Blogs e Colunistas

23/05/2013

às 6:00 \ Escândalos, Nixon, Obama, Watergate

Obama, adiante, IV (Oh Watergate!)

Uma analogia hiperbólica

A coluna de quarta-feira mais uma da série Obama, adiante, cuidou do clichê da maldição do segundo mandato. Com os escândalos no governo americano, prosperou o inevitável clichê “pior que Watergate”. Este, aliás, foi título do livro de John Dean em 2004 para denunciar o escandaloso governo de George W. Bush.

John Dean, caiu a ficha? Ele era o conselheiro (legal) do presidente Richard Nixon, foi conspirador no caso Watergate e, em troca de cooperação com a promotoria, teve a pena de prisão reduzida a quatro meses. Dean segue condenado à autoflagelação.

Existe condenação generalizada pelo abuso do clichê “pior que Watergate”. Lou Cannon, jornalista e biógrafo de Ronald Reagan, tinha uma regra quando cobria a Casa Branca para o Washington Post (o jornal dos repórteres Bob Woodward e Carl Bernstein). Ele desligava o telefone quando uma pessoa anônima garantia ter revelações que fariam Watergate parecer um piquenique.

Obviamente, ainda não sabemos se as controvérsias que assolam Barack Obama serão um piquenique ou não. Mas é importante não se distrair com as hipérboles. O constante uso do clichê “pior que Wategate” pode tirar o significado da analogia. Quando alguém brada Watergate desde o começo de uma controvérsia com o potencial de virar a história ou incriminar um governo, tudo o que acontece depois, ao longo de investigações, pode até parecer menos espetacular.

A obra de Nixon

Antes de analogias precipitadas, portanto, não custa saber o essencial de Watergate, a mãe de todos os “gates”. Há milhares de livros sobre o assunto. Artigos, então, nem se fala. Mas vamos cortar o caminho da garganta profunda, com o que Woodward e Bernstein (os dois jovens repórteres do “furo” e que devassaram o escândalo) escreveram no Washington Post em 2012, quando dos 40 anos (17 de junho de 1972) da invasão da sede do Partido Democrata, no edifício Watergate, em Washington. Título do artigo:”40 anos depois de Watergate, Nixon era pior que nós pensávamos”. Entres os pontos:

1) Nixon aprovou pessoalmente o plano autorizando a CIA, o FBI e a inteligência militar a intensificar a vigilância eletrônica de pessoas identificadas como “ameaças à segurança doméstica”.

2)A unidade de “encanadores” envolvida na invasão da sede do Partido Democrata tinha um prontuário criminoso. Entre suas ações, a invasão do escritório do analista Daniel Elsberg, que vazara os Papeis do Pentágono, sobre a guerra do Vietnã, para o New York Times. O antissemita Nixon instruiu o assessor Bob Haldeman para que “não deixasse o judeu roubar o material e se safar”. Ademais, o assessor de segurança nacional de Nixon, o judeu Henry Kisisinger, exigiu que o FBI espionasse 17 jornalistas e assessores na Casa Branca sem aprovação judicial.

3) O ministro da Justiça, John Mitchell, aprovou um plano criminoso de US$ 250 mil para que houvesse espionagem e sabotagem dos candidatos democratas na eleição de 1972, usando grampos e arrombamentos, com a participação de 50 pessoas.

4) Nixon aprovou e dirigiu a conspiração criminosa para tentar acobertar o seu próprio papel nos escândalos rotulados com a expressão Watergate.

Os jovens Woodward e Bernstein

Bob Woodward (que continuou muito importante como jornalista, ao contrário de Carl Bernstein) é recrutado de forma incessante por estes dias para falar sobre o que está acontecendo com o governo Obama, em casos como a intimidação de grupos conservadores pela Receita Federal (o que foi feito por Nixon e outros presidentes em relação a seus adversários), a resposta ao ataque terrorista na missão diplomática americana em Benghazi e o cerceamento de repórteres e funcionários governamentais que vazam informações. Woodward criou seu próprio clichê: nada disso ainda é da escala Watergate, mas existe algo nixoniano em Obama.

Nixolândia

Carl Cannon, o filho de Lou, editor do obrigatório site RealClearPolitics, também vê componentes nixonianos em Obama: na autocomiseração, no maniqueísmo e no desprezo pelo papel investigativo e imparcial da mídia. Cannon reconhece que até agora não há evidências conectando Obama ou qualquer um sob seu comando a atividades ilícitas, mas a ausência de criminalidade não é o único teste, para ele.

No escândalo do fisco, Cannon repete que não existem as evidências de que Obama soltou a burocracia contra os oponentes, como Nixon fez, mas aí ele pergunta: após anos comparando os republicanos no Congresso a terroristas e caracterizando o Tea Party como racista e extremista, qual era a mensagem transmitida pelo presidente? Na expressão de Cannon, isto também é “nixolândia”. Ok, posso até aceitar a ideia de venalidade política, mas ainda não estamos no território da criminalidade.

Outra herança de Watergate é o clichê que o acobertamento é pior do que o crime. Nestes termos, evidentemente será explosivo caso se revele que alguém do círculo mais íntimo de poder na Casa Branca sabia antes das eleições de 6 de novembro passado (reeleição de Obama) que havia a intimidação de grupos conservadores pelo fisco

Um memorável clichê das audiências no Senado sobre Watergate, foi a pergunta do senador Howard Baker: “O que o presidente sabia e quando ele soube”? Até lá…….

***
Colher de chá para o Rolando (dia 23, 11:53). Um bom argumento que se esquiva do tiroteio habitual.  E, em meio a tantos berros nos comentários, não resisto: colher de chá para o Ivan (dia 23, 12:19). E novamente não resisto: uma colher de chá noturna para Lord Keynes do sec XXI (dia 23, 22:43).

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

124 Comentários

  1. Beth balanco.

    -

    04/06/2013 às 13:37

    Caio meu filho…sai dessa, O pau que da em Pedro da em Mateus.Depois de exonerar Lula que nunca sabia de nada….exonerar tambem Obama. Liberais e conservadores ,principalmente jornalistas deveriam repudiar as mas condutas e denucia-las.O errado nao muda de cor so por ser de ideologia diversa. Perdemos todos ado alguem como voce se atreve a justificar o erro e escandalos.
    Beth, minha filha, exonerei o Lula? Justifiquei erro do Obama? Conversa mole, abs, Caio

  2. Tony Rezko

    -

    25/05/2013 às 19:04

    “Caro “Tony Rezko”, anão, não, sou um senhor de pequena estatura, Caio”

    Prezado Caio,
    Eu nem sequer estava falando sobre estatura fisica…
    Ok, meu caro, perdao por nao ter entendido seu potente ataque a minha integridade ética, que eu nao meço por seus criterios,Caio

  3. Vinicius Medeiros

    -

    25/05/2013 às 1:16

    Possa ser que não tenha ficado claro, em resumo quero dizer: A piada é achar que Obama é um sujeito desinteressado. E aqui vai ironia: tão desinteressado, que o golpe que recebeu do Parlamento mês passado só lhe dá mais gás para continuar sua campanha contras as armas.

  4. Vinicius Medeiros

    -

    25/05/2013 às 1:12

    “Onde esta a piada? Dizer que o Obama é omisso e nao sinistro é um bom argumento. Qual é o seu, caro Vinicius? Nao dá para achar que ao memso tempo o Obama seja um amador/diletante e um profissional do mal, Abs, Caio”
    .
    Caio, ser omisso é algo diferente de não ter apetite pelo poder. No primeiro caso, reafirmamos sua incompetência (nesta tecla que tenho batido); no segundo, seu desinteresse. E não é desinteresse que Obama possui no trato dos escândalos ou na gestão do seu segundo mandato (conclusão das entrelinhas do comentário do Lord Keynes).

  5. Tony Rezko

    -

    25/05/2013 às 0:22

    Esta obsessão com as “legal technicalities” promovidas pela imprensa liberal americana, que o ilustre bloguista insiste em repetir feito pagagaio, somente serve para distrair e confundir o publico para o que realmente interessa.

    Não importa se o Obama fez ou mandou pessoalmente isso ou aquilo.
    O que importa é que a máquina democrata controla agora todos os niveis do governo e a imprensa, que por sua vez fornece blindagem absoluta para a instauracao de um regime fascista.
    Conforme o que outros disseram aqui, quem manda é a máquina mafiosa de Chicago, que usa todo o seu poderio para atacar os INIMIGOS (conforme palavras do proprio Obama, ao invés de considerá-los “adversarios”).
    Com um Axelrod, é piada esperar que o Obama tivesse que meter o seu proprio dedo.

    Tá lembrado do Sr Rezko? Ou como bom jornalista, sr Blinder, se esqueceu daquela historia?

    Os Democratas sao os primeiros a usarem a maquina publica para atacar e perseguir os proprios cidadaos americanos. Nem isso os democratas podem acusar o Bush de ter feito.

    E o senhor, Mr Blinder, como suposto “jornalista”, deveria ser o primeiro a defender os seus colegas. Mas como o perseguido é da famigerada Fox News, então deixa assim, né?

    Mr Blinder, o senhor não passa de um anão, “mouthpiece” dos liberais americanos….

    Tenha uma boa noite.

    (Para o estagiáriozinho que irá censurar esta nota, por favor, pelo menos mande o Blinder ler…. tenha uma boa noite…).
    Caro “Tony Rezko”, anão, não, sou um senhor de pequena estatura, Caio

  6. Danilo R.

    -

    24/05/2013 às 16:30

    Estou assistindo o seriado “The Good Wife” e cheguei à conclusão de que nada que surge da máquina política democrata de Chicago pode ser boa coisa. Obama é fruto dos maiores mafiosos da política americana e continua dependendo enormemente dos caras para governar. É máfia bruta, e nada mais.

  7. André

    -

    24/05/2013 às 14:36

    Esses funcionários da Receita devem ser apenas petralhotários

  8. Victor

    -

    24/05/2013 às 10:10

    A política é feita de fatos. Se o “Obamagate” se resumir ao que temos até hoje, o Obama poderá conter a repercussão grave em torno disso, com a ajuda dos seus legionários e de parte de setores da mídia que são benevolentes com ele.

    .
    Mas se vierem fatos novos, a coisa complica mais e o tempo político é diferente do tempo jurídico ou investigatório. De duas uma: ou Obama sabia e nada fez contra aqueles procedimentos ou Obama simplesmente não tem controle sobre o que acontece em seu governo.

  9. Vinicius Medeiros

    -

    24/05/2013 às 2:27

    Piada de última hora, gente:
    Lord keynes do sec XXI – 23/05/2013 às 22:43
    “obama ao contrário parece ter pouco apetite pelo exercício diário do poder”.
    Onde esta a piada? Dizer que o Obama é omisso e nao sinistro é um bom argumento. Qual é o seu, caro Vinicius? Nao dá para achar que ao memso tempo o Obama seja um amador/diletante e um profissional do mal, Abs, Caio

  10. Lord keynes do sec XXI

    -

    23/05/2013 às 22:43

    Nixon era a fonte do mal o cérebro malévolo e paranoico q comandava as arbitrariedades,obama está se revelando mais um omisso que deixou a ala radical do segundo escalão solta e deu no q deu,ele está mais para inepto do que para nixon(que alias teria deixado um belo legado em politica externa e economia se não se tivesse deixado dominar pelo desejo de controle,obama ao contrario parece ter pouco apetite pelo exercicio diário do poder)
    Estou meio cansado, mas é um alivio quando leitores do planeta Terra comentam, valeu, abs, Caio, nao resisto: mais uma colher de chá, meu caro.

  11. Yes, We Scam

    -

    23/05/2013 às 22:10

    Ronaldo, ih, bobeei. Nem percebi o “O” do “RonaldO Reagan”.
    Ronaldo the Kid, o gatilho mais rápido da coluna, me pegou desatento “de costas para a porta”, hehe.

  12. Ronaldo

    -

    23/05/2013 às 21:07

    “Ronaldo, foi isto que eu disse, claro que sabia pelo estilo e pelo endereco”
    .
    Joia! ; )

  13. Ronaldo

    -

    23/05/2013 às 20:24

    Até porque eu nunca uso o nome completo da figura histórica, mas alguma corruptela, como “RonaldO Reagan”, e não o nome correto, “Ronald Reagan”, calma, Yes We Scam!

  14. Ronaldo

    -

    23/05/2013 às 20:19

    O “Ronaldo Reagan”, claro que sou eu, pessoal, relaxa. Achei que o Caio já tava acostumado (como muitos já estão) com minhas brincadeiras. Tanto que muitos se referiram a mim como “Ronaldo” mesmo eu estando com um nick de brincadeira. O dono do boteco, especificamente, eu achei que soubesse pelo e-mail. Nem de longe minha ideia é me esconder, como acho que ficou claro, mas apenas fazer uma brincadeira com o assunto do dia (como hoje) ou assumir a piada que alguém faça comigo no dia, heh’
    Ronaldo, foi isto que eu disse, claro que sabia pelo estilo e pelo endereco, abs, Caio

  15. Yes, We Scam

    -

    23/05/2013 às 19:45

    Marcel,
    então já são três que lêem seus comentários, hehe (including me).
    Mas o “presidente Ronaldo Reagan” não deve ser o Ronaldo, mas apenas outra versão do Olavo de Carvalho, ou seja, um pseudônimo usado por um leitor que já assinou com outros nomes famosos.
    À exemplo do que o Caio escreveu outro dia, eu também sugiro que ele não use pseudônimo de nomes de outras pessoas. Isso pode dar até processo por fraude, além de ser uma falta de respeito.
    Se quiser assinar com um pseudônimo, invente um.
    Meu problema aqui é com pseudonimos de figuras publicas brasileiras, vivas. Nao publico este tipo de comentario. E me pareceu obvio que “Ronaldo Reagan” era o Ronaldo familiar, portanto,nenhum motivo para alertar, Caio

  16. maisvalia

    -

    23/05/2013 às 19:32

    Marcel – 23/05/2013 às 19:09
    Ronaldo – 23/05/2013 às 18:48
    Valeu caro Reagan ops Ronaldo, cada vez mais tenho a certeza que apenas você lê meus comentários hehe Abs
    -
    Errado.
    Eu leio e aprecio-os também.

  17. Ronaldo

    -

    23/05/2013 às 19:11

    “Mas a pergunta é:
    Porque será que oito são blues?”
    .
    Claro que isso não explica tudo, mas boa provocação, MV, não deve ser à toa mesmo…

  18. Marcel

    -

    23/05/2013 às 19:09

    Ronaldo – 23/05/2013 às 18:48
    Valeu caro Reagan ops Ronaldo, cada vez mais tenho a certeza que apenas você lê meus comentários hehe Abs

  19. Yes, We Scam

    -

    23/05/2013 às 19:06

    Vera Lucia-23/05/2013 às 17:24
    Conforme Obama, a luta dos EUA contra o terrorismo passa também pelo apoio a transições à democracia em países como o Egito, a Tunísia e a Líbia, além da paz no Oriente Médio. “Com o que gastamos em um mês no Iraque, no auge da guerra, poderíamos treinar forças na Líbia, manter a paz entre Israel e vizinhos, alimentar os famintos no Iêmen, construir escolas no Paquistão”, citou.

    Está bom, esse é o “não-político” Obama, o outsider, o “community organizer” e agitador político pogreçista militante.
    Agora, cadê o presidente dos United States of America, o homem responsável pelo governo da nação?
    Alguém viu o presidente do país no discurso presidencial, ou só apareceu esse estafeta aí?
    Um discurso infantil desses ficaria vergonhoso na boca de um Lula da vida. Na boca de um presidente dos EUA, a coisa soa tão ridícula que é difícil acreditar à primeira vista que é verdade.
    “You don’t do it, Obama?”
    Sadly, he did.
    Era melhor ter deixado a cadeira vazia.

  20. Francisco Pintão

    -

    23/05/2013 às 19:00

    O que não pode é a nação americana continuar sendo conduzida por alguém com propósitos discutíveis e ligações estranhas com os países árabes, sob a batuta intelectual de Dona Nancy Pelosi, perseguindo adversários conservadores e utilizando artimanhas chavistas.

  21. Francisco Pintão

    -

    23/05/2013 às 18:57

    Romney não seria grande coisa, também. O Partido Republicano precisa urgentemente encontrar um contraponto ao radical bisbilhoteiro Barack Hussein. E esse nome surgirá das entranhas do Partido, não das elites moderadas. É chegada a hora de apostar em um legítimo conservador, sempre que escolheram um moderado, recentemente, quebraram a cara.

  22. maisvalia

    -

    23/05/2013 às 18:52

    John Merline of Investor’s Business Daily highlights the latest news from the American Legislative Exchange Council on which of the 50 states are thriving and which ones are sinking. With Texas leading far into the economic growth and job creators club, Merline notices a, ahem, pattern at work among the other states:

    In fact, of the 10 states that had the best economic performance over the past decade, all but two — Nevada and Washington — are solid red states, based on the past four presidential elections. Other top economic performers include Utah, Wyoming, North Dakota, Idaho and Arizona.
    -
    Destes cinco últimos, só não passei por Dakota.
    Mas a pergunta é:
    Porque será que oito são blues?

  23. Ronaldo

    -

    23/05/2013 às 18:48

    Boa, Marcel, boa reflexão – 23/05/2013 às 18:21

  24. ricardo salazar

    -

    23/05/2013 às 18:48

    podemos traça um paralelo entre obama e lula.inclusive entre a guerra líbia/afegã e a ocupação brasileira no haiti.entre o uso de táticas desestabilizadoras na síria e o apoio brasileiro aos traficantes da bolívia(não que os rebeldes sírios não fosse traficantes tambem). agora o verdadeiro ficou óbvio:o blogueiro obamista é tambem petista.o petista josé mujica recebem dinheiro da associação dos democratas,um think tank(um cover-on,ou seja:um biombo pra mudança de regime) internacional financiado pelo partido de obama e pelo governo americano.

  25. maisvalia

    -

    23/05/2013 às 18:27

    no auge da guerra, poderíamos treinar forças na Líbia, manter a paz entre Israel e vizinhos, alimentar os famintos no Iêmen, construir escolas no Paquistão”, citou.
    -
    Vou traduzir.
    Por enquanto mandaremos drones para ensiná-los.
    E tem gente que acredita, hehehehehe

  26. Marcel

    -

    23/05/2013 às 18:21

    Na verdade o que Obama provou até agora é que ele não tem capacidade para governar nem o pessoal do seu governo, é um governo fraco, ausente, com discursos inspiradores em que Obama fala fala e todos aplaudem, mas no seu último discurso provavelmente não foi como ele gostaria. Os obamistas deveriam entender que palavras não mudam as coisas e sim ações. Esse caso do IRS é bem a “cara” do mensalão, todos estavam envolvidos mas quem não sabia era apenas o presidente, um era o carteiro, o outro o laranja, outro era o que fazia o depósito, outro o negociados, mas quando chegou no chefe, ninguém sabia também. Olha eu sou fanático por causas conservadoras, mas admito quando algo está errado, como background check, reforma na imigração, que trump gira a peruca, Chistie é um bom cara, mas convenhamos, quando o assunto é Obama, ele é intocável e está é a diferença que vejo entre republicanos e liberais. Liberais nunca estão errados, Obama é santo e por aí vai. Vário grupos foram intimidados pelo fisco como pró-israel, anti-aborto, tea party, perseguição clara de caráter ideológico e o alto escalão de Obama estava sabendo e de quebra jornalista da fox grampeado. De duas uma, ou Obama prova que é apenas um candidato de promessas que não consegue governar nem o se pessoal, ou simplesmente não sabia nada. Não sei o que é pior.

  27. Marcel

    -

    23/05/2013 às 18:10

    Bom, segundo as “sabatinas” Leon Panneta secretário da defesa avisou para o presidente que um ataque estava em curso contra uma embaixada americana, sendo assim Obama sempre soube do ataque, não sei o que se passou na cabeça da Hillary para “soltar” aquela mentira que o ataque foi por causa de um vídeo.

  28. Ronaldo

    -

    23/05/2013 às 18:10

    Falar é muito fácil, Vera Lúcia (23/05/2013 às 17:24). Não sente o cheiro de demagogia?

  29. Márcia Costa

    -

    23/05/2013 às 17:55

    Vera Lucia – 23/05/2013 às 17:24
    O Obama não perde a mania de citar a herança maldita, não é? Escroque ou não, ele faz política de calça curta, coisa de politiqueiro profissional. Lamentável.
    Abs.

  30. Yes, We Scam

    -

    23/05/2013 às 17:40

    Carmem,
    Eu não digo “à soldo”, como se fosse “uma gangue sedenta por poder, dinheiro, armas blá blá blá” (include me out dessa turma), mas, sim, que os políticos dos EUA são achacados pelo forte lobby saudita e, perdidos sobre o que fazer no Oriente Médio e desejosos de manter a gasosa não muito cara, acabam seguindo o que diz o lobby saudita, mesmo desconfiados que isso é uma burrice.
    Todos sabem que se a Arábia Saudita e sua máfia da OPEP decidirem não mais negociarem em dólar, o sistema do dólar como moeda de reserva internacional acaba. Seria o fim do dólar e economia americana iria para o vinagre.
    Sem conseguir resolver esse nó górdio, os EUA vêm fazendo burradas no Oriente Médio (assessorados por “grandes especialistas” na cultura islâmica; gente “insuspeitíssima”, enfim), cuja grande beneficiada acaba sempre sendo a Arábia Saudita.
    ..
    Os “advogados” lobbystas sauditas são muito bons, e conseguem enganar direitinho os políticos americanos, pois os Saud wahabistas são especialistas na “taqqyia” e falam com língua bifurcada, passando uma mensagem para Washington e outra completamente diversa para o mundo árabe e muçulmano.
    A Arábia Saudita é o centro do Wahabismo, a versão mais islamista, intolerante e violenta do Islam, e o wahabismo está representado pela própria “famiglia” de Saud.
    O sonho dos Saud é criar um novo Califado em todo o Oriente Médio, com eles como a família reinante.
    E eles são os únicos que podem fazê-lo.
    Turquia e Iran podem ter ambições de maiores poderes regionais, mas não tem como ambicionar criarem um Califado. O Iran não conseguiria a submissão dos muçulmanos sunitas (além da eterna rivalidade entre árabes e persas), e a Turquia é odiada pelos árabes.
    Califado que se preze, tem que ser sunita islamista e árabe, como nos tempos iniciais do Islam.
    ..
    Sabedora de que seu poderio militar é limitado, até mesmo para derrotar os adversário locais, a estratégia saudita é dizer, “Oh, massacre iminente em Benghazi, massacre iminente em Qusair (na Síria), etc.”, para, com isso, fingir que se importam com a morte de seres humanos. E lá vai os EUA ficar comovidos e ajudar os “rebeldes” patrocinados pela Arábia Saudita.
    Enquanto isso, ao mundo muçulmano e árabe os Saud dizem a verdade de forma clara e límpida, e em língua árabe, claro (árabe significa “fala limpa”): que sua boa relação com os EUA é só fachada e que o compromisso dos Saud com o supremacismo islamista é total.
    A estratégia é velha, mas vêm funcionando a contento para os Saud.
    Bush errou não em invadir o Iraque, mas em deixar a Arábia Saudita financiar abertamente os “rebeldes insurgentes” terroristas islamistas em atuação no solo iraquiano. Isso ocasionou uma “vitória de Pirro” para as Forças Armadas dos EUA no Iraque.
    Mas Bush nunca deu dinheiro para islamistas e a Arábia Saudita odeia Bush porque não conseguiu obter uma fatia do poder iraquiano.
    Só o que os Saud conseguiram foi se firmar no mundo muçulmanos como apoiadores integrais da jihad.
    A Arábia Saudita odiou Bush pela invasão, pois sabia que o resultado seria a perda da influência saudita no Iraque, em contrapartida ao aumento da influência iraniana sobre o futuro governo iraquiano.
    Bush quase quebrou a economia americana lutando uma “guerra de pirro” contra os islamistas no Iraque. Em nenhum momento Bush ajudou nenhum islamista.
    Então, como é que Bush, pode ter favorecido a Arábia Saudita de caso pensado? Só nos delírios do Michael Moore.
    ..
    Agora, o quê mister Hussein Obama está fazendo é de uma imbecilidade total. Ele não só está deixando a Arábia Saudita financiar seus islamistas, mas decidiu acreditar na lábia saudita (se por burrice ou interesse, eu não sei), ajudando objetivamente os Saud a concretizarem seus planos de expansão wahabista islamista.
    Agora, na Síria, a Arábia Saudita tenta aplicar o seu golpe de mestre, pois, ao contrário do Iraque, a Síria é habitado por uma maioria sunita.
    Se a Arábia Saudita conseguir impor seus comandados para tomarem o poder na Síria, Israel ficará cercado pelo “minguante vermelho”, que vai desde os Montes Taurus na Turquia até o Mar Vermelho, com a Arábia Saudita encabeçando a grande aliança com a Jordânia e a futura Síria wahabista. Os EUA tem boas relações com a Jordânia (cuja monarquia reinante é a única verdadeira na região, remontando à século e séculos), mas os líderes jordanianos não vão resistir à força avassaladora do wahabismo. Os Saud já destruíram muitas dinastias reinantes na Arábia para conseguirem o poder na Península Arábica. Se a família real jordaniana resistir, será apenas mais uma a ser destruída ou assimilada. É melhor negociar e manter algum poder, do que ser derrotado e ficar sem poder nenhum.
    E, no mundo muçulmano, tentar resistir ao Califa é inadmissível.
    Quando a situação degringolar de vez, nenhum muçulmano com juízo (quem tem #@, tem medo) vai resistir aos Ilkhanidas (os irmãos wahabistas), se não quiser ser tratado como um infiél.
    ..
    E, sim, também existem políticos que não só são burros, como também têm rabo preso com os sauditas.
    Dá uma lidinha nesses posts do Daniel Pipes:
    http://www.danielpipes.org/980/government-for-sale-to-the-saudis
    http://www.danielpipes.org/995/the-scandal-of-us-saudi-relations

  31. Vera Lucia

    -

    23/05/2013 às 17:24

    Conforme Obama, a luta dos EUA contra o terrorismo passa também pelo apoio a transições à democracia em países como o Egito, a Tunísia e a Líbia, além da paz no Oriente Médio. “Com o que gastamos em um mês no Iraque, no auge da guerra, poderíamos treinar forças na Líbia, manter a paz entre Israel e vizinhos, alimentar os famintos no Iêmen, construir escolas no Paquistão”, citou.

    Yes! É assim que se faz!

  32. Carmem

    -

    23/05/2013 às 17:00

    Oi Carmem, o muro é largo, parece que estou la do lado dos editorialistas da Economist, hehehe, voce nao citar o editorial desta semana? Abs, Caio
    .
    Ainda não li..

  33. Carmem

    -

    23/05/2013 às 16:57

    Yes, We Scam-23/05/2013 às 16:38
    .
    Vai ter um cheirinho igualzinho os das suas ideias hehehehe

  34. Alan

    -

    23/05/2013 às 16:52

    Beleza, Caio, somente assim meus parentes de Lisboa e Porto vão poder ler seus posts. ha ha ha….
    Caio, nossos articulistas são cada vez mais lidos pelo mundo afora, não custa nada vc dar um forcinha com pelo menos uma versão em inglês.
    Valeu, Alan, mas por ora escrevo em brazileiro, abs, Caio

  35. Yes, We Scam

    -

    23/05/2013 às 16:38

    Carmem,
    É, vou ligar par o Obaminha e pedir umas aulinhas – e não posso me esquecer do Bill Ayers também, que foi o “ghost-writter”.
    Quem sabe eu não consiga produzir uma obra de ficção tão boa como “Dreams of My Farts” (eu não errei na escrita, o nome é esse mesmo).

  36. Pierre

    -

    23/05/2013 às 16:35

    Quando sair a versão em Português, me avisa, por favor!
    certainment, mon ami, abs, Caio

  37. maisvalia

    -

    23/05/2013 às 16:28

    Esse mesmo alguém poderia explicar porque o messias finge que vai fechar gitmo se 62% dos americanos são contra?

  38. maisvalia

    -

    23/05/2013 às 16:25

    Alguém poderia explicar porque Lois Lerner vai usar a quinta emenda e o governo do messias ainda a mantém no cargo?

  39. Alan

    -

    23/05/2013 às 16:20

    Caio, sua coluna tem versão em outros idiomas?
    Estou tentando a versao em portugues, abs, Caio

  40. Pierre

    -

    23/05/2013 às 16:19

    Seu Caio.
    Agora apareceu o comentário do Rolando. Discordo. Basta dar uma olhada na imprensa internacional para ver que deixamos de ser uma republiqueta há muito. Ou melhor, converse com investidores estrangeiros.

  41. jorji

    -

    23/05/2013 às 16:19

    Amanhã o tema deve ser o atentado na Inglaterra.

  42. Carmem

    -

    23/05/2013 às 16:17

    Aliás, YWS, o M. Moore sugeria no filme sobre 9/11 q o Bush estava “a soldo” dos sauditas, da mesma forma q vc afirma q Obama tb esta (eu li seu post de ontem).
    Coincidência?
    I don’t think so…
    Métodos iguais.
    Hehehe, abs, Caio

  43. Ronaldo Reagan

    -

    23/05/2013 às 16:04

    “Os grampos na AP podem ser anti-éticos, mas tem o respaldo do Ato Patriota, portanto não são ilegais.”
    .
    Pô, mas o ato patriota devia ser só pra fuçar a vida de comunistas e terroristas, não de jornalistas comuns, como nos bons tempos de McCarthy, Edgar Hoover, hehehehehehehehehehehehehehe :P

  44. Carmem

    -

    23/05/2013 às 15:59

    Yes, We Scam-23/05/2013 às 15:19
    .
    Boa ideia, pelo menos vc ia parar de envergonhar a galera conservadora com seus delírios. Realmente seu estilo esta mais para esse pessoal q vc citou..

  45. Ricardo Platero

    -

    23/05/2013 às 15:57

    Caro Douglas

    Sim, sim… se você observar atentamente, o Tea Party são Os meninos Perdidos do Peter Pan, nunca querendo crescer e mantendo sempre o discurso, rs.
    Mas para dizer que só faço piada com os republicanos, gostaria que Obama fosse a princesa Ariel (Pequena Sereia) e perdesse sua voz, quem sabe ele saia do palanque e agia um pouco mais, hehehe. Ok, visão do inferno o Obama de cauda de sereia..
    Abraços.

  46. Rony

    -

    23/05/2013 às 15:40

    Sugestao numero 1: Acabar com isencoes fiscais.
    Ah, isto seria um escandalo, hehehe. Nada mole negociar com diversos lobies que defendem esta ou aquela isencao, caro Rony, abs, Caio

  47. jorji

    -

    23/05/2013 às 15:40

    Os americanos elegeram Obama esperando mudanças, pensaram simplesmente que eleger um meio negro tudo mudaria num passe de mágica, é como pensar que uma mulher que governe um país sinalise mudanças pelo fato de ser mulher, e em relação a este escândalo o Obama sabia de tudo, bem como o Nixon na época sabia de tudo, afirmação de que Obama é fraco ou escroque é uma grande bobagem, tanto o Obama, bem como o Nixon são grandes homens, no mundo do poder os fracos não tem vez, nem para os honestos.

  48. Douglas Hernandes

    -

    23/05/2013 às 15:35

    @Ricardo Platero,
    A Casa Branca então está para uma Disney World cheio de personagens de fantasia?Ou como os democratas são tipo os sobreviventes do Oceanic 815 de Lost liderado por Obama,ops, digo Jack e os republicanos são a Iniciativa Dharma?
    PS.:Também se encaixa em um sketch do SNL.
    Boa, caro Douglas, hehehe, abs, Caio

  49. Ricardo Platero

    -

    23/05/2013 às 15:23

    Caro Caio,

    Faltou terminar a sacada. Se Obama fosse Nixon, ele não seria o Pinóquio, seria o Dumbo. Abs.

  50. Caipirão

    -

    23/05/2013 às 15:23

    Quando Obama quiser uma outra cadelinha vai ter muita gente na imprensa mundial se candidatando ao “posto”.

  51. Ronaldo Reagan

    -

    23/05/2013 às 15:23

    “Ronaldo, como afirmar com seguranca que Obama seja um escroque?”
    .
    Claro que não, Caio, esse é o ponto! Capisce? ;)

  52. Ronaldo Reagan

    -

    23/05/2013 às 15:22

    “Ninguém vai encontrar tal nível de venalidade no Governo Obama.
    Mas Ele erra sim, ao não revelar os escãndalos de george Bush a opinião pública.”
    .
    Perfeito! Obama não só não pode ser comparado a Nixon, como se erra é por não revelar os mal-feitos do governo anterior!
    Depois reclamam se apontam o obamismo quase fanático…

  53. Yes, We Scam

    -

    23/05/2013 às 15:19

    Carmem,
    Me desculpe se minha “ficção” não agradou.
    É que eu não sou muito bom em escrever ficção, sou melhor escrevendo coisas reais.
    Quem sabe se eu tomar umas aulinhas com Michael Moore, Noam Chomsky, Barack Obama, Bill Ayers, Paul Krugman e outros grandes “especialistas” em escrever obras de ficção, eu possa melhorar meu estilo…

  54. Pierre

    -

    23/05/2013 às 15:18

    Seu Caio
    O comentário do Ivan é primoroso e merece a colher de chá. O do Rolando sumiu!
    A imprensa partidarizada é parte desse problema, dos dois lados. Dependendo dos interesses um assunto toma dimensões desproporcionais. Pro leigo fica difícil encontrar o equilíbrio. Não conheço bem a realidade daí, mas aqui os blogs ajudam bastante a se encontrar esse equilíbrio. Mencionaram o Carter, eu não me lembro de nenhum escandalo envolvendo sua administração.
    Valeu, Pierre, o comentario do Rolando esta la sim, cheque outra vez. De cabeca nao me lembro de escandalo de corrupcao ou abuso de poder no governo Carter, precisaria checar, nao tenho tempo, mas ele abusava do micromanagement, ate sobre horario de quadra de basquete na casa branca ou coisa do genero, hehehe abs, Caio

  55. Ricardo Platero

    -

    23/05/2013 às 15:14

    Caro Caio,

    Nixon tem nariz de Pinóquio, Obama tem orelhas de Mickey.
    Se é errado buscar em Obama um novo FDR ou Lincoln, posso dizer que é igualmente errado procurar Nixon em Obama, tal como é procurar em uma outra pessoa os feitos de um terceiro. Épocas distintas, escândalos distintos, partidos e situações políticas distintas.
    É bom lembrarmos que os fatos apresentados não apontam por uma responsabilidade ou um envolvimento de Obama, tal como ocorreu com Nixon. Obama é presumidamente inocente até ser julgado, e para que isso aconteça é necessário que mais seja revelado, isto é, se houver o que revelar, e se não há, que seja esclarecido então para a população.
    Obama não é um FDR e não é um Nixon. Que Obama seja Obama, e vamos deixar que a história o coloque em seu devido lugar.
    Abraços.
    Boa, abs, Caio

  56. Ronaldo Reagan

    -

    23/05/2013 às 15:10

    “Obama é fraco mas não um escroque.”
    .
    Como afirmar isso com segurança, Ivan e Caio? Não é ingênuo ou leviano asseverar tanto que ele seja fraco como que não seja um escroque? O fraco ainda dá mais margem a discussão, pois pode ser fraco ou não a depender do âmbito e do critério em que julgamos essa característica, mas afirmar que ele (ou Hillary ou Romney etc) não seja um escroque?
    Ronaldo, como afirmar com seguranca que Obama seja um escroque? Abs, Caio

  57. Yes, We Scam

    -

    23/05/2013 às 14:53

    Marcel-23/05/2013 às 14:19
    Bom, ao que me consta não foi apenas o tea party vítima do IRS mas também grupos pró-israel.

    E por que será, hein? Não vê nenhuma ligação nisso?
    O looby israelense, hoje, é apoiado em sua maior parte por grupos conservadores, especialmente os mais ligados ao Cristianismo de vertente evangélica (“aquela gente atrasada dos WASP”, né?).
    Agora, os grupos de apoio à “causa palestina” e as centenas de organizações muçulmanas espalhadas pelos EUA e financiadas pela Arábia Saudita para fazerem a promoção do Islam na America ficaram livres como um passarinho para conseguir suas isenções e atuar como bem queiram.
    A esquerda ama o islamismo militante, isso é fato. Tudo é válido para detonar os “malditos conservadores”, especialmente os cristãos.

  58. Carmem

    -

    23/05/2013 às 14:38

    Yes, We Scam-23/05/2013 às 14:21
    .
    Eu daria nota 4/10 a essa ficção q vc escreveu.
    E zeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeero, como qq outra coisa.

  59. Márcia Costa

    -

    23/05/2013 às 14:35

    Obrigada, MV. A sua opinião conta muito para mim, cumpanheiro, rs.
    Abs.

  60. jorji

    -

    23/05/2013 às 14:24

    Amor e paz não, o tal de paz e amor, eu jovem na época acreditei, tinha cabelos compridos, usava roupas extravagantes, e hoje mais realista, cheguei a conclusão que paz e amor são uma das grandes farsas.

  61. jorji

    -

    23/05/2013 às 14:21

    Na época de Nixon, além do Watergate, tinha contra ele os hippies que pregavam um tal de amor e paz, por causa dos jovens americanos que morriam no Vietnã, lógico que os mortos vietnamitas não contavam.

  62. Yes, We Scam

    -

    23/05/2013 às 14:21

    Carlos “Obama is my king” Cesar: “Tem sido melhor apenas num ponto: não estimula invasões avassaladoras. Não tem a intenção de despejar 150.000 invasores em território alheio. E isso é ótimo pra humanidade.”

    Bom, metade dos rebeldes terroristas islamistas em atuação na Síria são oriundos de outros países muçulmanos, como Iraque, Jordânia, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e outros países do Golfo Pérsico, além do Paquistão e as republiquetas do Cáucaso controladas pela Rússia. Até mesmo europeus foram presos ou mortos pelo governo sírio atuando militarmente em apoio aos “rebeldes sírios” nas frentes de batalha. Foram dezenas de ingleses, franceses, alemães, belgas, dinamarqueses e outros europeus pegos nessa situação.
    São mais de 50 mil estrangeiros de perfil islamista terrorista em atuação na Síria em apoio aos “rebeldes” da Jabhat al-Nusra, Brigadas Al-Farouk etc., todos eles sempre com sua bandeirinha e faixinha na cabeça com o símbolo da Al-Qaeda.
    Mister Hussein Obama é altamente responsável por essa situação, ao insuflar e se aliar os “rebeldes” islamistas, através das ditaduras (ops, perdón, “democracias iliberais”) da Arábia Saudita e do Qatar.
    Vamos somar os números de mortes na Líbia e na Síria, além do Mali, Iemen e Egito, países afetados pela “primavera árabe”?
    80 mil mortos na Síria, 30 mil mortos na Líbia, 2 mil mortos no Iemen, 1200 mortos no Mali, cerca de 1000 mortos no Egito (nem tudo foram flores no Egito, e os cristãos coptas do país sofreram um número totalmente desproporcional de mortes, pelas mãos dos “adoráveis” rebeldes da Iramandade Muçulmana).
    ..
    Está bom ou quer mais?
    Como ainda vai morrer muita gente na Síria – ainda mais agora que mister Hussein Obama conseguiu convencer a cúpula do Partido Republicano a ser tão imbecil quanto ele e apoiar o envio de armas para os “rebeldes” terroristas islamistas em atuação na Síria -, o número de mortes da “primavera árabe”, que já passou dos 120 mil mortos, certamente vai chegar nos 150 mil mortos.
    E ainda tem aqueles mais de 100 mortos no Bahrein, quando a Arábia Saudita enviou soldados e blindados para ajudar o déspota que controla o país a reprimir com violência as manifestações da população local, que estava completamente desarmada.
    Se a população do Bahrein estivesse armada com rifles, granadas, foguetes, metralhadoras e demais apetrechos militares, será que Obama e seus apoiadores pogreçistas também veriam neles “rebeldes dignos de nosso apoio”?
    Está aí, Carloz Cezar.
    Quando chegar nesse número de 150 mil mortos, você vai poder bater no peito e se orgulhar que Obama é responsável por tantas mortes quanto Bush (essa é a média mais alta atribuída à Guerra do Iraque, se quiser, pode esperar um pouco mais, até chegar nos 200 mil mortos, o número mais alto de todos, com base na realidade e não em fantasias “michaelmooristas”, que se atribui à guerra no Iraque desde 2003 até o presente), só que Obama “atuava por trás”, o que, convenhamos, não faz diferença nenhuma para os mortos.

  63. Vera Lucia

    -

    23/05/2013 às 14:20

    O IRS dificulta a vida de qualquer organização política que pede isenção fiscal, o que é um procedimento acertado.
    O IRS facilita a vida de qualquer organização que tem finalidades beneficentes, o que é um procedimento acertado.

    Os grampos na AP podem ser anti-éticos, mas tem o respaldo do Ato Patriota, portanto não são ilegais.

    Benghazi foi um erro da CIA, que transformou a embaixada em prisão – sabe-se que mantinham dois prisioneiros líbios, e do Congresso que faz o que pode para dificultar o governo democrata, nesse caso se recusando a liberar mais verbas para reforço de segurança.
    Negou também a verba para a transferência de presos de Guantánamo e assim apressar o fechamento da infame prisão.
    Entre outros graves erros provocados pelo interesse prioritário em proteger minorias, comissões e lobbies.

    Obama vai fazer um discurso hoje às 15:00hs.

  64. Marcel

    -

    23/05/2013 às 14:19

    Bom, ao que me consta não foi apenas o tea party vítima do IRS mas também grupos pró-israel.

  65. jorji

    -

    23/05/2013 às 14:16

    Quem não tem algo Nixoniano que atire o primeiro tijolo.

  66. jorji

    -

    23/05/2013 às 14:12

    EUA está virando um Brasil, e o Brasil será um EUA daqui a 1.000 anos.

  67. maisvalia

    -

    23/05/2013 às 14:01

    Márcia Costa – 23/05/2013 às 13:49
    Independente de ser jornalista ou advogada. – colegas no último caso – seus comentários além de elegantes são precisos.

  68. Douglas Hernandes

    -

    23/05/2013 às 13:54

    Democratas ou republicanos,ninguém é santo claro, afinal eles são políticos e lutam pelo seus ideais, mesmo que sejam duvidosos e que beneficiam a quem interessam.A questão não é defender um ou outro, é os fatos que estão aí e mostram a realidade dessa cena política.

  69. Ronaldo Reagan

    -

    23/05/2013 às 13:52

    “Curiosamente, Nixon é muito excecrado por setores conservadores nos EUA, pela politica de reaproximacao com os regimes comunistas da URSS e China, preocupacao com o meio ambiente e regulamentacao”
    .
    Mas para alguns conservadores, como o JP Coutinho, isso aí é justamente o que mostra que ele também foi um bom presidente, não apenas um corrupto. Em outras palavras, esse julgamento do presidente (não só do escroque pego com a boca na botija) Nixon varia de analista para analista e de visão de mundo para visão de mundo.

  70. Márcia Costa

    -

    23/05/2013 às 13:49

    “Esses escândalos não são escândalos”, afirmou. “O ataque de Benghazi só ocorreu porque o Congresso não quis liberar verba adicional para reforçar a segurança de postos no exterior. No caso do IRS, o escândalo não está no fato de o Tea Party ter caído na malha-fina, mas no fato de pedir isenção fiscal”, completou.”
    Não concordo VL, escândalo maior foram os democratas pedirem isenção de impostos e conseguirem rapidamente.
    Abs.

  71. Márcia Costa

    -

    23/05/2013 às 13:38

    Ronaldo, não sou mais jornalista há muito tempo, sou advogada. O jornalismo foi uma paixão da mocidade, rs.
    Abs.

  72. Yes, We Scam

    -

    23/05/2013 às 13:32

    Robert Pastor: “No caso do IRS, o escândalo não está no fato de o Tea Party ter caído na malha-fina, mas no fato de pedir isenção fiscal”.

    Mas é um comediante mesmo, esse sujeito. Um pândego!
    O quê se poderia esperar de alguém que foi conselheiro da “fabulosa” presidência de Jimmy Carter?
    Ninguém contou para esse “falador de abobrinhas” que foi dada isenção fiscal para uma organização de nome “Barack Obama”, e em menos de 1 mês de investigação?
    Quando o sujeito não sabe do que está falando, é melhor ficar quieto.
    Vá colher amendoins junto com Jimmy Carter!

  73. Carla Pola

    -

    23/05/2013 às 13:29

    E não é pior que o watergate pai????

    Quer dizer que o Governo Obama pode usar a máquina pública para destruir adversários??? Perseguir jornalistas???

    Se você concorda com isso, Caio Blinder, bem se vê que você pode ter saído do Brasil, mas não tirou o Brasil de você!

    Os EUA fica cada vez mais latinizado, uma vergonha total. Sem contar que o Lulla¹³ fez escola..Só espero que os americanos não caiam na ladainha do “Eu não sabia”.

  74. José do Norte

    -

    23/05/2013 às 13:23

    Caio, vocÊ realmente acredita que a vaidade de Woodward deixará um Obama qualquer superá-lo.

  75. O ANTIPETRALHA

    -

    23/05/2013 às 13:09

    Eu também não concordo com este tipo de comparação por dois motivos. Um, a situação era outra. Dois, um caso criminoso não deve servir como parâmetro, nem como cortina de fumaça para Obama. O parâmetro, porém, deve ser a legislação americana. Nesse sentido, o governo dirigido por Obama usou o poder estatal contra opositores. Seu governo vem se mostrando contrário às leis que protegem o povo americano, como no caso da guerra na Líbia sem autorização do congresso. A meu ver, os republicanos devem pintar a figura de Obama como a de um violador de leis. Boas razões não lhes faltam.

    O ANTIPETRALHA

  76. ricardo salazar

    -

    23/05/2013 às 12:58

  77. Onofre

    -

    23/05/2013 às 12:50

    Obama é títere (primeiro presidente negro, Barack Hussein Obama, etc). Nixon foi titereiro. É possível que aquele realmente não saiba de nada…

  78. maisvalia

    -

    23/05/2013 às 12:45

    Robert Pastor, diretor do centro de Estudos americanos da American University e ex-conselheiro na presidência de Jimmy Carter
    SÓ ISSO JÁ O DESAUTORIZA PARA QUALQUER FALA.
    No caso do IRS, o escândalo não está no fato de o Tea Party ter caído na malha-fina, mas no fato de pedir isenção fiscal”, completou.
    REPITO, PIMENTA NO DOS OUTROS É REFRESCO.

  79. Vera Lucia

    -

    23/05/2013 às 12:41

    Robert Pastor, diretor do centro de Estudos americanos da American University e ex-conselheiro na presidência de Jimmy Carter, acha que se trata apenas de questões exacerbadas pela polarização política – com exceção do caso da AP, sobre o qual afirmou não estar preparado para comentar.
    “Esses escândalos não são escândalos”, afirmou. “O ataque de Benghazi só ocorreu porque o Congresso não quis liberar verba adicional para reforçar a segurança de postos no exterior. No caso do IRS, o escândalo não está no fato de o Tea Party ter caído na malha-fina, mas no fato de pedir isenção fiscal”, completou.

  80. maisvalia

    -

    23/05/2013 às 12:40

    Segundo a FAO os insetos são uma opção saudável, tudo bem ser concervador mas não precisa ser atrasado hehehe.
    -
    O caretão conservador que citou o inseto (inseto muito bonito, por sinal), como é típico de todo conservador, não sabe nada de nada, não procurou saber e tem raiva de quem sabe
    -
    FUI BONDOSO NA PRIMEIRA.
    VÃO COMER LEUCOPHAEA MADERAE, HEHEHEHE
    O MAIS LEGAL É CONSTATAR O SURTO DE POLVOROSA ENTE AS OBAMETES, QUE SE RECUSAM A ENXERGAR A REALIDADE QUE BOIA NA FRENTE DE SEUS OLHOS E CHEIRA BEM MAL.
    Seguinte, nao publicarei mais comentarios em maiusculas, abs, Caio

  81. Giovani Bento

    -

    23/05/2013 às 12:36

    Caio Blinder e seu incansável esforço defazer os Democratas parecerem santos mesmo quando estão errados; mais parece um seguidor de certo partido tupiniquim onde seu maior exponte nunca sabia de nada.

  82. EZEQUIEL

    -

    23/05/2013 às 12:36

    OBAMA MOSTRA SUA FACE CORRUPTA E ENGANADORA.

  83. Carmem

    -

    23/05/2013 às 12:35

    Oi Caio
    Esse muro já deve estar dando vertigens…
    Bom, acho q depois do funcionário do IRS evocar a 5a na hora depor não há dúvidas q houve comportamento criminoso no escândalo do IRS. A reticência de Obama em sua própria defesa faz desconfiar q ele esta mais preocupado de ser acusado de mentir ou tentar encobrir, do q ser culpado do crime propriamente dito.
    Mas concordo q Obama não tem competência para ser um escroque do quilate de um Nixon, esses escândalos não são watergate. Ele realmente esta mais para um Lula ou coisa do nível.
    abs
    Oi Carmem, o muro é largo, parece que estou la do lado dos editorialistas da Economist, hehehe, voce nao citar o editorial desta semana? Abs, Caio

  84. Vera Lucia

    -

    23/05/2013 às 12:25

    É uma baboseira sem tamanho comparar os problemas que o governo Obama vivencia, de natureza conceitual, no máximo, com Watergate.
    Não vejo agora um Partido Inteiro envolvido, orquestrado em destruir politicamente o adversário. Watergate se parece mais com o Mensalão, com seu uso de caixa 2 de campanha para comprar parlamentares e envolvidos no escãndalo.
    Ninguém vai encontrar tal nível de venalidade no Governo Obama.
    Mas Ele erra sim, ao não revelar os escãndalos de george Bush a opinião pública. Devia contar para o público, por exemplo, como foi que o cowboy aliviou as empresas do setor petroleiro de todas as maneiras que pode, relaxando inclusive nos procedimentos de segurança.
    Ao invés de contar com os procedimentos de investigação do Congresso, esperando que as situações se formatem favoravelmente, devia ser mais agressivo, ao invés de ficar na defensiva. Esse é o maior erro.

  85. Ivan

    -

    23/05/2013 às 12:19

    Em primeiro lugar devo dizer que nunca fui fã de Obama. Sempre considerei que ele seria apenas um presidente fraco porém com uma imagem simpática de bom moço bem intencionado. Seria um presidente necessário após a tragédia de W Bush , cujo papel seria recuperar a imagem do Poder Executivo Americano e que faria uma transição para o próximo presidente. Assim como foi Carter após a tragédia de Watergate. Fraco e incompetente porém bem intencionado.

    Dito isto, comparar Obama com Nixon é, realmente, um disparate. Nada mais longe da lógica e da verdade. Obama é fraco mas não um escroque. Aliás , o tal ambiente “fascista” ,na verdade, é um ambiente de ausência de comando ( o oposto, portanto) no qual pessoas de mais baixo escalão se sentem incentivadas a botar as unhas de fora e fazer bobagem. A culpa de Obama é por ausência e não por presença. O que é, aliás, um traço de sua administração. Ele só se mostra presente nos discursos.

    Na verdade, o que se percebe é que a oposição perdeu seu discurso e se reduziu a gritos histéricos e patéticos como os de que Obama seria queniano, muçulmano e socialista. Agora, de repente, ele virou fascista. Um queniano muçulmano socialista fascista! Puro desespero de quem não tem discurso e se agarra em qualquer ponto para atacar Obama.

    O fato é que o Partido Republicano tem sido dominado crescentemente por grupelhos obscurantistas e de visão muito curta que não hesitam em jogar a nação na lama para satisfazer seus instintos predadores. Vide o caso do debt cieling. E enquanto esta situação perdurar, os democratas irão vencendo e só restarão aos republicanos os berros e as caras de ódio.

    Um grande pena porque um discurso mais calmo porém inteligente, de uma direita moderna e antenada com a realidade atual poderia, com grande facilidade, desconstruir vários pontos da atual administração democrata e criar uma alternativa real de poder no país.
    Ivan, é um prazer ter este tipo de comentario aqui, no meio de tanto barulho, valeu, abs, Caio
    Nao resisto, colher de chá, abs, Caio

  86. cliente

    -

    23/05/2013 às 12:13

    Oxygastra curtisii é uma libélula rara, que ocorre em algumas partes da Europa, e está em perigo de extinção (já foi extinta na Holanda e Inglaterra). O caretão conservador que citou o inseto (inseto muito bonito, por sinal), como é típico de todo conservador, não sabe nada de nada, não procurou saber e tem raiva de quem sabe.

    Mas sobre o Obama. Não vai acontecer nada. Existem duas possibilidades: Obama sairá mais ou menos intacto ao final do mandato, nem pior nem melhor que vários de seus antecessores; ou, por outro lado, pode ocorrer algo realmente interessante e ele poderá passar para a história como um presidente que realmente fez a diferença (positivamente, é claro). Quem sabe?

  87. Alan

    -

    23/05/2013 às 12:00

    Olhando a foto da coluna onde aparecem Nixon e Obama e comparando os rostos dä pra perceber que o primeiro tem o padrão utilizado pelo cinema para viver papéis de vilôes, mafiosos, bandidos e por aí vai… Vejam o Obama, é o oposto ha ha ha….

  88. Vinicius Medeiros

    -

    23/05/2013 às 11:58

    Caio, o que os outros fizeram (usar o Fisco contra adversários) não dá a Obama, digamos, essa vantagem. Não dá a ele a oportunidade de repetir um erro, o que é pior: dos outros. Será mesmo que devemos chegar a uma conclusão de que isso é apenas mais uma jogadinha política?
    .
    E não é maior que Watergate. Não cabe superioridade aqui e sim comparativos de igualdade: é tão grave quanto Watergate! Banalidade não se quantifica, é tudo a mesma coisa. Qualquer semelhança NÃO é mera coincidência.
    .
    1) FBI lendo e-mails de jornalistas da Fox News;
    2) a AP sendo previamente alertada do que deve ou não publicar em bem de uma lógica que envolve sensatez ilusória: segurança nacional;
    3) O Fisco dando prensa em opositores;
    4) O imbróglio do que aconteceu, não aconteceu, deveria ter acontecido e não deveria ter acontecido em Benghazi.
    .
    Muda-se apenas as situações e o homem a frente dos escândalos. Parafraseando o Francis: “Obama é um pamonha e como bom pamonha só sabe fazer … pamonheira.”
    .
    Abraços.
    Argumento bem articulado, valeu, caro Vinicius abs, Caio

  89. Rolando

    -

    23/05/2013 às 11:53

    O Watergate deixou como lição que os políticos não podem fazer o querem sem consequência, já no caso do Obama ao que parece a lição será a inversa e os EUA estariam no caminho de virar um Brasil, uma republiqueta de banana, então dependendo do que vai acontecer nesse caso ele pode sim ser pior do que o Watergate.
    Esta aqui um bom argumento, gostei, caro Rolando, colher de chá, abs, Caio

  90. carlos cezar

    -

    23/05/2013 às 11:51

    Sim, Guantánamo e os drones, além do Afeganistão e Iraque (principalmente), continuam abalando a imagem dos Estados Unidos. Isso tem intensificado os ataques pontuais, como Boston e Londres. No entanto, maisvalia, a revolta maior é com o envio de 150.000 invasores ao Iraque, um tipo de crime que Obama ainda não cometeu… e esperemos que não venha a fazê-lo. Essa é a grande diferença.

  91. Rogério

    -

    23/05/2013 às 11:47

    “VÁ COMER OXYGASTRA CURTISII, NOVA MODA ENTRE POGRECISTAS DISPOSTOS A SALVAR O PLANETA E QUE NÃO LIGAM PARA ANTROPOFAGIA.”

    O cara quando perde os argumentos começa a gritar hehehe.
    Ô maisvalia, camarão é um artrópode, com exoesqueleto quitinoso, membros articulados igual aos insetos, e muito conservador lambe os beiços ao degustar, muitos povos comem insetos e os chineses seguem firmes e fortes. Segundo a FAO os insetos são uma opção saudável, tudo bem ser concervador mas não precisa ser atrasado hehehe.

  92. maisvalia

    -

    23/05/2013 às 11:26

    DE UM OUTRO ESCÂNDALO:
    …”Penso que os ataques foram tremendamente eficazes”, afirmou Michael Hayden, ex-diretor da CIA. Uma das ambições de Obama era forjar uma nova imagem dos EUA no mundo muçulmano. Mas os ataques de drones, juntamente com o fato de o presidente não ter cumprido sua promessa de fechar a prisão de Guantánamo, colaboraram para as quedas recorde nos índices de aprovação dos EUA em muitos países muçulmanos. No Paquistão, por exemplo, 19% dos entrevistados pelo Pew Research Center afirmaram ter uma visão positiva dos EUA no último ano da presidência de George W. Bush. Em 2012, esse índice de aprovação caiu para 12%. / NYT
    ATÉ TU NYT?
    AH SE FOSSE A GENI, NÉ CC?
    E PARA AQUELE PRECONCEITUOSO UM CONSELHO:
    VÁ COMER OXYGASTRA CURTISII, NOVA MODA ENTRE POGRECISTAS DISPOSTOS A SALVAR O PLANETA E QUE NÃO LIGAM PARA ANTROPOFAGIA.

  93. Rogério

    -

    23/05/2013 às 11:26

    2-Ficar na dele e esperar o resultado das investigações.

    Claro Ronaldo, não dá para julgar ninguém sem o resultado das investigações. Isso em teoria, mas em se tratando de governo ainda prevalece a velha máxima Ricuperiana, o que é bom a gente mostra, o que é ruim a gente sonega.

  94. Rogério

    -

    23/05/2013 às 11:21

    “Vamos ser escandalosos, caro Rogerio”

    É uma idéia interessante, escandalizar de vez em quando para lavar a alma chega a ser recomendável hehehe.

  95. Rogério

    -

    23/05/2013 às 11:14

    “Nada mais pogrecista do que chamar os outros de extremista e racista”

    Opa, Maisvalia além de não saber desenhar também não sabe ler? hehehe
    leia direito, eu falei extremistas e racistas, e não inimigos, está colocando palavras onde não há, eu não tenho inimigos, inclusive acho que dentro de limites aceitáveis, as pessoas tem o direito de terem convicções extremistas e até racistas, cada um tem a sua história, apenas considero-os limitados e ignorantes lato sensu e politicamente sou contrário. Está na cara que a evolução caminha no sentido da quebra do preconceito e de padrões obsoletos, essa é idéia vencedora.
    Mas não são meus inimigos, é um termo meio pesado.
    E o que é um pogrecista? Um oponente de um concervador? heheheh

  96. Ronaldo Reagan

    -

    23/05/2013 às 11:05

    “Aliás, devo dizer que Bob e Carl foram a minha inspiração para entrar na faculdade de jornalismo em 79. Pensando bem, eles me devem essa hahaha.”
    .
    Boto a maior fé em mulher que não tem frescura e entrega a idade, hehehe.
    Mas, sério, bom ver mais uma pessoa da área de jornalismo que, ao contrário da maioria no Brasil, é bem informada, culta e não segue modismos politicamente corretos e ideológicos da manda. Valeu, Márcia, continue aparecendo.

  97. Rodrigo

    -

    23/05/2013 às 10:56

    Eu pensei que essa crise fosse durar apenas uns vinte minutos.

  98. Gomes Freitas Cerqueira

    -

    23/05/2013 às 10:54

    Caio,
    Você escreveu ” O antissemita Nixon” e depois “o assessor de segurança nacional de Nixon, o judeu Henry Kisisinger”. Que antissemitismo era aquele? Hitlerista não era. Há incoerência.
    Pergunte para o Kissinger sobre a incoerencia, abs, Caio
    PS- Existe tanta bronca do Obama em alguma searas que os crimes do Nixon comecaram a ser relativizados, em nome do é pior que Watergate. Alguns leitores deveriam ler mais sobre o prontuario do Nixon, ao inves de mostrarem espanto. Curiosamente, Nixon é muito excecrado por setores conservadores nos EUA, pela politica de reaproximacao com os regimes comunistas da URSS e China, preocupacao com o meio ambiente e regulamentacao, mas como nao é Obama, começou ate a ocorrer um pouco de reabilitacao e mesmo devocao, abs, Caio

  99. Douglas Hernandes

    -

    23/05/2013 às 10:46

    Todo esse escândalo envolvendo o Obama daria uma boa história para a série Scandal,o presidente e sua equipe poderiam pedir ajudar a Olivia Pope a abafar o escândalo.Voltando a falar sério, a pergunta do senador no final da coluna,é praticamente a pergunta que todo mundo se faz,o que ele sabia ou sabe, quando soube ou só ficou sabendo quanto o escândalo estourou e virou o assunto preferido dos comentários impertinentes da turminha da Fox and Friends.Será que Obama sabia ou alguma ligação anônima informou ele e preferiu desligar o telefone como não não tivesse acontecido nada. O quão Obama é vítima disso ou teria sua parcela de responsabilidade nesse caso.

  100. Nehemias

    -

    23/05/2013 às 10:42

    Caio,
    Eu também concordo que a comparação com Nixon é exagerada, ainda que seja prudente para esses casos a máxima de que “onde há fumaça, há, ou deve ter havido, fogo”.

    O principal motivo porque, no momento, me parece exagerado é que Nixon tanto se envolveu ativamente em Watergate, como registrou parte de suas atividades em fitas, que depois serviram de prova contra ele. Ou seja, o registro do mal feito foi fundamental. Sem isso, Nixon teria sido apenas suspeito, e as acusações teriam sido diluidas no jogo politioco.

    Impeachment em sistemas presidencialistas é sempre complicado, e, quando ocorre, é porque muita coisa deu errada para o presidente ao mesmo tempo. E, mesmo quando, da zebra, o julgamento e punição são políticos, raramente o processo criminal dá em alguma coisa. Isso ocorre porque o sistema político foi projetado para blinda-los dessas situações. O fato de que em mais de 200 anos de história dos EUA (muito) mais presidentes tenham saído do cargo assassinados do que por impeachment (só o Nixon, até onde sei) já diz muita coisa. O mesmo vale pro Brasil, onde só o Collor pagou o pato (político), mas nada aconteceu com ele na esfera criminal. Assim, a estatística está francamente a favor de Obama.

    Agora “o que o Presidente sabia, quando ele soube, e, principalmente, o que ele fez quando soube” vai ser o “decifra-me, ou te devoro” da temporada política. Os democratas terão de marketar uma resposta bem convincente, se não a parada vai ficar bem esquisita.

    Nehemias

  101. Gustavo

    -

    23/05/2013 às 10:41

    Faça um artigo sobre a espionagem feita pelo Maduro do norte ao jornalista da FOX.

  102. lucas silva

    -

    23/05/2013 às 10:40

    Caio Blinder, chega a ser ridículo o tanto você tenta proteger o Obama,você não percebeu ainda? Obama não é o político perfeito que você tanto pensava, tenha um mínimo de postura,afinal, você é um jornalista, sei que seu blog é um blog de opiniões,mas, por favor, não deixe sua opinião falar mais alto que os fatos,se eu pudesse emprestaria meus olhos para que você pudesse perceber o quanto está sendo idiota…

  103. Angelo Costa

    -

    23/05/2013 às 10:39

    Prezado Caio
    Muito bom os pontos colocados.
    Existem exageros ou precipitações de julgamento. Que eu saiba até o momento não há provas de que o Obama tenha dado autorização tal qual Nixon. Será difícil provar, acho que ele sabia, mas não se condena ninguém apenas com achismos.
    Quanto a comparação com Watergate isto sempre acontecerá devido a repercusão histórica do fato e politicamente os republicanos sempre tentarão por um “carimbo”de impechment ou quase impechment nos seus adversários. Por enquanto aguardemos, mas se não houver evidências e os republicanos insistirem no assunto o tiro poderá sair pela culatra.
    Abs.
    Valeu, Angelo, abs, Caio

  104. Ronaldo Reagan

    -

    23/05/2013 às 10:37

    “Voltando a minha pergunta de terça, se o Obama foi avisado, o que ele deveria ter feito?
    Opções:
    1-Demitir todo mundo antes da investigação acabar.
    2-Ficar na dele e esperar o resultado das investigações.
    Alguém aí tem alguma resposta?”
    .
    Qual a sua resposta, JF?

  105. Márcia Costa

    -

    23/05/2013 às 10:33

    Sensacional a quarta edição, Caio. Nada do que aconteceu se compara a esse gate, rs. Aliás, devo dizer que Bob e Carl foram a minha inspiração para entrar na faculdade de jornalismo em 79. Pensando bem, eles me devem essa hahaha.
    Quanto a questão que o JF colocou mais cedo, tenho a resposta. Se ele soube antes e mesmo com a investigação em curso, poderia sim ter afastado os investigados imediatamente, caso nada ficasse provado, ou não fique, retomariam os cargos. Nos agentes públicos a presunção de inocência não funciona como nos casos que envolvem um cidadão qualquer, estando em jogo o interesse público, é a sociedade como um todo que deve ser preservada, é ela que possui primeiro o direito a uma administração proba e impessoal.
    Abs.

  106. tiago bana franco

    -

    23/05/2013 às 10:28

    Caio, admita: você e sua filha apoiaram um trapaceiro! Ficaram cegos (blind?) com as promessas messiânicas de Bobama, o embrulhão.
    Que animacao, Tiago, hehehe, abs, Caio, pai da Ana cega.

  107. carlos cezar

    -

    23/05/2013 às 10:07

    Boa, Kerwson. Abaixo os terroristas de Londres! (Embora os Estados Unidos já não sejam um “claríssimo” exemplo de “democracia e liberdade individual” devido às últimas acusações que pesam sobre o governo Obama.)

  108. Ronaldo Reagan

    -

    23/05/2013 às 10:04

    Bom texto, gostei. Bem em cima do muro no bom sentido, chamando atenção pros exageros nos julgamentos hodiernos no calor do fatos, mas apontando o lado nixoniano de Obama (“I’m not a crook, I’m a damn saint, everybody knows that!”)
    Obrigado, abs, Caio, The Wall,

  109. wilson www

    -

    23/05/2013 às 10:00

    Para quem vive nesta democracia que sofre tantos insultos quanto a nossa, aqui no Brasil, à mercê de interesses partidários (já são 39 ministérios!) e predominantemente pessoais (vide mensalão), ao mesmo tempo em que alguns alienados insistem em idolatrar ditadores e se empenham em ressuscitar ideologias imbecis que o mundo moderno já enterrou há muito tempo, causa desalento a possibilidade do governo Obama ter-se utilizado de meios pouco republicanos para manter-se no poder.

  110. cervantes

    -

    23/05/2013 às 9:57

    Bateu o desespero no filisteu obamista

  111. KERWSON/PARNAMIRIM/RN

    -

    23/05/2013 às 9:56

    Torço para que tudo se resolva nesta nação farol da democracia e da liberdade individual de imprensa.Para os comunas bolivarianos, e radicais do xiitas, quanto pior melhor.Gostaria de ver seus comentários sobre os animais isâmicos que fizeram os ataques de Londres.

  112. maisvalia

    -

    23/05/2013 às 9:46

    Se Obama pode até ter falado a verdade, que os palhaços do Tea Party são extremistas e rascistas, mas obviamente isso não implica em nenhum comando
    -
    Nada mais pogrecista do que chamar os outros de extremista e racista, ou seja não são adversários ou opositores, são inimigos.
    Eta comentário preconceituoso. Equivale a chamar o 44 de nigger, muçulmano queniano.
    Um desastre!

  113. Ronn

    -

    23/05/2013 às 9:41

    Hoje Obama representa e é um exemplo não
    só para os EUA mas para o mundo muito
    mais do que foi Nixon alias as pessoas
    sequer lembram de Nixon;tirem ou tentem impugnar
    o Obama da presidencia e iremos assitir a varios
    conflitos civis nas ruas de muitas cidades
    americanas iguais aos que ocorrerem na America
    Latina e em outras parte do mundo tão
    começando a ficar igualzinho a todo mundo.
    Mas não vai dar em nada Obama presidente até o fim
    do cargo e fazendo a sucessora e a Hilari…

  114. carlos cezar

    -

    23/05/2013 às 9:39

    Cada povo com seu “escândalo” —–
    Segundo a pesquisa – feita entre os dias 19 e 22 de abril com 1,6 mil pessoas -, Brejnev teve avaliação positiva de 56% dos entrevistados. Logo atrás, com aprovação de 55% da população, aparece o líder bolchevique Vladimir Ilyich Lenin, no poder de 1917 a 1924. Seu sucessor, Josef Stalin, que ocupou o Kremlin de 1924 a 1953, também continua popular e surge em terceiro, com 50% de avaliação positiva.
    Estadão 26/5

  115. carlos cezar

    -

    23/05/2013 às 9:33

    Estou bastante decepcionado. Aliás, muita gente está decepcionada, por vários motivos, com os Estados Unidos. Serão eles apenas uma mistura de “bandidos” com “corruptos”, além de grandes ganhadores de nobéis?

  116. carlos cezar

    -

    23/05/2013 às 9:23

    Mas há um problema grave nos pequenos escândalos do governo Obama. Eles jogam alguma lama num sistema que se dizia altamente democrático. De modo que, antes, eram os “bandidos estadunidenses”; agora são os “corruptos estadunidentes”. Já não temos nenhum país para admirar em todos os sentidos. Ninguém mais pode ser considerado um exemplo de moralidade, cidadania e justiça.

  117. carlos cezar

    -

    23/05/2013 às 9:17

    A verdade é uma só. Com esse negócio de grampear telefones, a administração pisou no tomate. Também sobre o pedido de isenção de imposto para grupos conservadores. Em Benghazi, foi um ataque terrorista. Obama nada podia fazer. De modo que são pequenos escândalos que vão mostrando a fragilidade de um governo que se dizia melhor que o outro. Tem sido melhor apenas num ponto: não estimula invasões avassaladoras. Não tem a intenção de despejar 150.000 invasores em território alheio. E isso é ótimo pra humanidade.

  118. Rogério

    -

    23/05/2013 às 9:17

    “como Nixon fez, mas aí ele pergunta: após anos comparando os republicanos no Congresso a terroristas e caracterizando o Tea Party como racista e extremista, qual era a mensagem transmitida pelo presidente? Na expressão de Cannon, isto também é “nixolândia”.”

    Caio, pelo jeito esse Cannon vê Nixolandia em tudo, dizem as más línguas que Obama dá bom dia para seus assessores de manhâ, igualzinho Nixon fazia heheheh.

    Se Obama pode até ter falado a verdade, que os palhaços do Tea Party são extremistas e rascistas, mas obviamente isso não implica em nenhum comando, os republicanos e conservadores ainda vão ter que esperar um pouco mais para acusar Obama de Nixonismo senão vão correr o risco de ver a sua credibilidade cair ainda mais.
    Vamos ser escandalosos, caro Rogerio, como o saudoso Christopher Hitchens, até madre Teresa de Calcutá tinha algo nixoniano, abs, Caio

  119. maisvalia

    -

    23/05/2013 às 8:16

    Muito boa a coluna.
    Hoje as obametes vão te odiar. Basta ver o furor do JF, hehehe
    Talvez o 44 seja mais sofisticado que o Nixon na mensagem cifrada aos subalternos.
    Obrigado, meu caro, mas ate que voce esta moderado com o “talvez”, hehehe abs, Caio

  120. Denny Doherty

    -

    23/05/2013 às 7:33

    Mr. Blinder T. Anyone:
    A ânsia de parecer um intelectual chique da Costa Leste não se abate com nada: quer dizer que o Bonde do Obama executa arrastões e a culpa é do “Second Term Curse”?

  121. ricardo salazar

    -

    23/05/2013 às 7:23

    já tentaram fazer israel em angola.imagine se desse certo? http://www.odiario.info/?p=2871

  122. Joao Felipe

    -

    23/05/2013 às 6:37

    Quais os outros governos que usaram o fisco contra seus adversários?
    Caro Joao Felipe, recentemente, Kennedy, Jonhson e Nixon, abs, Caio

  123. Joao Felipe

    -

    23/05/2013 às 6:33

    Dois pontos:
    1-Quem começou a demonização dos adversários foi o GOP. Na campanha de 2008, os comicios da Sarah Palin eram infestados por gritos de “kill him!”. Eu preciso lembrar a frase infame do McConnell, em 2010 sobre as prioridade republicanas para o congresso?
    2-Obama já chamou o Tea Party de racista? Que eu saiba, só de extremista, o que é a pura verdade.
    Joao Felipe, atores politicos tem narrativas, minha preocupacao aqui nao é adentrar no jogo de culpa, abs, Caio

  124. Joao Felipe

    -

    23/05/2013 às 6:27

    Vamos lá: Uma coisa é ser cúmplice do crime, como o Nixon.
    A dúvida que vem se levantando é se Obama havia sido informado das investigações comtra o IRS, o que é coisa bem diferente.
    Voltando a minha pergunta de terça, se o Obama foi avisado, o que ele deveria ter feito?
    Opções:
    1-Demitir todo mundo antes da investigação acabar.
    2-Ficar na dele e esperar o resultado das investigações.
    Alguém aí tem alguma resposta?

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados