Blogs e Colunistas

governo Dilma

03/04/2012

às 19:25 \ Congresso Nacional

PDT ameaça deixar a base aliada

Há quatro meses sem respostas sobre a nomeação no Ministério do Trabalho, o PDT agora ameaça deixar a base aliada do governo. O deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), que vive em pé de guerra com o Planalto, agora deu o ultimato: “Se passar dessa semana, vamos trabalhar para que o PDT saia da base”.

Ele quer que a presidente Dilma Rousseff anuncie nos próximos dias o nome do novo ministro do Trabalho. Na lista tríplice do PDT, foram indicados o deputado federal Brizola Neto (RJ), o deputado Vieira da Cunha (RS), e o secretário-geral da legenda, Manoel Dias. Mas o próprio partido estava dividido em relação aos nomes.

Paulo Pereira da Silva defende o nome de Brizola – mas este é rejeitado pelo presidente do PDT, Carlos Lupi. Desde dezembro, quando Lupi foi demitido da pasta, Paulo Roberto dos Santos Pinto comanda o ministério interinamente.

(Luciana Marques, de Brasília)

16/03/2012

às 20:11 \ Copa 2014

Enfim, contrato para estádio de Porto Alegre será assinado

Agora, vai: a assinatura do contrato de empréstimos para a reforma do estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, deve sair nesta terça-feira. Esse é o único contrato de investimentos ainda pendente entre as doze cidades-sede da Copa de 2014.

Depois de muita conversa, Andrade Gutierrez, Banrisul e BNDES conseguiram chegar a um acordo para o empréstimo milionário. Ao que tudo indica, os colorados já podem comemorar: o estádio do Grêmio está fora da competição.

(Luciana Marques, de Brasília)

16/03/2012

às 19:59 \ governo Dilma Rousseff

Valcke na geladeira

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, garantiu ao Planalto: ele será o novo intermediador na relação entre o órgão e o governo brasileiro. Leia-se: entre a presidente Dilma Rousseff e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Pelo menos por enquanto, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, vai ficar na geladeira.

O Planalto ficou enfurecido com as declarações de Valcke, que afirmou que o Brasil merecia um “chute no traseiro” para acelerar as obras da Copa de 2014. O governo brasileiro revidou e disse que não aceitava mais conversa com o secretário-geral. A queixa, pelo visto, surtiu efeito: Blatter promete fazer novas visitas ao país nos próximos meses.

Leia no Radar: Jérôme na berlinda

(Luciana Marques, de Brasília)

13/04/2011

às 19:15 \ oposição

DEM lança site para acompanhar propostas de Dilma

A bancada do DEM na Câmara dos Deputados lançou um site para cobrar as propostas de campanha da presidente Dilma Rousseff. Baseada no programa entregue pela petista ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e em declarações da então candidata, a página lista 18 áreas temáticas, como educação, saúde e transportes, e lembra cada um dos compromissos assumidos no período eleitral.

O espaço virtual deve mostrar, mês a mês, a situação das promessas de Dilma. E também permite a postagem de comentários de internautas.

(Gabriel Castro, de Brasília)

18/03/2011

às 13:41 \ governo Dilma Rousseff

Dilma afina discurso para encontro com Obama

Às vésperas do encontro com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a presidente Dilma Rousseff reservou a agenda do dia para afinar o discurso. Pela manhã, a presidente conversou com o assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência, o ministro Marco Aurélio Garcia.

Os ministros de Relações Exteriores, Antonio Patriota, e de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, também foram convocados. Eles reuniram informações sobre os acordos a serem assinados pelos países e as relações comerciais existentes hoje. A presidente Dilma prefere guardar segredo sobre seu discurso ao presidente americano. Ela desviou do assunto durante rápida coletiva de imprensa em Uberaba (MG) nesta quinta-feira.

Acordos – O Itamaraty e a Embaixada dos Estados Unidos ainda não definiram exatamente o pacote de acordos a serem assinados. Os governos brasileiro e americano estão passando um pente fino no texto, que deve ser finalizado até o fim do dia. Alguns acordos previstos sofrerão modificações e outros ficarão de fora do pacote.

Estava prevista, por exemplo, a assinatura de um termo sobre Previdência Social. O acordo permitiria que o brasileiro que mora nos Estados Unidos contabilize o tempo de serviço nos dois países para benefícios da aposentadoria. Entretanto, segundo o Ministério de Relações Exteriores, o acordo não será mais firmado no encontro deste sábado.

Também não haverá acordo para isenção do visto de entrada aos Estados Unidos. Deve haver, contudo, uma declaração de ambos os países para abertura de negociação a fim de reformar o regime de vistos. Estão previstos ainda acordos para cooperação econômica e para preparação de megaeventos esportivos, tendo em vista que o Brasil sediará a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

Agenda – Os compromissos deverão ser assinados no Palácio do Planalto na manhã deste sábado, durante reunião entre os presidentes e ministros de estado das àreas envolvidas. Ao meio-dia haverá uma entrevista coletiva à imprensa. Logo depois, os presidentes seguem ao Palácio do Itamaraty, onde haverá reunião com empresários de ambos os países.

Às 13h os presidentes almoçam e fazem um brinde. As autoridades voltam a se reunir no fim da tarde no Palácio da Alvorada em um coquetel com duração de 30 minutos.

(Luciana Marques, de Brasília)

17/03/2011

às 16:43 \ governo Dilma Rousseff

Shakira entrega violão autografado para Dilma

Popstar é a primeira a se reunir com Dilma no Planalto (Foto: Ichiro Guerra/Presidência)

A cantora Shakira roubou a cena ao chegar nesta quinta-feira ao Palácio do Planalto, em Brasília, para uma reunião com a presidente Dilma Rousseff. Atrasada, vestindo terninho preto e calçando botas da mesma cor, a colombiana subiu ao terceiro andar do Palácio, onde fica o gabinete da Presidência, às 16h10 – a reunião estava marcada para 15h.

A popstar solicitou o encontro com a presidente para divulgar a América Latina em Ação Solidária (Alas), organização sem fins lucrativos promovida pela cantora. A entidade foi criada em 2006 para mobilizar a América Latina para a implementação de políticas de acesso a saúde, nutrição e educação destinadas a crianças entre 0 e 6 anos.

Shakira disse, após o encontro, que a presidente Dilma ficou entusiasmada com a ideia de realizar parcerias com o órgão. “A presidente gostou muito da ideia e vamos trabalhar em um futuro próximo pelas crianças do Brasil e da América Latina. É importante compartilhar a experiência do Brasil com o resto do mundo” declarou a cantora.

Ela também destacou a liderança do país na América Latina: “O Brasil é um país líder na região e agora temos um desafio adiante a fazer para que todas as crianças tenham a oportunidade de assistir à escola e também receber atenção e nutrição”.

A colombiana disse ainda que é “uma benção” para o Brasil ter uma mulher como presidente. “Ninguém como uma mulher para entender as necessidades das crianças”, avaliou. Ela elogiou ainda o projeto Rede Cegonha anunciado pelo governo e a promessa de construção de seis mil creches até 2014.

Dilma e Shakira conversaram durante cerca de 20 minutos em português. A presidente Dilma, inclusive, não deixou de tecer elogios sobre a pronúncia da cantora. Ela usou a palavra “presidenta” ao falar sobre Dilma, como a chefe de estado gosta de ser chamada. Durante o encontro, a popstar doou um violão autografado para a presidente.

Segurança – Um carro da Polícia Militar e sete batedores fizeram a segurança da cantora. O encontro mudou a rotina do Palácio, geralmente frequentado por políticos e autoridades. Funcionários e até turistas correram para tirar fotos com Shakira. Simpática, ela chegou a distribuir autógrafos ao deixar o Planalto.

A cantora, que iniciou sua turnê no Brasil nesta terça-feira, em Porto Alegre, fará um show na capital federal na noite de hoje. Ela convidou a presidente Dilma para assistir ao espetáculo, mas ela disse que não poderia por causa da agenda presidencial. No sábado, a colombiana se apresenta em São Paulo.

(Luciana Marques, de Brasília)

16/03/2011

às 20:52 \ Governos estaduais

Alckmin pede a Dilma revisão do limite de endividamento

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), quer o aval do governo federal para que o estado possa fazer mais financiamentos nos próximos anos. Na reunião com a presidente Dilma Rousseff em Brasília, na manhã desta quarta-feira, o governador apresentou dados para atestar a boa saúde fiscal do estado. Não à toa, o encontro foi acompanhado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Pela Lei de Responsabilidade Fiscal, o estado de São Paulo pode ter a relação entre a dívida e receita corrente líquida de até 2. Alckmin disse a Dilma que, atualmente, esta relação é de 1,5. O cenário permitiria aumentar o limite de endividamento do estado.

As informações fiscais adiantadas pelo governador serão formalmente apresentadas ao governo federal em maio, quando todos os estados entregam à União propostas de programa fiscal para os próximos quatro anos.

(Carolina Freitas, de São Paulo)

15/03/2011

às 17:30 \ governo Dilma Rousseff

Energia nuclear: Senado quer ouvir ministro Edison Lobão

A Comissão de Meio Ambiente do Senado vai convidar o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, para falar sobre os projetos de construção e sobre o sistema de segurança das usinas nucleares brasileiras. O governo está finalizando a construção de Angra 3 e pretende criar outras quatro usinas nucleares: duas no Nordeste e duas no Sudeste.

O requerimento, de autoria dos senadores Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) e Jorge Viana (PT-AC), foi aprovado nesta terça-feira pela comissão.

Durante a sessão, Valadares lembrou que os governos de países europeus estão reavaliando as medidas de segurança das centrais nucleares depois do acidente em Fukushima, no Japão. “Que o Brasil se associe a outros países que estão querendo evitar que esse tipo de desastre aconteça no mundo”, completou Jorge Viana.

Aprendizado – A ministra do meio ambiente, Izabella Teixeira, que cumpriu agenda no Senado nesta terça-feira, evitou comentar eventuais mudanças na política nuclear brasileira.  “Eu não discuto tecnologia porque não conheço tecnologia. O governo vai aprender com o que está acontecendo no Japão e vai discutir com aqueles que têm competência de fazê-lo. O Ministério do Meio Ambiente recepcionará essas novas medidas no processo de licença ambiental e do ponto de vista de segurança ambiental”, declarou.

Segundo a ministra, o desastre natural no Japão servirá de aprendizado para o Brasil no que se refere ao sistema de alerta e à gestão de riscos de acidentes. “É um povo que tem a cultura de estar exposto ao risco”, afirmou.

(Luciana Marques, de Brasília)

25/02/2011

às 19:52 \ governo Dilma Rousseff

Dilma pede que a abertura da Copa seja em SP

Dilma durante a reunião com Orlando Silva, Alckmin e Kassab (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

A presidente Dilma Roussef quer que a abertura da Copa do Mundo de 2014 aconteça na cidade de São Paulo, em um novo estádio que será construído pelo Corinthians na Zona Leste da capital paulista. Em reunião nesta sexta-feira com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), o prefeito paulista, Gilberto Kassab (DEM), e o ministro do Esporte, Orlando Silva (PC do B), a presidente pediu garantias de que será possível criar a infraestrutura necessária para que a Fifa aprove o estádio no bairro de Itaquera para a abertura do mundial.

“Dilma quer que São Paulo faça a abertura da Copa de 2014 e convidou Alckmin e Kassab para discutir as medidas práticas para a construção do estádio”, afirmou o ministro.

Segundo ele, a presidente saiu satisfeita do encontro, já que Kassab e Alckmin deram garantias de que será possível levantar o estádio em Itaquera com capacidade para 65.000 torcedores, como exige a Fifa, e preparar toda a infraestrutura necessária para que a cidade seja aprovada.

Relatório – Antes do carnaval, já na próxima semana, o ministro prometeu entregar à presidente um relatório sobre a situação das cidades que irão receber jogos da Copa para que ela possa fazer uma análise completa da situação dos municípios. “2011 é o ano chave para as obras“, afirmou Silva.

Kassab demonstrou otimismo. “É inquestionável que a abertura da Copa será em Itaquera, no estádio do Corinthians”. Segundo ele, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já liberou o 400 milhões de reais para o financiamento das obras e a prefeitura será responsável por montar um esquema de arrecadação para a verba complementar.

Obras – O prefeito paulista afirma que o único empecilho, por enquanto, é a liberação do terreno em que será construído o estádio pelo Ministério Público, o que deve levar de três a quatro semanas. “Se tudo correr bem, até o fim de abril começam as obras do estádio do Corinthians”.

Entre as obras necessárias, o governo do estado ficará responsável por aquelas de caráter viário. “A reunião com a presidente Dilma foi muito proveitosa. O projeto arquitetônico já foi aprovado e o governo de São Paulo vai liberar 300 milhões de reais para garantir que a abertura aconteça em São Paulo”, declarou Alckmin ao sair da reunião.

Antes do encontro com as autoridades, Dilma almoçou com o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e seguiu para Brasília no início da noite.

(Marina Dias, de São Paulo)

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados