Blogs e Colunistas

30/01/2013

às 6:00 \ Congresso EUA, Demografia, Imigrantes, Obama

Os prós e prós da reforma de imigração nos EUA

Juramento de cidadania

Influentes senadores democratas e republicanos agilizaram na segunda-feira um esboço de acordo bipartidário para a reforma da imigração nos EUA e o presidente Barack Obama, que se esquivou da questão no primeiro mandato, fez discurso a respeito na terça-feira em Las Vegas. Em clima de comício eleitoral, Obama elogiou o empenho bipartidário, mas alertou que se as coisas atolarem no Congresso, ele vai enviar ao Legislativo o seu próprio pacote de propostas.

O presidente bradou que o momento é “agora” para a reforma da imigração. Uma aposta razoável é que um acordo possa ser aprovado até o final do ano, em torno de compromissos que envolvem segurança nas fronteiras (fronteira mexicana, a rigor), um caminho para a legalização de 11 milhões de imigrantes ilegais no país, uma nova política de vistos que permitam e racionalizem o trabalho temporário de estrangeiros (com diferentes níveis de qualificação) e mais agilidade para a entrada de imigrantes legais.

La frontera

O avanço das negociações, como é fácil prever, será mais tortuoso na Câmara com controle republicano, devido a bolsões muito conservadores avessos a compromissos com os democratas e a Casa Branca. A palavra-de-ordem destes setores é que reforma de imigração é sinônimo de anistia e demagogia. Fácil enquadrar estes setores mais conservadores nos dados de uma pesquisa da rede de televisão CBS: 24% dos americanos são a favor da mera deportação de ilegais, 20% topam apenas vistos temporários para eles e 51% apoiam a abertura do caminho para a cidadania de quem já está aqui.

É ilustrativo que dois dos mais influentes jornais americanos tenham saudado, em editorial, os avanços rumo à primeira reforma de imigração desde 1986 (governo do republicano Ronald Reagan, quando havia 3 milhões de ilegais). O New York Times com mais entusiasmo e o Wall Street Journal, com mais cautela, advertindo sobre pressões de Obama por um acordo mais conveniente para sua agenda partidária, tentando encurralar os republicanos como inflexíveis ou muito tímidos nesta reforma. Para Obama, é melhor pegar carona num sólido plano bipartidário. Melhor dos mundos. Com o sucesso, ele poderá cantar vitória. Com o fracasso, poderá responsabilizar os republicanos.

Colheita econômica e de votos

Evidentemente, os incentivos para uma reforma de imigração são políticos e econômicos. Existe uma urgência republicana para reverter a perda do eleitorado latino e o risco do partido se tornar um enclave de eleitores brancos, homens e sulistas. E o estímulo para os democratas é cimentar o bloco latino como vital na sua coalizão eleitoral (Obama teve 71% do voto da minoria nas eleições de novembro e 73% dos asiáticos).

O senador democrata e latino de Nova Jersey, Robert Menendez, resumiu bem o cenário favorável a um acordo de imigração: “Os americanos apoiam, os eleitores latinos esperam, os democratas querem e os republicanos precisam”. Sobre a economia, os ilegais em sua maioria são parte dela, fazem parte de nossa vida aqui nos EUA. Milhões deles foram acolhidos e absorvidos pela economia e sociedade, sejam empresários que precisam de empregados, sejam donas-de-casa que precisam de empregadas.

Mesmo para gente ilegal que “está dentro do sistema” não será uma moleza conseguir a cidadania. Com a nova legislação, ela poderá levar 15 anos, exigindo pagamento retroativo de impostos e não furar a fila daqueles que esperam legalmente os documentos. E flexibilizar a entrada de trabalhadores temporários é eficiente, pois vai acompanhar as marchas e contramarchas da economia.

E está no DNA do país. Bacana a seguinte frase do editorial do Wall Street Journal: “Um caminho para a cidadania também irá ajudar no processo de assimilação que tem sido uma das forças históricas dos EUA. Não interessa aos EUA uma classe permanente de residentes que nunca poderão ser cidadãos e assim terão menos incentivos para se adaptar aos costumes culturais, falar inglês e deixar enclaves étnicos segregados”.

Resta ver como irá se comportar Washington. Paralisia está no seu DNA. O conceito de compromisso migrou. Mas a nova realidade política abre espaço para uma dinâmica de acordo, lastreada na tradição de acolher imigrantes.

***
Colher de chá para o Rony e seu depoimento (dia 30, 9:54).  E outra para o Marcel, pelo mesmo motivo (dia 30, 10:40).

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

154 Comentários

  1. rubia

    -

    09/02/2013 às 4:10

    Ouvi na NPR essa semana sobre o alto nivel de crime em Porto Rico e como muitos de la tem imigrado para a Florida.Nao me lembro o numero exato mais tem sido algo bem grande nos ultimos anos. Como eles tambem sao cidadoes americanos e votam, sera que eles podem chegar a influenciar as eleicoes na FL? Acho que sim. Outra coisa interessante que ouvi semana passada na CSpan foi que mais de 75% dos hispanicos nos Estados Unidos sao cidadoes americanos ou estao legais no pais. Bem acho que ja esta mais do que na hora de acabar com toda essa demagogia na politica e mudar essa visao de precoceito contra os de origem hispanicas. Acho que dessa vez nao so as leis nas a atitude dos da direita extremista vao mudar. A paralizia vai acabar e a tradicao e o orgulho de acolher imigrantes aqui vao voltar e forte.

  2. maisvalia

    -

    31/01/2013 às 11:17

    CARO YES,
    NÃO CONSEGUI ACHAR A FONTE, MAS SEI QUE O PROBLEMA RESISTE:
    Shame of the city
    We trip over them on the sidewalk every day. We curse, hand them a dollar, or don’t. We feel pity, guilt and rage at their presence. The city spends $200 million a year trying to get homeless people off the streets and into a better way of life – but over 20 years, the problem has only gotten worse.

    The more able of the homeless find their way into shelters, counseling and housing programs. But the most chronically indigent, called the hard core, steadfastly refuse most help and stay outside. These 3,000 to 5,000 homeless at the very bottom are the most visible, and they give the city its dubious distinction of having what many call the worst homeless problem in the country.

  3. Yes, We Scam

    -

    31/01/2013 às 10:02

    Maisvalia,
    Mas isso é uma espécie de “seguro-desemprego”, entregue só por dois ou três meses, ou é mais ao estilo “bolsa-família” – no caso, deveria se chamar “perpetual homeless insurance” – e o sujeito pode receber esse dinheiro por anos e anos?
    Se for a segunda opção, isso é um acinte, uma loucura deliberada.
    Isso seria a perpetuação propositada da pobreza. Seria, como eu disse antes, uma visão pogreçista tresloucada que vê os seres humanos que vivem nas ruas como “seres ameaçados de extinção” e que devem ser “protegidos como patrimônio da humanidade”.

  4. Carmem

    -

    31/01/2013 às 9:01

    Gustavo, o fato de ser anti-escravagista não fazia do GoP um partido progressista. Nem de longe.
    abs

  5. maisvalia

    -

    31/01/2013 às 8:07

    Se o morador de rua conseguir um emprego e sair das ruas, ele deixa de receber as 900 doletas?
    E se ele continuar nas ruas, ele pode ganhar esses 900 dólares por anos a fio?
    Isso é sério ou você só está fazendo piada?
    Pagar para o povo morar nas ruas é algo que nem na ultra mega pogreçista San Francisco eu imaginaria que aconteceria.
    ISTO É VERDADE. NEM O DONO DO BOTECO CONTESTOU.E É LÓGICO QUE SE O CARA ARRUMA EMPREGO ACABA.COM A CRISE ESTAVAM QUERENDO CORTAR MAS NÃO SEI FIZERAM, ATÉ ONDE EU SEI CONTINUA.
    É COMO SE A CRACOLANDIA MAIS BEBADOS -SÓ QUE DE MACONHA LÁ A MEDICINAL É LIBERADA -FOSSE NOS JARDINS EM SÃO PAULO.

  6. amauri

    -

    31/01/2013 às 7:59

    Bom dia Caio!
    “comparacoes simplesmente idiotas entre Hitler e dirigentes atuais, tudo isto em respeito as vitimas e a historia, abs, Caio”
    Por isto mesmo tem que ser falado e fazer algumas equivalências. O R.A. mostrou a cronologia desde 1933, se no primeiro momento dessem um basta, no se chegaria ao final. O anti-sionismo e o anti-semitismo principalmente estão muito evidente no mundo. Nao vou nem dizer o anti-cristianismo, o anti-conservadorismo. É saudável ter em mente algo sobre o Estado: “A verdade, deplorável verdade, é que o gosto pelas funções públicas e o desejo de viver à custa dos impostos não são, entre nós, uma doença particular de um partido: é a grande e permanente enfermidade democrática de nossa sociedade civil e da centralização excessiva de nosso governo; esse é o mal secreto que corroeu todos os antigos poderes e corroerá igualmente todos os novos.” (Alexis de Tocqueville) abs

  7. Yes, We Scam

    -

    31/01/2013 às 0:55

    Ô, maisvalaia,
    Que papo é esse que San Franciso paga 900 dólares para os moradores de rua continuarem a viver nas ruas?
    Se o morador de rua conseguir um emprego e sair das ruas, ele deixa de receber as 900 doletas?
    E se ele continuar nas ruas, ele pode ganhar esses 900 dólares por anos a fio?
    Isso é sério ou você só está fazendo piada?
    Pagar para o povo morar nas ruas é algo que nem na ultra mega pogreçista San Francisco eu imaginaria que aconteceria.
    Se a informação for verdadeira, qual é intenção dessa “ideota” (uma idéia bem gande)?
    Será que consideram os moradores de rua uma “espécie ameaçada de extinção” e estão tentando evitar a extinção desse “patrimônio da humanidade”?

  8. Yes, We Scam

    -

    31/01/2013 às 0:33

    A economia americana está “totalmente recuperada e em expansao”, hein?
    Como os planos obâmicos de aumento de impostos são perfeitos…
    Pena que os números revelados da economia do quarto trimestre insistam em apontar o contrário.
    “Isso é uma consipiração dos ‘brancos jecas sulistas retrógrados’”.
    Os números desmentem os discursos da claque ombamista?
    Sem problema, basta torturar – e não só com “waterboarding”, mas com tortura pesada mesma – os números até que eles confessem e também possam dizer “Obama will gonna change, Obama will gonna lead us…”
    A economia americana pode ainda estar se arrastando, mas os negócios dos amigos do Obma, como a Solyndra, não tem muito do que reclamar.
    Está certo que a empresa quebrou, mas, já que o dinheiro era todo do governo federal (dado a empresa sem que a empresa precisasse devolver, uma verdadeira doação, um “mecenato”), os donos da empresa só ficaram com os lucros.
    Afinal, você vai acreditar nos números ou na claque obamista do New York Times etc? hehehe
    ..
    E o Caio, não contente em ter o seu “messias iluminado” como presidente, agora já começa a exigir que os conservadores se prostituam por um food-stamp e também louvem o “The Chosen One” Hussein Obama.
    Aprovação mixuruca só de 50%?
    Isso não pode. Tem que ser como o Lula, que tem a aprovação de 171% do povo brasileiro. Ao menos é o que dizem os números “confiáveis” do IBOPE, hehehe.
    E, para se igualar mais ao Lula, se não der para aprovar a marotagem de um 3º mandato, Obama bota um poste para sucedê-lo.
    A Hillary não pode, pois ela é a Martaxa Suplício dos EUA.
    Tem que ser alguém desconhecido, uma criação genial de Obama.
    Quem conhece mais de política americana, poderia dar uns palpites sobre aliados obâmicos meio desconhecidos para assumir o papel de “pole” de Obama, hehehe.

  9. Gustavo C.

    -

    31/01/2013 às 0:05

    Acho que a confusão aqui é tentar estabelecer uma equivalência eterna “republicano-conservador x democrata-liberal”, mas as posições que os partidos representam mudaram ao longo do tempo. O sul sempre foi a região mais conservadora. Na época os democratas representavam os conservadores, e os republicanos passaram a ser o partido do sul porque os conservadores passaram a se identificar com eles. Abs

  10. maisvalia

    -

    31/01/2013 às 0:04

    Joao Felipe – 30/01/2013 às 22:51
    Não Maisvalia, ainda não tive a oportunidade de visitar os EUA. O resto o Ronaldo já falou. Aliás, podiamos fazer um acordo. Eu viajo aos EUA e você ao Irã. Depois, diriamos nossas impressões desses países. Que tal?
    MEU CARO,
    EU NÃO FALO DO POVO IRANIANO, SUA POLÍTICA, SEUS PARTIDOS,CULTURA,ETC COM DETALHES COMO VOCÊ FAZ DOS EUA, ENTÃO A COMPARAÇÃO É ABSURDA E ESPEREI PARA DAR UMA RESPOSTA AOS DOIS. DE VEZ EM QUANDO EU BAIXO AS ORELHAS PARA O DONO DO BOTECO, PORQUE ALEM DE OTIMO JORNALISTA ELE MORA LÁ E CONHECEU GRANDE PARTE DAQUELE PAÍS. POR ISSO ELE DÁ IMPORTÂNCIA A TESTEMUNHOS PESSOAIS DE QUEM HABITA O LOCAL.VOCÊ FALA COM TAMANHA DESENVOLTURA DE VARIOS ESTADOS QUE PENSEI QUE TERIA VIVIDO POR LÁ OU AO MENOS VIAJADO. VÁ PARA SF E OBSERVE DE PERTO O POGRECISMO NAS RUAS. TALVEZ NA VOLTA MUDE ALGUNS CONCEITOS DA SUA LEITURA. O JR MONTEIRO JÁ FALOU ISSO E EM PARTE ELE TEM RAZÃO.

  11. Gustavo C.

    -

    31/01/2013 às 0:00

    22:03) O que estou dizendo é que os conservadores sulistas eram tão retrógrados que eram capazes de ver o Império Escravagista do Brasil em 1860 como um país “próspero”, e que isso explica em grande parte a pobreza relativa da região. Não acho que fosse mera retórica. Em 1860 a população escrava do Brasil era 20%, nos estados confederados era 40%. No texto original citado no artigo que eu linkei, DeBow cita que em economias escravistas os livres tendem a ganhar mais, e que Cuba estava riquíssima em comparação com a Espanha (totalmente falso).
    Esse pensamento causou atraso e pobreza relativa na região, e seus sucedâneos conservadores continuam tendo ideias retrógradas que continuam mantendo a região no atraso em relação ao norte. Claro que teria sido muito pior se tivessem conseguido a secessão. Abs

  12. o observador?

    -

    30/01/2013 às 23:40

    Foi mesmo…he he he..mas foi boa né Marcel?
    É para você ver que não sou contra ninguém cara.
    Sou contra o que acho errado, mesmo que eu esteja errado..he he he
    Afinal, não sou dono da verdade.
    Boa noite Marcel.
    Um dia , se você puder, me de umas dicas de como mandar meus filhos estudarem e trabalharem por ai.
    Uma filha vai fazer direito e a outra medicina.
    Acho que elas cresceriam muito.
    De novo boa noite.

  13. Marcel

    -

    30/01/2013 às 23:30

    o observador? – 30/01/2013 às 23:21

    Piadinha da direita hein Obs…brincadeira.. hahaha

  14. o observador?

    -

    30/01/2013 às 23:22

    BOA NOITE CAIO…. DESCULPE AS BRINCADEIRAS.

  15. o observador?

    -

    30/01/2013 às 23:21

    SÓ UMA PIADINHA BRASILEIRA PARA CORROBORAR O QUE DISSE O MARCEL:
    CUIDADO COM A MALHA FINA
    Um contribuinte teve sua declaração rejeitada pela Receita Federal porque,
    aparentemente, respondeu a uma das questões incorretamente.

    Em resposta à pergunta “Você tem dependentes?” o homem escreveu:

    “40.000 imigrantes ilegais, 10.000 viciados, 150.000 servidores públicos,
    150.000 criminosos em nossas prisões, além de uma porrada de políticos em
    Brasília e nos municípios.

    A Receita afirmou que o preenchimento que ele deu foi inaceitável.

    A resposta do homem à Receita foi:

    - De quem foi que eu me esqueci?

  16. o observador?

    -

    30/01/2013 às 23:19

    Meu ponto é que amanhã, podemos ter um crescimento enorme em estados com a política de redução de impostos e podem se tornar estados que atraem mão de obra e reds. É o caso de oklahoma e Lousiana.
    CONCORDO. INCENTIVOS FISCAIS SEMPRE SÃO UM BOM ATRATIVO PARA OS NEGÓCIOS.
    ACHO QUE COM UMA TAXAÇÃO MENOR, MAS COM PRODUÇÃO MAIOR. A ECONOMIA E CONSEQUENTEMENTE O ESTADO SAIRÃO LUCRANDO MAIS A FRENTE.
    É UMA TENDÊNCIA DOS DIRIGENTES TOMAREM SOLUÇÕES IMEDIATISTAS QUE MANTENHAM SEU “STATUS QUO” E GARANTAM A CONTINUAÇÃO DOS INVESTIMENTOS PROMETIDOS EM CAMPANHA (ÀS VEZES ATÉ DE MODO EXCUSO, COMO FORMA DE PAGAR EMPRESÁRIOS FINANCIADORES), POR ISSO CORREM PARA AUMENTAR OS IMPOSTOS.
    MAS ISSO SEMPRE SERÁ NOCIVO A LONGO PRAZO.
    CONCORDO COM MARCEL.

  17. o observador?

    -

    30/01/2013 às 23:10

    Juíza consegue R$ 15 mil por perseguição em assalto
    Por Jomar Martins

    A Caixa Econômica Federal deve pagar R$ 15 mil para a juíza do trabalho Ana Ilca Härter Saalfeld, como reparação moral, por ela ter sido perseguida por bandidos que assaltaram o posto bancário no interior do foro trabalhista de Pelotas (RS). O entendimento é do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que manteve decisão neste sentido.

    A sentença, proferida pelo juiz substituto Éverson Guimarães Silva, da 2ª Vara Federal de Pelotas, afirmou que a responsabilidade da Caixa Econômica Federal não está restrita apenas ao local onde fica instalado o posto bancário, mas estende-se, também, aos corredores e saguões de acesso, bem como aos demais lugares do prédio ocupados pela Justiça do Trabalho. Em consequência, destacou, a CEF responde pelos danos causados pelo assalto.
    TALVEZ O PIOR EXEMPLO DO QUE SEJA O BRASIL.
    UM MAGISTRADO, MUITO BEM PAGO E QUE TRABALHA EM CONDIÇÕES E EM HORÁRIOS QUE TALVEZ NÃO EXISTA EM NENHUM DOS PAÍSES DO PRIMEIRO MUNDO AINDA CONSEGUE EXTORQUIR ALGUMA GRANA DE UM BANCO PÚBLICO PORQUE FOI VÍTIMA DE ASSALTO.
    COMO MILHARES DE BRASILEIROS E AMERICANOS QUE SÃO ASSALTADOS TODOS OS DIAS MUNDO AFORA.
    MAS AQUIE AINDA SE CONSEGUE TIRAR “ALGUM” SE VOCÊ FOR MAGISTRADO.
    TRISTE BRASIL.
    NESSE PONTO DOU VIVAS AOS ESTADOS UNIDOS. LÁ, PELO MENOS, AS PESSOAS SÃO TRATADAS COMO IGUAIS.

  18. Marcel

    -

    30/01/2013 às 22:56

    Apenas um adendo caros, a política é pedular, é só ver a história americana, primeiro o partido republicano com lincoln acaba com a escravidão, hoje, temos um presidente negro e democrata. Recentemente New Mexico se tornou azul, amanhã, com um discurso republicano recalibrado pode ser red. Eu conheço os convervadores, tem um ou outro que é maluco (i.e Alex Jones) mas o restante, não odeia negros, não é racista, não é religioso fanático, não é não é…Meu ponto é que amanhã, podemos ter um crescimento enorme em estados com a política de redução de impostos e podem se tornar estados que atraem mão de obra e reds. É o caso de oklahoma e Lousiana.

  19. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 22:51

    Não Maisvalia, ainda não tive a oportunidade de visitar os EUA. O resto o Ronaldo já falou. Aliás, podiamos fazer um acordo. Eu viajo aos EUA e você ao Irã. Depois, diriamos nossas impressões desses países. Que tal?

  20. ícaro sem penas

    -

    30/01/2013 às 22:35

    ” E flexibilizar a entrada de trabalhadores temporários é eficiente, pois vai acompanhar as marchas e contramarchas da economia”

    Claro ! Vai ser a maior moleza desflexibilizar esses temporários na primeira contra dança da economia…

    I

  21. Marcel

    -

    30/01/2013 às 22:32

    Caro Caio, btw, obrigado pela colher de chá, é um dos motivos que volto aqui e me sinto a vontade para falar o que penso, sua conversa com os leitores. Abraço !

  22. o observador?

    -

    30/01/2013 às 22:08

    Marcel – 30/01/2013 às 15:16
    É simples, os democratas por serem mais ricos querem o aumento de impostos para não ter competição no seu setor, um empresa pequena não consegue competir com uma maior, ou uma empresa nova não consegue competir com uma já estabilizada por causa da carga tributária, esse dinheiro é redirecionado ao walfare state. Ou seja, uniram o útil ao agrádavel.
    E OS REPUBLICANOS FICARAM POBRES….. ENTÃO MARCEL, TÃO MAMANDO NA TETA DOS BÔNUS DESEMPREGO…KKKKKKKKKK… OS REPUBLICANOS SERÃO OS MAIORES ELEITORES DO OBAMA! VOTINHO DE CABRESTO.

  23. o observador?

    -

    30/01/2013 às 22:06

    SELVA BRASILIS
    E AGORA A SOLUÇÃO:
    AUMENTAR IMPOSTOS E IMPRIMIR DIN DIN
    Eita brasil poderoso, agora influência a politica econômica Americana!!!! Você acreditam nisso?
    Quando o assunto se esgota dai é que só sai asneira mesmo.
    É comédia pura.

  24. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 22:04

    Gustavo C. – 30/01/2013 às 21:50
    A SEGUIR ESTE RACIOCÍNIO FALACIOSO BASEADO EM UM UNICO ECONOMISTA A POBREZA DA AFRICA TAMBÉM FOI CAUSADA PELO CONSERVADORISMO.
    UM ESPANTO DE EXPERTISE!

  25. Carmem

    -

    30/01/2013 às 22:03

    Gustavo,
    Não estou entendendo seu raciocínio, vc esta defendendo q os negros dos estados do Sul estariam melhores se ainda fossem escravos? Lincoln foi um republicano contra a escravidão defendida pelos democratas, a confederação era democrata.
    Vc considera q a libertação dos escravos foi a causa da pobreza no Sul? Mas em caso afirmativo, a solução seria manter a escravidão? Não estou entendendo.
    Abs

  26. Gustavo C.

    -

    30/01/2013 às 21:50

    21:13) O conservadorismo pode mudar de partido, mas foi ele que causou a pobreza dos negros que agora votam no Obama. Veja um artigo que mostra a ideia que o sul tinha de “prosperidade” e do que aqueles estados poderiam ser hoje se conseguissem a secessão: (http://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/1220253-lincoln-de-nabuco-a-spielberg.shtml): “Um dos mais eficazes propagandistas da Confederação, o economista James DeBow (1820-67), escrevia em 1860: “O Brasil, cuja população de escravos equivale à nossa, é o único país da América do Sul que prosperou”.”

  27. Carmem

    -

    30/01/2013 às 21:28

    Então JR, na segunda guerra os cientistas imigrantes não só deram ao estados unidos uma dianteira tecnologica, a bomba, mas Tb uma consciencia do tipo de educação q favorece a inventividade e criatividade , e além de tudo um sistema econômico q permite transformar tudo isso em riquezas para milhares de pessoas.
    Os imigrantes são os EUA.
    Abs

  28. Carmem

    -

    30/01/2013 às 21:13

    Gustavo C. – 30/01/2013 às 20:44
    .
    Ah não, o conservadorismo não tem nada a ver com a pobreza do Mississipi. Até pq a pobreza do Mississipi é aquela de negros q apoiam Obama.
    Então? Como NY..
    O Mississipi já era um atrazo antes do GOP se estabelecer por la.
    Abs

  29. Gustavo C.

    -

    30/01/2013 às 20:44

    19:55) Carmem, eu não sugeri em quem os mais ricos e esclarecidos deveriam votar. A sociedade americana é muito complexa para caber em fórmulas do tipo “esclarecidos-democratas x atrasados-republicanos”, até porque há n tipos de democratas e de republicanos e as realidades regionais são muito díspares.
    Só o que eu disse é que a pobreza do Mississippi, e de modo mais geral o atraso dos estados do sul está relacionado ao conservadorismo que eles sempre professaram, conservadorismo que impediu o desenvolvimento pleno da região ao manter uma parte significativa da população numa posição política e econômica marginal. Abs

  30. J.R.Monteiro

    -

    30/01/2013 às 20:36

    Realisticamente, atraves dos tempos, os imigrantes na America, nunca foram o problema. Foram muitas vezes, a solução.
    Não existe imigração clandestina, existe imigração.
    As normas e leis são eventuais e não invalidam a pressão exclusivamente economica, que torna essa imigração factivel. Sem oferta de emprego ela não existiria.
    O salário pago aos ilegais não atrai os trabalhadores mais qualificados.
    Não existe falta de emprego por aqui, existem trabalhadores que preferem não trabalhar pelos salários oferecidos pelo mercado.
    Existe até uma associação de semlares (homeless) que edita um jornal que resalta a vida nas ruas.
    Ninguem pede emprego, eles pedem doações.
    Os opositores mais empedernidos usam e abusam do trabalho de ilegais cotidianamente. É facil comprovar indo passear nos estados mais conservadores e checando com os trabalhadores mais humildes.
    Grite, la migra, que some a maioria de empregados por patrões que vociferam contra a imigração.
    Resumindo, existe muita hipocrisia política e oportunismo economica.
    Existe, porem, vantagens competitivas nessas leis rígidas irreais, é que forja vencedores num ambiente completamente hostil. Os que conseguem ficar, se destacam pela tenacidade e competência.

  31. Carmem

    -

    30/01/2013 às 20:36

    Ronaldo, give up!
    Abs

  32. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 19:59

    Já cansei de dizer aqui, o Fascismo era um híbrido, uma miscelânea de várias coisas. Tinha um arremedo bem porco de livre iniciativa, pois era um “capitalismo de estado”, o estado que escolhia os empresários que queria para lucrar, e toda a população ficava a mercê dos caprichos do líder ou do estado, você tinha que se filiar ao partido se fosse convocado, tinha de servir as forças armadas se fosse intimado, a imprensa não tinha liberdade, pagava imposto ou não de acordo com os caprichos do estado, morava onde te mandassem, chegavam a interferir nas famílias, dizendo se deviam ter filhos ou não. Enfim, um mistureba de direita bem reacionária (eu, particuralmente, nunca disse, como outros, que fascismo era de esquerda) com socialismo estatizante coletivista, com pitadas de outros autoritaismos caprichosos. Havia o ideal de cidadão. Enfim, coletivista, sem liberdades e muitos caprichos. O igualitarismo era relativo, sim, pois se não era igualitário de fato (nem o socialismo o era), muito menos era individualista.

  33. Carmem

    -

    30/01/2013 às 19:59

    Só para sublinhar e explicar melhor, os jecas novaiorquinos votam sempre em prefeitos republicanos ou oriundos do GOP, como é o caso de Bloomberg.
    E olha q tem aquelas universidades esquerdinhas e tudo hehehehe

  34. Carmem

    -

    30/01/2013 às 19:55

    Gustavo C. – 30/01/2013 às 18:55
    13:49) Sim, o Mississippi é o mais pobre e um dos mais conservadores, e a principal razão de ser o mais pobre é o fato de ser um dos mais conservadores. Abs
    .
    Não é uma relação causal, o texto q o Caio indicou demonstra bem q a relação entre votos, interesses e ideologia não é automatica nem óbvia.
    Pela sua tese os mais ricos e esclarecidos deveriam votar nos democratas no entanto NYC vota sistematicamente em republicanos. Pq?
    Abs

  35. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 19:34

    “O fascismo é igualitário?”
    .
    Do jeito que eu falei, Caio, leu na diagonal? heheheh. Repare:
    “Igualdade entre o que ele julgava ser o verdadeiro povo alemão. O fascismo é coletivista e igualitário sim, mas dentro do povo eleito como verdadeiro representante da nação. É um troço bizarro mesmo, mistura de direita reacionária, socialismo e pitadas de outras loucuras.”
    .
    É claro que havia discriminação. Só falei o óbvio, que após escolhido o “verdadeiro” povo, aí a coisa tinha viés coletivista, sem direitos individuais, o que implica, inclusive, a falta de reconhecimento das capacidades de cada indivíduo, base da liberdade e do respeito às individualidades

  36. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 19:27

    …é só reler o que disse, não tem nada forçado nem qualquer comparação, é muito simples o que falei.
    O fascismo é igualitário? Abs, Caio

  37. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 19:26

    Mas eu não banalizei nem comparei com nenhum líder atual, Caio. Fiz uma obsersação resumida histórico-conceitual, uai… Não falei nada de mais…
    Ronaldo, eu falei voce e leitores em geral, abs, Caio

  38. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 19:24

    “Claro que não são tão simples, e é claro que eu não pretendi explicar o atraso do Mississippi, apenas registrar uma relação.”
    .
    Faltou explicar que relação é essa, né? Constatar os dois fatos só estabelece a simultaneidade, mas nunca causa e efeito, por conseguinte, também não qualquer tipo de relação a priori.

  39. Gustavo C.

    -

    30/01/2013 às 19:19

    19:00) Claro que não são tão simples, e é claro que eu não pretendi explicar o atraso do Mississippi, apenas registrar uma relação.
    18:57) Boa resposta. Agora somos obrigados a ouvir comparações esdrúxulas de Hitler não só com dirigentes contemporâneos, mas com intelectuais contemporâneos que tenham as opiniões erradas.

  40. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 19:00

    “Sim, o Mississippi é o mais pobre e um dos mais conservadores, e a principal razão de ser o mais pobre é o fato de ser um dos mais conservadores.”
    .
    Nossa, que relação de causa e efeito bem feita, né? Ah sim, eu não diria o contrário embora seja de direita, viu? As coisas não são simples assim (cansativo dizer o óbvio, né?)

  41. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 18:57

    Igualdade entre o que ele julgava ser o verdadeiro povo alemão. O fascismo é coletivista e igualitário sim, mas dentro do povo eleito como verdadeiro representante da nação. É um troço bizarro mesmo, mistura de direita reacionária, socialismo e pitadas de outras loucuras.
    Ronaldo e demais leitores,desgalhar é viver nesta coluna. Neste caso especifico, realmente acho que cada um deveria refletir ao menos alguns segundos antes de dar uma opiniao sobre Hitler, sem banalizar, sem analogias atropeladas, sem referenciais elasticos, sem comparacoes simplesmente idiotas entre Hitler e dirigentes atuais, tudo isto em respeito as vitimas e a historia, abs, Caio

  42. Gustavo C.

    -

    30/01/2013 às 18:55

    13:49) Sim, o Mississippi é o mais pobre e um dos mais conservadores, e a principal razão de ser o mais pobre é o fato de ser um dos mais conservadores. Abs

  43. Rodrigo

    -

    30/01/2013 às 18:53

    Caio,
    A seu ver a advertência de Samuel Huntington sobre os latinos é alarmista? Em 2004 ele escreveu que “The persistent inflow of Hispanic immigrants threatens to divide the United States into two peoples, two cultures, and two languages. Unlike past immigrant groups, Mexicans and other Latinos have not assimilated into mainstream U.S. culture, forming instead their own political and linguistic enclaves — from Los Angeles to Miami — and rejecting the Anglo-Protestant values that built the American dream. The United States ignores this challenge at its peril”.
    Aqui ignoro o Huntington, abs, Caio

  44. Gustavo C.

    -

    30/01/2013 às 18:50

    17:19) Na verdade o discurso de Hitler nunca teve nada com igualdade, era anti-igualdade. Nada mais jeca do que confirmar a lei de Godwin sem parar. Abs

  45. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 18:25

    Pardon, MV, mas aí não vale. Então só quem já foi aos EUA pode opinar aqui na coluna do Caio? E quando o assunto for Irã, só vale a opinião de quem já foi lá, assim por diante? Discordo muito do JF, mas não é por aí, né?

  46. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 18:17

    E JF TENHO UMA PERGUNTA:
    VOCÊ JÁ FOI À AMÉRICA?

  47. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 18:15

    Pois parece que você ouviu erado.
    E VOC6E ESCREVEU ERRADO, HEHEHEHE
    OLHE A LINDA E POGRECISTA CALIFORNIA, AQUELA QUE TEM A POGRECISTA SAN FRANCISCO QUE PAGA 900 DOLETAS PARA OS HOMELESS CONTINUAREM HOMELESS.
    VAI PASSEAR NO CENTRO HISTÓRICO E VEJA QUE BELEZA POGRECISTA QUE É.

  48. amauri

    -

    30/01/2013 às 17:19

    Acho muito difícil que se repita na integra mas, não podemos esquecer que faz exatos 70 anos que A. Hitler chegou ao poder com o discurso da reparação e da igualdade. A democracia, mundo afora, aos poucos está sendo adulterada pelo discurso da igualdade e reparação. (inspirado no texto do jeca Reinaldo Azevedo). abs
    Na verdade foram 80, abs, Caio

  49. Vera Lucia

    -

    30/01/2013 às 16:42

    ”Fortemente dependente de autoridades políticas no nível estadual, a mídia regional está exposta a ataques, violência física contra seus profissionais e censura provocada por ordens judiciais, que também atingem a blogosfera”, afirma o texto do relatório. Ocupa a 108ª colocação entre 179 nações. Na lista do ano passado, o país já havia caído 41 posições em relação a 2011.

    http://www1.folha.uol.com.br/bbc/1222771-brasil-cai-nove-posicoes-em-ranking-de-liberdade-de-imprensa.shtml
    ——————————————————
    Por que as pessoas insistem em ignorar informaçõs como essa acima?
    Além de “fortemente dependente” das autoridades (governo, polícia e BNDES), pode-se acrescentar que é COMPLETAMENTE dependente do poder econômico, em outras palavras, venal até o âmago das questões significantes e insignificantes. Acho que nenhuma palavra passa sem meia dúzia de ligações e uma banca de advogados.
    ——————————————————–
    Logo, logo estaremos ao lado da China (pos. 173).
    ——————————————————
    Engraçada é a maneira maniqueísta como se percebe essa situação. como se a imprensa fosse a vítima e o Estado o grande vilão. Esquecem de avaliar o quanto a mídia pode ser corrupta, que não existe liberdade de imprensa sem o devido respeito aos valores que deveriam caracterizar o jornalismo, ainda em questões significantes e corriqueiras. E deixam de avaliar corretamente o quanto a desonestidade na comunicação pode ser prejudicial em todos os níveis.

  50. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 16:29

    PIB dos EUA recua 0,1% no 4º trimestre

    Xiii… Darão um jeito de culpar os republicanos e sua mania de se comportar como partido de oposição… Que falta fazem aos EUA o PMDB, o Renan, o Sarney…RA
    §
    Obama, o Salvador de Si Mesmo e a Economia que Não Sai do Buraco
    A nova religião oficial da idiotia Americana que foi inaugurada nas eleições presidenciais de 2008, elegeu Obama como o Salvador da pátria. Até hoje a única coisa que ele salvou foi a si mesmo, a economia continua e continuará patinando, a despeito dos inúmeros economistas profissionais contratados para calcular o fictício multiplicador keynesiano.
    SELVA BRASILIS
    E AGORA A SOLUÇÃO:
    AUMENTAR IMPOSTOS E IMPRIMIR DIN DIN

  51. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 16:23

    California is the nation’s welfare queen: The state accounts for one-third of America’s welfare recipients, though it only contains one-eighth of the population, and there’s no good reason for it.

    Some of California’s welfare problem can be attributed to its particularly severe economic slump (California’s unemployment rate is 2.7 percentage points above the national average). But states in similar situations have significantly smaller caseloads; for example, Nevada, with the nation’s highest unemployment, at 11.7 percent, has a welfare-participation rate about one-quarter of California’s. In California, 3.8 percent of the population receives monthly welfare checks. In no other state is more than 3 percent of the population on the dole.
    http://www.nationalreview.com/articles/302148/california-america-s-welfare-queen-nash-keune
    O VICTOR SEMPRE A ME SALVAR, HEHEHJEHE
    California at Twilight
    http://pjmedia.com/victordavishanson/
    E AGORA JOSÉ???

  52. amauri

    -

    30/01/2013 às 16:18

    Caio, Obama acha que se o governo federal investir mais em estradas, ferrovias, e em outros ativos de porte semelhante estará impulsionando o crescimento e criando empregos, tanto para nativos como para imigrantes legais. Isto é verdadeiro e necessário. Voce acha que o setor publico é o mais adequado e capacitado para isto? abs

  53. jorji

    -

    30/01/2013 às 16:06

    Paralelo a essa nova lei da imigração, tem a questão de afrouxar a segurança nas fronteiras, isso é um perigo, e pelo fato do presidente Obama ser filho de pai queniano e afrouxamento das fronteiras, entre outros fatores, vai incentivar ainda mais a vinda de imigrantes aos EUA, e o território americano tende a ser no futuro uma salada étnica/racial/cultural/religiosa maior que os seus vizinho latinos americanos, a partir desta nova realidade da identidade americana, acontecerá a real decadência dos EUA, que levará uma grande desvantagem em relação aos países do leste asiático, a chamada unidade de pensamento, já que esses países são de maioria maciça composta de raça mongol.

  54. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 15:51

    Sobre os estados sulistas, é bom resgatar o comentário de uma leitora que mora por lá:

    rubia
    -

    29/01/2013 às 2:55

    Sobre o Bob Jindal, ele vai ter que mostrar resultados por aqui na Louisiana antes de pensar a ser candidato a presidencia. Muita gente nao esta muito contente com as mudancas que ele tem feito por aqui. Ele tem cortado muito dinheiro da educacao superior e do sistema de saude. Esta privatizando hospitais e servicos publicos e muitas mudancas nas universidades de maneira rapida. Justifica-se com a falta de recursos mas quer cortar impostos estaduais e aumentar os impostos de vendas…talvez isso nao seja bom para os mais carentes…Algumas mudancas fazem sentido, outras nem tanto. Espero que ele saiba o que esta fazendo e que no fim essas mudancas produzam resultados por aqui.

  55. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 15:22

    GOZADO QUE SEMPRE OUVI FALAR QUE A POBREZA AMERICANA RESIDIA PRINCIPALMENTE NAS MINORIAS LATINAS E NEGRAS E POR ISSO AS COTAS, ÀQUELAS QUE POR ACASO MAIS VOTARAM NO UNGIDO E QUE POR ACASO TAMBÉM PARECE QUE SÃO OS MAIORES BENEFICIADOS DOS FOODS STAMPS.
    ……..
    Pois parece que você ouviu erado.

  56. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 15:21

    “Não Ronaldo, os governos estaduais e municipais arrecadam através de impostos no comércio e taxas como IPTU e etc.
    É como aqui, a gente tb não paga imposto de renda estadual.
    abs”
    .
    Aí é que está, Carmem, pois os EUA têm uma história e uma natureza jurídica diferente. Até a Guerra Civil os estados eram ainda mais independentes e até o início ou meados do séc. XX o governo federal se metia muito menos (e até os anos 1930 quase ninguém pagava imposto de renda). Tem até a história curiosa do presidente Grover Cleveland, democrata por sinal, que se recusou a enviar uma ajuda de 10 mil dólares a um estado atingido por uma calamidade em respeito ao pacto federativo deles, o que hoje soaria como um absurdo.
    Não dá pra comparar EUA com Brasil em relação ao pacto federativo; aqui foi uma cópia pela metade, só chamaram as províncias de estado, que tem pouca autonomia, menos ainda do que nos EUA. E pelo que já li, da Guerra Civil em diante e, principalmente, a partir do séc. XX o governo federal foi tomando cada vez mais as rédeas. Daí meu questionamento, minha provocação, de se lá não faria mais sentido o imposto de renda maior ser justamente o estadual, pela essência de “estados unidos”, ou se o contrário se justifica dentro da lógica unionista para evitar separatismo, conflitos e fragmentação.

  57. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 15:20

    E isso não é uma inversão, do ponto de vista da natureza do EUA? Não têm um pouco de razão os que dizem que durante o séc. XX o governo federal foi ficando mais e mais guloso, desrespeitando a autonomia dos estados, o que causa várias distorções (além das implicações jurídicas)? Estou só provocando mesmo, pois pode-se argumentar que isso é compensado por se evitar discrepâncias ainda maiores entre os estados e uma eventual fragmentação do país, ou até mesmo separatismo, sei lá…
    ……..
    Os tais “direitos dos estados” foram um avanço em relação as monarquias absolutistas européias. Mas suas consequencias maléficas foram tão grandes quanto as benéficas.

  58. Henrique

    -

    30/01/2013 às 15:18

    Carmem – 30/01/2013 às 13:06
    .
    E não se consegue tirar proveito político dessa e outras contradições da gestão de Obama, Carmem. O surgimento da “moda” de botar a culpa de tudo em cima dos republicanos, à qual me referi, foi influenciado de maneira decisiva pelos próprios republicanos radicais. Os erros do presidente e atos ambivalentes entre discurso e prática de seu governo ficam diluídos em meio às bizarrices propostas por, infelizmente, várias alas do Partido Republicano. Tudo isso que vem das bocas do Tea Party é legítimo, faz parte do jogo democrático, etc., etc., mas está em consonância com o que o país precisa? A resposta foi dada em novembro/2012. Esse momento é importante porque o país debate dois pontos cruciais do contexto atual: controle de armas e a reforma da imigração. Vamos ver qual será a atitude do partido nesses temas, e se eles assimilaram as lições da derrota da última eleição.

  59. Marcel

    -

    30/01/2013 às 15:16

    É simples, os democratas por serem mais ricos querem o aumento de impostos para não ter competição no seu setor, um empresa pequena não consegue competir com uma maior, ou uma empresa nova não consegue competir com uma já estabilizada por causa da carga tributária, esse dinheiro é redirecionado ao walfare state. Ou seja, uniram o útil ao agrádavel.

  60. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 15:14

    Vera Lucia
    -

    30/01/2013 às 14:21

    Now consider the bottom 10, i.e., the ones that give more to the federal government in taxes than they get in return. From 1 to 10, they are:

    New Jersey, Nevada, Connecticut, New Hampshire, Minnesota, Illinois, Delaware, California, New York, Colorado abs, Caio
    ————————-
    Interesante. Todos eles de DNA democrata, que no momento da reeleição de Obama endossaram os programas federais ditos assistencialistas.
    ……..
    8 desses estados são governados por democratas.
    8 desses estados tem o senado controlado pelos democratas
    todos esses estados tem suas camaras dominadas pelos democratas

  61. Márcia Costa

    -

    30/01/2013 às 15:04

    Valeu Ronaldo e Carmem.
    Abs.

  62. Carmem

    -

    30/01/2013 às 14:49

    Ronaldo-30/01/2013 às 14:28
    .
    Não Ronaldo, os governos estaduais e municipais arrecadam através de impostos no comércio e taxas como IPTU e etc.
    É como aqui, a gente tb não paga imposto de renda estadual.
    abs

  63. Carmem

    -

    30/01/2013 às 14:46

    Márcia,
    o aumento de deportações foi consequencia direta da política de imigração adotada por Obama. Olha aí.
    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/772858-deportacao-de-imigrantes-aumenta-no-governo-obama-diz-washington-post.shtml
    abs

  64. Márcia Costa

    -

    30/01/2013 às 14:33

    É isso que eu quis perguntar: é ele quem determinou uma maior severidade na deportação, ou seja no cumprimento da lei, ou o aumento das deportações se deu porconsequência natural das ações dessa polícia? Me parecem coisas diferentes, os departamentos mantém certa independência quanto às suas próprias ações, como a polícia federal aqui, apesar de estar vinculada ao min. Da justiça, subordinado por sua vez ao presidente, tem autonomia suficiente para simplesmente cumprir a lei e não se submeter a interesses outros. O que eu quero dizer é que nem tudo é mérito ou demérito de um presidente, há coisas até, dentro do serviço público, que têm vida própria. Me fiz entender?
    Abs.

  65. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 14:28

    “PS- imposto de renda estadual (que nem existe em alguns estados) é bem menor do que imposto de renda federal.”
    .
    E isso não é uma inversão, do ponto de vista da natureza do EUA? Não têm um pouco de razão os que dizem que durante o séc. XX o governo federal foi ficando mais e mais guloso, desrespeitando a autonomia dos estados, o que causa várias distorções (além das implicações jurídicas)? Estou só provocando mesmo, pois pode-se argumentar que isso é compensado por se evitar discrepâncias ainda maiores entre os estados e uma eventual fragmentação do país, ou até mesmo separatismo, sei lá…

  66. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 14:24

    GOZADO QUE SEMPRE OUVI FALAR QUE A POBREZA AMERICANA RESIDIA PRINCIPALMENTE NAS MINORIAS LATINAS E NEGRAS E POR ISSO AS COTAS, ÀQUELAS QUE POR ACASO MAIS VOTARAM NO UNGIDO E QUE POR ACASO TAMBÉM PARECE QUE SÃO OS MAIORES BENEFICIADOS DOS FOODS STAMPS.

  67. Vera Lucia

    -

    30/01/2013 às 14:21

    Now consider the bottom 10, i.e., the ones that give more to the federal government in taxes than they get in return. From 1 to 10, they are:

    New Jersey, Nevada, Connecticut, New Hampshire, Minnesota, Illinois, Delaware, California, New York, Colorado abs, Caio
    ————————-
    Interesante. Todos eles de DNA democrata, que no momento da reeleição de Obama endossaram os programas federais ditos assistencialistas.

  68. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 14:20

    The New Republic:
    REALMENTE ESTE É UM SITE CONSERVADOR, HEHEHEHE
    VOCÊ TEM QUE VER TAMANHO DE POPULAÇÃO, TAMANHO DE DESMPREGO, ETC ETC.
    COISA QUE O “MORON” NÃO FEZ NEM VOCÊ, HEHEHEHEHE
    Teimoso com seus cliches, hehehe. Esta me tomando um tempao, mas aqui vai uma pensata na minha linha, de um SITE CONSERVADOR E LIBERTARIO, FREE MARKET, FREE THINKING, BLA BLA BLA, ABS, CAIO
    http://reason.com/archives/2011/07/14/the-redblue-paradox

  69. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 14:19

    “Meu filho que já estudou e trabalhou na california chama esse bolsões de pobreza do sul com um termo que me soa pejorativo, apesar dele não dar esse tom, que é “white trash”.”
    .
    Acho que soa pejorativa para qualquer um, Márcia. Imagina só o tamanho do barulho se começassem a usar um “black trash” para negros pobres que vivem em guetos de cidades grandes…
    Mas, realmente, a despeito de ser bem ofensivo, pela TV, já vi que é um termo um tanto corriqueiro, com o que tanto ofendem quanto fazem piada.

  70. Marcel

    -

    30/01/2013 às 14:12

    Estranho, eu sempre ouvi que eram os democratas que dificultavam a entrada de mão de obra qualificada para não competir com os locais. Só boatos ?

  71. Carmem

    -

    30/01/2013 às 14:09

    Márcia,
    O dep. de imigração, q tem uma polícia própria, é q prende e deporta os imigrantes. Eu disse Obama pq é ele q determina a política desse dep.
    Olha essa reportagem da BBC.
    http://www.bbc.co.uk/portuguese/videos_e_fotos/2012/10/121030_usa2012_imigracao_losangeles_pablo_lgb.shtml
    abs

  72. Rony

    -

    30/01/2013 às 14:07

    Ja que o assunto assistencialismo entrou em pauta.
    No Globo.com:
    Uma mulher de 35 anos que adora sair para a balada admitiu, em reportagem do “Daily Mail”, que dá bebida alcoólica a filha desde os 3 anos de idade. (…) A inglesa diz que sustenta a noitada com o dinheiro que o marido recebe como jardineiro e com a benefício mensal de 180 libras (cerca de 560 reais) que o governo lhe concede por causa dos filhos.
    link para a “reportagem” completa:
    http://oglobo.globo.com/blogs/pagenotfound/posts/2013/01/30/inglesa-da-bebida-alcoolica-filha-desde-os-3-anos-484393.asp

  73. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 14:06

    Mas tem uma certa marotagem nessa conta
    CERTA MAROTAGEM NÃO, COMPLETA MAROTAGEM DO SITE POGRECISTA, COMO SÓ PODERIA SER.
    VOU TRAZER NOTICIAS FAIR AND BALANCED DA FOX NEWS, HWEHWHWHW
    The New Republic:
    By nearly every measure, people who live in the blue states are healthier, wealthier, and generally better off than people in the red states. It’s impossible to prove that this is the direct result of government spending. But the correlation is hard to dismiss. The four states with the highest poverty rates are all red: Mississippi, Louisiana, Alabama, and Texas. (The fifth is New Mexico, which has turned blue.) And the five states with the lowest poverty rates are all blue: New Hampshire, New Jersey, Vermont, Minnesota, and Hawaii. The numbers on infant mortality, life expectancy, teen pregnancy, and obesity break down in similar ways. A recent study by researchers at the American Institute for Physics evaluated how well-prepared high schoolers were for careers in math and science. Massachusetts was best, followed closely by Minnesota and New Jersey. Mississippi was worst, along with Louisiana and West Virginia. In fact, it is difficult to find any indicator of well-being in which red states consistently do better than blue states.

    Abs, Caio

  74. Marcel

    -

    30/01/2013 às 13:59

    Certo e errado, certo poque eu falei o que o Amauri falou e você disse o que eu disse..hehe Erado porque os republicanos não reclamam dos negros democratas que recebem ajuda, e sim de todos que recebem ajuda. Abs

  75. Carmem

    -

    30/01/2013 às 13:49

    Mas tem uma certa marotagem nessa conta, por exemplo, contar gastos com bases militares e labs de pesquisa como “ajuda” para o estado? E subsídio agrícola? Ora, esse subsídio se reflete nos preços dos produtos e todo país se beneficia.
    A conta certa é a soma dos programas de welfare tipo anti-pobreza e etc..
    abs
    Nao sei o peso de cada fator, Carmem, mas se nao me falha a memoria o Mississippi é o estado mais pobre do pais e tambem um dos mais conservadores. E, de novo, brancos e negros, republicanos e democratas recebem assistencia social do governo federal, abs, Caio
    PS- imposto de renda estadual (que nem existe em alguns estados) é bem menor do que imposto de renda federal.

  76. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 13:47

    UM DOS COMENTÁRIOS SOBRE O ARTIGO PINÇADO POR VC:
    Actual STATASTICIANS call the use of data to support a flawed hypothesis CHERRY PICKING. This is why Moran is called a JOURNALIST. And he is an opinionated cherry picking biased one.

    Look at GDP per capita, state debt, state surplus, state voting totals per capita, Federal subsidies per capita, and several other metrics to get the whole picture here.

    This is the kind of conclusions you reach when you are paid by slate, who is paid by a federally subsidized liberally driven media. Not the kind you reach with a little bit of logical scientific observation.
    ESTATISTICAS SÃO ÓTIMAS PARA MANIPULAR, NÉ?

  77. Márcia Costa

    -

    30/01/2013 às 13:42

    Carmem, quando se fala que o Obama deportou, o que quer dizer isso exatamente, a polícia da fronteira, a federal, o burreau de imigração? O presidente é diretamente envolvido nesses processos? Porque aqui não é, por curiosidade. Interessante perceber como a imagem não condiz com a realidade, como o MST fechar com o lula mesmo sendo o de pior perfomance em termos de assentamentos. Para entrar na onda da coluna, progueÇista tem dessas coisas, hahah!

  78. Carmem

    -

    30/01/2013 às 13:36

    Tá reclamando pq seu governador republicano colocou as contas em dia e NJ não precisa de um boost federal?
    abs
    Indice de desemprego é alto em NJ, e nao é assim que sao feitas estas contas, e alias o governador esta certo, quando um estado precisa nao precisa ter vergonha de pedir ajuda de Washington, ee assim que o sistema funciona, delegacoes bipartidarias dos estados agem como lobby para conseguir grana federal, a questao aqui é a proporcao do o contribuinte do estado paga em imposto federal e o retorno per capita.
    Now consider the bottom 10, i.e., the ones that give more to the federal government in taxes than they get in return. From 1 to 10, they are:

    New Jersey, Nevada, Connecticut, New Hampshire, Minnesota, Illinois, Delaware, California, New York, Colorado abs, Caio

  79. amauri

    -

    30/01/2013 às 13:36

    “Republicanos e pobres democratas recebem assistencia.”
    corrigindo:
    republicanos e democratas que sejam pobres recebem assistencia. abs

  80. O ANTIPETRALHA

    -

    30/01/2013 às 13:35

    Errata:

    “Apesar disso, o Brasil é mais humano (…)”

  81. amauri

    -

    30/01/2013 às 13:32

    Em toda resposta voce precisa impregnar ideologia de classes? Onde separei brancos e negros no assistencialismo? Pare com isso! Republicanos e pobres democratas recebem assistencia. abs
    ???Amauri, mas a vida é assim, os negros no sul sao quase todos democratas e os brancos em grande parte sao republicanos. HOuve uma inversao de identidade partidaria nos ultimos 40 anos, abs, Caio

  82. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 13:30

    PASSADA A ELEIÇÃO DO DEMAGOGO EM CHEFE, A REALIDADE TEIMA EM APARECER PARA CONTRARIAR O UNGIDO E A MIDIA AMESTRADA:
    The U.S. economy posted a stunning drop of 0.1 percent in the fourth quarter, defying expectations for slow growth and possibly providing incentive for more Federal Reserve stimulus.

    The economy shrank from October through December for the first time since the recession ended, hurt by the biggest cut in defense spending in 40 years, fewer exports and sluggish growth in company stockpiles.

    The Commerce Department said Wednesday that the economy contracted at an annual rate of 0.1 percent in the fourth quarter. That’s a sharp slowdown from the 3.1 percent growth rate in the July-September quarter.
    VAI CULPAR A GENI DE NOVO?
    ÓTIMO TIME PARA AUMENTO DE IMPOSTOS.
    AGORA VAI, HEHEHEHEH

  83. Marcel

    -

    30/01/2013 às 13:30

    Bom, são estados com forte agricultura, por isso se tem subsídios, reservas indigenas, muitos aposentados, veja o caso do Alaska, muito óbvio que os investimentos lá em infra-estrutura seram maiores. Acho que o Amauri se referiu a social security, estas cositas…
    Ja dei a resposta, que basicamente desmistifica a indignacao conservadora com ajuda, lembra-se na campanha? Quando se revelou que o Paul Ryan fez lobby por ajuda a seu distrito eleitoral? abs, Caio

  84. amauri

    -

    30/01/2013 às 13:16

    Caio, entendi que a pesquisa coloca os Estados, mas nestes Estados nao tem só republicanos, certo? Será que a maioria ou a totalidade que recebe assistencialismo sao republicanos? abs
    Amauri, Amauri,hehehe, abs, Caio
    Falando serio, nao existe identificacao de filiacao partidaria para receber assistencia e existem varias tipos de assistencia, se voce leu o quadro, de combate a pobre a subsidios agricolas, ou para obras, historia tipica do Alasca. Mas se quiser partidarizar, podemos dizer que os negros pobres no sul que sao democratas recebem assistencia e os brancos pobres no sul que sao republicanos recebem assistencia,
    O ponto aqui é que os estados mais conservadores que mais reclamam do poder federal, de mais ingerencia de Washington, no sul do pais, sao os que mais recebem ajuda federal. E o ha reverso. Nos que vivemos em New Jersey, estado bem democrata apesar do governador, temos o menor retorno nacional em beneficios federais em relacao aos impostos federais que pagamos, e outros estados “liberais” esta na mesma condicao, nos aqui em cima sustentamos os jecas, hehehe, abs, Caio

  85. NOBODY.

    -

    30/01/2013 às 13:14

    O AMERICANO LEGÍTIMO É O APACHE, CHEYENE, CHEROKEE… O RESTO É ILEGAL. HE HE HE

  86. Carmem

    -

    30/01/2013 às 13:06

    É Henrique, enquanto os republicanos esposavam bizarrices do tipo auto-deportação e outras estrovengas o Obama deportava 1.5 milhões de imigrantes.
    E ainda conseguiu o voto dos masoquistas..
    abs

  87. Vera Lucia

    -

    30/01/2013 às 13:04

    O tratamento que os imigrantes recebem dos orgãos públicos como repartições de assistência social e hospitais é digno e igualitário?
    Minha amiga Silvia, formada em agronomia, foi fazer um estágio em uma fazenda no Texas. Perdeu um dedo em uma máquina, mas ganhou a prótese. Conheceu um brasileiro, ficou grávida. Como o brazuca se negou a assumir compromisso e voltou para o Brasil, minha ingênua, aventureira e irresponsável amiga ficou grávida e sozinha. Mas pode contar com a assistência social que levava comida, remédios e providenciou assistência médica e hospital para o parto. A bebê (pequena cidadã americana), nasceu forte e saudável.

  88. Márcia Costa

    -

    30/01/2013 às 12:59

    Acho que não li o que vc escreveu mas o que eu estava pensando, sorry. Meu filho que já estudou e trabalhou na california chama esse bolsões de pobreza do sul com um termo que me soa pejorativo, apesar dele não dar esse tom, que é “white trash”. Terrível não?
    Abs.

  89. O ANTIPETRALHA

    -

    30/01/2013 às 12:58

    O programa Manhattan Connection é muito bom. Só não gosto quando praticam bullyng contra o Diogo Mainardi. Quanto às imigrações, não vejo sentido algum em não dar cidadania para pessoas que trabalham e produzem riqueza para os EUA. Isso me lembra até o preconceito que há em São Paulo contra nordestinos. Há até aquela música do IRA, Pobre Paulista. Nesse sentido, o Brasil é mais humano, porque os nordestinos pobres do Capão Redondo são tão cidadãos quanto os moradores dos jardins (no ordenamento jurídico pelo menos). De modo que nos EUA os imigrantes que estão no mais baixo da escala do trabalho (como diria o Casoy) merecem também o reconhecimento como cidadãos.

    http://oantipetralha.blogspot.com.br/

    O ANTIPETRALHA.

  90. Márcia Costa

    -

    30/01/2013 às 12:46

    Caio e todos, bom dia.
    Essa questão da imigração tem pros e contra, como vc disse, para o país que recebe e também para o país que perde seus cérebros ou sua mão de obra. Aqui, no Br, já convivemos com os dois lados da questão, cada vez mais aumentam o número de trabalhadores imigrantes das américas, e já tem bastante gente reclamando disso. O brasil tem uma história interessante nessa questão, com forte presença de europeus, asiáticos e sirio libaneses. Como seria a nossa cultura e economia sem esse pessoal que imigrou nos séc. XIX e XX? Bom no meu caso, nada, porque descendo de italianos, portugueses e austríacos (e também de negro e índio), um verdadeiro elogio a miscigenação, rs, modéstia à parte!
    Abs.
    Marcia, nao errei no titulo, hehehe, pros e pros, abs, Caio

  91. Marcel

    -

    30/01/2013 às 12:39

    amauri – 30/01/2013 às 12:16
    “base do partido republicano, gente branca com menor nivel educacional, profissional e de renda,” e “parte da base republicana é xenofoba,”

    Bom, aí existem várias coisas que discordo Amauri, o GOP é um partido populista, tem de todos os tipos, brancos, negros, caipiras, ricos pobres sulitas nortistas, da maneira que o Caio poem até parece que é uma turma mesquinha masoquista que gosta de guerra. Para por na mesma ordem de alcunhas fica claro que os democratas são formados pela elite, “guris de prédio” demagogos que moram longe dos reais problemas da américa, pessoas dos estados mais caros e mais fechados, brancos ricos, pessoas do walfare state, homossexuais.
    ..
    Existo mesmo, caro Marcel, a coalizao democrata é formada por gente de maior nivel educacional e de renda (entre brancos), gente mais pobre, em geral minorias, minorias em geral, sindicalizados (o que sobrou deles, no setor publico), gente mais liberal nas questoes sociais e morais. Muitos brancos pobres que votam nos republicanos estao entre os grandes recipientes de ajuda publica, abs,Caio

  92. Henrique

    -

    30/01/2013 às 12:31

    Pois é. Isso serve externamente ao Obama e, internamente, claro, ao desgaste do GOP. A bizarrice das vozes radicais, que, além de tudo, não são poucas, é tão estridente que acaba eclipsando os discursos mais moderados dos republicanos sensatos, que, acredito, ainda compõem a maioria do partido.

  93. NOBODY.

    -

    30/01/2013 às 12:19

    ENTÃO CONCORDAMOS RONALDO. É EVIDENTE QUE O PRESIDENTE OU O PRIMEIRO MINISTRO NECESSITA DE UM CONTRA PESO, NO CASO O PARLAMENTO.
    MAS ACHO QUE NO SISTEMA PARLAMENTARISTA DE FATO OS INTEGRANTES TENDEM A SER MAIS COERENTES JÁ QUE ESSE PARLAMENTO PODE SER DISSOLVIDO SE COMEÇAR A PROCRASTINAR DEMAIS. NO SISTEMA AMERICANO E BRASILEIRO OS CARAS TEM 4 ANOS PARA FAZER O QUE QUISEREM E SÓ DEPOIS HÁ UMA NOVA ELEIÇÃO.
    ISSO DEIXA NOSSOS NOBRES POLÍTICOS (AQUI E AI) BEM À VONTADE PARA SE DEDICAR SOMENTE À “POLITICAGEM”, SEM QUE SEJAM CHAMADOS À RESPONSABILIDADE.
    UM PARLAMENTO COM MAIS RISCOS, RISCO DE PERDER O MANDATO IMEDIATAMENTE, SERIA MAIS ÚTIL. COM ISSO ATÉ O PRESIDENTE OU PRIMEIRO MINISTRO SE VERIA MAIS VIGIADO E COBRADO.
    ACHO QUE O SISTEMA É FROUXO. SÓ FAVORECE INTERESSES PESSOAIS E CARREIRISTAS.
    MAS ESTAMOS NA MESMA LINHA EU E VOCÊ.

  94. Henrique

    -

    30/01/2013 às 12:16

    Merecida, sem dúvida, Caio. O artigo que você indicou sobre os desafios que o Marco Rubio terá que enfrentar pra convencer a base barra pesada do partido deixam isso bem claro, mais uma vez. Na verdade, o comportamento dessas alas mais linha dura do GOP tem sido tão tosco que tira do radar justamente as fatias consideráveis de culpa que deveriam recair sobre o Obama, que, como você vem pontuando de forma muito precisa há algum tempo, governa em clima de comício eleitoral. Na hora de colocar todos esses aspectos na balança, a opinião pública acaba indo na direção de quem vem errando da maneira, digamos, mais sutil; no caso do presidente, pela falta de ação – o que, acho, não ocorreu agora: o presidente agiu politicamente bem nesse momento, apesar da crítica do Rubio sobre a fraqueza do seu discurso a respeito do que realmente importa, que é a hora de colocar tudo isso em prática e acabar com essa novela (literalmente!) de uma vez por todas.
    Henrique, o Obama faz muxoxo da jequice republicana e das conspiracoes mais bizarras, como a da certidao de nascimento, mas na verdade sao convenientes para ele, pois ofuscam suas falhas e ele consegue transformar a caricatura em realidade politica, abs, Caio

  95. amauri

    -

    30/01/2013 às 12:16

    “base do partido republicano, gente branca com menor nivel educacional, profissional e de renda,” e “parte da base republicana é xenofoba,”
    Uma curiosidade:
    Eles tambem recebem ajuda governamental? abs
    Bastante na verdade, caro Amauri, os estados proporcionalmente mais beneficiados por ajuda federal inclusive estao no sul do pais, alem do destaque eh claro do Alasca, abs, Caio
    Top Ten (Source: Tax Foundation):

    1. New Mexico Indian reservations, military bases, federal research labs, farm subsidies, retirement programs

    2. Mississippi Farm subsidies, military spending, nutrition and anti-poverty aid, retirement programs.

    3. Alaska Per capita No 1 recipient of federal benefits; infrastructure projects, DOT and pork projects.

    4. Louisiana Disaster relief, farm subsidies, anti-poverty and nutrition aid, military spending.

    5. W. Virginia Farm subsidies, anti-poverty and nutrition aid.

    6. N. Dakota Farm subsidies, energy subsidies, retirement and anti-poverty programs, Indian reservations.

    7. Alabama Retirement programs, anti-poverty and nutrition aid, federal space/military spending, farm subsidies.

    8. S. Dakota Retirement programs, nutrition aid, farm subsidies, military spending, Indian reservations.

    9. Virginia Civil service pensions, military spending, veterans benefits, retirement, anti-poverty aid.

    10. Kentucky Retirement programs, nutritional and anti-poverty aid, farm subsidies.
    O artigo inteiro no link
    http://www.slate.com/blogs/the_reckoning/2012/10/25/blue_state_red_face_guess_who_benefits_more_from_your_taxes.html

  96. Carmem

    -

    30/01/2013 às 12:02

    Alias a “ilustração ” dessa coluna ficou ótima, Caio cada vez mais craque!
    Abs
    Obrigado, abs, The Blind

  97. Yes, We Scam

    -

    30/01/2013 às 11:52

    O que eu considero paradoxal é o seguinte:
    Veja o caso do Brasil, por exemplo:
    Milhares de bolivianos vivem na ilegalidade, a maioria em São Paulo.
    E como o governo brasileiro trata o assunto: nada de querer resolver o problema e os imigrantes bolivianos ilegais vivem sob medo de serem deportados, tendo que se sujeitar a trabalhos de longas jornadas e baixos salários.
    Eu também não vejo nenhuma mobilização dos “bem-pensantes” da imprensa e quejandos pedindo que o governo brasileiro “se senbilizisse” com a situação.
    Outra, depois do terremoto no Haiti, várias levas de milhares de haitianos entraram ilegalmente no Brasil, para trabalhar nos estados da região norte.
    E qual a resposto do governo brasileiro?
    Fechou o cerco à imigração haitiana, fazendo a Polícia Federal dar prioridade ao combate à imigração ilegal – já que combater o tráfico de drogas não é algo, assim, muito importante, né?
    E, outra vez, nada dos “bem-pensantes” fazerem camapanha para permitir a entrada dos haitianos.
    Um segundo exemplo:
    No México, fonteira por onde entraram a maioria dos imigrantes ilegais nos Estados Unidos, milhares de brasileiros e outros latino-americanos que tentaram usar o México para entrar nos Estados Unidos, mas não conseguiram, foram deportados pelo governo mexicano, que, assim como o Brasil, não quer imigrantes ilegais em seu território.
    Bom, também nesses caso, novamente não há muitos “bem-pensantes” latino-americanos que reclamaram dessa atitude do governo mexicano.
    A pergunta é: se esses países exportadores de imigrantes ilegais para os Estados Unidos não querem que em seus próprios países existam imigrantes ilegais, então por que querem que os seus cidadãos posssam imigrar livremente para os Estados Unidos?
    A imprensssão que me fica é que sempre é exigido dos Estados Unidos que aceitem o que os outros países não aceitariam.
    O México não aceitaria dar a cidadania a 1 milhão de imigrantes ilegais, menos ainda para 11 milhões.
    O Brasil, idem.
    Concordo em mudar algumas leis para facilitar a legalização de uma parte dessa massa de imigrantes ilegais, mas fazer um “liberou-geral” é algo que não incentiva o respeito às leis e aos contratos.
    Os Estados Unidos não são o bercário do mundo, nem a “casa da mãe Joana”.
    Se México, Brasil e demais países exigem que as leis de imigração sejam cumpridas, acredito que os Estados Unidos também tem o direito de exigir isso. Ou não?
    E se mal lhe pergunte, alguem esta propondo um “liberou geral”? Voce vem com a hiperbole simplesmente para nao assumir que as coisas caminham na direcao certa nesta questao, com bom senso bipartidario, abs, Caio

  98. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 11:45

    Bom comentario, caro Ivan, as usual, abs, Caio
    AGREE
    E O DA CUMPANHEIRA TAMBÉM.

  99. Henrique

    -

    30/01/2013 às 11:45

    Bom dia, Caio. Outro bom editorial sobre o assunto é o do Washington Post – segue o link abaixo. É claro que na urgência da questão sobressai o caráter humanitário, mesmo – milhões de imigrantes que estão no país há tantos anos à espera de vistos permanentes. Mas, como você destacou, a pauta é de especial interesse para os republicanos. Foi um movimento interessante de Obama, que praticamente exorta o GOP a adotar um discurso mais inclusivo nos debates sobre a reforma, depois da surra de novembro entre os eleitores latinos – isso pensando no momento, afinal de contas, você também ressaltou, foram quatro anos empurrando essa reforma com a barriga. Mas isso, ao que parece, os americanos não levam muito em consideração – a moda da hora é botar a culpa em cima dos republicanos até quando aparece uma unha encravada, hehe!
    http://www.washingtonpost.com/opinions/leading-from-behind-on-immigration/2013/01/29/99806ad0-6a66-11e2-95b3-272d604a10a3_story.html
    Henrique, culpa merecida, né? Isto depois do papelao republicanos nas primarias e eleicoes do ano passado na questao de imigracao. Foi um papelao tao grande que abriu um flanco escancarado para o Obama passar a se preocupar com imigrantes, algo que nao estava no radar dele, abs, Caio

  100. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 11:42

    Adendo:
    .
    No geral, concordo com você, Observer, o parlamentarismo em princípio é melhor mesmo, mas o que você talvez perca de vista é que muito do você critica agora é interente ao parlamentarismo, coisas de congresso e assembleia nacional (afinal, os regimes presidencialistas não o são puramente, têm muito de parlamentarismo ainda, ou o presidente seria um semi-tirano). Enfim, também prefiro o parlamentarismo, mas não tem como fugir gotalmente do teatro (e muita coisa que é tida como “teatro” é normal e até saudável, faz parte das quedas de braço políticas e do jogo de equilíbrio entre forças sociais, para que um grupo não sobrepuje outro).

  101. amauri

    -

    30/01/2013 às 11:41

    Quando eu disse que ilegais sao desqualificados? não citando (qualificado ou desqualificado) voce conclui (nao sei por qual regra logica) que eu os chamo de desqualificados, e que talvez eu seja xenófobo? Olha o que uma pergunta simples no inicio do dia resulta. Especular sobre médio e longo prazo pode ser um indicio de xenófobo? Como posso ser xenófobo em questão americana se não sou e nem vivo nos EUA? Como posso ser xenófobo se meus avos eram imigrantes italianos no Brasil? Meu irmão quando chegou nos EUA entrou com pedido de permanência, isto não o tornou ilegal, e ele não era desqualificado, e trabalhou por 3 anos. Depois de 3 anos teve a negação do visto de permanência e voltou ao Brasil. Este lado eu conheço de perto. Do outro lado (ilegais) tambem conheço. abs
    Relax, Amauri, hehehe, sem paranoia, o comentario nao era sobre voce, mas sobre os americanos, abs, Caio

  102. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 11:39

    “MUITA PIROTECNIA E NENHUM RESULTADO VÁLIDO.”
    .
    Não é pra tanto também, né? Haja hipérbole, hehehe. Aí sim haveria não “declínio” americano, mas fim mesmo, ehhehe.
    Vamos concordar em discordar, essa pirotecnia eu acho que há em todo lugar, democrático ou não; o tirano precisa dela para acalmar a população e respaldar seu poder, evitando revoluções e goles; o representantes democráticos lançam mão dela para você sabe o que, angariar votos, construir um personagem etc. Por isso minha provocação do “déspota esclarecido”, que seria o ser iluminado (de verdade, não com o pirotécnico Obama, hehe), acima disso, tão bom e justo que prescinde de algum teatro e de negociações (não negociatas) políticas. Enfim, não misturar politicagem rasa com política, negociata e venda de cargos com negociação política normal e lobby.

  103. NOBODY.

    -

    30/01/2013 às 11:33

    QUE NADA RONALDO, EU NÃO CRITICO O FATO DO REPRESENTANTE PRESTAR CONTAS.
    MAS O SISTEMA AMERICANO É MEIO TEATRAL E AUTO CENTRADO. NO FUNDO UMA ENORME FONTE DE RENDA E INFLUÊNCIAS EXCUSAS.
    MAS O BRASIL NÃO É EXEMPLO DE NADA, ISSO É FATO.
    PORÉM ME CANSEI DESSE SHOW BUSINES QUE É A POLÍTICA AMERICANA.
    MUITA PIROTECNIA E NENHUM RESULTADO VÁLIDO. EXCETO PARA FAVORECER O EGO DE UM OU OUTRO.
    GOSTO MAIS DO SISTEMA PARLAMENTARISTA, ONDE OS CARAS TEM UM POUCO MAIS DE RECEIO DE PISAR NA BOLA, E A DIVERSIDADE É MAIS RESPEITADA.
    O ATUAL SISTEMA AMERICANO SE PROFISSIONALIZOU A TAL PONTO QUE GANHOU VIDA PRÓPRIA. COMO UMA MARCA REGISTRADA DE UM PRODUTO DE CONSUMO (REPUBLICANOS CORPORATION, DEMOCRATAS CORPORATION).
    NÃO É POLÍTICA, É BRIGA DE EMPRESAS.

  104. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 11:30

    Comentário marginal:
    .
    Achei uma pérola do humor involuntário a placa da rodovida na foto “La Frontera” que o Caio postou na coluna, com o casal dando um pinote pra atravesssar a pista enquanto arrasta a criança, que nem tem os pés no chão, hahahahahhahaha.
    Rir pra não chorar, né?

  105. Rone

    -

    30/01/2013 às 11:29

    Se essa legalização dos imigrantes latinos americanos que são a maioria nso EUA se confirmar pode ser muito bom para a imagem dos EUA em todo o continente, uma politica de boa vizinhança.
    Interessante, abs, Caio

  106. Marcel

    -

    30/01/2013 às 11:27

    NOBODY. – 30/01/2013 às 10:50

    Observador ? se for, não tem problemas. Olha, vou lhe dar uma explicação rápida até porque isso não deve interessar a ninguém do blog aqui a não ser eu e você hehe, mas respondendo a sua pergunta, acho que vale muito a pena, muito mesmo, conheço a realidade americana e a brasileira, no Brasil para se conseguir residência você faz um cursinho, e cada hospital que você se inscreve faz uma prova muito concorrida, depois vai para uma entrevista, onde os entrevistadores até debocham do seu currículo e rola muita gente que entre não por mérito mas por contatos. Aqui é diferente, o programa que deve conquistar você, eles “brigam entre si” para você cursar lá. Hum vejamos, aqui os equipamentos são de ponta, acesso as últimas pesquisas num piscar de olhos, melhor infra-estrutura, melhor salário no programa e depois de formado(sem comparação). No quesito país, EUA x BR você já sabe o que penso. Mas claro, só se consegue isso, depois de ficar com a bunda quadrada. Uma vez que algum filho seu conseguio e passou por todo o processo, o green da sua família está garantido. Abraços

  107. jorji

    -

    30/01/2013 às 11:26

    Legaliza os ilegais, e evita de dar cidadania americana aos imigrantes ilegais, fica fácil o controle, afinal é esse o objetivo.

  108. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 11:19

    “muita gente qualificada fica ilegalmente nos EUA ou volta para casa depois dos investimentos feitos nela pelos americanos pois nao consegue residencia permanente no pais.”
    .
    Pra pessoas assim, vejo como válido (e até mais inteligente) facilitar a legalização.

  109. jorji

    -

    30/01/2013 às 11:19

    Carmen, você me ofendeu, me chamou de jeca, eu não sou jeca, eu sou jeca tatu pé vermelho de Maringá.

  110. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 11:17

    amauri
    -

    30/01/2013 às 11:07

    Joao Felipe, e se houver um saturamento? Dificultar a entrada legalmente, com um forte esquema de segurança para não entrar ilegais, os americanos nao serão chamados de xenófobos? Nao estou nem falando com um gasto maior do assistencialismo.
    Como disse, ´difícil que haja um saturamento. Sobre chamarem americanos de xenófobos, bom, muitos já chamam de coisas piores. Não creio que eles ligarão pra isso.

  111. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 11:16

    Não, Observer, não fiquei brabo, não fui ríspido (releia procê ver) nem infantil. Fiz perguntas muito válidas. Se o sistema americano não presta como um todo, qual você tomaria como referência? Tipo o do Brasil, achincalhado e permeado de tudo que é tipo de sigla e sem ideologia alguma? Quanto ao déspota esclarecido, foi uma provocação muito válida, pois você critica demais essa estória “terrível” de um representante de ter prestar contas eleitorais.

  112. Ivan

    -

    30/01/2013 às 11:13

    Política de imigração é definida em função dos interesses do país receptor e não do imigrante, legal ou ilegal. Partir do ponto de vista do imigrante para definir políticas imigratórias é demagogia, sim. E populismo eleitoral.

    A regularização da situação dos ilegais deve sempre se pautar pelo interesse do receptor que tem o direito de definir que perfil interessa e que perfil não interessa.

    Só para deixar o debate no terreno da lógica e do direito .
    Bom comentario, caro Ivan, as usual, abs, Caio

  113. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 11:12

    Entendi agora, JP, o que você quis dizer. Achei que estivesse, como muitos, alimentando o velho estereótipo dos republicanos, especificamente os marvados Búxis, hehe.
    .
    É verdade, até sabia da história da família, mas não havia atentado pra isso, curioso mesmo. By the way, indico o documentário da HBO ’41′, que conta a história da família (até Bush filho) a partir dos depoimentos de Bush pai (como o título indica).

  114. amauri

    -

    30/01/2013 às 11:07

    Joao Felipe, e se houver um saturamento? Dificultar a entrada legalmente, com um forte esquema de segurança para não entrar ilegais, os americanos nao serão chamados de xenófobos? Nao estou nem falando com um gasto maior do assistencialismo.
    Amauri, recomendo a leitura do comentario da Carmem, abs, Caio
    PS- muita gente qualificada fica ilegalmente nos EUA ou volta para casa depois dos investimentos feitos nela pelos americanos pois nao consegue residencia permanente no pais. E nao adianta: parte da base republicana é xenofoba, pode chamar de jeca, se quiser, boa leitura abaixo sobre os obstaculos inclusive a frente do Marco Rubio, abs, Caio
    http://www.thedailybeast.com/articles/2013/01/30/marco-rubio-s-big-moment-could-come-with-immigration-reform.html

  115. NOBODY.

    -

    30/01/2013 às 11:05

    RONALDO, NÃO ACREDITE QUE A ÚNICA OPÇÃO ALÉM DOS DEMOCRATAS-REPUBLICANOS SEJA O PARTIDO CHINÊS.
    ISSO É INFANTIL.

  116. NOBODY.

    -

    30/01/2013 às 11:04

    HE HE HE RONALDO. SEM ATRITOS CARA.
    SÓ ACHO QUE OS AMERICANOS DESGASTARAM ESSA BRINCADEIRA REPUBLICANOS-DEMOCRATAS.
    O QUE GERA GENTE COM SEU PESAMENTO, DE QUE NÃO EXISTE MAIS NADA FORA DISSO.
    POR QUE NÃO TER OUTRAS CORRENTES? OUTRAS IDÉIAS?
    QUEM SABE UM TIPO DE LEGALISTA MAIS MODERADO, COM MENOS ÊNFASE NAS AÇÕES MILITARES (QUE SÃO PAGAS PELO ESTADO) E COM VIÉS MAIS DEMOCRÁTICO, PORÉM SEM SER TÃO POPULISTA.
    O SISTEMA POLÍTICO AMERICANO BEIRA ALGO PARECIDO COM RELIGIÃO.
    É MUITO DOGMÁTICO.
    TENHA CALMA RONALDO. EU NÃO SOU DEMOCRATA E NEM REPUBLICANO: EU SOU SÓ UM ELEITOR SEM VOZ.

  117. Carmem

    -

    30/01/2013 às 11:03

    Já sei, Caio! E acho que a Carmem vai curtir: Que venham os imigrantes, que venham aos montes, entra todo mundo… desde que seja Jeca (latino e asiático também pode ser jeca, por que não?) :D
    .
    Latino e asiático é jeca por definição hehehe
    Essa reforma esta no atraso.
    Eu acho uma bobagem essa proteção do mercado de trabalho, esses entraves para quem esta disposto a se mudar e trabalhar em outro país. Essa mobilidade, cada vez maior nos dias de hoje, deveria ser vista como um evento positivo, os imigrantes enriquecem o país para onde migram, todo mundo sai lucrando.
    Eu gostaria de ver aqui nas americas uma união como a UE já realizou no mercado de mão-de-obra, das pessoas poderem se movimentar sem todos os entraves q temos hoje.
    abs
    Correto, abs, Caio

  118. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 11:03

    ROnaldo, você não entendeu. Eu estava falando da capacidade de reinvenção dos Bush. Veja: Nos tempos da guerra fria tinha um que era ex-combatente da segunda guerra e chefe da CIA (Bush pai). Ele se tornou presidente. Depois nos tranquilos anos 90, qunando o GOP tomou de vez a hegemonia nos estados do Sul, aparece um governando o maior deles, o Texas (Bush filho). Ele se tornou presidente. E agora com a crescente importancia das minorias, aparece um Bush latino. (O filho do Jeb). Ele… bom, tem futuro.

  119. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 10:55

    “VOU TE DIZER UMA COISA: ESSE SISTEMA PARTIDÁRIO AMERICANO JÁ ERA.
    TA ACABADO. ELE SOBREVIVE EM PROL DE SI MESMO.”
    .
    E qual bom que existe, o brasileiro? O chinês? O russo? Responder “nenhum” não vale, só vai dar razão para o que eu disse no comentário anterior, hehe

  120. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 10:54

    Concordo com o JP, Observer, você está sendo muito purista. Assim, fica parecendo que seu ideal de representante/líder é o Déspota Esclarecido, que não tem de prestar contas eleitorais mas é iluminado e só faz o correto, o justo :P

  121. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 10:50

    “CORRETO RONY, DE NOVO.
    E COM SEU BELO DEPOIMENTO DE PESSOA HONESTA, O QUE É RARO NESTA QUESTÃO, POIS TENHO CONHECIDOS PRÓXIMOS QUE CASARAM.”
    .
    E eu sei de um caso ainda menos “honesto”, MV. Um amigo meu da época de escola, há uns, sei lá, 12 anos, foi para os EUA em intercâmbio. Findo o prazo, o que ele fez? Ficou lá, simplesmente. Tá lá até hoje e até onde eu sabia, nem casar, casou; nem visto temporário de trabalho, como o Rony, tinha. Ainda me contou, há uns anos, que vivia mudando de cidade e era amparado por outros brasileiros (há uma rede de proteção entre conterrâneos, parece) para não ser pego pela imigração.
    Condeno-o? Não necessariamente, pois entendo ele preferir viver num país de muito mais oportunidades do que o Brasil, de ter-se adaptado razoavelmente mesmo que na ilegalidade (sei que aprendeu a língua mesmo sem a conhecer previamente). Mas que é “correto”, a rigor, não é, e acaba dando direito a cidadãos americanos de reclamar.

  122. NOBODY.

    -

    30/01/2013 às 10:50

    Marcel – 30/01/2013 às 10:40
    MARCEL, ISSO QUE VOCÊ EXPLANOU É BOM OU RUIM?
    É UMA COISA QUE VALE A PENA? QUERO DIZER, TENHO FILHOS, VALE A PENA INCENTIVA-LOS ATENTAR ESSE TIPO DE PROGRAMA?
    ME DE SUA OPINIÃO.

  123. Betty

    -

    30/01/2013 às 10:45

    Bom dia, Caio. Quase paguei um mico vociferando que você nao mencionara o quanto Bush e McCain tentaram fazer a reforma das leis imigratórias, quando li os comentários de Ronaldo e JF. Ta tudo ali. Abs
    E Ted Kennedy, né, Betty? Abs, Caio
    E Betty voce sabe muito bem que a base republicana resiste a esta reforma de imigracao, agora em funcao da urgencia a lideranca talvez consiga encarar esta base, abs, Caio

  124. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 10:44

    “Na parte de imigracao legal, os maiores incentivos sem duvida irao gerar resistencia e ressentimento de setores que tem a perder profissionalmente e tambem por seus motivos xenofobos”
    .
    Pois é, Caio, nunca dá pra agradar a todos, e líderes tem de tomar decisões que julgam as melhores (ou menos ruins). Como já disse, estimular imigração legal é joia! Os americanos tem de reclamar é dos ilegais, principalmente os que caem na indigência ou no crime (que acontece, claro, nem todos são incorporados), e com os simples bandidos mesmo, traficantes; não dos legais, decentes e honestos. Aí, paciência…

  125. NOBODY.

    -

    30/01/2013 às 10:40

    VOcê é muito purista com relação a política
    NADA, EU SOU CÉTICO. ESSA QUEDA DE BRAÇO SEM FIM NÃO ACRESCENTA NADA NA SOLUÇÃO DO PROBLEMA.
    E O PROBLEMA É O QUE VOCÊ FALOU: OS PARTIDOS SÓ TRABALHAM PELO MÉRITO, NUNCA PELA CONSEQUÊNCIA PRÁTICA.
    EU SEI QUE É ASSIM NA POLÍTICA. MAS ENXUGAR GELO ETERNAMENTE CANSA.
    VOU TE DIZER UMA COISA: ESSE SISTEMA PARTIDÁRIO AMERICANO JÁ ERA.
    TA ACABADO. ELE SOBREVIVE EM PROL DE SI MESMO.
    SE TEM ALGO QUE OS AMERICANOS DEVERIAM MUDAR É A LÓGICA DOS SEUS PARTIDOS.
    SE ESGOTOU.

  126. Marcel

    -

    30/01/2013 às 10:40

    Bom, existem vários caminhos para migrar, nenhum deles é fácil e muito menos certo que vai conseguir. Eu vim fazer estágios, me assustei com o número de “estrangeiros” passei por alguns detalhes de provas, cartas aplicação, aquela “burocracia”. Pelas regras de hoje após o treinamento tenho de voltar ou participo de um programa chamado conrad 30 que Obama re-assinou, ou seja, ficar por 3 anos em uma área rural ou undeserved, aí fico para sempre. Esse é um caminho que os imigrantes que estudam na área de saúde passam, indianos, brasileiros, mexicanos, israelenses e tantos outros é praticamente um balaio de gato…Abs
    Caro Marcel, colher de chá tambem pelo depoimento, valeu, abs, Caio

  127. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 10:39

    “como disse, esse não foi o único prjeto de Bush despresado pelos republicanos. Por essa época, a popularidade de Bush já estava em queda. A guerra do Iraque era cada vez mais impopular e ainda teve o furacão Katrina. Como bons políticos, os líderes republicanos começaram a se afastar dele. Além disso, ainda não havia essa percepção do desgaste republicano com os latinos, nem se imaginava a importancia que os latinos teriam no futuro. Imagino que os republicanos tenham cauculado que um acordo desses poderia prjudica-los com os conservadores sociais, que haviam decidido a eleição de 2004 em favor deles.”
    .
    Pra quem é mais novo que eu e não dava a mínima pro assunto, sabes muita coisa, heeh. Obrigado, JP, pelos esclarecimentos.

  128. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 10:39

    EUA eh um pais de imigrantes, sempre foi e acredito que continuara sendo. Daqui a 20 anos terao quer resolver novamente o problema dos novos 11 milhoes de imigrantes ilegais.
    CORRETO RONY, DE NOVO.
    E COM SEU BELO DEPOIMENTO DE PESSOA HONESTA, O QUE É RARO NESTA QUESTÃO, POIS TENHO CONHECIDOS PRÓXIMOS QUE CASARAM.
    MAS VOLTANDO AO PONTO DA IMIGRAÇÃO.
    UM PAÍS EM DECLÍNIO COM ESTE FLUXO DE IMIGRANTES?
    E DEPOIS FALAM EM CHINA?
    QUAL SERÁ O FLUXO DE IMIGRANTES PARA LÁ, CHINA?
    A MAIORIA DOS MILIONÁRIOS DA CHINA MIGRA ADVINHA PARA ONDE?
    EU RESPONDO:
    PARA O IMPÉRIO DECLINANTE, HEHEHEHE
    UM ESPANTO!

  129. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 10:36

    “Ele já é chamado, vejam só de “47″.”
    .
    Uai, ele não seria 46, pra 2020? Aliás, mesmo para 2024, poderia ser 46, se o sucessor de Obama cumprir dois mandatos.

  130. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 10:33

    “Quem falou em entrar todo mundo? A pergunta era sobre imigrantes legais”
    .
    Uai, Caio, achei que tinha ficado clara minha piada. Só pincei sua resposta ao Amauri, a tirei de contexto mesmo, só como gancho para minha piada, pra misturar a estória da “jequice” com a imigração :P
    Sorry, na pauleira, abs, Caio

  131. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 10:32

    “os Bush parecem uma família mutante adaptável ao poder”.
    .
    Os Bush são mutantes ou seriam apenas mal compreendidos, JP? Só porque os caras são brancos, republicanos e acreditam no intervencionismo militar, serão contra qualquer política social? Quantos democratas são brancos e acreditam na política externa ativa e preventiva? Cuidado com o tabu que está virando o rótulo “republicano”. Caio mesmo sabe bem como entre republicanos e democratas há vários tipos, gradações…

  132. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 10:27

    NÃO DÁ PARA ENTENDER SE O ASSUNTO É SOBRE RESOLVER O PROBLEMA DOS IMIGRANTES OU SABER QUEM VAI LEVAR VANTAGEM, REPUBLICANOS OU DEMOCRATAS.
    ESSE PRAGMATISMO AMERICANO ÀS VEZES É ENFADONHO DEMAIS.
    SE BOBEAR OS IMIGRANTES SERÃO OBRIGADOS A SE FILIAR A ESSE OU AQUELE PARTIDO ATRAVÉS DE UM CONTRATO IRREVOGÁVEL DE FIDELIDADE.
    DEIXEM OS IMIGRANTES TRABALHAREM SEUS YANKESS IMBECIS.
    ……..
    VOcê é muito purista com relação a política. É claro que o debate é sobre as duas coisas: a situação dos imigrantes ilegais, e quem vai levar vantagem. TOdo partido almeja convencer o máximo de pessoas possíveis que ele tem as propostar certas. É natural que tanto democratas quanto republicanos tentem ficar com o merito de ter resolvido a questão. Isso só passa a ser um problema quando um partido coloca esse objetivo (obter o mérito) acima de todos os outros.

  133. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 10:27

    “Que venham as hordas de imigrantes legais,sera que vao destruir a sua civlizacao, Amauri?”
    .
    Já sei, Caio! E acho que a Carmem vai curtir: Que venham os imigrantes, que venham aos montes, entra todo mundo… desde que seja Jeca (latino e asiático também pode ser jeca, por que não?) :D
    Aí o governo consegue passar o pacote sem problemas com os republicanos mais reacionários, né não??
    Quem falou em entrar todo mundo? A pergunta era sobre imigrantes legais, abs, Caio

  134. Rony

    -

    30/01/2013 às 10:26

    Obrigado pela colher de cha Caio.
    Eu sabia que o meu plano proposto era o plano proposto e estava apenas concordando com o plano proposto mesmo, hehehe.
    EUA eh um pais de imigrantes, sempre foi e acredito que continuara sendo. Daqui a 20 anos terao quer resolver novamente o problema dos novos 11 milhoes de imigrantes ilegais.
    Correto, abs, Caio

  135. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 10:18

    Obrigado por me avisar sobre o debate. Estou indo um pouco alem. O impedimento é sobre imigração ilegal (invasão) nao é? Uma hora há o saturamento de imigrantes legais, e aí? abs
    ……..
    Então vamos lá Amauri, o debate é sobre a legalizar a situação de milhões de imigrantes que já estão incorporados a sociedade americana, ou seja, eles não causam saturação. É claro que ninguém está falado em abrir as froteiras e tornar cidadão qualquer um que passa-las. É por isso que também estão debatendo formas de proteger as fronteiras. OUtra coisa: o fluxo imigratório para os EUA está cada vez menor, e parece improvável que haja uma saturação de imigrantes na América.
    Na parte de imigracao legal, os maiores incentivos sem duvida irao gerar resistencia e ressentimento de setores que tem a perder profissionalmente e tambem por seus motivos xenofobos, de novo a conversa cai num setor da base do partido republicano, gente branca com menor nivel educacional, profissional e de renda, abs, Caio

  136. Francisco Pintão

    -

    30/01/2013 às 10:07

    Com Rubio liderando o Partido Republicano na matéria, confio no resultado. Senador verdadeiramente conservador e com um pensamento atualizado em matéria de imigração. Como ele bem disse, deve haver uma contrapartida: maior rigor. Esses planos, por óbvio não me agradam, mas são necessários, não dá para falar como o Romney em deportação, pura e simplesmente. Lembro que o próprio Gingrich tinha posições mais moderadas no tema durante as primárias.

  137. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 10:06

    Mas o que deu errado? Faltou articulação do próprio Bush, então? A proposta não era boa o suficiente? Enfim, se algo vai passar agora, poderia ter passado há poucos anos atrás.
    ……..
    Poxa Cara, eu tinha 15 anos na época (2005) e não dava a mínima pra política americana. Portanto , não lembro bem os detalhes. Mas, como disse, esse não foi o único prjeto de Bush despresado pelos republicanos. Por essa época, a popularidade de Bush já estava em queda. A guerra do Iraque era cada vez mais impopular e ainda teve o furacão Katrina. Como bons políticos, os líderes republicanos começaram a se afastar dele. Além disso, ainda não havia essa percepção do desgaste republicano com os latinos, nem se imaginava a importancia que os latinos teriam no futuro. Imagino que os republicanos tenham cauculado que um acordo desses poderia prjudica-los com os conservadores sociais, que haviam decidido a eleição de 2004 em favor deles.

  138. Angelo Costa

    -

    30/01/2013 às 10:06

    Prezado Caio
    Já estava mais do que na hora de os dois partidos resolverem esta questão. Não faz sentido um país de imigrantes como os EUA manterem-se alheios ao problema de 11 milhões de pessoas. Espero que cheguem a um consenso rápido, mas evidente que tem que haver algum critério para alguns deliquentes não se aproveitem da ocasião e possam se beneficiar e também estabelecer regras claras para os novos imigrantes legais.
    Abs.

  139. NOBODY.

    -

    30/01/2013 às 10:01

    NÃO DÁ PARA ENTENDER SE O ASSUNTO É SOBRE RESOLVER O PROBLEMA DOS IMIGRANTES OU SABER QUEM VAI LEVAR VANTAGEM, REPUBLICANOS OU DEMOCRATAS.
    ESSE PRAGMATISMO AMERICANO ÀS VEZES É ENFADONHO DEMAIS.
    SE BOBEAR OS IMIGRANTES SERÃO OBRIGADOS A SE FILIAR A ESSE OU AQUELE PARTIDO ATRAVÉS DE UM CONTRATO IRREVOGÁVEL DE FIDELIDADE.
    DEIXEM OS IMIGRANTES TRABALHAREM SEUS YANKESS IMBECIS.

  140. amauri

    -

    30/01/2013 às 9:58

    “sera que vao destruir a sua civlizacao, Amauri?”
    Por que voce sempre vem com este tipo de vies?
    Voce poderia apenas responder que não acredita que uma saturação venha ocorrer, ponto.
    Com relação a minha civilização estao querendo acabar. Dentro de mim só acabará se eu abandonar meus valores e princípios e adotar os valores liberais, coisa que a curto prazo não ocorrera. abs

  141. Rony

    -

    30/01/2013 às 9:54

    Bom dia Caio,
    Eu mesmo tive a experiência de passar pelo processo imigratório para os EUA. Em 2007 fui trabalhar com um visto temporário de 18 meses. Em 2008, antes da crise, apliquei para um visto de trabalho com teto de 60 mil vagas e como a demanda era muito superior a esse número havia um sorteio, e infelizmente fiquei de fora. Voltei ao Brasil ao final dos 18 meses do visto original. Se tivesse sido sorteado provavelmente estaria em NY até hoje! Chegaram a me oferecer casamento para “resolver” a situação, e a própria advogada que me auxiliava foi quem sugeriu!
    Dito isto, obviamente nao acho que deva-se simplesmente deportar 11 milhões de pessoas, no entanto, nao se pode também agraciar todos os ilegais com a cidadania como senão tivessem feito nasa de errado. Acho que o caminho de se cobrar impostos retroativos e de nao passarem na frente de quem esta legalmente buscando a cidadania essencial para haver uma transição mais justa.
    Abs
    Ps: releve os erros de autocorreção do iPhone, se houver algum.
    Rony, como voce sabe muitos “ilegais” pagam impostos pois tem papeis falsos, tambem movimentam a economia com sua renda, em termos puramente economicos, os prós derrotam os cons. E o seu plano proposto é o plano proposto, hehehe.
    Colher de chá pelo depoimento pessoal e bom senso, abs, Caio

  142. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 9:51

    Ponto para Marco Rubio e novamente para MacCain – que não é dos meus preferidos mas nesta está certo -, afinal a Geni já havia tentado, que se anteciparam ao demagogo em chefe.

    Afinal a geni tentou e os seus aliados impediram. E eles se anteciparam porque já sabiam a data do discurso. Mas isso ´r coisa da política. Mas como disse, os Bush parecem uma família mutante adaptável ao poder, Bush já em 2007 tentava evitar o que seria fatal ao GOP nos anos seguintes: o desgaste do partido com o grupo que mais cresce no país, os latinos. Obama mesmo elogiou essa esperteza de Bush e Karl Rove. E eis que agora surge um tal de George Prescott Bush, filho do Jeb Bush com uma imigrante mexicana. Que já se prepara para lançar sua carreira política no Texas. Ele já é chamado, vejam só de “47″.

  143. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 9:47

    “A ala conservadora do Partido Republicano matou o projeto. Aliás, a agenda de Bush para seu segundo mandato foi deixada de lado pelos próprios republicanos.”
    .
    Obrigado, JP.
    Imaginei que fosse por algo assim mesmo (e engraçado como fazem caricatura de Bush filho, como se ele fosse a encarnação de tudo e só o que haveria de ruim nos republicanos, hehe). Mas o que deu errado? Faltou articulação do próprio Bush, então? A proposta não era boa o suficiente? Enfim, se algo vai passar agora, poderia ter passado há poucos anos atrás. Enfim, necessária a reforma, parece mesmo, e é sempre bom que seja discutida entre ambos os partidos, não acredito em muita coisa ideal saindo só de um lado não.

  144. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 9:45

    Quando falamos em imigração nos EUA, logo pensamos no mexicano pobre sem qualificação, se arriscando no deserto atrás de trabalho e do “mundo de oportunidades”, mas e o trabalhador minimamente qualificado? Nem sei se pra este é menos burocrático, mas sou a favor de um país ser aberto à imigração, como os EUA já foram (hoje podem se dar ao luxo de fazer um doce por já serem muito ricos, muito populosos e por conta do terrorismo). Mas aberto com critério, claro, aberto para quem casa com um nativo, para quem já tem um trabalho engatilhado, para quem, não tendo trabalho certo, pelo menos é qualificado, para quem vai trabalhar nessas atividades sazonais (vocês não sabem como produtor rural pode ter problemas com legislação, a trabalhista, por exemplo, por conta da especificidade do ramo), essas coisas. E deve ser mais fácil também para estimular as pessoas a migrarem do jeito certo, dentro da lei, às claras, não cruzando a fronteira com coyotes ou pegando visto de turista e simplesmente ficando… Mas esse é meu mundo ideal, tive um ataque de idealismo aqui, heheh.

  145. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 9:41

    Ronaldo
    -

    30/01/2013 às 9:27

    “É bom lembrar que George W. Bush tentou passar uma reforma da imigração no começo do seu segundo mandato.”
    .
    E por que ele não o conseguiu, JP?

    ……..
    A ala conservadora do Partido Republicano matou o projeto. Aliás, a agenda de Bush para seu segundo mandato foi deixada de lado pelos próprios republicanos. Poderá algo semelhante ocorrer com Obama e os democratas?

  146. amauri

    -

    30/01/2013 às 9:38

    “George W. Bush tentou passar uma reforma da imigração no começo do seu segundo mandato.”
    Por que ele nao conseguiu? abs

  147. amauri

    -

    30/01/2013 às 9:36

    “O debate é sobre legalizar quem esta dentro e reforçar medidas para impedir os que tentam chegar de fora, abs, caio”
    Obrigado por me avisar sobre o debate. Estou indo um pouco alem. O impedimento é sobre imigração ilegal (invasão) nao é? Uma hora há o saturamento de imigrantes legais, e aí? abs’
    Que venham as hordas de imigrantes legais,sera que vao destruir a sua civlizacao, Amauri? Abs, Caio

  148. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 9:27

    “É bom lembrar que George W. Bush tentou passar uma reforma da imigração no começo do seu segundo mandato.”
    .
    E por que ele não o conseguiu, JP?

  149. Joao Felipe

    -

    30/01/2013 às 9:24

    É bom lembrar que George W. Bush tentou passar uma reforma da imigração no começo do seu segundo mandato. Se tivesse conseguido, tudo poderia ser diferente hoje, e o presidente poderia ser um republicano. É bom que os líderes do GOP,principalmente os da Câmara, lembrem disso. Pra ficar no exemplo do Arizona, um dos estados que sofrem com o problema de imigrantes ilegais, o Partido Republicano precisa de mais vozes como John McCain e menos vozes como Jan Brewer.
    Correto, abs, Caio

  150. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 9:09

    É, essa observação de cunho histórico e sociológico do WSJ é interessante, importante para o debate.

  151. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 9:08

    “Mesmo para gente ilegal que “está dentro do sistema” não será uma moleza conseguir a cidadania. Com a nova legislação, ela poderá levar 15 anos, exigindo pagamento retroativo de impostos e não furar a fila daqueles que esperam legalmente os documentos.”
    .
    Beleza, mas… e enquanto isso, o (pretenso) cidadão pode ser deportado ou ganha salvaguarda? Claro, tudo vai ser discutido no congresso ainda, né?

  152. Ronaldo

    -

    30/01/2013 às 9:03

    Bom dia, Caio.
    .
    Alguém (não lembro mesmo quem) não lembrou esses dias que houve uma grande anistia nos anos 80, que não adiantou de nadinha? Há que se facilitar sim a imigração legal, também acho bom facilitar a vida do trabalhador sazonal (agricultura, principalmente), mas se você simplesmente, periodicamente, legaliza quem entrou ilegalmente, nunca vão parar de entrar ilegalmente, muito pelo contrário. Mas imagino que essas medidas vão ser aprovadas com muito critério, não simplesmente “anistiando”, como reclamam alguns republicanos.
    Voce melhora o plano, mas nao mantem um status quo inviavel abs, Caio

  153. maisvalia

    -

    30/01/2013 às 8:16

    Ponto para Marco Rubio e novamente para MacCain – que não é dos meus preferidos mas nesta está certo -, afinal a Geni já havia tentado, que se anteciparam ao demagogo em chefe.
    Bem no espirito bipartidario sobre a questao, abs, Caio

  154. amauri

    -

    30/01/2013 às 7:18

    Bom dia Caio!
    Deve existir um maximo de imigrantes que um país suporta. Alguem sabe este maximo? E o que fazer depois? abs
    O debate é sobre legalizar quem esta dentro e reforcar medidas para impedir os que tentam chegar de fora, abs, caio

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados