Blogs e Colunistas

Na Síria de Assad (pai ou filho), tudo igual, tudo pior

Com Bashar Assad, "horror hereditário"

Para parafrasear o jogador pensante de beisebol Yogi Berra e suas frases folclóricas, na Síria, é déjà vu novamente. Vamos começar com o ministro das Relações Exteriores da Turquia (e está tudo tão desolador na Síria, que dou até colher de chá para a diplomacia turca). Ahmed Davutoglu disse que quando russos e chineses vetaram uma resolução no Conselho de Segurança das Nações Unidas, no sábado, condenando a brutalidade na Síria e pedindo a saída do poder do ditador Bashar Assad, estavam agindo com uma mentalidade de Guerra Fria, “baseando os votos, não em realidades existentes, mas em uma atitude mais automática contra o Ocidente”. E, de fato, na Guerra Fria, russos e chineses já apoiavam os massacres praticados por um ditador sírio, mas era Hafez Assad, o pai de Bashar.

Claro que também soa déjà vu novamente, como naquelas cruzadas do mundo livre contra o comunismo na Guerra Fria, integradas por Somoza e Pinochet, quando a secretária de Estado, Hillary Clinton, reage ao anacronismo sino-soviético (oops, russo), dizendo que agora será preciso articular uma coalizão dos “amigos da Síria democrática” a favor da oposição e contra a brutalidade do regime Assad. O que fazer? A coalizão vai incluir a Arábia Saudita.
Diplomacia tem estas ambiquidades e paradoxos, mas alguns casos são bem piores do que outros. Melhor ter a Arábia Saudita contra Assad do que a favor. A Rússia tem o despudor de argumentar que não podia apoiar uma resolução sobre a Síria, pois significava tomar partido de um dos lados. Vladimir, Vladimir, seu veto significa mais do que tomar partido de um dos lados, como você está fazendo na condição de grande sustentáculo internacional de Bashar Assad. Significa dar sinal verde para o ditador avançar na matança, tentar se entrincheirar no poder e dificultar ainda mais uma solução política para a crise, que ganha feições de guerra civil em larga escala.
Só há um argumento plausível a favor de Assad: o day after à sua queda pode ser pior do que o dia de hoje. com guerra de mílícias ou a ascensão ao poder de fundamentalistas sunitas. Talvez. Existe a idéia, portanto, de que seja melhor ficar com o demônio conhecido. Como assim? Sabemos que ele é horrível. Este é consolo? Com uma ditadura como a de Assad vamos justificar o status quo, na lógica russa de venalidade? E, de qualquer forma, o debate é acadêmico. A dúvida é quando Assad irá cair. Ele se tornou carga pesada até para as demais ditaduras da região.

Existem interesses geopolíticos contra o regime Assad (como o empenho de autocracias sunitas do Oriente Médio para enfraquecer o único aliado regional do Irã xiita), mas também os gestos humanitários. E pouca coisa deixa russos e chineses tão horrorizados como gestos humanitários. Afinal, tais gestos podem ser usados para condenar as condutas da semiditadura Putin e da ditadura do politburo chinês contra seus próprios povos e suas minorias. Mas já estamos refletindo com mais profundidade do que Yogi Berra. Há algo mais superficial, imediato e cínico para comentar. Neste episódio do Conselho de Segurança, o Ocidente (e seus aliados suspeitos do Oriente Médio) tiveram uma grande vitória em termos de realpolitik.

Os países ocidentais têm a vantagem moral na crise síria. Russos e chineses agora são cúmplices escancarados da carnificina praticada pelo regime Assad. São co-responsáveis acintosos pela escalada de violência, pois a oposição, que já está militarizada, tem pouco a fazer além de incrementar a luta armada. O que aconteceu no sábado nas Nações Unidas foi um vexame histórico para russos e chineses. Na frase dita à exaustão nos últimos dias, eles deram a Assad permissão para matar (para matar mais ainda).

Moscou e Pequim vetaram uma resolução, que já fora diluída para satisfazê-los, no momento em que as forças de Bashar Assad massacravam inocentes na cidade de Homs (os números de baixas são incertos, variam de dezenas a centenas). Existe ojeriza quase que universal ao regime de Assad. Do lado dos sírios estão os russos (chineses menos ativamente), a desgraça que é o regime iraniano, os asseclas do Hezbollah (até o Hamas se livra da saia justa), as tralhas bolivarianas e relíquias do ativismo terceiro-mundista. Em termos táticos, teria sido mais conveniente para russos e chineses engolirem o sapo. Para que queimar bala diplomática (no caso russo, bala mesmo) por um ditador que dia menos dia será carta fora do baralho? E qual  é o cenário mais provável? Uma intervenção militar americana parece improvável (talvez , assim como um sucesso diplomático. Hillary Clinton alerta sobre uma “brutal guerra civil”. Podemos acrescentar que terá violentas tonalidades sectárias, com apoio de monaquias sunitas à oposição.

Esta coluna está recheada de citações diplomáticas. Vamos terminar com mais uma. O embaixador francês nas Nações Unidas, Gerard Araud, lembrou como tudo é parecido na Síria,. Este massacre em Homs em 2012 teve lugar quando eram lembrados os 30 anos da mortandade em Hama (entre 10 mil e 40 mil mortos),. Em 1982, o responsável foi o ditador Hafez Assad. Agora, é o seu filho. Como disse o embaixador Araud, na Síria o “horror é hereditário”. Déjà vu novamente.

***
Colher de chá para o comentário do Pablo (dia 6, 13:50)  sobre as posturas da Rússia e China. E uma colher de café para a Carmem (dia 6, 15:40),  por sua saborosa advertência contra as estapafúrdias analogias, especialmente as hitleristas.

 

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

173 Comentários

  1. Anouk

    -

    10/02/2012 às 11:42

    Adoro essas sacadas universais de Churchill e Shaw. Boa Magno.
    Maisvalia, essa do convite eu conhecia. Very British!

  2. maisvalia

    -

    09/02/2012 às 8:43

    Magno Adão de Souza – 09/02/2012 às 0:51
    Legal , gostei muito.
    Abs

  3. Magno Adão de Souza

    -

    09/02/2012 às 0:59

    “Caro Magno, só esqueceu um detalhe.
    O Churchill NÃO FOI DITADOR.
    ESTADISTA MODERNO NÃO PODE SER DITADOR”.

    O fato de Otto von Bismarck não ter sido um governante democrático não constitui qualquer óbice para que historiadores e jornalistas dos quatro quadrantes do globo o reputem um estadista. Devemos evitar tanto quanto possível analisar o passado com os olhos do presente.

  4. Magno Adão de Souza

    -

    09/02/2012 às 0:51

    As óvias discrepâncias políticas entre o estadista inglês Winston Churchill e o dramaturgo irlandês George Bernard Shaw – o primeiro, um empertigado conservador vitoriano; o segundo, um veemente defensor do socialismo fabiano – jamais os impediram de compartilhar de uma rara e admirável qualidade: eram soberbos frasistas. As máximas e blagues que ambos cunharam ajudaram a eternizar seus nomes nos anais da História. Seguem abaixo algumas sentenças proferidas por ambos:

    “O especialista é um homem que sabe cada vez mais sobre cada vez menos, e por fim acaba sabendo tudo sobre nada”.
    George Bernard Shaw

    “Uma boa esposa é um grande consolo para o homem em todos os contratempos e dificuldades – que ele nunca haveria de ter se tivesse continuado solteiro”.
    George Bernard Shaw

    “O homem razoável se adapta ao mundo; o irascível tenta adaptar o mundo a si próprio. Assim, o progresso depende do homem irascível”.
    George Bernard Shaw

    “Não faças aos outros o que gostarias que te fizessem a ti. O gosto deles pode não ser o mesmo”.
    George Bernard Shaw

    “Ninguém pretende que a democracia seja perfeita ou sem defeito. Tem-se dito que a democracia é a pior forma de governo, salvo todas as demais formas que têm sido experimentadas de tempos em tempos”.
    Winston Churchill

    “Você sempre pode contar com os americanos para fazer a coisa certa – depois que eles tentaram todo o resto”.
    Winston Churchill

    “Estou pronto para enfrentar meu Criador. Se o meu Criador está ou não preparado para a árdua prova de me enfrentar, esse é outro assunto”.
    Winston Churchill

    “Uma mentira dá uma volta inteira ao mundo antes mesmo de a verdade ter oportunidade de se vestir”.
    Winston Churchill

  5. Magno Adão de Souza

    -

    09/02/2012 às 0:47

    As óvias discrepâncias políticas entre o estadista inglês Winston Churchill e o dramaturgo irlandês George Bernard Shaw – o primeiro, um empertigado conservador vitoriano; o segundo, um veemente defensor do socialismo fabiano – jamais os impediram de compartilhar de uma rara e admirável qualidade: eram soberbos frasistas. As máximas e blagues que ambos cunharam ajudaram a eternizar seus nomes nos anais da História. Seguem abaixo algumas sentenças proferidas por ambos:

    “O especialista é um homem que sabe cada vez mais sobre cada vez menos, e por fim acaba sabendo tudo sobre nada”.
    George Bernard Shaw

    “Uma boa esposa é um grande consolo para o homem em todos os contratempos e dificuldades – que ele nunca haveria de ter se tivesse continuado solteiro”.
    George Bernard Shaw

    “O homem razoável se adapta ao mundo; o irascível tenta adaptar o mundo a si próprio. Assim, o progresso depende do homem irascível”.
    George Bernard Shaw

    “Não faças aos outros o que gostarias que te fizessem a ti. O gosto deles pode não ser o mesmo”.
    George Bernard Shaw

    “Ninguém pretende que a democracia seja perfeita ou sem defeito. Tem-se dito que a democracia é a pior forma de governo, salvo todas as demais formas que têm sido experimentadas de tempos em tempos”.
    Winston Churchill

    “Você sempre pode contar com os americanos para fazer a coisa certa – depois que eles tentaram todo o resto”.
    Winston Churchill

    “Estou pronto para enfrentar meu Criador. Se o meu Criador está ou não preparado para a árdua prova de me enfrentar, esse é outro assunto”.
    Winston Churchill

    “Uma mentira dá uma volta inteira ao mundo antes mesmo de a verdade ter oportunidade de se vestir”.

  6. maisvalia

    -

    08/02/2012 às 22:12

    Churchill X Shaw
    Telegrama do dramaturgo Bernard Shaw a Winston Churchill:

    “Tenho a honra de convidar o digno primeiro-ministro à estréia de minha peça Pigmalião. Venha e traga um amigo, se tiver.”

    Churchill não deixou por menos:

    “Agradeço ao ilustre escritor o honroso convite. Infelizmente, não poderei comparecer à primeira apresentação. Irei à segunda, se houver.”

  7. maisvalia

    -

    08/02/2012 às 20:09

    Caro Magno, só esqueceu um detalhe.
    O Churchill NÃO FOI DITADOR.
    ESTADISTA MODERNO NÃO PODE SER DITADOR.

  8. Magno Adão de Souza

    -

    08/02/2012 às 15:36

    maisvalia,

    Respeito seu ponto de vista, mas não me parece tão simples assim descrever as qualificações necessárias a ensejar a designação do qualificativo “estadista” a um governante. Winston Churchill – considerado um estadista pela quase unanimidade dos historiadores anglo-saxônicos – saudou publicamente o regime fascista de Benito Mussolini na década de 1930, não obstante ele e Anthony Eden terem criticado a passividade do governo britânico – à época liderado por Stanley Baldwin – e da cúpula dirigente do Partido Conservador – do qual eram estrelas de primeira grandeza – ante a invasão italiana à Abissínia, que representou uma inquestionável agressão ao primado da segurança coletiva corporificado pela Liga das Nações – a qual se mostrou incapaz de prestar qualquer tipo de auxílio ao destronado imperador Hailé Selassié, que se autoproclamara “Rei dos Reis” e “Leão de Judá”. Os encômios que Churchill endereçou a Mussolini estão fartamente documentados nos arquivos da imprensa britânica. O próprio Churchill, visivelmente constrangido, teve de admitir nas alentadas memórias que escreveu sobre a Segunda Guerra Mundial – que lhe valeram o Prêmio Nobel de Literatura – os acenos que fizera àquele regime. Churchill não se furtou de tomar partido na Guerra Civil Espanhola, na qual se solidarizou com o general falangista Francisco Franco, com o qual viria a manter cordiais relações nos dois períodos em que esteve à frente do governo de Sua Majestade. As simpatias que Churchill nutria por Mussolini e Franco o tornam desmerecedor do título de estadista? A resposta parece-me ser desenganadamente negativa.

  9. maisvalia

    -

    08/02/2012 às 14:20

    …Canadá é um bom exemplo (com a excessão da Bombardier, porque eu sou mais a Embraer. Mas RUSH é Canadense! Yeah! heheh)…
    CARO PEDRO.
    FIZ UM CURSO DE UMA SEMANA NO CANADÁ , EM OTAWA E MONTREAL, E NA VOLTA PASSEI TRÊS DIAS EM NEW YORK, ADVINHA DO QUE GOSTEI MAIS?
    O CANADÁ TEM UM DOS MAIORES ÍNDICES DE SUICÍDIO DO MUNDO.

    DEVE SER POR CAUSA DO RUSH, HEHEHEHEHE
    CANADÁ + RUSH = BORING②
    PS PAÍSES COMUNISTAS NÃO FAZIAM E NEM FAZEM ESTATÍSTICAS DE SUICÍDIO.
    PORQUE SERÁ?
    Ai, ai, ai, Oh Canada! Abs, Caio

  10. maisvalia

    -

    08/02/2012 às 14:09

    Caro Magno Adão de Souza
    Meu ponto de vista é outro.
    Um ditador que flerta com o fascismo não pode ser estadista, period.
    Quanto ao carrasco nazista, nem tudo no mundo é perfeito. S eles tentassem pelas vias oficiais, o bom carrasco morreria de velhice.

  11. Anouk

    -

    08/02/2012 às 9:38

    Magno,
    Sobre a captura de Eichmann:
    ***
    “O governo argentino de então, comandado pelo advogado radical Arturo Frondizi, só não protestou formalmente perante a Corte Internacional de Justiça para evitar expor em demasia a promíscua e comprometedora teia de relações mantida entre criminosos de guerra nazistas e proeminentes políticos e plutocratas ligados ao regime justicialista do general Juan Domingo Perón, que, durante a Segunda Guerra Mundial, a exemplo da maior parte dos oficiais-generais das Forças Armadas da Argentina, nutriu aberta admiração pelos regimes fascistas”.
    ***
    Exatamente este é o meu ponto. Em política nada funciona independentemente de qualquer condicao. Como em todo jogo, “ganha” quem tiver o melhor lance.
    ***
    PS: Valeu a troca de idéias.

  12. Pedro Innecco

    -

    08/02/2012 às 7:57

    Caio:
    “Os EUA e seus aliados representam para mim os melhores valores para a humanidade [...]”
    .
    Gosto muito do seu blog mas esse é o meu isóceles (heheh). Tem muito país por aí com valores melhores que os EUA. Canadá é um bom exemplo (com a excessão da Bombardier, porque eu sou mais a Embraer. Mas RUSH é Canadense! Yeah! heheh)
    Pedro, a frase é clara: os EUA e seus aliados, ao que me consta o pais construtor do Bombardier (com suas duas linguas) é aliado dos irmaos do sul, hehehe, abs, Caio

  13. Pedro Innecco

    -

    08/02/2012 às 7:45

    Já viram essa?
    Anonymous exposes e-mails of Syrian presidential aides: http://arstechnica.com/tech-policy/news/2012/02/anonymous-hackers-expose-emails-of-syrian-presidential-aides.ars
    possivel assunto para mim, abs, Caio

  14. Magno Adão de Souza

    -

    08/02/2012 às 1:29

    Jamais neguei que Getúlio Vargas simpatizasse com teses caras ao fascismo, como a identificação plena entre Estado e sociedade, a exaltação ao nacionalismo e a glorificação da figura de um líder mítico a pairar sobre o bem e o mal. Observei apenas que ele não ostenta todas as características que a ciência política elenca para descrever um líder fascista. Vargas era extremamente autoritário e personalista, dada sua franca adesão ao pensamento positivista esposado por seu mentor, Júlio de Castilhos, mas não era um fascista à moda de Hitler, Mussolini, Franco, Salazar, Horthy e Pilsudski. Vale lembrar que Vargas perseguiu implacavelmente os integralistas – agrupamento político que se notabilizou por defender idéias bastante semelhantes às propugnadas pelo fascismo – após o golpe que implantou o Estado Novo em novembro de 1937, o que fez com que um grupo deles realizasse no ano seguinte um malsucedido ataque ao Palácio Guanabara, residência oficial da Presidência da República.
    Jamais sustentei que o governo israelense deveria ter desistido de seu legítimo intento de levar Adolf Eichmann ao banco dos reús para responder pelos crimes de lesa-humanidade que cometeu ao contribuir decisivamente para a montagem da metódica logística de transporte responsável pela condução de milhões de judeus europeus aos campos de extermínio construídos pelo regime nazista. Ponderei apenas que os agentes do Mossad que capturaram Eichmann num subúrbio de Buenos Aires contrariaram frontalmente preceitos elementares do direito das gentes ao atuarem num território imune à jurisdição do Estado judeu. A recusa do governo de David Ben-Gurion em solicitar a extradição de Eichmann ao Estado argentino decorreu de seu receio de que o ex-oficial da SS nazista pudesse fugir para outro país ou ser entregue ao governo da República Federal da Alemanha, encabeçado então pelo chanceler democrata-cristão Konrad Adenauer – cujo desprezo a Hitler não o impediu de acercar-se de assessores sobre os quais recaíam suspeitas de terem mantido ligações com o regime nazista, como Hans Globke, seu braço direito por dez anos. O governo de Arturo Frondizi dificilmente teria se escusado de entregar Eichmann a Israel alegando a inexistência de um tratado de extradição entre os dois países, pois tal obstáculo legal poderia ter sido facilmente contornado mediante a formulação de uma simples promessa de reciprocidade.

  15. Magno Adão de Souza

    -

    08/02/2012 às 1:02

    mais valia,

    Jamais neguei que Getúlio Vargas simpatizasse com teses caras ao fascismo, como a identificação plena entre Estado e sociedade, a exaltação ao nacionalismo e a glorificação da figura de um líder mítico a pairar sobre o bem e o mal. Observei apenas que ele não ostenta todas as características que a ciência política elenca para descrever um líder fascista. Vargas era extremamente autoritário e personalista, dada sua franca adesão ao pensamento positivista esposado por seu mentor, Júlio de Castilhos, mas não era um fascista à moda de Hitler, Mussolini, Franco, Salazar, Horthy e Pilsudski.
    Jamais sustentei que o governo israelense deveria ter desistido de seu legítimo intento de levar Adolf Eichmann ao banco dos reús para responder pelos crimes de lesa-humanidade que cometeu ao contribuir decisivamente para a organização metódica da logística de transporte que conduziu milhões de judeus europeus aos campos de extermínio construídos pelo regime nazista. Ponderei apenas que os agentes do Mossad que capturaram Eichmann num subúrbio de Buenos Aires contrariaram frontalmente preceitos elementares do direito das gentes ao atuarem num território imune à jurisdição do Estado judeu. A recusa do governo de David Ben-Gurion em solicitar a extradição de Eichmann ao Estado argentino decorreu de seu receio de que o ex-oficial da SS nazista pudesse fugir para outro país ou ser entregue ao governo da República Federal da Alemanha, encabeçado então pelo chanceler democrata-cristão Konrad Adenauer – cujo desprezo a Hitler não o impediu de acercar-se de assessores sobre os quais recaíam suspeitas de terem mantido ligações com o regime nazista, como Hans Globke, seu braço-direito por dez anos. O governo de Arturo Frondizi dificilmente teria se escusado de entregar Eichmann a Israel alegando a inexistência de um tratado de extradição entre os dois países, pois tal obstáculo legal poderia ter sido facilmente contornado mediante a formulação de uma simples promessa de reciprocidade.

  16. Betty

    -

    08/02/2012 às 0:38

    Tai’, boa idea! Os estados árabes e o Iran reconhecem os Estado de Israel como Estado Judeu, o Estado Independente da Palestina recebe os quarto milhões de descendentes dos originais refugiados que sao mantidos em campos refugiados pelos amantíssimos irmãos , e ai’, os tratados de 1555, 1648 e os que advieram deles serão retrofitted para 2012. Boa noite.

  17. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 23:11

    O direito das gentes reconhece que qualquer Estado tem o direito de lutar por ua autodefesa, mas não ao preço da afronta à soberania de outro. Nenhum doutrinador do direito das gentes admite que um Estado promova guerras preventivas ou preemptivas pelo simples fato de corresponderem em última análise a uma clara afronta ao princípio da soberania nacional, pedra angular do moderno conceito de Estado definido pelos Tratados de Westfália – acordos que puseram fim à sangrenta Guerra dos Trinta Anos.

  18. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 22:40

    Pedro,

    Pertinente sua observação sobre a recusa dos Estados europeus em prestar qualquer forma de ajuda a Israel durante a Guerra do Yom Kippur. Numa reunião da Internacional Socialista havida pouco depois do encerramento daquele conflito, Golda Meir admoestou duramente os governantes europeus – boa parte dos quais filiados àquela confraria – por terem-se negado a permitir o reabastecimento em seu território dos aviões americanos que transportavam armas para Israel, dentre os quais se destacou o social-democrata Bruno Kreisky, que ocupou o cargo de primeiro-ministro da Áustria por cerca de duas décadas. Kreisky, um judeu, vangloriava-se de jamais ter-se dobrado às pressões de Golda Meir e de ter sido o primeiro estadista do Ocidente a defender sem meias palavras a criação do Estado Palestino. A prudente distância que os países europeus mantiveravam frente a Israel naquele período não evitou, porém, que fossem as principais vítimas do vertiginoso aumento no preço do petróleo que as nações árabes reunidas na Opep decretaram em fins de 1973 para retaliar o Ocidente, ao qual culpavam pela derrota sofrida por Egito e Síria na supracitada guerra.

  19. carlos cezar

    -

    07/02/2012 às 22:37

    Cara betty, se a Europa não fala essa ou aquela língua, devemos isso à evolução humana. Só na sua cabecinha há outra interpretação para a evolução humana.

  20. maisvalia

    -

    07/02/2012 às 22:28

    …justicialista do general Juan Domingo Perón, que, durante a Segunda Guerra Mundial, a exemplo da maior parte dos oficiais-generais das Forças Armadas da Argentina, nutriu aberta admiração pelos regimes fascistas…
    É MAGNO, O ‘ESTADISTA’DITADOR GETULHO (BY EMIR) TAMBÉM.
    E OUTRA COISA, NO SEU PRÓPRIO COMENTÁRIO VOCÊ EXPÕE A ACERTADA DECISÃO DE ISRAEL EM CAPTURAR O MONSTRO ASSASSINO DE NOME EICHMANN. SE FOSSE DE MANEIRA DIPLOMÁTICA/JUSTIÇA INTERNACIONAL NÃO SURTIRIA EFEITO, ENTÃO O QUE FAZER?, DEIXAR O AÇOUGUEIRO VIVENDO NO BEM BOM NOS PAÍS DOS MILONGUEIROS?

  21. betty

    -

    07/02/2012 às 22:10

    Desculpe, mas sou eu de novo, porque a memoria da tribo anda meio fraca e sei que o paje quer ir jantar. Se hoje a Europa nao fala alemao, deve-se ao EUA. Se a Europa nao fala uma lingua eslava deve-se a alianca Americana e Israelense, sendo que jamais nenhum soldado que nao Israelense tenha morrido defendendo o Estado Judeu. E se os senhores quiserem beber a sua cervejinha de vez em quando e as senhoras nao terem que sair de burka por ai, e’ melhor abrir o olho. Mais uma coisinha. O direito de legitima defesa putativa nao sao metodos ilegais nao senhores. E’ a mais basica obrigacao do estado para com os seus cidadaos.

  22. betty

    -

    07/02/2012 às 21:54

    Caio, juro que voce merece um descanso, mas nao posso deixar passar dois comentarios.Um de “consenso universal”. Deve ser de outra galaxia, pois a resolucao 242 fala em territorios, nao necessariamente fronteiras de 67, pois estas sao indefensaveis. Outra sobre “minoria irrelevante que nao aceita Israel”.Se o fraseado nao tivesse sido escrito num portugues tao bonito e elegante, diria que origem do texto era do falecido Arafat. Essa tal minoria irrelevante brequou o Estado Palestino em 37, 48, 67, 93, 95, 2000, 2007. Pode escolher o AD.

  23. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 21:49

    Anouk,

    Adolf Eichmann não era realmente flor que se cheirasse, mas e daí? Pensei ter sido bem claro quando afirmei que os crimes praticados por ele não justificam a clara violação ao direito internacional consubstanciada por sua captura por agentes do serviço secreto israelense em território argentino. Os agentes do Mossad exorbitaram claramente de sua autoridade ao manter Eichmann sob custódia num território fora de sua jurisdição. O governo argentino de então, comandado pelo advogado radical Arturo Frondizi, só não protestou formalmente perante a Corte Internacional de Justiça para evitar expor em demasia a promíscua e comprometedora teia de relações mantida entre criminosos de guerra nazistas e proeminentes políticos e plutocratas ligados ao regime justicialista do general Juan Domingo Perón, que, durante a Segunda Guerra Mundial, a exemplo da maior parte dos oficiais-generais das Forças Armadas da Argentina, nutriu aberta admiração pelos regimes fascistas.

  24. Pedro Innecco

    -

    07/02/2012 às 21:28

    Magno:
    Provavelmente uma das minhas únicas críticas a Israel é o suporte a África do Sul (back then) que foi um mal nescessário para Israel por falta de amigos.
    .
    Sobre 1973 Israel viu seus vizinhos se armando nas fronteiras e sabia do que ia acontecer. Mas mesmo assim EUA advertiu Israel a não atacar preventivamente e como resultado, Israel perdeu uma boa vantagem e muita gente inocente. Só depois de Israel estar em sérios apuros que os EUA chegaram. E a Europa não deixou nenhum avião Americano pousar no seu território, nem mesmo para reabastecer.
    .
    E é por isso que Israel c* e anda para o que os outros pensam. E com razão.

  25. maisvalia

    -

    07/02/2012 às 21:27

    Essas verdadeiras ovelhinhas ingênuas que acreditam que no caso da Síria a intervenção será em nome da “população que está sendo massacrada pelo tirano”, não buscam entender o que se passa, já engolem o que a mídia joga. E, diga-se de passagem, a grande mídia brasileira costuma, aliás sempre, só repassar o que já vem moldado de fora.
    É BEM MELHOR DO QUE SER MOLDADO PELO PC DO B, AQUELE QUE MANDOU CONDOLÊNCIAS AO TIRANO MORTO DA COREIA PEAL PROSPERIDADE QUE TROUXE AO SEU POVO E APOIA A TIRANIA DOS CASTRO, ONDE O NOSSO MARXISTA RANCOROSO VAI BUSCAR SUAS PALAVRAS REPETIDAS DE ORDEM.
    DEFENDER O TIRANO ASSAD FAZ PARTE DESTA MENTALIDADE QUE NÃO É MASSA SE MANOBRA. ANTES APOIARAM O GADAFI.
    JÁ DISSE AQUI, ESTE TIPO DE ESQUERDOPATA SE JUNTA E APOIA QUALQUER PORCARIA DE DITADOR OU TIRANO, DESDE QUE SEJA CONTRA UZMERICANUZ.
    ISTO É SER MASSA DE MANOBRA.
    SAQUINHO POR FAVOR!

  26. Vera

    -

    07/02/2012 às 21:17

    Nossa…
    Radicais palestinos que não aceitam Israel são fracos e irrelevantes?!!!
    O maledicente Hamas e sua pregação do ódio e intolerância então é irrelevante?
    Sem comentários… devo concordar com o maisvalia (18:16), é triste e patético… e acrescento, espalha-se uma perniciosa ideologia do ódio e do rancor, cujo mal à humanidade, será sentida ainda mais nas próximas gerações do que nós hoje. Lamento pela geração que está por vir sob esse viés.

  27. Anouk

    -

    07/02/2012 às 21:14

    Magno,
    O doce Eichmann, ao ser pego de surpresa pelos agentes, grunhiu como todo covarde.

  28. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 20:52

    Pedro,

    Não é veraz sua afirmação dando conta de que Israel nunca pôde contar com o auxílio de outros países nas guerras em que se envolveu. As armas que lhe foram fornecidas pelo governo Nixon desempenharam papel decisivo para a vitória do Estado judeu na Guerra de Yom Kippur, na qual ele esteve a um passo de sucumbir. Nos primeiros dias daquela conflagração, o lendário general Moshe Dayan – que ocupava então o cargo estratégico de ministro da Defesa – confidenciara a membros do gabinete trabalhista da primeira-ministra Golda Meir, bem como a assessores próximos e jornalistas que desfrutavam de sua intimidade, seu receio de que a terceira queda do Templo de Jerusalém estivesse na iminência de acontecer, numa óbvia alusão ao possível colapso do Estado hebreu. Admiro Israel pela tenacidade, dedicação e bravura de sua valorosa gente, mas não coonesto os metodos ilegais de que seus governantes se valeram para garantir a segurança de suas fronteiras nem as posições equivocadas que tomaram no tocante à sua política externa, como a de ter apoiado o regime segregacionista da África do Sul. Abomino fórmulas maniqueístas tão ao gosto de mentalidades tacanhas e autoritárias, como a retratada por George W. Bush, pois não abro mão da minha capacidade de pensar por mim mesmo.

  29. Fabricio Juliano

    -

    07/02/2012 às 20:37

    Caio, com o devido respeito, mas você, também, sempre incorre no mesmo erro de contra-argumentar quem critica os EUA, dizendo que esse ou aquele país foi, ou é, pior. No caso dos vetos perante o CS, o fato da Rússia/URSS ter feito mais vetos, de forma alguma exclui o que eu digo todo tempo aqui no blog. O que eu ataco, sempre, é o fato de haver tantas pessoas ditas, cristãs, de bons costumes, de boa família, de moral, éticas etc etc etc, que tem nos EUA uma espécie de refúgio para todas as moléstias do mundo, uma espécie de entidade divina de onde as ações são corretas pois sempre buscam a justiça, democracia, levar os direitos humanos e demais lorotas que, pelo amor de qualquer deus, é um absurdo acreditar. É um país, e tão somente isso, que é movido por interesses econômicos, políticos, assim como os outros vilões da história moldada. Um país que nunca vacilou em matar milhares de inocentes na defesa de seus interesses econômicos. Um país que nunca vacilou em recrutar jovens de sua classe mais pobre, para lutar e morrer em nome, na verdade, da soberania econômica e política. Essas verdadeiras ovelhinhas ingênuas que acreditam que no caso da Síria a intervenção será em nome da “população que está sendo massacrada pelo tirano”, não buscam entender o que se passa, já engolem o que a mídia joga. E, diga-se de passagem, a grande mídia brasileira costuma, aliás sempre, só repassar o que já vem moldado de fora.
    Fabricio, aqui para mim é simples. Discordo de governo A ou B nos EUA, pais faz bobagem, comete atrocidades, faz guerras erradas, toma caminhos que nao deveria, mas todos os paises no mundo nao sao iguais, nao sao movidos pelos mesmos interesses, nao é tudo a mesma porcaria, cuidado com as mesmas equivalencias. No geral os motivos que levaram os russos a usarem veto na ONU sao piores do que os criterios americanos por uma questao de valores. Obviamente que posturas americanas as vezes estao erradas, como o apoio ao apartheid, ao Pinochet, aos Somozas da vida e nao existe uma aliança cega com Israel, os americanos fazem bobagem, Israel faz bobagem, claro que sim. Quem nao faz bobagem é a Coreia do Norte. Os EUA e seus aliados representam para mim os melhores valores para a humanidade, valores da economia do mercado e da democracial liberal, nem sempre sao coerentes, mas é o caminho a ser seguido e corrigido. Acho que uma definicao que usei decadas atras ainda vale, mais do que pro americano sou antiantiamericano, abs, Caio

  30. Gustavo C.

    -

    07/02/2012 às 20:19

    OK, boa noite, abs

  31. Gustavo C.

    -

    07/02/2012 às 20:12

    Você havia respondido que “quem veta o Estado Palestino com as fronteiras de 67 é o Hamas”, depois a resposta sumiu. Abs
    Eu ia elaborar uma resposta, mas desisti, basta de polemicas hoje, hehehe, abs, Caio

  32. Gustavo C.

    -

    07/02/2012 às 20:05

    É, Caio, é o Hamas, sim. Abs
    ????Abs, Caio

  33. Pedro Innecco

    -

    07/02/2012 às 20:01

    “general de DEZ (10) estrelas” [sorry!] :)

  34. Gustavo C.

    -

    07/02/2012 às 19:55

    Caio, quando você tenta distinguir os vetos russos/soviéticos dos americanos, e mesmo os americanos para proteger a AFS dos americanos para proteger Israel, está esquecendo um dado fundamental: o mais importante não é se Israel é um país melhor que a África do Sul dos anos 80 ou os países árabes de hoje, mas que há um consenso na humanidade e na comunidade das nações de que deve ser estabelecido um Estado Palestino com as fronteiras de 67. Não adianta caricaturar isso como ódio islâmico, nem discutir se é justo ou não – é consenso universal. Há, sim, radicais palestinos que não aceitam Israel, mas são tão fracos que a posição deles é irrelevante, o status quo só se mantém, na verdade, por oposição de Israel e dos EUA. Neste sentido, o ato de usar reiteradamente o poder de veto para manter uma situação a qual quase toda a humanidade (inclusive a maior parte do povo americano) se opõe, é realmente um arbítrio abusivo do governo americano. Abs

  35. Pedro Innecco

    -

    07/02/2012 às 19:55

    Caio:
    Também não. Mas para que não aconteça o ataque, o mundo tem que (citando o Renato Russo) parar de dar uma de “general de 7 estrelas, que fica atráz da mesa…” (vocês conhecem o resto) e peitar o Irã. Principalmente a Europa com esse papo podre de “multiculturalismo”, que não tem nada a ver com integração ou cosmopolitanismo.

  36. Pedro Innecco

    -

    07/02/2012 às 19:49

    Magno:
    ” As declarações absurdas de Ahmadinejad acerca do Holocausto e as ambições nucleares do Irã não justificam sob hipótese alguma a violação de leis internacionais pelo Estado judeu, que não tem o direito de fazer justiça com as próprias mãos [...]”
    .
    Vou citar Douglas Murray e Pat Condel: Israel pouco se importa com os seus “achismos”, e tem mais é que não se importar mesmo. Pois durante o holocausto, ninguém se importou com os judeus. Nas olimpíadas de 1972, tinha gente jogando pingue-pongue e tomando um sol a só alguns metros de onde a delegação Israelense estava sequestrada. E quando o estado foi ameaçado com aniquilação em 1973, também ninguém fez nada. E agora com o louco do Ahmadinejad, também ninguém faz nada. Israel aprendeu que no final das contas, só pode cotnar com Israel.
    .
    E quando Israel finalmente colocar um fim no planos planos nucleares do Irã, o mundo todo estará secretamente dando graças a deus por Israel. Pois qualquer pessoa em sã consciência sabe que o Irã é uma ameaça, não só para Israel, mas para o mundo civilizado.
    Estou enrolado e cansado para entrar na conversa, caro Pedro, mas um eventual ataque é uma decisao historica sobre a qual devemos roer as unhas. Espero que nao ocorra o ataque, abs, Caio

  37. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 19:30

    Ao ter atribuído a Andrei Gromyko – o sagaz diplomata que exerceu o cargo de chanceler da extinta União Soviética por quase três décadas – o epíteto de “Mr. Niet”, a imprensa americana teve por objetivo ironizar em tom jocoso a irrefreável tendência que aquele país tinha de exercer seu direito de veto no Conselho de Segurança das Nações Unidas para barrar propostas de resolução patrocinadas pelas potências ocidentais, boa parte das quais destinada a intermediar soluções de paz para conflitos regionais e guerras civis em países africanos.
    É inegável que a nação israelense cometeu atrocidades contra populações árabes, mas não é menos verdadeiro que ela vive sob um Estado Democrático de Direito, no qual distintas forças políticas podem manifestar livremente suas posições e participar de eleições, ao contrário do que infelizmente ocorre em quase todo o mundo muçulmano. A rala credibilidade desfrutada pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU deve-se em grande medida ao fato de ter abrigado em seu seio países como Líbia do coronel Kadafi e a Síria de Bashar al-Assad. Ao se abster na votação que apreciou uma proposta de resolução que foi apresentada naquela comissão nos idos de 2006 para censurar o governo sudanês pelos massacres que milícias sob seu comando perpetraram na região de Darfur, a delegação brasileira debilitou sobremaneira a imagem de nossa diplomacia perante as nações democráticas.
    Bom acrescimo, caro Magno, ao que eu disse para o Fabricio, abs, Caio

  38. Pedro Innecco

    -

    07/02/2012 às 19:22

    Carlos Cezar:
    O modelo do CS da ONU é falho. Veja também a Russia (e antes a URSS) e a China vetando tudo que é do interesse deles. Em um mundo perfeito o CS não deveria ter esse veto de membros permanentes. Só que na minha definição de mundo perfeito, não existe aiatolás ou qualquer outro retardado pregando a destruição de um país ou de um povo. O Brasil deveria brigar para que o CS não tenha veto de membros permanentes, ao invéz de querer entrar com poder de veto e potencialmente se transformar em outro truculento.
    .
    Em outra nota, este vídeo me lembrou o seu debate colorido de ontem com MV: http://www.youtube.com/watch?v=nG4NYnQ4Q_M

  39. carlos cezar

    -

    07/02/2012 às 19:07

    Caro Caio, a lista de vetos no CS apresentada pelo Fabrício é uma vergonha à humanidade. Em todos os sentidos. Está claro, aliás, como sempre foi, que, por trás de cada veto, há o interesse específico de algum país favorecendo outro país. Não há um interesse geral pelo respeito aos direitos humanos. Quanto a Israel ser visto como a um tumor, como você diz, acredito não ser uma verdade literal. Eu mesmo, a despeito de minha revolta com as invasões e desapropriações na Cisjordânia levadas a cabo por Israel, não vejo o estado judeu como a um câncer, ao contrário, sei que existe ali uma população de pessoas inteligentes que têm contribuído bastante ao desenvolvimento humano.
    Abs.
    Carlos, este treco do cancer quem falou por estes dias foi o “lider espiritual” do regime iraniano, o aiatola Khamenei, abs, Caio

  40. Pedro Innecco

    -

    07/02/2012 às 19:06

    Vera:
    Da forma que eu vejo, Hitler é um passado do qual não devemos esquecer jamais. Mas enquanto tem gente aí “beating a dead horse”, há imãs no Reino Unido chamando para a matança de judeus. Não há 60 anos atráz, mas AGORA. Evidentemente que não minimizo Hitler, mas tento chamar a atenção para os “falsos amigos” do povo judeu.
    .
    Veja o Galiano por exemplo. Evidentemente que os comentários antisemita dele são totalmente abusurdos e ele deve serpunido SIM. Mas enquanto os europeus ficam se demonstrando indignados com esse um tia bêbada e mal educada em um restaurante na frança, tem um monte de loucos como Ahmadinejad, Anjem Choudary, Hamas, o (atual) Mufti de Jerusalem, incitando o assassinato e judeus e ninguém faz nada ao respeito! Estou cansado deste multiculturalismo Europeu perverso.

  41. Fabricio Juliano

    -

    07/02/2012 às 18:38

    Perdão pela extensão do comentário Caio, mas é de grande valia para o debate.
    Fabricio, nos ultimos dez anos os EUA tem vetado mais (deve haver uma correlacao com o governo Bush), mas nao se compara ao uso de veto sovietico/russo na historia da ONU. Nao tenho tempo para checar agora, mas como te falei, os EUA exercem muito poder de veto ao longo das decadas devido ao excesso de resolucoes contra Israel. Nao li esta lista que voce compilou, mas imagino que haja muita coisa relacionada com Israel, visto como um tumor cancerigeno no mundo arabe, islamico e terceiro mundista.
    Since the Security Council’s inception, China (ROC/PRC) has used its veto 6 times; France 18 times; Russia/USSR 123 times; the United Kingdom 32 times; and the United States 82 times. Pode estar desatualizada.
    Abs, Caio

    Fabricio, de resto, meu foco no momento é o fato de russos e chineses facilitarem o massascre do povo sirio por seu proprio Exercito, abs, Caio

  42. Fabricio Juliano

    -

    07/02/2012 às 18:36

    Vetos dos EUA às resoluções do Conselho de Segurança da ONU entre 2006 e 2011:

    2006 – Calls for an end to Israeli military incursions and attacks on Gaza.
    2006 – Calls for an end to the financial embargo against Cuba.
    2007 – Calls for peaceful uses for outer space.
    2007 – Calls for a convention against female descrimination.
    2007 – Concerning the rights of children.
    2007 – Concerning the right to food.
    2007 – On the applicability of the Geneva Convention to the protection
    of civilians in time of war.
    2007 – Calls for the protection of the Global Climate.
    2007 – Calls for Indian Ocean to be declared a zone of peace. Calls for
    a nuclear weapon-free South East Asia.
    2007 – Calls for the right of self determination for the Palestinian
    people. Other resolutions regarding the Palestinians and their rights.
    2008 – Calls for progress towards an arms trade treaty.
    2008 – Banning the development of new weapons of mass destruction.
    2008 – Assuring non-nuclear states they will not be attacked or
    threatened with nuclear weapons.
    2008 – Prevention of the development of an arms race in outer space and
    transparency in outer space activities.
    2008 – Calls to decrease the operational readiness of nuclear weapons
    systems and to ban nuclear weapons.
    2008 – Calls to end the use of depleted Uranium in weapons.
    2008 – Concerning the trade in illicit small arms.
    2008 – Calls for a nuclear free Central Asia and a nuclear free Southern Hemisphere. Prevention of proliferation in the Middle East.
    2008 – Calls for a comprehensive (nuclear) test ban treaty. Calls for a
    nuclear weapon free world.
    2008 – Calls for a treaty on children’s rights.
    2008 – Condemns racial descrimination.
    2008 – Affirms the soverignty of Palestinians over the occupied
    territories and their resources.
    2008 – Affirms the right of the Palestinians to self determination.
    2008 – Calls on Israel to pay the cost of cleaning up an oil slick off
    the coast of Lebanon caused by its bombing.
    2008 – Calls for a new economic order.
    2008 – Calls for a right of development for nations.
    2008 – Calls for a right to food.
    2008 – Respect for the right to universal freedom of travel and the
    vital importance of family reunification.
    2008 – Concerning developments in information technology for international security.
    2008 – Resolutions concerning Palestine, its people, their property, and Israeli practices in Palestine, including settlements.
    2009 – Calls for an end to the twenty-two-day-long Israeli attack on Gaza.
    2011 – Calls for a halt to the illegal Israeli West Bank settlements.
    2011 – Calls for Israel to cease obstructing the movement and access of
    the staff, vehicles and supplies of the United Nations Relief and
    Works Agency for Palestinian Refugees.
    2011 – Calls for the immediate and complete cessation of all Israeli
    settlement activities in all of the Occupied Palestinian Territory,
    including East Jerusalem, and in the occupied Syrian Golan.

  43. maisvalia

    -

    07/02/2012 às 18:16

    Triste e patético como existem tantos colonizados que defendem tão avidamente esse país. Pura massa de manobra.
    TRISTE É VER QUE A IDIOTIA DO PC DO B FLORESÇA NA BANANIA COM ESTES TERMOS REPETIDOS E RANCOROSOS, INVEJOSOS E DE BAIXO NÍVEL.
    SÓ UMA ESCOLA COM PROFESSORES MARXISTAS PODER GERAR ENERGÚMENOS DESTE PORTE.
    DEVEMOS ESTE RAIAR DE IMBECILIDADE SOBRETUDO AO GRANSCI E AO BANANEIRO FREIRE, POR DIFUNDIREM A IDEOLOGIA DO ATRASO, DA TIRANIA COMUNISTA.
    ARGH, PARA LER OS SEUS COMENTÁRIOS SÓ COM SAQUINHO DE AVIÃO À MÃO.
    ISTO É TRISTE, MUITO TRISTE

  44. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 18:04

    Anouk,
    Referi-me aos assassinatos que agentes do Mossad cometeram por ordem expressa do Estado judeu, que obviamente não se limitaram ao recente atentado que ceifou precocemente a vida de um físico nuclear iraniano. O Mossad viola tratados e convenções internacionais desde sua criação, fato claramente evidenciado pela captura ilegal do ex-oficial nazista Adolf Eichmann em território argentino. A circunstância de Eichmann ter sido um dos principais arquitetos da macabra máquina da morte engendrada para dar concretude à “Solução Final” não torna seu rapto por agentes do Mossad menos acintoso à luz do direito internacional. Os homicídios que o Mossad perpetrou contra dirigentes e soldados rasos da organização terrorista “Setembro Negro” fizeram tábula rasa das mais elementares normas que informam o direito das gentes, pois foram executados em nações estrangeiras à revelia de seus respectivos governos. A responsabilidade criminal dos agentes do Mossad implicados direta ou indiretamente no assassinato de membros daquela entidade terrorista não foi atenuada pelos delitos levados a cabo pelos últimos – como os que resultaram no seqüestro de integrantes da delegação israelense na Olimpíada de Munique, cujo trágico desfecho acirrou as desinteligências e ressentimentos que têm colocado árabes e judeus em campos diametralmente opostos.
    A minha suposição acerca do envolvimento do Mossad na morte de um cientista iraniano ocorrida dias atrás é mais que razoável, pois se baseia em elementos factuais e circunstanciais bastante sólidos.

  45. Vera

    -

    07/02/2012 às 17:07

    OK Pedro e Alexandre
    Acho que entendí a posição de vcs, mas não vejo tanta relevância assim. No fundo todos sabem que alí se via um ser humano com aspectos normais físicos, porque morais haveria de se desconfiar da austeridade de seus discursos que beirava a uma anomalia congênita, como devemos desconfiar de alguns líderes de agora.
    O mundo não está livre de um outro déspota catatônico disfarçado de paladino de um povo, duma etnia ou nação. A lição que fica, olhos bem abertos com os líderes atuais, como o do Irã por exemplo.

  46. Fabricio Juliano

    -

    07/02/2012 às 17:04

    Para todos os que tem os EUA como uma verdadeira “entidade” gloriosa, de onde emana a verdade e a justiça e exemplo para o mundo, e, na atual discussão sobre o veto de Rússia e China, trazem argumentos humanitários e etc para criticar o veto, aqui vai um dado: de 1972 até 2006 os EUA utilizaram seu poder de veto em nada menos do que SETENTA ocasiões. Fonte: http://www.advivo.com.br/node/777200 Não irei descrever todas (porém no site estão todas as 70), porém vejamos algumas bastante interessantes: 1972 Condemns Israel for killing hundreds of people in Syria and Lebanon in air raids.(VETOU A RESOLUÇÃO QUE CONDENAVA ISRAEL POR ESTAR BOMBARDEANDO CIVIS NA SÍRIA E LÍBANO)
    1976 Condemns South Africa’s attempts to impose apartheid on Namibia.(VETOU A RESOLUÇÃO QUE CONDENAVA O APARTHEID NA AFRICA DO SUL);
    1981
    Condemns activities of foreign economic interests in colonial territories.
    Calls for the ending of all test explosions of nuclear weapons.
    Calls for action in support of measures to prevent nuclear war, curb the arms race and promote disarmament.
    Urges negotiations on prohibition of chemical and biological weapons.
    Declares that education, work, health care, proper nourishment, national development, etc are human rights.
    Concerns changes to the United Nations accounting methods. (SOMENTE NO ANO DE 1980 VETOU RESOLUÇÕES QUE PEDIAM O FIM DOS TESTES NUCLEARES E O FIM DAS ARMAS QUÍMICAS E BIOLÓGICAS) – E segue a lista imensa de vetos dos EUA, vale conferir. Vejamos mais alguns bem peculiares: 1983
    Afirms the right of every state to choose its economic and social system in accord with the will of its people, without outside interference in whatever form it takes. (ESSA É CLÁSSICA); 1988
    Condemns Israeli practices against Palestinians in the occupied territories. (VETADO PELOS EUA); 1990
    To send three UN Security Council observers to the occupied territories. (VETADO PELOS EUA); 1999
    Calls on the USA to end its trade embargo on Cuba. (VETADO PELOS EUA); E segue a lista das 70 (setenta) resoluções que os EUA, com voto único, vetaram. Triste e patético como existem tantos colonizados que defendem tão avidamente esse país. Pura massa de manobra.
    Fabricio, hoje que voce esta tao amigo das estatisticas, voce saberia precisar quantas resolucoes foram arquitetadas nas Nacoes Unidas contra Israel por suas violacoes de direitos humanos? O pais é recordista, deve ser a maior mazela da humanidade (para o Khamenei é um tumor cancerigeno), pelo visto, condenado inclusive pela Siria no Conselho de Direitos Humanos, uma das razoes que os EUA exercem tantos vetos envolve tantas votacoes contra Israel. Sobre Africa do Sul, pleno acordo: Reagan/ Thatcher e quem quer que estivesse no poder em Israel nos anos 80 agiram de forma vergonhosa, abs, Caio

  47. Anouk

    -

    07/02/2012 às 16:28

    Magno,
    Você entendeu bem muito bem o meu ponto.
    ***
    Segue o que você afirmou sobre o governo de Israel:
    “Para além de terem escarnecido das leis internacionais, os homicídios premeditados que agentes do Mossad praticaram por ordem do Estado judeu aviltaram os preceitos éticos e morais inerentes ao Estado de Direito, que não aceitam que um ente estatal sentencie indivíduos à morte sem lhes garantir o direito ao contraditório e à ampla defesa”.
    ***
    Nesta, a afirmacao transforma-se numa suposicao razoável:
    “É mais que razoável a minha suposição de que agentes do Mossad tenham tramado e executado o atentado que cobrou a vida de um jovem cientista nuclear iraniano semanas atrás. Não me parece plausível imaginar que o governo iraniano tenha dado cabo da vida daquele pobre rapaz de modo tão espalhafatoso”.
    Você possui um talento admirável para desdizer o que foi dito.

  48. Felipe Goltz

    -

    07/02/2012 às 16:08

    “Acreditar que o ditador Bashar al-Assad pretenda cumprir as promessas de liberalização política que fez a um preposto de Vladimir Putin é de uma ingenuidade comovente.”

    >> Magno, não se trata de ingenuidades aqui. Pelo contrário. A barra está pesando a cada dia para Assad na Síria que está, oficialmente e diplomaticamente falando, isolado. A jogada da Rússia, que tem amplo canal de comunicação com aquele regime, pode ser de gênio. Mostra que está disposta a negociar algo honroso para Assad, que não tem mais como ficar no poder. E os EUA sabem disso. Se Assad topar a proposta russa, que é muito boa para o sírio e para a Síria, nas atuais circunstâncias, bye bye Obama…

    “Vladimir Putin não passa de um reles oligarca ávido por poder…”

    >> Putin um oligarca? Acho que não. Se for um oligarca a favor, fica solto com os seus bilhões. Se for do contra, faz companhia a Khodorkovsky na prisão.

  49. carlos cezar

    -

    07/02/2012 às 16:01

    Um trilhão para o governo americano. A Halliburton e outras centenas de empresas do setor privado obtiveram lucros espetaculares em oito anos no Iraque.

  50. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 15:39

    Vladimir Putin não passa de um reles oligarca ávido por poder, prestígio e influência, como tantos na Rússia pós-soviética. Ele haverá de ser lembrado pela posteridade como um déspota leniente com a corrupção endêmica que perpassa as instituições públicas de seu país.

  51. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 15:31

    Acreditar que o ditador Bashar al-Assad pretenda cumprir as promessas de liberalização política que fez a um preposto de Vladimir Putin é de uma ingenuidade comovente. Se Assad não se esforçou sequer para conter a brutalidade de seus sicários no período em que a Síria foi visitada por observadores da Liga Árabe, por que ele se disporia a abrir mão do poder espontaneamente após ter sofrido tamanho desgaste?
    Magno, aqui nossas trilhas se reencontram, hehehe, abs, Caio

  52. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 15:25

    Anouk,
    Invocar razões de estado ou de qualquer outra ordem para justificar, relativizar ou condescender com o desrespeito às leis internacionais equivale, com a máxima vênia, a um flerte com a barbárie. Reconhecer que normas do direito das gentes foram e continuam a ser objeto de afronta por parte dos mais diferentes governos, mormente daqueles dotados de grande poderio militar e econômico, não significa aceitar essa triste realidade como um fruto caído da árvore da vida.
    É mais que razoável a minha suposição de que agentes do Mossad tenham tramado e executado o atentado que cobrou a vida de um jovem cientista nuclear iraniano semanas atrás. Não me parece plausível imaginar que o governo iraniano tenha dado cabo da vida daquele pobre rapaz de modo tão espalhafatoso. Tampouco se me afigura realista a suposição de que a morte dele tenha decorrido de um acerto de contas de caráter pessoal.

  53. Felipe Goltz

    -

    07/02/2012 às 15:08

    Caio,
    O link é este: http://blogs.estadao.com.br/gustavo-chacra/
    Imagino que você esteja preparando muito munição para atirar contra o Putin, hehehe. Como eu sou o único que defendo VVP neste espaço declaradamente anti-putinesco, também já preparei um artigo ( de minha autoria e sem trolhas ) para postar aqui quando o momento certo chegar. De verdade.
    Abs’
    Ufa, preciso fazer outras coisas, depois leio com calma e palpito aqui mesmo, abs, Caio

  54. Felipe Goltz

    -

    07/02/2012 às 14:57

    Caro Caio,
    Brincadeiras à parte ( acho que você gostou da minha ), a verdade é que ainda fico impressionado com aquilo que o Putin fez e ainda faz pelo país dele. Do que era a Rússia na era Ieltsin – uma imensa Chechênia com armas nucleares – para o país assertivo em política internacional e próspero da era Putin, olha… hats off para ele. Hats off blind, hehehe
    Abs
    Felipe, foi boa, sempre tenho fairplay para boas piadas. Qual o link deste blog do Chacra, li um muito bom acho que no sabado ou domingo sobre a votacao na ONU, é este? Mas fique de olhos abertos (ARREGALADOS) para meus artigos Putin nos dias que vao preceder a eleicao de março, hehehe, mas falando sério, ingenuidade achar que os russos vao resolver a parada, só falta combinar com “os alemao”, abs, Caio

  55. Felipe Goltz

    -

    07/02/2012 às 14:37

    Caro Caio,
    Caso a notícia de hoje ( http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/assad-promete-por-fim-a-violencia-e-realizar-referendo-sobre-constituicao ) venha a se concretizar nos termos explícitos no texto – fim da violência, acordo político, nova constituição e principalmente uma saída honrosa para Assad – será a maior derrota da diplomacia ( ou a falta dela ) do Ocidente, especialmente dos EUA, nos últimos anos. E uma vitória de Pirro de Vladimir Putin sobre Barack Obama – que ficará com cara de “Hussein Bobama”, como diria um famoso comentarista deste espaço – neste imbróglio sírio, em que a guerra de palavras e imagens é tão ou mais forte quanto as próprias lutas nas cidades do país. Sei não, mas acho que o Gustavo Chacra matou a charada síria no blog dele e o Caio, que não é cego, desta vez ficou blinder, hehehe.
    Perdão pelo trocadilho, Caio, mas não resisti.
    Abs
    Felipe, perdão pelo trocadiho, mas sua paixao pelo Putin é blind, hehehe, abs, Caio

  56. Anouk

    -

    07/02/2012 às 14:15

    Magno,
    No meu mundo de ficcao, afrontas ao direito internacional, também nao sao endossáveis.
    ***
    Suspeita-se que o assassinato do cientista iraniano tenha sido uma acao do Mossad. Para você, no entanto, uma suposicao transforma-se em certeza categórica. Para quem defende direitos, você foi hábil na condenacao de Israel.

  57. maisvalia

    -

    07/02/2012 às 13:30

    halliburton
    É CC OU CCM OU Carlos “Tim Robbins” Cezar, O ISÓSCELES.
    TINHA QUE APARECER ESTA.
    É COMO XINGAR O BUXI, HEHEHE
    MOSTRE QUANTO GANHARAM, ONDE, NOMES, ETC, NÃO ESTE RAME RAME.
    extração e refino de petróleo entre 2003 e 2010
    EXPLORARAM TUDO E DEIXARAM NADA PARA OS CHINESES???
    contratos sem concorrência na valor de 15 b de dólares)
    MAS O PREJUÍZO FOI DE 1 TRILHÃO.
    HEHEHEHEHE
    HEHEHEHEHE
    HEHEHEHEHE

  58. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 13:01

    Anouk,
    Não endosso afrontas ao direito internacional, partam elas de onde partirem. Condeno tanto as ações terroristas desenvolvidas pelo Irã quanto os assassinatos cometidos pelo serviço secreto israelense. Por entender que a soberania dos Estados é um valor indivisível, o moderno direito das gentes estriba-se nos princípios da autodeterminação dos povos e da não-intervenção em assuntos internos. Para além de terem escarnecido das leis internacionais, os homicídios premeditados que agentes do Mossad praticaram por ordem do Estado judeu aviltaram os preceitos éticos e morais inerentes ao Estado de Direito, que não aceitam que um ente estatal sentencie indivíduos à morte sem lhes garantir o direito ao contraditório e à ampla defesa.

  59. carlos cezar

    -

    07/02/2012 às 12:27

    Caro, a quem você está querendo enganar? A si mesmo? São centenas e centenas de empresas e companhias particulares fornecendo de tudo ao exército invasor. Já ouviu falar da halliburton? É apenas uma das que atuaram no Iraque desde o setor de construção (contratos sem concorrência na valor de 15 b de dólares) até comida para os invasores, além de mercenários (assassinos de aluguel) e extração e refino de petróleo entre 2003 e 2010.

  60. Gustavo C.

    -

    07/02/2012 às 12:23

    Caio e Ahmadinejad adoraram o assassinato do cientista, vejam o resultado: http://abcnews.go.com/Blotter/scientists-murder-iran-students-switch-majors-official/story?id=15377748#.TzEzoGD_Bjg
    Caro Gustavo, a despeito do seu esforço para fazer ironia, nao ponha palavras na minha boca: eu nao adoro assassinato de cientista. Abs, Caio

  61. Anouk

    -

    07/02/2012 às 12:13

    Peraí Magno, a violacao de que falas ocorre dia sim dia nao. Quando a “violacao” parte de Israel aí ninguém perdoa; né? Ora, ora, comunidade mundial. Esse assunto dá uma canseira.

  62. maisvalia

    -

    07/02/2012 às 11:42

    carlos cezar
    -

    07/02/2012 às 10:07

    Ao obtuso: pesquise os fornecedores do exército invasor e você terá centenas e centenas de dados sobre os lucros da indústria privada americana. A invasão e semi destruição do Iraque levou um lucro fabuloso ao setor privado america
    NÃO PESQUISAREI NIENTE.
    CABE AO ACUSADOR MOSTRAR AS PROVAS DO QUE DIZ E ATÉ HOJE VOCÊ SÓ FICOU NO MESMO RAME RAME DE SEMPRE ANTI SEMITA E ANTI AMERICANO.
    VOCÊ SÓ NÃO MOSTRA PORQUE ELAS NÃO EXISTEM, A NÃO SER DENTRO DA SUA CACHOLA OBTUSA, HEHEHEHE
    VIRA O DISCO

  63. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 10:08

    Betty,

    Dois erros não produzem um acerto. As declarações absurdas de Ahmadinejad acerca do Holocausto e as ambições nucleares do Irã não justificam sob hipótese alguma a violação de leis internacionais pelo Estado judeu, que não tem o direito de fazer justiça com as próprias mãos nem afrontar a soberania de outros Estados. A comunidade mundial não concedeu ao serviço secreto de Israel licença para matar.

  64. carlos cezar

    -

    07/02/2012 às 10:07

    Ao obtuso: pesquise os fornecedores do exército invasor e você terá centenas e centenas de dados sobre os lucros da indústria privada americana. A invasão e semi destruição do Iraque levou um lucro fabuloso ao setor privado americano.

  65. carlos cezar

    -

    07/02/2012 às 10:03

    Enquanto Israel continuar destruindo sistematicamente a Cisjordânia e seus cidadãos, será um país tão terrorista como qualquer outro terrorista. A única diferença é que tem o apoio dos Estados Unidos, enquanto outros considerados terroristas não têm o apoio da maior potência mundial.

  66. carlos cezar

    -

    07/02/2012 às 10:00

    Aí, obtuso, o prejuízo é do governo americano, mas o lucro fabuloso é das empresas e companhias particulares americanas, que financiam as campanhas políticas, sobretudo de políticos republicanos, que apreciam invadir países e assassinar aqueles milhares que tentam se libertar de suas garras sangrentas.

  67. maisvalia

    -

    07/02/2012 às 8:35

    Carlos “Tim Robbins” Cezar:
    ou CC ou CCM
    OS DADOS, ONDE, QUANTO VOCÊ COMO NÃO SABE NÃO DISSE.
    DE NOVO, MUITOS CRITICAM A GUERRA PORQUE DEU PREJUIZO, MAS NA SUA CABECINHA DEU LUCRO.
    UM ESPANTO!

  68. Pedro Innecco

    -

    07/02/2012 às 7:35

    Magno:
    O governo de Oppenheimer:
    1) Não nega o holocausto;
    2) Não prega que Israel será removido da história (ou riscado do mapa, dependendo do quão bom é o seu Farsi).

  69. Pedro Innecco

    -

    07/02/2012 às 6:36

    Carlos Cezar:
    Li o comentário do fabricio e a minha opinião é a mesma do Caio. recomendo você dar uma olhada no vídeo do Douglas Murray, pois ele explica exatamente o porque que eu jamais vou concordar com essa retórica “aguda” sobre Israel.

  70. Betty

    -

    07/02/2012 às 4:27

    E qual a defesa moral se aplica, quando o chefe de uma nação diz abertamente que vai destruir uma outra nação, a chama de câncer a ser extirpado e coisas do gênero, e nAo há a menor reação do mundo? No meio dos anos 90, foi dado o aviso do perigo de um projeto nuclear iraniano, e o que a agencia liderado pelo Sr. el Baradei fez? Oxala’ o mundo fosse menos hostil ao Estado Judeu, para que este nAo tivesse que usar esses assassinatos seletivos.
    Interessante notar, que frente a menor ameaça de fechamento de Hormuz foi feita pelo Sr. Ahmadinejah, outra grande figura humana, o mundo ocidental deu-lhe logo um chega pra-la’ e ele rapidinho botou o rabicho entre as pernas. Porque o mesmo nAo foi feito em relação ao programa nuclear, num pai’s que nada em óleo? Ah! Já sei porque! E’ que o regime no Iran esta’ preocupado com o aquecimento global, certo?Magno, nos poupe. No mundo atual, criou-se o Embaixador Prosor brilhantemente definiu como “triple standard” que veio a substituir o double standard: um para o mundo árabe, um para o mundo ocidental e um terceiro exclusivo para o Estado de Israel.

  71. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 0:50

    Caio,

    Questões éticas à parte, pode-se questionar a utilidade do atentado que ceifou a vida de um físico nuclear iraniano há poucas semanas. Parece-me óbvio que aquele assassinato não impedirá o regime iraniano de continuar a perseguir obsessivamente seu objetivo de desenvolver artefatos nucleares, pois é grande o número de cientistas dispostos a prestar serviços a ditaduras hostis ao Ocidente, seja por razões financeiras ou ideológicas. Não sei apontar qual solução seria capaz de resolver a contento o intrincado contencioso que se estabeleceu entre o Irã e as potências ocidentais por conta do projeto nuclear levado a cabo pelo primeiro, mas não tenho dúvidas em afirmar que não será matando cientistas que ele será equacionado.

  72. Magno Adão de Souza

    -

    07/02/2012 às 0:15

    Caio,
    Compreendo os motivos que o levaram a não condenar a morte de cientistas nucleares iranianos, mas deles discordo. Se agentes da famigerada SS nazista tivessem atentado contra a vida do eminente físico nuclear Julius Robert Oppenheimer sob a alegação de que ele comandava uma equipe de cientistas incumbida de construir uma arma letal a ser usada contra a Alemanha, teria dificuldade de encontrar argumentos para condenar tal ato se reconhecesse a um Estado democrático o direito de se comportar de igual modo. Abraços.

  73. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 23:58

    Veja só como é a posição oficial: o pentágono aponta 150 mortes “sob os cuidados” do super-assassino invasor no Iraque, enquanto o próprio invasor admite ter assassinado 255. Mas alguns otários insistem em acreditar no relatório apresentado pelos invasores dando conta de 165.000 mortes no Iraque depois da invasão.

  74. Magno Adão de Souza

    -

    06/02/2012 às 23:54

    Caio,

    Não posso deixar de manifestar meu mais absoluto repúdio ao homicídio de cientistas nucleares iranianos cometido semanas atrás. Quem invoca razões de estado para justificar tal ato não pode censurar ditaduras que procedem da mesma forma sob o pretexto de garantir a segurança de seus povos. A política de assassinatos seletivos adotada de há muito pelo serviço secreto israelense contraria frontalmente não só princípios éticos e morais como também as mais elementares normas preceituadas pelo direito internacional público. Israel, a exemplo de qualquer outro Estado – seja ele democrático ou não -, não tem o direito de agir em territórios estrangeiros ao arrepio da lei.
    Caro Magno, nao é bonito, mas aqui discordo de sua posicao, como sempre bem fundamentada, mas nao vou a esta altura do dia e depois do que disse na televisao pegar a vereda dos meus argumentos, mas se você tiver soluções que nao sejam ao arrepio da lei para resolver o problema nuclear, boa sorte, abs, Caio

  75. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 23:48

    Acabei de ler o comentário do Fabrício. Se você tiver um tempinho, Pedro, procure ler o comentário do Fabrício. Eu estava falando justamente sobre isso agora há pouco.

  76. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 23:40

    Vou repetir novamente, porque alguns obtusos realmente teimam em não enxergar a realidade. Quem abasteceu durante oito anos os 150.000 invasores do Iraque com comida, armas, munição, roupas, remédios e muitos outros serviços? As empresas privadas americanas. Não à toa sumiu muito dinheiro da contabilidade do invasor. Não é preciso ser um gênio para adivinhar aonde foi parar essa grana. Já ouviu falar em superfaturamento? As empresas chinesas entraram no mercado iraquiano há pouco tempo. Durante muitos anos apenas o invasor explorou o comércio entre os terroristas no Iraque.

  77. Magno Adão de Souza

    -

    06/02/2012 às 23:34

    Retificação:
    Onde se lê “(…) se tivesse assegurada para si territórios extensos o bastante para abrigar em segurança todas as populações de origem germânica. (…)”, entenda-se “se tivesse assegurada para si a posse de territórios extensos o bastante para abrigar em segurança todas as populações de origem germânica. (…)”.

  78. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 23:32

    A maioria aqui não é devota de Obama, caro Rodrigo, apenas entende que a invasão predatória dos americanos não é um bom negócio para humanidade. Se você habitasse as madrugadas dos bairros pobres de Bagdá e outras cidades iraquianas, debaixo das botas do invasor te obrigando a segurar um cartaz em que ele, o invasor, confessa haver estuprado e assassinado tua família, iria respeitar um pouco mais as vítimas.

  79. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 23:27

    Caro Pedro, Israel vem destruindo sistematicamente a Cisjordânia nesses últimos anos. Israel não faz ameaças, simplesmente expulsa de seus lares as crianças, mulheres e idosos palestinos, anulando seus direitos de propriedade e roubando suas casas e terrenos. Isso que é destruição pra ninguém botar defeito, hein! Sem a etapa das ameaças. Vá pesquisar quantos palestinos perderam seus lares só no ano passado na Cisjordânia por culpa do terrorismo israelense.

  80. Iossef

    -

    06/02/2012 às 23:07

    Caro Sr.
    Como pode um jornalista como vc apoiar o assassinato de um cientista iraniano,como foi veiculado no programa Manhatan Conection?
    Ë uma guerra suja, com métodos nao convencionais, abs, Caio

  81. lucas

    -

    06/02/2012 às 22:38

    Caio Blinder, deveria parar com hipocresia e ser mais correto ao comentar tais artigos.
    Em primeiro lugar,sabe muito bem que Assad é um bom Homem,qual o Povo Sirio o admira e se o transformaram em um monstro foi porque não aceitou se afastar do Irã,assim sendo,sabes muito bem que a Cia,Mussad,M16 infiltraram na siria centenas de mercenarios bem treinados no Catar,turquia e Arabia Saudita,e com armas pesadas,estes se infiltraram nas cidades de maioria sunita e estigaram uma revolta.
    Assad deveria sim e tem todo o direito de usar caças,e elicópteros militares e exterminar com esses mercenarios e junto os sunitas que apóiam e escondem esses mercenarios,Assad deveria varrer esses redutos o mais rapido possivel,e isolar esses animais,queimalos vivos pois são traidores,estão entregando a siria aos sionistas e Eua.
    Vcs anojam com seus comentarios anti Assad,sabendo que seu pais esta sendo usado por estranjeiros para separar este do Irã a todo o custo,para proteger um paiséco de gafanhotos que pulou a UE e saqueou os Palestinos, mas vcs não comentãosobre as crianças que esses gafanhotos mataram em mais de 60 anos,nem os milhares de civis,vcs não chamam o animal do Bush que mentiu sobre o Iraque e matou centenas de milhares de civis e crianças em dez anos de massacres,não o chamam de ditador,monstro ou assacino,mas a um Homem que tenta proteger seu pais das garras do imperialismo,ai vcs sabem convencer a opinião publica de que esse Homem é um tirano.
    Mas espero que Assad seje esperto,e cale a boca de vcs ,e mostre ao mundo as verdades,e que use suas bombas de gases e etc contra esses sunitas traidores e aos mercenarios que se escondem nas cidades onde estão escondidos.
    Assad deve incinerar estas cidades, e vcs deveriam calar a boca antes de difamar um lider,adorado pelo seu povo,mas que a midia prefere mostrar o contrario.
    Leitores, publico com fins educacionais, mas constrangido. Parece-me muito caricatural, mas aí esta com toda seriedade uma mensagem de ódio contra judeus e muçulmanos sunitas. Dá uma medida do que é um regime como o de Bashar Assad e o tipo de gente que o apoia no Brasil. Peço desculpas a leitores por submetê-los a este comentário. Caio

  82. Rodrigo

    -

    06/02/2012 às 21:10

    Se Putin “entregar” Obama, como reagirao os devotos de Sao Obama dessa coluna?
    Nao entendi, caro Rodrigo, abs, Caio

  83. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 21:10

    Caro Pedro, por gentileza, prefiro que sejam mandados comentários e dicas para publicação e não para consumo privado. Não dou conta de tudo o que recebo, abs, Caio

  84. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 21:03

    Carlos “Tim Robbins” Cezar:
    O Hamas é um grupo terrorista que prega a destruição de um país membro das Nações Unidas. os EUA nunca pregaram a destruição do Iraque, Iran, ou Viet-Nam. Caso o contrário os EUA teriam lançado um NUKE em qualquer um destes países.
    Gostei, caro Pedro, abs, Caio

  85. maisvalia

    -

    06/02/2012 às 20:57

    Oh MV, obrigado por se preocupar com a minha alfabetização.
    Mas o pior analfabeto é o espiritual, moral e ético.
    DA DITADURA QUE EU ELOGIEI NADA, NADICA NÉ?
    REALMENTE A CAMINHO SUAVE É MUITO PARA VOCÊ, NÉ?

  86. maisvalia

    -

    06/02/2012 às 20:53

    Apenas um sujeito muito obtuso não vê as diferenças entre Iraque e Líbia
    AH SIM, AGORA ENTENDI.
    VOCÊ JOGA AS BOMBAS E MATA COM CARINHO E DEPOIS DEIXA A GUERRA CIVIL NA LÍBIA MATAR TAMBÉM COM CARINHO, NÉ?
    SÓ GENTE OBTUSA NÃO ENTENDE TANTO CARINHO, HEHEHEHE
    …Lá, o complexo industrial-militar americano não arredou pé durante oito longos anos, matando e torturando iraquianos que tentassem libertar seu país. E para quê? Obter lucros, lucros e mais lucros…
    ISTO É MAIS UMA FALÁCIA DO GRANMA.CU.
    SE ISSO FOSSE VERDADE, A GUERRA NÃO TINHA DADO O PREJUIZO DE 1 TRILHÃO COMO BERRAM OS LIBERAIS.
    MOSTRE OS DADOS DE MANEIRA CONCRETA. QUEM LUCROU, QUANTO E AONDE?
    OU SE CALE PARA SEMPRE.
    OUTRA COISA.
    O MAIOR BEM DO IRAQUE, QUE É O PETRÓLEO, FICOU EM SUA MAIOR PARTE, COM A GERÊNCIA DOS CHINESES.
    CC OU CCM, PARA COM AS FALÁCIAS.

  87. Magno Adão de Souza

    -

    06/02/2012 às 20:48

    Adolf Hitler não tinha o menor apreço pelo princípio da autodeterminação dos povos, conforme deixaram claro suas pregações apaixonadas em favor do exótico conceito de “espaço vital” (Lebensraum, em alemão), o qual afirmava em síntese que a nação alemã só conseguiria desenvolver toda sua potencialidade se tivesse assegurada para si territórios extensos o bastante para abrigar em segurança todas as populações de origem germânica. Não é particularmente difícil perceber que a conquista do espaço vital reivindicado por Hitler teria condenado diversos povos, a começar pelos eslavos, à escravidão. A circunstância de o líder nazista ter-se engajado numa guerra contra o Reino Unido, que construiu o maior império colonial de todos os tempos, não faz dele um precursor do pensamento anticolonialista que emergiu com força na Ásia, na África e na Oceania após o término da Segunda Guerra Mundial.

  88. betty

    -

    06/02/2012 às 20:38

    chi, Cacique, pelo jeito o assunto China e Russia ja morreu, mas numa boa, que capital politico, economico a China perdeu fazendo esse papelao??? Nenhum, ou seja, ela continua fazendo business as usual e o mundo fica quetinho para nao perder o maior fregues de comodities ou de Letras do Tesouro. Nao e’ arma atomica como na Guerra Fria com a falecida, em boa hora, Uniao Sovietica, mas e’ poderio economico. To errada?
    Oi Betty, está melhor explicado o seu conceito de “arsenal atomico”, concordo que a China perdeu capital, mas infelizmente ela pode se dar ao luxo, nao sofrer embargo diplomatico ou economico, abs, Caio

  89. Alexandre

    -

    06/02/2012 às 20:37

    Vera
    Quanto ao caso cê hitler,essa mania de querer transforma -lo em um monstro sobre-humano é maléfica sim,pq ele era só um homem e isso é o maior perigo,porque a muitos hitlers em potencial pontos para dar o bote se a situação permitir,um exemplo é o retorno de movimentos neofascistas e xenófobos a civilizada Europa!

  90. Alexandre

    -

    06/02/2012 às 20:30

    A Rússia fez o lógico.se bassad cair,sera substituído ou por um grupo pro ocidental ou por islâmicos fundamentalistas e em ambos casos os russos perdem.se bassad fica,será mais dependente dos aliados russos
    Entao porque, caro Alexandre, os russos apoiam os fundamentalistas islamicos do Irã, no caso sírio parece ser piloto automatico da guerra fria, e justamente pela Siria ser aliada dos irananos, a chave portanto é o Irã, abs, Caio

  91. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 20:27

    Vera:
    MUITO pelo contrário. Demonstrar que Hitler (ou qualquer outro “monstro”) é um ser humano com braços e pernas como qualquer outro é importante para que o mundo todo aprenda que isso pode acontecer no futuro. O processo de deshumanizar Hitler, Pol-pot, Idi Amin Dada e outros facíonaras faz com que as pessoas guardem a memória do que aconteceu como um passado distante e remoto, que “jamais” poderá acontecer de novo.
    .
    E enquanto o resto do mundo fica concordando em como o Hitler foi um monstro horrendo, um dragão de 7 cabeças, canalhas como Assad massacram o seu povo ou boçais como o Ahmadinejad arregaçam as suas mangas contra Israel e o resto do povo judeu. E ninguém faz NADA. E é por isso que Israel aprendeu desde cedo que Israel só pode contar com Israel.
    .
    Recomendo este video excelente do Douglas Murray: http://www.youtube.com/watch?v=3dBzslDdQ_

  92. Fabricio Juliano

    -

    06/02/2012 às 20:27

    O rebuliço é grande, porém não tão quando a um ano atrás: “Os Estados Unidos vetaram nesta sexta-feira (18) uma proposta de resolução apresentada perante o Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) para denunciar como ilegais os assentamentos judaicos mantidos por Israel na Cisjordânia ocupada e exigir a imediata suspensão das obras nas colônias. Todos os demais 14 integrantes do CS da ONU votaram em favor da proposta de resolução, patrocinada por mais de 130 países.” Fonte: 18/02/11 http://www.bemparana.com.br/index.php?n=172493&t=eua-protegem-israel-e-vetam-resolucao-de-assentamentos. Estimativas apontam que desde o ano de 2000 (começo da segunda intifada) algo em torno de 5800 palestinos foram mortos por Israel, e ainda: “Em 2004, 7.366 palestinos encontravam-se detidos por Israel: 386 das quais crianças; 760 deles encontravam-se em detenção administrativa sem terem sido formalmente acusados ou julgados.
    De 2000 a 2004 o exército israelense demoliu cerca de 3.700 casas palestinas: 612 casas foram destruídas como castigo contra famílias de palestinos suspeitos de tentar realizar ou de ter cometido ofensas violentas contra civis ou forças de segurança israelitas; 2.270 foram demolidas pelo argumento de “segurança”; mais de 800 demolições administrativas foram realizadas contra casas construídas sem permissão israelense” Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Segunda_Intifada. Rússia e China, em um jogo geopolítico bastante claro, defendem o governo aliado na Síria, país que ocupa um lugar de vital importância estratégica, assim como os EUA SEMPRE o fizeram com Israel. Alguém é santo nesse cenário todo? Jamais. Assim como Israel matou membros do Hammas , matou muitos inocentes, E PERDEU muitos de seus cidadãos. Assim como os PARTIDÁRIOS do atual governo sírio mataram muitos opositores ARMADOS, inocentes, com certeza, morreram no fogo cruzado. Não se iludam com manipulações de mídia. A m…. é grande de todos os lados, e não existe quem está certo nisso tudo.
    Caro Fabricio, a equivalencia é sua entre Israel e Siria, nunca será minha, apenas concordo que o poder de veto no Conselho de Segurança mostra como os detentores o utilizam de acordo com seus interesses, abs, Caio

  93. brasil 2022

    -

    06/02/2012 às 20:05

    O Afeganistão está tão melhor hoje, que o MV está pensando em morar lá, se naturalizar Italo-afegão! ahahhahhah, go, MV, go to Kandahar road….

  94. brasil 2022

    -

    06/02/2012 às 20:01

    O holocausto judeu foi o limite da barbárie humana e Graças a Deus foi contido! Até então o holocausto, a morte de milhões de asiáticos e negros pelo imperialismo…não era notado! E só foram contidos pelo monstro Hitler, caso contrário estariam matando até hoje.
    O Nazismo conteve e pois fim ao colonialismo fraticida.

  95. brasil 2022

    -

    06/02/2012 às 19:55

    Oh MV, obrigado por se preocupar com a minha alfabetização.
    Mas o pior analfabeto é o espiritual, moral e ético.
    Eu recomendo o livro favorito do S. Jobs, o único que ele baixou no ipad. E…para de me perseguir, tinhoso….hahahahh

  96. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 19:36

    Apenas um sujeito muito obtuso não vê as diferenças entre Iraque e Líbia. Agiu na Líbia uma vasta gama de países que incentivou os revoltosos a matarem um ditador, e depois saiu do país, pelo menos a maior parte. Hoje há um confronto violento na Líbia entre os próprios líbios que querem dominar seus territórios. Não foi assim no Iraque, alías, foi bem diferente. Lá, o complexo industrial-militar americano não arredou pé durante oito longos anos, matando e torturando iraquianos que tentassem libertar seu país. E para quê? Obter lucros, lucros e mais lucros. Oito anos de comércio intenso apenas entre os invasores, sem nenhuma concorrência, tudo à custa de muito sangue inocente, com uma logística espetacular fazendo chover dólares nas contas bancárias das empresas invasoras.

  97. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 19:27

    O terrorismo desses aí, Vera, que você citou, já é conhecido e aceito como tal no mundo inteiro, ao passo que os crimes dos Estados Unidos, infelizmente, ainda são defendidos por alguns e chamados carinhosamente de… “erros”. É isso que a humanidade precisa entender mais claramente: crime é crime, seja cometido por esse ou por aquele. Sem falar na desproporcionalidade dos números entre tais crimes – veja quantos morreram nas garras do hamas e quantos morreram nas garras dos americanos invasores. Apenas um único invasor, assassino confesso, não tem nenhum pudor em admitir 255 mortes no Iraque.

  98. Vera

    -

    06/02/2012 às 19:16

    Caro Pedro
    Não quero ensinar pai nosso nenhum. Só não entendí minimizar a monstruosidade de um homem… e eu não tinha visto a sua explicação posterior.
    Quanto a Net Geo, ora, apenas ilustrei que por acaso tenho revisto todas essas atrocidades (que sei já muito bem conhecidas), o que avulta nossa sensibilidade. E tb por acaso não sou judia, nem conhcecí ou conviví com um. Apenas faço uma empatia, com qualquer que fosse o povo que tivesse sob o crivo daquele megalomaníaco (ou outra definição que o valha).

  99. Magno Adão de Souza

    -

    06/02/2012 às 18:58

    Mitt Romney foi de extrema infelicidade ao declarar há poucos dias que não liga a mínima para a sorte dos americanos mais desvalidos. Ela me fez recordar, guardadas as devidas proporções, do desastrado discurso que o brigadeiro Eduardo Gomes – então candidato presidencial – fez no Teatro Municipal do Rio de Janeiro em meados de novembro de 1945. Naquela oportunidade, irritado pela declaração de apoio de Getúlio Vargas à candidatura do opaco e pouco ilustrado general Eurico Gaspar Dutra – seu ex-ministro da Guerra -, o ínclito e audaz brigadeiro afirmou textualmente o seguinte: “Não necessito dos votos dessa malta de desocupados que apoia o ditador para eleger-me Presidente da República!”. Num gesto de extrema sagacidade e desbragado oportunismo, o empresário e político paulista Hugo Borghi – um entusiasmado partidário de Vargas -, adulterou as palavras daquele fatídico discurso ao espalhar em panfletos apócrifos que Eduardo Gomes – conhecido tanto por sua honorabilidade pessoal quanto por seus modos aristocráticos – havia afirmado dispensar o voto dos marmiteiros.

  100. Vera

    -

    06/02/2012 às 18:34

    Ia deixar passar, mas uma pergunta que não quer calar, então por que será que não vemos o Carlos C, demonizar o Hamas ou o Hezbollah com a mesma intensidade que faz contra os EUA? Parece esquecer que não é fácil ser ‘boss’ do mundo, queiramos ou não. Se atua é criticado porque atuou, se não atua é cobrado por que não atuou. Implicância!…

  101. maisvalia

    -

    06/02/2012 às 18:23

    …Por isso também o Obama tem minha admiração, ele procura diminuir aos poucos essa posição agressiva e destruidora da política externa americana em algumas épocas…
    GADAFI E OS LIBIOS QUE O DIGAM.
    MAS IA ME ESQUECENDO, A LIBIA ESTÁ UMA MARAVILHA.
    VIRAM O PRIMEIRO MINISTRO LIBIO ELEITO E O RESPEITO AOS DIREITOS HUMANOS.
    AINDA BEM QUE AS BOMBAS DO BOBAMA MATAM COM CARINHO, NÉ?

  102. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 18:22

    Vera:
    Como eu disse no comentário seguinte, chamar “Hitler” de monstro é estúpido porque minimiza o que ele fez para as gerações futuras. Ele foi um homem como qualquer outro SIM! E é importante lembrar que são homens simples como Hitler ou Pol-Pot (um professor de história) que são capazes de cometer estas barbáries.
    .
    E (citando o Caio) “não me venha querer ensinar o paio nosso ao Rabino”. Como eu disse em uma mensagem privada para o Caio, que agora vou fazê-la púbica: O Caio não é o único Judeu aqui. Eu não presciso assistir a Nat-Geo para saber do sofrimento do meu povo. #FAIL!!!

  103. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 17:59

    Caro Pedro, eu tento demonizar o terrorismo, qualquer um, seja se estado ou de um grupo particular. Quanto aos Estados Unidos em si, e ao povo americano em geral, esses eu admiro. Mas não podemos concordar com a política de invasões e destruição, configurada em atos unilaterais desse ou daquele estado. Por isso também o Obama tem minha admiração, ele procura diminuir aos poucos essa posição agressiva e destruidora da política externa americana em algumas épocas.
    Abs.

  104. Vera

    -

    06/02/2012 às 17:57

    Caio
    Estou apenas acompanhando a coluna, mas é de doer hein? Hitler apenas um homem como qualquer outro???!!! Blasfêmia contra os homens da terra!!!
    Hitler = monstro! (p’ra dizer o mínimo)…
    Só me resta evocar a famosa frase cristã…’Pai, perdoai-vos, eles não sabem o que dizem’…
    E isso me pega bem em dias que estou assistindo (revendo) a série no Net Geo sobre a segunda guerra (o que faz doer mais ainda).
    Ainda que Mao, Stalin, e outros comparsas tenham sido horripilantes e muito, o que Hitler fez, não consigo estabelcer paralelo na história da humanidade.

  105. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 17:43

    Ao meu ver, os EUA estão LONGE de serem a escória da humanidade que o Carlos Cezar tanto demoniza. Mas tenho que concordar que o que o Bush fez no Iraque, qualquer outro no lugar dele (outro país) seria julgado como criminoso de guerra.

  106. Sínter.

    -

    06/02/2012 às 17:32

    -Chega de hitler em artigos, comentários, Porr… esse demonio já se foi, nem pó é mais
    -Não acho que o Mundo está melhor, segundo o Bill Gates. Pra mim tá a “lesma lerda”.
    - Aqui em terras batidas, o lance agora é o “sombra de lula”, um tal de Gonçalves Dias, não é a rua do Rio de Janeiro não. É um como posso dizer…GENERAL. o lula tem o seu general.
    e êle botou pra quebrar com os PMs de Salvador.
    Agora na Siria do Assad, morrem 100 por dia, em Salvador, Bahia de todos os Jacques Wagner, já foram quase isso em dois ou treis dias de greve. uma grevezinha de nada, segundo lula em 2001, defendendo o mesmo movimento advinha aonde? Salvador.
    o Mundo não está melhor.
    Acho que o mundo está melhor, mas seu comentário é um dos melhores do dia!Abs, Caio

  107. jorji

    -

    06/02/2012 às 17:19

    Pedro Inneco tem razão, “a diferença entre o pior dos homens e o melhor dos homens é mínimo”, não somos tão bons como imaginamos ser, e somos muito pior do que imaginamos ser, “ser ou não ser, eis a questão”.

  108. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 17:18

    Alguns preferem defender o banditismo invasor no Iraque a qualquer preço. Seria interessante por esses e seus acompanhantes nos bairros pobres de Bagdá, de madrugada, onde o invasor matava sem piedade e ainda obrigava os nativos a exibirem placas como: estuprei e matei seus filhos e seus pais e você deve me agradecer.

  109. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 17:13

    É mesmo, Caio, não sei qual é a sua. Eu apenas disse que o assassino bush deve ser julgado e condenado por seus atos monstruosamente terroristas. Não é de meu interesse comparar esse animal com nenhum outro. Portanto, retiro o que eu disse que alguém possa ter entendido como se fosse comparação.

  110. J.R.Monteiro

    -

    06/02/2012 às 17:12

    Não qualificando nem quantificando os ditadores, cada ditador tem o povo que merece. Como cada povo tem o país que merece, logo…

  111. joao felipe

    -

    06/02/2012 às 17:00

    a mensagen é clara!:
    ASSAD, PODE CONTINUAR NATANDO SUA POPULAÇÃO! MATE LOGO PARA QUE A GENTE POSSA DISCUTIR ASSUNTOS MAIS RELEVANTES
    Ass: Putin e Hu Jin Tao

  112. brasil 2022

    -

    06/02/2012 às 16:56

    Puttin, interessa aos governos americanos. Ele sabe coisas…shit, a lot of them…
    I’m so in love with you…

  113. maisvalia

    -

    06/02/2012 às 16:49

    ……The Second Law states: “Anyone who posts an argument on the internet which is largely quotations can be very safely ignored, and is deemed to have lost the argument before it has begun”…
    Acredito já ter dito isto, ou algo parecido, a alguém neste espaço….
    CERTO CARA, E VOCE USA O MESMO, HEHEHEHEHE

  114. maisvalia

    -

    06/02/2012 às 16:47

    libélula desmaiada
    É a mesma coisa que esquerda prosecco ou esquerda de butique.
    Capisci?
    Eu, hein?

  115. Carmem

    -

    06/02/2012 às 16:40

    Godwin neles!!!
    Tks

  116. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 16:37

    Caio:
    Não sei qual é a sua. Você é inteligente o bastante para saber eu quiz dizer que Hitler foi um homem como qualquer outro no sentido biológico. Por isso eu disse que ele “não foi um ser mitológico” mas “um ser humano como qualquer outro”. Ou seja: demonizar o cara ao ponto de fazer ele parecer ser algo “sobrenatural” é uma tolice, pois fazem as pessoas esquecerem que “se ele foi um homem como qualquer outro” um outro homem qualquer pode ser capaz do mesmo, ou pior. Até mesmo um palhaço persa mal vestido.
    OK, abs, Caio

  117. Rodrigo

    -

    06/02/2012 às 16:36

    Do Gustavo Chacra, correndo o risco de desgalhar: “O Obama comprou briga com o Putin. Uma pessima escolha. O ex-KGB vai destrui-lo”; “Russia vai começar a jogar pesado para mostrar ao mundo as relaçoes sujas dos EUA com a Arabia Saudita em ano de eleiçao americana”; “Vai destruir o Obama, nao os EUA. Basicamente, mostrando as relaçoes sujas dele com os sauditas. Os Republicanos vao adorar”.
    http://twitter.com/gugachacra

  118. Rafael _ Dyslexia I Love

    -

    06/02/2012 às 16:30

    Aproveitando a deixa da Carmem:
    8. DeMyer’s Laws
    …The Second Law states: “Anyone who posts an argument on the internet which is largely quotations can be very safely ignored, and is deemed to have lost the argument before it has begun”…
    Acredito já ter dito isto, ou algo parecido, a alguém neste espaço.

  119. Magno Adão de Souza

    -

    06/02/2012 às 16:24

    Hitler e Stalin estão merecidamente na lata de lixo da História. É de bom alvitre usar de parcimônia ao invocar a memória de qualquer um deles para que se estabeleçam paralelos entre os regimes totalitários que ambos encabeçaram e ditaduras do mundo atual, pois as malfeitorias praticadas pelos primeiros – dada sua extensão e magnitude – não comportam facilmente comparações.

  120. maisvalia

    -

    06/02/2012 às 16:11

    …Já que elogiou o golpe de 64, alías o saudoso Castelo Branco nasceu no dia do jornalista! Vc deveria seguir o slogan da época, Brasil ame-o ou deixe-o! É nois, sucks! hahhha…
    JÁ QUE NÃO SABE LER, COMECE PELA CAMINHO SUAVE.
    MOSTRE ONDE EU ELOGIEI A DITADURA BANANEIRA.
    …Qual o seu ponto? Disse que Bush foi um boçal… (Foi? Não! Ele continua sendo! E que Assad é outro boçal)…
    O CARO CAIO TE RESPONDEU, HEHEHE
    …Desde quando você defende terroristas do porte do bush…
    O CAIO TAMBÉM RESPONDEU, PENA QUE PELO VIES LIBERAL, IA POR LIBÉLULA MAS O CAIO NÃO MERECE, HEHEHEHE
    …Instituições respeitáveis dos direitos humanos apontam um número entre 400.000 e 500.000 mortos no Iraque…
    QUAIS SÃO?
    ESPERO QUE NÃO SEJA O GRANMA.CU.
    QUANTOS O HUMANISTA SADDAM MATOU?
    …Obama será reeleito porque é contra invasões…
    É, A LIBIA FOI O QUÊ?
    …O presidente Barack Obama conta com a preferência de 52% comparado com 43% de apoio para Mitt Romney…
    A GALLUP MOSTRA OUTRA COISA, VÁ SE INFORMAR, HEHEHEHE
    De onde veio esta ideia de libelula? Abs, Caio

  121. Magno Adão de Souza

    -

    06/02/2012 às 16:11

    A Rússia não sabe e nunca soube o que é viver sob uma democracia. A protoditadura comandada por Vladimir Putin não hesita em se valer de mecanismos coercitivos para abafar manifestações oposicionistas que repute capazes de colocar em xeque seu poder. A sem-cerimônia com que a Rússia de Putin tem celebrado alianças com regimes despóticos mundo afora evidencia claramente o solene desprezo que sua política externa devota a valores morais. A atuação da Rússia na cena internacional ignora solenemente considerações de ordem humanitária pela simples e boa razão de ser pautada pelo mais puro e amoral pragmatismo.
    O progressivo desembaraço com que os insurgentes têm agido na Síria é um inequívoco sinal de que os dias do malfadado regime de Bashar al-Assad estão contados. A aberta hostilidade que a quase totalidade do mundo árabe dedica a seu governo ditatorial é outro complicador para Assad, pois inviabiliza de plano qualquer possibilidade de que venha a receber auxílio militar direto do exterior. Para piorar sua já frágil situação política, o déspota sírio sabe muito bem que não pode contar com a lealdade incondicional das Forças Armadas, que não demonstram a mais remota disposição de lutarem até o último homem em prol de um governo notoriamente desprovido de legitimidade popular.
    Magno, na mosca, abs, Caio

  122. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 16:11

    Caio, não fiz nenhuma comparação. Apenas afirmo que é um ato terrorista invadir um país sem autorização do CS, sobretudo quando essa invasão é orquestrada e intensamente desejada por um único país, Estados Unidos (a Inglaterra, como sabemos, só entrou porque o primeiro-ministro da época era o cachorrinho preferido do invasor maior). De modo que o terrorista-chefe da invasão deve ser julgado, como destacou Brasil 2022.
    Abs.
    “Caro Brasil 2022, estou rezando para que sua profecia se realize, sobre um novo Nuremberg”, abs, Caio

  123. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 16:01

    Caio:
    Esse é o ponto onde ‘we agree to disagree’. talvez seja porque eu sou um pessimista, e parto do principio que m# é m#. Algumas só fedem menos que outras. mas prefiro pensar que é porque como nada é Preto no branco, para podermos ver mais tons de cinza precisamos analisar o espectro ao máximo.por isso coloco Hitler, Assad e bush na mesma frase, mesmo que o bush seja infinitamente ‘menos pior’ que Hitler. ao final das contas Hitler não foi uma figura mitológica, mas um homem como qualquer outro.
    Pedro, espero que um dia voce se arrependa de ter tido que Hitler foi um homem como qualquer outro, mas esta é a segunda coluna consecutiva em que surgem com frequencia os nomes de Hitler e Stalin nos comentarios,que mania! abs, Caio

  124. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 16:00

    Caro Brasil 2022, estou rezando para que sua profecia se realize, sobre um novo Nuremberg.
    Abs.
    Leia o comentario da Carmem, abs, Caio

  125. brasil 2022

    -

    06/02/2012 às 15:53

    Sr Cesar , obrigado! Mas para o Sr MV, isso não é 1 milhão, são só 500mil. Ainda veremos esse Nuremberg com o Sr Bush preso e seus auxiliares.
    Ele fraudou a eleição. O sistema está corrompido e lobotizado, pelos super PAC, isso é nojento, onde 1% exploram nossos irmãos americanos, com metade empobrecendo!
    Democracia para os povos! inclusive para os americanos.
    Leia o comentario da Carmem, abs, Caio

  126. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 15:52

    Obama será reeleito porque é contra invasões e abomina o terrorismo mesmo quando praticado pelo Estado.
    —–
    O presidente Barack Obama conta com a preferência de 52% comparado com 43% de apoio para Mitt Romney. A enquete foi realizada para o jornal “The Washington Post” e a emissora de televisão “ABC”. “Com o benefício de uma crescente confiança do público sobre seu manejo da economia, o presidente Obama tem uma vantagem clara sobre o pré-candidato republicano”, escreveu o “Post”. Dois em cada três entrevistados disseram que quanto mais aprendem sobre Romney menos gostam dele e ainda há muitos republicanos que têm uma opinião negativa sobre o candidato, disse o “Post”. – Folha 6/2/2012

  127. Carmem

    -

    06/02/2012 às 15:46

    Oi Caio,
    Só para lembrar aos frequentadores da coluna a lei mais famosa da Internet.
    .

    1. Godwin’s Law
    The most famous of all the internet laws, formed by Mike Godwin in 1990. As originally stated, it said: “As a Usenet discussion grows longer, the probability of a comparison involving Nazis or Hitler approaches 1(=100%).”
    It has now been expanded to include all web discussions.
    .
    It is closely related to the logical fallacy “reductio ad Hitlerum”, which says “Hitler (or the Nazis) liked X, so X is bad”, frequently used to denigrate vegetarians and atheists.

    Common Godwin’s Law appearances include describing women’s rights campaigners as “feminazis”, comparing the former US President George W Bush to Hitler, or saying Barack Obama’s proposed healthcare reforms are the new Holocaust.

    In its broader sense it can be used to describe any situation where a poster loses all sense of proportion, for example describing New Labour as “Zanu-Labour” after Robert Mugabe’s Zimbabwean political party Zanu-PF.
    .
    As well as the descriptive form, it can be used prescriptively: so if any poster does mention the Nazis in a discussion thread, Godwin’s Law can be invoked, they instantly lose the argument and the thread can be ended.
    .
    If this is done deliberately to end the argument, however, it does not apply. This codicil is known as “Quirk’s Exception”.
    .
    http://www.telegraph.co.uk/technology/news/6408927/Internet-rules-and-laws-the-top-10-from-Godwin-to-Poe.html
    ou mais informações em
    http://en.wikipedia.org/wiki/Godwin%27s_law
    .
    abs
    Otimo, para que os leitores nao esqueçam e fiquem ligados, colher de café cafeinado para a Carmem, abs, Caio

  128. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 15:32

    Vamos pedir educadamente aos mentirosos que deixem de usar sofismas para impressionar os mais bobinhos. Instituições respeitáveis dos direitos humanos apontam um número entre 400.000 e 500.000 mortos no Iraque. Mas essas centenas de milhares de fantasmas não existiriam se os malditos terroristas mentirosos não houvessem invadido o país em 2003. Especialistas em assuntos econômicos revelam haver entre 500 e 600 empresas americanas que obtiveram lucros altíssimos ao abastecerem a população de 150.000 mil terroristas invasores, através do fornecimento de armas e munição,comida, roupa, uniformes, agasalhos, calçado, remédios etc. Tudo isso sem concorrência e com altos índices de corrupção, roubalheira e superfaturamento causando o sumiço de bilhões e bilhões de dólares na contabilidade do invasor. A invasão do Iraque é um crime monstruoso indefensável.

  129. brasil 2022

    -

    06/02/2012 às 15:31

    E atenção após decisão do Irã proiber venda dos bonecos Simpsons, Obama, nosso estadista, congela bens do IRÃ, SOBE nas pesquisas e garante eleição. Sucks, MV…

  130. Elvis Trivelin

    -

    06/02/2012 às 15:27

    Coisas de ONU…

    O Conselho de Segurança da ONU – em nome da suposta força que um consenso traz a uma decisão política – mantém a estupidez lógica de ignorar o peso da maioria dos países do conselho para dar poder a uma minoria influente. É simples, dentre 9 países, quem decidiu foram 2 deles. Ou seja, o eleitorado de nem 25% impôs sua vontade sobre os 75% restantes. Esses 2 países, ao certo, representariam menos que 10% numa votação estendida a todos os demais países filiados.
    Essa lógica – no mundo pós-guerra fria – é estúpida simplesmente porquê sempre haverá racha político motivado por fatores econômicos ou de outra ordem (no caso da Rússia é evidente) e, assim, sempre haverá a possibilidade dessas minorias influentes se manterem por um regimento obsoleto.
    Mais situações assim podem se repetir no futuro. Dessa forma, a entrada de Brasil ou Índia no Conselho, nos termos em que ele funciona, só agravaria o problema, pois aumentaria as possibilidades de um IDIOTA qualquer vetar algo em nome de interesses – boa parte das vezes – tão somente seus.
    O que é preciso para reformar o conselho? Algum evento gravíssimo que jogue a ONU “ao chão” – como aconteceu com a antiga Liga das Nações que, por sinal, ruiu justamente por não coibir o armamento de um país que sempre mostrou suas pretensões (Alemanha Nazi)?
    Comentario interessante, caro Elvis, abs, Caio

  131. Felipe Goltz

    -

    06/02/2012 às 15:26

    “Felipe, se o Putin nem controla a máfia, qual é a serventia dele? E para voce ver, sua comparacao da Russia é com o Brasil de jagunços e coroneis. Pais atrasado, nao?”

    >> Você está certo, Caio. Putin não controla mesmo a máfia, porque não faz parte do meio deles. O dia em que tiver algum “controle” sobre estes elementos aí sim é que Putin não terá mais nenhuma serventia. PS: a comparação com o “Brasil do sertão” foi apenas um exemplo, não uma equivalência.
    Abs

  132. carlos cezar

    -

    06/02/2012 às 15:23

    E aí, colunista? Desde quando você defende terroristas do porte do bush? Essa besta apocalíptica é muito pior do que Assad, que é outro terrorista. Ser eleito pelo voto não significa muita coisa; o hamas também foi eleito pelo voto popular. E aí?
    Caro Carlos, o teste de uma democracia nao é entrar no poder pelo voto, mas aceitar sair do poder pelo voto ou quando estiver no poder nao cercear a democracia. Voce acha que o Hamas atende os requisitos? Abs, Caio
    PS: nao considero o Bush um terrorista, apenas um pessimo presidente.

  133. Felipe Goltz

    -

    06/02/2012 às 15:23

    “Mas isso não muda o fato de que vários jornalistas foram assassinados, e muitos ameaçados. Acho que os protestos foram “livres” para servir de exemplo para o mundo de que a Russia é uma democracia. Mas é uma democracia para bobo ver. Porque no final das contas se o Putin se sentir realmente ameaçado por qualquer protesto, pode ter certeza que ele abafa rapidinho (6 ft under) qualquer protesto.”
    >> Pedro, o fato de jornalistas serem mortos não apenas na Rússia, mas em outras ex-repúblicas soviéticas, onde a barra é muito mais pesada, não tem a ver – genericamente falando – com “motivações políticas”. Lembra do caso Paul Klebnikov da Forbes, morto em 2002? Onde entraria o Kremlin na jogada? Ele era inclusive a favor do governo e feroz crítico de Boris Berezovsky. Teria sido morto por quem, então? E Anna Politkovskaya, morta em 2004? Ok, ela era uma crítica do Kremlin pela campanha na Chechênia, mas e aí? Até agora, não se provou nada. Acho que os protestos, que estão arrefecendo diga-se, mostram que Putin não é um Deng Xiaoping, que mandou tanques para cima dos chineses há mais de 20 anos. Querem protestar? Que protestem, ora. Detalhe: Ninguém tocou um dedo sequer nos manifestantes, coisa que um ditador ou uma ditadura – coisa que Putin não é – não resistiriam em fazer. O que são, vá lá, 100 mil pessoas em um universo de 140 milhões? Abs

  134. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 15:07

    Felipe:
    Entendo o seu ponto. Conheço todas estas publicações e assisto as vezes ao canal RT, que é um bom contraste para a CNN, BBC, etc.
    .
    Mas isso não muda o fato de que vários jornalistas foram assassinados, e muitos ameaçados. Acho que os protestos foram “livres” para servir de exemplo para o mundo de que a Russia é uma democracia. Mas é uma democracia para bobo ver. Porque no final das contas se o Putin se sentir realmente ameaçado por qualquer protesto, pode ter certeza que ele abafa rapidinho (6 ft under) qualquer protesto.
    Gostei, Pedro! Abs, Caio

  135. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 15:00

    mv:
    Qual o seu ponto? Disse que Bush foi um boçal… (Foi? Não! Ele continua sendo! E que Assad é outro boçal). E deixei bem claro que por razões bem diferentes, o que deixa implícito que É EVIDENTE que eu não os ache iguais.
    .
    E grandes m* que Bush é um presidente eleito. Hitler também foi eleito. Outro boçal (embora em peso diferente que os outros mencionados anteriormente).
    Caro Pedro, ai voce desgalhou: ha uma distancia entre Hitler e Assad, ha uma distancia entre Assad e Bush e nao podemos colocar na mesma frase Hitler e Bush, abs, Caio

  136. brasil 2022

    -

    06/02/2012 às 15:00

    Obrigado MV, por ajudar na matemática macabra.
    O Iraque está bem melhor agora. Vc deveria ir morar lá e deixar nós , felizes musáceos ( dá um google!) em Paz!
    Já que elogiou o golpe de 64, alías o saudoso Castelo Branco nasceu no dia do jornalista! Vc deveria seguir o slogan da época, Brasil ame-o ou deixe-o! É nois, sucks! hahhha
    Os EUA vão ter pagar toda a destruição e prujuizos que causaram ao Iraque e Afeganistão, inclusive a indenização de vítimas, inocentes, criancinhas, sabe…muitas….
    Vc que não sabe ver a diferença entre o que é justo e o que é abominável!!! Vc que velho, pois o novo sempre vê…..( Elis REgina)e….chega de picuinha, pare de me perseguir! seu…PaulinIsta!!!hahahah go, go to Alasca, o Acre da AMérica!!!

  137. edvaldo cavalcante

    -

    06/02/2012 às 14:55

    Russia e China devem estar sendo governadas do inferno pelas almas penadas de Stalim e Mao.

  138. Felipe Goltz

    -

    06/02/2012 às 14:46

    “A imprensa é amordaçada e assassinada, abaixo um recente relatorio da Anistia Internacional”

    >> Caio, jornalistas são assassinados em várias partes do mundo. A Rússia não é exceção. Lembro que durante os anos Yeltsin esta realidade era ainda pior, devido ao caos daqueles tempos. Aqui no Brasil, por exemplo, especialmente no Norte e Nordeste, “queima de arquivo” é corriqueira. E aí? O ponto não é se há ou não há assassinatos de jornalistas na Rússia, mas sim jogar a culpa em cima de Vladimir Putin, como se ele fosse o mandante disto tudo, o que é um absurdo. Muitos destes jornalistas são perseguidos por grupos de mafiosos após publicação de “kompromat”, ou seja, matérias que os exponham ao olhar público, como assassinato do Paul Klebnikov da Forbes em 2002. Eu leio diariamente a imprensa deles, a estatal e a de oposição, como estes três veículos de informação ( ou desinformação ) que citei, e não vejo nada disso que você e outros falam. Abs, Felipe
    Felipe, se o Putin nem controla a máfia, qual é a serventia dele? E para voce ver, sua comparacao da Russia é com o Brasil de jagunços e coroneis. Pais atrasado, nao? Abs, Caio
    Felipe, a situacao da imprensa na Russia é vergonhosa, quer mais relatorios? como o abaixo do comite de protecao de jornalistas? Abs, Caio
    http://www.cpj.org/europe/russia
    /

  139. Rafael _ Dyslexia I Love

    -

    06/02/2012 às 14:34

    /quote Caio Blinder: ‘Felipe, voce esta brincando? A Russia é um pais com alto grau de assassinato de jornalistas por razoes politicas’
    A Rússia tem alto grau em qualquer tipo de assassinato por razões políticas. Aliás, sempre foi uma potência neste esporte!

  140. Felipe Goltz

    -

    06/02/2012 às 14:22

    “…Se que na Rússia, onde a imprensa é amordaçada …”

    >>> Imprensa amordaçada? Na Rússia? Já ouviu falar do Kommersant, The Moscow Times e Moskovsky Komsomolets, para citar apenas alguns que vem à mente? A Rússia é um país em que as pessoas são livres, e os protestos de agora são prova cabal disso, embora exista a suspeita de que o início disto tudo seja fora da Rússia e não algo genuíno de dentro da país.
    Felipe, voce esta brincando? A Russia é um pais com alto grau de assassinato de jornalistas por razoes politicas. O que conta na Russia é televisao e esta sob controle estatal. A imprensa é amordaçada e assassinada, abaixo um recente relatorio da Anistia Internacional, abs, Caio
    http://www.amnesty.org/en/news-and-updates/impunity-and-attacks-silence-russian-journalists-2011-10-13

  141. maisvalia

    -

    06/02/2012 às 14:06

    Oh, MV, não foram milhão de mortos, foram “sò” 110 mil, négo? Ah bom, esclarecido…
    É brasil 2022, SE VOCE NÃO CONSEGUE VER DIFERENÇA ENTRE 110.000 E 1 MILHÃO, O QUE FAZER , NÉ?
    QUASE DEZ VEZES MAIS NÃO É NADA PARA VOCÊ, QUE DEVE ACHAR QUASE IGUAL OS 424 MORTOS DA DITADURA BANANEIRA EM COMPARAÇÃO COM OS 100.000 MORTOS PELA TIRANIA CUBANA, NÉ?
    QUASE A MESMA COISA.
    E LEMBRANDO, O HUMANISTA SADDAM MATOU MAIS DO QUE OS 110.000.
    VOCE SUCKS, HEHEHE
    …O Assad é um boçal. Bush foi outro boçal
    IGUAIZINHOS NÉ?
    COMPARAR UM TIRANO DITADOR COM UM PRESIDENTE ELEITO É MESMO UM ESPANTO, HEHEHEHE
    Com todo desprazer que o Bush gera na minha pequena pessoa, preciso concordar com a ultima observacao, abs, Caio

  142. Pablo Vilarnovo

    -

    06/02/2012 às 13:50

    Para mim os chineses estão mais ocupados em ganhar dinheiro do que outra coisa. Francamente, se dependesse dos governos, ninguém faria nada em relação à Síria. Há uma simpatia das pessoas no ocidente com a Primavera Árabe. Se aquilo lá irá se tornar uma ditadura religiosa não sabemos. Se que na Rússia, onde a imprensa é amordaçada e está acontecendo problemas internos com a democracia e na China onde não há imprensa são dois países em que a população não faz pressão nenhuma em seus governos em relação à Síria. Isso faz com que velhos sonhos de grandeza (Rússia) e uma absoluta indiferença (China) prevaleçam no CS.
    Gostei, caro Pablo, colher de chá, abs, Caio

  143. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 13:37

    Caio:
    Interessante seu comentário para a Betty (12:14). Gostaria de saber a sua opinião do porquê a Russia não se importa tanto assim com a WTO. Não pode ser que eles queiram garantir o seu comércio somente com o CIS, certo (ou não)?

  144. Rafael _ Dyslexia I Love

    -

    06/02/2012 às 13:33

    Caio:
    ‘Military preparedness does not come cheap’, Gordon England, ‘palpitando’ no W.P. online. Uma breve descrição dos anos Bush. Pelas entrelinhas, dá se a entender que os Democratas sempre cortam gastos militares americanos, sucateando as forças armadas, quais são recuperadas pelos republicanos. A linha histórica formada faz entender isto. Outra, ele coloca a Síria na vala comum denominada Oriente Médio (prefiro Próximo, até porque não existe um ‘oriente antes do médio’), dando a entender que os EUA não irão atacar ou ajudar militarmente um ataque ao país de Assad. Um palpite, claro!
    A Betty tem razão, pois a China tem crescido o que o mundo vem encolhendo ou, para os mais otimistas, ‘cresceu em uma época de crise’, e isto é um ponto. Se o Iphone, entre outros produtos, fosse inteiramente produzido nos EUA seria mais caro, e eis outro ponto. Caso os EUA resolvessem repatriar todas suas empresas, levaria tempo e grana, e haja crise e pontos.

  145. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 13:32

    O Assad é um boçal. Bush foi outro boçal, mas por razões BEM diferentes [já que o assunto da guerra do Iraque foi levantado]. Baseado nisso não é necessariamente uma regra que se alguém é contra o Assad ele TEM de ser a favor dos EUA; e se alguém é contra os EUA, tem de ser a favor do Assad.

  146. Rodrigo

    -

    06/02/2012 às 13:22

    Como escreveu Joyce? “A historia e um pesadelo do qual quero despertar”.

  147. Felipe Goltz

    -

    06/02/2012 às 13:08

    Caro Caio,
    Responda uma pergunta que me inquieta, por gentileza: por que a chuva de críticas do Ocidente, governos e principalmente mídia, contra a posição russa na Síria e nada, ou quase nada em comparação, a mesmíssima postura da China?
    Abs
    Caro Felipe, por que a Russia tem muit influencia na Siria, a China foi a reboque, Moscou é o grande sustentaculo de Damasco, abs, Caio

  148. brasil 2022

    -

    06/02/2012 às 13:00

    Eu acho que a vida dos s´rios vai piorar depois do Assad.
    Eles deveriam conquistar a democracia pelas reformas, sem violência.
    Oh, MV, não foram milhão de mortos, foram “sò” 110 mil, négo? Ah bom, esclarecido…

  149. Henrique Santiago

    -

    06/02/2012 às 12:39

    Outra pergunta; sei que cada país tem suas leis, sua forma de agir, e que, em seu território, manda ele. Mas a minha dúvida é: em questões como essa, onde várias pessoas estão sendo mortas, por que é necessário que haja um consenso entre os países que possuem cadeiras mais bonitas na ONU para que algo seja feito? Não estamos falando de um suposto desenvolvimento de armas nucleares,mas sim de vidas humanas sendo arrancadas; de um governo que já perdeu sua legitimidade. Não seria hora de repensar as bases de ação da Organização das Nações Unidas?
    Caro Henrique, mas por esta logica, a China pode decidir que vidas humanas estao sendo sacfricadas em alguma quintal na sua esfera de influencia e ela vai la com uma intervencao, abs, Caio

  150. Elias

    -

    06/02/2012 às 12:35

    o regime do apartheid caiu depois de muita pressão de várias pessoas no mundo. Se dependesse dos EUA, OTAN e Israel.. continuaria

  151. Henrique Santiago

    -

    06/02/2012 às 12:29

    Caso os EUA passem por cima do veto russo e chinês, que tipo de consequências isso poderia trazer?

  152. Henrique

    -

    06/02/2012 às 12:28

    Realmente difícil aceitar essa posição de Rússia e China. Parece, inclusive, que certos votos controversos dessas diplomacias no Conselho de Segurança, quando não são baseados em interesses econômicos que solapam todo e qualquer viés moral, se dão por pura birra com o Ocidente, mesmo! Assim, inocentes continuam a morrer na Síria. Além disso, a excessiva tolerância desses países com o Irã dá a impressão de que o processo contra o programa nuclear iraniano não engrenacomo deveria, o que pode levar os aiatolás a se aproximar cada vez mais da bomba atômica. Aí, estamos lascados. Os governos de China e Rússia são irresponsáveis. O seu comentário para a Carmem (09:03h) de que a China “detesta o paradigma de intervenções” é uma evidência importante dessa irresponsabilidade. É um capricho irresponsável conduzir questões geopolíticas cruciais como essa guiando-se por uma oposição automática ao “paradigma de intervenções”.

  153. Betty

    -

    06/02/2012 às 12:14

    Nananinanao! Voce e’ e’ o cacique, voce discordou do meu palpite, quero saber porque. Agora vou!
    A China quer se integrar `a economia global, nao quer um choque geopolitico com os EUA, talvez no seculo 22, nao vai queimar fichar por causa de um ditador como o Assad, abs, Caio

  154. Betty

    -

    06/02/2012 às 12:00

    Enao qua do tiver um tempinho, elabora? De noite volto e leio. Obrigada, abs
    Melhor, pois ate agora nao me convenceu, hehehe, abs, Caio

  155. Betty

    -

    06/02/2012 às 11:52

    E’ isso mesmo, a Guerra Fria continua. Desta vez nAo estamos com medo do arsenal atômico soviético, mas do arsenal econômico chinês. Estes vão defender com unhas e dentes os Assads da vida. Afinal o rabo deles esta presissimo : Tiananmen Square, Wei Wei e ai’ vai. O seu texto esta digno do humanista que voce e’. Supimpa. Abs
    Betty, discordo deste cenário chinês, abs, Caio

  156. Angelo Costa

    -

    06/02/2012 às 11:51

    Prezado Caio
    O ponto principal de todo este problema é o “day after”. É o receio de todos os envolvidos. Tanto para o ocidente e seus aliados como para a Russia. O medo do ocidente e aliados é o que virá após a queda do ditador, vide Egito, para a Russia o receio é uma intervenção capitaneada pelos americanos e a base militar que eles mantem na Siria e não querem perder. A China, como foi dito, será aliada de quem quer que assuma o poder e só seguiu a Russia por tradição. O melhor da queda do ditador seria a perda de poder do Irã, mas como executar sem melindrar interesses Russos? Esta é a questão.
    Abs.
    Caro Angelo, enfraquecer o Irã seria excelente,’abs, Caio

  157. maisvalia

    -

    06/02/2012 às 11:49

    …Os EUA mataram mais 1000000 de irakianos… ah… tudo bem!!…
    ESTA NOTÍCIA É DO GRANMA.CU, QUE COMO O PRÓPRIO NOME DIZ, É MELHOR PARA LIMPAR O FIOFÓ, HEHEHEHE
    O HOBSBAW ESTÁ CORRETO.
    A IDIOTIA AVANÇA COM AS FALÁCIAS.
    VIVA O ASSAD, O MAO, O POL POT, O PINOCHET, E ASSIM VAI….

  158. Anouk

    -

    06/02/2012 às 11:23

    Oi Caio,
    A minha sensibilidade anda meio congelada. Se o sintoma nao é por causa da baixa temperatura européia, deve ser por causa do ‘déjà vu novamente’. Muito boa essa.
    Solidariedade, Anouk, de quem vive um inverno mais para primavera, ainda bem que nos aqui nao estamos tendo deja vu novamente, abs, Caio

  159. jorji

    -

    06/02/2012 às 11:12

    Tudo é hereditário, a realidade é questão biológica. Que o Assad vai cair, é uma certeza, o que não ficou claro para mim é como os muçulmanos definem a democracia?
    Creio que definicoes virao ao longo do caminho ,caro Jorji, abs, Caio

  160. Elias

    -

    06/02/2012 às 11:12

    Nossa… estou rindo a toa deste artigo. Essa condenação ridicula e hipocrita contra Assad! Continue caluniando e difamando o grande Assad.
    Os cães ladram, a caravana passa! Nos anos 70, os EUA vetaram na ONU várias sanções contra a África do Sul(apartheid) e outros governos brutais (apoiados pelos EUA). E agora os EUA vem armar um chilique contra a Russia e China?? Os EUA sao um estado policial (o proprio governo decreta isso)… Os EUA mataram mais 1000000 de irakianos… ah… tudo bem!! Então tá tudo otimo quando a China e Russia vetaram essa palhaçada dos EUA na ONU. Otimo!!
    Só pra lembrar….
    “É melhor receber críticas do que condolências” (Golda Meir)
    Prefiro expressar condolências para as vitimas inocentes da repressao do regime do grande e caluniado Assad.Caio
    PS- o regime do apartheid caiu, creio que voce irá chorar quando cair o de Assad.

  161. advogado do diabo

    -

    06/02/2012 às 11:04

    Não vejo razão para otimismo porque os sauditas estão envolvidos na crise síria. Não vamos esquecer que os sauditas também ajudaram os americanos contra os soviéticos no Afeganistão. E o país continuou uma ditadura. Mas concordo com o Caio, é melhor os sauditas deste lado.
    Correto, abs, Caio

  162. Rafael _ Dyslexia I Love

    -

    06/02/2012 às 10:43

    Caio:
    O Levante Sìrio começa a ter contornos em vermelho e preto; um do sangue, outro do luto. O governo Russo, antes mesmo da época soviética já tinha familiaridade com banhos de sangue, e hoje em dia utiliza balas de AK 47 como sais de banho, ao vetar resoluções contra seus amigos de longa data da Síria. De importância estratégica desde o surgimento da humanidade, de seu porto na cidade de Tartus os fenícios saíram para vender Púrpura de Tiro (hoje em dia o púrpura foi retirado, só tem Tiro por lá), divulgar seu alfabeto ou suas regras de comércio maritmo e hoje saem petróleo, embora não muito, e entram armas soviéticas, estas sim, muitas. Na Síria os massacres são ‘em nome do pai, do filho e do espírito de porco’, ao qual os russos e chinas dizem amém; ontem, hoje e amanhã.
    A Turquia e Israel, por motivos anteriormente elencados, levam vantagens estratégicas para o ataque, e o ano de eleição americana, que promete ser disputada (Vitória de Obama se for ‘pau a pau’ – kkkk), impede que os americanos queiram fazer outro Vietnã, Iraque ou Afeganistão em sua história a esta altura do campeonato. Claro, estes envolvimentos poderiam precipitar um evento de proporções mundiais, mas tem muita gente disposta a pagar; nenhum deles, no entanto, vai desembolsar o montante, este será cobrado dos civís inocentes, como usual e historicamente se faz; na 2ª GM, 70% de todos os mortos eram civís, destes 10% judeus, 40% russos e 40% chineses. Quem mais quis pagar o valor, os Nazis e Japs, perderam entre 7% e 3% dos mortos, respectivamente.
    A pergunta que não quer calar, nem falar: Quanto tempo mais para Assad?
    Caro Rafael, nao dá para responder a ultima pergunta, abs, Caio

  163. Ronaldo

    -

    06/02/2012 às 10:21

    Sem querer voltar ao assunto, mas voltando: e aí, quem auinda torce pelo “declínio” americano e pela emergência de novas (mas nem tanto) potências?

  164. Pablo Vilarnovo

    -

    06/02/2012 às 10:11

    Que a Rússia tenha interesse na Síria até entendo. A China que não faz muito sentido.
    P.S.: Parabéns aos nova iorquinos pela vitória no SuperBowl ontem. Jogão.
    Pablo,nao é um apoio muito ativo, mais de concepcao geopolitica (nao interferencia) e na ONU a tradicao de se alinhar com os russos. A regiao metropolitana de NY agradecede os parabens, abs, Caio

  165. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 10:00

    Correção: Quiz dizer que o Irã vai tentar recrutar novos seguidores fora do grupo do simpatizantes já conhecidos (Hezbolah, Hamas, etc).

  166. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 9:55

    Caio:
    Sim, todo o mundo aqui sabe que o Irã arma o Hezbolah e o Hammas. Ao que me refiro é que almentaria o fluxo de armas e influencia do Irã caso a Arabia Maldita entre na jogada. Inclusive acho que o Irã tentaria alcançar novos “recrutas” dos seus lacaios que já conhecemos.
    .
    Já que a Turquia é membro da Otan, seria muito fora do normal os Kurdos se armarem com armas americanas (pelo menos não diretamente). Procurei no Google por algumas fotos, e todos “pipocam” com “bico” AK47.
    Sobre a primeira parte, seria o cenario de uma guerra regional. Sobre AK 47, deve ser mercado negro, abs, Caio

  167. itacolomy pires

    -

    06/02/2012 às 9:42

    O mal e hereditario, e com o apoio da RUSSIA E MUITO PIOR, CAMINHAMOS PARA O CAOS, PARA UMA GUERRA NUCLEAR, O INIMIGO ,ORA AO LADO, ESTA DENTRO DA onu, E TRAIÇOEIRAMENTE APOIA, SANGUINARIOS DITADORES.
    Prefiro a expressao do texto, horror hereditario, abs, Caio

  168. maisvalia

    -

    06/02/2012 às 9:38

    …Do lado dos sírios estão os russos (chineses menos ativamente), a desgraça que é o regime iraniano, os asseclas do Hezbollah (até o Hamas se livra da saia justa), as tralhas bolivarianas e relíquias do ativismo terceiro-mundista…
    CARO CAIO, ÓTIMO ARTIGO.
    MAS VAMOS DAR NOME AOS BOIS.
    A ESQUERDA ESTÁ DO LADO DA SÍRIA, TANTO É QUE FIDEL, CHÁVEZ JÁ DERAM SEU APOIO.
    MAIS UMA VEZ, É A ESQUERDA. E NÃO SÓ A BOLIVARIANA, MAS A DA BANANIA TAMBÉM.
    VEJA QUE CURIOSIDADE:
    …Na Síria, o Brasil é cúmplice da barbárie praticada contra o povo pelo ditador Bashar Al Assad, que, anos atrás, assinou um acordo de cooperação com o PT. Não se sabe no que exatamente Assad está cooperando com o partido (seus dirigentes deveriam explicar), mas os petistas vêm honrando o compromisso, pois cooperam com Assad para tentar aliviar a pressão internacional contra o tirano.

    O governo do PT coopera também com o Irã para que o regime dos aiatolás ganhe tempo e se aproxime do objetivo de construir uma bomba atômica. A presidente da República corteja a comunidade judaica com discursos, mas, na diplomacia, ajuda quem sonha promover um novo Holocausto do povo judeu.JOSÉ SERRA
    PS ESTA ESQUERDA NÃO CONSIDERA O PARTIDO DEMOCRATA DE ESQUERDA.
    Well, concordo em parte. A Siria desgalhou demais. Basta ver que no Conselho de Seguranca mesmo paises que costumam ser alinhados com o Brasil nestas questoes, caso da Africa do Sul, votaram a favor da resolucao. Como disse no texto, o Assad foi longe demais e acabou ficando com apoio basicamente das tralhas. Nao colocaria o Brasil no mesmo balaio bolivariano, mas tampouco esta alinhado do outro lado, abs, Caio

  169. gomes cerqueira

    -

    06/02/2012 às 9:09

    Caio,

    Rússia e china não estão sendo mais coerentes em relação à hipocrisia diplomática? Qual o papel geopolítico da Síria? Parece-me que nenhum. Acho que sequer possui petróleo. A questão humanitária é de extrema relevância, mas será que haveria igual repercussão se se tratasse de algum país da África negra?

    Abs.
    Caro Gomes, cara a Russia, a Siria tem um papel estrategica. A China nao gosta de interferencia estrangeira em questoes internas e fantasmas da guerra fria subsistem, na Africa Negra existem alguns esforços de intervencao para conter tragedias humanitrias, nem sempre bem sucedidos, com o envolvimento primario da Uniao Africana e de tropas africanas,abs, Caio

  170. Carmem

    -

    06/02/2012 às 9:03

    Oi Caio,
    Eu até entendo a posição da Rússia que por mais vexatória que seja, faz sentido histórico, já q a URSS era unha e carne com o carniceiro-pai.
    Mas não consigo entender a posição da China.
    A manutenção do Assad só interessa mesmo ao Irã, q seria o maior perdedor numa eventual queda do ditador.
    O q a China tem a ver com isso?
    abs
    Carmem, a China detesta o paradigma de intervencoes, especialmente com argumentos humanitarios e costuma seguir a Russia no Conselho de Seguranca, mas nao tera nenhum problema em se compor com qualquer governo que assumir em Damasco ou em qualquer lugar, abs, Caio

  171. brasil 2022

    -

    06/02/2012 às 8:40

    Vejo com muita esperança…A Arabia Saudita apoiar a democracia…na Síria!
    Chega de hipocrisia!
    A Arabia é o pior país do Oriente Médio para se viver, aliás…não podemos viver lá, nós estrageiros. Ser Cristão lá…é crime!
    É o país que produz esses monstros terroristas, e que manda a sua elite hipocrita estudar no exterior fora da cultura milenar do Islã, que é boa para o povo…mas não para eles!
    Nao compartilho sua esperança, abs, Caio

  172. Denny Doherty

    -

    06/02/2012 às 8:15

    Reescreva sem piadinhas étnicas (antijudaicas e antiárabes) e publico. Caio

  173. Pedro Innecco

    -

    06/02/2012 às 7:40

    Se a coalizão incluir a Arábia Maldita, o Irã com certeza irá armar grupos de resistência que são a favor do Assad para contrabalancear qualquer influência dos Saudis.
    .
    O Hezbolah já disse que caso alguém (não importa quem) intervenha na Síria, eles vão lançar foguetes contra Israel. A estratégia é clara: Coloque Israel no meio que o resto dos países árabes não entrarão nesta do lado de Israel (or would them?)
    .
    Já se a Turquia entrar na brincadeira, os Kurdos da Síria provavelmente serão hostis contra a as tropas da Turquia.
    .
    (Vale lembrar que os Kurdos e o Hezbolah se armam com arsenais Russos)
    .
    É de uma complexidade fascinante, que chego a me lembrar do Chacrinha: “Eu vim aqui para confundir, e não para explicar”.
    Caro Pedro, o Irã ja arma grupos na regiao, como o Hezbollah. Nao estou certo se curdos (onde?) reebem armas russas. De resto, Chacrinha é um analista da vida e da geopolitica, abs, Caio

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados