Blogs e Colunistas

11/03/2012

às 10:00 \ Folhetinescas

Tereza Cristina: ela não existe

Tereza Cristina atira Fred (Marcos Vieira) escada abaixo, para desespero de Crô (Marcelo Serrado): aprendeu com a a Nazaré (Renata Sorrah) (Divulgação)

Quando Tereza Cristina (Christiane Torloni) serviu um rato morto numa bandeja de prata para a filha Patrícia (Adriana Birolli) em Fina Estampa, cheguei a me perguntar: “Onde ela conseguiu um rato, credo?”, pensando no lado operacional da maldade. Porque mesmo se eu quisesse server um rato morto a alguém, jamais saberia onde encontrar um. Mas, que nada. Tereza Cristina não é real – os ratos mortos, as camisolas de seda e os robalos saltam de uma cena para a outra, de maneira que só pode ser deliberadamente inverossímil.

Antes da novela começar, o autor Aguinaldo Silva me disse que seria uma história absolutamente ficcional. E que Tereza Cristina superaria em maldade até mesmo a mais querida das vilãs, Nazaré Tedesco (Renata Sorrah), que ele criou para Senhora do Destino em 2004. Na reta final da novela, pode-se dizer que, sim, Tereza é mais cruel que Nazaré. Mas, talvez por isso, é menos humana.

Nazaré (Renata Sorrah): ecos da "raposa loira e felpuda) (Divulgação)

Nazaré fez tudo o que fez com a “anta nordestina” (Maria do Carmo/Suzana Vieira), porque ela louca pela filha que sequestrou dela, Isabel (Carolina Dieckmann). E por que afinal Tereza Cristina odeia Griselda (Lilia Cabral)? Por que ela tem bigode?

Tereza é uma mulher sem razão e uma sucessão de exageros que, pensando bem, combina com estes tempos de Mulheres Ricas. O que mais pode chocar e chamar a atenção senão a alegoria? É justamente o exagero que a aproxima do publico, somado ao texto cortante de Aguinaldo, a presença exuberante de Christiane Torloni e a parceria divertida com Marcelo Serrado, o mordomo Crô.

O alardeado “segredo de Tereza Cristina” há de trazer alguma resposta sobre a alma enigmática da “pitonisa de Tebas”. De onde veio essa mulher, gente?

 

Tereza Cristina traz vários elementos das vilãs mais marcantes da carreira de Aguinaldo. Ela é esnobe, surtada e elegante como a Maria Regina (Letícia Spiller) de Suave Veneno (1999) e a Altiva (Eva Wilma) de A Indomada(1997). E liberta, sexy e imprevisível como a Nazaré de Renata Sorrah.

Maria Regina (Letícia Spiller), em 'Suave Veneno': suicida

Todas elas, sinto dizer, pagaram com a morte os crimes que cometeram durante suas novelas: numa tentativa de matar a mocinha, Altiva acabou queimada; cercada pela polícia, Maria Regina atirou o carro no precipício; Nazaré, em grand finale, atirou-se de uma ponte. Será que Tereza Cristina terá um final digno de “rainha do Nilo”?

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

9 Comentários

  1. pvillalba

    -

    12/03/2012 às 10:43

    Tem razão, Fran. Corrigido, obrigada.

  2. ALAN

    -

    12/03/2012 às 2:21

    Como ela eh muito vaidosa e arrogante, sugiro que no final venha ter algo como um envelhecimento precoce

  3. Tarcizo

    -

    11/03/2012 às 23:54

    No começo da novela Cristiane Torloni recebeu varias criticas pelo tom exagerado da personagem , com aqueles gritos histéricos.
    Depois achou o tom certo , mas nada que supere outras vilãs do proprio Aguinaldo.
    Nazaré Tedesco foi melhor,e quanto as mulheres ricas Valdirene Marchiori extrapola a ficção.

  4. IEDA

    -

    11/03/2012 às 22:37

    Permita-me ser do contra. Não vejo nada na tal de Teresa Cristina. Acho-a sem graça, pernóstica e sem razão de existir. Horrorosa! Bye.

  5. Lily

    -

    11/03/2012 às 20:59

    Uma das piores novelas da TV Globo. Absolutamente INSUPORTÁVEL!!!

  6. Fran

    -

    11/03/2012 às 19:06

    Senhora do Destino é de 2004

  7. Paulo Roberto Martins

    -

    11/03/2012 às 19:00

    FINA ESTAMPA
    Não sei bem se o personagem interpretado pela exagerada Christine Torloni é verossímel – (No meu juízo quem torna o personagem super exagerado, quase insuportável, é a atriz). Mas tenho certeza de que a novela em si, toda história, é péssima. Embora alcançando altos índices de audiência, nunca, em tempo algum, a prestigiada Rede Globo apresentou um produto de tão baixa qualidade.

  8. fernando floripa

    -

    11/03/2012 às 12:06

    blá blá blá……

  9. Jotabe

    -

    11/03/2012 às 11:57

    Caso Tereza Cristina tenha um destino duvidoso e seu final seja desconhecido, apenas confirmará que a novela mostra a vida real. Ambas mostram que o crime compensa, porque a impunidade impera.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados