Balanço da Bienal do Livro 2013: a vez dos infantojuvenis

A escritora Paula Pimenta (foto: Leo Drumond/Nitro)

A escritora Paula Pimenta (foto: Leo Drumond/Nitro)

Se a Bienal do Livro de São Paulo de 2012 foi praticamente dominada pelas capas pretas do romance Cinquenta Tons de Cinza, que vendeu 2.200 exemplares e impulsionou o crescimento de 140% da Intrínseca no evento, o perfil dos campeões de venda da Bienal do Livro do Rio foi bem diferente. A ficção erótica de E.L. James sequer apareceu na lista dos cinco títulos mais procurados da Intrínseca, preenchida por dois romances para o público jovem de John Green, A Culpa É das Estrelas e Cidades de Papel, além dos também juvenis Extraordinário, de R.J. Palacio, O Lado Bom da Vida, de Matthew Quick, e O Ladrão de Raios, o primeiro livro da saga de Percy Jackson, escrita por Rick Riordan.

LEIA TAMBÉM: Gigantes da internet usam Bienal para reforçar marca

Os livros infantojuvenis foram de fato dominantes nesta Bienal. Fenômeno do ramo, Paula Pimenta, colunista do site de VEJA, puxou o crescimento de sua editora, a Gutenberg, do grupo Autêntica, que quadruplicou seu faturamento. A editora não revela números de receita ou de exemplares comercializados, mas afirma que os livros de Paula, como a série Fazendo Meu Filme, foram responsáveis por 40% das vendas do estande.

Read more

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Pedro Dorival Felippe

    Tenho 76 anos e, para realizar um sonho, escrevi e mandei editar um livro: A LINHA TORTA. É uma ficção, a história comovente de um menino que venceu a vida. Enredo inédito, nunca retratado em cinema, novela, rádio e revistas. Não tenho máquina publicitária e muito menos dinheiro para divulgar. Encontrei este espaço e conto com alguem interessado me dar uma força. Como enviar o livro? Para quem enviar?
    Que a recompensa seja divina. Abraços

    Curtir

  2. Comentado por:

    julio cezar mendes da silva

    Pedro Dorival Felippe,para vc publicar um livro vc tem que registrar a sua obra na fundação biblioteca nacional,pagar uma taxa,não publique nada ainda se vc não registrou,pois vc corre o risco de ser plageado,entre na Internet e acesse o site da fundação e registre a obra,depois de entrar em contato com alguma editora que possa estar disposta a publicar a sua obra.

    Curtir