que cobrir o sol com uma peneira. Muda Brasil em quanto é tempo!

  103. Zeca

    -

    19/04/2012 às 17:41

    A prova é uma maneira para melhorar o nível dos advogados que ingressam no mercado de trabalho. O mesmo tipo de avaliação deveria existir para os médicos para obter o registro no CRM.

  104. Andréssa Andrade

    -

    19/04/2012 às 17:32

    observando comentário abaixo vejamos : Art. 43. A educação superior tem por finalidade:II – formar diplomados aptos para a inserção em setores profissionais. lei de diretrizes e base da Educação(LDBE – Lei nº 9.394 de 20 de Dezembro de (1996) posterior a lei (EAOAB – Lei nº 8.906 de 04 de Julho de (1994) Realmente quem é Jurista estudou a ciências jurídica sabe e tem o dever de saber que esta lei que obriga tal EXAME esta revogada , sem tocar no assunto da Inconstitucionalidade de exigência somente para uma classe ( principio Constitucional da ISONOMIA ) veda isto Cidadãos tratamento Desigual.
    que o MEC tome as providencias de estabelecer um exame antes das graduações para aferir os conhecimentos de todos os cursos ministrados nas instituições de ensino , Sabemos que a omissão do estado não nos da ou a entidades de classe o direto de FAZER , se for assim gostaria muito de fazer uma praça na porta da minha casa com dinheiro do meu bolso SERÁ que eu posso , se não posso a OAB que não é instituição de ensino credenciada pelo estado não ensina não possui competência a não ser fiscalizar por negligencia imperícia ou imprudência os advogados inscritos nela e mais nada e pronto e acabou !!!

  105. Marcos

    -

    19/04/2012 às 17:22

    O bacharel que não não consegue passar na prova da OAB deve é processar a porcaria da faculdade onde estudou. Sejamos francos, o índice de reprovação é alto porque a maioria dos bacharéis consegue seu “deproma” estudando quase nada.

  106. Gisele

    -

    19/04/2012 às 17:12

    O Brasil não pode ser governado por conselho, a OAB arrecada 3 mega senas por ano e não declara, não paga imposto… fala em democracia e usa eleições indiretas, cobra transparência, no entanto não é transparente, entre na carreira jurídica sem concurso.. A Onde esta a OAB para cobrar o julgamento do mensalão, mensalinhos..? Para se posicionar em favor desta vergonha chamada de exame de ordem, tem que ser pessoas que não conhecem a Constituição Federal, falar que o STF julgou constitucional a vergonhosa prova é lúgubre, pois não procede, o autor da ação espera sair a publicação do julgamento do RE para entrar com embargos, pois os ministros “os deuses” do STF não julgaram o mérito da ação. Destarte, se tem que haver avaliações que seja para todos os cursos, dento das universidades e sem custo ao futuro profissional

  107. Gisele

    -

    19/04/2012 às 17:06

    “Quando o Estado é fraco e os governos débeis, triunfam os poderes fáticos e os grupos de interesses corporativos. Sempre sob invocação da autonomia da “sociedade civil”, bem entendido. Invocação despropositada neste caso, visto que se trata de entes com estatuto público e com poderes públicos delegados. Como disse uma vez um autor clássico, as corporações são o meio pelo qual a sociedade civil ambiciona transformar-se em Estado. Mais precisamente, elas são o meio pelo qual os interesses de grupo se sobrepõem ao interesse público geral, que só os órgãos do Estado podem representar e promover.”
    O constitucionalista português tocou exatamente na ferida da OAB. É uma entidade que virou um monstro de duas cabeças, um momento se apresenta como entidade privada e em outro quer se fazer passar por atividade pública. Quando é para contratar servidores, escolher o quinto constitucional e seus dirigentes nacionais e fixar anuidades e prestar contas do dinheiro arrecadado, age como entidade privada. Não faz concurso público, escolhe futuros juízes e dirigentes nacionais em reunião estrita de sua diretoria, mesmo método utilizado para fixar suas anuidades, e não presta contas ao TCU, ao contrário de todos os demais conselhos profissionais. Quando é hora de punir o profissional inadimplente, cobrar anuidades em juízo mediante execuções fiscais, e aplicar provas a pessoas diplomadas quer posar de serviço público.
    Tudo isto acontece, como fielmente descrito pelo Dr. Vital Moreira, porque a OAB é uma corporação que ambiciona agir como Estado. E, vamos mais além, demostra-se que ela não apenas quer agir como Estado, mas quer ser mais do que o Estado. Já que agora ela pretende censurar profissionais que foram declarados aptos pelo Estado. É impossível que a atividade estatal seja substituída por uma corporação, considerando que os interesses corporativos sobrepõem-se aos interesses do público em geral.

  108. André luiz

    -

    19/04/2012 às 17:05

    DIGO TERÃO ocorreu um Erro na ultima frase. no mais obrigado.

  109. Gisele

    -

    19/04/2012 às 17:04

    Ainda de acordo com a Constituição Federal, em seu catálogo de direitos e garantias – CLÁUSULAS PÉTREAS (art. 5º, XIII), é LIVRE o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, ATENDIDAS AS QUALIFICAÇÕES PROFISSIONAIS QUE A LEI ESTABELECER. Evidentemente, as qualificações profissionais seriam aquelas obtidas na Universidade, que QUALIFICA PARA O TRABALHO. A LEI não poderia estabelecer um EXAME DE ORDEM, como o da OAB, para a verificação dessas qualificações profissionais, porque estaria invadindo a competência da Universidade (para QUALIFICAR) e a do Estado, do poder público, do MEC (para AVALIAR).
    Seria, assim, uma LEI INCONSTITUCIONAL, a que criasse esse EXAME DE ORDEM. Seria materialmente inconstitucional. Seria uma inconstitucionalidade material, de fundo, porque essa LEI atentaria contra os diversos dispositivos constitucionais, já citados.
    No entanto, essa LEI NEM AO MENOS EXISTE, porque o EXAME DE ORDEM da OAB foi criado, na verdade, POR UM PROVIMENTO, editado pelo Conselho Federal da OAB. Vejam o absurdo: um direito fundamental (art. 5º, XIII, da CF) sendo limitado, não por uma lei, mas por um simples PROVIMENTO de um Conselho Profissional. Isso ocorre porque a Lei nº 8.906 (ESTATUTO DA ORDEM), impõe, como requisito para a inscrição como advogado, A APROVAÇÃO EM EXAME DE ORDEM (art. 8º, IV). Nada mais. Diz, apenas, que O EXAME DE ORDEM SERÁ REGULAMENTADO EM PROVIMENTO DO CONSELHO FEDERAL DA OAB (art. 8º, §1º).
    Portanto, o Exame de Ordem NÃO FOI CRIADO POR LEI do Congresso, porque o Estatuto da OAB nada disse a seu respeito, nem foi REGULAMENTADO PELO PRESIDENTE DA REPÚBLICA, como deveria ter sido Em suas manifestações, no entanto, os dirigentes da OAB não conseguem responder, juridicamente, a qualquer desses argumentos. Dizem eles, apenas, essencialmente, que:
    (1) ocorreu uma enorme proliferação de cursos jurídicos, no Brasil, o que é a mais absoluta verdade;
    (2) o ensino jurídico, em muitos casos, é extremamente deficiente, o que também é verdade;
    (3) a OAB tem competência para avaliar os cursos jurídicos, o que é falso, porque a avaliação da qualidade do ensino compete ao poder público, nos termos do art. 209, II, da Constituição Federal;
    (4) a OAB tem a obrigação de afastar os maus profissionais, o que também é verdade, mas na fiscalização do exercício da advocacia, o que envolverá também as questões éticas, a deontologia profissional.
    Enfim: a sociedade civil não aceita mais instituições voltadas para si mesmas, que não prestam contas de seus atos ou que se trancam em seus gabinetes. A Advocacia, como o Ministério Público e a Defensoria, desempenha funções essenciais à Justiça e deve ter em vista, sempre, em primeiro lugar, o interesse público e não o seu interesse corporativo. Os próprios advogados, embora exercendo uma profissão liberal, têm deveres para com a sociedade. A Ordem dos Advogados não pode atuar como um sindicato, preocupando-se apenas com o mercado de trabalho para os advogados.

  110. Gibson

    -

    19/04/2012 às 17:04

    Vejam esse comentário!
    Ana Caroline Menezes
    gente… se eu disser que concordo com a inconstitucionalidade do exame da ordem vão dizer que eu não passei na oab. Eu nem sequer fiz a prova ainda, mas tenho vários amigos que já tentaram diversas vezes e simplesmente não passam por questão de nevorsismo e não por falta de conhecimento. Então, a partir desse ponto que eu acho a prova injusta e pra piorar a organizadora comete certos erros inadimissíveis q põe a perder tudo ao estudante que investiu tempo e dinheiro pra fazê-la. Dinheiro! Vale frisar neh? Que valor absurdo é esse pra fazer a prova? Gente, 200 reais!! Uma prova que tem, quantas vezes ao ano? 3, 4? Quanto a OAB lucra com isso? fora anuidade dos advogados/estagiários… É um absurdo. Concordo com o colega que falou ali em cima, devemos lutar por uma prova mais justa. E sim, talvez não fosse necessário o exame da ordem. A gente faz 5 anos de faculdade, gasta um dinheirão, pra no final de tudo, levar bomba na prova e aí, como é q fica? Seremos o que? NADA! Uma porcaria de bacharel em direito… que serve pra q mesmo? ahhh, mas sempre tem concurso… neh? É o q uns dizem… Mas e daí, se eu quisesse fzr concurso… tinha escolhido qlqr outro curso e entrava nos cursinhos da vida pra ser um técnico de algum tribunal da vida e ganhar uns R$ 2.000,00 trabalhando 6hs =P bom… dizem que a prova é dificil pra diminuir a quantidade de advogados burros e irresponsáveis no país… patético! Até parece que somos bem servidos de médicos e engenheiros!! =P
    e mais esse!
    se a profissão de advogado dignifica o homem?… kkkkk Então tem gente que tá pagando em torno de R$ 600,00 pela sua dignidade, pois em média os “bachareis” em direito estão gastando isso aí só com a provinha da OAB (ou mais, se não passarem até a 3º tentativa), mais os valores absurdos de cursos… e o que vc gastou em 5 anos nas faculdades???
    e só mais esse!
    Estou me mataaaando de estudar pra passar logo de primeira kkkkkk tentando conciliar filho, estágio, estudo para OAB, mas o que não me falta é perseverança! Afinal, passei 5 anos na faculdade pra isso neh? =) pois é pessoal… o negócio é estudar mto, pq pelo menos por enquanto o exame da OAB é indispensável para se tornar um operador do direito =/ e vamos q vamos PERFEITO!!!!!!!!!!!

  111. Ferdando

    -

    19/04/2012 às 17:04

    Se o exame da Ordem serve para medir a capacidade de um profissional, quem mediu a capacidade dos advogados, inclusive o presidente da secção da OAB no Piauí, que toparam posar entre ”os advogados de ouros” num livro feito por dois colunistas sociais locais? Isso fere profundamente o Código de Ética e Disciplina da OAB. Na verdade esta entidade vem sendo mal administrada, e o exame está servindo mesmo é para enricar seus últimos maus administradores, principalmente ao atual, Ophir

  112. André luiz

    -

    19/04/2012 às 17:03

    ATENÇÃO Exame JÁ FOI REVOGADO OAB É OBRIGADA FAZER AS INSCRIÇOES .
    OU RASGARAM A CONSTITUIÇÃO. A IMPRENSA TEM QUE DENUNCIAR ISSO.
    LDBE – Lei nº 9.394 de 20 de Dezembro de (1996)
    Art. 43. A educação superior tem por finalidade:
    I – estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo;
    II – formar diplomados nas diferentes áreas de conhecimento, aptos para a inserção em setores profissionais e para a participação no desenvolvimento da sociedade brasileira, e colaborar na sua formação contínua;

    EAOAB – Lei nº 8.906 de 04 de Julho de (1994)
    Art. 8º Para inscrição como advogado é necessário:
    I – capacidade civil;
    II – diploma ou certidão de graduação em direito, obtido em instituição de ensino oficialmente autorizada e credenciada;
    III – título de eleitor e quitação do serviço militar, se brasileiro;
    IV – aprovação em Exame de Ordem; REVOGADA PELA LEI (9.394 de dezembro de (1996)

    esta na Hora de fazer a coisa certa antes que a DEMOCRACIA acabe de vez e nem os advogados juizes promotores etc e tal teram mais emprego . sem a Constituiçao não tem lei , consequentemente não teram mais operadores do Direito por que ele esta em COMA !!! OAB É UM CANCER.

  113. Leonardo Panisson

    -

    19/04/2012 às 17:02

    Sou totalmente favoravel ao fim deste absurdo que e a prova, parabens Eduardo Cunha de peitar esses gravatinhas que se acham os reis da cocada.

  114. Gisele

    -

    19/04/2012 às 17:02

    o Médico cuidará apenas do bem de “MENOR” importância CONSTITUCIONAL, a VIDA do SER HUMANO, enquanto que o Advogado cuidará do bem de “MAIOR” importância CONSTITUCIONAL, o PATRIMÔNIO do SER HUMANO. Este último, sim, MERECEDOR de proteção MÁXIMA pela nossa tão propalada Constituição Federal de 1988 que se for interpretada no sentido de continuar a admitir e embasar tal absurdo, não declarando a inconstitucionalidade da prévia aprovação no EXAME DE ORDEM, no mínimo, deveria ser taxada de incongruente, irrazoável, hipócrita, conivente e subserviente aos interesses de uma determinada Classe Profissional, dos Advogados, ávidos por obstaculizar a entrada no seu mercado de novos profissionais e potenciais concorrentes, garantindo apenas para seus membros, os Advogados, sua exclusiva reserva de mercado, excluindo os Bacharéis em Direito que convenientemente não podem ser considerados Advogados enquanto não forem previamente aprovados no inconstitucional EXAME DE ORDEM

  115. Virgulino Ferreira

    -

    19/04/2012 às 16:50

    Se o governo federal não parar a OAB quem vai parar vai ser os assassinos…. pois na historia ja foi demonstrado que quando o governo nao tutela os anseios de uma sociedade o sangue sempre é derramado ao chão , isto é fato por mais agressivo que seja o comentario a realidade que todo o povo de qualquer naçao em tempos outrora mataram seus carrascos e mudaram a historia . que assim seja aqui neste País de Covardes.. carnaval cerveja Skol ta tudo bem… enqunato isso a OAB vive em um arem.Conselho Federal da OAB bando de MARAJÁS. PAU NELES !!!!! MAFIOSOS QUADRILHA DE FANFARROES voltados a joguetes e corrupção passando para a juventude a famosa ideia inves de ter Honestidade o jeitinho e sempre levar vantagem independente estar errado . Socorro o brasil não era assim na decada de 60 o povo era honrado com regime militar , agora a liberdade virou libertinagem. Fim Do Exame da OAB e questão de Cidadania.

  116. Eduardo

    -

    19/04/2012 às 16:41

    Quem é a favor desse EXAME é porque tem medo da concorrencia, seja bom, otimo no que voce faz que não jamais terá problema, pois os ruins se mantam, e os melhores prevalecem, não é esse EXAME, que diz quem é bom ou ruim, Conheço profissionis otimos que sabem muito e não conseguem passar nesse EXAME cheio de pegadinhas feito exclusivamente para REPROVAR, e por outro lado muitos profissionais que passaram por sorte ou sei la o que , não sabem nem escrever uma INICIAL. Por tras desse EXAME existe algo obscuro que não querem transparecer. A OAB quer ser tanto veja o link abaixo e tire suas conclusões…

    http://www.portalexamedeordem.com.br/blog/2012/04/selo-oab-premia-injustamente-faculdades-de-direito-com-desempenho-ruim-no-exame-de-ordem/

    abraços
    edu

  117. Eduardo

    -

    19/04/2012 às 15:48

    Até que fim, vão por fim nesse absurdo, um exame feito para reprovar e não para avaliar, pois 5 anos de faculdade com professores com titulos de desembargadores, juizes e renomados advogados, com aval do MEC, porque a necessidade de um exame? Estamos vendo muitos advogados que passaram neste exame por pura sorte ou proteção e não sabem nem fazer um recurso de multa de transito. Será que esse exame avaliou bem esses caros Doutores.. A mamata da OAB que arrecada um absuro por ano cerca de 80 MILHÕES com esse ilegal, imoral e inconstitucional EXAME esta preste ACABAR.. DEUS é pai…
    O mercado de trabalho por si só acaba excluindo profissionais incompetentes, não precisa esse EXAME fazer isso. Alias o que é mais importante para a sociedade um bom advogado ou um BOM MEDICO?

    Edu

  118. SILVANO FEBRONI

    -

    19/04/2012 às 15:39

    Sou estudante de Direito, não quero o fim da prova de avaliação, QUERO UMA AVALIAÇÃO JUSTA, pois do jeito que esta sendo feito e DESCARADAMENTE uma fonte de renda altissima, E TAMBÉM TENDENCIOSA EM REPROVAR O MÁXIMO POSSIVEL e também UMA RESERVADO DE MERCADO,( COMO JÁ DEU ENTREVISTA O PRESIDENTE DA OAB, sim está na hora de por ordem nesta situação. ABAIXO A ESTE EXAME DA ORDEM, e organizar um mais justo e correto.

  119. Silas S. Carvalho

    -

    19/04/2012 às 15:18

    O exame da OAB deveria ser copiado pelos conselhos de medicina, engenharia, odontologia, contabilidade e todos os demais órgãos de classe. É a única garantia que a sociedade tem de que os fanfarrões formados nos botecos existentes nas cercanias das faculdades terão que se dedicar um pouco mais, se quiserem exercer a profissão de Contador, Dentista, Médico, Engenheiro, etc.

  120. Jayna Silva

    -

    19/04/2012 às 15:15

    Concordo com comentário André Souza sou Advogada e sofro observando que concorrência é desleal , muitos advogados aprovados no exame tirando proveito do povo enganando extorquindo , fora que a OAB arrecada milhões e não faz praticamente nada para a classe, o mais engraçado é antes de 1994 acabava se o curso fazia o provão e poderia trabalhar e naquela época advocacia era uma coisa mais seria , hoje 5 anos de faculdade os estudantes aprendem pratica de advocacia , petições recursos, contestações ou seja o oficio advocatício e ao sair mesmo depois do estagio a OAB relata que o curso de direito não se trata de advocacia como assim?? Tem matérias de pratica advocatícia mas não e advocacia , no curso não se aprende a ser juiz , nem promotor nem tão pouco delegado de policia , mas Pratica de advocacia isso sim tem , a faculdade de Direito é sim de Advocacia as demais profissões possuem concurso publico , e a OAB entidade Classe não tem competência para cobra taxa nem tão pouco fazer concurso como já é feito , no Brasil a incoerência e tão grande que o jornalista que escreve ao publico uma função publica e dispensado do Diploma legal ferindo a lei de diretrizes da educação que revogou bem lembrado a exigência do exame da obá Lei federal aprovada pelo congresso e não como a lei do exame que foi elaborada pelo conselho federal da obá legislando ilegalmente, Eu quando me formei em Direito esperava integridade e moral da classe onde toda uma nação deposita sua confiança para resolver sem auto tutela seus litígios e agora se encontra enganados por trocas de favores trafico de influencia e formação de quadrilha. Muitos advogados com caráter estão a favor do fim do exame e sabemos respeitar os bacharéis que um dia também fomos.

  121. PAULO SOARES

    -

    19/04/2012 às 15:06

    OAB NÃO É FISCALIZADA , NÃO PRESTA CONTA DO DINHEIRO

  122. Alex Mamed

    -

    19/04/2012 às 15:00

    Realmente vivemos tempos sombrios por estas plagas.
    .
    Somente uma pessoa desse naipe para propor o fim do Exame de Ordem. E por que ele não cobra do MEC uma fiscalização mais rigorosa? A OAB Federal manifesta-se sim pela não abertura de cursos fubicas. A lei exige manifestaçãod a OAB. O diabo é que o MEC faz ouvidos de mercador.
    .
    Já já teremos por ái os escrivinhadores requerendo “ABIAS COPUS” para os membros da quadrilha que tomou o país de assalto.
    .
    É isso que eles querem mesmo: destribuir as poucas coisas que existem de bom nesse país.

  123. andre souza

    -

    19/04/2012 às 14:53

    Realmente existe muitas pessoas que acham que o exame da OAB é lindo , seria lindo sim ter exame de proficiencia para todos os cursos gratuitamente e aplicado pelo MEC antes da graduação o comentario inconsequente dos demais a favor do exame trata se da mais pura ignorancia constitucional por que em vista os demais nao sabem que um graduado em direito nao se difere dos demais graduados cidadaos iguais e nao pode ser tratado de forma diferente, outro fato é que a OAB com este exame levanta cerca de 60 milhoes de reais 4 X ao ano e nao declara tirando assim cerca de 10 milhoes de reais da boca do povo que poderia ser contruidas milhares de casas populares , escolas etc e tal . acredito que as pessoas para versar sobre qualquer assunto deveriam analisar os pros e contras , se existe tanto profissional aprovado neste exame que erra , engana , que nao tem carater entao este exame nao serve nada mais do que uma reserva de mercado e uma mega sena pra OAB. um abraço ao povo Brasileiro que na sua santa ignorancia ainda acredita em papai noel rsrs advogados no brasil com carteira ou sem tem fama de que na boca do povo , me responda quem souber ?

  124. Rosah

    -

    19/04/2012 às 14:49

    Se este imoral exame existe para defender a sociedade dos “advogados” ruins, quem vai defender esta mesma sociedade de alguns “ADEVOGADOS” que infelizmente estão inscritos nos quadros da Tão respeitada instituição OAB?
    Quem vai defender a sociedade destes péssimos profissionais? A OAB deveria sim esta alerta para este problema.

  125. Aguimar

    -

    19/04/2012 às 14:35

    Complementando, a OAB deu uma carteira de advogado para a esposa do Demostenes, após ter feito uma faculdade aos sabados em Goias (vermelhaça) comemorada com o Cachoeira, ao mesmo tempo que exige transparencia, ética, o discurso e um e a prática e outra, impondo ordem até na magistratura.

  126. Gibson

    -

    19/04/2012 às 14:34

    Sinceramente, no Brasil de hoje não há mais espaço para autoritarismo, em pleno secúlo XXI, são muitos desempregados, se querem prova façam dentro do curso e não deixar milhares de desempregados, isso é um absurdo.
    Todos sabem, que o Exame mesmo tendo passado no STF, que infelizmente tem julgado em causa própria, e não têm dado ouvidos a voz do povo que os paga, CONTINUA SENDO INCONSTITUCIONAL, que o diga o professor de Direito constitucional FERNANDO LIMA E OUTROS, que passaria o dia todo falando aqui. O problema está na forma que foi criado o Exame, e desde o Governo Collor, já tinha sido rejeitado por 15 juristas.Portanto, entende-se que temos que aceitar as críticas do que os Cursos de Direito, estão sucateados, que fale agora a mulher do SENADOR DEMOSTENES, que fazia o curso indo uma vez na semana no curso, segundo as últimas informações e que passou com nota DEZ sem ter concluído o curso, estranho né, querem fazer justiça, façam então a hora é agora, já!AH IA ME ESQUECENDO ELA JÁ ESTÁ COM A VERMELHAÇA!

  127. Aguimar

    -

    19/04/2012 às 14:32

    Parabéns Deputado, E necessário extinguir esse exame, porque ele funciona da mesma forma que os caça-niqueis do Cachoeira, arrecada milhões, e vai patrocinar os “interesses” da organização, não é apenas os bacharéis os prejudicados, mas toda a classe politica tbm, pois com a fortuna arrecadada, ela patrocina os politicos que agem a favor dela, e ferra os que não compactua com seus desideratos. Ou a classe politíca quebra a crista dessa organização ou se tornaram refén dela.

  128. marcus

    -

    19/04/2012 às 14:11

    Acabar com esta porqueira será uma das maiores conquistas da sociedade. Esta oab não tem interesse nenhum em buscar aumento na qualidade dos cursos e dos profissionais, o único interesse é posar como garantidora dos direitos dos cidadãos, assim como escravocatas que escravizavam como forma de garantir a boa vida dos escravos, é o mesmo argumento tosco e fora da realidade. Só quem já fez esta prova sabe a incoerencia e malicia que cercam as correções. Esta oab faz muitos anos que presta um deserviço à sociedade. Só para constar, fiz e passei nesta porqueira ainda no nono período, então não venham falar em ressentimento ou algo parecido.

  129. jorge litwinczuk

    -

    19/04/2012 às 14:00

    Já passou da hora de alguém tomar uma atitude contra esta prova imoral, feita para reprovar e possibilitar uma arrecadação milionária para a Oab. Só quem já fez este exame sabe da loteria que é a aprovação. Todos são iguais perante a lei. Como dizia o Ministro vira casada Marco Aurélio “o mercado vai aprovar ou reprovar” FIM DA RESERVA DE MERCADO JÁ

  130. jaime silva

    -

    19/04/2012 às 13:57

    Todo meu apoio ao que disse MACUNAÍMAS S/A. Faço minha as suas sábias palavras. Todas as profissões deveriam ter suas “OAB”, para filtrar êsse pessoal esculhambado que se formam em “escolas de fim de semana” e depois são transformados em magarefes(médicos),loroteiros 171 (advogados) e alguns que não chegam aos pés de mestre-de-obras (engenheiros). Enquanto o MEC não fiscalizar e obrigar as escolas a ensinar, a sociedade tem que reexaminar e exigir que esse pessoal que sai das faculdades provem que relmente tem condições de exercer a profissão.

  131. ANA CLÁUDIA

    -

    19/04/2012 às 13:54

    ENFIM ALGUEM AGE PARA ACABAR COM ESSA IMORALIDADE QUE ASSOLA ESSE PAÍS, É UMA VERGONHA QUE ESSE EXAME AINDA EXISTA.

  132. ERNANI ELIAS DA CONCEIÇÃO

    -

    19/04/2012 às 13:31

    TODOS QUE CONHECEM A CONSTITUIÇÃO SABEM QUE O EXAME É ILEGAL,AQUELES QUE TEMEM O FIM DO EXAME OU SÃO ADVOGADOS DEFASADOS E TEM MEDO DA CONCORRÊNCIA OU SÃO PESSOAS MAL INFORMADAS E QUE GERALMENTE SE BASEIAM NA OPINIÃO DA MIDIA TENDENCIOSA

  133. Rábula

    -

    19/04/2012 às 13:28

    O Brasil é mesmo um país vagabundo.
    Nada, absolutamente nada que impeça, ou sequer dificulte, a vida da incompetência e/ou da malandragem.
    E a OAB não vai reagir?
    Sarney, Lula e todo o lixo similar só podem dar de braçada.

  134. lázaro

    -

    19/04/2012 às 13:26

    OAB QUER SOMENTE DINHEIRO DAS TAXAS ,ENTIDADE COMUNISTA

  135. Marilda

    -

    19/04/2012 às 13:21

    Essa prova não prova ninguém é um meio de arrecadar dinheiro.

  136. Marilda

    -

    19/04/2012 às 13:19

    Esse exame imoral não existia antes todos formavam e advogam diretamente.

  137. G. Carvalho

    -

    19/04/2012 às 13:12

    O mínimo denominador comum, juntamente com o formalismo, a indefinição dos preços e a impunidade generalizada, é a marca registrada dos países que se aferram ao modelo Bazar-Cantina de gestão pública. O professor Fred Riggs, melhor que ninguém, expôs as consequências funestas da adoção de tal modelo –
    para os contribuintes, não para os finórios que dele se beneficiam, no atacado e no retalho. O primo Arnaldo diz que os livros de Riggs, apesar de antigos, parecem ter sido lançados ontem, com dados e exemplos colhidos por aqui.

  138. Alessandra

    -

    19/04/2012 às 13:10

    É seu Silvio: no final quem ganha é a carta.

  139. gustavo

    -

    19/04/2012 às 13:02

    Sou advogado e entendo que o fim do exame será a pá de cal na classe.

    Somente os preguiçosos que não conseguem aprovação reclamam de um exame que separa o joio (maioria) do trigo (minoria).

  140. Marcelo

    -

    19/04/2012 às 12:46

    Apoiado!
    Prova da Ordem, só com ela revendo o seu processo eleitoral e apresentando TODAS as suas contas.

  141. Marilda

    -

    19/04/2012 às 12:17

    Que a justiça seja feita!

  142. Marilda

    -

    19/04/2012 às 12:16

    È a melhor notícia dos últimos tempos. por favor Deputado peça a máxima urgência e desde já agradeço.

  143. Antônio Davi Roland de Brito

    -

    19/04/2012 às 11:26

    O fim dessa prova será pessimo para o curso de Direito !

  144. Daniel Pinto

    -

    19/04/2012 às 11:01

    O fim o exame da OAB não interessa a sociedade que espera encontrar profissionais com um mínimo de qualificação. Isto é demagogia. Já que o deputado trabalha a favor dos interesses de alguns bacharéis podia lutar pelo aprimoramento do exame, tornando-o mais justo, ou ainda brigar pela melhoria do ensino jurídico no país que de uma maneira geral é vergonhoso e ridículo.

  145. MACUNAÍMAS S/A

    -

    19/04/2012 às 10:08

    Apesar de nunca ter sido contra, sempre defendi a tese de que as faculdades deveriam ser sérias e isentas o bastante para que o MEC lhes permitisse formar advogados. Só isso. Essa prova deveria ser ministrada, não para que os ADVOGADOS pudessem exercer plenamente a profissão em que se formaram, mas poder RECEBER O CANUDO. O que a OAB faz é a chamada “moral de cuecas”. Não luta para impedir que as faculdades “pagou-passou” retirem seu sustento a custa de formarem péssimos, para não dizer, inúteis profissionais que acham que são advogados. Apenas faz a seleção após se formarem. Moralmente incorreto, mas tecnicamente preciso, com isso a OAB realmente faz o que o MEC se omitiu em fazer e cuida para que a qualidade do profissional que recebe a sua carteira, seja bem satisfatória. Utilizando as palavras sábias de Eliana Calmon, e saindo do imaginário para a realidade, essa prova deveria ser também exigida para que médicos, engenheiros, para não dizer, todos profissionais formados pela omissão e desserviço do MEC possam ser medidos, protegendo a quem vier a depender dos serviços destes profissionais que “compraram” seus diplomas.

  146. eduardo

    -

    19/04/2012 às 9:12

    é isso aí, vamos acabar

  147. Marcocv

    -

    19/04/2012 às 9:11

    será que esse enrolão é advogado? será que ele já passou no exame da ordem? ou tem algum parente que nunca passou?

  148. Eduardo

    -

    19/04/2012 às 8:55

    É um absurdo. É uma das poucas avaliações sérias do Brasil. Tem que haver mobilização para que isto não aconteça.

  149. carlos francisco

    -

    19/04/2012 às 8:41

    Esse pilantra deve defender os interesses do tráfico. Só assim os bandidos, liderados por esse pilantra, conseguirão encher o Pais de advogados que não sabem ler e escrever para defender as suas causas.
    O povo do RJ é realmente idiota. Como um debil mental como esse, deputado consegue ser eleito.

  150. Think tank

    -

    19/04/2012 às 8:40

    Neste país farsesco, agora vai descambar ainda mais. Será o novo padrão da malandragem, que vem se somar às cotas, MST, ENE, PQP.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados