Blogs e Colunistas

geraldo alckmin

02/10/2013

às 17:16 \ Eleições 2014

Ex-secretário de Segurança de SP filia-se ao PMDB

Ex-secretário da Segurança Pública de SP, Antônio Ferreira Pinto, agora no PMDB (Divulgação PMDB-SP)

Ex-secretário da Segurança Pública de SP, Antônio Ferreira Pinto (ao centro), agora no PMDB (Divulgação PMDB-SP)

O ex-secretário da Segurança Pública de São Paulo, Antônio Ferreira Pinto, filiou-se ao PMDB nesta terça-feira. Ex-procurador de Justiça, ele deverá ser candidato a deputado federal pelo partido. Ferreira Pinto ingressou na legenda pelas mãos do ex-governador paulista Luiz Antônio Fleury Filho.

Ferreira Pinto deixou o cargo em novembro do ano passado, em meio a uma onda de assassinatos no estado e com dificuldades de articulação política com o governo federal.

O neopeemedebista também foi titular da pasta nos governos tucanos José Serra e Alberto Goldman. Ele teve o cargo de secretário-adjunto de Administração Penitenciária nos governos Fleury (PMDB) e Mário Covas (PSDB). E assumiu a pasta no governo de Cláudio Lembo (hoje no PSD).

Igreja – De olho no segmento religioso, o PMDB também filiou o pastor Renato Galdino, da Assembleia de Deus Ministério em Santo Amaro. O evangélico apoiou Celso Russomanno nas eleições municipais de 2012 e, à época, anunciou filiação ao PRB. Galdino foi candidato a vereador na capital paulista pelo PSDB em 2008.

(Felipe Frazão, de São Paulo)

25/09/2013

às 16:54 \ Eleições 2014

A incógnita José Serra

Na semana que antecede o prazo final para troca de partido por aqueles que pretendem disputar as eleições de 2014, o ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB), tem mantido seus planos sobre o futuro político em completo sigilo. Em conversas até com tucanos mais próximos, ele diz que vai aguardar até os “45 minutos do segundo tempo” para anunciar se deixa o PSDB em busca de uma nova sigla para disputar a presidência da República. Para concorrer a um cargo eletivo, o político precisa estar filiado ao partido pelo menos um ano antes da data fixada para as eleições majoritárias.

Leia também: Em sua 1ª pesquisa, José Serra bate Aécio Neves em 2014

Nos últimos dias, Serra se reuniu com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e com o presidente do PSDB no estado, Duarte Nogueira, mas não confirmou a eles se ficará na legenda ou se aceitará propostas, como a do PPS, para disputar o Palácio do Planalto. Internamente, a maioria dos tucanos acredita que ele permanecerá no partido.

Se decidir ficar entre os quadros tucanos, José Serra terá de comandar articulações para o cargo que vai disputar no pleito do ano que vem, já que entre parlamentares da sigla também não é consenso que Serra deva disputar o Senado na vaga ocupada atualmente pelo petista Eduardo Suplicy. Se o PSDB o convencer a concorrer a uma vaga na Câmara, o partido acredita que Serra poderia, com seus votos, levar três ou quatro deputados extras.

 (Laryssa Borges, de Brasília)

20/08/2013

às 16:24 \ Governo Alckmin, psdb

De saída, secretário da Saúde de SP viaja para a China

Em meio à troca de cadeiras na Saúde de São Paulo, o médico radiologista e ainda secretário Giovanni Guido Cerri viajará a Xangai no final desta semana – uma das últimas à frente da pasta. Ele será substituído pelo infectologista David Uip. A viagem de Cerri é de “interesse particular”, segundo o despacho assinado pelo governo paulista.

A previsão é que Uip seja empossado em duas semanas, no início de setembro. Uma equipe técnica auxiliará no processo de transição, que não será “atrapalhado” pela viagem Cerri, segundo a assessoria da secretaria. Cerri e Uip já fizeram duas reuniões oficiais e o secretário-adjunto, José Manoel de Camargo Teixeira, deve substituir o titular nas próximos encontros.

 (Felipe Frazão, de São Paulo)

22/07/2013

às 23:06 \ Geraldo Alckmin, Governos estaduais

Alckmin vai dar ‘Passe Livre’ a idosos em ônibus intermunicipais

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciará nesta terça-feira a gratuidade da passagem de ônibus intermunicipais para idosos. Cada coletivo deverá oferecer, sem cobrar tarifa, duas vagas para pessoas com mais de 60 anos. O Estatuto do Idoso prevê descontos e gratuidade a partir de 65 anos. A Confederação Brasileira de Aposentados, Pensionistas e Idosos (COBAP) fez a reivindicação em reunião com Alckmin neste mês. Integrantes da entidade também pediram a extensão do benefício aos trens e ao metrô, mas o governador alegou necessitar de “estudos mais criteriosos”, registra o site da COBAP.

A medida ocorre logo depois de uma onda de manifestações contra o aumento da tarifa em ônibus, trens e metrô em junho. Em São Paulo, os protestos foram convocados pelo Movimento Passe Livre (MPL) e levaram Alckmin e o prefeito da capital, Fernando Haddad (PT), a revogar o reajuste no preço dos bilhetes – de 3,20 reais para 3 reais.

(Felipe Frazão, de São Paulo)

16/07/2013

às 15:26 \ Crime

Victor Hugo Deppman vira nome de praça em São Paulo


Victor Hugo Deppman

Victor Hugo Deppman, de 19 anos, foi morto em frente de casa

Victor Hugo Deppman, o estudante de Rádio e TV assassinado em abril durante assalto em São Paulo, ganhou homenagem póstuma. A praça de esportes do Parque Estadual do Belém, bairro na Zona Leste onde morava o jovem, passou a se chamar Conjunto Esportivo Victor Hugo Deppman. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) assinou nesta segunda-feira o decreto de nomeação, a pedido da Associação Por Um Belém Melhor.

A morte de Deppman causou comoção e debate sobre a maioridade penal. O universitário tinha 19 anos quando levou um tiro na cabeça em frente ao prédio onde vivia com a família. O autor do disparo era um menor de idade, à época prestes a completar 18 anos. O estudante dá nome agora a um espaço que, no passado, abrigou instituições corretivas para menores abandonados e infratores. E até 2007, era endereço de uma unidade da Fundação Casa, a antiga Febem.

(Felipe Frazão, de São Paulo)

24/06/2013

às 10:02 \ Governos estaduais

São Paulo: Tarifa volta a custar 3 reais nesta segunda

O valor da tarifa de ônibus, trem e metrô da cidade de São Paulo voltou a custar 3 reais nesta segunda-feira. A revogação do aumento havia sido anunciada na semana passada pelo prefeito Fernando Haddad (PT) e pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), mas só passou a valer agora por causa de questões técnicas envolvendo o ajuste de catracas e de outros equipamentos. A medida foi tomada após o início da série de protestos contra o valor da tarifa.

Segundo a SPTrans, empresa da prefeitura que administra o bilhete único, quem comprou créditos para o cartão com o valor mais caro não terá prejuízo. Os créditos continuarão a ser debitados de acordo com a viagem, ou seja,  quem carregou exatos 3,20 reais para uma viagem terá debitado 3 reais ao passar pela catraca e ficará com os 20 centavos, que poderão ser usados para completar o preço de uma nova viagem.

De acordo com números apresentados na última terça-feira, os 20 centavos a menos representam, nas contas da prefeitura, um acréscimo de cerca de 200 milhões de reais nos gastos. Já em relação ao estado, a manutenção da tarifa em 3 reais exigirá pelo menos 210 milhões de reais/ano em investimentos do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). No plano das contas federais, também haverá efeitos. No combate à inflação, a revogação do aumento deve render um alívio de pelo menos 0,21 ponto porcentual no índice oficial de inflação.

(Com Estadão Conteúdo)

19/06/2013

às 20:54 \ Uncategorized

Manifestação em SP será em “clima de festa”, diz movimento

A manifestação do Movimento Passe Livre (MPL) marcada para esta quinta-feira, em São Paulo, será agora um ato de festa, dizem os integrantes do grupo. O protesto vai ocorrer um dia após a revogação do aumento da tarifa de metrô e ônibus de São Paulo, que foi anunciado em conjunto pelo governo e pela prefeitura de São Paulo nesta quarta-feira.

“Vamos manter o ato para comemorar e também em solidariedade às outras cidades que ainda querem a revogação do reajuste”, disse um dos integrantes do movimento, o estudante Caio Martins, de 19 anos.

O ato vai ser o sétimo na capital paulista desde que a onda de protestos começou, no dia 6 de junho. A concentração vai ser na praça do Ciclista, na  Avenida Paulista, a partir das 17h. Outras manifestações estão previstas em Brasília e no Rio de Janeiro.

No Rio, a concentração vai ser em frente à igreja da Candelária, também às 17h. Os manifestantes devem seguir pela Avenida Presidente Vargas em direção à sede administrativa da prefeitura, conhecida como Piranhão, situada na própria via. Ali, os manifestantes pretendem fazer vigília durante a madrugada.

(Com Estadão Conteúdo)

19/06/2013

às 20:12 \ Governo Alckmin

Governo vai estudar como compensar redução, diz secretário

Logo depois do anúncio da revogação do aumento da tarifa de ônibus e metrô de São Paulo, o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Regional do estado, Julio Semeghini (PSDB), afirmou que o governo vai fazer um estudo para selecionar as obras e projetos que sofrerão corte no orçamento para compensar a medida.

Segundo o secretario, uma das soluções para subsidiar o cancelamento do reajuste será retirar verba de obras atrasadas ou não iniciadas e postergar o pagamento previsto para este ano para 2014.

Parcerias Público Privadas (PPPs) que o governo previa realizar podem sofrer alteração para gerar dinheiro no caixa do estado, assim como obras com problemas de licenciamento ou licitação atrasada.

As pastas de Saúde e Educação, por terem verbas carimbadas por lei, não serão afetadas. “Nenhuma chance de a gente mexer em investimento de saúde e educação”, garantiu Semeghini.

O secretário acredita que o corte em investimentos não deve afetar as obras de expansão da rede metropolitana de trens e metrô. “O governador tem dado toda a prioridade para o transporte metropolitano, duvido que ele vá querer mexer no transporte metropolitano. Toda a parte de mobilidade acho que ele não vai querer mexer.”

(Felipe Frazão, de São Paulo)

 

19/06/2013

às 17:35 \ Geraldo Alckmin, Governo Haddad

Alckmin e Haddad anunciam redução das tarifas de transporte

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o prefeito da capital, Fernando Haddad (PT),anunciaram na tarde desta quarta-feira a redução das tarifas de ônibus, metrô e trens para 3 reais, cancelando o reajuste em vigor desde o último dia 2 de junho – que elevou o preço das passagens para 3,20 reais. O novo preço passará a valer a partir de segunda-feira.

Segundo o governador, o estado terá de “reduzir investimentos” e “apertar o cinto” para arcar com os custos da redução das passagens. Haddad afirmou que apesar de o aumento das tarifas em São Paulo e no Rio de Janeiro ter sido feitas em porcentagem abaixo da inflação, graças a desonerações de tributos negociadas com o governo federal, o recuo seria feito “para favorecer o diálogo com a cidade”.

Enquanto os governantes de São Paulo faziam o anúncio, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), também divulgava a redução das passagens na capital fluminense para 2,75 reais – o mesmo valor vigente antes do reajuste. Segundo ele, a medida foi tomada “em conjunto” com a prefeitura paulistana.

A decisão foi tomada após uma série de protestos que tomou as ruas do país. Em São Paulo, foram seis atos. Na noite da última terça-feira, a ação de vândalos deixou prejuízo na capital paulista: a cidade amanheceu com 29 lojas depredadas e saqueadas, dois prédios históricos – a prefeitura e o Theatro Municipal – danificados e dois ônibus incendiados.

Protestos em São Paulo

Ato a ato, as manifestações contra o reajuste na tarifa de transportes

1 de 8

Dia 6 de junho, Avenida Paulista

Protesto contra o aumento da passagem do ônibus de São Paulo de 3 reais para 3,20 reais, manifestantes usam fogo para interditar avenidas em São Paulo

Cerca de 500 manifestantes, segundo a Polícia Militar, participaram do primeiro ato em protesto contra o reajuste de 3 reais para 3,20 reais na tarifa de ônibus, trens e metrô em São Paulo. Convocado pelo Movimento Passe Livre (MPL) e apoiado por partidos de esquerda (como PCdoB, PSOL, PSTU, PCO e PT), estudantes e grupos de punks e anarquistas, a marchar passou pela Avenida Paulista e deixou um rastro de vandalismo com a depredação de 65 ônibus e três entradas nas estações do Metrô, que sofreu 73.000 reais de prejuízo. Pelo menos quinze pessoas foram detidas e dezenas ficaram feridas em confronto com a PM.

29/05/2013

às 15:16 \ Governo Alckmin

SP planeja criar disque-denúncia com recompensa

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Segurança Pública, planeja implantar uma recompensa para quem ajudar nas investigações de crimes. Porém, diferentemente do que acontece atualmente, os denunciantes terão de se identificar. O canal de disque-denúncia continuará sendo através do número 181.

A assessoria do governador Geraldo Alckmin confirma que o projeto está sendo estudado e que “deve ser concluído rapidamente”. No entanto, diz que “os detalhes ainda não estão definidos”. Não se sabe, por exemplo, se a recompensa será entregue para informações sobre qualquer tipo de crime ou para alguns específicos. Também ainda não estão definidos os valores das recompensas e se serão pagas em dinheiro.

Na sexta-feira, o secretário estadual de Segurança Pública, Fernando Grella, participou de uma coletiva e informou os números da criminalidade de abril. Os casos de latrocínios (roubos seguidos de morte) na cidade de São Paulo aumentaram 55% em comparação com o mesmo mês de 2012. No estado, o aumento foi de 9%. Os homicídios diminuíram 7,7% na capital paulista. No estado, a redução foi menor: 4,22%.

(Letícia Cislinschi, de São Paulo)

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados