Blogs e Colunistas

paulo roberto pinto

23/04/2013

às 11:39 \ ministério

Ministério do Trabalho segura investigação contra assessor

O Ministério do Trabalho e Emprego segurou uma investigação contra o atual secretário executivo da pasta, Paulo Roberto dos Santos Pinto, o que permitiu que ele reassumisse no início do mês o cargo que ocupou entre 2010 e 2012, durante a gestão do ex-ministro Carlos Lupi (PDT-RJ). Depois que VEJA trouxe à tona o envolvimento de Lupi em um esquema de corrupção, ele foi demitido em 2011. Porém, em seguida, retomou a influência no ministério e indicou o novo ministro, Manoel Dias. Paulo Roberto voltou ao posto de número dois da pasta também graças à influência de Lupi.

Paulo Roberto reassumiu oito dias depois de a Corregedoria do Ministério do Trabalho ser provocada a instaurar processos disciplinares para apurar irregularidades em sua primeira gestão. Os pedidos continuaram “em análise”, o que facilitou a recondução do secretário ao cargo. Embora não haja impedimento jurídico, a investigação interna criaria dificuldades políticas para o retorno.

Com base nas conclusões da CGU, o pedido de investigação foi remetido no dia 27 de março pelo então secretário executivo da pasta, Marcelo Aguiar, ao corregedor do ministério, Ivando Pinto da Silva. Num memorando, ele explicou que, apesar de recurso de Paulo Roberto, a controladoria reiterou seus apontamentos, em decisão tomada 21 dias antes do envio do documento. Sem a abertura de processos disciplinares e informação oficial sobre o caso, a Casa Civil autorizou, no início deste mês, a ascensão de Paulo Roberto ao cargo. Segundo o corregedor, o pedido está em análise de “admissibilidade”, ou seja, em avaliação dos indícios de autoria e materialidade das irregularidades. “Não posso abrir o procedimento no susto”, alegou.

Paulo Roberto é acusado pela Controladoria-Geral da União (CGU) de permitir a contratação de projeto que causou prejuízo de 318 000 reais ao erário – valor 1.340% superior ao orçado inicialmente para o serviço. De acordo com auditoria do órgão, realizada em 2011, ele também deixou de tomar providências para punir responsáveis por irregularidades na Superintendência Regional do Trabalho em Alagoas. Ele chegou a conduzir a pasta por cinco meses entre a demissão de Lupi e a nomeação de Brizola Neto para o cargo.

 

01/03/2012

às 17:43 \ governo Dilma Rousseff

Ministro do Trabalho deixará pasta nos próximos dias

Não, a presidente Dilma Rousseff ainda não anunciou quem será o novo ministro do Trabalho. Mas, se a indicação não ocorrer nos próximos dias, a pasta corre o risco de ser comandada pelo secretário do secretário. Isso porque a esposa do atual ministro, Paulo Roberto Pinto, está grávida de nove meses. Ou seja, ele pode tirar licença-paternidade (de cinco dias) a qualquer momento.

Paulo Pinto ocupa a vaga interinamente desde dezembro de 2011. Ele era secretário-executivo do então ministro Carlos Lupi, presidente do PDT que tenta emplacar um novo nome para o cargo. Pinto disse ao site de VEJA que não recebeu nenhum sinal do governo até agora. “O meu papel é trabalhar até os 45 do segundo tempo”, afirmou.

Se o Planalto demorar a escolher o nome, é bem provável que a pasta fique nas mãos de Nilton Machado, secretário-executivo substituto do órgão.

(Luciana Marques, de Brasília)

 

04/12/2011

às 22:23 \ governo Dilma Rousseff

Novo ministro do Trabalho pressionou ex-secretário a mentir

Paulo Roberto dos Santos Pinto, o novo ministro do Trabalho, tentou abafar o episódio sobre a viagem de Carlos Lupi ao Maranhão em 2009. Logo depois de VEJA revelar que Lupi viajou no King Air providenciado por Adair Meira, presidente de organizações não-governamentais (ONGs) com contratos milionários com a pasta, Pinto tentou convencer o ex-secretário de Políticas Públicas de Emprego Ezequiel Nascimento a mudar sua versão.

Foi Nascimento quem confirmou a VEJA, em novembro, que Lupi viajou no King Air. Mesmo pressionado, o ex-secretário não aceitou a proposta. Pelo visto, a presidente Dilma Rousseff trocou o falso pelo mentiroso.

(Luciana Marques, de Brasília)

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados