Blogs e Colunistas

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

16:17 \ Brasil

Projeto avança

Briga a vista

Roberto Lucena (PV) deu ontem parecer favorável ao controvertido projeto da ‘cura gay’ na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara.

Apresentado pelo goiano João Campos, a proposta tenta regulamentar o tratamento psicológico para a “cura do homossexualismo” (Mais detalhes em De Onde Saiu a Ideia).

O avanço do estapafúrdio projeto já produziu polêmica. O Conselho Regional de Psicologia de São Paulo já recolheu mais de 15 000 assinaturas virtuais contra a proposta.

Por Lauro Jardim

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado

148 Comentários

  • Fernanda

    -

    2/7/2013 às 9:48

    Fico triste por ver que em nosso país basta uma pessoa dar uma opinião errada que logo milhões vão defendê-la sem sequer saber do que se trata!!!
    Eu acredito que esse projeto deveria ser APROVADOOO!! Chega de hipocrisia, leiam atentamente ao projeto e entendam do que se trata. A resolução do Conselho de Psicologia proíbe aos mesmos de realizarem estudos, testes, de participarem de congressos e seminários relativos ao assunto, e proíbe até mesmo de se pronunciarem sobre o assunto e de realizarem atendimentos aos homossexuais (isso é democracia ou estão violando os direitos deles??). A sua aprovação não permitirá a cura gay, até por que, teoricamente, não é uma doença (pois não podem fazer estudos), mas sim que os psicólogos possam estudar os casos, descobrir motivos e origens, e realizar ATENDIMENTO ( e não cura) aos homossexuais que quiserem e acharem que podem se tratar, ou apenas os que querem um simples acompanhamento psicológico (só quem é homossexual sabe a pressão que eles vivem, e como poderia ser bom para o seu psicológico ter um acompanhamento, assim como quem está depressivo, quem tem problemas psicológicos ou como qualquer pessoa normal pode querer o acompanhamento apenas para se sentir melhor). Em questão no nome dado de cura Gay, foi mais uma questão de politicagem e de mídia, onde mais uma vez querem desviar a nossa atenção das coisas piores que estão acontecendo. Outra coisa, Feliciano não tem nada a vê com isso, ele apenas aprovou o projeto na Câmara de direito humanos (por incrível que pareça, apoiando o homossexual!!).
    Leiam, é a única opção de quem quer manifestar uma opinião. Manifestem sabendo do que se trata!!

  • Sandra

    -

    19/3/2013 às 8:18

    Porque as pessoas não entendem de uma vez por todas que o que se faz entre quatro paredes e problema individual, expresso minha indignação sim, porque sou mãe de 4 filhos e não acho que “kit gay” não seja tão tafurdio quanto ao projeto do sujeito ai, pois “dois pesos duas medidas”..não apoio o projeto e tambem, o kit gay..dinheiro público é pra ser gasto com saúde, educação etc que todos estamos cansados de saber..Agora dizer que gays precisam de psicologo e pra acabar e dizer que meu filho aos 7 anos de idade tem que decidir se será gay ou não ..olha so no Brasil mesmo;

  • Sandra

    -

    19/3/2013 às 8:16

    Porque as pessoas não entendem de uma vez por todas que o que se faz entre quatro paredes e problema individual, expresso minha indignação sim, porque sou mão de 4 filhos e não acho que “kit gay” não seja tão tafurdio quanto ao projeto do sujeito ai, pois “dois pesos duas medidas”..não apoio o projeto e tambem, o kit gay..dinheiro público é pra ser gasto com saúde, educação etc que todos estamos cansados de saber..Agora dizer que gays precisam de psicologo e pra acabar e dizer que meu filho aos 7 anos de idade tem que decidir se será gay ou não ..olha so no Brasil mesmo;

  • Pedro

    -

    10/1/2013 às 16:11

    Porque infernos eles não vão atrás de corrupção, bandidos, assassinos, ladrões, pedofilia… Porque não nos deixam em paz? Nós não fazemos o mau a ninguém… somos pacificos. Pecado? isso existe sim mas nós não o cometemos… lembram do livre-arbítrio? vocês pecam por quererem limitar a vida de outra pessoa. Pensem cuidadosamente vocês podem estar cavando a própria cova.

  • Debora

    -

    21/12/2012 às 13:16

    É engraçado como perseguem os homossexuais, a bíblia diz tantas coisas que Deus abomina, tipo “Não matar” , porque não criam um CURA LADRAO, vão atrás de pessoas que fazem o Mal. Deixem-nos em paz, a salvação cabe a Deus decidir, ninguém salva ninguém.

  • Maria Inês

    -

    21/12/2012 às 12:50

    Acho um absurdo terem que fazer os homossexuais passar por mais uma humilhação.
    Homossexualidade não é doença, os únicos argumentos que eles têm são os religiosos, isso é óbvio.
    Por favor Brasil, não vamos retroceder. E por favor evangélicos, parem de darem força a homofobia.
    Vamos respeitar todos, não é isso que a bíblia ensina?

  • luciana

    -

    19/12/2012 às 0:05

    RIDÍCULO, SER HOMOSSEXUAL NÃO É UMA DOENÇA, TAMPOUCO UM ESTADO PSICOLÓGICO. O QUE O “PROFISSIONAL” VAI FALAR PARA O PACIENTE? QUE É PECADO? QUE É ERRADO? QUE É MELHOR SER HÉTERO? VAI BASEAR-SE EM QUE ARGUMENTOS? E POR QUE TANTA INTOLERÂNCIA? OS GAYS ESTÃO INCOMODANDO A SOCIEDADE? POR QUE OS POLÍTICOS NÃO VÃO SE PREOCUPAR COM ASSUNTOS COMO A POBREZA E A FOME NO PAÍS?

  • Leandro

    -

    15/12/2012 às 13:33

    Leniéverson Azeredo para um jornalista você não estudou direito, você deveria saber que jornalismo imparcial é uma mentira, pois ele não existe, todo jornalista tem posições e trabalha de acordo com as posições institucionais do seu empregador, seja um jornalista da FOX News ou um jornalista da MSNBC. Todos tem um viéis ideologico, isso se aprende bem no começinho da faculdade

  • Leandro

    -

    15/12/2012 às 13:23

    Perca de tempo todo mundo sabe que dificilmente será aprovado na camara, e se for aprovado, não resiste a um julgamento constitucional, pois como todos sabem a CFP é soberano, sobre o que pode ou não pode ser realizado, e que tipos de tratamentos podem ou não podem ser administrados, é como a camara dos deputados querer se meter nas resoluções do Conselho Federal de Medicina, ou no de Enfermagem e etc…

  • Fernanda Thompson

    -

    13/12/2012 às 21:27

    Reintero que é muito bom ler comentários inteligentes com conteúdo de alguns desta coluna do jornalista Lauro,mas têm certos comentários que são lamentáveis em tentar impor na sociedade o que é preciso tratar com a psicologia. Novamente,quero lembrar que a criação fala do homem e da mulher,assim concordo com os comentários do gaúcho de Passo Fundo
    o sr. Élio e o do sr. Leniérveson,que os nossos jovens têm um importante aliado no tratamento com a psicologia para orientar quem está precisando.

  • Tércio

    -

    13/12/2012 às 16:27

    Gays insatifeitos? claro que sim!mas não por causa da sua sexualidade e sim pela pressão q sofrem da sociedade cabresteada principalmente pelas igrejas.Vejamos: Filas mal das saias Pedir mais cedo Vale milho e outros tantos, que quando o rebanho diminuir vão aceitar gays tambem, porque o nogócio é dinheiro, tudo em nome de jesus.Alguns Psicólogos, pastores ,padres e outros mal resolvidos sexualmente querendo orientar a luz da religião, como devemos nos conportar devem refletir sobre si mesmos. Que tem algo de errado com eles; tem. Minha sexualidade diz respeito a mim. Muito bonito juntar todos num só rebanho.Fica facíl a exploração. Vemos todos os dias isso na TV.

  • PATY

    -

    13/12/2012 às 15:40

    MEUS DEUS TEM GENTE QUE NÃO TEM NEM NOÇÃO NO QUE FALA! COMO PODE TER CURA SER GAY! SE SER GAY NÃO EH DOENÇA. SENTI DESEJO,ATRAÇÃO POR UMA PESSOA DO MESMO SEXO EH NORMAL, É A MESMO COISA DE UM HOMEM POR UMA MULHER E VISE E VERSA UMA MULHER POR UM HOMEM. DEIXEM DE SER TÃO LEIGOS E LEIAM MAIS REPORTAGEM DE ENTREVISTAS DE HOMOSSEXUAIS VOCÊS VÃO ENTENDE AO VEZ DE CRITICAR E TER PRECONCEITOS.

  • Élio Estácio Dall'Agnol

    -

    13/12/2012 às 14:25

    Boa tarde caro Lauro,em primeiro lugar agradeço a apreciação do meu comentário pela sra. Fernanda Thompson,mas o principal é que eu gostaria de esclarecer que a minha opinião está embasada em tratamentos reais que ocorreram e tiveram excelentes resultados. Abraços desse gaúcho de Passo Fundo,a Capital Nacional da Literatura!

  • Max

    -

    13/12/2012 às 0:39

    Gays que se submetem a tratamento de “cura”, desenvolvem quadro depressivo e muitos inclusive tentam o suicídio. Já conversei com vários “ex-gays”, em igrejas, que se submeteram a esse tipo de coisa, e quando não estão na frente do pastor, ou de amigos, acabam admitindo, que continuam sentindo atração por pessoas do mesmo sexo. Um deles me disse: “a luta é diária”, ou seja, essas pessoas nunca deixam de ser gays, e por causa da religião vivem uma falsa vida de héteros, muitos se casam e até têm filhos, mas no fundo continuam gays, frustrados e infelizes. Isso é deprimente, e é o retrato do que acontece nos bastidores das igrejas fundamentalistas.

  • Max

    -

    13/12/2012 às 0:30

    A resolução do Conselho de Psicologia não proíbe atender homossexuais descontentes com sua condição. Proíbe apenas o psicólogo em propor tratamento de cura. pois propor cura para algo que não é doença é charlatanismo. Os gays não estão insatisfeitos por que são gays, mas sim por causa do preconceito, violência física e psicológica que sofrem diariamente desta sociedade homofóbica e hipócrita. Acabem com o preconceito, que os gays vão viver plenamente sua sexualidade sem problemas ou conflitos.

  • José Maria

    -

    12/12/2012 às 22:14

    Se a psicologia não é ideológica, o CFP jogou esse isso no lixo, ao probir que profissionais ajudem homossexuais insatisfeitos com sua condição sexual a se libertar desse comportamento sexual, querendo que o psicólogo imponha ao sujeito a aceitação de um comportamento sexual que ele não se identifica. É bom deixar claro que os pais da psicologia já diziam que não existe nenhuma fixidez em relação à sexualidade, podendo transitar livremente do homo ao hétero, indo até outras nuances como zoofilia, necrofilia etc. Segundo a OMS homossexualismo não é doença, mas um comportamento sexual.

  • kj

    -

    12/12/2012 às 21:24

    E vejo também que só temos doutos em genética e biologia nestes comentários, falando coisas primárias que nem estudantes do ensino médio falariam. Assim como vcs gostam de ter suas “opiniões” respeitadas, porque vocês não respeitam a dos gays? É muito fácil falar do alto do seu teclado de seu computador.

  • kj

    -

    12/12/2012 às 21:22

    Engraçado… o dep. João Campos adora ser defensor da moral contra os gays, mas porque ele não cuida da moral política do seu Estado? O que ele tem a dizer sobre o caso Cachoeira, enquanto delegado de polícia que ele é/foi? O que falar da zona que foi o evento Caldas Country, com mortos, feridos e sexo explícito no meio das ruas? É muito fácil mexer com quem tá quieto e garantir uns votinhos dos que tem a mente vazia e falta louça suja para lavar.

  • Koray

    -

    12/12/2012 às 20:57

    Enquanto as democracias avançam no direito das minorias o brasil anda para trás. Este projeto representa uma nova etapa na perseguição dos homossexuais, já que não podem prendê-los, pretendem explorá-los em clínicas. Já passei por esse tratamento de “cura” e por experiência posso afirmar ser uma farsa. Minha família gastou horrores com uma “psicóloga cristã” e continuo sentindo atração por homens. Charlatanismo pouco é bobagem!

  • Élio Estácio Dall'Agnol

    -

    12/12/2012 às 20:37

    Boa noite caro Lauro,concordo plenamente com o comentário do sr. Leniérvson Azeredo,o que o deputado está propondo é a possiblidade de auxiliar jovens quando vivem uma crise de identidade e que o tratamento psicológico pode orientar. Como destaquei no meu comentário anterior,conheço casos de crianças e adolescentes que tiveram o apoio psicológico na sexualidade e conseguiram se identificar com heteros. Abraços desse gaúcho de Passo Fundo,a Capital Nacional da Literatura!

  • Dan

    -

    12/12/2012 às 18:10

    equivocado é você, Leniéverson Azeredo. Eu não toquei em nome de ninguém. Não falei nem em homofobia, que tenho uma opinião muito bem fundamentada. Eu apenas disse que a resolução é fidedigna. Psicólogo cristão é falacioso. Até porque o psicólogo mesmo que escolha os seus pacientes no consultório (o que já é impróprio); ele, em algum momento, se trabalhar na rede pública, vai se deparar com um paciente umbandista, kardecista ou ateu. E aí? Como vai ser. Psicologia não é uma prática de manuseio ideológico. Deputado cristão querer mudar código de ética profissional que é fundamentado pelos fóruns de ética dos conselhos regionais aliados às universidades credenciadas pelo Ministério da Educação e Cultura e instituído pelo Conselho Federal Profissional por motivos sectaristas é o cúmulo do abuso de poder. A fé é inalienável, você deve ter aprendido isso em filosofia do método (ou em metodologia). O conhecimento científico é determinado por validações fidedignas, com controle de variáveis extrínsecas. Não é fundamentado pelo senso comum, por mitologemas, nem contadores de estórias.

  • Alexandre

    -

    12/12/2012 às 16:32

    é isso ai…. tem que quebrar o rabo dos bundeiros !!!

  • Tércio

    -

    12/12/2012 às 15:39

    André, sua genialidade seria muito proveitosa para a humanidade mas enterrada lá no meio do deserto do saara.Francamente vc é a síntise da pobreza de racíocinio.

  • Tércio

    -

    12/12/2012 às 15:31

    Magaiver santos silva porque ser gey é opção? diga o dia mes e ano que vc optou por ser hétero? com certeza vc é o único ex gay do planeta.É o q se subentende-se em seu comentário.

  • Leniéverson Azeredo

    -

    12/12/2012 às 14:24

    Eu gostaria de acrescentar algo, eu também sou jornalista. Estudei os mesmos 4 anos de faculdade, tive aulas de sociologia, antropologia, filosofia e, muita gente poderia dizer que eu deveria ter uma mente mais aberta. Bem, sou católico convicto, não morro de amores por estes pastores que são mal falados aqui, mas apoio alguma de suas lutas. Poderiam dizer, mas a fé contaminou seu pensamento, Não é questão de fé, mas sim de valores e de conceitos biológicos. Diferente do que disseram aqui, ninguém nasce gay, nasce com o cromossomo masculino ou feminino. Se fosse assim, poderia dizer que as pessoas nascem bandidas, traficantes, nascem viciadas em alcool, enfim, usam retóricas sem fundamentos e que exalam muito mais intolerância do que outra coisa.

  • Leniéverson Azeredo

    -

    12/12/2012 às 14:12

    Pode até ser estapafúrdio na visão do colunista e de alguns comentaristas, mas não é. O que se defende no projeto, não é a cura gay, mas a possibilidade do profissional de psicologia intervir no caso de alguma crise de identidade ou quando o homossexual quiser buscar entender sua psiquê. E outra, ao chamar de estapafúrdio, está sendo parcial e mostra uma aparente militância. Quanto ao Dan das 12:40, você redondamente equivocado, eu conheço vários psicólogos, formados com especialização, como a Rosângela Justino e a Marisa Lobo, que recebem até ameaças de morte, por e-mails, pelas redes sociais e até pessoalmente. a Elida Lima e outros, chamar quem pensa diferente, no caso os cristãos de homofóbicos, é uma forma antidemocrática de dizer que eles são intolerantes. O caminho de verdade para se debater a questão, não pode passar pela cristofobia, ou seja, pelo deboche e achincalhe aos valores cristãos, que mesmo que não queiram ou relativizem, condena o homossexualismo. Lauro, mais jornalismo e mais imparcialidade por favor. O equilíbrio agradece.

  • André

    -

    12/12/2012 às 14:01

    Gritinhos parecidos estão dando aqui. Qualquer coisa que lhes desagrade no Congresso eles vêm falar da mesma coisa: “Ah, o Congresso não têm coisa melhor pra fazer??”
    Mas não dizem isso quando parlamentares querem enfiar leis pra promover o gayzismo. Não dizem isso a respeito dos que lutam a favor do aborto. Não dizem isso a respeito dos que lutam para queimar mato… e assim vai…

  • André

    -

    12/12/2012 às 13:57

    Aliás nunca vi um militante gay encarar um debate honesto sobre o tema.
    Os únicos que vi foram no “Superpop”. Sempre chega um momento em que começam a dar gritinhos e interromper o interlocutor.

  • André

    -

    12/12/2012 às 13:44

    Se homossexualismo é tão natural então gêmeos univitelinos deveriam os dois serem, não?

  • Elida Lima

    -

    12/12/2012 às 13:11

    Lendo os demais comentários, chego a conclusão que se vai ter lei para mudar os homossexuais que tenha também para os Heterosexuais, principalmente os transloucados Pastores Evangèlicos para que se curem de sua FOBIAS contra tanta coisa que eles consideram MUNDANAS. Nunca vi seres humanos tão preconceituosos. Querem mudar o mundo à força. O dono do mundo que é o MAIORAL, tem toda a paciência com TODOS, inclusive com os PASTORES defeituosos do espirito.Porque esta invenção agora? Se DEUS quisesse mudaria tudo e todos num passe de mágica. Daí que foi sábio demais e deu logo a faculdade do LIVRE ARBÍTRIO. Vivam livres e felizes! Disse Deus ao criar as suas Criaturas.

  • Elida Lima

    -

    12/12/2012 às 12:49

    A palavra estapafúrdio foi muito bem empregada pelo comentarista da veja. Se existe algum doente esses estão nas fileiras das igrejas evangèlicas querendo se curar. São na sua maioria aqueles que se intitulam líderes religiosos, que ao não assumirem suas essencias, tendem a querer impor modificações exdrúxulas na vida das pessoas. Esta é a maior falta de respeito que conheço em toda a história do Cristianismo. Uma aberração por se tratar de pessoas que deveriam dissiminar o AMOR e não o ÓDIO entre os seres humanos. Quando esse tipo de pessoa se tocar e deixar que cada um viva a sua vida da forma que bem lhe aprouver, o mundo e em especial o nosso País será de PAZ. Este absurdo Projeto vai incitar ainda muitas discórdias e mortes no seio da sociedade brasileira. Imaginem como não vivem os liderados por estes tipos de religiosos. Devem ser os seres humanos mais infelizes da face da terra.

  • Dan

    -

    12/12/2012 às 12:40

    psicólogo não tem que ter livre arbítrio no ‘setting’ de psicologia, não é o pensamento do psicólogo que tem que prevalecer. Isso não é psicologia! É outra coisa que eu nem sei dizer o nome. O psicólogo tem que ter o pensamento analítico (matrizes lógicas). Tem que ter comprometimento ético, mas não uma ética da moral que impediria a livre associação do paciente, mas uma ética do desejo, respaldada na filosofia, que respeita o sujeito do desejo, da linguagem e da diferença (ninguém é igual a ninguém). Eu garanto que os psicólogos cristãos não têm respaldo cognitivo para tal. A demanda desse projeto é de psicólogos cristãos (que nem mostraram a cara, já que eu só conheço três, onde a maioria envolvida não tem a formação em Psicologia). É um projeto proselitista que só ressaltaria (se aprovado) o quanto o congresso nacional está repleto de parlamentares que estão dispostos a ferir a Lei máxima do país – a constituição. Ou seja, se passar será um tiro no pé. A sociedade, nas últimas eleições de municípios importantes como Manaus, São Paulo e Curitiba, não está mais disposta a ser conivente com políticos com pensamentos retrógrados e proselitistas. O mundo é diversificado e deve ser respeitado por sua capacidade de acolhimento das diferenças. Sejam elas étnicas, de orientação sexual, de identidade de gênero, de pensamentos e etc. Voltando a questão da psicologia cristã, se um umbandista ou Kardecista aparecer no consultório de um psicólogo que se auto-intitula cristão, qual seria a sua conduta se não a de modificar (ou tentar modificar) o comportamento religioso desse sujeito. Isso é respeitar o livre arbítrio? Se esse projeto absurdo passar no congresso, com certeza, o Conselho Federal de Psicologia, autarquia federal de autoridade cognitivo/científica vai solicitar ao executivo (presidenta Dilma) o veto por sua inconstitucionalidade.

  • joao

    -

    12/12/2012 às 11:29

    esse joao compos deveria envestigar a concessão da igleja que ele apoia aqui em goiania que foi patrocinada pelo ex senador demostenes torre ai tem a mao do carlinhos cachoeira

  • magaiver santos silva

    -

    12/12/2012 às 11:21

    se ser gay é opção, então mais que justo a obrigação do sus oferecer apoio psicologico as pessoas que estejam sem saber o que querem na vida, somente os gays velhos que querem ver o mal do proximo.

  • Clévio

    -

    12/12/2012 às 10:30

    Creio ser uma boa ideia, já que conheço vários homossexuais e todos passarm por problemas/conflitos na infância, seja de identidade, seja afetivo, emocional, etc.
    Mas temos que respeitar a todos. Ninguém é melhor que o outro pelo simples fato de escolher uma opção sexaul. Há os que tem problemas hormonais, esses, realmente a psicologia não pode fazer nada….
    Saliento, ninguém é melhor que ninguém. Devemos ajudá-los como ajudamos outros, com outras tipos de problemas…

  • Fabio Ribeiro

    -

    12/12/2012 às 10:23

    Este é um retrocesso e uma afronta aos direitos da pessoa exercer sua sexualidade. Já está mais que certificado que a homossexualidade não é nenhum distúrbio mental é tão normal quanto a heterossexualidade, está presente na história da humanidade desde e o incio dos tempos, assim com a heterossexualidade. Desde 1985 que já não pode tratar como doença o Direito da pessoa amar outra do mesmo sexo. Se pensar dessa forma teríamos também de curar os heterossexuais.
    A única diferença é que homossexuais são minorias e por isso a heteronormativadade avança.n O que está por trás desses projetos são questões religiosas que encaram a homossexualidade como pecado, de forma que por este viés eles não conseguiriam avançar no projeto maquiaram como doença. O que tem que ser tratado é o preconceito este sim, mata pessoas.

  • Elismar

    -

    12/12/2012 às 10:20

    Sr deputado você deveria era aprovar o projeto escola sem homofobia. Dê exemplo Sr deputado homofóbico. Lembre-se que você está aí por conta de votos das pessoas e um dia você pode perder o seu lindo salário.

  • Élio Estácio Dall'Agnol

    -

    12/12/2012 às 10:18

    Bom dia caro Lauro,é muito real este tratamento psicológico que eu conheço casos aqui no RS que foram curados com tratamento,principalmente, de crianças e adolescentes. Abraços desse gaúcho de Passo Fundo,a Capital Nacional da Literatura!

  • Elismar

    -

    12/12/2012 às 10:17

    Este deputado homofóbico/pilantra deveria era preocupar com o fio-fó dele e com a roubalheira que existe no país. Sou gay e não sou doente, por isso não preciso de cura!
    No lugar de o Brasil avançar está retrocedendo à Idade Média!

  • Edvaldo Freitas

    -

    12/12/2012 às 10:08

    É ….. já se foi o tempo em que Jornalista só publicava a notícia …. “estapafúrdio” ser colocado pelo Jornalista … Realmente, fica chatinho,chatinho ….

  • Elton

    -

    12/12/2012 às 9:48

    A sexualidade não é doença. Um homem gay ou mulher gay é tão normal quanto um hétero. Vergonha é machismo exacerbado. Não sou contra gays e lésbicas procurarem ajuda para conseguir vencer o quão difícil é a aceitação. Já é provado pela ciência que homossexualidade não é doença. A única forma de ainda pensar assim é sendo religioso, o mal da religião. Procurar tratamento pra aceitação é uma coisa, pra se curar é outra. Duvido muito que exista o tal do ex gay ou ex lésbica. Acredito que existam bissexuais que preferem por medo ou não agradar a nossa preconceituosa e machista sociedade. O que faz um homem menos homem? Manter relações sentimentais e sexuais com um homem? O que nos faz menos homens, o que humilha nosso gênero é tratar mulheres como mercadoria barata, acreditar que toda mulher só é bunda e peito, secar uma mulher toda vez que uma passa em nossa frente, espancar uma mulher, estuprar uma mulher, acreditar que ela deva ser humilhada, que ela tem obrigação de fazer tudo o que queremos. Isso é pensamento do século XX. Não sou contra psicólogos ajudarem pessoas confusas com sua condição. Sou contra utilizarem tão nobre área profissional pra disseminar uma mentira. Héteros que pensam que é possível mudar respondam deixando de lado religião e pseudo ciências: você, com um tratamento psicoterapêutico conseguiria mudar a sua sexualidade?

  • eumesma

    -

    12/12/2012 às 9:45

    Que preguiça da “humanidade” meu Deus!!! Quando descerás o seu braço direito sobre nós, ó senhor!?
    Que tal tentarem um tratamento coletivo no congresso? Para aqueles corruptos incorrigíveis..tipo Sarneys, collors, lulas,cardosos, dirceus, genoínos, suplycis…Que mania de se preocuparem com a genitália alheia!!!Como vai mesmo o caso Rosegate???

  • Tércio

    -

    12/12/2012 às 9:44

    Filipe pelo seu comentário vc esta precisando de um ou mais psicólogos.(cabe uma pergunta:vc é feliz ou é cabresteado por uma destas religiões q prometem as delícias do céu?). Preocupe-se com vc e não com a sexualidade dos outros. Quanto a estes deputados não caberia responder mas vou me permitir. Imagino do q seriam capazes se fizessem parte da equipe de médicos nazistas que faziam esperiências com humanos no o periodo em q o maior monstro da história(hitler) comandou a Alemanha.(A história se repete com roupagem diferente).Deveríamos tirar lições do passado para não ficar repetindo os mesmos erros.

  • João Neto

    -

    12/12/2012 às 9:20

    Discordo do Felipe (Filipe-11/12/2012 às 19:43). NO ECXISTE EX-GAY, como diria o Padre Quevedo.

  • Alberto

    -

    12/12/2012 às 8:38

    Duas personalidades ignorantes e preconceituosas: Roberto Lucena e João Campos. O Brasil vai de mal a pior com esse Congresso.

  • Aldo Ghisolfi

    -

    12/12/2012 às 8:15

    Quem sabe, começamos a ‘cura’ retirando do ar a apologia de que o homossexualismo é coisa normal; fosse normal a televisão não os apresentaria como figuras alegóricas, risíveis. Não discriminemos o homossexual; repudiemos o homossexualismo televisivo.

  • alan

    -

    12/12/2012 às 7:37

    Ô deputado proponha um tratamento com células tronco ai sim é possivel curar esse distúbio. Psicologia não.

  • Alexandre Ferreira

    -

    12/12/2012 às 5:30

    Eu concordo, é preciso sim dar opção aqueles que qerem

  • João Batista

    -

    12/12/2012 às 1:52

    O pastor Malafaya, Santiago, Macedo e R.R. Soares.

    Consegue fazer cego vê, Mudo falar, aleijado andar, morto resucitar. Porquê não conseguem acabar com:

    1)Vício das drogas
    2)Corrupções
    3)Desvios de recursos das igrejas para o exterior em suas contas.
    4)Transformar um homosexual e heterosexual.

  • Cristina

    -

    12/12/2012 às 1:41

    Como é que esse povo pede a “cura” de algo que não é doença? Pra que aumentar o preconceito? Quer dizer que agora quem não está feliz com a própria orientação sexual vai poder mudar? Os héteros insatisfeitos poderão fazer terapia para serem homossexuais???

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados