Blogs e Colunistas

Curtas & Finas (Abismos & Fossos)

Os líderes nacionais Obama e Boehner

E existe o tal do abismo fiscal (estou com os alpinistas políticos que preferem o termo declive, menos alarmante), envolvendo as negociações entre os democratas de Barack Obama e os republicanos sobre impostos e gastos públicos. Cada partido com sua teologia (republicanos contra impostos e democratas a favor de gastos públicos) e também com as considerações táticas e estratégicas (o que ceder? Como apaziguar as diversas alas partidárias? Como conciliar convicções ideológicas com interesses eleitorais e mesmo o interesse nacional?).

Os dois principais alpinistas são o presidente Barack Obama, é claro, e o presidente da Câmara, o republicano John Boehner. Para Obama, que conseguiu ir ladeira acima e ganhar a eleição em novembro, a meta é ter um segundo mandato de sucesso. Para Boehner, a medida de sucesso será manter o partido unido “na medida do possível”, com algumas alas simplesmente em estado de negação sobre a derrota em novembro e avessas a qualquer tipo de compromisso sobre o abismo fiscal ou qualquer abismo. Sim, os republicanos mantiveram a Câmara, mas perderam as eleições, pois terminaram com menos cadeiras nas duas Casas (no Senado, os democratam ampliaram a maioria).

As opções no abismo fiscal agora são uma grande barganha, uma pequena barganha ou ausência de acordo. Saberemos se os líderes nacionais são grandes, pequenos ou o país simplesmente carece deles. Os liderados querem tudo. Pesquisas são confusas. Os americanos concordam com Obama sobre taxar os mais ricos, mas no geral não querem pagar mais impostos, cortar benefícios e se dizem preocupados com a esbórnia fiscal.

Ah, e os americanos não gostam do Congresso, num sentimento bipartidário,  este mesmo Congresso que montou para si a cilada do abismo fiscal em 2011, decidindo por este aumento automático de impostos e corte automático de gastos a partir de janeiro.

Obama está em uma situação mais confortável para negociar: sem acordo, os impostos vão subir para todo mundo e aí os republicanos, o partido antiimposto, vai pagar o pato. Ademais, pesquisas mostram que por uma margem muito confortável, os americanos vão responsabilizar os republicanos por danos causados pela ausência de um acordo, como uma recessão em 2013.

As negociações são tortuosas. Obama venceu, mas o país continua dividido e não apenas em Washington. As divisões partidárias são rígidas, com um fosso imenso entre os dois lados. O sistema de desenho distrital (a palavra precisa é feia: redistritamento) amplia o fosso e diminui o incentivo para o compromisso.

O mapa pós-eleitoral mostra como as áreas vermelhas (republicanas) estão mais vermelhas e as azuis (democratas), mais azuis. Os indicadores de polarização, cortesia do Cook Political Report, são impressionantes. E impressiona também que os resultados eleitorais ainda sejam incompletos (faltam sete distritos).

Dos 234 republicanos eleitos para a Câmara, apenas 15 são de distritos em que Obama venceu. E de 201 democratas eleitos, apenas nove são de distritos que deram a vitória para o republicano Mitt Romney.

E os parlamentares não apenas têm distritos partidários de total confiança, mas 1/4 deles venceram de lavada, com mais de 70% dos votos. Estão em Washington com este mandato triunfal. Qual é o estímulo para fazer concessões, mesmo que este seja do interesse nacional ou da própria liderança partidária? Para os líderes, portanto, é este imenso desafio: não apenas impedir o abismo, mas diminuir o fosso.

***

Humor para mim é suprapartidário, então a colher de chá vai para o Maisvalia (dia 12, 10:21), com a história do Obamadon. Pena que nenhum leitor tenha conseguido cravar um comentário às 12:12 do dia 12 de 12 de 2012. Iria dar 12 colheres de chá. Amauri quase conseguiu. E colher de chá noturna para o leitor que atende pelo nome de Lord Keynes do século XXI (dia 12, 22:18), interessante, deveras interessante.

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

118 Comentários

  1. Rodrigo CHELSEA

    -

    13/12/2012 às 19:19

    “Samuel Beckett- Escritor plural”, excelente livro de Célia Berrettini.

  2. carlos cezar chelsea 2 x 0

    -

    13/12/2012 às 17:48

    Rodrigo, eu li um trecho da biografia de “Beckett – silêncios – ensaios a partir da poética cênica”, onde o autor diz que Beckett, pessoalmente, respeitava o ser humano e era muito discreto, ou seja, um sujeito com classe e cultivador de amizades, em parte. Talvez seja por isso que ele defendia alguns valores.

  3. Rodrigo CHELSEA

    -

    13/12/2012 às 14:49

    Na verdade, Carlos Cézar, Beckett não tinha fé em absolutamente nada: em Deus, no homem, no sentido da vida, no amor, na riqueza, na democracia, na capacidade da linguagem etc. Ao mesmo tempo, lutou contra o nazismo e sempre condenou o apartheid. Pode-se perguntar: Se era niilista, baseado em que defendia alguns valores?

  4. carlos cezar

    -

    13/12/2012 às 12:03

    Boa sacada, Rodrigo, sobre o Beckett, embora eu conheça a frase numa tradição um pouquinho diferente: “não importa, tente de novo, caia de novo, caia melhor!” De tão pessimista ele foi até otimista: mesmo pra cair temos de acreditar que é possível fazer isso inúmeras vezes… desde que possamos nos erguer de novo.

  5. Rodrigo

    -

    13/12/2012 às 11:45

    Demasiado otimista o Lord Keynes, mas Paul Johnson já disse que os EUA são a nação otimista por excelência. Mas vamos lembrar o conselho de Samuel Beckett, que de otimista nunca teve nada: “Tente de novo. Fracasse de novo. Fracasse melhor.” Duro é algum político ouvir Beckett, hehehe.

  6. macaca fuscata, de Banânia..

    -

    13/12/2012 às 11:31

    Cada macaco no seu galho e…na sua floresta.
    Eu prefiria em Cuba, honestamente, a viver na Suiça, o país mais corrupto do mundo, a custa da miséria de milhões. Não preciso lembrar a ingnonimia que fizeram com judeus em conluio com os Nazistas!!!
    Os Cubanos de Miami vão voltar pra Cuba…com dinheiro, hahahh, bilhões…GUARDEM ESTE POSTE!
    Fidel não viverá pra sempre…mas antes vai enterrar vários ex presidentes americanos, até o safado, ops, safenado Clinton!
    As pessoas são muito carteseanas, sabe, eu entendo!
    Leiam tb http://www.gramma.cu ! para se informar melhor!

  7. Francisco

    -

    13/12/2012 às 11:05

    Caro Caio, o problema são as duas alas extremistas, mas só o Tea Party é estigmatizado. Quanto às pesquisas: Se não houver acordo, os reponsáveis serão os republicanos; aposto que a pesquisa também indica que, se houver acordo, os aplaudidos serão os democratas. Assim é fácil, não?

  8. Queiroz

    -

    13/12/2012 às 9:34

    Caio, desculpe se não consigo ser diplomático nesse particular. Je suis desolé! Eis a evidência inequívoca. 50 segundos de sua atenção.
    http://www.youtube.com/watch?v=YKjPI6no5ng
    *
    Não há nada fora do contexto, ele aproveitou a deixa daquele livro, citado no Manhattan Connection inclusive, que força a barra pra dizer que não há um genuíno self-made men. Simplificando, o empresário banca a empresa, folha salarial, custos de produção, publicidade, assessoria de imprensa, tributação pesadíssima, riscos do negócio, demandas judiciais, para não ter nem o mero reconhecimento de sua atividade, de seu sucesso, apenas porque o Estado pode ter financiado a educação básica de alguns de seus funcionários, ou porque construiu uma ponte, ou um porto?! Como assim fora de contexto?!
    Quer dizer que o Estado cumpre sua mera obrigação, pela qual é muito bem remunerado, com a autoridade para tributar ou endividar o Estado com empréstimos para cumprir tais desígnios, e ainda por cima temos de reverenciá-lo?!
    AVE ESTADO CAESAR! Ou AVE ESTADO CZAR?

  9. maisvalia

    -

    13/12/2012 às 8:23

    Meu caro, se nao me engano a Politifact deu o premio de mentira no ano passado a uma propaganda do Obama,
    A GRANDE DIFERENÇA MEU CARO É QUE A MENTIRA DO SEU PROTEGIDO E UNGIDO – GITMO – É PERENE.
    NA CAMPANHA ELE VOLTOU A AFIRMAR QUE IRÁ FECHA-LA, MESMO SABENDO QUE NÃO VAI.
    ENTÃO NÃO HÁ MAIOR MENTIRA QUE ESTA, POR MAIS QUE OS POGRECISTAS ABRAÇADORES DE ARVORES COMO VOCÊ QUEIRAM.
    Fraquinha esta, hehehe, abs, Caio

  10. Queiroz

    -

    13/12/2012 às 8:16

    Obama é o mais perto do PS que os EUA podem produzir.
    Caro Caio, na prática, eu prefiro um Hollande que taxa em 75% e claramente diz que não quer que o empreendedorismo prospere, para haver estadodependência, do que um Obama que taxa as microempresas de 35% para 40%, fingindo acreditar na livre iniciativa.
    Já deixou bastante claro que não acredita.
    - “You didn’t build that”
    Vaya estatismo estéril.
    Alias, caro QUeiroz, a exploracao deste slogan you didn’t build that, frase fora do contexto, é outra das mentiras do ano, abs, Caio

  11. Pedro I. (O Bouvetiano)

    -

    13/12/2012 às 7:35

    “Este lobby austriaco na coluna nao é mole, pior quando vem mesclado com o lobby paulista (ron paul) hehehe, abs, Caio”
    .
    Bem, aproveita que este é o único tipo de lobby Austríaco que um patrício poderia fazer, né? Sieg libertären! :)
    Boa, hehehe, judeu pode rir desta, abs,Caio(judeu paulista),

  12. Marcel

    -

    13/12/2012 às 0:57

    - Romey ganhou a mentira do ano ? E foi a imprensa que deu ? Ohhhhhhhhhhhhhhhhhhhh estou chocado, nunca pensei que a imprensa baba faria isso com algum republicano.

    - Obama ganha um prêmio sobre mentira e logo caí no esquecimento. O pior é que está todo mundo vendo que a imprensa acoberta as coisas, o lado republicano fica chateado e os democratas vibram. Só um cego para não ver. Mas não vou ficar levantando discussões passadas, a verdade é que as pessoas já tomaram o seu lado nessa empulhação e não importa qual argumento usemos.

    Obs: Obama deveria ganhar a mentira do século.. ehhehe

    Caro Marcel, voce ficaria chocado se eu dissesse que Politicfact tivesse dado aos democratas o premio de mentira do ano? Pois deu em 2011, abs, Caio
    Lie of the Year 2011: ‘Republicans voted to end Medicare’
    By Bill Adair, Angie Drobnic Holan
    Published on Tuesday, December 20th, 2011 at 12:05 a.m.

    After two years of being pounded by Republicans with often false charges about the 2010 health care law, the Democrats were turning the tables.

    PolitiFact debunked the Medicare charge in nine separate fact-checks rated False or Pants on Fire, most often in attacks leveled against Republican House members.

    Now, PolitiFact has chosen the Democrats’ claim as the 2011 Lie of the Year.

  13. maisvalia

    -

    13/12/2012 às 0:11

    guantânamo

    O juiz militar americano coronel James Pohl aceitou hoje que a censura aos testemunhos dos presos da prisão de Guantânamo, em Cuba, seja mantida por motivos de segurança nacional.

    Manteve valendo o pedido do governo americano para que se mantenham os 40 segundos de atraso na transmissão dos processos dos prisioneiros, que podem ser acompanhados pelo público e a imprensa por circuito fechado. O atraso ocorre para dar margem às autoridades militares decidirem se o que está sendo dito é informação confidencial, e em caso positivo o áudio é interrompido.

    O juiz informou ter recebido pedidos da CIA, do Departamento de Defesa e do FBI para que o atraso continuasse com o objetivo de preservar a segurança nacional.

    Entidades de direitos humanos reagiram, afirmando coisas como “o governo quer se assegurar que os americanos nunca escutem os testemunhos dos acusados sobre as torturas ilegais da CIA”.
    GOZADO, OUVI EM ALGUM LUGAR DITO POR ALGUM CANDIDATO QUE ELA ESTARIA FECHADA NESTES DIAS.
    AINDA BEM PARA OS POGRECISTAS QUE O PREMIO DA MENTIRA FOI PARA O MITT.
    ELE SÓ FALOU UMA MENTIRA E O BOBAMA É O PELÉ NESTE QUESITO, NÉ CAIO?
    Meu caro, se nao me engano a Politifact deu o premio de mentira no ano passado a uma propaganda do Obama, portanto simplesmente aceite o fact politico de 2012 e nao mude de assunto e saia um pouco desta bolha Fox, fará bem para a saude e sanidade mental, heheehe abs, Caio
    PS- se voce quer que eu diga que o Obama mente, nao tenho problema, ele mente.

  14. Sanidade Republicana

    -

    12/12/2012 às 23:50

    Ilustríssimo Yes, We, Scam, you can not scam.

  15. Yes, We Scam

    -

    12/12/2012 às 22:50

    Ho ho ho, então quer dizer que a Fiat não tem planos de constuir fábricas da Chrysler na China?
    Não te passaram o memo, Caio?
    A Fiat já admitiu isso abertametne.
    Então, onde está a mentira nisso?
    Ninguém está falando em fecahr as fábricas qu já existem nos Estados Unidos, mas em abrir fabricas na China ao invés de abrí-las nos Estados Unidos.
    Essa é uma verdade pura e cristalina, mas pogreçista adora manipular as informações e desconversar, hehehe.
    Fair and banlanced, hum? Oh, yeah…
    Ok, meu caro, aqui esta a historia, na versao da revista socialista e obamista Forbes, serve? Abs, Caio
    So he has stirred up angst in Ohio, a crucial swing state, by telling supporters that Chrysler, which received a $10.5 billion federal taxpayer bailout, is considering moving all of its Jeep production to China. Of course, that is not true, as countless reporters and political fact-checkers have shown. He followed up with a TV ad
    http://www.forbes.com/sites/joannmuller/2012/11/01/memo-to-mitt-romney-building-jeeps-in-china-is-good-for-america/

  16. Carmem

    -

    12/12/2012 às 22:39

    Boa hehehe

  17. Carmem

    -

    12/12/2012 às 22:33

    Perdi por pouco.
    coisa de eleitora do Romney, hehehe, abs, Caio

  18. Carmem

    -

    12/12/2012 às 22:30

    Além de perder o Mitt virou o bode-expiatório-in-chief.
    Pô, esse pessoal não cansa não? Slate.. Ta bom.
    Abs
    Slate é fonte, Carmem, very very very good source, really fair and balanced, pulitzer prize politifact, abs, Caio
    PS- em breve vem a cavalaria dizer que o site é esquerdista, liberal, no bolso do Obama, buah, buah, buah, abs, Caio

  19. Lord keynes do sec.XXI

    -

    12/12/2012 às 22:18

    Minha profecia é q os estados unidos se encaminham para uma para uma nova golden age.a conjunção de inovação tecnológica,excelência de suas universidade,o espírito animal do capitalismo made in usa sincronizado a um estado mais engajado em resolver os problemas sociais e regular o mercado financeiro, a revolução energética oriunda do xisto,tudo isso me leva a crer q os estados unidos permanecerão como a grande potência do secxxi,só q com feições latinas e social-democratas
    not bad, gostei!comentario redondo em varios sentidos (numero cem nesta coluna, alias), colher de cha noturna, abs, Caio

  20. Pedro I. (O Bouvetiano)

    -

    12/12/2012 às 22:17

    “The ultimate cause, therefore, of the phenomenon of wave after wave of economic ups and downs is ideological in character. The cycles will not disappear so long as people believe that the rate of interest may be reduced, not through the accumulation of capital, but by banking policy.” — Ludwig von Mises
    Este lobby austriaco na coluna nao é mole, pior quando vem mesclado com o lobby paulista (ron paul) hehehe, abs, Caio

  21. Joao Felipe

    -

    12/12/2012 às 21:53

    Caio.
    Sobre a mentira, acho que Romney se deixou levar pelo partido.
    Aliás, estou entre os que acham que os republicanos perderam apesar de Romney e não por causa dele. Até Newt Gingrich partilha dessa opinião.
    Mais uma vez recomendo o site “Era uma vez na América”. Lá há varios post sobre o assunto (só pra reforçar, dos três autores, dois simpatixam mais com o GOP)

  22. Joao Felipe

    -

    12/12/2012 às 21:49

    Mas como toda história tem duas versões, Ninguém menos que Bob Woodward lançou recentemente um livro contando os bastidores da crise da dívida em 2011. Para ele, o principal responsável pela fracasso foi Obama. Não li o livro, mas o argumento central “estamos na era Obama e não na era Boehner” me parece bastante plaúsivel, embora eu discorde.

  23. Henrique

    -

    12/12/2012 às 21:47

    Putz, Caio, aquela do Limbaugh que ficou em primeiro lugar pros leitores é de lascar também hein!
    PS: valeu, João Felipe. Agora, com ou sem redistritamento, o fato é que eles ganharam, né? Sobre o Romney, também acho que, nesse contexto, ele poderia ter tido mais do que os cabalísticos 47%! Mas infelizmente não aconteceu assim…

  24. Joao Felipe

    -

    12/12/2012 às 21:41

    Carmem.
    Na crise da dívida em 2011, Obama chegou ao fundo do poço de sua aprovação. Mas uma pesquisa na época foi reveladora: 54% culpavam ele pela crise da dívida, só que 77% culpavam os republicanos.
    Acho que antes da campanha, o GOP já tinha se queimado com o público. Lembro que nas entrevistas as pessoas diziam “queremos líderes que pensem primeiro no país que no partido.” Era uma crítica direta ao Tea Party. Obama e Axelrod só perceberam o óbvio.
    Abs.

  25. Joao Felipe

    -

    12/12/2012 às 21:35

    Henrique.
    Como já disse, os candidatos democratas a Câmara receberam mais votos populares que os candidatos republicanos, que só mantiveram a maioria devido ao redistritamento. Além disso, com o desemprego em 7,9% e cerca de 55% achando que o país estava no caminho errado, não me parece tão absurdo que Romney tenha tido 47% (rsrs) dos votos, aliás, penso que poderia ter tido mais.
    Valeu pela resposta.

  26. Henrique

    -

    12/12/2012 às 21:15

    João Felipe, na minha opinião, isso vai se dar por causa da metafísica vigente no país. Os democratas vêm sendo indiscutivelmente mais habilidosos na guerra de propaganda. Os republicanos, por sua vez, tropeçam em suas próprias pernas há quase 3 anos – a estratégia de comunicação do partido junto à sociedade vem se revelando um fracasso monumental. E o mais incrível é que, mesmo com todas as suas falhas, os republicanos mantiveram o controle da Câmara e alcançaram mais de 47% dos votos populares na eleição presidencial! Acho que a quase totalidade do GOP passou umas temporadas secretas de estágio aqui no Brasil aprendendo com os tucanos como serem um bando de rematados incompetentes nas brigas de palavras! O fato é que, de novo, nesse caso do tal “abismo”, ambos têm culpa ao permitirem que a situação chegasse a esse ponto mas, pra variar, quem ficará mal na foto são os republicanos (muito por culpa deles mesmos não só na questão da comunicação mas também, claro, pela inflexibilidade ideológica – que também acomete os democratas).
    Perdao, pela maldade, caro Henrique, mas falando em problema de comunicacao e recorrendo ao termo ignobil da Carmem abaixo, registro que um comercial de campanha do Romney ganhou o premio de mentira do ano. Alguma coisa, ele ganhou, hehehe, abs, Caio
    http://www.slate.com/blogs/the_slatest/2012/12/12/romney_wins_lie_of_the_year_gop_jeep_ad_named_biggest_lie_by_politifact.html

  27. Joao Felipe

    -

    12/12/2012 às 21:07

    Concordo com o Caio (resposta ao Platero 12/12/2012 às 18:00). Uma das razões da vitória de Reagan em 80 é que o GOP era minoria no congresso desde 1954, assim eles puderam jogar toda a culpa da crise no colo de Carter e os democratas.
    Como o GOP venceu em 2010, eles passaram a ter a mesma responsabilidade de Obama. Sua inflexibilidade arruinou a imagem do GOP e do congresso e Obama saiu fortalecido já no final de 2011. Se tivessem permanecido minoria a história podia ter sido outra

  28. Carmem

    -

    12/12/2012 às 21:06

    Não preciso dizer qual campanha venceu..

  29. Carmem

    -

    12/12/2012 às 21:05

    Pq Obama fez uma campanha ignóbil reforçando q o gop era mau e radical, e alguns republicanos reforçaram essa visão.
    Falando em ignobil, Carmem,hehehe, abs, Caio
    http://www.slate.com/blogs/the_slatest/2012/12/12/romney_wins_lie_of_the_year_gop_jeep_ad_named_biggest_lie_by_politifact.html

  30. Joao Felipe

    -

    12/12/2012 às 20:56

    Uma pergunta aos republicanos da coluna:
    Porque a grande maioria dos americanos considera que serão os republicanos os culpados se não houver um acordo?

  31. Pedro I. (O Bouvetiano)

    -

    12/12/2012 às 20:22

    “macaca fuscata – 12/12/2012 às 20:09″
    Colher de chá do Santo Daime pra você, Ney :)

  32. Carmem

    -

    12/12/2012 às 20:18

    Boa noite macaca.

  33. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 20:16

    É, Nei, e Cuba tá rica pra caramba, em quatro anos vira a Suíça…
    Em que planeta vc vive mesmo?

  34. macaca fuscata, de Banânia..

    -

    12/12/2012 às 20:12

    Boa noite a todos, vou dormir feliz hoje, a Praça Tahir está vazia, no…Egito!

  35. Pedro I. (O Bouvetiano)

    -

    12/12/2012 às 20:10

    “Ronaldo – 12/12/2012 às 19:34″
    O comunismo se alimenta da ambição do povo de querer ser proletariado. Já o capitalismo se alimenta da ambição do povo de querer da elite.

  36. macaca fuscata

    -

    12/12/2012 às 20:09

    Sr Ronaldo, por que me persegues? Me sinto como S. Paulo, na estrada de Damasco, ou melhor como o famoso Palestino nascido em Bethhelem!!!
    Cuba permite a livre iniciativa, já faz alguns anos, quem disse foi…o NYT de domingo, sorry…
    Vamos ler mais e se informar corretamente!
    HHHahahahahhahahah, foi o que fizeram….sobre a China ser a Primeira Economia do mundo há 20 anos, ahahhahh, ahahhahha o Sr é muito engraçado! e….desinformado!
    O Henry Kissinger já esteve 90 vezes na China!
    RPC..não é república popular corintiana!!! ahhahah

  37. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 19:34

    “O capitalismo está em crise, percebi agora, um insight, sabe!”
    .
    Grande insight! O capitalismo está sempre em crise, a graça é que ele mesmo implica a recuperação, o socialismo é que só tem um caminho (que não vou dizer qual é, pra ver se vc tem um insight pra sacar…)

  38. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 19:30

    “Mais 4 anos , a economia de Cuba estará melhor que a de Miami!”
    .
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA. Nem em 400 anos de governo democrata, meu caro (a menos que Cuba deixasse de ser comunista, é claro, aí quem sabe…)

  39. macaca fuscata

    -

    12/12/2012 às 19:10

    Obrigado Sr Marcio Silva, na verdade, não é a economia incercial que produz isso, mas…as medidas governamentais!
    A economia funciona assim…jogue fora R$ 1…e veja o que acontece!
    Mais 4 anos , a economia de Cuba estará melhor que a de Miami!
    O capitalismo está em crise, percebi agora, um insight, sabe!
    O Pedro Andrade, agora que passei de R$ 3 paus por mês também vou pra Nova Iorque, mostra onde se fala portugues ai…eu não sou obrigado a saber esse idioma de bárbaros!
    Aliás, quando eu estive em Los Angeles, viu Carlos CEsar, eu percebi que falar espanhol lá é mais importante que falar inglês!
    O espanhol avança e retoma a sua importância histórica após a espropriação…waspian???? hahahha vai saber, pelo menos diz Liz Taylor, em “Giant”!
    and so…walks mankind…

  40. Ricardo Platero

    -

    12/12/2012 às 19:07

    Caro Marcio Silva,

    Antes de dizer que é o o neo keynesianismo de Krugman, leia o que de fato Krugman escreveu. Um dos artigos foi considerado um dos 20 mais influentes artigos publicados pelo American Economic Review em seus 100 anos de história.

    Increasing returns, Monopolistsc Competition and International Trade
    http://www.princeton.edu/pr/pictures/g-k/krugman/krugman-increasing_returns_1978.pdf

    Scale Economies, Product Differntiation, and the Pattern of Trade
    http://www.princeton.edu/~pkrugman/scale_econ.pdf

    Abraços e boa leitura.

  41. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 19:02

    “Se der certo o plano de Obama, eles ganham pois há ali uma prova de que o partido mudou sua postura – não necessariamente sua ideologia, que é o que deve qualificá-lo – e segue com seus projetos de 2016. Já se não negociam, eles perdem tanto com o sucesso de Obama (“Os Democratas eram os únicos certos”) quanto fracasso (“Não houve comprometimento do PR com o país”).”
    .
    E se negociam e as medidas do governo Obama derem errado? Foram frouxos na oposição? E se botam dificuldade mas mesmo assim passarem as coisas do governo Obama e derem errado? Ganham os louros?

  42. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 19:00

    “O fim do partido está em deixar uma prova irrefutável para o povo de não há um projeto do partido para o país hoje e no futuro.”
    .
    E podes dizer, Ricardo, qual seria o projeto do Partido Democrata para o país hoje e no futuro? Muitos conservadores aqui arriscam dizer qual seriam e são ironizados ou ridicularizados. Alguns tem alguma razão com suas preocupaçãos, Caio tem suas razões ao apontar alguns exageros, mas não quero entrar nessa seara, quero sua opinião, já que levantou a lebre…

  43. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 18:53

    “Obama e os democratas no Congresso querem que as desonerações fiscais que vão expirar no fim do ano sejam estendidas para contribuintes com renda anual inferior a 250 mil dólares, mas não para os 2 por cento dos norte-americanos mais ricos.”
    DESDE QUANDO DESONERAR RICO TAMBÉM PREJUDICA A SOCIEDADE? ACHO QUE TEM DE DESONERAR TODO MUNDO, RICO, MENOS RICO, CLASSE MÉDIA, POBRE…
    “É isso aí. Obama quer desonerar quem ganha até U$ 12,000 por mês, taxar quem ganha mais, incluindo empresas de médio porte e os bilionários, inclusive. Justíssimo porque empresas em um mercado aquecido tem potencial para faturar muito mais.”
    QUE MERCADO AQUECIDO? A IDEIA NÃO É AQUECER O MERCADO?
    “Já os republicanos querem cortar gastos com a saúde dos idosos?! É nisso que consiste um programa econômico vencedor? Conservador é isso aí e se voce critica, dizem que está com inveja dos ricos.”
    É, PROGRAMA VENCEDOR É GASTAR MAIS COM ASSISTÊNCIA? TEM QUE PENSAR A LONGO PRAZO, PRA TODO MUNDO GANHAR SEM ONERAR DEMAIS O CONTRIBUINTE. AS SOCIEDADES DE VIÉS MAIS SOCIALISTA (TO FALANDO EM SENTIDO AMPLO, NÃO NO “SOVIÉTICO”) EMPOBRECEM POIS O QUE VAI, VOLTA, O DINHEIRO NÃO BROTA EM ÁRVORE; SE VOCÊ TIRA DE MAIS DE UM LUGAR PRA BOTAR EM OUTRO, ESSA TRANSFERÊNCIA CUSTA E EMPOBRECE A SOCIEDADE COMO UM TODO A LONGO PRAZO.
    “Mas na cabecinha deles os ricos de hoje tem que ser os mesmos amanhã, né?”
    QUAL O PROBLEMA DE QUEM É RICO CONTINUAR RICO? DEPOIS RECLAMAM QUANDO FALAMOS DA LÓGICA DA INVEJA… SÓ TEM GRAÇA SE EMPOBRECER ALGUÉM? NÃO PRECISA EMPOBRECER NINGUÉM PRA ENRIQUECER QUEM É REMEDIADO, TEM É QUE FAZER A RODA GIRAR, SEM ATRAPALHAR MUITO.

  44. Marcio Silva

    -

    12/12/2012 às 18:32

    macaca fuscata – 12/12/2012 às 18:01
    A economia americana utiliza o princípio pirâmide, de empurrar com a barriga, até…quebrar de novo!!!
    Não é a economia americana que usa esse artifício, é o FED e o próprio Governo que fazem isso e usam o mercado financeiro para fazer crescer as bolhas…
    Aliás esse é o resumo da aplicação prática do neo-keynesianismo do Krugman…

  45. macaca fuscata

    -

    12/12/2012 às 18:05

    Dinossauro …é o império Yankee, quem não vai durar mais 100 anos, com o degelo do norte que vai inundar N. York e adjacÊncias. VEndam enquanto é tempo.
    Hoje, perguntem-se o que eu tenho? e…o que eu preciso???
    Joquem R$ 1 fora, hoje!

  46. macaca fuscata

    -

    12/12/2012 às 18:01

    A economia americana utiliza o princípio pirâmide, de empurrar com a barriga, até…quebrar de novo!!!
    E ainda vem o fraking….agora! pra que isso??? Mario Como!

  47. amauri

    -

    12/12/2012 às 18:01

    Vera Lucia onde voce leu ou como voce concluiu que alguem que seja contrario ao assistencialismo, e a alta carga tributria nao possua espirito e acoes humanitárias? abs

  48. Ricardo Platero

    -

    12/12/2012 às 18:00

    Caro Caio,

    Vou tentar mudar um pouco o meu foco econômico, só volto a ele no fim do texto, de forma breve
    É fato que os republicanos perderam em novembro, o que não significa o fim do partido, pois perder faz parte do processo democrático. O fim do partido está em negar os grandes políticos republicanos que existiram (tanto no governo quanto na oposição) e a gir como um bando de desorganizados sem um objetivo para o país. O fim do partido está em deixar uma prova irrefutável para o povo de não há um projeto do partido para o país hoje e no futuro.
    Por incrível que possa parecer, os republicanos tem muito mais a perder ficando longe do governo do que negociando com ele. Como a cara Carmem e o caro Maisvalia disseram, se eles fazem um negócio e der errado, bem, eles fizeram a parte do partido com a maioria no Congresso. Se der certo o plano de Obama, eles ganham pois há ali uma prova de que o partido mudou sua postura – não necessariamente sua ideologia, que é o que deve qualificá-lo – e segue com seus projetos de 2016. Já se não negociam, eles perdem tanto com o sucesso de Obama (“Os Democratas eram os únicos certos”) quanto fracasso (“Não houve comprometimento do PR com o país”).
    Por fim, minha última observação: “Uma das razoes que nao existe confianca é se continuar a caminhada no declive”, não foi esta a mensagem do meu segundo comentário? O mercado sabe que o país era demonstrar que pode pagar sua d;ivida, a questão é como ele fará isso, se unido por uma negociação bipartidaria ou separado pela irresponsabilidade de alguns republicanos radicais.
    Abraços.
    Caro Ricardo, vale lembrar que esta errado dizer que o Partido Republicano é mera oposicao. O partido controla a Camara, logo tem responsabilidades na conducao do pais, abs, Caio

  49. maisvalia

    -

    12/12/2012 às 17:55

    BC dos EUA anuncia nova rodada de estímulos à economia
    Do UOL, em São Paulo

    O Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, anunciou nesta quarta-feira (12) a manutenção dos juros baixos e ampliou suas medidas de estímulo à economia, demonstrando decepção com o ritmo da recuperação do emprego no país. O anúncio era bastante aguardado por investidores do mundo todo.

    Não há nada que seja maior evidência de insanidade do que fazer a mesma coisa dia após dia e esperar resultados diferentes.
    Albert Einstein

    AGORA VAI, HEHEHEHEHEHE
    DÁ-LHE MAIS IMPOSTOS OBAMADONTE!

  50. Vera Lúcia

    -

    12/12/2012 às 17:35

    Na linha alimento para o pensamento:

    Voce não fez nenhuma, Amauri. O comportamento do GOP é que não mudou. Mas voce não considera que um governo deve levar seriamente em conta as razões humanitárias? Voce acha certo cortar de programas sociais mas não concorda com aumento de impostos e cortes na Defesa? É sempre o cidadão e muitas vezes os mais pobres que tem que pagar a conta para que o circo continue funcionando? Voce devia dar um pulinho na Santa Casa qualquer hora dessas…

  51. amauri

    -

    12/12/2012 às 17:21

    Vera Lucia, boa tarde! Que comentario fiz que simule um comentario de campanha? abs

  52. Joao Felipe

    -

    12/12/2012 às 17:18

    O problema do redistritamento é que o partido que domina o legislativo estadual desenha os distritos visando ajudar seus candidatos. Na disputa pela Câmara, os candidatos democratas receberam mais votos que os republicanos. Mas como o GOP dominava a maioria dos estados pelas eleições de 2010, teve vantagem no redistritamento e conseguiu manter a maioria
    Correto, Joao Felipe, e um alivio quando um leitor volta ao tema da coluna e nao repisa sobre as marvadezas ou messianismo do Obama, abs, Caio

  53. Vera Lúcia

    -

    12/12/2012 às 17:05

    E antes que soem as sirenes, até U$ 12.000 por cabeça em uma família.

  54. Vera Lúcia

    -

    12/12/2012 às 17:01

    Obama e os democratas no Congresso querem que as desonerações fiscais que vão expirar no fim do ano sejam estendidas para contribuintes com renda anual inferior a 250 mil dólares, mas não para os 2 por cento dos norte-americanos mais ricos.

    Em troca, o presidente afirmou que pretende considerar cortes de gastos significativos pretendidos por republicanos para programas públicos como o Medicare, de assistência de saúde a idosos.

    _____________________________________________________________________

    É isso aí. Obama quer desonerar quem ganha até U$ 12,000 por mês, taxar quem ganha mais, incluindo empresas de médio porte e os bilionários, inclusive. Justíssimo porque empresas em um mercado aquecido tem potencial para faturar muito mais.

    Já os republicanos querem cortar gastos com a saúde dos idosos?! É nisso que consiste um programa econômico vencedor? Conservador é isso aí e se voce critica, dizem que está com inveja dos ricos.

    Mas na cabecinha deles os ricos de hoje tem que ser os mesmos amanhã, né?

  55. Gilkid

    -

    12/12/2012 às 16:40

    Yes, We Scam – 12/12/2012 às 15:19 “E não venha dizer que você não entendeu o que o Amauri disse, porque ele foi extremamente claro. Se quiser refutar, tudo bem, mas adotar o comportamento pogreçista de fechar os olhos e ouvidos e fingir que “eu não entendi nada do que você disse” não vai ajudar.”
    __________________
    Momento Déjà vu… (os fortes entenderão) ;)

  56. Anouk

    -

    12/12/2012 às 16:34

    Ronaldo:
    “O Yes, We Scam não merece uma colher de sopa hoje não, Caio, por finalmente ter postado um comentário num tambanho razoável? :D”
    ****
    O comentário do Yes, We Scam, nao foi só razoável no tamanho, foi brilhante na abordagem.

  57. Vera Lúcia

    -

    12/12/2012 às 16:25

    Ou seja, os republicanos satisfazem os democratas e talvez quem sabe com uma pressao os democratas cortem gastos. Se tiver corte de gastos será na defesa, justamente onde os “inimigos americanos” estao mais gastando. Compromisso excelente. Voce está de bom humor hoje, contando anedotas incriveis. abs
    ___________________________________________________________________

    Amauri, o momento é difícil. O GOP precisa mostrar que conta com políticos de primeira linha em suas fileiras. Fizeram a fama – o MITT só faltaou falar em pacto social durante a campanha – Agora que deitem na cama, ahahah…Mais uma coisa, o Partido Democrata venceu as últimas eleições. A hora de fazer campanha política passou, o bonde passou e o MITT não conseguiu pegá-lo. Tovessem realmente um programa econômico ao invés de pura retórica para conquistar votos, talvez tivessem levado seus próprios eleitores até as urnas de votação.

  58. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 16:09

    Quanto a taxar os ricos, Caio, fazendo-os pagar MAIS impostos em termpos percentuais que os outros, na essência da coisa, sou contra, por achar demagogo e useless (muito da defesa disso vem de pura inveja ou preconceito contra riqueza, como se o rico que dilapidasse a economia, enquanto é, via de regra, o contrário). Mas daí a taxar MENOS os ricos, é outra história. Lembro que você me disse isso uma vez, que o problema lá é os ricos pagarem MENOS impostos…

  59. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 16:01

    O Yes, We Scam não merece uma colher de sopa hoje não, Caio, por finalmente ter postado um comentário num tambanho razoável? :D
    Boa, ate li, hehehe, imagine quando ele começar a ter estas frescuras tipo dizer, ola, abs? Vou derreter de vez, Heehehe, abs, Caio

  60. Yes, We Scam

    -

    12/12/2012 às 16:00

    Pogreçista adora dizer que quer aumentar impostos para os ricos, mas basta verificar uma coisa muito simples e objetiva: a maioria dos bilionários apóia Obama.
    Então fica aqui a pergunta: por que esss bilionários que apóiam pogreçistas não pagam mais impostos por vontade própria antes mesmo de qualquer lei ser aprovada aumentando os impostos para os ricos?
    A resposta é simples: eles só querem “ficar bem na foto”, posar de “grandes humanistas”, mas quando o governo realmente decide aumentar os impostos para os ricos, os milionários e bilionários que apoiavam os pogreçistas sempre dão um jeito de mandar o seu dinheiro para o exterior para evitar a sobretaxação.
    E no caso dos bilionários que apóiam os pogreçistas, eles ainda saem ganhando com esses aumentos de impostos, pois tais aumentos acabam impactando muito mais as pequenas e médias empresas, enfraquecendo-as perante a concorrência comm os mega complexos transnacionais e multinacionais.
    ..
    É a estratégia dos meta-capitalistas, aqueles empresários capitalistas que ficaram tão incrivelmente ricos graças ao sistema de livre mercado e que não suportam mais a concorrência de empresas menores em ascensão, decidindo que é melhor se juntar ao governo para assim controlar a economia.
    Isso tem nome, e se chama fascismo.
    O resultado de políticas pogreçistas é sempre um dos dois: ou a completa ruína nacional, ou a implantação de uma economia fascista controlada pelo estado, favorecendo os mega empresários amigos do regime.

  61. Carmem

    -

    12/12/2012 às 15:58

    Só uma lembrancinha já q o Caio só gosta de chutar o falecido…
    Vários estudos sobre como controlar o deficit estão demonstrando q a forma mais justa e eficiente de arrecadação é limitar os valores que são dedutíveis do imposto de renda.
    Lembra alguém? Hummm e olha q o Mitt sugeria um limite de 17.000…
    .
    On the paper last month my colleague wrote about some of these proposals, notably one from the Tax Policy Center that would cap potential tax deductions at $50,000.
    .
    The Tax Policy Centre, a think-tank, reckons a cap of $50,000 would raise $749 billion over ten years, comparable to the $800 billion that Mr Boehner entertained during failed negotiations with Mr Obama in 2011. Importantly, this fix would make the tax system much more progressive: 80% of the additional money would come from the top 1% of earners. This has helped draw interest from some Democrats.
    .
    A separate proposal from Martin Feldstein, a former economic adviser to Ronald Reagan, would cap the benefits that a taxpayer could receive via deductions at 2% of their total income. This would also forestall any arguments over individual, lobbyist-backed deductions and haul in a load of cash. Mr Feldstein says, “Even if the cap were applied only to ‘itemized deductions’ and the health-insurance exclusion, it would raise about $250 billion in the first year and about $3 trillion over the first decade.” And while it is not as progressive as some liberals might like, the design of the plan could be tweaked—by, for example, basing the cap rate on income level—to make it more so.
    .
    http://www.economist.com/blogs/democracyinamerica/2012/12/fiscal-cliff-1
    abs
    Carmem, nao me lembro detalhes agora, mas o texto se refere as propostas do Martin Feldstein, que foram de fato encampadas pelo Romney (mas confesso nao lembrar se ele tambem topou o fim de algumas deducoes mais pesadas), coisa seria, mas ainda insuficiente. A questao eh que sera necessario aumentar impostos em algum momento (nao apenas dos ricos, mas o “nosso”, de classe media) e cortar beneficios de todos, num pais que como gosta de dizer a Economist taxa como governo pequeno e gasta como governo grande, abs, Caio

  62. Marcel

    -

    12/12/2012 às 15:58

    amauri – 12/12/2012 às 15:25

    Podem aceitar cortar gastos onde os republicanos não querem. Na area militar. Mas que coisa hein ? Que espertinhos, aceitam o corte de gastos onde eles mesmo querem cortar !

  63. amauri

    -

    12/12/2012 às 15:43

    Não importa quem está no poder, escreveu LeFevre, assim como não importa quem está operando a guilhotina. O governo, a qualquer momento e sob qualquer partido político, está fazendo justamente aquilo que governos fazem: dividindo e conquistando a sociedade, e tolhendo os direitos e as liberdades dos indivíduos.Tenha em mente que isso que você lerá agora foi escrito em 1959:Atualmente, os governos se preocupam majoritariamente não com criminosos, mas sim com os cidadãos honestos. Cada cidadão é uma vítima das táticas agressivas do governo . . . o cidadão médio de hoje, cercado e ofuscado pelo governo por todos os lados, descobre que está infringindo várias leis durante o decorrer de um só dia. E este fato faz com que ele deixe de ser um cidadão honesto e se transforme em um cidadão transgressor, o que o iguala a qualquer criminoso de rua que, com efeito, transgride a lei com objetivos agressivos. “O governo possui um único padrão de comportamento: exigir obediência. Seus decretos, bons, maus ou indiferentes, são obrigatórios e impingidos à força. E os homens dentro do governo não reconhecem nenhuma lei que não necessite ser impingida. Se o governo adotou uma determinada política, tal política tem necessariamente de ser aplicada, mesmo que uma determinada medida almeje a estabilidade social e a outra, a injustiça social.”
    ps- Caio li agora que quase consegui 12 colheres de chá. Entao recebi 11 colheres de cha? hehehabs
    Assim nao vale, caro Amauri,heheh, abs, Caio

  64. Queiroz

    -

    12/12/2012 às 15:28

    Não considero solução, mas vejo que o radicalismo está se acirrando. A vitória de Hollande não deixa de ser retrato disso, quando os centristas e os comunistas todos apoiaram ele no segundo turno e Sarkozy isolado.
    Estão os ingredientes na mesa, desemprego, imigrantes ocupando empregos, Estado endividado, corte do investimento público, forte evasão fiscal.
    A França virou um lugar para se passar longe, digo no plano do investimento.
    Próximo ano, a moody’s e S&P acabam com a graça desses populistas… gozem enquanto podem, já já o empréstimo será mais caro.
    **
    A solução da França é aceitar que lá não é mais a França da 2ª década do século passado. A fonte secou. Quanto aos imigrantes, não sou sectarista, mas acho que se pretendem ser nacionais, devem respeitar a cultura dos nacionais e não investir em confrontamentos ideológicos. A xenofobia está braba e para o ano, o dia 30 de maio, da nossa querida Joana D’arc, será mais uma vez lembrado como desastre, é o último dia para a declaração do imposto de renda (en papier. pour les résidents). Que renda? Desde a década de 70 a França acumula deficits, e agora vai agravar.
    **
    Se Hollande passou os 75% na França, sem histeria da oposição, Obama pode aumentar também. É isso. O povo merece a consequência de suas escolhas.
    Caro Queiroz, bom comentario, exceto o final, por que esta mania de fazer comparacoes entre o socialista Hollande e o Obama? Como se o presidente americano pense ou possa fazer este tipo de aumento de impostos, abs, Caio

  65. amauri

    -

    12/12/2012 às 15:25

    “alguns senadores republicanos sao inteligentes, nao sao jurassicos, como Bob Cooker, do Tennessee, ele diz para que seja aprovado o aumento dos impostos para os mais ricos e ai os republicanos podem pressionar os democratas obre gastos, mas resta saber ”
    Ou seja, os republicanos satisfazem os democratas e talvez quem sabe com uma pressao os democratas cortem gastos. Se tiver corte de gastos será na defesa, justamente onde os “inimigos americanos” estao mais gastando. Compromisso excelente. Voce está de bom humor hoje, contando anedotas incriveis. abs

  66. Carmem

    -

    12/12/2012 às 15:23

    Caio, pesquisa sobre negociação? Eu heim? Vamos esperar o resultado. Esses políticos dizem uma coisa no microfone e outra completamente diferente dentro da sala, né? Só quando sair o resultado é q saberemos o q realmente estava na mesa.
    abs

  67. Yes, We Scam

    -

    12/12/2012 às 15:19

    Brilhante “amauri-12/12/2012 às 14:44″, você resemiu perfeitamente a questão da política econômica de Obama e seus “humanistas pogreçistas”.
    A economia americana está numa draga danada e Obama não faz a menor idéia do que fazer para melhorar a situação, então nada melhor do que fazer os republicanos co-participarem das suas decisões deastradas, assim eles também serão culpados.
    E se os republicanos não quiserem co-participar com Obama nessas decisões imbecis de aumento de impostos, ainda vem os pogreçistas propalarem que a culpa então é só dos republicanos, e que Obama, o todo puro, “só queria o melhor para a America e foi impedido pelos malvados republicanos”.
    Conta outra, Caio.
    Nessa o povo americano não cai mais.
    E não venha dizer que você não entendeu o que o Amauri disse, porque ele foi extremamente claro. Se quiser refutar, tudo bem, mas adotar o comportamento pogreçista de fechar os olhos e ouvidos e fingir que “eu não entendi nada do que você disse” não vai ajudar.
    “Alimento para pensamento”, como se diz em ingles, abs, Caio
    http://www.tnr.com/blog/plank/111016/rein-the-rich

  68. maisvalia

    -

    12/12/2012 às 15:17

    Humor para mim é suprapartidário, então a colher de chá vai para o Maisvalia (dia 12, 10:21), com a história do Obamadon.
    GRATO
    E
    O RONALDO MATOU A XARADA, HEHEHEHEHE

  69. Vera Lúcia

    -

    12/12/2012 às 15:13

    E a solução precisa ser em forma de pacote, tipo agora ou nunca? De corte nos gastos públicos + aumento de impostos, assim tudo de uma vez? Não dá para fazer ajustes, depois de aumentar o teto da dívida novamente? Não é a melhor maneira de dividir responsabilidades e assumir compromissos?
    Good luck, Vera, tente explicar isto para a “tchurma” de guerreiros teapartistas na coluna, hehehe, abs, Caio

  70. Henrique

    -

    12/12/2012 às 14:56

    Aliás, Caio, li pela manhã um texto do Michael Bloomberg no Washington Post que ressalta bem essa questão da inflexibilidade de ambos os lados e como ambos os partidos devem agir nesse momento pra restaurar o que o Ricardo Platero citou por aqui hoje: a confiança. O que é desolador é que é muito fácil constatar que tanto democratas como republicanos se encontram tão aferrados às suas respectivas agendas ideológicas que eles parecem não se importar nem um pouco em jogar o país no buraco em nome de uma vitória política. E de novo: acho que os dois partidos têm culpa no cartório – os democratas, que insistem cegamente em colar nos seus adversários a pecha de “velhos e brancos insensíveis com as demandas sociais”, e os republicanos, que querem fazer dos democratas um bando de socialistas fanáticos. Segue o link abaixo, mas destaco o final do texto do Bloomberg.
    .
    The steps we need Congress to take to get the economy moving again do not require money; they require leadership. And that will require both parties and both ends of Pennsylvania Avenue to show flexibility on the two issues that have stood in the way of a deal for years: taxes and entitlement reform. If both parties believe that they can reach a deal that allows them to claim political victories, the real winner will be the American economy and the 12 million people who are looking for work.
    http://www.washingtonpost.com/opinions/avoid-the-cliff-restore-the-confidence/2012/12/12/6782cb1e-43e6-11e2-8061-253bccfc7532_story.html
    Henrique, voce on target, as usual, o paradoxo é que a propria cidadania americana endossa este jogo politico disfuncional, ela tambem tem culpa no cartorio, abs, Caio

  71. Gilkid

    -

    12/12/2012 às 14:47

    Apenas para ilustrar o quanto o assunto “gastos públicos” ainda vai render:
    “…Obama and his family are about to jet off on their Christmas vacation to watch America slide off the fiscal cliff from the luxury beach resort of Kailua. The cost to taxpayers of flying one man, his wife, two daughters, and a dog to Hawaii is estimated at $3,639,622. For purposes of comparison, the total bill for flying the entire royal family (Queen, princes, dukes, the works) around the world for a year is £4.7 million — or about enough for two Obama vacations.”

    (http://www.nationalreview.com/articles/335141/royal-presidency-mark-steyn)

  72. amauri

    -

    12/12/2012 às 14:44

    Nao estou entendendo nada. O pacote do precipicio fiscal é bom para os democratas e ruim para os republicanos. Os democratas querem entao fazer algum acordo com os republicanos para eles nao ficarem mal na foto. Como os humanistas americanos estao se humanizando. Conta outra. Eles querem um acordo por que nao sabem nem o que cortar e para a culpa da proxima crise ficar dividida entre os evoluidos e os jurassicos. Eles querem dividir o onus. abs
    Nao entendi nada o que voce escreveu, hehehe, abs, Caio

  73. Carmem

    -

    12/12/2012 às 14:42

    voce esta culpando o Obama por ser bom politico?
    .
    Não Caio, q paranóia, eu acabei de admitir q a estratégia do Obama é boa.. principalmente para ele próprio. O GOP não tem outra saída senão pegar leve ou lavar as mãos, mas nesse caso quem sairia perdendo seria o país, não creio q irão fazer isso.
    abs
    Carmem, na verdade, paranoicos sao os republicanos da extrema, sempre apocalipticos, vivendo na sua bolha,
    Pesquisa de hoje Washington Post/AbC, abs, Caio
    In the spirit of the GOP leaders’ presser just now, let’s return to that WaPo/ABC poll of this morning:

    By a better than 2-to-1 margin, registered voters disapprove rather than approve of House Speaker John Boehner’s performance during the fiscal cliff talks… a negative rating due in large part to the lack of uniform support for him among Republicans. … Boehner is weakest in the ideological middle. Nearly half of “very conservative” Republicans and independents (49 percent) approve of how Boehner is handling the negotiations, but that number drops to 35 percent among those who are “somewhat conservative” and further still — to 23 percent — among self-described “moderates.”

    Once again Republicans win the base and nobody else. What does this remind you of. And how did that come out?

  74. Queiroz

    -

    12/12/2012 às 14:32

    Acho que os americanos merecem simetricamente o mesmo que os franceses. Cada um é responsável pela consequência de seus atos.
    Já que votaram em esquerdismo estatista, então é prudente e recomendável que o tenham. Ceder, neste aspecto, é sinal de sabedoria e convicção do acerto de seus ideais.
    *
    Sou irredutível na defesa de meus ideais, contudo, se conforme apregoam as pesquisas, e o eleitorado assim entendeu, que o governo Obama não deslanchou por conta da oposição radical dos Republicanos, o ideal é demonstrar que isso não é obstáculo. Quer dizer, significa demonstrar pelo não-confrontamento que a política econômica, de inteira responsabilidade dos Democratas, é desastrosa.
    ___
    para a votação fechar, os Republicanos vão ter que fazer seus cálculos e verificar quantos Representatives não são provenientes do tea party. Porém, se a maioria subscreveu a nota de jamais aumentar impostos, então, só resta honrar a palavra empenhada, perderem a maioria na próxima eleição, e deixar os Democratas afundarem o país.
    ***
    Outro dia você fez troça da minha previsão de que Marine Le Pen é forte candidata a ocupar o Eliseu. Bem, não sou vidente, mas que está evidente o crescimento da FN, está. Se ela sair do extremismo, com posições mais suaves, estará no 2º turno. Se for contra Hollande, pode ganhar.
    http://www.lefigaro.fr/politique/2012/11/26/01002-20121126ARTFIG00646-marine-lepen-se-frotte-les-mains-devant-la-crise-a-l-ump.php e

    http://www.lefigaro.fr/politique/2012/11/29/01002-20121129ARTFIG00670-le-curieux-boom-des-adhesions-a-l-udi-et-au-fn.php?cmtpage=19
    Tem razao, Queiroz, a politica europeia esta de ponta cabeca. Os italianos ainda tem um Berlusconi e muitos franceses levam Marine le Pen a serio, como se fosse uma solucao, ela nao passa de uma oportunista barata, que maquia sua mensagem anacronica contra globalizacao e um discurso que nao mascara sua xenofobia, vivendo nas ilusoes de uma grandeza de França que nunca existiu, espero que voce nao embarque nesta, mon Dieu, abs, Caio

  75. Henrique

    -

    12/12/2012 às 14:30

    Hoje em dia, infelizmente, Caio, a impressão que fica é que o Partido Republicano tem verdadeira ojeriza a qualquer tipo de coisa que remeta à expressão “acordo bipartidário”. Agora, isso não deve servir pra tapar nossos olhos diante do fato de que também existe uma inflexibilidade burra por conta dos democratas.
    Henrique, a inflexibilidade esta em alas dos dois partidos, que infelizmente fixam a agenda, nao aprendem a se equilibrar no dificil jogo de conviccao x compromisso, abs, Caio

  76. Carmem

    -

    12/12/2012 às 14:26

    Não acredito q perdi esse das 12, pior q nem atentei para o fato…putz
    Colher merecida para o MV e seu Obamadon hehehe, muito boa!
    abs

  77. Carmem

    -

    12/12/2012 às 14:22

    Caio, não fui eu quem colocou o nome do Obama num dinossauro, reclame com Yale, eu só gostei da piada hehehe
    Falando sério, acho q a estratégia do Obama é se vangloriar de ter elevado os impostos dos ricos, q é uma demanda popular, e colocar o ônus dos cortes dos serviços sociais nas costas dos republicanos alegando q se não fizesse a concessão não conseguiria o acordo.
    É claro q qq ajuste fiscal tem vir uma parte de aumento de arrecadação e outra de cortes de gastos. Mas do jeito q Obama apresentou a proposta, ele fatura bônus do aumento dos impostos e o GOP fica com o ônus dos serviços cortados.
    Mas, fazer o q, perdedor serve para isso.
    Os temas de campanha foram esses e Obama vendeu melhor seu aumento de impostos do q o GOP vendeu seu corte de gastos.
    abs
    A piada é boa, ja premiei o Maisvalia, de resto, voce esta culpando o Obama por ser bom politico? Os republicanos montaram esta cilada para eles, ha dois anos, o Obama topou um acordo na epoca de um tres ou quatro dolares de corte de gastos por um de aumento de imposto, os republicanos perderam a oportunidade, parecem os palestinos, Abs, Caio

  78. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 14:15

    “Nós credores do FMI, recomendamos aos devedores como EUA – consenso de Vóchinton – diminua despesas (militares) e cobre mais impostos do ricos e desonestos!!!”
    .
    Mais um amigo de Dilma, que acha que o Brasil tem cacife para dar pitaco na vida de todos (vocês não são os mesmos que se irritam profundamente quando alguém de fora dá pitaco no Brasil??). Claro, os EUA precisam mesmo aprender lições do Brasil, hahahahah.
    .
    E desonesto é só rico? E todo rico o é por ser desonesto? Que quis dizer?

  79. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 14:09

    Concordo com você, Caio, que os republicanos têm de negociar e não só obstruir. E me abstenho de comentar a realidade do parlamento de lá já que não acompanho como você ou outros aqui (que até moram aí nos EUA, inclusive). Só faço uma ressalva, de cunho teórico, a uma coisa que você falou. Não é porque os democratas venceram a disputa presidencial e aumentaram as cadeiras no congresso que isso lhes daria carta branca ou que obrigasse os republicanos fossem obrigados a dizer sim a tudo, né? Afinal, lá nem é uma ditadura nem existe só o executivo; o legislativo também é um dos poderes e serve para que as medidas serem discutidas. Estou falando o óbvio, mas achei que você exagerou ao usar como argumento o simples fato de os democratas terem vencido as eleições de novembro (claro, um dos dois lados tinha de vencer, né? mas isso não é carta branca, apenas mais poder e mais poder de barganha).

  80. Marcel

    -

    12/12/2012 às 14:08

    Entao, QUeiroz, voce concorda que os democratas podem ser jurassicos, mas a ala Fox/Tea Party do GOP é muito burra, hehehe, abs, Caio

    Isso é verdade, os republicanos são burros, minha nossa. Estão vendo que os democratas querem aprovar do jeito deles e da maneira deles. Vão se dar mal, por que a mídia já joga que se o acordo não sair a culpa são dos republicanos.

  81. maisvalia

    -

    12/12/2012 às 14:06

    que nos propicie um estado beneficente e que nos pague um lanche…
    E ESQUECEU O PRINCIPAL MARCIO SILVA.
    QUEM ESCOLHE O QUE VAIS SER SERVIDO DE LANCHE VAI SER ALGUM BUROCRATA POGRECISTA IDIOTA APOIADO PELA IDIOTA MOR DE NOME MICHELLE, A INSUPORTÁVEL.

  82. Carmem

    -

    12/12/2012 às 14:01

    Caio, jurássico é o Obamadon gracilis querendo convencer q cobrando mais imposto dos 2% mais ricos vai resolver o problema.
    Carmem, nao insulte a inteligencia do Obama, obvio que ele nao acha isto, tanto ele como o Boehner precisam aplainar o terreno junto a bases para tentar alguma barganha, eu fico muito frustrado aqui as vezes, escrevo um texto cujo mote é a polarizacao ideologica e partidaria nos EUA e o que vejo aqui basicamente é um bando de leitores,quase todos mais conservadores,com os talking points polarizantes, num ritmo do filme feitiço do tempo, em campanha eleitoral permanente, a opcao é fazer piadinha sobre o dinossauro Obama, quando a eleicao provou como o partido republicano é cada vez mais jurassico, a sorte de Obama, voltando ao feitico do tempo eleitoral, é ter uma oposicao tao anacronica, obstrucionista, refem de radicais, espero que a eleicao sriva de licao para a “criacao”" ou “evolucao”" de um movimento conservador moderno, pelo nivel dos comentarios esta dificil, hehehe, abs, caio
    PS- obviamente nada contra a piada do dinossauro, é boa, mas virou o foco da conversa, abs, Caio

  83. amauri

    -

    12/12/2012 às 13:58

    ” como se fosse possivel resolver problemas sem mais arrecadacao e apenas cortes de gastos e ainda por cima equilibrando o orcamento, tudo falacia, abas, Caio”
    Aumentar a arrecadacao é somente possivel com mais impostos? Aumentar impostos e cortar gastos é o que o precipicio fiscal fará, e de forma legal. Querer evitar porque? Por que os democratas nao querem cortar gastos (ou se cortar vai ser na area militar) e aumentar impostos. Isto é coisa evoluida. Continue defendendo que gasto do governo geram crescimento economico. E sao os defensores de um estado menor que sao jurassicos. Isto é uma vergonha, parafraseando um conhecido jornalista brasileiro, Boris Casoy. abs

  84. Queiroz

    -

    12/12/2012 às 13:52

    Maisvalia, eu postei um comentário igual ao seu, mas deu erro e tive que sair para trabalhar.
    Opino que os Republicanos devem deixar passar, e recair toda a responsabilidade sobre o partido Democrata. O problema é o corte nos gastos militares e um endividamento monumental, tem que se exigir alguns cortes. Porém, tudo isso vai virar pó com o Obamacare. A conta não fecha.
    *
    Sobre o Papai Noel, esta foi ótima. Aliás, o bom velhinho é aquele que faz graça com o chapéu alheio. A criança escolhe o presente, nós compramos, e depois o Papai Noel leva o crédito… Total correspondência com os dados coletados na pesquisa! ehehehehehe
    Entao, QUeiroz, voce concorda que os democratas podem ser jurassicos, mas a ala Fox/Tea Party do GOP é muito burra, hehehe, abs, Caio

  85. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 13:46

    E a cara dos dois na foto, Caio, é pra ilustrar o ânimo dos partidos um com o outro?
    Um foto ainda diz mais do que mil palavras,hehehe, abs, Caio

  86. amauri

    -

    12/12/2012 às 12:11

    Por que precisa ser evitado? Foi um trato feito entre os democratas e republicanos. Os democratas vao mostrar o que realmente sao? abs
    E os republicanos, hehehe?
    O acordo é otimo para os democratas, vao subir os impostos de todos os americanos, havera algum corte de beneficio social e tambem de gastos de defesa. Os republicanos vao se dar mal com sua base e irritar o pais, obviamente que o acordo foi um remendo, pois nao houve uma negociacao estrutural, e ai a responsabilidade é bipartidaria, o que é duro para as pessoas entenderem é que num pais dividido é preciso compromisso e nao vou repetir pela enesima vez que houve um abismo estrategico para os republicanos que passaram quatro anos com a ideia fixa de impedir um segundo mandato para Obama e agora carecem de um plano B, abs, Caio

  87. Marcel

    -

    12/12/2012 às 12:01

    Não entendo, como secar o estado contratando 100 novos funcionários por dia, 6 dias por semana ?

    o A recent report by the Cato Institute found the average civilian federal government worker collected just under $84,000 a year in taxpayer money, about $32,000 more than the average private sector worker. That’s a total federal worker package of about $236 billion a year….

    E outra, o único que lutava para aumentar o teto da dívida era Obama e os republicanos cortavam os embalos do democrata. Como se paga uma dívida aumentando ela ?

    Mais uma, como um país quebrado, lança um pacote com 20 novos caças logo ao Egito de Mursi. — Coisas que não consigo entender. Sem falar em 50 bilhões extras que Obama está pedindo ao Senado.

  88. Marcio Silva

    -

    12/12/2012 às 12:01

    Obama, a exemplo de Lula, Dilma, Chávez e Correa e a União Européia, não precisa da aprovação do parlamento para governar, hoje, governa-se por decreto administrativo ou norma técnica.
    Claro que por aqui, como também por aí, ninguém gosta de um congresso que questione o executivo… Preferimos um grupo de “burocratas iluminados” que pense por nós, que nos proteja de nós mesmos, que nos propicie um estado beneficente e que nos pague um lanche…
    Só é aceitável o congresso falar sobre corrupção, mas só quando corrupção for uma desvio de verbas públicas ou outro crime contra o estado.

  89. macaca fuscata

    -

    12/12/2012 às 11:45

    Boa e evite este tipo de coisa, abs, Caio

  90. Gilkid

    -

    12/12/2012 às 11:45

  91. macaca fuscata

    -

    12/12/2012 às 11:34

    Oh MV, seja vc o Papai Noel! Vá ao correio e escolha uma cartinha de uma criança vítima do capitalismo!

  92. Ricardo Platero

    -

    12/12/2012 às 11:34

    Caro Maisvalia às 10h21min,

    Convenhamos que se fosse uma homenagem a algum republicano vivo, seria uma piada pronta. Abs

  93. Thales

    -

    12/12/2012 às 11:21

    Essa talvez seja a principal desvantagem do sistema distrital puro (com um turno). Apesar disso, eu prefiro ele (com dois turnos, para evitar problemas de representatividade) ao sistema brasileiro. A maioria de nós somos de capitais, mas eu passei as eleições gerais de 2006 no interior de Minas e ouvi que o dilema local era votar em um candidato da região que julgavam honesto, mas que não iria fazer nada pela cidade, ou em um candidato tido como bandido, mas que era da cidade e poderia fazer muito por ela. Todo sistema eleitoral tem seus defeitos, mas ao menos em um sistema distrital sabemos a quem nos dirigir (nossas demandas, nosso apoio ou a nossa raiva). Sem contar que temos uma jabuticaba chamada Justiça Eleitoral, que poderia diminuir um pouco o efeito gerrymandering. Sobre o dilema fiscal americano, mas fica pra outro post. Abs.
    Bom comentario, caro Thales, abs, Caio

  94. macaca fuscata

    -

    12/12/2012 às 11:14

    Do macaco primitivo ao macaco Simão, houve uma grande evolução, e vc MV, ficou na era das cavernas! Corrija a mais valia, aprenda algo com Karl Marx!
    Antes que eu esqueça, favor soltar este comentário as 12:12 hs, haha, obrigado e…. BANZAI CORINTIÔOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!! HAHAH É Nóis.
    Nós credores do FMI, recomendamos aos devedores como EUA – consenso de Vóchinton – diminua despesas (militares) e cobre mais impostos do ricos e desonestos!!!

  95. Ricardo Platero

    -

    12/12/2012 às 11:14

    Caro Caio,

    Permita um contraponto, se possível responda, caríssimo.

    Outro dia falamos aqui que a base principal do sistema capitalista é a confiança, independente da orientação macroeconômica que o Estado tenha. Mais importante que os Estados Unidos conseguir pagar suas dívidas é sua capacidade de inspirar confiança no mercado, coisa que é difícil no dia-a-dia e mais difícil em períodos de recessão mundial ou crescimento mínimo, que é o cenário atual.
    Como seu texto deixa bem claro, os Estados unidos vai demonstrar que consegue pagar suas dívidas, seja pelo aumento de impostos, seja pelo corte de gastos, então mesmo que não exista um acordo entre os partidos que governam o país, o mundo não vai entrar em uma crise por causa do abismo, talvez os índices caiam por um dia, semana, ou mês. O que pode levar a uma nova crise é a falta de união entre os partidos e o questionamento do mercado sobre as diretrizes econômicas do país, que é ainda o mais importante do mundo. O problema é que o principal país a questionar é o principal credor, a China, que é um exemplo de resultados na economia (não falo de métodos aqui).
    “Mas o importante não é que ele demonstrou que pode pagar?” , podem questionar. Sim, até certo ponto. O grau das notas da divida publica norte-americana são muito bem avaliadas, e a chance de um calote sempre foi baixa. O que o mercado espera não é portanto uma demonstração de porder econ6omico, pois tdos nós sabemos disso, leigos e especialistas, mas sim que os partidos que governam o país consigam formar um acordo e inspirar confiança de fato, um esforço para os credores.
    Abraços
    Ricardo, uma das razoes que nao existe confianca é se continuar a caminhada no declive, um problema é se os republicanos fizerem chantagem novamente em fevereiro na hora de elevacao do teto da divida,algo irresponsavel. O partido republicano precisa aprender a negociar e nao meramente a obstruir. Nem estou me dando ao trabalho de responder a alguns comentarios aqui de leitores no mundo da lua divagando que houve fraude eleitoral ou que o Obama quer implantar um sistema socialista ou que é semiditatorial, a lenga lenga de sempre de quem leva a serio Glenn Beck, Olavo Carvalho e o chamado complexo de entretetimento politico da Fox, isto é ala do delirio politico, basta ver as pesquisas, 70% dos americanos querem compromisso e por 20 pontos de diferenca vao culpar os republicanos pelo impasse, hora de supervisao adulta no partido, chega de tanto espaco para os comediantes politicos da Fox fixarem a agenda, ate a Anne Coulter disse que eh preciso aceitar a realidade, os republicanos PERDERAM em novembro, abs, Caio

  96. Pedro I. (O Bouvetiano)

    -

    12/12/2012 às 11:07

    “ricardo salazar – 12/12/2012 às 8:33″
    Goldman Sachs deveria ser proibida de operar na UE.

  97. Carmem

    -

    12/12/2012 às 11:07

    Pesquisadores da Universidade Yale deram o nome de Obamadon gracilis a uma espécie de dinossauro recentemente descoberta
    .
    hehehehe, bem apropriado pq se o Obama conseguir passar seus pontos de negociação do jeito q foram propostos, os EUA voltarão ao jurássico…
    abs

  98. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 11:07

    Mas, MV, dar o nome da figura a um “dinossauro” pode ter outra conotação não muito lisonjeira, não? ¬¬

  99. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 11:01

    “Caro Ronaldo, o problema americano é outro. Os distritos americanos sao redesenhados de tal forma que o distrito fica conveniente a um determinado partido, englobando areas demograficas que correspondem ao eleitor do partido, desta forma é muito dificil uma eleicao competitiva”
    .
    Entendi, Caio, obrigado.
    Mas, realmente, cada modelo tem seus efeitos colaterais. Sempre há um tempo que prefiro o distrital no lugar do brasileiro atual, mas não sei se seria muito melhor mais não…

  100. Carmem

    -

    12/12/2012 às 10:59

    Olha a galera q mais gostou dos ” pontos de negociação” do Obama
    .
    Such tough talk delights the left, however. Mr Obama’s stance, says the AFL-CIO, America’s biggest trade-union federation, “keeps faith with the voters”. Bernie Sanders, a senator who describes himself as a socialist, has commended the president for his refusal to touch Social Security. “Thanks for fighting to end Bush tax cuts for top 2%,” tweeted MoveOn, a left-wing pressure group.
    .
    Fonte: as usual
    http://www.economist.com/news/united-states/21567949-president-offering-little-incentive-republicans-compromise-talks
    abs

  101. Carmem

    -

    12/12/2012 às 10:57

    obrigado, mas que proposta? Os democratas apenas lancaram pontos de negociacao? .
    .
    Os pontos são, a gente não corta nada de gasto e aumenta os impostos de todo mundo q tiver dinheiro sobrando além do q consideramos necessário a sobrevivência hehehe
    abs
    Carmem, alguns senadores republicanos sao inteligentes, nao sao jurassicos, como Bob Cooker, do Tennessee, ele diz para que seja aprovado o aumento dos impostos para os mais ricos e ai os republicanos podem pressionar os democratas obre gastos, mas resta saber se o partido sera novamente refem dos “xiitas” que assinaram um documento idiota prometendo nunca,nunca, nunca, aumentar impostos, como se fosse possivel resolver problemas sem mais arrecadacao e apenas cortes de gastos e ainda por cima equilibrando o orcamento, tudo falacia, abas, Caio

  102. Carmem

    -

    12/12/2012 às 10:54

    Oi MV, tava sumido
    Olha o “Pot Party!!!!”.
    .
    Some 29 Democratic senators have signed a letter rejecting any changes to Social Security. Fourteen have ruled out changes to benefits under Medicare and Medicaid. Both Harry Reid, the leader of the Democratic majority in the Senate, and Nancy Pelosi, the leader of the Democratic minority in the House of Representatives, have spoken against cuts in benefits.
    .
    Aí quando os republicanos assinam um documento se comprometendo a não aprovar nenhum aumento de impostos imediatamente são taxados de terroristas q sequestraram o congresso.
    abs

  103. Cristiano Arruda

    -

    12/12/2012 às 10:29

    Quer dizer que não entrar em acordo para piorar a situação é culpa dos republicanos? A culpa dos republicanos foi de aceitar as fraudes nas eleições que já estão sendo “com-pro-ba-das.”

  104. maisvalia

    -

    12/12/2012 às 10:21

    Dinossauro recebe nome de Obama
    12 de dezembro de 2012

    NEW HAVEN – O Estado de S.Paulo

    Pesquisadores da Universidade Yale deram o nome de Obamadon gracilis a uma espécie de dinossauro recentemente descoberta. O motivo da homenagem é que a dentição do lagarto lembraria o sorriso dentuço do 44.º presidente dos Estados Unidos, que também é magro.

    A primeira palavra do nome científico do animal significa “dentes de Obama”; a segunda, “magro”. “Esse lagarto tem dentes longos e retos, e Obama tem incisivos também longos e retos, além de um grande sorriso”, disse Nick Longrich, um paleontólogo da universidade, localizada na cidade de New Haven, no Estado de Connecticut.

    O “obamadonte” foi um pequeno réptil comedor de insetos. Seu primeiro fóssil foi descoberto no leste do Estado de Montana, em 1974, mas foi erroneamente classificado como sendo da espécie Leptochamops denticulatus. Só agora os pesquisadores de Yale descobriram que se tratava de um novo dinossauro.

    Além do Obamadon gracilis, outras oito espécies de dinossauro foram descritas na edição desta semana da revista Proceedings of the National Academy of Sciences. / REUTERS
    AH SE FOSSE NA ÉPOCA DA GENI.
    UM CHAMA DE DEUS, OUTROS FAZEM ISSO E DPOIS TEM A CARA DE PAU DE RECLAMAR DO CLINT.
    UM ESPANTO!
    Colher de chá para a sacada,caro Maisvalia, nada como um jurassico receber o premio, hehehe, abs, Caio

  105. maisvalia

    -

    12/12/2012 às 10:15

    Papai Noel é democrata, dizem eleitores nos EUA
    Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos pelo instituto Public Policy mostrou que 44% dos eleitores acreditam que Papai Noel é simpatizante do Partido Democrata. Apenas 28% o associaram ao Partido Republicano e 28% não souberam responder.
    ALGUÉM TINHA ALGUMA DÚVIDA, HEHEHEHEHE
    VEJA QUE É QUASE A MESMA PROPORÇÃO DE VOTOS DO UNGIDO.
    O QUE NÃO FAZ UM FOOD STAMP PARA UM ABRAÇADOR DE ARVORE, HEHEHEHEHE

  106. Sérgio Barros

    -

    12/12/2012 às 10:15

    Mais do que qualquer diálogo, ele está interessado em avançar o número de medidas socialistas para destruir os EUA a longo prazo. Só isso lhe interessa (e a seus patrocinadores).

  107. Marcel

    -

    12/12/2012 às 10:12

    maisvalia – 12/12/2012 às 8:53

    Problema que os republicanos se recusam a entrar nas loucuras esquerdistas. Ah já estava esquecendo, o governo federal contrata 100 pessoas por dia. É o estado gastão versão USA.
    Caro Marcel, a maquina publica na verdade esta enxugando. Que loucuras esquerdistas? O hospicio ao que consta foi inaugurado pelo Bush,abs, Caio

  108. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 9:32

    ” O sistema de desenho distrital (a palavra precisa é feia: redistritamento) amplia o fosso e diminui o incentivo para o compromisso.”
    .
    Não é a primeira vez que você fala disso Caio. Você prefere um modelo como o brasileiro de eleições parlamentares, em vez do distrital?
    Caro Ronaldo, o problema americano é outro. Os distritos americanos sao redesenhados de tal forma que o distrito fica conveniente a um determinado partido, englobando areas demograficas que correspondem ao eleitor do partido, desta forma é muito dificil uma eleicao competitiva, precisa acontecer algo dramatico para virar o jogo, ou remover algum deputado, mas precisaria pensar melhor para palpitar sobre sistemas distritais no mundo, nao acompanho a questao com atencao, abs, Caio

  109. Ronaldo

    -

    12/12/2012 às 9:30

    Good morning, Caio.
    .
    Pois é, os liderados querem tudo, isso é bem comum entre eleitores. Daí que é preciso um líder com coragem e firmeza de (claro, a partir de acordos) levar para a frente o que for acordado e entendido como melhor para o país. Não há receita de bolo nem almoço grátis; ou, como se diz nos EUA, no pain no gain. A questão é ver o que é melhor a médio/longo prazo e, quiçá, o que doerá menos.

  110. Alan

    -

    12/12/2012 às 9:20

    Com essa hiper transparencia, com esse jogo limpo esse olho no olho que Obama confere a essa questão fica constragedor para cúpula republicana rejeitar um entendimento.

  111. maisvalia

    -

    12/12/2012 às 8:53

    Bom artigo.
    E aqui fico com a opinião da querida cumpanheira Carmem:
    Se os republicanos forem espertos, fazem um pouco de doce e aprovam toda a proposta democrata.
    Como ela é imbecil e com certeza dará errado, a culpa desta vez se voltará para o colo certo: Dos intervencionistas anti-capitalistas pogrecistas abraçadores de arvores conhecidos como democratas e seu estado babá.
    obrigado, mas que proposta? Os democratas apenas lancaram pontos de negociacao? Os dois lados quase chegaram a um acordo em 2011, sabotado pelos extremistas do Tea Party, abs, Caio

  112. Ricardo Platero

    -

    12/12/2012 às 8:41

    Caro Caio,

    Há diversos tipos de oposição na política, mas eu acredito que os dois principais são a oposição que agrega valor e a oposição destrutiva.
    A primeira é aquela que tem um compromisso com o Estado e com povo, e que defende seus princípios de governança através de uma ideologia clara e transparente, sabendo quando discordar e quando formar alianças com seus adversários políticos em prol de seu compromisso maior (Estado e povo). A segunda é aquela que tem um compromisso apenas consigo, ou seja, não sabe formar alianças mesmo quando em benefício do Estado do qual faz parte.
    Mesmo com a irresponsabilidade recente do Tea Party, não vejo o Partido Republicano nesta minha segunda classificação, seja por sua história, seja por saber que qualquer falha na economia significa herdar um monstro em que eles foram co-criadores (e para o povo norte-americano, eles são os criadores no momentos) em uma eventual presidência republicana pós-Obama.
    O abismo fiscal não deve ser chamado de declive, ao menos segundo minha visão, uma vez que a seriedade de um declive não levaria a uma crise mundial muito mais severa que a de 2008 e atual na Zona do Euro, pois leva consigo o endividado (Estados Unidos) e seu credo (China), e por consequência todos os clientes e fornecedores destes países. A engrenagem da economia não estaria desdentada, mas partida ao meio.
    Abraços.
    Caro Ricardo, muitos nao consideram a expressao abismo correta,pois o mundo nao ira desabar no day after, abs, Caio

  113. Vinicius Medeiros

    -

    12/12/2012 às 8:37

    Você põe em cheque o bi-partidarismo americano, Caio?
    Caro Vinicius, dificil mudar este sistema, mas ele é artificial, os partidos sao tendas com diversas alas e o drama é que no centro da barraca estao militantes extremistas dos dois lados, abs, Caio

  114. ricardo salazar

    -

    12/12/2012 às 8:33

    em falar de fossos,nada melhor do que citar a corrupção da grécia: http://www.guardian.co.uk/commentisfree/2012/oct/30/greece-democracy-hot-doc-lagarde-list .o cara que divulgou esta lista foi preso,ou seja:não há interesse da merkel de forçar os sonegadores a pagar a dívida.

  115. ricardo salazar

    -

    12/12/2012 às 8:28

  116. amauri

    -

    12/12/2012 às 7:55

    “Obama está em uma situação mais confortável para negociar: sem acordo, os impostos vão subir para todo mundo e aí os republicanos, o partido antiimposto, vai pagar o pato”
    Discordo de voce. O tal do precipicio fiscal foi feito para servir de barganha com os republicanos, para aceitarem o aumento do teto da divida. A tentativa de fazer um acordo para o gatilho do precipicio fiscal nao disparar é uma derrota do Obama e nao dos republicanos. Depois de criarem a estrovenga viu que os democratas é que sairiam perdendo. Infelizmente a oposicao (politicos) americana está se tornando como a brasileira, e vao fazer algum acordo, empurrando o burraco, que vai aumentar, mais para frente. abs

  117. amauri

    -

    12/12/2012 às 7:30

    Bom dia Caio!
    Já lhe fiz esta pergunta:
    Voce acredita que o governo americano tem que evitar o abismo ( voce prefere declive por que o comandante chefe é o Obama. Para economistas é precipicio) fiscal? abs
    Preciso ser evitado, abs, Caio

  118. macaca fuscata

    -

    12/12/2012 às 7:16

    Hoje, 12.12.2012, às 12:12hs será início do fim do capitalismo!
    # Nosso preito a Ravi Shankar, grande músico indiano.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados