Blogs e Colunistas

18/03/2012

às 11:31 \ Entrevista

“É difícil punir Tereza Cristina”, diz Aguinaldo Silva

No sábado, Álvaro (Wolf Maya) disse à queima-roupa: "Tereza Cristina, você é minha irmã!" (Divulgação/Globo)

Especialista em fazer barulho, Aguinaldo Silva escondeu artilharia pesada no seu bunker na Barra da Tijuca, onde vive no Rio, para chamar a atenção da audiência nos últimos capítulos da sua Fina Estampa, que entra na última semana hoje. Recheados de sensualidade – gente bonita molhada, fortão fazendo ensaio fotográfico de cueca e desfile de biquíni – e reviravoltas típicas do autor, os últimos capítulos têm posto a Rede Globo num patamar de Ibope que ela não alcançava desde Caminho das Índias (2009) – na quinta, o pico foi de 49 pontos.

Ontem, o capítulo deixou no ar duas das principais questões da trama: o segredo de Tereza Cristina (Christiane Torloni), que já fora revelada filha da empregada e agora descobriu ser mesmo filha da patroa; e o caso de Baltazar (Alexandre Nero) que, expulso de casa pela mulher, encontrou o ombro amigo e perfumado de Crô (Marcelo Serrado) – no meio da confusão, mostrou-se que o motorista machão tem um escorpião tatuado no pé, marca do amante misterioso do mordomo.

Em conversa com o blog no calor dos últimos acontecimentos, o autor – que costuma matar suas piores vilãs – diz que é muito difícil punir Tereza Cristina e revela: a “jacaroa do Nilo” assistiu a Senhora do Destino (2004) – daí, a admiração dela por Nazaré Tedesco (Renata Sorrah).

Aguinaldo: "Não acho que a novela deva ser exemplar" (Divulgação/Globo)

Fim de novela traz sempre a expectativa do que acontecerá com a vilã. Na sua opinião, qual é a importância de uma punição? A novela precisa entregar essa espécie de saldo positivo ao telespectador?

Não acho que a novela deva ser exemplar. Exemplar deve ser a própria vida, e não é isso o que a gente vê atualmente: na nossa vida real e brasileira os vilões estão todos a se dar bem. No caso da Tereza Cristina é ainda mais difícil puní-la porque as pessoas a adoram. Mas como é preciso dar um final para ela, depois de ter cometido tantos crimes o que se espera é que ela sofra algum tipo de castigo. Qual será ele? Surpresa!…

Quando a Tereza Cristina empurrou o chef Fred (Marcos Vieira) escada abaixo e citou a Nazaré Tedesco (Renata Sorrah), fiquei com uma dúvida:  ela, de repente, conheceu a Nazaré no passado ou teria assistido a Senhora do Destino?

A Tereza Cristina, como o Brasil inteiro, assistiu a Senhora do Destino e adorou a Nazaré, foi isso. Eu sou um pouquinho pretensioso, você sabe, e acho sempre que todo mundo adora o que eu escrevo… Parece que isso aconteceu com Nazaré, da qual todos falam até hoje… E está acontecendo com Tereza Cristina.

Tereza Cristina (Christiane Torloni), com Pereirinha (José Mayer): viciada em odiar (Divulgação/Rede Globo)

E que ódio é esse da Tereza Cristina, o que a move?

Perto do final da novela ela diz à Griselda (Lilia Cabral) porque a odeia tanto: primeiro, foi por causa da sua insistência em querer tomar o marido e os filhos dela. Mas depois foi por vício mesmo. Ela ficou viciada em odiar Griselda, e acha que só existe um meio de se curar desse vício, é matando a outra.

Em Duas Caras (2007) você teve de fazer mudanças na trama por causa do grito de alguns setores, como o Sindicato das Enfermeiras.  Aconteceu algo semelhante com Fina Estampa? Sei que houve algumas manifestações sobre as cenas em que a Celeste (Dira Paes) apanhava do Baltazar (Alexandre Nero). 

Em Duas Caras eu tive que mudar a trajetória da personagem Alzira (Flávia Alessandra), mas não teve nada a ver com o Sindicato das Enfermeiras. A mudança foi por causa do pessoal de Brasília, que ameaçou com a classificação por faixa etária e queria passar a novela para as 23 horas. Em Fina Estampa houve um reação da ministra não-sei-do-quê (são tantas!) sobre o personagem Baltazar, mas, para azar dela, essa manifestação ocorreu justamente na semana em que Celeste denuncia o marido com base na Lei Maria da Penha…

Apesar de reclamar horrores no seu blog do cansaço que acumula neste final de novela, você parece estar muito feliz com o resultado. Já aconteceu de terminar novela triste alguma vez?

Não. O melhor momento da novela é quando o autor escreve a palavra FIM e diz pra si mesmo: sobrevivi a mais esta!

 

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

9 Comentários

  1. GlorInha de Nantes

    -

    29/03/2012 às 14:07

    É! O nosso anseio também! O FIM! Novela __ e qualquer uma serve __ ainda é o melhor programa da TV brasileira, talvez até da TV, por todo canto do mundo. Entretanto, uma história bem contada e consistente exige muito dos seus autores. Até o escritor-autor anseia pelo FIM.
    .
    Enfim, eis o exercício da paciência descompromissada. Eis a convivência catártica com personagens e seus dramas, sentimentos e emoções. Eis uma hora de alienação que faz bem à saúde. Ainda bem, contudo, que existe a expectativa e o anseio de ao FIM dessa história chegar! Vamos a outra!

  2. José Maurilio Lentz

    -

    23/03/2012 às 17:40

    Televisão é uma concessão. Em assim sendo éla deve agir como um braço do governo na educação do povo.Assim sendo é um grande desserviço ao
    país,criar um vilão que passe a novela toda faszendo mal as pessoas depois deixa-lo sair incolume, sob a falsa moral que assim é o Brasil. É pedir para que volte a censura. Se não há bom senso no autor nem na emissora, crie-se a lei para pôr as coisas nos eixos.

  3. ricardo de arroxellas costa

    -

    19/03/2012 às 11:30

    A novela é feita onde?Brasil,então,o crime compensa!!

  4. Hildeberto Aquino

    -

    19/03/2012 às 11:21

    O difícil é ser competente, ter criatividade para ser edificante e fugir da mesmice observadas nas novelas pastelão.

  5. pvillalba

    -

    19/03/2012 às 10:22

    Pois é, Patrícia, no sábado me perguntei a mesma coisa, quando ela apareceu naquele merchandising enorme…

  6. Ariel Sullivan

    -

    19/03/2012 às 10:08

    A novela foi óóóótema… o Aguinaldo é um mestre do roteiro. Personagens bem bolados, texto espirituoso, muita autocitação e, claro, criatividade e estilo próprio. Parabéns.

  7. Patrícia

    -

    19/03/2012 às 9:52

    Ei, xará, da hora teu blog. Mas me explica uma coisa. Por que a barriga da Maria Amália (Sophie Charlotte) não cresce?

  8. Maria Helena

    -

    19/03/2012 às 8:27

    Você está completamente equivocado, Aguinaldo, quando diz que novela não tem que ser exemplar e se esquece da influência – inúmeras vezes maléfica – que a televisão exerce sobre o povaréu. Se na vida real os vilões estão se dando muito bem, já há razões de sobra – a começar pelo descaso e despreparo da família – para que isso continue acontecendo. Não é papel da televisão ajudar a exacerbar os problemas brasileiros com amoralidades. Nem com imoralidades, como essas do seboso BBB.

  9. Fellipe Andrade

    -

    18/03/2012 às 11:43

    Fina Estampa foi mais um grande trabalho do autor Aguinaldo Silva. Mostrou que sabe falar de perto com grande publico e que, dramaturgicamente, cria uma trama cheia de “ganchos” que prendem a atenção do telespectador, ‘ganchos” estes que fazem muita falta nas tramas atuais. Ponto pro Aguinaldo, elenco e produção. Para os noveleiros, Fina Estampa vai deixar saudades.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados