Blogs e Colunistas

21/01/2013

às 6:00 \ Congresso EUA, Obama

O segundo e último ato de Obama

O juramento para um segundo mandato, domingo, na Casa Branca

Em sua curta e intensa carreira política, Barack Obama já derrotou inimigos formidáveis como Hillary Clinton (sua rival nas primárias democratas em 2008) e uma crise econômica que tinha tudo para impedir sua reeleição em novembro passado. Sua sorte é ter enfrentado rivais republicanos menos formidáveis como John McCain e Mitt Romney.

Agora no seu segundo mandato, Obama está diante de um inimigo formidável: ele mesmo. O presidente nunca mais irá concorrer à presidência e até agora se mostrou muito melhor para fazer campanha do que para governar. Aliás, prefere fazer campanha do que fazer política, como se esta última atividade fosse uma tarefa menor.

O risco é Obama enraizar este seu talento para fazer campanha como um componente integral de governança, porque é mais vantajoso e mais fácil, especialmente com a demografia do lado do presidente, com seu bloco eleitoral de mulheres, jovens, minorias e setores profissionais mais sofisticados.

Improdutivos - Nada errado, por outro lado, em pegar pesado contra os republicanos. Eles merecem e Obama finalmente se mostra mais vigoroso para fincar posições, como contra a absurda postura republicana de usar a elevação do teto da dívida como chantagem em negociações fiscais. Até setores empresariais expressam preocupação com a irresponsabilidade e improdutividade da classe política, em particular os republicanos. Nenhuma surpresa que uma pesquisa meio folclórica tenha mostrado que o Congresso americano seja menos popular do que colonoscopia e piolho.

Os republicanos estão perdendo capital político e se tornaram basicamente obstrucionistas. Eles correm o risco de se petrificarem como o partido de brancos sulistas e rancorosos, especialmente homens. No entanto, eles existem. Ademais, uma parcela do país não é alinhada a nenhum dos dois grandes partidos e nunca se deixou enfeitiçar pela magia Obama. O presidente democrata não pode simplesmente passar ao largo de um partido que tem maioria na Câmara e se dirigir diretamente à nação para fazer pressão para concretizar sua agenda.

Recuo tático - Há alguns sinais de ao menos um recuo tático dos republicanos nos duelos com os democratas no impasse fiscal. A linha da ala mais barra pesada é de que “para salvar a aldeia é preciso destruí-la”, no raciocínio de que é melhor a economia despencar a curto prazo para arrumar as contas mais a longo prazo. Mas setores mais responsáveis e pragmáticos fizeram alertas de que até lá, no longo prazo, o partido irá despencar junto com o país. Diante de sinais de bom senso (ou no mínimo de autopreservação politica dos republicanos), Obama precisa responder à altura.

Claro que o presidente e seu partido gostariam de encurralar os republicanos, reforçando sua imagem como um partido radical e atrasado, para reconquistar a Câmara nas eleições de 2014 (os democratas ja controlam o Senado). Normal um partido buscar hegemonia com base nas regras da democracia, mas isto será muito difícil para os democratas a curto prazo. O redistritamento que ocorre a cada dez anos favorece o status quo. Com isto, uma grande onda que reverta as coisas é improvável no ano que vem.

Maioria governante - Mais viável para Obama é conseguir uma “maioria governante” em que sejam possíveis acordos bipartidários em algumas questões urgentes e outras mais estruturais. Por ora, esta costura é um remendo da minoria democrata com setores republicanos na Câmara. A curto prazo, existem condições para estes acordos em controle de armas e imigração. No primeiro caso, a opinião pública indica ser favorável a algumas medidas (como expansão de exigência de antecedentes criminais para compradores de armas) e há perspectivas para a reforma da imigração, ou seja, ajustes no status dos imigrantes ilegais, pois algumas lideranças republicanas e possíveis candidatos presidenciais estão conscientes de que o partido precisa reciclar sua imagem como um bastião de insularidade e mesmo xenofobia, como ficou demonstrado pelo catastrófico apoio eleitoral em novembro junto a latinos e asiáticos.

O grande teste de Obama será na economia, em termos mais específicos na questão fiscal e na necessidade de enxugar programas sociais. Aqui o presidente precisará mostrar coragem. Desde o furacão Sandy, no final de outubro, o governador republicano de Nova Jersey, Chris Christie, ficou conhecido por sua coragem. Ele rompeu com a ortodoxia do seu partido e foi efusivo com o presidente, demonstrando espirito bipartidário.Na semana passada, Christie novamente mostrou audácia e alertou que seu partido não pode ser refém do lobby das armas, a Associação Nacional do Rifle.

Coragem republicana – Mas há outro republicano muito corajoso que rompeu com a ortodoxia partidária. Tom Coburn, é senador pelo Oklahoma, um daqueles estados mais associados ao atraso republicano, de gente jeca, que questiona a teoria da evolução, duvida do aquecimento global e acha que “os helicópteros pretos” da ONU estão chegando.

Coburn foi um raro republicano que aceitou a necessidade de uma maior arrecadação tributária mesmo antes da crise do abismo fiscal na virada do ano. Ele agora desafia democratas e o presidente Obama a assumirem riscos no corte de gastos, como ele assumiu com arrecadação.

O que pode mover Obama é a necessidade de um legado. O presidente não controla eventos (tragédias naturais ou crises internacionais), mas dentro de casa sua prioridade é engatar uma economia mais saudável. Na semana passada, Obama se reuniu com historiadores e biógrafos presidenciais para debates temas como lições de seus antecessores.

A informação foi a de que ele encontrou semelhanças e inspiração no segundo mandato de dois presidentes: Franklin Roosevelt, que assumiu em 1937 para um segundo mandato ainda com mazelas econômicas, depois da Grande Depressão, e uma oposição empedernida, que o considerava socialista e traidor de sua classe. Outra inspiração na conversa foi Dwight Einsenhower, o comandante das forças aliadas na Segunda Guerra Mundial,  que ao final do segundo mandato em 1961 advertiu sobre os perigos de um “complexo militar-industrial”.

Liberalismo reacionário – Obama está correto: é preciso um Pentágono mais enxuto, mas também é preciso repensar o arsenal social do país e até agora o presidente não deu mostras de ser aguerrido nesta questão de oferecer concessões significativas em programas de saúde e de aposentadoria. O presidente precisaria de coragem para enfrentar o “liberalismo reacionário” de setores da base democrata, que não arredam pé de seus benefícios.

Aliás, estão aí as lições de dois outros presidentes, o republicano Ronald Reagan e o democrata Bill Clinton que souberam negociar e fechar acordos com uma oposição aguerrida. Obama tem agora a segunda e última chance.

***
Hoje é previsível: colher de chá para Barack Obama, obviamente por motivos institucionais. Boa sorte, presidente.

Pessoal, colher de chá também para meu amigo Reinaldo Azevedo que publicou texto criticando o meu. Parabéns, amigo, você está no nível do Obama, hehehe. No blog dele já apareceu uma turba casca grossa dizendo que ele foi leve comigo, hehehe. Falando sério, muita gente descascou o pateta do Caio Blinder provavelmente sem ler a coluna dele, baseando-se em algumas pinceladas do Reinaldo. Bem, abaixo, está o texto de um comentário que mandei para a coluna do Reinaldo:

Amigo Reinaldo, um prazer ter um texto seu criticando o meu. Sou civico, como mostra o vibrante debate entre meus leitores.
Alguns pontos rápidos:
1) os republicanos estão, sim, perdendo, capital político. Perderam cinco das últimas seis eleições presidenciais no voto popular. E caso continuem no atual rumo, será o abismo eleitoral. A gente reconversa sobre isto em 2016, hehehe.
2) falar em branco, negro, latino, judeu, católico, roxo, marciano no jogo político americano é parte do jogo, não se trata de ação afirmativa, mas do papel dos blocos raciais e étnicos em uma corrida eleitoral e no perfil dos partidos. E é isso mesmo: os alertas sobre o partido se tornar um enclave de brancos sulistas e rancorosos parte inclusive de republicanos (obviamente sem usar o termo rancoroso). O alerta é marcante entre eventuais candidatos presidenciais.
3) Curioso seu espanto com a expressão “jeca”, era típica do seu querido Paulo Francis, ao se referir ao casal Clinton, de Arkansas, das bandas de Okhaloma. E, de fato, acho um atraso que setores de um dos dois grandes partidos ainda estejam discutindo teoria da evolução, aquecimento global (que não vejo desmentido no seu artigo) e variadas teorias conspiratórias (desde o nascimento queniano de Obama ao fascismo-comunismo de organizações multilaterais)
Abração, amigo Reinaldo, e beije minha querida São Paulo por mim, Caio

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

271 Comentários

  1. Guerra

    -

    29/01/2013 às 1:04

    Certo, Caio. Não falo para desmerecer os povos latinos. Apenas toco na sua mania de ser dependente, um defeito terrível. No Brasil, o maior sonho dos jovens de classe média-baixa é tornar-se servidor público! Corre por aqui que servidor público ganha bem e não trabalha. Antigamente, quando o Banco do Brasil dispunha da conta de redesconto no Banco Central, uma mamata cortada pelo Collor, cansei de ver mães devotadas procurando casar suas filhas com funcionários do banco. Os salários fascinavam. Conheço muita gente, inclusive parentes, que fazem de tudo para perder os empregos. O sonho é viver seis meses com salário-desemprego. O governo Lula criou ou incrementou o auxílio-prisão. Quer garantir a família empobrecida? Assalte alguém! Além do produto do ataque, sua mulher passa a receber uma mesada! Há casos e mais casos de famílias que simplesmente deixaram de trabalhar por conta do bolsa-família. Um senador da República, mesmo, não conseguiu mais ser servido pelo garçom de sua preferência, que simplesmente deixou de trabalhar quando conseguiu o mimo. Metade das vagas das universidades passaram a ser ocupadas exatamente por quem não consegue disputa-las, à custa do desespero de quem estudou para almejá-las. E por aí vai. Somos um povo dependente de pajem, traço que todo descendente de espanhol e português adquire no berço. O assistencialismo sempre foi o entrave no desenvolvimento da América Latina. Os governos latinos-americanos empobrecem seus eleitores e os mantêm pobres para negociar votos com prebendas. A Argentina perdeu a riqueza que os imigrantes italianos e alemães, os legítimos, lhe deram. Obra de Peron e Evita, uma dupla exímia em criar programas assistencialistas e em fazer populismo. E nunca mais a recuperou. Ao contrário, os caixões de ambos, que os argentinos não se cansam de arrastar pelos caminhos do tempo, continuam a arrasar o país, inspirando políticas econômicas cada vez mais suicidas, porque deformadoras da alma popular. A história do que fizeram com o cadáver de Evita é simplesmente delirante, crível apenas por quem a lê. Não há como entender por que um povo tornou-se tão dependente de dois cadáveres, senão pela lembrança das benesses que seus antigos moradores distribuíam como “protetores dos descamisados”. Aliás, no Brasil, quase que o de Getúlio Vargas engatou em nossos calcanhares, não! E esse já é o jeito de ser da metade dos eleitores americanos. Pobre superpotência!

  2. Guerra

    -

    28/01/2013 às 23:51

    Sabe o que penso sobre isso? Para mim, os EUA não são os mesmos que se elevaram ao topo do mundo a partir do final do Século XIX. Na eclosão da Primeira Guerra Mundial, já eram a nação mais industrializada do mundo. Desse ponto até o término da primeira administração Reagan, a mentalidade política imperante no país foi a tradicional, plantada pelos pais da pátria, de conquista do sucesso através da iniciativa individual e dedicação à escola e ao trabalho. O país se fez uma potência não apenas militar e econômica, mas, acima de tudo, científica. Mais ou menos ao término daquele período, a população de baixa renda começou a ser um problema sempre crescente. O país encheu-se de latinos e passou a testemunhar as mesmas mazelas dos povos do terceiro-mundo. A descendência castelhana, especialmente, agigantou-se e estabeleceu a preponderância da mentalidade terceiro-mundista, dependente da presença do poder público com suas bolsas, seus favores, suas tetas esticadas e sua tutoria. Apesar da deterioração, é óbvio, o cenário ainda não é o que vemos pela América Latina afora. Mas não há dúvida: o ambiente nacional passou a oportunizar políticos do tipo Babaca Obama, com suas tendências assistencialistas, ideias que, certamente, força da preponderância dos votos dessa maioria retrógrada, se estabelecerão para levar o país cada vez mais para longe daquela força fenomenal que gerou a potência que ainda conhecemos. A eleição do Babaca Obama e a assimilação, pelo universo político americano, do mesmo populismo degenerativo que vemos neste Brasil de triste passado e desalentador futuro, coisa que, até outro dia, ninguém cria que seria possível, não são fatos atribuíveis ao mero acaso, não. Marcam o início do enfraquecimento de uma potência. Embora tenha, ainda, muito a perder, o que lhe permitirá continuar a fazer diferença no cenário internacional durante muitas décadas, a nação americana não conseguirá frear a desqualificação que a maioria terceiro-mundista de sua população lhe imporá com o tempo. No mundo desenvolvido, não há um único povo que fale espanhol ou português! Nem os antiquíssimos espanhóis e portugueses conseguiram saltar para o seleto primeiro mundo. Mas não é à toa. E isso explica o que vem acontecendo com os EUA. Os americanos de origem latina não têm a mais insignificante noção do que sejam os ideais pregados pelos pais da pátria, nem a menor intenção de adotá-los. A última eleição abriu e mostrou o lado interno da questão: o terceiro-mundismo já contaminou o jeito de fazer política nos Estados Unidos. Resta ver como o Babaca será sucedido.
    Publicado com fins educacionais. Caio, latino.

  3. Fernando

    -

    24/01/2013 às 10:18

    Ok Roberto, eu acho que os Republicanos querem sabotar o governo Obama como os petistas queriam sabotar o governo FHC. Só nos resta, como cavalheiros, concordar em discordar. Abraço.

  4. Roberto

    -

    23/01/2013 às 17:33

    Caro Fernando, (23/01/2013 às 15:41)

    Vamos por partes. A obstrução é uma manobra legítima das oposições. Os democratas também já obstruíram os republicanos e isso faz parte do jogo político. A obstrução é, sim, resultado de um impasse, mas isso não significa que estão tentando “impedir” o presidente Obama de governar. Até porque, negociar é responsabilidade inerente ao ato de governar. Só não precisa negociar quem possui maioria absoluta no legislativo. Como o povo escolheu como seus representantes uma maioria de congressistas republicanos, é imperativo que a Casa Branca negocie com a oposição, como fizeram outros presidentes no passado. O primado da democracia é a imposição de limites aos poderes da república.

    abs.

  5. Fernando

    -

    23/01/2013 às 15:41

    Caro Roberto, vamos ficar no ponto essencial: você afirmou no seu post que os Republicanos não estão praticando obstrucionismo e não tentando impedir o Presidente Obama de governar? Eu ficaria feliz de examinar a evidência.

  6. Roberto

    -

    23/01/2013 às 14:06

    Caro Fernando, (23/01/2013 às 11:45)

    Me permito algumas observações:

    - Os Republicanos, de fato, possuem uma plataforma política e um conjunto de valores diferentes dos Democratas; não são oportunistas como os petistas que governaram com a plataforma do PSDB após obstruir seus projetos e acusá-lo de elitista e defensor de banqueiros;
    - Os EUA não tiveram um presidente Republicano que fizesse tábula rasa da educação acadêmica ou a louvação da ignorância como sinônimo de sabedoria;
    - O GOP nunca tentou comprar o congresso para ter hegemonia política;
    - Watergate foi coisa de amador, se comparado ao Mensalão, aos Cartões Corporativos, aos passaportes diplomáticos, ao caso Celso Daniel, ao caso Gamecorp, a quebra de sigilo do caseiro, ao dossiê dos aloprados, ao lobby da Erenice, à cooptação de Sarney, Maluf, Renan, Collor, Jáder, etc…;
    - Desconheço que algum presidente dos EUA tenha tentando chantagear um membro da Suprema Corte;
    - Os republicanos não tem proposta para censurar a imprensa independente ou projeto de “democratização da mídia”;
    - Não me parece que o Reinaldo odeie o Obama. Ele só não o idolatra, o que parece herético para os amantes incondicionais do presidente dos EUA…
    - Obviamente, o Reinaldo não critica o PT por fazer oposição quando está na oposição. Ele critica o PT por afirmar que na oposição só fazia “bravata” (frase dita pelo próprio Lula), por ser um partido sem limites na busca do poder hegemônico, por ser antidemocrático, demagogo, hipócrita, populista e corrupto.

    abs

  7. Felipe C

    -

    23/01/2013 às 13:11

    Caro Blinder o senhor escreveu: ” já apareceu uma turba casca grossa dizendo que ele foi leve comigo, hehehe. Falando sério, muita gente descascou o pateta do Caio Blinder…”, citações como essa sobram.

    Não há casca grossas nem patetas, apenas debate de idéias. Se não gostamos dos diferentes pelo menos temos que respeita-los , mais ou menos como dizia o seu Saramago.

  8. Fernando

    -

    23/01/2013 às 11:45

    Amauri, meu comentário foi um tanto off topic mesmo, mas motivado por que vejo ser um comportamento sistemático do Reinaldo Azevedo em criticar no PT – pela tenho mantenho divergências irreconciliáveis – comportamentos que ele reputa como parte do jogo democrático no Partido Republicano. Só isso. A propósito, publiquei o comentário no blog do Reinaldo, educadamente, e não foi publicado…sabe porque? O Reinaldo não gosta quando lhe apontam uma contradição, e parte da mística que lhe envolve, e faz parte do seu negócio como blogueiro, é sempre estar certo, prever o que ninguém viu etc. Ele está certo na maior parte das vezes e prevê corretamente boa parte dos eventos. Mas erra, principamente quando seu ódio ao Obama lhe tolda a visão.

  9. Helder

    -

    23/01/2013 às 9:56

    Muitos climatologistas sérios, não subvencionados por ONGs (ONU) não são nada jecas e questionam cientificamente o aquecimento global, na verdade uma tremenda balela pseudo-científica mentirosa para criar um imposto global (o que não invalida o fato de que uma política ecologicamente correta seja relevante).
    O senhor é tremendamente obamista e se esquece que, sob Obama os EUA tem perdido a força econômica e militar. Talvez o senhor prefira o euroasianismo ou o crescimento do islamismo…
    Pode ser o caso de que o senhor apenas também é anti-americano e globalista (como Obama) e considera os EUA o grande Satã.
    É claro que há indivíduos reacionários e arrogantes entre os republicanos mas os há também (e em larga escala) entre os democratas. Sou totalmente favorável a que haja forte oposição inclusive forte conservadorismo de um dos lados pois é esta polarização que faz a verdadeira democracia.
    Mas os democratas querem a hegemonia,semente do comunismo fascista (que, por exemplo, cresce em toda a América Latina).
    É bom lembrar que O Brasil é um país mais a esquerda do que os EUA (que também vai nessa direção com Obama).
    Aqui seis vezes mais assassinatos do que nos EUA, há uma íntima relação entre PCC, PC do B e PT (vide a vinculação PT-Farc, a submissão ao facínora Fidel e Chávez, à manutenção dos privilégios políticos de um ex-presidente e de um Congresso podre etc).
    A cultura eleitoral assistencialista (que é o modus operandi de Obama e de Lula no Brasil) é o que há de pior para uma nação crescer e se desenvolver.

  10. leonardo carvalho

    -

    23/01/2013 às 0:51

    Caro caio, eu entendi bem o significado, ou seja, a essencia do texto do reinaldo. O sr. Nao pode negar que existe sim obscurantistas dentro do partido democrata e que na democracia americana, o que e bom e que democratas e republicanos facam oposicao um ao outro e taxar os republicanos de obscurantistas e advogar as teses democratas. Adotar tais teses nao e contraproducente, pois na politica nao existe o bem e o mal absolutos.
    Caro Leonardo, David Frum é uma boa recomendacao para este tema, abs, Caio
    http://www.amazon.com/Why-Romney-Lost-ebook/dp/B00A3EOVKS

  11. Wagner Malheiros

    -

    22/01/2013 às 19:51

    Dizer que os Republicanos são intelectualmente inferiores aos Democratas é um triste e patético argumento. Baseado em que esta afirmação? Qual a evidência? A sua “porque morei nos EUA”?
    Você então por ser Democrata é mais inteligente? E menos arrogante?

  12. amauri

    -

    22/01/2013 às 18:32

    Valeu, boa noite e até amanha, se Deus quiser!. abs

  13. amauri

    -

    22/01/2013 às 18:15

    Eis o motivo, caro Caio:
    “e qual o motivo desta pergunta desgalhada? Abs, Caio”
    E para finalizar, quem afirma que o ceticos ao AGA e que os criacionistas estao na idade da pedra, pode dizer qualquer coisa. heheheh
    abs
    Nao exagere, meu caro Amauri, estao um pouquinho antes da Idade da Pedra, chegando lá, abs, Caio

  14. amauri

    -

    22/01/2013 às 17:55

    Caio, no programa M.C. houve algum que teve o tema dos mensaleiros? Se teve voce teve uma opiniao amigavel aos mensaleiros? bs
    Nao tive opiniao amigavel e qual o motivo desta pergunta desgalhada? Abs, Caio.

    Para mim a primeira parte da resposta bastava. abs
    E por que voce voltou ao assunto ? E se voltou deveria dizer de cara que tambem achou um absurdo que o tal leitor na outra coluna disse. Alias, voce viu as outras coisas ditas sobre mim pelos leitores na coluna do Reinaldo? Guarde seu ceticismo para as questoes apropriadas, meu caro Amauri. Abs, Caio

  15. amauri

    -

    22/01/2013 às 17:35

    “Amauri, nao sei se respondo na chacota, se observo a idiotice da questao que voce esta fazendo ou especulo se você está sendo maroto? O que voce acha mais conveniente? Abs, Caio”
    Ninguem é perfeito né Caio. Voce errou e feio outra vez, nas suas tentativas de taxar outro.
    Desde quando uma pergunta feita, diretamente ao outro, pode ser considerada como idiota? No universo liberal? abs
    Amauri, voce que nao rotula ninguem, o que voce acha? Voce acha que eu seria advogado dos mensaleiros? Voce acha que alguem que trabalha para a VEJA seria advogado dos mensaleiross? Voce acha que o Reinaldo Azevedo e Diogo Mainardi seriam meus amigos se eu fosse advogado de mensaleiros? Ajudei na sua busca de conhecimento? Abs, Caio

  16. amauri

    -

    22/01/2013 às 17:21

    Caio, o M.C. é tarde para quem acorda 5 da manha. O reprise começa neste horário porem, tenho outros compromissos. Entrei há pouco na seção de comentários do Reinaldo, e um morador nos EUA que assiste os programas disse que voce adotou uma postura que parecia advogado dos mensaleiros. O motivo é sempre o de buscar conhecimento. abs
    Amauri, nao sei se respondo na chacota, se observo a idiotice da questao que voce esta fazendo ou especulo se você está sendo maroto? O que voce acha mais conveniente? Abs, Caio

  17. amauri

    -

    22/01/2013 às 17:02

    Caio, no programa M.C. houve algum que teve o tema dos mensaleiros? Se teve voce teve uma opiniao amigavel aos mensaleiros? bs
    Nao tive opiniao amigavel e qual o motivo desta pergunta desgalhada? Abs, Caio

  18. amauri

    -

    22/01/2013 às 16:58

    Boa tarde Fernando Lisboa!
    Tentei entender o que voce entendeu. O Reinaldo fez uma “critica” ao Caio por ele “dar” certos conselhos aos republicanos para não se exterminarem, tipo adotar algumas agendas liberais. Se isto ocorrer seria como o PSDB faz oposição ao PT, que nao faz nenhuma. É isto o que ele disse, nao achei no texto algo contraditório. Nao estou dizendo que estou certo e voce errado, peco apenas, se for sua vontade me explicar melhor sua conclusão, quem sabe posso mudar minha opinião. Coloque seu desafio no blog dele. abs

  19. Rodrigo

    -

    22/01/2013 às 16:15

    O GOP pode sabotar um governo democrata; o PT pode destruir a democracia. Eis a minha explicação para recusar a tese de contradição nas opiniões de Reinaldo Azevedo.

  20. amauri

    -

    22/01/2013 às 15:48

    Boa tarde Magno!
    Nao veja como um conselho. Ao invés de voce enumerar criticas com adjetivos negativos aos céticos, por que voce não explica suas conviccoes com bases em dados científicos. Voce sabia que em uma discucao cientifica nenhuma teoria (eles nem começaram com teoria e já foram para a conclusão, bela ciencia) teoria é sacrossanta. Dogma é coisa de religião, não ciência. abs

  21. amauri

    -

    22/01/2013 às 15:41

    Carmem, os ceticos nao tem que provar nada, e nao existe prova do AGA.

    E, efeito estufa e aquecimento global sao diferentes. A prova do AGA nao é a prova de que gazes do efeito estufa causem este aquecimento. Se estiver tendo aquecimento nao é o CO2 o responsavel. Isto é o que os ceticos dizem. abs

  22. Fernando Lisboa

    -

    22/01/2013 às 15:29

    Caio, talvez fosse o caso de você apontar uma contradição essencial do Reinaldo: o PT que fazia oposição sistemática a FHC, e é tão duramente (e corretamente!) criticado por ele, EM QUE é tão diferente do Partido Republicano que faz oposição sistemática a Obama? Duvido e faço pouco que ele tenha uma resposta moralmente defensável.
    Caro Fernando, o Reinaldo fez um segundo post a respeito. Eu não fiz nenhum a respeito. Confesso que não vi muito proposito na abordagem dele, pinçou algo aqui e ali, mas que nem era a essência do texto, que metido a besta dava conselhos aos democratas e aos republicanos, hehehe. Por amizade ao Reinaldo, um dos mais brilhantes polemistas que conheço e pessoa de ótimo humor (comigo), enviei dois comentários, um em cada post, na caixa de comentários, para mim realmente basta. Recomendo que você mande este comentário para a coluna do Reinaldo, mas prepare-se para aguentar uma tropa de choque entre os leitores, mais para “claque norte-coreana”, repetindo palavra de ordem e muito azeda, hehehe, valeu, abs, Caio

  23. Magno Adão de Souza

    -

    22/01/2013 às 13:35

    Os conservadores hostis ao ambientalismo recusam-se terminantemente a reconhecer qualquer fato que avalize cientificamente a existência da mudança climática. A crença é um domínio alheio ao universo da ciência, pois a primeira lida com verdades reveladas ao passo que o último anuncia conclusões submetidas ao teste da falibilidade. Duas ou mais pessoas dispostas a realizar um debate produtivo devem estar dispostas, ao menos em tese, a rever ou questionar seus pontos de vista, pois é inútil discutir com uma parede.

  24. Magno Adão de Souza

    -

    22/01/2013 às 13:15

    Marcio,
    Uma analogia, como você deixou claro ao comparar um galo com um despertador, implica na identificação de características comuns entre dois ou mais entes ou objetos. Não desenvolvi um silogismo – falso ou verdadeiro – ao ressaltar as óbvias afinidades ideológicas existentes entre o Tea Party e a John Birch Society, pois ao assim proceder não me vali de premissas para enunciar uma conclusão a respeito do que quer que seja. Procurei mostrar apenas que os pontos de convergência entre o Tea Party e a John Birch Society são maiores e mais significativos que seus pontos de divergência.

  25. Carmem

    -

    22/01/2013 às 12:50

    Amauri,
    há pesquisas q usam determinados modelos matemáticos q apontam as emissões de gases do efeito estufa como principal causa do aquecimento global. A discussão é em torno desses modelos, se eles são ou não são uma boa representação do comportamento climático. Então acreditar q as emissões são a principal causa do aumento de temperatura é tão válido quanto não acreditar, como nenhuma das duas correntes conseguiu demonstrar ipsis literi q o seu modelo é o certo o assunto esta, como os americanos diriam, open to discussion.
    Esse negócio de dizer q uma corrente é religião pq não comprova de forma definitiva a teoria é tão válido qto dizer q a outra corrente tb se trata de uma religião pq não oferece nenhuma explicação alternativa definitiva.
    abs

  26. amauri

    -

    22/01/2013 às 11:57

    Carmem seu comentario foi após eu reagir ao que o
    Caio disse. Se alguem diz que sou isto ou aquilo por nao acreditar no AGA, entao mostre a prova cientifica do AGA. Mostrando prova as coisas mudam. Repito, acreditar em algo sem prova é fé. Os defensores do AGA afirmam que o CO2 produzido pelo homem é o responsabel, se eles afirmam tem que provar, se nao provar (como nao provam, nao existe prova cientifica. Existe consenso de pessoas ligadas aos liberais) entao torna-se uma religiao, e pior, extremistas que querem enfiar guela abaixo dos céticos. Eu tenho fé, em Deus, eu sinto a existência dele, e nunca tentei colocar minha fé a ateu nenhum. Agora, quando um ateu vem dizer que ateus tem valores melhores que teistas, pode haver debate. Há liberais que acham que os pensamentos deles se forem colocados 100% no dia a dia da humanidade a terra vira um paraíso, dizer o que! Mas, continuo esperando que qualquer defensor do AGA me mostre uma prova cientifica.abs

  27. Alan

    -

    22/01/2013 às 11:48

    Num momento importante para o país o presidente ser obrigado a reverenciar um receituário de bobagens, não dá.
    Pois é substituam a bíblia por um livro que conte a história do pais por exemplo.

  28. Carmem

    -

    22/01/2013 às 11:29

    Amauri, eu expliquei o vamú lá na segunda linha..
    “O q eu quis dizer é q qq um tem o direito de acreditar ..”
    Por exemplo, se vc acha q a a relatividade te permite dizer q é o sol q gira em torno da terra, bom para vc, eu pelo q entendo da relatividade não concordo com essa interpretação. Mas, tudo bem, vc pode ter uma relatividade só para vc.
    Eu não tenho nenhum problema de acreditar q a terra esta aquecendo pq a maior parte das pesquisas científica chegam a essa conclusão. Se o aquecimento esta sendo causado por ação do homem ou não, acho que não esta bem estabelecido, então minha opinião é de q a questão deve ser melhor pesquisada e compreendida, pessoalmente sou cética de q a ação do homem seja o fator principal..enfim, ciência é assim, se vc quiser respostas absolutas e definitivas, não deve se dirigir a cientistas pois o que torna a ciência uma matéria fascinante é justamente o fato de, como dizia Pauli, poder sempre estar errada.
    abs

  29. NOBODY.

    -

    22/01/2013 às 11:17

    E DE MAIS A MAIS QUESTIONAR-SE TUDO, TODA HORA, SÓ POR QUESTIONAR, TORNA-SE UMA PERDA DE TEMPO E ENERGIA.
    É VERDADE QUE NÃO DEVEMOS CRER EM TUDO QUE NOS DIZEM, MAS TAMBÉM NÃO ADIANTA FAZE UMA TESE SOBRE O SEXO DOS ANJOS TODA VEZ QUE ALGUÉM AFIRMAR ALGO QUE NÃO CONCORDAMOS.
    TEM COISAS QUE VOCÊ NÃO CONCORDA E PRONTO. A VIDA CONTINUA.

  30. NOBODY.

    -

    22/01/2013 às 11:02

    EU GOSTEI DO ARGUMENTO DA CARMEM. SE VOCÊ QUER ACREDITAR INCONDICIONALMENTE VOCÊ NÃO PRECISA DE PROVAS. ELA ESTÁ CERTA.

  31. amauri

    -

    22/01/2013 às 11:00

    Amauri, vc não entendeu o meu vamu lá!NAO, NAO ENTENDI, SEJA MAIS CLARA!
    O q eu quis dizer é q qq um tem o direito de acreditar no que quiser independentemente de qq prova.QUANDO ALGUEM ACREDITA É POR QUE JÁ HOUVE PROVA. SEM PROVA É TER FÉ. Pq então vc esta me pedindo prova de alguma coisa se elas não são necessárias? SE VOCE TEM CERTEZA DO AGA SEM PROVAS VOCE TEM FÉ. AGORA SE VOCE ACREDITA, ME MOSTRE A PROVA CIENTIFICA QUE FEZ VOCE ACREDITAR. SE NAO TEM PROVAS VOCE TEM FÉ. VOCE CITOU AMAURI COMO SE EU REFUTASSE PROVAS EMPIRICAS DA TERRA GIRAR EM TORNO DO SOL, EMBORA PELA LEI DA RELATIVIDADE DIZER QUE O SOL GIRA EM TORNO DA TERRA NAO É ERRADO. MAS AFIRMO QUE CREIO QUE A TERRA GIRA EM TORNO DO SOL E QUE A LUZ TEM VELOCIDADE, MAS A VELOCIDADE EXATA AINDA NAO AFIRMARAM.
    abs ABS

  32. Marcio Silva

    -

    22/01/2013 às 10:46

    Magno Adão de Souza – 22/01/2013 às 0:55
    Claro que você não associou as ideias do Tea Party com este ou aquele personagem histórico, na sua tentativa de fazer uma analogia, você só conseguiu um falso silogismo.
    Por analogia você poder criar a falsa imagem de que um despertador e um galo são exatamente a mesma coisa, se nessa analogia fortuita você considerar somente as características semelhantes desses dois entes e ignorar propositalmente as características que os difere.

  33. Carmem

    -

    22/01/2013 às 10:44

    Amauri, vc não entendeu o meu vamu lá!
    O q eu quis dizer é q qq um tem o direito de acreditar no que quiser independentemente de qq prova. Pq então vc esta me pedindo prova de alguma coisa se elas não são necessárias?
    abs

  34. NOBODY.

    -

    22/01/2013 às 9:58

    SERÁ QUE NEM O FATO DA TERRA GIRAR EM VOLTA DO SOL É ACEITO MAIS? EU ESTOU PASMO COM TANTO RETROCESSO.
    SE A BÍBLIA VAI SER NOSSO LIVRO DE REGRAS, DAQUI PARA A FRENTE, QUE AS CRIATURAS CRENTES SIGAM ELA AO PÉ DA LETRA: BASTA DE MORTES E SEGREGAÇÃO.
    OU A BÍBLIA TAMBÉM É MOLDÁVEL PARA CADA CIRCUNSTÂNCIA E GRUPO ÉTNICO?
    ENTENDO QUE O PENSAR É LIVRE, MAS ESTÁ FICANDO UM POUCO RIDÍCULO ESSA TENTATIVA DE RETORNO À REALIDADE MEDIEVAL, ONDE A “PALAVRA DE DEUS” ERA O MOTE PARA SE DETERMINAR QUEM ERA MESTRE E QUEM ERA ESCRAVO.
    TUDO BEM QUANTO AS TEORIAS SOBRE AQUECIMENTO, CRIACIONISMO (É MEIO INOCENTE MAS NÃO É DANOSA), CÉU E INFERNO, E ETC…
    MAS TEM CERTAS COISAS QUE BEIRAM O CÔMICO, COMO A TEORIA DO GEOCENTRISMO. É INOCENTE TAMBÉM, MAS É HILÁRIA.
    SE VAMOS PAUTAR NOSSAS VIDAS PELA RELIGIÃO ENTÃO DEVERÍAMOS VOLTAR NOSSOS OLHOS PARA AS MAIS ANTIGAS. E PROVAVELMENTE SERIAM AS NASCIDAS NA CHINA E NA ÍNDIA.
    MAS NEM ISSO ACEITAMOS. ENTÃO CRIAMOS RELIGIÕES QUE SE MOLDEM AO NOSSO ESTILO DE VIDA.
    É DEMAIS.

  35. amauri

    -

    22/01/2013 às 9:56

    “O mundo gira, caro Amauri,e em torno do sol, abs, Caio”
    Lendo melhor, o planeta Terra para voce é mundo? abs

  36. amauri

    -

    22/01/2013 às 9:40

    “O mundo gira, caro Amauri,e em torno do sol, abs, Caio”
    Voce e a Carmem dizendo mesma coisa, vai fazer eu mudar de ideia.
    Mostre voce tambem a prova que pedi para a Carmem ou seja, qual a prova do AGA. abs

  37. Caetano

    -

    22/01/2013 às 9:33

    Caio, é por textos como este que tu não consegues ter o teu nome na página principal da Veja e sempre aparece na designação “Todos os Colunistas”…
    Sou franco contigo: só leio tua coluna por causa dos comentários e creio que o teu maior mérito é permitir o contraditório dos comentaristas.
    Caetano,sempre recebo destaque na pagina principal de Veja, abs, Caio

  38. amauri

    -

    22/01/2013 às 8:08

    Bom dia Caio!
    Nao vai continuar o bate bola com o Reinaldo?
    Duas pessoas com o mesmo nivel e divergentes debatendo é raro. Isto deveria ser comum pois, enrriquesse o conhecimento da populacao. Mas para o bem dos progressistas e demagogos nao é. abs
    O mundo gira, caro Amauri,e em torno do sol, abs, Caio

  39. amauri

    -

    22/01/2013 às 8:05

    Bom dia Carmem!
    Carmem – 21/01/2013 às 23:04
    “É isso ai Amauri, vc não é obrigado a acreditar q a terra gira em torno do sol nem q a luz, pasme, tenha uma velocidade. Cada um na sua enfermaria!
    Isso é a democracia.
    Vamu lá! Hehehe
    Abs”
    Vamu lá entao! Me mostre a prova do AGA!
    abs

  40. Pedro Bouvetiano

    -

    22/01/2013 às 7:37

    Caio,
    Parabéns a você e ao Reinaldo Azevedo pela demonstração de coleguismo, camaradagem/amizade, respeito mútuo e civilidade em geral. Que sirva de lição aos moleques que volta e meia aparecem por aqui regurgitanto abobrinhas e argumentos ad hominem.
    Isso, caro Pedro, valeu, abs, Caio

  41. Rud Rech

    -

    22/01/2013 às 3:56

    Franklin Martins ou Caio Blinder? Caio ou Frankling? Quem escreve aqui?
    Publicado com fins educacionais. Caio

  42. Queiroz

    -

    22/01/2013 às 3:24

    O assunto é Israel. Em um movimento de expansão política, Naftali Bennett é a grande ameaça ao Likud-Yisrael Beitenu.
    Não será a maioria, mas projeta um segundo ou terceiro lugar.
    Outro fator importante é que ele extraiu totalmente o apoio colono a Lieberman, explorando à exaustão o eleitorado de ultradireita.
    Nessa semana deu-se conta de que até os Israeli-arabs estão indo em massa com Bennett.
    Explica-se: os árabes israelenses estão saturados da política efetuada por seus representantes. Estes, ao serem eleitos, voltam-se a criticar Israel e focam em defender os palestinos, olvidando de se ater ao seu eleitor, que não quer rompimento com Israel, mas sim sua inclusão de forma pacífica e gradual.
    __
    A grande problemática é a seguinte: Confirmados os prognósticos de vitória do Likud, a depender da força de Bennett na eleição, Netanyahu teria que desenhar alguns cenários na montagem da coalizão.
    .
    1- Montar um governo de ultradireita, sendo o Likud o fiador e a ala moderada da coalizão, o que complica a parte de relações públicas, mas terá amplo respaldo do eleitorado;
    2- Costurar um governo de união nacional, convidando Livni, para Relações Exteriores, por exemplo. Porém, Bibi se sujeitaria a possibilidade de Bennett se insurgir contra a presença destes esquerdistas, e ficar à espreita de algum insucesso na interlocução com os Palestinos, Egito, etc, para arrematar a maioria em uma futura eleição.
    **
    Breve opinião: Bennett é um jovem político, tem apenas 40 anos. O segredo da política é não ser afobado, e gradativamente operar avanços com o eleitorado.
    Naturalmente, não poderia crescer pelo eleitorado de esquerda, cada vez mais inexistente em Israel.
    O centro está ocupado pelos moderados e a centro-direita com o Likud.
    Só lhe caberia expandir pela ultradireita, mas que gradualmente vai flertando com outras minorias, como as drusas e árabes.
    Temperando seu discurso, e compondo-se com Netanyahu, poderá ser o defensor de Israel na etapa pós-Netanyahu, no limiar da próxima década.
    ***
    Hoje falará o povo de Israel. Creio que ele dirá “pragmaticamente” que não dá para arrefecer na defesa de sua existência com uma irmandade muçulmana aí ao lado, e com Obama reeleito.
    Obama pode não ser anti-Israel, e eu elogio categoricamente vários de seus gestos, como vetar decisões no Conselho de Segurança, cooperação de tecnologia e equipamentos militares…
    Porém, pró-Israel ele também não aparenta ser.
    Caro Queiroz,de onde voce esta informacao que os arabe-israelenses estao votando no Bennett? Abs, Caio

  43. Queiroz

    -

    22/01/2013 às 3:18

    Indago que, se acaso como você salienta que os Democratas a médio prazo reinarão absolutamente nas eleições, não seria o caso dos Republicanos fazerem valer a réstia de tempo de alguma força dos valores conservadores? É preferível cair sendo coerente, do que ser “pragmático” (eufemismo de egocentrismo político) e trair o eleitorado que o erigiu.
    500 mil votos é um dia ensolarado na Califórnia. Some-se a isso o voto antecipado.
    Este é o debate, caro Queiroz, cabe aos republicanos decidirem, abs, Caio, o pragmatico egocentrico.

  44. Magno Adão de Souza

    -

    22/01/2013 às 2:49

    Caio,
    As gritantes distorções verificadas nas eleições para a Câmara dos Representantes celebradas nos EUA em novembro último reforçaram minha oposição ao sistema eleitoral majoritário. A delimitação e configuração de distritos dá uma grande margem de manobra para os eventuais ocupantes do poder em regimes democráticos, que não raras vezes auferem dividendos políticos à custa da defraudação da vontade dos eleitores livremente manifestada nas urnas. Defendo o voto distrital misto à semelhança daquele existente na Alemanha por considerá-lo capaz, não obstante suas óbvias limitações, de conjurar a paralisia decisória suscitada pela dispersão do voto entre várias legendas e retratar com razoável fidelidade a representatividade das distintas correntes ideológicas que atuam no seio da sociedade.
    Atribuo a vitória eleitoral de Barack Obama não apenas à visível mudança do perfil demografico do povo americano, mas também à inclusiva plataforma eleitoral do presidente americano, que o fez defender o casamento entre homossexuais. A suicida radicalização que metamorfoseou a face do Partido Republicano ao longo das duas últimas décadas alienou largos segmentos da classe média, o que terminou por alijá-lo dos grandes centros urbanos. Os acenos que dirigentes daquele partido fizeram a agrupamentos políticos que não têm pejo em defender ideias absolutamente fora de lugar nos tempos modernos tem-lhes cobrado um preço cada vez mais difícil de ser honrado.
    Caro Magno, bom ter voce de volta, abs, Caio

  45. Carla Pola

    -

    22/01/2013 às 2:08

    Para você nada, Carlos Cezar ( Se é que seu nome é esse mesmo), de qualquer forma não debato com quem encosta as orelhas no teto! Vá estudar sobre os republicanos e aproveite e veja também que a Ku Klux Klan é cria democrata e os direitos civis dos negros só avançaram por causa dos “obscurantistas” republicanos…Não é incrível??? Pois é…Acho que você e o Caio Blinder esqueceram algumas aulas de história, ou os professores eram esquerdinhas…Pois é!

  46. Yes, We Scam

    -

    22/01/2013 às 1:29

    É sério, Marcel, que a MSNBC disse isso?
    Está vendo só, como é malvada a “Mídia Golpista” direitista?
    A MSNBC se juntou a FOX e seu direitismo rancoroso, para falar mal de Obama e dos Democratas. hahaha
    Se alguém não entendeu a ironia, nem mesmo se eu desenhar vai dar para explicar.
    E, Marcel, o Obama não podia esquecer de mencionar o “aquecimento mental”, pois todo pogreçista que se preze é devoto da “Seita do Aquecimento Global dos Santos [Pogreçistas] dos Últimos Dias”, da qual Obama é o “messias” e Al Gore é o profeta.
    O Brasil também tem a sua vestal do templo, a Marina Silva.

  47. Magno Adão de Souza

    -

    22/01/2013 às 1:21

    Correção:
    Onde se lê “déspostas”, entenda-se “déspotas”.

  48. Magno Adão de Souza

    -

    22/01/2013 às 1:17

    A recusa peremptória de conservadores em reconhecer a mudança climática causada pelas emissões de gás carbônico é desprovida de qualquer base científica. Penso que o alarmismo escatológico pregado por ecologistas radicais é menos pernicioso que o desprezo ao meio ambiente propalado por adeptos do liberalismo econômico.

  49. Francisco Pintão

    -

    22/01/2013 às 1:13

    Caro Caio, convenhamos, esse discurso de “perder no voto popular” aparece para sustentar sua tese, mas, há pouco, você mesmo desdenhava do voto popular, afinal o que conta é o colégio eleitoral. E mais, nesse recorte cabe qualquer coisa. Das últimas 6, 4 vitórias democratas; das últimas 9, 5 vitórias republicanas.

    Vale lembrar que hoje é o momento alto do mandato do Hussein. Para dançar, cantar, sorrir, empolgar os abraçadores de árvore e progreçistas, não há ninguém melhor. Para governar, negociar com o congresso, reduzir a dívida…
    Falando em recorte, caro Francisco, seria legal voce pesquisar porque nas eleicoes para a Camara em movembro, os democratas tiveram cerca de 500 mil votos a mais do que os republicanos nacionalmente, mas os republicanos ficaram com 54 por cento das cadeiras. Eu nao discuto as regras, pois os democratas se tivessem ganho no ano 2010 e tivessem o controle de tantas assembleias legislativas teriam tambem recortado os distritos de uma maneira mais conveniente para sua demografia eleitoral, abs, Caio

  50. Marcel

    -

    22/01/2013 às 0:56

    MSNBC- “Da mesma forma que Reagan moveu uma corrente conservativa nos anos 80 Obama quer o mesmo no seu governo mas para o progressismo liberal”
    ..
    MSNBC (??) Será que agora alguém vai discordar, dessa vez não foi a fox.

    E outra, Obama falou sobre o aquecimento global, que lorota.

  51. Magno Adão de Souza

    -

    22/01/2013 às 0:55

    Márcio Silva – 22/01/2013 às 0:11

    Ao traçar um paralelo entre a John Birch Society e o Tea Party procurei realçar a notável semelhança existente entre as visões de mundo por eles professadas. Resta evidente que não associei as ideias do Tea Party com este ou aquele personagem histórico.
    Hitler era avesso a bebidas alcoólicas e Churchill um ávido consumidor de conhaques. Isso não quer dizer naturalmente que os estadistas sejam beberrões incorrigíveis e os déspostas genocidas, abstêmios.

  52. Magno Adão de Souza

    -

    22/01/2013 às 0:39

    Carmem – 21/01/2013 às 23:17

    É sempre um prazer debater civilizadamente com pessoas como você, Carmem. Esgrimir e sopesar argumentos no curso de uma discussão é uma experiência bastante enriquecedora e estimulante a quem se dispõe a defender suas ideias e aprender com o outro. Espero ter mais tempo para frequentar este blog, do qual guardo boas lembranças.
    Abraços.

  53. Márcio Silva

    -

    22/01/2013 às 0:11

    Magno Adão de Souza – 21/01/2013 às 22:52
    O que você disse eqüivale a dizer que:
    “Hitler era sabidamente vegetariano, criou a primeira agencia de proteção ambiental e odiava o fumo….
    Não é segredo para ninguém que os integrantes de proa do partido verde alemão e outros ambientalistas compartilham da mesma ojeriza que seus homólogos da juventude hitlerista e do nacional socialismo”

  54. Marcel

    -

    22/01/2013 às 0:00

    Yes, We Scam você acertou o alvo no centro. 100 pontos.

    Agora, procede que Obama no seu discurso inaugural disse mover os EUA para o progressivismo ? Abs

  55. Carmem

    -

    21/01/2013 às 23:17

    Magno Adão de Souza – 21/01/2013 às 22:52
    .
    Por onde vc andou Magno? Tinha até esquecido de vc.
    By the way, ótimo post.
    Abs

  56. Yes, We Scam

    -

    21/01/2013 às 23:13

    Depois de ler a última contradança do Reinaldo Azevedo, acredito que não preciso falar mais nada.
    Ali está praticamente tudo o que se tem a falar sobre Obama e o culto a personalidade que se fez em torno dele e a certeza fatalista de teses pogreçistas como o “aquecimento global” e a “comprovação” de que “toda objeção a Obam é fruto de racismo de sulistas brancos rancorosos”.
    Hoje, o Reinaldo Azevedo me fez lembrar do saudoso Paulo Francis – mas de forma bem suave, sem nem precisar recorrer ao magnífico “jeito” Paulo Francis de discussão, hehehe.

  57. Carmem

    -

    21/01/2013 às 23:13

    E eles não são. Qualquer “jeca” de Oklahoma defendendo o criacionismo faz menos mal à política americana do que Sarney defendendo Darwin…
    .
    Hehehe, ora se o jeca não estivesse perdendo eleições e o Sarney ganhando eu tb não teria nada contra. O problema é o os jecas acabam perdendo por isso e os Sarneys ganhando não exatamente por isso…
    Abs

  58. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 23:09

    Carlos Cezar, ir adiante é concordar com você, o que não é o caso. Mas sua crítica à invasão do Iraque não é de jogar fora, quando você analisa as consequencias dela, não as intenções que você supõe conhecer.

  59. Danilo R.

    -

    21/01/2013 às 23:08

    *Correção: “middlebrow”

  60. Danilo R.

    -

    21/01/2013 às 23:06

    A esteriotipação dos republicanos feita pelo Caio é de uma preguiça intelectual de fazer o leitor cair no sono por horas. Tanto coisa pra se dizer e ele cai nesse blablablá de liberais “middleblow” americanos, cuja ausência das altas qualidades intelectuais que imaginam ter alimenta esse papo furado autocomplacente e desprovido de bases empíricas.
    Em primeiro lugar, simplesmente não é verdade que os democratas são mais bem educados. Um bom indício disso é a correlação positiva entre renda e voto republicano (http://www.theatlantic.com/business/archive/2012/11/does-your-wage-predict-your-vote/264541/). Nas ciências sociais, o nível de renda é uma ótima “proxy” para o nível educacional do cidadão, pois reflete suas habilidades reais no mercado de trabalho, e não a simples acumulação de anos de estudo.
    Em segundo lugar, se existem eleitores republicanos dignos de riso e esteriotipação, os eleitores democratas não ficam para trás. A diferença é que a mídia gosta de esteriotipar apenas um lado, como fica bem claro no artigo do Caio. Quem não se lembra do caso “Obama Phone” na campanha eleitoral (http://www.youtube.com/watch?v=tpAOwJvTOio)? Como o leitor do blog pode ver no You Tube, trata-se de uma eleitora democrata para lá de estereotipada. Por que o Caio não a usa para esteriotipar os democratas nos piores termos, o que, por esse vídeo, não é muito difícil? Qual a razão de pegar os piores de apenas um lado? Por pegar no pé apenas do “redneck” e não da figura mostrada no vídeo? Eu não espero resposta satisfatória do Caio, pois não há explicação lógica para esse “double speaking” insano, mas seria bom que o leitor tomasse ciência da dimensão da coisa.

  61. Carmem

    -

    21/01/2013 às 23:04

    É isso ai Amauri, vc não é obrigado a acreditar q a terra gira em torno do sol nem q a luz, pasme, tenha uma velocidade. Cada um na sua enfermaria!
    Isso é a democracia.
    Vamu lá! Hehehe
    Abs

  62. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 23:02

    “Concordo, Caio, o que o Rubio fez foi vergonhoso. MAs em 2006 o Obama também votou contra o aumento do teto da dívida. A diferença é que na época não havia risco dela não ser aprovada, então o voto foi mais um protesto”. João Felipe, e se houvesse o perigo de não ser aprovada, o voto de Obama teria sido vergonhoso?

  63. Magno Adão de Souza

    -

    21/01/2013 às 22:52

    A entidade John Birch Society – que se celebrizou por sua rábida agenda ultraconservadora e racista – iniciou uma campanha contra a presença da ONU em território americano em fins da década de 1950 acusando-a de ser um mero instrumento na consecução de um misterioso governo global, o qual teria por escopo principal a propagação do socialismo mundo afora. Não é segredo para ninguém que integrantes de proa do Tea Party compartilham da ojeriza que seus homólogos da John Birch Society devotam ao primado da segurança coletiva corporificado na Liga das Nações e na ONU, aos programas de proteção social urdidos por Franklin Roosevelt e Lyndon Johnson e até mesmo à laicidade do Estado – pedra de toque da Constituição americana de 1787. A circunstância de o Tea Party postular um ideário bastante semelhante ao propugnado pela John Birch Society e instituições afins é um inequívoco sintoma do crescente descompasso entre os republicanos radicais e a sociedade americana. Torço para que as cabeças coroadas do Partido Republicano promovam uma saudável autocrítica e uma ampla reestruturação interna que tenham por norte o resgate do papel social renovador que aquela agremiação política teve em épocas passadas – evidenciado na pregação antiescravagista de Abraham Lincoln e na luta sem quartel de Theodore Roosevelt contra os cartéis – e o abandono de teses francamente regressistas, as quais lhes têm imposto sucessivas derrotas eleitorais.
    Conquanto não nutra demasiado entusiasmo pelo governo do democrata Barack Obama, faço votos para que ele consiga superar as hesitações e contradições que têm travado suas ações nos âmbitos doméstico e internacional e logre promover alianças políticas com republicanos moderados destinadas a viabilizar a aprovação de leis que restrinjam a venda acintosa de armas de fogo nos EUA, facultem tratamento mais digno aos imigrantes – mormente os de origem hispânica – e abram o caminho para a concretização do equilíbrio orçamentário ancorado na justiça fiscal, que, como não poderia deixar de ser, deverá contemplar maior racionalização dos gastos públicos e distribuição mais equitativa da carga tributária.

  64. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 22:50

    Emplaquei o 100 e o 200 hoje!
    Bicampeão, hehehehe

  65. Heitor

    -

    21/01/2013 às 22:33

    Última correção (prometo):
    Bom, então, tudo virou raça, a igualdade entre os homens foi para o saco, mesmo. Pensava eu que esta teoria de diversidade humana não duraria muito, mas a idiotização do planeta fez-nos regredir milhares de anos nos estudos humanísticos. A humanidade desapareceu, pois viramos todos uma diversidade – termo que até hoje só fazia sentido usarmos para as espécies encontradas no microscópio, as amebas, bastonetes, ciliados; ou nas florestas ou oceanos -. Deus criou o homem a sua imagem e semelhança, mas o Homo Sapiens moderno declarou que somos uma diversidade. A terra tem 6 bilhões de anos, mas em algumas décadas regredimos, não para as árvores, mas para os pântanos.

  66. Heitor

    -

    21/01/2013 às 22:23

    Correção:
    Lula dizia a mesma coisa por aqui, que os “outros” – que não eram seus aliados – eram obstrucionistas.

  67. Alan

    -

    21/01/2013 às 22:23

    Gilkid,

    O que é isso meu? vc bateu com a cabeça na quina? chamar a galera do RA pra cá? lá só tem macaco de auditório, só sabem bater palmas. ha ha ha……

  68. Heitor

    -

    21/01/2013 às 22:23

    Lula dizia a mesma coisa por aqui, que os “outros” – que não eram seus aliados eram obstrucionistas.

  69. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 22:18

    Caio, uma vez, acho que em resposta ao Amaury, você tinha falado em darwinismo social dos republicanos, ou que essa designação cabia a alguns republicanos mais radicais. Mas eu gostaria de saber o que dizem os democratas sobre esse capitalismo concorrencial feroz dos nossos dias. Eles defendem esse capitalismo sem problema? Parece que o Walmart destruiu sete rede de supermercados aí nos EUA. Os democratas aceitam esse tipo de prática?

  70. Henrique

    -

    21/01/2013 às 22:09

    Caio, só uma coisa: estou longe do noticiário, como disse, mas o Reinaldo, em texto que responde ao seu comentário (publicado há instantes lá no blog dele) voltou a bater na tecla de motivações raciais que estariam ligadas ao perfil mais agressivo de parte da oposição republicana a Obama, em particular no contexto das últimas negociações tocantes à elevação do teto da dívida. E mesmo não acompanhando tanto os jornais dos últimos dias, não me parece que esse seja o caso – acho que eventuais preconceitos contra o fato de Obama ser negro não exerceram influências tão significativas na postura dos congressistas republicanos. E estou falando dos congressistas, não da população branca e sulista que se diz republicana. Em post recente, o Reinaldo inclusive fez essa ironia: “Os babões no Brasil dizem que os republicanos só fazem isso porque são reacionários, racistas e não suportam o “governo do negão””. Fico com a impressão de que esse caráter racial na oposição republicana não é relevante nem agora e nem desde 2009.

  71. Heitor

    -

    21/01/2013 às 22:03

    Bom, então, tudo virou raça, a igualdade entre os homens foi para o saco, mesmo. Pensava eu que esta teoria de diversidade humana não duraria muito, mas a idiotização do planeta fez regredir milhares de anos de estudos humanísticos. A humanidade desapareceu, pois viramos todos um diversidade, termos que só fazia sentido usar para as espécies encontradas no microscópio, amebas, bastonetes, ciliados; ou nas florestas ou oceanos. Deus criou o homem a sua imagem e semelhança, mas o Homo Sapiens moderno declarou que somos uma diversidade. A terra tem 6 bilhões de anos, mas em algumas décadas regredimos, não para as árvores, mas para os pântanos.

  72. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 21:56

    A RÉPLICA

    Mais uma contradança com meu amigo Caio Blinder — mexeu com ele, mexeu comigo”

    Meu amigo Caio Blinder — “Mexeu com ele, mexeu comigo” — envia um comentário ao post que fiz, em que comento um texto seu. Ele escreve o que segue em vermelho. Respondo em azul.

    Amigo Reinaldo, um prazer ter um texto seu criticando o meu. Sou cívico, como mostra o vibrante debate entre meus leitores.
    Alguns pontos rápidos:
    1) os republicanos estão, sim, perdendo, capital político. Perderam cinco das últimas eleições presidenciais no voto popular. E caso continuem no atual rumo, será o abismo eleitoral. A gente reconversa sobre isto em 2016, hehehe.
    Perder no voto popular, dada a forma como se dá eleição americana, não quer dizer grande coisa, e você sabe disso. Nos EUA, não há grandes lavadas nesse quesito, ainda que um candidato consiga esmagar o outro no colégio, a exemplo do Reagan da reeleição.

    De resto, querido Caio, vamos botar as coisas no seu devido lugar: pensando o que penso, eu poderia estar mais chateado do que você se essa perda dos republicanos fosse real — acho que não é. Por mais que eu admire meu amigo Caio Blinder (e admiro demais!), não o imagino dando discas para que os republicanos se recuperem, hehe… Acho que, se eles fizessem o que Caio acha que deveriam fazer, ficariam bem parecidos com os democratas. Como democratas já os há, amigo Caio, o eleitorado certamente preferiria o original à cópia.

    Cotejo a atuação dos republicanos no EUA com a dos tucanos no Brasil. Quem está mais perto do poder? Com todos os “erros” que a metafísica influente democrata viu nos republicanos, o fato é que eles conseguiram ter um candidato competitivo contra o homem, o mito, o símbolo, a legenda. A oposição, no Brasil, tudo o mais constante, não conseguirá competir com Dilma Rousseff, cavalgando o Pégaso do crescimento de 1%. Uma coisa é questionar a pauta republicana; outra, distinta, e é este é cuidado que se tem de tomar, é questionar o direito de haver uma oposição.

    2) falar em branco, negro, latino, judeu, católico, roxo, marciano no jogo político americano é parte do jogo, não se trata de ação afirmativa, mas do papel dos blocos raciais e étnicos em uma corrida eleitoral e no perfil dos partidos. E é isso mesmo: os alertas sobre o partido se tornar um enclave de brancos sulistas e rancorosos parte inclusive de republicanos (obviamente sem usar o termo rancoroso). O alerta é marcante entre eventuais candidatos presidenciais.
    Sim, é parte do jogo, e eu seria a última pessoa a reclamar disso porque gosto de clareza no jogo político. Mas me parece desonesto intelectualmente — e não estou dizendo que Caio faça isto; sustento que há uma metafisica influente que o faz — que se exijam provas negativas dos republicanos: “Provem que vocês não estão fazendo o que fazem só porque Obama é preto”. Eis a prova impossível, não é mesmo, Caio?, já que o presidente não pode deixar de ser preto — na verdade, mestiço — por algum tempo enquanto se verificam a moral profunda e a pureza das ideias republicanas.

    O sistema não delegou ao Congresso a última palavra sobre o Orçamento prevendo que a questão pudesse ganhar uma coloração racial, Caio. O que veio depois não pode ser causa do que veio antes.

    3) Curioso seu espanto com a expressão “jeca”, era típica do seu querido Paulo Francis, ao se referir ao casal Clinton, de Arkansas, das bandas de Okhaloma.
    Sim, Caio, o meu querido Paulo Francis. Seu também, certo?

    E, de fato, acho um atraso que setores de um dos dois grandes partidos ainda estejam discutindo teoria da evolução, aquecimento global (que não vejo desmentido no seu artigo) e variadas teorias conspiratórias (desde o nascimento queniano de Obama ao fascismo-comunismo de organizações multilaterais)
    Abração, amigo Reinaldo, e beije minha querida São Paulo por mim, Caio
    Eu não tenho competência técnica para desmentir o aquecimento global. Comecei a me interessar pelo assunto quando percebi que as previsões repetiam o Apocalipse de São João. Há gente muito mais competente do que eu que demonstrou a falência dos modelos teóricos, o que levou o “pensador de Gaia”, James Lovelock, a fazer o seu “erramos”.

    Caio sabe que não entendo nada de aquecimento global, mas também sabe que Richard Lindzen entende muito. É professor de Meteorologia do Massachusetts Institute of Technology (MIT) e já publicou mais de 200 livros e artigos científicos. Foi o líder do capítulo científico do Terceiro Relatório de Avaliação do IPCC, de 2001. Resumiu tudo numa frase que me parece emblema destes tempos: “Al Gore acredita no aquecimento global porque as pessoas acreditam, e as pessoas acreditam porque Al Gore acredita”. Já escrevi alguns posts sobre ele. Aqui, há uma longa aula em que caracteriza devidamente a histeria. Lindzen não é de Oklahoma. Nasceu em Webster, em Massachusetts. Não sei se é republicano ou se era eleitor de Mitt Romney. Sua ciência não parece partidária.

    Há republicanos que debatem a origem queniana de Obama e outros que defendem o ensino do criacionismo? Há, sim. De saída, não dá para confundir isso com críticos sensatos das teorias do aquecimento global. Mas noto que não faltam esquisitices e particularismos também aos democratas, não é? A questão é saber se ficamos no mérito ou na caricatura.

    Eu acho que o regime democrático está mais seguro com republicanos vigiando democratas (e vice-versa quandeo for o caso) e fazendo valer a sua maioria na Câmara para negociar, sem espaços para cooptação — ainda bem que não há Calheiros e Alves por lá. O fato de haver republicanos que defendem que se substitua Darwin por Adão e Eva — há democratas que acreditam nas virtudes criativas da maconha, e nem por isso são caracterizados como um bando de maconheiros — não muda as prerrogativas do Congresso.

    O que eu estou sustentando é que, numa sociedade aberta, com a qual alguns obamistas parecem não se conformar (não é o caso de Caio), os antagonistas se entendem na defesa do regime. E só se pode ser um democratas realmente convicto porque há republicanos convictos. O que repudio, meu amigo Caio, é que se tenha começado a considerar um defeito o que é uma virtude da política americana. Vício é o PMDB. Vício é uma oposição incapaz de dizer é bola ou bule.

    Tomo sempre cuidado para que não fique parecendo que os americanos têm o que aprender com Brasil em matéria de conciliação política. O Brasil só vai sair da lama quando aprender um pouquinho com os americanos o valor da convicção. Ou, daqui a pouco, vamos começar a achar que José Sarney e Renan Calheiros são, de fato, importantes para o Brasil.

    E eles não são. Qualquer “jeca” de Oklahoma defendendo o criacionismo faz menos mal à política americana do que Sarney defendendo Darwin…

    Por Reinaldo Azevedo
    HEHEHEHE

  73. Joao Felipe

    -

    21/01/2013 às 21:51

    O Gilkid sonhando com os leitores do Reinaldo por aqui…
    Pelo nível dos comentários dessa última coluna, melhor que eles fiquem por lá mesmo. Pelo menos vão encontrar um monte de gente que concordam com eles e ficarão satisfeitos.

  74. Heitor

    -

    21/01/2013 às 21:39

    Desconheço a metáfora dos “Helicópteros Pretos da Onu”, o que significa?

  75. Joao Felipe

    -

    21/01/2013 às 21:38

    Ele precisaria abandonar sua base teapartista, caro Joao Felipe,nao sei se faria isso, basta ver sua recente votacao sobre fiscal cliff, ao contrario do Paul Ryan, abs, Caio

    ……..
    COncordo, Caio, o que o Rubio fez foi vergonhoso. MAs em 2006 o Obama também votou contra o aumento do teto da dívida. A diferença é que na época não havia risco dela não ser aprovada, então o voto foi mais um protesto. Mesmo assim, isso prova que isso não impede que Rubio possa ser um forte candidato em 2016.

  76. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 21:33

    Alan, às 20h52.
    No alvo.

  77. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 21:29

    Acreditava eu que você fosse mais adiante do que isso, Rodrigo. Não é possível comparação entre IIWW e a invasão do Iraque. Estou decepcionado.

  78. Yes, We Scam

    -

    21/01/2013 às 21:27

    Analisemos a cabeça do carlos cezar:
    Saddam Hussein era um louco psicopata que havia chacinado 300 mil curdos com uso de armas químicas; iniciado a guerra Iran-Iraque; invadido o Kuwait para se tornar o barão do petróleo do Oriente Médio e evitar ter que pagar suas divídias de guerra que ele tolamente contraiu tentando derrotar os exércitos persas.
    Dick Cheney sabia (Bush nunca foi o cérebro da operação, disso todos sabemos) que o Iraque não era a maior ameça de apoio ao terrorismo, mas esperava que ao atacar o Iraque obteria apoio da população local, de maioria shiita, humilhada pelo regime de Saddam, e que os curdos dariam apoio total aos americanos, ao se verem livres do genocida Saddam, que sempre quis eliminar os curdos para se apossar das riquezas petrolíferas no norte do Iraque.
    ..
    Além do mais, ao atacar o Saddam Hussein, isso daria um recado aos governos vizinhos no sentido de que os Estados Unidos não permitiriam mais que eles apoiassem os terroristas.
    Nesse aspecto, isso deu resultados com os governos mais seculares, como os da Líbia e da Síria.
    Kadafi ainda apoio o terrorismo por alguns anos, ajudando terroristas líbios de Benghazi a lutarem contra soldados americanos no Iraque, mas depois, com medo de ser o próximo a ser pego pela carrorinha de recolhimento de cachorros do “JorgiBúxi”, ele parou de financiar os terroristas e começou a colaborar com a CIA para prendê-los.
    O Bashar Assad, que ao contrário do pai sempre foi pouco afeito aos assuntos militares e tinha reduzido ainda mais o apoio sírios ao terrorismo internacional, viu que era hora de não se meter nesse vespeiro, se não quisesse sair picado (ainda mais sabendo que não era bem quisto pela população sunita), e por isso reduziu ao mínimo as ligações da Síria com o Hezbolláh.
    ..
    No Iraque, os curdos realmente apoiaram os EUA, talvez na esperança de ver nascer o Curdistão (esperando assim que os EUA não agissem como a Inglaterra no começo do século 20, que traiu vergonhosamente os curdos para assim não diminuir seu domínio sobre os árabes – como já foi dito por vários escritores no começo do século 20, a Inglaterra é o maior país árabe do mundo).
    Os shiitas que habitam o populoso sul do Iraque sentiram-se felizes com a saída de Saddam, mas a rebelião tresloucada do Muqtad al-Sadr mostrou que a atuação americana no Iraque não seria o mar de rosas imaginado por Cheney.
    Para piorar as coisas, Cheney havia se recusado a colocar na equação a presença maciça de terroristas estrangeiros.
    Cheney imaginava que era só derrotar Saddam e os EUA teriam o Iraque sob controle, com o assentimento das população curda e shiita.
    Cheney se negava, como a política american se nega até hoje, seja ela republicana ou democrata, a incluir na equação a Arábia Saudita e os países do Golfo Pérsico ligados à ideologia wahabista, o que é inacreditável, pois a maioria quase absoluta dos terroristas do 11 de setembro eram oriundos da Arábia Saudita, ou foram condicionados a integrarem o terrorismo internacional ao frequentar mesquitas financiadas pelo governo saudita e controlas por autoridades “religiosas” sauditas.
    ..
    Depois do 11 de setembro, os EUA deveriam dar uns tiros no Afganistão e, logo em seguida, mais alguns tiros na Arábia Saudita.
    Mas os americanos não quiseram provocar briga com todo o mundo islâmico e preferiram deixar os sauditas livres para agir.
    Com a invasão do Iraque, os sauditas viram que era chegada a hora de espalhar a revolução wahabista por todo o mundo islâmico, e sabiam que os EUA não iriam fazer muita coisa para atacar a origem do comando wahabista, pois o petróleo saudita servia de chantagem.
    A grande potência americana, chantageada por um bando de malucos de uma dinastia fajuta oriunda das partes mais desérticas da Península Arábica, que tomou o poder depois da Primeira Guerra Mundial com base em uma ideologia wahabista totalitária, da qual todo muçulmano deveria sentir vergonha, pois, por mais males que o Islamismo tenha, o wahabismo simplesmente põe por terra qualquer tentativa de entendimento. Os aventureiros europeus que se aventuraram pela Península Arábica no século 19 sempre deixaram claro que os wahabistas eram uma seita doidivanas violenta, a mais violenta de todo o mundo muçulmano.
    Arábia Saudita, Catar, Líbia (nos primeiros anos) e outros países árabes e muçulmanos encheram o Iraque de terroristas jihadistas islamistas supremacistas sunitas.
    Esses “democratas” transformaram o país em um inferno.
    Para cada civil iraquiano morto por bombardeios e ações de tropas americanas, os “queridos” rebeldes iraquianos matavam outros cinco civis iraquianos.
    ..
    Um bombardeio americano matou 15 civis iraquianos?
    Sem problema. Os rebeldes iraquianos – que não eram só iraquiano, mas também sauditas, jordanianos, sírios (os mesmos que agora tentam derrubar Assad), líbios, egípcios, paquistaneses etc. amarravam alguns quilos de explosivos ao corpo, ou, ainda melhor, carregavam um carro com explosivos, e explodiam seus “fogos de artíficio” em meio a grandes concentrações de civis iraquianos, matando várias dezenas de pessoas, com 70, 80, 100, às vezes 140 mortos.
    A especialidade dos terroristas iraquianos era explodir bombas em meios a centenas de pessoas que estavam acompanhando um velório.
    Os terroristas se aproveitavam da presença de centenas de pessoas em um pequeno espaço e os enviavam mais cedo para Alláh, certamente “pensando” que estavam fazendo-lhes um favor, pois, já que estavam chorando a morte de um parente ou amigo, matá-los era um favor prestado pelos terroristas para aliviar seu sofrimento e juntá-los (o morto que estava sendo velado e os seus parentes e amigos) mais rapidamente no além-túmulo junto a Alláh.
    ..
    Não te avisaram, carlos cezar, que mais de 70% dos civis iraquianos mortos desde 2003 foram mortos por ações terroristas?
    Não foram “uzamericanus” nem o governo iraquiano os maiores responsáveis pelor mooricínio, mas os rebeldes “democratas” supremacistas sunitas wahabistas.
    Ah, mas isso não impora, né? O importante é falar mal do “Jorgi Búxi” e sua “gangue” que deve “ser condenada pelo tribunal de Haia”.
    A invasão do Iraque foi errada porque não se colocou na equaçao que a Arábia Saudita, o Catar e seus parceiros wahabistas no Golfo Pérsico não dariam a mínima para a perceria com os Estados Unidos, e financiariam os terroristas que iriam atacá-los no Iraque.
    Pensou-se que, já que nenhum governo vizinho gostava do Saddam Hussein, a guerra duraria pouco tempo.
    Realmente, os governos vizinhos não gostavam do Saddam, mas gostavam e gostam ainda menos dos EUA, e os supremacistas sunitas não deixariam de jeito nenhum que se formasse um Iraque estável governado pela maioria shiita.
    Ah, mas o pogreçismo impede o carlos cezar de ver coisas tão simples assim.

  79. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 21:23

    Não há pra onde correr, jecas, matutos, tabaréus, caipiras é particamente exclusividade do GOP,
    E IMBECIS É EXCLUSIVIDADE POGRECISTA, NÃO HÁ PARA ONDE CORRER.

  80. Tiago Bana Franco

    -

    21/01/2013 às 21:11

    Caio, saia dos clichês. Está chato.

  81. Alan

    -

    21/01/2013 às 20:52

    Não há pra onde correr, jecas, matutos, tabaréus, caipiras é particamente exclusividade do GOP, só que essa gente será confrontada. por grandes mudanças que deverão ocorrer nos próximos 4 anos e isso leverá ao questionamento de suas próprias convicções e a procurar um novo caminho. O GOP pode tentar resistir mas não sairá incólume.
    Essa tese de que o americano detesta o estado é valida, pra qualquer lugar, desde que seja farto em oportunidades. Se estas declinam, como esnobar uma mão estendida?

  82. Luiz Pereira

    -

    21/01/2013 às 20:51

    Caio, boa noite,
    Uma das coisas que o Reinaldo sempre argumenta, qdo fala de republicanos “durões”, etc., é a de que eles estão, defendendo pontos de vista de eleitores que os colocaram lá. Não estão corretos?
    Podemos dizer o mesmo do Brasil: se existem Collors, Renans, sarneys (me desculpe, esses, sempre escrevo em minúsculas), Lulas e quejandos, é pq os eleitores os colocam em posição de mando.
    É bem verdade que, aos contrário dos EUA, aqui o rodízio de políticos por partidos é um absurdo. Isso não acontece aí, qdo dificilmente um democrata se bandeia para o lado republicano e vice-versa, sem uma forte razão.
    Também por aqui, os megarefes se elegem prometendo uma coisa e se esquecem de 99% do que prometeram ao tomar posse. Por aí, os caras geralmente tomam cartão vermelho.
    Mas então, voltando ao princípio, é errado os republicanos defenderem os votos de quem os elegeu, tendo em mente que o eleitor americano geralmente não se esquece quem elegeu?
    abs

  83. JLuis

    -

    21/01/2013 às 20:42

    Caro Caio, posto aqui o que postei lá no blog do Reinaldo.
    Dá gosto de ler 2 colunistas de ESCOL. Sempre no mais alto nível e respeito debatendo opiniões. Gostaria que isso contagiasse o povo na internet (mundo virtual) e se espalhasse no mundo real.
    Forte abs.

  84. Gilkid

    -

    21/01/2013 às 20:29

    Thiago Braga – 21/01/2013 às 18:53 “Aproveitando a ocasião: Reinaldo Azevedo no Manhattan Connexion já!!Ia dar uma senhora turbinada no time que já é formidável.”
    ____________________________
    Eu vim prá pedir o mesmo, nem que seja como entrevistado especial.
    .
    Ps. frequentadores do blog do RA: sejam bem vindos, e não reparem nas birras das viúvas do Saddam ;) elas fazem parte da fauna amestrada pelo BLINDER.
    Publicado com fins educacionais. Caio

  85. amauri

    -

    21/01/2013 às 20:17

    ” consenso da comunidade cientifica ” Incrivel como evolucionistas usam e abusam de consenso. consenso nao é nem evidencia, consenso cientifico é uma fé. Voces acham a fé religiosa furada por que nao tem experimento empirico. E tem fé em consenso do AGA. Minha nossa. Realmente no sou climatologista, nem economia, nem outra coisa qualquer, isto nao me obriga a embarcar em qualquer barco. abs

  86. Pedro

    -

    21/01/2013 às 20:13

    Péssimo Caio, péssimo.

  87. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 20:13

    Carlos Cezar, uma monstruosidade pode nascer de um erro, mas como efeito. Para comparar: O extermínio de 6 milhões de judeus não foi um efeito colateral da II guerra mundial, foi uma política de estado. As mortes no Iraque são consequência da guerra e do terrorismo, não uma política deliberada de Donald Rumsfeld.

  88. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 20:12

    Ih, lá o W M com o ramerrão dos menos nutridos intectualmente falando. Veio pra fazer dupla caipira com C P. Maracanã, gente, é isso aí! Em todo caso, Beatles, Stones e Pink Floyd também estiveram lá. Espera… Beatles, não… Stones em Copacabana… Roger Waters onde? O velho Paul, nem me lembro. Mas é genial.

  89. Carmem

    -

    21/01/2013 às 20:06

    E sem ironia, foi um meus artigos mais camaradas com o GOP, abs, Caio
    .
    Da minha parte não achei nada insultuoso. Mas não creio q vá levar mais de uma decada para o GOP se renovar, não é possível q aquele vexame q foram as primarias e a posterior derrota não tenha acendido uma luz no comando central – no sentido tb de mais chegado ao centro.
    Abs

  90. Carmem

    -

    21/01/2013 às 20:03

    É YWS, e vc? Tb esta na seita do darwinismo ou tb escapou dessa empulhação? Me conte, de q outras teorias cientificas vc escapou com a sua visão reacionária ( no sentido de anti-progressista)?

  91. Wagner Malheiros

    -

    21/01/2013 às 19:55

    Até ia escrever algo, mas depois que li o que o “Yes, We Scam” – 21/01/2013 às 19:47 – escreveu, parei. Ele deu todos os cascudos intelectuais que o pogreçista Caio merece.

  92. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 19:55

    Não foi “apenas” um grande erro, Rodrigo. Sejamos claros. Foi uma monstruosidade. O Afeganistão era uma presa legítima, abrigava terroristas. Invadir e pegar os terroristas era o certo. Mas o Iraque?
    Nada havia que justificasse uma invasão ao Iraque. Foi um crime contra a humanidade. Mortos? Centenas de milhares. Mutilados? Dezenas de milhares. Refugiados? Milhões. Órfãos? centenas de milhares. Esses órfãos culpam a administração republicana. Os pais americanos irão cuidar desses milhões de órfãos??? Irão adotar? Irão acompanhar o desenvolvimento intelectual/espiritual deles??? Quem irá cuidar dos milhões de refugiados??? É possível enxergar a extensão da catástrofe??? É muito difícil???

  93. Yes, We Scam

    -

    21/01/2013 às 19:47

    Na semana passada, eu comentei aqui que as duas maiores empulhações inventadas e incessadas por todos os cantos nesses início de século 21 eram:
    - em primeiro lugar disparado, a manipulação vigarista da “Seita do Aquecimento Global dos Santos [Pogreçistas] dos Últimos Dias”. Essa é a maior empulahção e vigarice da história humana, definitivamentte “hors concours”.
    - em segundo lugar, a bobajada da “primavera árabe” e o apoio doidivanas aos jihadistas islamitas terroristas da Al Qaeda, Ansar al Sharia e assemelhados, junto com seus agentes políticos de fachadada Iramandade Muçulmana – na Líbia, na Síria e no Egito.
    ..
    Pois bem, o que eu ouvi do dono deste boteco?
    Que eu estava misturando as coisas, que não havia motivo para escrever sobre o “aquecimento global”, mesmo que apenas de passagem, como eu fiz, em apenas uma linha.
    E, hoje, o dono do boteco vem fazer o quê?
    Nos brindar com a “inevitabilidade do aquecimento global”, e dizer que esse embuste farsante é “arquiprovado” e que quem disser o contrário é “atrasado, caipira, jeca”.
    Oh, yeah. Daqui a pouco vai repetir o que os outros pogreçistas ambientalóides já disseram: Quem não concordar com as teses vigaristas do “aquecimento global” é um criminoso, pois negar a existência do “aquecimento global antropológico” é como ser um negacionista do holocausto.
    No final de dezembro do ano passado, um “companheiro de viagem” da Revolução Aquecimentista Global (uma paródia da Revolução Comunista Global, da União Soviética) sugeriu que se aplique a pena de morte aos “negadores do aquecimento global”.
    Ele não foi o primeiro e nem será o último.
    ..
    Eu bem que desconfiava que o obamismo do Caio era grave.
    Que pena, meu caro Caio, que você foi mais um a entrar para a seita do “aquecimento global”.
    Eu prefiro entar par a seita da Cientologia, aquela extravagância do Tom Cruise e do Hubbard, do que para a seita do “aquecimento global”.
    Disparado, a seita do “aquecimento global” é a maior loucura já inventada pela humanidade.
    Tem que ser muito pogreçista – mas muito mesmo, tem que ser obamelete bem batido – para não se dar conta de que está fazendo papel de trouxa e acreditar nas teses mais anti-científicas da história humana inventadas pela turma do “aquecimento global”.
    Não consideram estranho que o mito da “deusa Gaya” seja acreditado com tanto fervor pelos pogreçistas, que jogam toda a análie científica séria para debaixo do tapete para assim conseguir sustentar a tese vigarista do “aquecimento global antropogênico”, ao mesmo tempo em que esses pogreçistas dizem que são os “seres mais racionais e lógicos do universo” e que os conservadores é que são os “seres atrasados que acreditam nessa coisa inventada chamada Deus”?
    ..
    Pois é, pogreçismo tem sempre razão. Não peçam coerência para o pogreçismo, pois isso só deve valer para os conservadores.
    Pogreçista deve ser livre para sonhar e se embriagar em seus delírios e devaneios…
    Pogreçista pode dizer orgulhoso: “Yes, We Scam!”

  94. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 19:46

    Carlos Cezar, entendo sua opinião, mas não vou dar aqui um exemplo do que eles escrevem, fica a dica: Como debater com gente que deseja sua morte, que lhe deseja câncer no cérebro, que faz comentários sobre sua vida sexual? Como o Reinaldo vai abrir espaço?

  95. Carmem

    -

    21/01/2013 às 19:45

    Oi Caio,
    Pelo visto hoje vc terá várias confirmações da sua tese do jeca rancoroso q infelizmente tb é parte do GOP, admito.
    Mas esse esbirro passa, e o GOP saberá se reinventar. Sempre fez isso.
    Abs
    Jecas rancorosos e jecas rancorosas, hehehe, abs, Caio
    E sem ironia, foi um meus artigos mais camaradas com o GOP, abs, Caio
    PS- mas a reinvencao nao pode levar uma geracao, os democratas depois do desastre McGovern em 1972 esperaram ate a reinvencao com o Clinton no comeco dos anos 90, devo voltar a este tema da reinvencao, abs, Caio

  96. Icaro sem penas

    -

    21/01/2013 às 19:42

    Beleza Americana – o filme defendia a tese de que qualquer um que more no subúrbio dos EUA é um ser vazio,um completo imbecil. pelo simples fato de morar lá. Já quem mora em NY é antes de mais nada um cara cool e inteligente. Idem. Esse filme não está sozinho.E voz corrente em Hollywood e em boa parte da mídia que a vida é assim.
    A politica dos EUA, e os comentaristas políticos,se parecem com uma beleza americana elevada a potencia mil.Isso explicita a divisão do pais em grau preocupante.Um jornalista democrata ( partido ) convicto, ardente em sua paixão,aconselhava ao vivo e a cores pelo Manhattan Connection, Obama a não fazer acordo nenhum com o congresso, deixar a coisa explodir de uma vez – pois então todos jogariam a culpa nos republicanos. Essa é mais prefeita tradução do que o Caio falou sobre destruir a aldeia etc e tal. Radicalismo. De parte a parte. Essa é a palavra do momento que se aprofunda. A coisa vai mal.

  97. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 19:40

    Costumo me alinhar com as opiniões dos dois em quase todos os assuntos, menos sobre Israel com o Caio, e as fantasias religiosas do Reinaldo.
    Afinal, ninguem é perfeito, muito menos, eu.
    BOM COMENTÁRIO MESMO.
    EU CONCORDO COM O MENOS DO RA.
    DO DONO DO BOTECO SÃO MAIS “MENOS”S QUE VOCÊ, HEHEHEHEHE

  98. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 19:38

    Carlos Cezar, de novo me repetindo, não creio que a invasão do Iraque tenha tido como objetivo fazer entrar dinheiro para os cofres de algumas empresas. Sim, empresas atuaram no Iraque, lucraram, mas não creio, sinceramente, que Bush, Cheney e Rumsfeld tinham o propósito de assaltar o país. Mas dizer que a invasão foi um grande erro é uma opinião bem razoável.

  99. ricardo salazar

    -

    21/01/2013 às 19:38

    é rodrigo,mas se eu criticar a rede globo aqui,tem coisa que o caio não publica e não argumenta,mesmo com links.ele falou que não existe crianças presas em israel,eu mostrei links sobre crianças palestinas presas no blog dele e ele bloqueou o meu comentário.só isso já torna o blog do reinaldo parcial.

  100. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 19:34

    Estou sem paciência, hoje.
    Mas a carla pola é u’a gracinha.
    O que mais você tem a dizer, c p ?
    Você ser tão inteligente…
    eheheheheheheh…..

  101. Robson La Luna di Cola

    -

    21/01/2013 às 19:34

    Já mandei fazer os “buttons”, e estou distribuindo para a galera: “Reinaldo Azevedo no Manhattan Connection”

  102. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 19:33

    Rodrigo, esse tipo de argumento que você usa só denigre um possível retorno à democracia. Essas posturas, de querer impedir demonstrações de ideias contrárias, se adequava melhor à Idade Média (O Nome da Rosa). Hoje temos de primar pela liberdade do debate. Sem permitir o desrespeito à sociedade e ao modo de vida de cada um, obviamente. Isso é democracia – liberdade/maturidade. Suprimir debates temendo contradições não será a marca do melhor desenvolvimento humano.

  103. Carla Pola

    -

    21/01/2013 às 19:27

    Você deveria aprender a ler mapa antes de dizer que os republicanos estão perdendo capital político…Esse é um deles.

    http://oglobo.globo.com/infograficos/eleicoes-americanas-tempo-real/

  104. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 19:21

    Carlos Cezar, acho que não se pode comparar o blog do Reinaldo com a coluna do Caio. Se o Reinaldo abrir espaço para o debate, os petralhas vão vir em peso, e você nem imagina o que eles escrevem. Não é apenas baixaria, são ataques à vida pessoal que eles dizem conhecer, não apresentam prova nenhuma, não oferecem link de matéria, nada, é só agressão. Mas no blog do Reinaldo já li elogios de leitores dele a Barack Obama, por exemplo, aos democratas, já li comentário favorável ao aborto etc.

  105. Carla Pola

    -

    21/01/2013 às 19:21

    Saudade do Paulo Francis! Saudações do “obscurantista” Abraham Lincoln…Talvez se os republicanos não tivessem dado liberdade e garantias civis aos negros os “bons” e “progressitas” democratas ainda os estariam escravizando e um negro jamais seria presidente da república por lá (mode ironic)…Você é patético, para dizer o mínimo!
    Você está precisando levar outra surra do Olavo de Carvalho, isso sim!

  106. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 19:20

    Ih, o JRM quer destruir a Cisjordânia!

  107. Robson La Luna di Cola

    -

    21/01/2013 às 19:20

    Renato, 18:37 -
    “É engraçado que qualquer um aqui que acha isso, se fosse morar nos Estados Unidos, escolheria um estado democrata, como New York ou Massachussets, não um dos estados republicanos do midwest.”
    Você tem razão, Renato. Eu também escolheria. A gente entra no país com um passaporte turístico ( que é o que você consegue ) e depois a gente imigra ilegalmente para os EUA. E não precisa trabalhar. Basta requisitar auxílio moradia, alimentação e saúde, e… votar nos candidatos Democratas!

  108. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 19:18

    Essa eu não entendi, Rodrigo. A ditadura iraquiana massacrava inocentes. Até aí, tudo certo. É uma verdade. Agora, usar isso pra instalar um governo militar, violentíssimo e corrupto durante oito anos, continuando o “massacre dos inocentes”, é o quê?
    Vamos pensar um pouquinho, meu caro?
    Abs.

  109. J.R.Monteiro

    -

    21/01/2013 às 19:17

    Só para situar, eu vivo na America há mais de 14 anos e venho lendo, e as vezes enviando comentários aos dois, Reinaldo e Caio, ha bastante tempo. Não tenho a assiduidade nos comentários, que gostaria, pois ainda tenho que trabalhar.
    Os dois são honestos, bem intencionados e verdadeiros jornalistas, prestando contas sómente às suas consiências.
    Com estilos diferentes, são combativos e tenazes.
    O Caio é mais flexivel, e paciente interage com a audiência, o Reinaldo mais duro e irritadisso, escreve abundantemente e não tem tempo, e quiça saco, para essas interações.
    Costumo me alinhar com as opiniões dos dois em quase todos os assuntos, menos sobre Israel com o Caio, e as fantasias religiosas do Reinaldo.
    Afinal, ninguem é perfeito, muito menos, eu.
    Comentario bacana, caro J.R. abs, Caio

  110. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 19:15

    Ih, não basta o ney ou a macaca repetindo a todo momento que esteve em L.A. O maisvalia também é um admirador de divulgar as viagens. Ok, rapaziada, eu já estive em Buenos Aires, Santiago do Chile, New York e Veneza. Vocês visitaram o quê???

  111. Henrique

    -

    21/01/2013 às 19:14

    Muito produtiva a troca de ideias entre o Reinaldo e o Caio. Seria bacana se fosse mais frequente.
    PS: sobre o aquecimento global, era cético também – mesmo sendo leigo no assunto. Porém, quando a Nasa entrou no assunto de forma mais aprofundada, virou obrigação, pra mim, pelo menos, admitir a possibilidade de que o aquecimento global é mesmo uma tendência real. Segue um trecho de texto da Nasa abaixo, com o link.
    “There’s always an interest in the annual temperature numbers and on a given year’s ranking, but usually that misses the point,” said James Hansen, the director of GISS. “There’s substantial year-to-year variability of global temperature caused by the tropical El Niño-La Niña cycle. But when we average temperature over five or ten years to minimize that variability, we find that global warming is continuing unabated.”
    January 2000 to December 2009 was the warmest decade on record. Throughout the last three decades, the GISS surface temperature record shows an upward trend of about 0.2°C (0.4°F) per decade. Since 1880 — the year that modern scientific instrumentation became available to monitor temperatures precisely — a clear warming trend is present, though there was a leveling off between the 1940s and 1970s.
    http://climate.nasa.gov/news/249
    Henrique, eu teria o treco, heheeh, o Reinaldo tem folego e escrevo muito e eu escrevo menos para tambem poder conversar com os leitores, se escrevesse mais haveria menos tempo para os leitores, abs, Caio

  112. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 19:12

    Carlos Cezar, como? Dizer que o Diogo Mainardi “é outro que facilmente se mostra deslumbrado com invasões, ataques e massacres de inocentes, assim como o Reinaldo”? Acho que, no caso da invasão do Iraque, o Diogo a defendeu porque Saddam Hussein atacava e massacrava inocentes.

  113. ricardo salazar

    -

    21/01/2013 às 19:05

    o debate sobre o orçamento foi adiado a 2 meses: http://www.newstatesman.com/politics/politics/2013/01/leader-fiscal-cliff-has-not-been-averted-just-postponed (e o último impasse foi de 18 meses).naturalmente republicanos vão pressionar: http://www.nytimes.com/2013/01/15/us/politics/obama-to-press-house-gop-on-debt-limit.html?_r=0 .temos a questão imigratória: http://www.nytimes.com/2013/01/13/us/politics/obama-plans-to-push-congress-on-immigration-overhaul.html?_r=0 ,a china ganha com a crise em juros: http://www.bbc.co.uk/news/uk-20896688 http://blogs.wsj.com/chinarealtime/2010/10/18/china-shows-unease-with-prospect-of-quantitative-easing/ , http://emergingmoney.com/politics-markets/china-to-invest-in-western-infrastructure-can-euro-bonds-be-far-behind/ e http://www.forexpros.fr/analysis/eur-usd-:-soulagement-apr%C3%A8s-l%27%C3%A9pilogue-heureux-du-fiscal-cliff-21811 embora não a longo prazo.os republicanos já reconhecem que o calote é o único meio de sair desta situação: http://www.zerohedge.com/news/2013-01-14/more-half-republicans-prepared-let-us-default ,e o pessimismo no mercado é forte: http://www.cnbc.com/id/100373188 , http://www.marketwatch.com/story/the-worrisome-struggle-to-grow-and-add-jobs-2013-01-14 e http://www.cnbc.com/id/100359775 .eles não estão nem aí,o capital é apátrida. a economia emergente está derrapando: http://www.lesechos.fr/economie-politique/monde/actu/0202429204527-bresil-l-economie-tourne-au-ralenti-517455.php .aqui os detalhes: http://www.leap2020.eu/Le-GEAB-N-71-est-disponible-Mars-juin-2013-Debranchement-de-l-homme-malade-du-monde-et-derniere-phase-d-impact-de-la_a13047.html .

  114. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 19:04

    É engraçado que qualquer um aqui que acha isso, se fosse morar nos Estados Unidos, escolheria um estado democrata, como New York ou Massachussets, não um dos estados republicanos do midwest. Do mesmo modo, qualquer um prefere a companhia de um damn red liberal, a um fanático evangélico que acredita que o mundo nasceu às cinco horas da manhã do dia 5 de Abril de, digamos, 245 AC.
    EU NÃO VIOLÃO.
    PREFIRO O MIDWEST.E LIBERAL AO LADO COM SUAS IDEIAS E PROIBIÇÕES IDIOTAS E SEMPRE QUERENDO POR A MÃO NO MEU BOLSO, HEHEHEHE
    NEM A PAU JUVENAU!
    VIAJEI DE MTO PELO MIDWEST, 2000 MILES SEM BURACOS NEM PADÁGIO. POVO SIMPLES E ACOLHEDOR. SÓ NA CABEÇA DE UM POGRECISTA PODE SAIR UMA MELECA DESSAS, HEHEHEHE
    UM ESPANTO!

  115. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 19:04

    Caro Rodrigo, o que eu quero dizer é que o pretenso “democrata” não permite discussões abertas como aqui. Isso gera desconfiança. A democracia não é isso. Ele pode ser um bom jornalista, mas, no mundo da internet(que evolui a cada instante),esse tipo de atitude não irá muito longe. Ou você se adapta aos tempos ou se transforma numa múmia.

  116. Alan

    -

    21/01/2013 às 18:58

    Alan 18:35

    Correção: eufórica não, melancólica sim

  117. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 18:57

    Interessante a pergunta de Alan sobre aquecimento global. A última era de gelo terminou por volta de 15.000 a.C., quando o estreito de Bering, que une o continente asiático ao continente americano, perdeu suas camadas de gelo e aprofundou as diferenças entre os povos ao permitir o extravasamento das águas do oceano. Desde então as temperaturas oscilam, vacilam, tropeçam, caem e sobem indefinidamente. A maioria dos cientistas acredita que nossas ações ao longo dos séculos têm contribuído pra intensificar essas variações. Contrariando a corrente geral, o bushismo “remunerou” uma equipe de cientistas pra correr o mundo e tentar desmentir que tais variações seriam oriundas do excesso de atividade industrial dos países mais desenvolvidos. Teriam conseguido?

  118. Thiago Braga

    -

    21/01/2013 às 18:53

    Aproveitando a ocasião: Reinaldo Azevedo no Manhattan Connexion já!!
    Ia dar uma senhora turbinada no time que já é formidável.
    Abraço, Caio.

  119. ricardo salazar

    -

    21/01/2013 às 18:47

    e sobre a questão do monopólio da mídia: http://www.brasildefato.com.br/node/11508

  120. ricardo salazar

    -

    21/01/2013 às 18:46

    um parlamentar britânico chegou a afirmar que o hezbollah não é uma organização terrorista: http://www.youtube.com/watch?v=hbyF1Mp-fHk .e uma crítica a economia obamista: http://www.isj.org.uk/index.php4?id=849&issue=136 (Could Keynes end the slump? )

  121. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 18:43

    Caramba, só agora fui descobrir que o Rove é “a flor do estrume”. Adequado. —–
    “Ele foi chamado de ‘cérebro’ de George W. Bush, louvado e execrado em proporções semelhantes, e ganhou do chefe o apelido de ‘flor do estrume’ em alusão à planta nascida de dejetos de vacas no Texas, onde fez carreira. Agora, Karl Rove defende que o Partido Republicano dê lugar à geração que prega os ideais de Ronald Reagan mas que é também mais antenada com a mudança demográfica no país (o avanço do eleitor latino). Folha 17/12
    O “mestre” também era “flor de estrume”?
    Provavelmente.

  122. Alan

    -

    21/01/2013 às 18:43

    Jorji

    A franja caiu bem na Michelle por que ela não tem um rosto bonito, portanto quanto menos mostrar é melhor. Aquele penteado deixou apenas a parte central do rosto à mostra. Aprovado.

  123. ricardo salazar

    -

    21/01/2013 às 18:42

    o exército é a única instituição firme dos eua e o obama tem muito apoio de judeus ortodoxos,uma seita que perde força nos eua(muitos deles estão se convertendo a religiões não teístas e/ou orientais) e está cada vez mais radical,o que pode prejudicar obama que quer gays no exército e maior participação das mulheres na política.se a gente for olhar,o judaísmo é a religião monoteísta que mais tem perdido adeptos nos eua. http://petras.lahaine.org/?p=1925

  124. Renato

    -

    21/01/2013 às 18:37

    Jeca é jeca. É politicamente incorrecto chamar jeca a um jeca? Poizé. É engraçado que qualquer um aqui que acha isso, se fosse morar nos Estados Unidos, escolheria um estado democrata, como New York ou Massachussets, não um dos estados republicanos do midwest. Do mesmo modo, qualquer um prefere a companhia de um damn red liberal, a um fanático evangélico que acredita que o mundo nasceu às cinco horas da manhã do dia 5 de Abril de, digamos, 245 AC.

  125. Alan

    -

    21/01/2013 às 18:35

    Nesse curto combate entre Caio e RA apenas um ponto não ficou claro pra mim: o aquecimento global, espero que o Blinder esclareça melhor seu ponto de vista, no resto deu de lavada.
    Nunca antes na história desse blog a seita Bananal Republucano esteve tão eufórica, parece que a inacreditável vitória do Messias para um segundo mandato feriu fortemente a galhardia de seus seguidores a ponto de trazer um de seus mais badalados membros para que com seu discurso circunloquial tentasse diminuir a importancia desse momento e dar ânimo novo a sua própria turba. Fracassou. ah ah ah……

  126. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 18:34

    É amanhã, Caio? Sei, nem precisa responder. Mas veja isto:
    “O presidente palestino Mahmoud Abbas e seu laborioso primeiro-ministro Salaam Fayyad estão entre os que deixaram claro que reconhecem o Estado de Israel. Eles estão dispostos a aceitar um acordo seguindo o traçado de 1967, com trocas de território acordadas, e já rejeitaram a violência, aderindo à governança responsável que entende que qualquer Estado viável precisa deter o monopólio do uso da força e não pode tolerar milícias freelancers. A Cisjordânia controlada pelo Fatah vem crescendo. O Banco Mundial a declarou pronta para assumir o status de Estado. Essas conquistas foram reconhecidas insuficientemente ou a contragosto em Israel, onde a queixa de que não há interlocutor palestino viável com frequência é usada para camuflar o esforço para continuar a dominar todo o território entre o mar Mediterrâneo e o rio Jordão -um objetivo ao qual atende a expansão contínua e inaceitável dos assentamentos.” – Roger Cohen NYT 21/1

  127. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 18:30

    Cade o desmentido do Reinaldo, caro Amauri?
    AQUI

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/mundo-vai-entrar-em-periodo-de-resfriamento-global-diz-cientista-do-ipcc/
    E AQUI
    MAIS UM POST
    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/guia-espiritual-da-turma-do-%E2%80%9Caquecimento-global%E2%80%9D-confessa-era-alarmismo-leia-dilma-antes-de-se-submeter-a-patrulha-no-caso-do-codigo-florestal/
    Nao li este material, e nao tenho tempo de ler, mas uma coisa é desmentir que exista, outra é que é feito alarmismo, nao vou discutir algo sobre o qual existe um consenso da comunidade cientifica, aparando as arestas do alarmamismo, exageros e manipulacao ideologica por algumas cientistas, mas saio dessa conversa,hehehe, tenho mais o que fazer, abs, Caio

  128. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 18:29

    O que irrita muita gente é o modo de administração democrata. Obama’drone manda matar terroristas e alguns inocentes acabam morrendo, infelizmente. Já o bushismo apreciava matar dezenas de milhares de inocentes pra catar uns terroristas gatos pingados. Obviamente era só uma desculpa pra abarrotar de dólares os cofres do complexo industrial-militar. Vá perguntar ao Rumsfeld, por exemplo, o que ele fazia antes de liderar os ataques ao Iraque. Você irá se surpreender.

  129. amauri

    -

    21/01/2013 às 18:29

    “Cade o desmentido do Reinaldo, caro Amauri?”
    Voce acredita no AGA, e o Reinaldo nao iria entrar em um campo que precisaria mais tempo. Ele foi elegante com voce. Voce deve saber quem sao as pessoas com conhecimento da causa. Voce os acha jeca? Se sim procure um debate com um deles. No Brasil tem alguns. abs
    Amauri, acho que voce nao entendeu o sentido de jeca no texto e de resto acho atraso questionar aquecimento global, existe um consenso cientifico a respeito, aparando algumas arestas sobre alarmismo e exageros dos algoretes, de qualquer forma é um assunto que alias voce deve entender tao pouco como eu, e o Reinaldo, abs, Caio

  130. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 18:27

    Ô Carlos Cezar, será verdade que o Reinaldo veta comentários contrários às opiniões dele? Ele sempre veta comentários petralhas, ou de gente que só escreve baixarias. Eu fui expulso de um site petralha só porque defendi o trabalho do jornalista da Veja, enquanto os críticos do Reinaldo estão lá, escrevendo um monte de mentiras. Aí cabe ao Reinaldo vetar mesmo, que escrevam por lá, na página dele não.

  131. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 18:21

    Rodrigo, ainda bem que o Diogo não está participando. É outro que facilmente se mostra deslumbrado com invasões, ataques e massacres de inocentes, assim como o Reinaldo. Porque, depois do Iraque, não é possível entender defesas tão fortes dos invasores. Quem defende isso gosta disso.

  132. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 18:21

    VI OS COMENTÁRIO NO RA E ALGUNS NÃO TEM MESMO A FINESSE DAQUI, MAS O PRIMEIRO É NO ÁLVARO:

    Ana – 21/01/2013 às 17:03

    A-DO-RO ver isso. DEMOCRACIA, onde discordar de amigo é permitido e não faz ninguém perder a amizade nem ser perseguido.
    NOTA 1000 PARA ESTA ANA.

  133. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 18:18

    Sinceramente, Caio Blinder, que decepção. Você cede muito espaço às viúvas do bushismo. O que os caras fizeram em 2003 é recriminável em todos os níveis, e em todos os livros de História irão figurar a ganância agindo sobre as centenas de milhares de iraquianos mortos. O Reinaldo só escreve, ao contrário de você, porque descobriu um nicho adequado ao não permitir comentários contrários às ideias dele. Assim é fácil.

  134. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 18:14

    MV,

    Por todas as suas características, nunca o imaginei como um fofoqueiro.
    &
    Pessoal, colher de chá também para meu amigo Reinaldo Azevedo que publicou texto criticando o meu. Parabéns, amigo, você está no nível do Obama, hehehe.
    &
    VERA, SÓ UNI AMIGOS DE LONGA DATA COM PONTOS DE VISTA DIFERENTES.

  135. amauri

    -

    21/01/2013 às 18:09

    “aquecimento global (que não vejo desmentido no seu artigo)” respondeu sim: , “que há sólidas e respeitáveis reputações, que nada têm de reacionário, que combatem as teses centrais do aquecimento global” e no blog dele ele já escreveu bastante a respeito. Os que acreditam estão virando paranoicos. abs
    Cade o desmentido do Reinaldo, caro Amauri? Abaixo o texto dele (alias voce nao vai critica-lo porque ele parece nao negar a teoria do evolucao?Hehehe, abs, Caio
    Noto, finalmente, mandando um abraço ao meu amigo, que há sólidas e respeitáveis reputações, que nada têm de reacionário, que combatem as teses centrais do aquecimento global — e, hoje, a ciência está mais com elas do que com os crentes de Al Gore. James Lobelock, velho demais para aderir ao reacionarismo, pai espiritual da tese, já reconheceu: era tudo alarmismo. Ainda que possa haver algum aquecimento, não se dá mais como certo que esteja ligado à ação humana.

  136. amauri

    -

    21/01/2013 às 18:03

    Quando foi perguntado ao pai do evolucionismo como surgiu aquela minuscula celula que depois deu origem a todos os seres vivos, ele deu uma resposta. Os nao jeca e iluminado podem me dar a resposta dada por Darwin? abs

  137. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 18:03

    Ricardo Platero, desculpe-me, mas acho que não se deve confundir pessoa civilizada com pessoa elegante. Civilizado é o educado, é o erudito, é o conhecedor. Pode uma pessoa ser civilizada e deselegante, pode uma pessoa ser elegante e inculta. Heidegger, maior filósofo alemão do século XX, era grosseiro, por exemplo; pelo menos foi o que eu li numa matéria do Estadão.

  138. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 17:56

    Reinaldo e Caio em divergência aberta. Que pena o Diogo Mainardi não participe desse debate por aqui!

  139. Ricardo Platero

    -

    21/01/2013 às 17:52

    Caro Caio,

    Sendo bem sincero, seus comentaristas são um pouco mais civilizados dos que os do Reinaldo Azevedo, e estou sendo gentil com os comentaristas dele.
    Parabéns pelo texto. Abraços.

  140. amauri

    -

    21/01/2013 às 17:47

    Os conservadores, como eu, precisam aprender a discordar do Caio, como o Reinaldo Azevedo fez, com elegancia e argumentos inteligentes. Nao teve nenhuma replica, nem elegante que fosse. abs

  141. NOBODY.

    -

    21/01/2013 às 17:47

    ACHO QUE NEM ESSE NOVO “IMPERIALISMO” EUROPEU-AMERICANO VAI ALAVANCAR A ECONOMIA DE AMBOS.
    O PROBLEMA NÃO ESTÁ SÓ EM OBTER FONTE DE ENERGIA E MATÉRIA PRIMA, O PROBLEMA ESTA EM COMO VENDER O QUE SE PRODUZ À UM PREÇO JUSTO E COERENTE COM A QUALIDADE DE VIDA DE EUROPEUS E AMERICANOS.
    O PROBLEMA SE CHAMA CHINA-INDIA-VIETNAM-CAMBODJA-COREIA E SEUS PRODUTOS FABRICADOS POR MÃO DE OBRA ESCRAVA. ALÉM DO MAR DE PETRÓLEO CHAMADO RÚSSIA.
    A FRANÇA ESTA DESESPERADA. ESPANHA SEM DENTES. ITÁLIA UM CAOS. PORTUGAL SUMIU. SÓ RESTA A ALEMANHA, MAS QUE NÃO SIGNIFICA NADA MILITARMENTE, PORÉM COM GRANDE FORÇA DE TRABALHO.
    ESSES PAÍSES SONHAM COM UM MUNDO ANTIGO, ONDE SEUS PRODUTOS ERAM DISPUTADOS E DESEJADOS. HOJE NÃO MAIS.
    OS EUA PERDERAM O FÔLEGO, NÃO TEM COMO COMPETIR EM TERMOS DE PREÇO COM NINGUÉM (NÃO TEM MAIS FOLGA PARA CORTAR PREÇOS), SÓ PODEM SONHAR COM UM CORTE DE GASTOS MONUMENTAL QUE NÃO VIRÁ.
    OBAMA É O COMANDANTE DOS EUA NESSA JORNADA RUMO AO FIM DO MUNDO.
    ELE PODE SE SALVAR POLITICAMENTE, MAS NÃO TEM ALTERNATIVA PARA SALVAR SUA ECONOMIA.
    POR MELHOR OU PIOR QUE ELE SEJA, NÃO VAI MUDAR ESSA CRUEL REALIDADE QUE SE DESENHOU NO FINAL DO SÉCULO 20 E SE APRESENTA AGORA NO INÍCIO DO 21.
    O QUE NÃO SE QUER ADMITIR É O FRACASSO DO MODELO ECONÔMICO AMERICANO.
    POR ISSO SE DEBATE SE OBAMA É O NÃO O CARA.
    MAS ISSO É IRRELEVANTE.

  142. Vera Lucia

    -

    21/01/2013 às 17:39

    MV,

    Por todas as suas características, nunca o imaginei como um fofoqueiro.
    ———————————————————–
    Por que eu discordo de Caio? Porque falta a série histórica, não é?, que ainda não aconteceu. Sem que os republicanos sejam derrotados também em 2016, parece-me precipitado sustentar a “perda de capital político”. A derrota dos jurássicos republicanos em 2016 é mais do que previsível. Este aqui ainda está em estado de negação. Incrível!
    ——————————————————————–
    Ainda que assim não fosse, parece-me perigoso supor que a morenice possa se confundir com uma categoria de pensamento.
    Ah, franjas ideológicas. O autor da frase deveria olhar as estatísticas dos votos negros, latinos e asiáticos, antes soltar pérolas bem branquinhas de uma ostra que não quer se calar.

  143. Joao Felipe

    -

    21/01/2013 às 17:32

    Caio, eu não subestimaria o Rubio. Sua ligação com a ala mais conservadora do Partido Republicano não é necessariamente um problema. Vale lembrar que o senador Obama era bem mais liberal do que o Obama de hoje. Com Ronald Reagan também aconteceu algo parecido. Além disso, Rubio está elaborando um plano sobre imigraçâo que pode ser a salvação do GOP.
    Ele precisaria abandonar sua base teapartista, caro Joao Felipe,nao sei se faria isso, basta ver sua recente votacao sobre fiscal cliff, ao contrario do Paul Ryan, abs, Caio

  144. Sandro

    -

    21/01/2013 às 17:30

    Deixa eu ver se entendi… É coisa de “gente jeca” discordar de uma teoria, como é a da evolução ???? As pessoas tem a obrigação de simplesmente aceitar essa teoria sem questiona-la ??? Cara, o que voce tem na cabeça ???

  145. Vera Lucia

    -

    21/01/2013 às 17:28

    Srs. Debochados,

    Barack Obama não vai publicar um livro de auto ajuda. Ele publicou um livro de memórias – “Dreams from my father”. Antes de se tornar político.

  146. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 17:27

    Sua plateia republicana às vezes é hilária, outras constrangedora, outras ainda simplesmente ofensiva ao bom senso e no entanto apesar de toda gritaria e ranger de dentes, sua manifestação me traz um discreto prazer de me sentir resultado de processo de evolução, um processo que outros tantos aqui compartilham numa simples capacidade à empatia(Rifkin).
    QUER UM EXEMPLO MAIS CLARO DE POGRECISMO.
    USOU QUATRO LINHAS, MUITAS PALAVRAS E NÃO DISSE ABSOLUTAMENTE NADA, NADICA, HEHEHEHE
    UM ESPANTO DE CONTEUDO!

  147. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 17:17

    Chega de discordar de inimigos. Chegou a hora de discordar de Caio Blinder
    Caio Blinder é meu amigo, e, mexeu com ele, mexeu comigo… Mas eu discordo dos meus amigos às vezes. Às vezes, faço isso quase sempre, hehe… Caio escreve, como de hábito, um instigante, informado e sempre estimulante artigo sobre o segundo mandato de Barack Obama.

    Escreve o meu amigo Caio:
    “Os republicanos estão perdendo capital político e se tornaram basicamente obstrucionistas. Eles correm o risco de se petrificarem como o partido de brancos sulistas e rancorosos, especialmente homens. No entanto, eles existem. Ademais, uma parcela do país não é alinhada a nenhum dos dois grandes partidos e nunca se deixou enfeitiçar pela magia Obama. O presidente democrata não pode simplesmente passar ao largo de um partido que tem maioria na Câmara e se dirigir diretamente à nação para fazer pressão para concretizar sua agenda.”

    Por que eu discordo de Caio? Porque falta a série histórica, não é?, que ainda não aconteceu. Sem que os republicanos sejam derrotados também em 2016, parece-me precipitado sustentar a “perda de capital político”. E acho que o resultado das urnas não endossa a tese.

    Quanto ao partido de brancos, rancorosos, sulistas… Noto, fazendo um aceno amistoso ao meu amigo Caio, que isso parece coincidir com a caricatura que os democratas fazem do partido adversário. Ainda que assim não fosse, parece-me perigoso supor que a morenice possa se confundir com uma categoria de pensamento.

    Por tautológico que pareça, se republicanos concordassem com democratas, e também o contrário, um seria o outro, e o outro seria um. E, juntos, eles seriam o PMDB de Renan Calheiros, Henrique Alves e José Sarney. Tenho certa dificuldade de considerar, como faz Caio, que seja este o espírito dos republicanos: “para salvar a aldeia, é preciso destruí-la”. Corre-se o risco de achar que um lado tem o monopólio das boas intenções.

    Caio escreve ainda sobre um senador republicano que decidiu se entender com Obama:
    “Mas há outro republicano muito corajoso que rompeu com a ortodoxia partidária. Tom Coburn é senador pelo Oklahoma, um daqueles estados mais associados ao atraso republicano, de gente jeca, que questiona a teoria da evolução, duvida do aquecimento global e acha que ‘os helicópteros pretos’ da ONU estão chegando.”

    Caio certamente não quis dizer que todo morador de Oklahoma seja assim; tampouco quis referendar um preconceito ao escrever “estados mais associados ao atraso republicano”, porque isso implicaria explicitar: associados por quem?” Também não está sustentando, estou certo, que “atraso” e “republicano” formem uma unidade, de sorte a constituir uma regra, sendo um republicano não-atrasado uma exceção. Fosse assim, com efeito, os republicanos estariam além dos males necessários da democracia; eles seriam um mal a ser combatido, superado e extinto, hipótese em que a plena democracia só se realizaria com a sua extinção.

    Noto, finalmente, mandando um abraço ao meu amigo, que há sólidas e respeitáveis reputações, que nada têm de reacionário, que combatem as teses centrais do aquecimento global — e, hoje, a ciência está mais com elas do que com os crentes de Al Gore. James Lobelock, velho demais para aderir ao reacionarismo, pai espiritual da tese, já reconheceu: era tudo alarmismo. Ainda que possa haver algum aquecimento, não se dá mais como certo que esteja ligado à ação humana.

    Até admito a possibilidade, embora não creia nela, de que todo jeca ou estúpido duvide do aquecimento global, mas é absolutamente certo que nem todo mundo que duvida dos termos em que se dá esse debate seja jeca ou estúpido.

    Abraço, Caio. Como disse Cícero a um amigo que visitava Atenas, beije Nova York por mim.

    Por Reinaldo Azevedo
    HEHEHE
    PODEM ME BATER.

  148. jorji

    -

    21/01/2013 às 17:13

    Clinton fez um excelente governo, também herdou a recessão e o desemprego, mas os EUA tinha na época ainda grande margem para crescer, hoje não tem mais, a população envelheceu, a dívida é astronômica, a culpa não é só de Obama.

  149. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 17:12

    “Significativa é a antipatia que os frequentadores dessa coluna tem pelo Obama.”
    .
    Assim como significativa é a empolgação, quase bajuladora, de outros com o mesmo Obama. Nunca tinha visto um líder tão elogiado, aparentemente sem defeitos, paparicados, que merecesse tanta condescência e tantas loas. Os sensatos daqui, que a despeito de aprovar ou não seu governo, apontam qualidades e defeitos, ignorem o que falei.

  150. Rone

    -

    21/01/2013 às 17:09

    É por esse caminho Carlos Cezar outro ou outros paizes vão assumir a liderança como vc disse :É assim que o mundo evolui. Infelizmente, algumas pessoas se apegam ao passado com vontade exagerada, iludidos, acreditando que tudo pode voltar a ser como era, e não compreendem que, se assim fosse, pra que ter esperanças de haver um mundo melhor?Os EUA são um automovel de motor ultrapassado com tanque cheio, deram uma boa arrancada mas como não sabiam quanto consumian ficaram pelo caminho na esperança e empurrando até um proximo posto….
    O Obama se comportando e não colocando o pais em mais guerras pode ser um bom presidente e se puxar a as orelhas do Bibi vai ser melhor ainda…

  151. Robson La Luna di Cola

    -

    21/01/2013 às 17:08

    Meus amigos “pogreçistas” vivem me atormentando, perguntando quem deve cuidar “dus póbri”. Fácil: os seus familiares – se puderem ajudar – e as instituições de caridade. Toda vez que o Estado se empenha em reduzir as desigualdades, o propósito É SEMPRE PARA CRIAR UM ELEITORADO CATIVO. No fim das contas, acabam implantando uma DITADURA DEMOCRÁTICA. Querem um exemplo? Olhem em volta, aqui no país do BOLSA-TUDO!

  152. Carmem

    -

    21/01/2013 às 17:07

    Até os seis anos é apropriado, Jorji, as franjas dão um ar meio infantil, ainda bem q vc não tem cabelo para usar uma hehehe
    Na verdade acho muito ruim essa mania de alisamento do cabelo das negras americanas, aliás tb acho sem graça a epidemia de chapinhas aqui no Brasil. Um cabelo crespo bem cortado e bem cuidado pode ficar muito bonito além de interessante. No caso dos negros, o alisamento sempre acaba num look meio fake.
    O único problema é q cabelo crespo dá um trabalhão, não é nem um pouco funcional (q é a marca registrada dos americanos).
    Mas tem negras americanas q conseguem resultados sensacionais como a Oprah, só não sei se é peruca.
    abs

  153. General Failure

    -

    21/01/2013 às 17:02

    Obama é a resposta correta ao Zeitgeist, e devo confessar, não imaginava que os norte americanos fossem capazes de realizar tamanha destruição de clichês baratinhos sobre os USA, coisa só possível com sua eleição.
    Vivendo com um pé nos USA e outro na Europa entendo que o velho continente vai precisar de uma maneira ou outra assumir responsabilidades, os USA pagaram caro até agora por uma visão às vezes distorcida e perigosa de poder, o custo financeiro e de vidas foi considerável, não há como entender um mundo mais equilibrado e justo(isto evidente na minha maneira de ver as coisas), sem que a Europa assuma finalmente seu papel no mundo, devo dizer que ver uma redução das tropas norte americanas na Europa me fere um pouco, existe ai um aspecto pessoal, a presença norte americana sempre me pareceu uma garantia de estabilidade.
    Sua plateia republicana às vezes é hilária, outras constrangedora, outras ainda simplesmente ofensiva ao bom senso e no entanto apesar de toda gritaria e ranger de dentes, sua manifestação me traz um discreto prazer de me sentir resultado de processo de evolução, um processo que outros tantos aqui compartilham numa simples capacidade à empatia(Rifkin).
    Sinal dos tempos, o mais notável, vou constatando que os USA se “europeizam” enquanto os europeus vão tratando de se americanizarem, duas forças civilizatórias que por todas as circunstâncias precisam existir harmonicamente, o futuro reserva surpresas desagradáveis demais para que os dois gigantes não se entendam e aqui, vale a pena considerar a interessante situação que a Inglaterra vive, talvez resultado de ser o vetor destes dois blocos que formam o mundo Ocidental.
    Bom texto, como sempre resultado do trabalho de um humanista antes de um jornalista.

  154. jorji

    -

    21/01/2013 às 16:47

    Hummmmmmmm, bem que eu gostaria de ter cabelos suficientes para se ter uma franja.

  155. jorji

    -

    21/01/2013 às 16:45

    Carmem, eu usei franjas até os meus 6 anos de idade, me rebelei contra o meu pai que cortava meus cabelos.

  156. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 16:41

    Well, já q alguém tocou no assunto, eu acho q franjas só devem ser usadas até os 10 anos de idade.
    abs
    CUIDADE QUE DAQUI A POUCO UMA OBAMETE RAIVOSA A ATACARÁ.
    A PERGUNTA CERTA É SE AQUILO É PERUCA?

  157. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 16:40

    O Obamismo não está incontrolável. Significativa é a antipatia que os frequentadores dessa coluna tem pelo Obama. Não que isso me incomode – ele não precisa do meu apoio, mas é uma tendência interessante que parece ter muito pouca relação com o desempenho dele na presidência dos EUA.
    NNOVILINGUA CRIME É MALFEITO E APRENDI HOJE QUE MOSTRAR A REALIDADE AGORA LEVA O NOME DE ANTIPATIA.
    OBAMA É MEDIOCRE, PERIOD
    BOOOOOOOOOOOOOOO !

  158. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 16:37

    Enquanto isso um dos membros mais reluzentes da nossa direita está proibido de entrar em 186 paises. Modelo de várias gerações de conservadores, Paulo Maluf, que já devia estar preso vive uma espécie de “boemia politica” e do jeito que vai se conseguir durar mais uns dez anos poderá se tornar um remanescente “beatnik”. ha ha…
    AO ABRIGO DA NOÇA HONESTA ESQUERDA DO ÇÁBIO, QUE POR SINAL FOI ESCOLHIDO O CORRUPTO DO ANO, HEHEHEHE

  159. Rangel

    -

    21/01/2013 às 16:36

    Israel é a última esperança.
    - Radicalismo islâmico se movendo e cada vez mais difícil de se combater.
    - Processo de “mediocrização” da América a pleno vapor.
    - Irmandade Muçulmana sendo paparicada pelo mundo democrático, apesar de tal movimento não contemplar a defesa da democracia em suas bases teóricas.
    - O conservadorismo sendo achincalhado por todo o mundo ocidental, apesar desta característica ser a responsável pela sobrevivência da humanidade.
    E no meio disso tudo, Israel, o último bastião. Incrível como este povo é realmente predestinado.

  160. Carmem

    -

    21/01/2013 às 16:35

    jorji-21/01/2013 às 16:19
    .
    Well, já q alguém tocou no assunto, eu acho q franjas só devem ser usadas até os 10 anos de idade.
    abs

  161. Carmem

    -

    21/01/2013 às 16:34

    Grafico da Economist comparando (em termos econômicos) o primeiro com o segundo mandato dos presidentes americanos e chegando a conclusão q as coisas tendem a piorar para Obama.
    http://www.economist.com/blogs/graphicdetail/2013/01/daily-chart-14
    abs

  162. Adriano Loffredo

    -

    21/01/2013 às 16:23

    Caro Caio,
    A descrição que vc fez do Obama no 2° parágrafo parece com a de certa pessoa, aqui do Brasil. Só faltou o “nunca antes na história desse país”…

  163. jorji

    -

    21/01/2013 às 16:19

    O que acharam da franjinha da Michelle?

  164. Alan

    -

    21/01/2013 às 16:19

    Enquanto isso um dos membros mais reluzentes da nossa direita está proibido de entrar em 186 paises. Modelo de várias gerações de conservadores, Paulo Maluf, que já devia estar preso vive uma espécie de “boemia politica” e do jeito que vai se conseguir durar mais uns dez anos poderá se tornar um remanescente “beatnik”. ha ha…

  165. Vinicius Maia

    -

    21/01/2013 às 16:17

    Ai, como eu gostaria que o Paulo Francis estivesse vivo, ainda escrevendo como correspondente da metrópole americana. O gênio iria com certeza criticar esse ObaOba de forma bem divertida. É quase impossível esse segundo mandato ser pior que o primeiro. Os republicanos vão ter que provar se se preocupam mais com a imagem do partido ou com o que é melhor para o país.

  166. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 16:16

    PELO MENOS NO DIA DAS OBAMETES FIZ O 100
    HEHEHEHEHEHEHEHE

  167. Vera Lucia

    -

    21/01/2013 às 16:14

    Olá MV, tudo certo com voce?

    O Obamismo não está incontrolável. Significativa é a antipatia que os frequentadores dessa coluna tem pelo Obama. Não que isso me incomode – ele não precisa do meu apoio, mas é uma tendência interessante que parece ter muito pouca relação com o desempenho dele na presidência dos EUA.
    —————————————
    Sabemos quem é a oposição e como atuam para boicotar a recuperação do próprio país, mas eu fico curiosa para saber quais são as estruturas com que Obama pode contar. O Samuel deu uma boa dica, uma nova fonte de energia que vai conduzir os EUA a independência do petróleo do OM. ——
    Acho normal, válido, legítimo, proteger a propriedade intelectual -“We cannot cede to other nations the technology that will power new jobs and new industries.”
    —–
    Os outros que se virem e invistam em infra estrutura e educação.

  168. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 16:13

    “ESTARÁ À VENDA NO PRÓXIMO LIVRO DE AUTO-AJUDA COM O NOME DE FAST AND FURIOUS.”
    .
    E na capa, claro, a foto do líder carismático com o olhar perdido no horizonte e o queixo a bombordo.

  169. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 16:11

    “Se existe alguém que ainda duvide que os Estados Unidos sejam o lugar onde todas as coisas são possíveis, que ainda questione a força de nossa democracia, a resposta está aqui esta noite.” — Barack Obama
    ———————————
    “Nao é o quão forte voce consegue bater, é o quão forte voce consegue fazê-lo e continuar seguindo em frente.” — Barack Obama
    .
    Obama vai lançar um livro de auto-ajuda, Vera?

  170. amauri

    -

    21/01/2013 às 16:05

    Com efeito, a expansão creditícia comandada pelo Fed em 1924 constituiu aquilo que Benjamin Anderson em seu grande tratado sobre a recente história econômica (Economics and the Public Welfare, D. Van Nostrand, 1949) chamou de “o início do New Deal”. Obra do Estado e nao do Liberalismo Classico. Mais um pouco agora do sr. F. Roosevelt:Entretanto, quando Franklin Delano Roosevelt assumiu a presidência, ele também lutou contra a economia durante todo o seu mandato. Em seus primeiros 100 dias, ele golpeou pesadamente a ordem de mercado. Ao invés de remover as barreiras à prosperidade erigidas por seus predecessores, ele construiu outras novas por conta própria. Ele atacou de todas as formas imagináveis a integridade do dólar americano, aumentando sua quantidade e deteriorando sua qualidade. Ele confiscou o ouro em posse dos cidadãos e subsequentemente desvalorizou o dólar em 40%.

    Com quase um terço dos trabalhadores industriais desempregados, o presidente Roosevelt se aventurou em radical reorganização industrial. Ele persuadiu o Congresso a aprovar o National Industrial Recovery Act (NIRA) [Decreto da Recuperação Industrial Nacional], que criou a National Recovery Administration (NRA) [Administração da Recuperação Nacional]. Seu propósito era fazer com que as empresas fizessem um conluio entre si, incentivando a cartelização da economia e criando tabelas de preços, salários, horas e condições de trabalho. O Acordo de Re-Emprego implementava um salário mínimo de 40¢ a hora ($12 a $15 por semana em comunidades menores), uma jornada semanal de 35 horas para os trabalhadores industriais e de 40 horas para os trabalhadores em funções administrativas, e a proibição de todo o trabalho adolescente.

    Essa foi uma tentativa ingênua de “aumentar o poder de compra” via aumento das folhas de pagamentos. Porém, o imenso aumento nos custos empresariais gerado pelas menores horas de trabalho e maiores salários funcionou não surpreendentemente como uma medida antirrecuperação. Após a aprovação do decreto, o desemprego subiu para quase 13 milhões. Os estados do sul dos EUA, em especial, sofreram severamente com as novas cláusulas do salário-mínimo. O decreto empurrou 500.000 negros para o desemprego. A lista nao para por ai. abs

  171. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 15:58

    Toda vez que a hipocrisia do liberalismo econômico prova ser destrutiva, essa é a receita a seguir.
    ESPANHA,GRECIA, PORTUGAL QUE O DIGAM:
    HUSSEIN I, EU SOU VOCÊ AMANHÃ.
    O OBAMISMO HOJE POR AQUI ESTÁ INCONTROLÁVEL.
    SERÁ QUE VÃO TRANSMITIR O PUM DELE TAMBÉM?

  172. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 15:57

    Nao é o quão forte voce consegue bater, é o quão forte voce consegue fazê-lo e continuar seguindo em frente.” — Barack Obama
    ESTARÁ À VENDA NO PRÓXIMO LIVRO DE AUTO-AJUDA COM O NOME DE FAST AND FURIOUS.

  173. Joao Felipe

    -

    21/01/2013 às 15:56

    Maisvalia essa sua pesquisa não serve de muita coisa. Os 60,9% do Bush pai não foram suficientes para reelege-lo. Já os 49% de Clinton e Obama foram. Por ela até poderiamos concluir que Nixon foi melhor que Reagan. Tenta de novo.

  174. Henrique

    -

    21/01/2013 às 15:46

    O Maisvalia hoje tá afiado nos comentários. Um melhor que o outro!
    .
    Carmem – 21/01/2013 às 13:45
    Christie tá pronto, só precisa perder uns quilinhos hehehe.
    .
    Concordo, Carmem!

  175. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 15:43

    Do Gustavo Chacra, debochando dos brasileiros que gostam de Obama: Atenção fãs brasileiros do Obama – “We cannot cede to other nations the technology that will power new jobs and new industries.”

  176. Joao Felipe

    -

    21/01/2013 às 15:40

    Caio, eu não subestimaria o Rubio. É bom lembrar que o senador Obama era bem mais liberal que o Obama atual. Além disso, Rubio está elaborando um projeto de reforma da imigração que pode ser a salvação dos republicanos. Infelizmente pro Jeb, só ha espaço pra um politico da Flórida na próxima primaria do GOP, e acho que será o Rubio. Outro presidente Bush, só se for com o filho do Jeb, o George Prescott, que é… latino! Essa familia parece que se adpata ao ambiente eleitoral.

  177. Vera Lucia

    -

    21/01/2013 às 15:40

    E foi assim que Roosevelt venceu a depressão econômica dos anos 30:

    “…Roosevelt reagiu às críticas dos banqueiros com um novo programa de reformas: Seguridade Social, impostos maiores para os mais ricos, maior controle sobre as atividades bancárias e sobre os serviços de utilidade pública, e a criação um imenso programa para diminuir o desemprego da população americana.”
    ————————–
    Toda vez que a hipocrisia do liberalismo econômico prova ser destrutiva, essa é a receita a seguir.

  178. Rodrigo

    -

    21/01/2013 às 15:34

    Mas Barack Obama poderia enfrentar o “liberalismo reacionário”? Não é essa a base dele?

  179. Vera Lucia

    -

    21/01/2013 às 15:19

    “Se existe alguém que ainda duvide que os Estados Unidos sejam o lugar onde todas as coisas são possíveis, que ainda questione a força de nossa democracia, a resposta está aqui esta noite.” — Barack Obama
    ———————————

    “Nao é o quão forte voce consegue bater, é o quão forte voce consegue fazê-lo e continuar seguindo em frente.” — Barack Obama

  180. NOBODY.

    -

    21/01/2013 às 15:17

    “apenas” 35%! Um pouco mais que um terço da população americana vive praticamente às custas do estado! Isso, no país que virou uma superpotência através da MERITOCRACIA e do empreendedorismo!Com certeza, a vaca está indo para o brejo!
    É ISSO MESMO. OS EUA SE TRANSFORMAM NUM PAÍS SOCIALISTA, ONDE O ESTADO TUDO PROVERÁ.
    DEVEM ESTAR RINDO OS CHINESES.

  181. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 15:15

    NESTE ELE ABRIRÁ O MAR VERMELHO DE DEIXARÁ OS/AS OBAMETES PASSAREM E DAÍ TODOS ENXERGARAM A LUZ.
    DESCULPE
    NESTE ELE ABRIRÁ O MAR VERMELHO E DEIXARÁ OS/AS OBAMETES PASSAREM E TODOS ENXERGARÃO A LUZ.

  182. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 15:14

    “Quem critica Obama por seu intervencionismo está acostumado com o governo dando pitaco em tudo.”
    .
    Não é o contrário, Marcio? Quem já é acostumado com estado controlador defende o intervencionismo, ainda mais de um “cool guy” como Obama, enquanto os americanos reclamam mais, mesmo de coisas consideradas menores, coisas que em outros países como o Brasil seriam vistas como a coisa mais normal do mundo. Por exemplo, assistência médica fornecida pelo estado, lá eles ainda discutem isso, aqui é considerado “óbvio que o estado tem que dar”…

  183. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 15:13

    É sempre bom constatar que um poítico defende suas posições. Obama era Senador pelo estado de Illinois e na sua agenda já constavam a preocupação com o comércio de armas de fogo e o controle do defict fiscal.
    §
    Como disse alguém por aqui, ele é um bom homem, mas não será capaz de lidar com ratos e raposas da política americana.
    Acho que ele é um bom homem e será capaz de fazer o que quiser de da oposição.
    §
    NESTE ELE ABRIRÁ O MAR VERMELHO DE DEIXARÁ OS/AS OBAMETES PASSAREM E DAÍ TODOS ENXERGARAM A LUZ.

  184. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 15:09

    Um sonho, né Vera, o iluminado “conseguir fazer o que quiser, independente de oposição”..?

  185. Robson La Luna di Cola

    -

    21/01/2013 às 15:07

    Entrei recentemente em um site “pogreçista” americano. Um comentarista político, no legítimo estilo “gutchi gutchi, Obaminha”, corrigiu a informação que o Mitt Romney passou durante a campanha: o número de estado-depententes (auxílio moradia, auxílio alimentação e assistência médica)não é os 47% da população americana que o candidato falou, mas “apenas” 35%! Um pouco mais que um terço da população americana vive praticamente às custas do estado! Isso, no país que virou uma superpotência através da MERITOCRACIA e do empreendedorismo!Com certeza, a vaca está indo para o brejo!

  186. jorji

    -

    21/01/2013 às 15:07

    “Gente jeca”, que duvida da teoria da evolução, um novo nome para os religiosos, essa foi espetacular!

  187. jorji

    -

    21/01/2013 às 15:04

    Não me convidaram para o baile da posse.

  188. jorji

    -

    21/01/2013 às 15:03

    Não quero desanimar ninguém, essa crise da Europa, EUA e Japão ainda vai longe, será um longo período de estagnação.

  189. Marcio

    -

    21/01/2013 às 15:01

    Obama e os empreendedores dos EUA acertaram justamente quando capitanearam o investimento na tecnologia de extração de gás por fracking. Em médio prazo trarão empresas de volta para o país, estimularão o crescimento e o emprego no país.
    Outro ponto: Felizmente nos EUA o presidente é apenas mais um personagem de diversas tramas (no bom sentido) acontecendo ao mesmo tempo. Não é como o Brasil que qualquer fumaça feita por ex-presidente fascista vira primeira página.
    Quem critica Obama por seu intervencionismo está acostumado com o governo dando pitaco em tudo.

  190. Vera Lucia

    -

    21/01/2013 às 14:48

    “…Como membro da minoria democrata no período entre 2005 e 2007, ajudou a criar leis para controlar o uso de armas de fogo e para promover maior controle público sobre o uso de recursos federais.”
    ——
    É sempre bom constatar que um poítico defende suas posições. Obama era Senador pelo estado de Illinois e na sua agenda já constavam a preocupação com o comércio de armas de fogo e o controle do defict fiscal.
    ————————————————————————–
    “…Durante seu primeiro mandato, Obama assinou várias propostas de estimulo econômico em resposta a recessão que assolou os Estados Unidos entre 2007 e 2009, através dos projetos de lei American Recovery and Reinvestment Act de 2009 e também sancionou leis de corte de impostos para a classe média e de criação de empregos em 2010. Ele também assinou um projeto de lei que universializava a saúde pública americana, projeto este que passou a ser chamado de Obamacare.


    Advogado, líder comunitário, Obama tem uma visão mais humanista. É simpático e carismático, mas atrai antipatia em igual medida
    ————-
    Como disse alguém por aqui, ele é um bom homem, mas não será capaz de lidar com ratos e raposas da política americana.
    Acho que ele é um bom homem e será capaz de fazer o que quiser de da oposição.

  191. NOBODY.

    -

    21/01/2013 às 14:44

    SE O MAIOR EMPREGADOR DOS EUA É O DEPARTAMENTO DE DEFESA (UNS 3,2 MILHÕES DE FUNCIONÁRIOS) ALGUMA COISA ESTA ERRADA COM O CAPITALISMO PRATICADO NESSE PAÍS. A revista britânica The Economist elaborou um gráfico, no qual revela quem são os maiores empregadores do mundo. Dos primeiros dez colocados, sete são órgãos públicos ou estatais. Em época de corte de gastos para os governos, não ajuda nada, já que enxugar a máquina pública acaba sendo uma das alternativas para reduzir as despesas estatais. No primeiro lugar, aparece o Departamento de Defesa americano, com seus 3,2 milhões de funcionários, o equivalente a 1% da população do país (diz pouco sobre o mundo atual, não?). Em segundo, está o Exército chinês, com 2,3 milhões.
    A CHINA É COMUNISTA, PORTANTO O ESTADO BANCA.
    MAS OS EUA NÃO SÃO, PELO MENOS É O QUE DIZEM. COMO PODEM EMPREGAR TANTA GENTE??? NÃO É UM CONTRA SENSO CAPITALISTA?
    O ESTADO GARANTIR O SALÁRIO DE 3,2 MILHÕES DE PESSOAS NÃO ME PARECE UM EXEMPLO DE LIVRE MERCADO.

  192. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 14:29

    Caro Caio, é lamentável o papel ridículo a que se prestam alguns após a eleição/reeleição do Obama, sem levar em conta a queda do prestígio americano e de sua influência em todo o mundo em seguida aos desastres da administração republicana
    A CURPA É DO FHC, HEHEHEHE
    UM ESPANTO, ACHO QUE NEM A MICHELLE FARIA MELHOR.

  193. Marcio Silva

    -

    21/01/2013 às 14:28

    Samuel,
    As histórias dos ciclos econômicos não passam de desculpas “técnicas” das instituições monetárias e governamentais para justificar a fraude financeira que leva à quebradeira de empresas e “socialização das perdas”.
    Republicanos e democratas, assim como os partidos da social democracia européia são igualmente culpados pela substituição do capitalismo industrial e de inovação tecnológica do ocidente pelo capitalismo puramente financeiro.
    A Europa começou a fazer o caminho inverso e já está propondo um plano para reindustrialização do continente para absorver os 10% de desempregados, aumentar a arrecadação e diminuir os gastos com a seguridade social.
    A Europa tem um mercado maduro que importa muito da Asia, eles vão planejar uma reserva de mercado com para dar suporte à economia real.
    A nova política industrial deverá abarcar “as regras do mercado interno, concorrência, comércio, meio ambiente, coesão, políticas de inovação e investigação, bem como o enquadramento das ajudas de Estado e políticas setoriais”

  194. amauri

    -

    21/01/2013 às 14:22

    Como se portariam os democratas com os EUA sofrendo um ataque terrorista como o 11 de setembro? B. Clinton disse em uma entrevista, quando perguntaram sobre o governo Bush, ele respondeu que nao teve um ataque daqueles, deixou oculto, gracas a Deus. Agora leio que o atual governo soube lidar muito bem com um furacao, e uma crise economica. abs

  195. amauri

    -

    21/01/2013 às 14:18

    “Voce apenas comprovou como o Partido Republicano é ruim de bola, abs, Caio”
    Realmente, os republicanos precisam aprender a arte nova de debater, sem mudar seu perfil, e sem descambar na campanha que fica impossível depois de cumprir. Eles precisam mentir, prometer, mas nao muito.
    Incrivel o seu apreco pelos republicanos, disse muitas vezes que podem estar cometendo suicidio. Deixa eles. abs

  196. jorji

    -

    21/01/2013 às 14:16

    No seculo XXI o Obama é o maior presidente dos EUA, essa foi sensacional! Os bons homens não sabem fazer política e nem religião, os bons não sabem negociar, definir estratégias, persuadir, etc, esses ramos exigem homens dispostos a tudo, até vender a alma para o diabo!

  197. carlos cezar

    -

    21/01/2013 às 14:16

    Caro Caio, é lamentável o papel ridículo a que se prestam alguns após a eleição/reeleição do Obama, sem levar em conta a queda do prestígio americano e de sua influência em todo o mundo em seguida aos desastres da administração republicana. A administração atual tem procurado apagar um pouco do mal-estar causado nos oito anos anteriores, mas, em vez disso, temos visto vários comentários depreciativos sobre os Estados Unidos e o atual presidente – quando justamente devia estar acontecendo o contrário. O que muitos não entendem é que os americanos já não têm como bancar invasões e querer se passar por “polícia mundial” devido a tantos incidentes internacionais e domésticos causados, o que de fato tem proporcionado mais poder a outros países e regiões. O centro gravitacional do poder está sujeito à mudanças, como tudo na vida, sempre, em todos os tempos e épocas, e há nisso um rodízio interessante, talvez nem tão agradável quanto pudéssemos desejar, mas pelo menos onde cada um possa mostrar suas possibilidades de alavancar o desenvolvimento de um modo geral. A competição é saudável, em todos níveis, quer queiramos ou não. É assim que o mundo evolui. Infelizmente, algumas pessoas se apegam ao passado com vontade exagerada, iludidos, acreditando que tudo pode voltar a ser como era, e não compreendem que, se assim fosse, pra que ter esperanças de haver um mundo melhor?

  198. ricardo salazar

    -

    21/01/2013 às 14:14

    berluscone assumiu que a primavera árabe foi fabricada na líbia:
    http://www.larepublica.es/2013/01/berlusconi-admite-que-la-revolucion-en-libia-fue-fabricada/

  199. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 14:07

    BOA
    Sem contar que rankings são sempre meio arbitrários, pois cada um é importante em seu contexto e tem os que foram ruins de qualquer jeito.
    É O CASO DO HUSSEIN I.
    RUIM EM QUALQUER CONTEXTO.

  200. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 14:03

    Tava te enchendo, Ricardo, pois soou meio gratuito você eleger “o maior presidente americano do séc. XXI”, hehe. Do século XX, pode ser, embora seja muito difícil situar Obama. Sem contar que rankings são sempre meio arbitrários, pois cada um é importante em seu contexto e tem os que foram ruins de qualquer jeito.

  201. Gilkid

    -

    21/01/2013 às 14:02

    Samuel – 21/01/2013 às 12:24 “A América pode dar a volta por cima, mas confio muito mais na ajuda de uma solução tecnológica inovadora(gás de xisto, energia renovável, biotecnologia) que promova um choque de produtividade na economia”
    __________________________
    É questão de tempo, curto por sinal, o xisto vai tornar os EUA independentes da OPEP e de tudo que seus integrantes representam em termos de problemas geopolíticos. Restará à China o papel de potência dependente do OM, e vai ser muito interessante ver como chineses administrarão a relação com as republiquetas islâmicas. Seria com a mesma candura usada contra insurgentes islâmicos na fronteira oeste?

  202. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 14:02

    Obama – 49.1%
    Ford – 47.2%
    Carter – 45.5%
    NESTE ELE VAI SOLTAR A FRANGA E GANHARÁ DO CARTER, HEHEHEHEHEHE

  203. Ricardo Platero

    -

    21/01/2013 às 13:54

    Caro Ronaldo,

    Copiando o caro Caio, você virou agora um psicólogo? Nãose trata de somente criticar a GENI ou elogiar Obama, para mim é uma percepção clara, que entre as opções que temos neste começo de século Obama se sai melhor. Abs.

  204. NOBODY.

    -

    21/01/2013 às 13:52

    OBAMA ESTÁ ENGESSADO. A ECONOMIA ESTA ENGESSADA.
    SÓ RESTA O POPULISMO PARA SALVAR SUA BIOGRAFIA.
    OU ENTÃO…BOM, ATITUDES CORAJOSAS, MAS MUITO CORAJOSAS, PARA DIMINUIR O “HUGE” DÉFICIT.
    ATITUDE QUE IMPLICARIA EM AFASTAR DO TESOURO AMERICANO AS GARRAS AFIADAS DO ESTABLISHMENT INDUSTRIAL-MILITAR.
    PARA ISSO ELE TERÁ QUE CONTAR COM A SORTE, POIS NÃO TERÁ APOIO POLÍTICO.
    TALVEZ APOIO DOS ELEITORES, MAS ISSO NÃO CONTA MUITO EM UM SISTEMA DE GOVERNO ALTAMENTE COMPROMETIDO E FINANCIADO POR GRUPOS EMPRESARIAIS.

  205. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 13:50

    Interessante, Samuel – 21/01/2013 às 13:21

  206. Carmem

    -

    21/01/2013 às 13:46

    não tem como ele NÃO se reeleger.

  207. Carmem

    -

    21/01/2013 às 13:45

    JF,
    acho q depois da atuação do Christie no furacão, aquela q levou o Caio as lágrimas, não tem como ele se reeleger. Ele é bom de política como deve ser um governador republicano administrando um estado democrata e tempera bem o jeito meio estúpido de ser dos republicanos com uma tremenda dose de simpatia pessoal.
    Eu acho q o Rubio um dia tb vai chegar lá mas lhe falta um pouco mais de experiência, o Christie tá pronto, só precisa perder uns quilinhos hehehe
    abs

  208. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 13:44

    “Caro Flavio, dificil prever isto tao cedo, mas precisaria ter perfil como de Chris Christie ou Jeb Bush”
    .
    Então Jeb é visto como muito diferente de seu Irmão Geni Bush?

  209. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 13:41

    Pois é, Marcio Silva, Obama deve morrer de inveja de pelo menos uma coisa da república brasileira: ter um PMDB do lado…

  210. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 13:38

    “Não fiz o elogio ao Obama por ter apenas um único comparativo, fiz o elogio por seu comparativo ser o Bush filho, é uma piada, apesar de para mim ser uma verdade.”
    .
    Então foi mais vontade de criticar a velha Geni da América do Norte (que nem faz parte do tema central) do que elogiar Obama…

  211. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 13:24

    Boa tarde Caio,parabéns pelo texto.No primeiro mandato,acho que Obama conseguiu fazer muitas coisas. Foi um governo bem sucedido.
    HEHEHEHEHEHEHE
    EM QUE PLANETA VIVE A OBAMETE?
    QUASE CAI NO CHÃO DE TANTO RIR.
    CONTA OUTRA OU LEIA A PESQUISA ABAIXO.
    Voce apenas comprovou como o Partido Republicano é ruim de bola, abs, Caio

  212. Samuel

    -

    21/01/2013 às 13:21

    No passado a economia americana se mostrou cíclica:
    8 anos de Governo Reagan: crescimento médio 3,5% ao ano
    4 anos de Governo Bush pai: crescimento médio de 2,1% ao ano – 60% dos 8 anos anteriores
    8 anos de Governo Clinton: crescimento médio 3,8% ao ano
    primeiros 4 anos de Governo Bush filho: crescimento médio de 2,2% ao ano – 60% dos 8 anos anteriores
    Até no Brasil a economia está se mostrando cíclica:
    8 anos de Governo Lula: crescimento médio de 4% ao ano
    4 anos de Governo Dilma: previsão de crescimento médio de 2,4% ao ano – 60% dos 8 anos anteriores

    O número mágico 60% sempre apareceu. O problema agora é que os EUA já estão terminando um ciclo de 12 anos de baixo crescimento, nem na grande depressão o país amargou tanto tempo de baixo crescimento, sempre salientando que a queda de 29 foi fortíssima apenas em 3 ou 4 anos. Se o 2° mandato de Obama for de baixo crescimento, se completará quase 2 décadas de baixo crescimento, um Japão dos anos 90 e 2000, lembrando que lá tudo começou também com uma bolha imobiliária.

  213. ricardo salazar

    -

    21/01/2013 às 12:58

    a questão do mali e do shahel como um todo é duvidosa.sabemos que existe forte presença do trabalho escravo em todo o shahel,então porquê não lutamos com a escra vidão como fizemos na guerra civil americana e sim contra nacionalistas tuaregues que na mídia são fantasiados de “extremistas muçulmanos”? usamos os drones na guerra sem saber os alves e quem sabe já está no brasil em segredo.ajudem-nos a proteger a nossa pátria da otan que age nas escuras: http://www.change.org/en-GB/petitions/david-cameron-end-the-secrecy-surrounding-the-use-of-british-drones?utm_source=share_petition&utm_medium=url_share&utm_campaign=url_share_before_sign

  214. Karla

    -

    21/01/2013 às 12:56

    Boa tarde Caio,parabéns pelo texto.No primeiro mandato,acho que Obama conseguiu fazer muitas coisas. Foi um governo bem sucedido. Quando ele assumiu, a economia estava em queda livre, com um recuo de 5% do PIB e perda de 800 mil empregos por mês, como disse a revista “The Economist”.
    Obama tirou a economia do fundo do poço. Hoje, o desemprego está em 7,8%; a indústria automobilística, que estava toda quebrada, vai bem, o país voltou a crescer. Além disso, conseguiu aprovar a reforma da saúde.
    Mas há novos desafios nesse segundo mandato. O primeiro trimestre será difícil, porque há dois assuntos que vão dividir o Congresso: a redução dos gastos e a discussão sobre o teto da dívida.Abraços e boa semana.
    Valeu, Karla, obrigado, bom ter seus comentarios depois de um tempo ausente, abs, Caio

  215. Marcel

    -

    21/01/2013 às 12:55

    Eu sou ranheta, não tenho como negar. Obama declarou ao novo chefe do pentágano, Hagel, que os EUA não tem um problema de corte de gastos hehe, será que essa é uma nova tática de negociação ? hehe
    ..
    E os house republicans falaram ao senado façam o seu trabalho que nós vamos fazer o nosso, então ofereceram ” a short-term debt ceiling increase ”

    E então caro Caio, será que você me falaria que esse não é um acordo que faz sentido e razoável ? abraço
    Caro Marcel, os republicanos por ora estao apenas mostrando que nao estao dispostos ao suicidio politico (finalmente ao menos a lideranca, inclusive o Paul Ryan), ja os democratas nao mostraram nada, nao precisaram ate o momento, pois os republicanos estavam autodestrutivos, vamos ver agora, abs, Caio

  216. Gilkid

    -

    21/01/2013 às 12:49

    Mais países responderam ao apelo por ajuda logística e financeira da Comunidade Econômica de Estados da África do Oeste (CEDEAO) para a mobilização da Missão Internacional de Apoio ao Mali, que será composta por 5.800 militares de diferentes países da África.

    O presidente da comunidade afircana, Desire Kadre Ouedraogo, pediu à comunidade internacional que se mobilize para financiar a missão militar. Segundo ele, uma primeira avaliação situa as necessidades em US$ 500 milhões (R$ 1,1 bilhão).

    O financiamento das operações da missão internacional era avaliado até agora entre US$ 199 milhões e US$ 266 milhões. A União Europeia (UE) decidiu participar com US$ 66 milhões.
    .
    Primeiros sinais do mundo sem polícia: o preço dos vigias!

  217. Joao Felipe

    -

    21/01/2013 às 12:46

    Caio e Carmem, O Christie está agindo assim porque não lhe interessa uma polarização. Ele precisa se reeleger, pra poder pensar na presidencia. E pra isso, precisa conquistar muitos votos democratas. Está dando certo. Seu maior perigo, Cory Booker, vai buscar o senado. O problema é se isso fará a base do GOP se indispor com ele.
    Caro Joao Felipe, creio que sempre existe um “calculo emocional” no Christie, hehehe, abs, Caio

  218. Flávio Costa Pereira

    -

    21/01/2013 às 12:32

    Quem seria, pra ti, um republicano formidável?
    Caro Flavio, dificil prever isto tao cedo, mas precisaria ter perfil como de Chris Christie ou Jeb Bush (Marco Rubio nao me impressiona, esta muito atrelado a rigidez conservadora e nao adianta so falar espanhol para ganhar os latinos), abs, Caio

  219. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 12:31

    (CNSNews.com) – President Barack Obama averaged a 49.1 percent job approval during his first term in office, among the lowest for post-World War II presidents, according to a new Gallup poll.

    Only Jimmy Carter and Gerald Ford had lower job approval averages in their first terms, Gallup reported.
    Here’s how the Post-WWII presidents stack up:

    First-Term Average Approval Ratings:

    Johnson – 74.2%
    Kennedy – 70.1%
    Eisenhower 69.6%
    G.W. Bush – 62.2%
    G.H.W. Bush – 60.9%
    Nixon – 55.8%
    Truman – 55.6%
    Reagan – 50.3%
    Clinton – 49.6%
    Obama – 49.1%
    Ford – 47.2%
    Carter – 45.5%

  220. Samuel

    -

    21/01/2013 às 12:24

    Considero o Obama um bom homem, que possui uma história pessoal de tirar o chapéu. No entanto isso não é suficiente para ser um bom presidente, falta capacidade e experiência para negociar com os falcões da política, tanto democratas quanto republicanos. Também falta capacidade de unir o país a partir de uma narrativa, como existia automaticamente na época da guerra fria. Ousar propor reformas e dizer ao povo americano que se o país não executá-las será deixado para trás pela ditadura chinesa no campo econômico, por exemplo. Os EUA precisam aumentar impostos gradualmente, diminuir isenções tributárias e cortar gastos, além de executar uma agenda vital mas permanentemente oculta no debate: o subsídio governamental na compra da casa própria. A crise de 2008 surgiu com a ajuda da bolha imobiliária inflada pelo subsídio que torna os juros reais negativos, melhor pagar a prazo do que à vista, um estímulo governamental que aumenta o endividamento familiar e desestimula a poupança. No Brasil desde 2009 os imóveis multiplicaram o valor, ano justamente que o Minha Casa Minha vida começou, será coincidência nos 2 casos?
    A América pode dar a volta por cima, mas confio muito mais na ajuda de uma solução tecnológica inovadora(gás de xisto, energia renovável, biotecnologia) que promova um choque de produtividade na economia do que uma decisão formatada por Washington, tanto na presidência quanto no congresso.
    Gostei, caro Samuel, recomendo leitura aos leitores, valeu, abs, Caio

  221. Marcio Silva

    -

    21/01/2013 às 12:05

    A esquerda obamística e sua velha mania de se fazer de vítima.
    Depois que o Obama subiu ao poder , ele extrapolou todas as suas atribuições, passou por cima da vontade popular e dos outro poderes e ainda reclama que o o congresso “dificulta” a aprovação de TODOS os seus desejos totalitários.
    Obama governa por decreto, aprovou tudo o que quis apesar do congresso…
    O que vocês ainda querem?
    O que a oposição aplauda a usurpação completa do poder por parte do executivo?
    Você querem ver os EUA mais parecido com o Brasil?

  222. Ricardo Platero

    -

    21/01/2013 às 11:57

    Caro Ronaldo,

    Não fiz o elogio ao Obama por ter apenas um único comparativo, fiz o elogio por seu comparativo ser o Bush filho, é uma piada, apesar de para mim ser uma verdade.
    Abraços.

  223. Vinicius Medeiros

    -

    21/01/2013 às 11:46

    Caio, algum presidente durante o discurso ‘inaugural’ do mandato já foi vaiado?

  224. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 11:32

    “Eu acredito que Obama não será um dos 10 maiores presidentes do país, mas ele pode ser um dos vinte maiores. No século XXI, ele ainda é o maior.”
    .
    É, né Ricardo, concorrendo só com mais um, não fica tão difícil, né? Isso que é vontade de elogiar Obama, heh

  225. Ricardo Platero

    -

    21/01/2013 às 11:25

    Caro Caio,

    Não comento mais o erro: Obama não é nenhum FDR. Obama é Obama, mas ainda sim temos que saber se Obama é o canditato de sorriso fácil e de boa labia, com promessas que cativam de fato a população ou se ele é o presidente pragmático na economia e no meio militar, e que fez algumas propostas para o avanço social (Obamacare).
    Apesar de não acreditar que ele irá propor isso ou que a sociedade norte-americana está pronta, talvez ele possa fazer alguns avanços sobre o casamento gay, ou fazer propostas sobre a situação das armas no país (ok, isso não era escopo de suas duas candidaturas, mas oportunidades acontecem).
    Eu acredito que Obama não será um dos 10 maiores presidentes do país, mas ele pode ser um dos vinte maiores. No século XXI, ele ainda é o maior.
    Abraços.

  226. Henrique

    -

    21/01/2013 às 11:23

    Bom dia, Caio. Colher de chá pra você, hoje, hein. Excelente texto. Tudo que há de errado na política interna americana foi citado de forma precisa. É o tripé do fracasso: obstrucionismo republicano, liberalismo reacionário e um líder fraco e pouco propenso a negociações. Se tivermos a reprise disso na continuação do governo Obama, aí o caldo entorna de vez e os EUA viram EUE: Estados Unidos da Europa. O preço cobrado será pesado. Tá na hora desses caras deixarem um pouco de lado coisas como hegemonia política (democratas) e volta ao poder (republicanos) e trabalharem pelo país. A começar pelo presidente. Os políticos americanos já fizeram isso – compromissos bipartidários essenciais já foram costurados ao longo da história. Pra tirar o país do atoleiro, terão de fazer de novo. A campanha já acabou, sr. Obama!
    Bom apanhado do caldeirao, caro Henrique, recomendo leitura aos leitores, abs, Caio

  227. Alan

    -

    21/01/2013 às 11:20

    O parlamento dividido com uma leve maioria oposicionista faz alargar os caminhos das idéias e nada melhor do que isso pra realçar o vigor de uma democracia. Se essa oposição se tornar birrenta e excessivamente bloqueadora, é legítimo estimular setores da sociedade a se manifestarem e fazer pressão pelo destravamento das negociações. Ter maioria facilita governar mas tambem abre espaços pra bizarrices.

  228. Marcio Silva

    -

    21/01/2013 às 11:12

    Caio,
    Resumindo…
    Obama quer aumentar a impressão de dinheiro, burocratizar o cotidiano para controlar o cidadão e enfraquecer as defesas do EUA e de seus aliados.
    Acho ótima a postura republicana de barrar projetos ambiciosos, duvidosos e de transformação social , fazendo com que Obama tenha que se explicar…(Obama odeia ter que justificar-se, pois nessa hora que ele é pego mentindo).

  229. Gilkid

    -

    21/01/2013 às 11:06

    21/01/2013 às 10:01 “Nao gosto dos governos atuais, tipo Egito, mas sao mais legitimos do que os anteriores e isto podera trazer seguranca geopolitica a medio ou longo prazo, abs, Caio”
    __________________________
    É como um morador de encosta dizer prá família: “quando a chuva passar vamos procurar um lugar seguro”. Genial. :)

  230. Betty

    -

    21/01/2013 às 11:06

    Pois e’ Sr. Artiiculista, enquanto BO FICA jogando para plateia, o pau come solto em campo. Enquanto isso, a maioria do povo americano continua embevecida com a bela figura…vá se entender.
    Abs

  231. wesley

    -

    21/01/2013 às 11:05

    me faz rir os comentarios exoticos, racistas e sem fundamentos do Sr Caio blinder, contra os republicanos….esta nacao so e o que e por causa de suas escolhas(na maioria esmagadora conservadora) investiguem a historia.

  232. Berlatto

    -

    21/01/2013 às 10:59

    Setti, o Brasil precisa urgentemente importar alguns republicanos do EUA para ensinar como fazer oposição, não? Aqui temos uma oposição medíocre genuflexa. Milhões eleitores brasileiros são órfãos de um partido que tenha coragem para se contrapor ao petismo.
    Prefiro os ranhentos republicanos do que os acovardados do PSDB, DEM, etc. Abs.

  233. Carmem

    -

    21/01/2013 às 10:57

    Vc não pode achar q o GOP- a minoria -deveria estender a primeira mão .
    Se bem q vc mesmo citou o Christie, q vive flertando com os democratas e agora o Coburn da ala mais conservadora, piscando os olhos para Obama.
    Volta e meia um republicano tenta, mas Obama prefere essa política de “no prisoners”, quer simplesmente avacalhar com o GOP, provavelmente para ensinar alguma lição.. . Ele deveria ter permanecido na academia, sempre foi melhor professor do q presidente.
    abs

  234. amauri

    -

    21/01/2013 às 10:52

    A salvacao do Obama é que ele nao tem hegemonia para realizar suas promessas. Os democratas sao “espertos” capitalizam certos, se vangloriando de suas realizacoes e erros, culpam os republicanos por nao deixarem fazer mais aumentos de impostos, elevar a divida…abs

  235. jorji

    -

    21/01/2013 às 10:51

    A grande virtude de Obama é o seu charme pessoal, ganhou a mulherada e enganou os excluidos.

  236. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 10:49

    Obama vai continuar empurrando os problemas econômicos com a barriga e torcendo q a economia americana se recupere espontaneamente,
    GERAÇÃO ESPONTÂNEA É MESMO COM ABRAÇADORES DE ARVORES OBAMETES.
    ELES TEM IDEIAS SENSACIONAIS PARA TUDO, MAS TODAS DÃO ERRADO ENTÃO ESPERA-SE PELO MILAGRE DA G.E.
    UM ESPANTO !

  237. jorji

    -

    21/01/2013 às 10:47

    O Caio também é um Obamete, essa é boa!

  238. NOBODY.

    -

    21/01/2013 às 10:44

    O OCIDENTE ESTÁ DESESPERADO. A ATUAÇÃO FRANCESA NO MALI DEMONSTRA QUE A CRISE FINANCEIRA ESTÁ FAZENDO TODO MUNDO PERDER O PUDOR. O IMPERIALISMO ESTÁ DE VOLTA!
    DIZER QUE UM PAÍS AFRICANO É INVADIDO POIS FAZ PARTE DA “ÁREA DE INTERESSE ” FRANCÊS É ASSINAR A DECLARAÇÃO DE QUE A ÁFRICA TEM DONOS, E ESSES DONOS NÃO SÃO AFRICANOS.
    O MOTE DO TERRORISMO ABRIU A PORTEIRA PARA A VELHA E BOA PRÁTICA DO COLONIALISMO EUROPEU E AMERICANO.
    E VIVA OS “TERRORISTAS” ISLÂMICOS, NUNCA FORM TÃO ÚTEIS E NECESSÁRIOS QUANTO NESSES TEMPOS DIFÍCEIS.
    QUE O DIGA A FRANÇA.

  239. jorji

    -

    21/01/2013 às 10:35

    Será que Obama conseguirá unir o país para tirar os EUA do atoleiro?

  240. jorji

    -

    21/01/2013 às 10:32

    O maior obstáculo de Obama é o próprio partido democrata, a questão mais relevante em termos econômicos é o corte de benefícios sociais.

  241. Carmem

    -

    21/01/2013 às 10:29

    Carmem, esta é a meta de qualquer partido numa democracia, ter hegemonia, para tocar sua agenda, concretizar promessas de campanha.
    .
    Ok, mas isso não quer dizer q seja a melhor configuração para governar o país.
    Aliás um congresso dividido já seria suficientemente bom se Obama tivesse um mínimo de habilidade política.
    abs
    se somarmos a inabilidade politica do Obama com a intransigencia ranheta dos republicanos o resultado é paralisia, abs, Caio

  242. Rony

    -

    21/01/2013 às 10:18

    Eh Caio,
    voces acreditam mesmo no Obama, talvez fe cega seja um exagero, mas levam muita fe nele. A fe entao esta so com uns 5 graus de miopia. :)
    Ficando no seu trocadilho, caro Rony, o problema é a miopia com 10 graus na oposicao republicana, abs, Caio

  243. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 10:16

    O Caio eu defendo, Rony, sua fé em Obama não é cega, é um “obamete moderado”, hehe. Já a empolgação semi-indignada do Lucas me surpreendeu um pouco (até porque ele não dá tanta opinião normalmente no programa, pois o âncora) ao replicar o comentário do Diogo, asseverando que o governo de Obama não é medíocre e que a história lhe fará justiça. O dito em si não tem nada de mais, mas no contexto e sobre Obama… ahei um tanto temerário.

  244. Carmem

    -

    21/01/2013 às 10:14

    Aliás, a capa da TE tá muito “espelho espelho meu , haverá no mundo alguém mais Obama do q eu?” hehehe

  245. Gilkid

    -

    21/01/2013 às 10:13

    maisvalia – 21/01/2013 às 9:06
    _____________________
    Esse artigo do RA foi direto na ferida, o maior erro do Obama foi ter endossado a operação contra Kadafi.

  246. Vinicius Medeiros

    -

    21/01/2013 às 10:12

    Ele não é mais um rockstar, Caio. É um político normal. Não sei foi você ou alguma outra pessoa que afirmou isso. Nenhum pragmatismo e nem mesmo esforço próprio dele será suficiente. Não vai terminar como um Reagan ou Clinton ao menos. Veja como ele envelheceu, hehe. Posso ter sido injusto, mas vamos tirar isso a limpo. Daqui a quatro anos! Não desapareça hein! Abraços.

  247. jorji

    -

    21/01/2013 às 10:12

    Será que os EUA não controlam crises internacionais? sempre o fizeram no século passado, e ainda o fazem, até esta famigerada primavera árabe, pode ter sido obra dos americanos, usam o poder que tem de forma inescrupulosa, sempre defendendo seus interesses geopolíticos e econômicos, às vezes com êxito, e às vezes com grandes fracassos, mas definitivamente ainda são o país mais influente do mundo, e estão certos.

  248. Carmem

    -

    21/01/2013 às 10:10

    Bom dia Caio,
    Ontem no MC vc disse q a salvação de Obama seria um congresso inteiramente democrata. Eu acho o contrário, q tipo de reforma Obama faria com um congresso desses? Cortar benefícios?
    O melhor para ele seria um congresso republicano pq não teria outra alternativa senão negociar, aliás coisa q fez muito bem ao Clinton.
    De qq forma, acho improvável q qq partido domine o congresso nas próximas eleições..
    Obama vai continuar empurrando os problemas econômicos com a barriga e torcendo q a economia americana se recupere espontaneamente, o jeito é esperar q ele seja sortudo, é a única forma dele deixar um legado decente.
    abs
    Carmem, esta é a meta de qualquer partido numa democracia, ter hegemonia, para tocar sua agenda, concretizar promessas de campanha. Nao era esse o objetivo republicano depois da primeira vitoria de Obama em 2008? Impedir que ele tivesse um segundo mandato? A coisa é assim, ab, Caio

  249. Rony

    -

    21/01/2013 às 10:10

    Caio,
    sobre o Obama, repetiria aqui, sem trocar uma unica palavra, o comentario do Diogo no Manhattan Connection ontem.
    Fiquei impressionado ontem com a fe cega que voce e o Lucas tem em relacao ao Obama.
    E nao entendi tambem essa necessidade urgente do Obama conseguir a maioria no congresso. Quer dizer que agora para se poder governar os EUA os presidentes precisam ter marioria no congresso e no senado? Isso eh desculpa dele. Como disse o Diogo, eh o alibi perfeito pra incompetencia do Obama.
    Grande abraco
    Fe cega? Abs, Caio

  250. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 10:07

    Também prefiro a legitimidade, Caio, mas ela, infelizmente, não tem nada a ver com segurança; muitas vezes, a tirania ilegítima traz mais segurança (o problema é o preço que se paga pela segurança, que não vale a pena).

  251. Vinicius Medeiros

    -

    21/01/2013 às 10:03

    Eu depositava mais confiança no Obama antes do que agora. Sim, eu sei! Metade dos EUA também pensa assim. Not all that glitters is gold. Com certeza, ele vai entrar para a história como o primeiro presidente negro e como o homem que ‘matou’ o maior terrorista do mundo e não muito além do que isto.
    Viniciou, esta comecando o segundo tempo do jogo, e voce ja decidiu o placar? Abs, Caio

  252. amauri

    -

    21/01/2013 às 10:01

    O melhorou que voce afirma é que os ditadores que deveriam ser tirados efetivamente foram tirados ( menos o Assad)? Ou foi uma melhora geral? Tipo segurança geopolítica, liberdades… abs
    Nao gosto dos governos atuais, tipo Egito, mas sao mais legitimos do que os anteriores e isto podera trazer seguranca geopolitica a medio ou longo prazo, abs, Caio

  253. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 9:55

    Sem contar, Felipe, a polêmica de se foi o New Deal mesmo que alavancou a economia novamente ou se foi só o ciclo mesmo…

  254. Felipe Goltz

    -

    21/01/2013 às 9:51

    “Então esse, Felipe, é o maior abacaxi de todos os tempos da América?”

    >>> Não. Pois o crash da Bolsa de NY em 1929, dizem, foi muito pior. Mas eram outros tempos. Dava para fazer um New Deal da vida. Hoje, não. Abs, Felipe.

  255. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 9:36

    “Caro ROnaldo, no caso aqui esclareco que fazer politica é enfiar a mao na massa, fazer linguiça,fechar os acordo, costurar pactos”
    .
    Você tem razão, Caio, política de verdade, ele faz pouca; eu pensei na “politicagem”, mas seu texto de hoje fala da política mesmo, a eficaz e que marca a História.

  256. amauri

    -

    21/01/2013 às 9:34

    Franklin Roosevelt foi o grande resposavel pela melhora economica americana? abs
    Alguns dizem que levou a economia para o socialismo e errou por permitir que os russos tomassem conta da Europa Oriental,um tipico banana humanista, abs, Caio

  257. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 9:34

    “Mas que, na verdade, foi sendo dilapidada ao longo dos anos por sonhos de grandeza irrealizáveis e irresponsáveis. Um dia, como diz o adágio, a casa cai. Ou a conta chega. E chegou. Para o azar de Obama, foi entregue na Casa Branca justamente quando era, e ainda é, presidente.”
    .
    Então esse, Felipe, é o maior abacaxi de todos os tempos da América?

  258. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 9:31

    Isso, Amauri, “antropogênico” eu quis dizer, não “antropomórfico”, heh.

  259. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 9:11

    “Obama está correto: é preciso um Pentágono mais enxuto, mas também é preciso repensar o arsenal social do país e até agora o presidente não deu mostras de ser aguerrido nesta questão de oferecer concessões significativas em programas de saúde e de aposentadoria. O presidente precisaria de coragem para enfrentar o “liberalismo reacionário” de setores da base democrata, que não arredam pé de seus benefícios.”
    .
    Bem isso mesmo, Caio. Boa observação para quem põe todo “o sofrimento do pobre Obama” na conta dos eventos internacionais ou dos republicanos.

  260. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 9:08

    O sujeito é puro marketing mesmo, sua preocupação é a imagem mesmo, heheh. Veja se um grande líder como, sei lá, Lincoln, Roosevelt ou Reagan ia consultar um manual “Legado, como deixar o seu” ou se reunir com especialistas e planejar como deixar seu legado… Que tempos, hein?!

  261. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 9:06

    AGORA VAMOS PARA AS POUCAS, DIRIA MÍNIMAS CRITICAS BANANEIRAS:
    …Verdade, muitos ainda o idolatram como um rock star ou algo do gênero. Gostam de Obama porque gostam de Obama. Não há o que fazer. Para eles, o presidente ainda é uma figura da paz, incapaz de matar centenas de civis com seus Drones no Yemen, na Somália e no Paquistão, de triplicar o número de tropas no Afeganistão e de deportar 1,5 milhão de seres humanos. Não há muito o que fazer em relação a estas pessoas. São fãs cegos do presidente…
    …Dentro do previsível, sabemos que a Argélia não o consulta para realizar uma operação envolvendo reféns americanos. A França inicia operação em Mali praticamente sem coordenar com a Casa Branca. Israel constrói assentamentos e a Palestina busca reconhecimento na ONU apesar da oposição de Washington. O regime de Bashar al Assad e a oposição síria o ignoram completamente. E ele ignora totalmente a América Latina, incluindo o México, a ponto de não ter citado a região em nenhum de seus debates e discursos de campanha.

    O combate ao terrorismo, vendido como vitória pelo assassinato contra Bin Laden, sofreu um duro revés. A Al Qaeda no Maghreb se fortaleceu depois da queda de Muamar Kadafi, que contou com o apoio de Obama. Basta ver os eventos na Argélia, na Líbia e em Mali. Na Península Arábica, Obama segue com seus assassinatos seletivos com Drones, que matam lideranças do braço da Al Qaeda na região, mas também deixam centenas de civis, incluindo crianças e mulheres, mortos. G. Chacra
    http://blogs.estadao.com.br/gustavo-chacra/
    §

    …Kadafi, depois de ter deixado de praticar, ele próprio, atos terroristas, mantinha a cachorrada da Al Qaeda na coleira. Ninguém precisava chamá-lo de “amigo e irmão”, como fez Lula. O que não é aceitável é que aquelas vastas solidões da Líbia, da Argélia, de Níger, do Mali, do Chade tenham se convertido em área de livre trânsito do terror.

    Os obamistas e sua determinação de ver o mundo como ele não é digam o que quiserem. O fato é que Obama começou o seu mandato, em 2008, com o Oriente Médio e adjacências conflagrados. Quatro anos depois, o status da região não mudou — em muitos aspectos, piorou, porque ainda mais hostil ao Ocidente e a Israel —, e agora é o Norte da África que se vê às voltas com as milícias assassinas que já eram rotina no Sudão. Com uma diferença, no entanto: as de agora estão ligadas à “rede”.

    Ah, sim: desta vez, “Jorjibúxi” e os republicanos não têm nada com isso. Não adianta o Jabor insistir…
    Por Reinaldo Azevedo
    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/o-terror-no-norte-da-africa-e-o-primeiro-dia-do-segundo-mandato-de-obama-o-mundo-esta-menos-seguro-do-que-ha-quatro-anos/
    ACHO QUE VAI SER MUITO DIFÍCIL ACHAR OUTRO CRÍTICO DO MESSIAS, HEHEHEHEHE

  262. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 9:05

    OPA, MANDEI SEM TERMINAR:
    O problema do tal “aquecimento global” é que virou mais uma bandeira política, distante da questão técnica, científica.

  263. amauri

    -

    21/01/2013 às 9:05

    Neste ultimos quatro anos, obametes e democratas culpam os conservadores para que a economia nao melhorou. Em assuntos externos, principalmente Oriente Medio, o cenario é melhor agora ou pior? abs
    Melhor, abs, Caio

  264. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 9:04

    “um daqueles estados mais associados ao atraso republicano, de gente jeca, que questiona a teoria da evolução, duvida do aquecimento global”
    .
    Opa, aquecimento global até existe, mas a polêmica é se a causa é antropomórfica, pois já houve manipulação de pesquisas (gente que assumiu tê-lo feito), além de que já houve outros momentos de resfriamento e aquecimento da Terra, que é dinâmica. O problema do tal “aquecimento global” é q

  265. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 8:59

    ” Ademais, uma parcela do país não é alinhada a nenhum dos dois grandes partidos e nunca se deixou enfeitiçar pela magia Obama.”
    .
    Ah, bem lembrado, não adianta também botar a culpa toda nos republicanos…

  266. Ronaldo

    -

    21/01/2013 às 8:57

    Bom dia, Caio.
    .
    Eu, como minúsculo comentador e grande ignorante, opino:
    .
    “O presidente nunca mais irá concorrer à presidência e até agora se mostrou muito melhor para fazer campanha do que para governar.”
    Concordo
    .
    “Aliás, prefere fazer campanha do que fazer política, como se esta última atividade fosse uma tarefa menor.”
    Discordo, ele faz política bem até demais; o problema é que às vezes é politicagem ou simplesmente jogar pra torcida, como se ele não fosse “político de washington”, heh.
    Caro ROnaldo, no caso aqui esclareco que fazer politica é enfiar a mao na massa, fazer linguiça,fechar os acordo, costurar pactos, abs, Caio

  267. maisvalia

    -

    21/01/2013 às 8:51

    Boa análise, liberal para o meu gosto, mas boa.
    Gostei especialmente disso:
    … Ademais, uma parcela do país não é alinhada a nenhum dos dois grandes partidos e nunca se deixou enfeitiçar pela magia Obama…
    Um alívio, vez que na mídia nativa, isso é impossível.
    E uma manchete de hoje:
    …Em seu discurso, Obama pedirá à população que pressione o Congresso para preservar programas sociais…
    Começou o segundo do mais do mesmo!
    Nao vi estas mensagens na imprensa americana, algumas mensagens falam de pais dividido e de imensos desafios a frente, abs,Caio

  268. amauri

    -

    21/01/2013 às 8:50

    Embora ambos os lados (republicanos e democratas) dizem que um default full-blown pelos Estados Unidos é impensável, o passado americano tem alguns casos registrados. Voce Caio, endossa esta afirmação? abs

  269. Felipe Goltz

    -

    21/01/2013 às 8:48

    Bom dia, Caio
    Artigo didático escrito em tópicos sobre um governante que, para muitos, ainda não disse a que veio. Comentei em outra ocasião que Obama é parcialmente inocente na embromação que foi seu primeiro mandato. Digo deste modo, pois há uma questão fiscal brava nos EUA, com pouquíssima colaboração política. Na verdade, há uma guerra ideológica no norte da América em curso desde 2008, na qual republicanos, e seus setores mais medievais como o Tea Party, e democratas travam batalhas em um momento muito complicado para os EUA. Acho que muitos americanos – e não-americanos como nesta coluna, por exemplo – estão chateados com Obama, pois foi este que lhes contou uma coisa que bastante gente ainda não sabia ou fingia não saber: os Estados Unidos da América não são um país de gente excepcional, única, vencedora, ungida por Deus e predestinada a dominar o mundo para sempre. Barack Obama tem a tarefa nada agradável de mostrar aos americanos, não-americanos americanófilos, anti-americanos e aqueles indiferentes aos americanos que estes, vejam que incrível!, também tem dor de barriga, contas no vermelho, um número crescente de pessoas que ou passam fome ou que perderam a própria casa ou os dois a bolha dos derivativos e mercado imobiliário e por aí vai. Tudo isso agravado por uma economia que cultivava com tanto esmero a fama de ser excepcional, única, vencedora, ungida por Deus e predestinada a dominar o mundo para sempre. Mas que, na verdade, foi sendo dilapidada ao longo dos anos por sonhos de grandeza irrealizáveis e irresponsáveis. Um dia, como diz o adágio, a casa cai. Ou a conta chega. E chegou. Para o azar de Obama, foi entregue na Casa Branca justamente quando era, e ainda é, presidente. Muita coisa pode se dizer sobre Barack Obama, que é demagogo, reticente, vacilante, isso e aquilo. Mas não dá para negar que o abacaxi a ser descascado, e já está sendo descascado a muito custo, levará muito mais que meros oito anos de mandato presidencial.
    Abs,
    Felipe
    O abacaxi é excepcional, caro Felipe, mas em outras partes é mero acabaxai, abs, Caio

  270. amauri

    -

    21/01/2013 às 7:29

    Bom dia Caio! Escreva um dia um post sobre suas certezas do aquecimento global (seria antropogênico?). Voce já flertou que quem nao acredita, ou melhor, tem fé, é meio que atrazado. abs

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados