Blogs e Colunistas

Arquivo de 8 de abril de 2012

08/04/2012

às 12:08 \ Folhetinescas

Ditadura da chapinha se repete em duas novelas

Olenka (Fabiula Nascimento): cachos aniquilados em 'Avenida Brasil' (Divulgação/Globo)

Desde que as mulheres dormiam com a primitiva “touca de grampos” ou até usavam o ferro de passar roupas para domar os cabelos rebeldes, que o alisamento dos fios é uma obsessão feminina. As passarelas podem ditar as tendências que quiserem – desgrenhados, frisados ou com o aspecto “ui, saí da praia agora”–, mas estação após estação o que as brasileiras querem mesmo é aquele cabelo sedoso que parece balançar em câmera lenta quando a gente anda ao vento.

Mas a mania do alisamento não pode justificar que duas novelas, de uma mesma emissora e ao mesmo tempo no ar, façam uso do mesmo tema. As tramas, curiosamente, remetem à história real da empresária Heloísa Helena de Assis, a dona Zica que, depois de anos trabalhando como faxineira e muitas pesquisas, desenvolveu um creme capaz de transformar cabelos afro em cachos sedosos – hoje, ela é dona de  uma rede de salões de beleza no Rio.

Bernadete (Karin Hils) de 'Aquele Beijo'

O primeiro a usar – muito bem, anote-se – o assunto foi o autor Miguel Falabella em Aquele Beijo, trama das 19h que termina nesta sexta. Recém-chegada no salão de beleza de Ana Girafa (Luís Salém), Bernadete (Karin Hils) causou frisson entre a mulherada da favela fictícia Covil do Bagre com um certo creme milagroso que é capaz de amansar as madeixas. Quando o empresário falido Alberto (Herson Capri) se mudou para a favela, a invenção foi batizada de Creme Megalisatômico e virou negócio milionário.

Na novela das 21h, Avenida Brasil, o alisamento também trouxe prosperidade. Na primeira fase da trama, Monalisa (Heloísa Périssé) era uma cabeleireira modesta do fictício bairro do Divino. Com a passagem do tempo, 13 anos depois, ela reapareceu como uma próspera dona de salão, graças justamente a um método revolucionário de doma dos fios. A coisa inspirou até um concurso de beleza que movimenta a história, o Garota Chapinha.

Sobrou para Fabiula Nascimento, atriz de cachos invejáveis e ostentados com orgulho, que interpreta a cabeleireira Olenka. “Sofri com meu cabelo até mais ou menos os 18 anos. Depois, aprendi a cuidar, resolvi assumir o cacheado e agora adoro usar bem esvoaçante mesmo”, contou a atriz ao blog que, contrariando a natureza e no espírito “tudo pela personagem”, será escrava da chapinha por pelos próximos oito meses.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados