Blogs e Colunistas

10/04/2015

às 16:14 \ Fotonovela

A vida começa aos 70 em ‘Os Experientes’ e ‘Grace and Frankie’

Yolanda (Beatriz Segall) e Kleber (João Cortês) estão no primeiro episódio de 'Os Experientes': velhinha é vovózinha (Dvulgação)

Yolanda (Beatriz Segall) e Kleber (João Cortês) estão no primeiro episódio de ‘Os Experientes’: velhinha é vovózinha (Dvulgação)

O outono da vida, momento em que a gente espera estar preparado para alguma calmaria e reflexão, ainda pode reservar surpresas e muita agitação, demonstra a dramaturgia. Nesta sexta na Globo e no próximo dia 8 na Netflix, estreiam duas séries protagonizadas por personagens da terceira idade, parte de um filão do entretenimento que subvertendo a ideia de que a velhice é o tempo apenas de lamentação e saudade.

Em Os Experientes (23h), idosos vivem aventuras em que experiência é fundamental na condução da trama. São quatro episódios escritos por Marcio Alemão Delgado e Antonio Prata e dirigidos por Fernando Meirelles, Quico Meirelles e Gisele Barroco, da O2 Filmes. Com nomes como Selma Egrei, Joana Fomm, Juca de Oliveira e os cantores Wilson das Neves, Goulart de Andrade e Germano Mathias no elenco a produção começa com a história de um assalto a banco que, após uma sucessão de erros, une Yolanda (Beatriz Segall), uma senhora de 85 anos, e Kléber (João Côrtes), um aspirante a bandido.

Duas passagens do primeiro episódio resumem bem o espírito da série. No começo, Yolanda sofre para operar o caixa eletrônico do banco e é tratada com deboche pela funcionária que está ali para ajudar. Quando a confusão do assalto acontece, ficaremos sabendo que a “velhinha” é médica – e corajosa. Daí, é o caso perguntar: por que, quando envelhecemos, somos tratados com essa incômoda infantilização?

“A experiência perdeu a respeitabilidade que tinha e que merece. Um camarada mais velho não sabe mais ligar a sua TV, não usa pendrive, não lê blogs, não está nas redes sociais.  Acho que este mundo digital faz a garotada acreditar ilusoriamente que, por não saberem usar aplicativos, seus avós não têm nada de útil a ensinar”, teoriza Fernando Meirelles. “A arrogância juvenil é do tamanho da Ásia, mas a tolerância dos seus avós é do tamanho do planeta.”

Leia também: Segredo de Inês é revelado em ‘Babilônia’

Como na novela das 9, Babilônia (Globo, 21h15), que conta a história de Estela (Nathália Timberg) e Teresa (Fernanda Montenegro), a homossexualidade na terceira idade é tema da comédia Grace and Frankie, produção original para a internet que tem ninguém menos do Jane Fonda e Lily Tomlin como estrelas. As duas personagens passaram a vida como inimigas mas serãounidas aos 70 por uma bomba familiar: além de sócios no trabalho, seus respectivos maridos, interpretados por Martin Sheen e Sam Waterson, são amantes e resolveram assumir a relação – nunca é tarde. O roteiro é da criadora Friends, Martha Kauffman, e promete ser muito divertido, já pelo trailer (veja abaixo) – já valeria pela cena da ex-rainha do fitness conferindo a flacidez do braço no espelho.

08/04/2015

às 20:17 \ Fotonovela

Segredo de Inês envolve pedofilia e suicídio

Inês (Adriana Esteves) recebe uma visita do passado, tia Celina (Débora Duarte) (Divulgação)

Inês (Adriana Esteves) recebe uma visita do passado, tia Celina (Débora Duarte) (Divulgação)

O perfil predador de Beatriz (Glória Pires) é coisa que vem dos tempos remotos, em que ela ainda era “gatinha da Praia do Leme” e uma de suas “vítimas” foi ninguém menos que o pai de Inês (Adriana Esteves). A ligação entre as duas vilãs será esclarecida no capítulo desta quinta (9) de Babilônia (Globo, 21h15).

O segredo vem à tona com a chegada de uma nova personagem, a tia Celina (Débora Duarte) – como aquela vivida por Nathália Timberg em Vale Tudo (1988), também de Gilberto Braga. A ela, Inês vai confessar que anda aguentando humilhações porque tem um plano para tirar tudo de Beatriz. A justificativa é uma tragédia ocorrida em sua família no passado: denunciado e preso por se envolver com amiga adolescente da filha, o pai de Inês se matou na prisão.

Leia também:

Globo faz relançamento de ‘Babilônia’

Com audiência em queda, ‘Babilônia’ é piada no Twitter

Menos, Regina!

‘Na política, realidade supera a ficção’, diz Marcos Palmeira sobre personagem corrupto

Twitter: @patvillalba

07/04/2015

às 22:00 \ Fotonovela

Casal problema reata em ‘Malhação’

Para voltar com o namorado matusquela, Karina (Isabella Santoni) cantará 'Quase sem querer': atitudes de Pedro (Rafael Vitti) dividiram opiniões nas redes sociais (Tata Barreto/Divulgação)

Para voltar com o namorado matusquela, Karina (Isabella Santoni) cantará ‘Quase sem querer’: atitudes de Pedro (Rafael Vitti) dividiram opiniões nas redes sociais (Tata Barreto/Divulgação)

Depois de deixar o posto de casal mais carismático da trama e protagonizar um estranho caso policial, Karina (Isabella Santoni) e Pedro (Rafael Vitti) vão atender aos pedidos dos muitos fãs e reatar. As cenas em que o ex-namorado matusquela cai nos braços da lutadora enfezada estão previstas para o capítulo desta quinta (9) de Malhação (Globo, 17h45).

O garoto tinha desistido do namoro depois de vê-la beijar o vilão juvenil Cobra (Felipe Simas). Antes disso, e pior, os personagens se meteram numa polêmica quando o até então mocinho teve um surto e sequestrou a “garota esquentadinha” que resistia a ficar com ele – não pegou nada bem.

Apesar dos pesares, muitos dos fãs do casal “Perina” acharam o episódio um desvario romântico. Em mais um desses rompantes em clima de morde e assopra, Karina vai cantar Quase sem Querer, da Legião Urbana.

Leia também:

Globo faz relançamento de ‘Babilônia’

06/04/2015

às 15:08 \ Eu vejo novela

Globo faz “relançamento” de ‘Babilônia’

Chamadas na programação  prometem uma semana decisiva em 'Babilônia': passado das vilãs será revelado (Divulgação)

Chamadas na programação prometem uma semana decisiva em ‘Babilônia’: passado das vilãs será revelado (Divulgação)

Três semanas após a estreia, a Globo anuncia “uma semana de novidades” em Babilônia. A novela das 9, como se sabe, vem enfrentando dificuldades para atingir o patamar digno do programa mais visto no país no Ibope – no último sábado (4), registrou média de 20 pontos, a mesma marca da novela das 7, Alto Astral.

Para tentar reverter a situação, a emissora repete desde o fim de semana uma chamada sobre um certo segredo do passado entre as vilãs Beatriz (Glória Pires) e Inês (Adriana Esteves). Ao que parece, há mais de um esqueleto no armário das duas, além do motorista-amante que a madame matou e a recalcada ajudou a encobrir, há dez anos.

O dado novo vai explicar a obsessão de Inês por Beatriz, admiração ambígua que se acentuará nos próximos capítulos. Na linha Mulher Solteira Procura, Inês mudará as roupas e o jeito de se arrumar, com o objetivo de ficar parecida com a primeira mulher de Evandro (Cássio Gabus Mendes), já morta, e tirar o marido da “muy amiga”. Assim sendo, a novela se revelará uma trama de vingança – lembremos que Inês sofria bullying de Beatriz, por ser gordinha.

A demora em deixar claro para o espectador qual a história que pretende contar foi, com certeza, uma das características que afastaram a audiência da novela. Em resumo, a trama de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga é sobre o encontro de duas mulheres de péssimo caráter e a disputa delas por poder, o que pode ser interessante.

A questão é que a novela tem ainda uma terceira protagonista, a heroína Regina (Camila Pitanga), que está ali para, digamos, aliviar o clima de fim dos tempos do mundo das vilãs. Com quase nada que a ligue ao núcleo principal – além de ser filha do motorista-amante assassinado –, a mocinha foi jogada para escanteio, condenada a um romance morno que se desenrola num vaivém sem sentido com Vinicius (Thiago Fragoso). Mas o namoro, segundo as novas chamadas na programação, também passará por “momentos decisivos” – a tarefa de Vinicius nos próximos dias será demonstrar para a amada que ela pode “se entregar, ser feliz e viver um amor verdadeiro”.

Leia também:

Com audiência em queda, ‘Babilônia’ é piada no Twitter

Menos, Regina!

7 polêmicas de Gilberto Braga

‘É uma caça às bruxas’, diz Fernanda Montenegro sobre boicote a ‘Babilônia’

‘Na política, realidade supera a ficção’, diz Marcos Palmeira sobre personagem corrupto

Twitter: @patvillalba

05/04/2015

às 12:04 \ Eu vejo novela

Audiência de ‘Babilônia’ é piada no Twitter

Te conheço?: ccapítulo deste sábado (4) começou com show de grosserias de Karen (Maria Clara Gueiros) (Divulgação)

Te conheço?: ccapítulo deste sábado (4) começou com show de grosserias de Karen (Maria Clara Gueiros) (Divulgação)

De acordo com números prévios, o Sábado de Aleluia deve se tornar o dia de pior desempenho de Babilônia desde a estreia, no último dia 16 – e, consequentemente, a menor marca já registrada por uma novela das 9 da Globo no Ibope. Na noite de ontem, já com a audiência em queda e ainda mais prejudicada pelo feriado, a trama de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga chegou aos 15 pontos e encerrou a exibição com 18,4 pontos, na medição na Grande São Paulo.

Os dados ainda precisam ser validados pelo instituto nesta segunda, o que pode melhorar um pouco o cenário. Mas o fantasma do fracasso já assombra a novela a valer: diante dos números não-oficiais, tuiteiros trataram de lançar a hashtag #damaisquebabilonia, que rapidamente se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter na noite de ontem.

Enquanto os entusiastas da novela se limitavam a comentar na hashtag #Babilonia a performance de Thiago Martins, o nadador Diogo, em um dos seus desfiles diários de sunga, os críticos “zoeiros” tripudiavam. Pica-pau, “Ticiane dançando quadradinho de 8”, Visões da Raven, seriado americano sempre em reprise no SBT, e até mesmo a novela Brida, que a extinta TV Manchete exibiu em 1998, foram citadas como concorrentes de peso para a novela das 9.

No seu 18º capítulo, Babilônia mostrou mais um barraco envolvendo Regina (Camila Pitanga), desta vez desencadeado por Karen (Maria Clara Gueiros). Após caprichar no preconceito contra os moradores de favelas, a personagem mais histérica da novela recebeu a notícia de que Luís Fernando (Gabriel Braga Nunes) vai se separar dela – de fato, não foi nada realmente capaz de empolgar os noveleiros.

Veja abaixo alguns tuites da hashtag-piada #damaisquebabilonia:

 

03/04/2015

às 21:32 \ Eu vejo novela

Lobas na piscina

Beatriz (Glória Pires) e seu novo brinquedo, Diogo (Thiago Martins): a vilã pretende abater o salário do futuro campeão no IR (Divulgação)

Beatriz (Glória Pires) e seu novo brinquedo, Diogo (Thiago Martins): a vilã pretende abater o salário do futuro campeão no IR (Divulgação)

Na toada de preparação para as Olimpíadas do Rio, os atletas das piscinas estão em alta na ficção, a julgar pela repetição de histórias na novela das 7 e das 9 da Globo.

Em Alto Astral, a ex-miss rica e glamourosa Kitty (Maitê Proença) tenta conquistar o nadador e trambiqueiro Gustavo (Guilherme Leicam) mesmo não tendo a tal fortuna que o fez se aproximar dela. Muito mais esperta, a Beatriz (Glória Pires) de Babilônia vai conseguir meios, digamos, criativos de bancar os gastos com o atleta promissor do salto ornamental Diogo (Thiago Martins), que ela quer como troféu.

Em dois tempos, a vilã conseguiu convencer o marido a investir a “mixaria” R$ 2 milhões no projeto social que vai custear o treinamento do moço – já pensando, obviamente, numa aproximação entre pupilo e mecenas. O argumento não poderia ser melhor: além de marketing, a ação pode ser abatida do Imposto de Renda, ensinou ela. Mas o novo brinquedinho ainda pode sair caro:além de ser filho do amante que ela matou no passado, Diogo vai se transformar no único ponto fraco a amolecer o coração da megera .

Leia também:

A Julieta conservadora e o Romeu moderno

Menos, Regina!

7 polêmicas de Gilberto Braga

‘É uma caça às bruxas’, diz Fernanda Montenegro sobre boicote a ‘Babilônia’

‘Na política, realidade supera a ficção’, diz Marcos Palmeira sobre personagem corrupto

Twitter: @patvillalba

 

01/04/2015

às 16:39 \ Fotonovela

A volta do juiz herói

Pedro Fernandes (Eduardo Moscovis): na nova temporada do seriado dirigido por Sérgio Rezende, o juiz lida com a morte do pai, a prisão do irmão e a volta da mãe – tudo ao mesmo tempo em que administra as mulheres (Alexandre Campbell/Divulgação)

Pedro Fernandes (Eduardo Moscovis): na nova temporada do seriado dirigido por Sérgio Rezende, o juiz lida com a morte do pai, a prisão do irmão e a volta da mãe – tudo ao mesmo tempo em que administra as mulheres (Alexandre Campbell/Divulgação)

Depois de encerrar um capítulo doloroso de sua vida pessoal na primeira temporada, o juiz Pedro Fernandes está de volta para mais uma leva de 13 episódios de Questão de Família. O primeiro deles vai ao ar nesta quarta, às 22h20, no GNT.

Vivido por Eduardo Moscovis, o personagem mantém o perfil heróico do titular de uma vara de família que observa seus réus e testemunhas antes de bater o martelo da sentença. O roteiro, de Rodrigo Lages e do também diretor Sérgio Rezende, equilibra bem o desenrolar da conturbada vida familiar de Pedro, marcada pelo abandono dele e do irmão pela mãe e a opressão do pai, e os casos do tribunal, inspirados por batalhas reais entre parentes que não se entendem.

Com potente carga dramática, mas sem pieguice, o seriado é um bom programa nesta nossa dramaturgia dominada pela comédia. Um dos pontos interessantes da produção, que tem o capricho do olhar cinematográfico de Rezende, diretor de longas-metragens como O Homem da Capa Preta (1986) e Salve Geral (2009), é a estrutura do roteiro, fundamental na construção do próprio protagonista, dividido entre a sensatez da magistratura e os fantasmas das experiências traumáticas da infância – daí se vestir de preto e sair à noite para espionar, como um Batman da toga.

Mas para que nada pareça tão sisudo, a cereja do bolo na história é o sucesso de Pedro com as mulheres – elas são loucas por ele. No início da nova temporada, o juiz estará num entusiasmado romance com a aspirante a desembargadora Ana Paula (Luiza Mariani) e parece ter superado o afastamento de Helena (Malu Galli) – até ser “atacado” por uma certa ninfomaníaca.

Leia também:

Julieta conservadora e Romeu moderno, a nova aposta de ‘Babilônia’

Menos, Regina!

7 polêmicas de Gilberto Braga

‘É uma caça às bruxas’, diz Fernanda Montenegro sobre boicote a ‘Babilônia’

‘Na política, realidade supera a ficção’, diz Marcos Palmeira sobre personagem corrupto

Twitter: @patvillalba

31/03/2015

às 15:55 \ Folhetinescas

Julieta conservadora e o Romeu moderno, a nova aposta de ‘Babilônia’

Rafael (Chay Suede) é recebido com rispidez pela família de Laís (Luisa Arraes): mocinho terá de lidar com os valores morais da namorada (Divulgação)

Rafael (Chay Suede) é recebido com rispidez pela família de Laís (Luisa Arraes): mocinho terá de lidar com os valores morais da namorada (Divulgação)

Depois de apresentar, sem boa recepção, sua história central, Babilônia (Globo, 21h15) se volta para tramas paralelas, como o romance adolescente de Rafael, papel do jovem galã Chay Suede, e Laís (Luisa Arraes). O jovem casal é uma das apostas dos autores Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga para fisgar os noveleiros mais românticos, que vêm reclamando da falta de amor no coração da maioria dos personagens.

A mocinha tem um desafio e tanto pela frente: ser aceita pelos fãs do “jovem Comendador” de Império. Um tanto confusa, entre o choque da chegada na cidade grande e a educação religiosa que recebeu no interior, ela nunca havia consumido álcool e ficou toda soltinha depois de umas quatro doses de tequila. De maneira surpreendente, chegou inteira em casa, depois de se jogar na pista do Viaduto de Madureira, deixando a Barra para se aventurar na zona norte. Deu sorte, porque o desconhecido era Rafael, o menino de ouro.

Verdadeiro cavalheiro, Rafael cuidou bem da maluca, que ele conheceu ao atropelar – quantos namoros começam assim nas novelas! Mas acabou levando bronca do pai dela, Aderbal Pimenta (Marcos Palmeira) e, em casa, de suas duas mães, Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathália Timberg).

Nesta espécie de Romeu e Julieta do fim do mundo, os dois apaixonados estão opostos ideologicamente. Ele é um rapaz educado e equilibrado, fruto do lar amoroso de duas militantes da igualdade de direitos civis. Ela é filha de um prefeito corrupto, religioso e de família moralista, mas desajustada. Rafael certamente vai ensinar muito à namorada daqui até o fim, mas o casal tende a aumentar a polêmica em torno da novela – Laís está longe de ser a nora que Teresa e Estela merecem.

Como unir pacificamente homossexuais e homofóbicos numa mesma família?

Leia também:

Menos, Regina!

7 polêmicas de Gilberto Braga

‘É uma caça às bruxas’, diz Fernanda Montenegro sobre boicote a ‘Babilônia’

‘Na política, realidade supera a ficção’, diz Marcos Palmeira sobre personagem corrupto

Twitter: @patvillalba

30/03/2015

às 16:44 \ Fotonovela

Marquezine se aventura na comédia em ‘I Love Paraisópolis’

Dupla dinâmica: depois de sofrer muito como a Luiza de 'Em Família', Bruna Marquezine forma dupla dinâmica com Tatá Werneck em 'I Love Paraisópolis' (Zé Paulo Cardeal/Divulgação)

Dupla dinâmica: depois de sofrer muito como a Luiza de ‘Em Família’, Bruna Marquezine forma dupla dinâmica com Tatá Werneck em ‘I Love Paraisópolis’ (Zé Paulo Cardeal/Divulgação)

Famosa por chorar com facilidade em cena desde que estreou na TV, como a pequena Salete de Mulheres Apaixonadas (2003), Bruna Marquezine fará dupla cômica com Tatá Werneck em I Love Paraisópolis, novela das 7 que substituirá Alto Astral em maio.  Na trama escrita por Alcides Nogueira e Mário Teixeira, elas são as amigas Mari e Danda, moradoras de Paraisópolis com talento especial para encontrar confusão.

Mari é a mocinha da novela, par romântico de Benjamin (Maurício Destri). Ela é moradora da favela e ele, do bairro do Morumbi – um conflito clássico do folhetim. Para atrapalhar ainda mais, a divetida heroína terá pela frente uma antagonista vivida por Maria Casadevall – Margot, noiva de Benjamin.

Caio Castro, como um motoqueiro marrento e tatuado, completa o time da ala do elenco escolhida a dedo para fazer sucesso entre os espectadores mais jovens nas redes sociais.

Leia também:

Globo muda abertura de ‘Babilônia’

Menos, Regina!

7 polêmicas de Gilberto Braga

‘Na política, realidade supera a ficção’, diz Marcos Palmeira sobre personagem corrupto

Twitter: @patvillalba

28/03/2015

às 22:19 \ Folhetinescas

Globo muda abertura de ‘Babilônia’

Em vez de vermelho e do fundo soturno, abertura apresentou cores claras (Reprodução)

Em vez de vermelho e do fundo soturno, abertura apresentou cores claras (Reprodução)

Como já era esperado, a Globo começou a pôr mudanças em prática para tentar recuperar a audiência da novela das 9, em queda desde que Babilônia substituiu Império, há duas semanas. No capítulo deste sábado (28), foi ao ar uma abertura reformulada, mais clara do que a original. O título também mudou de cor – de vermelho, com fundo cinza-chumbo para amarelo, com sobre um desenho colorido. A música, Pra que chorar, de Matin’ália permanece. 

A abertura antiga de 'Babilônia', mais adequada ao clima da novela (Reprodução)

A abertura antiga de ‘Babilônia’, mais adequada ao clima da novela (Reprodução)

A fotografia escura, que ajuda a compor o clima de “salve-se quem puder” da trama de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga, é uma das características mais criticadas da novela no Twitter. Mas uma mudança além da abertura, se ocorrer, não pode ser feita de uma hora para outra: a novela estreou com 20 capítulos gravados.

Leia também:

Menos, Regina!

7 polêmicas de Gilberto Braga

‘É uma caça às bruxas’, diz Fernanda Montenegro sobre boicote a ‘Babilônia’

‘Na política, realidade supera a ficção’, diz Marcos Palmeira sobre personagem corrupto

Twitter: @patvillalba
 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados