Geraldo Samor VEJA Mercados

VEJA Mercados

O capitalismo e seus protagonistas. A estratégia das empresas. A tal da mão invisível. O espírito animal. E as políticas públicas que ajudam e atrapalham.

sobre

Geraldo Samor foi correspondente no Brasil do The Wall Street Journal, da agência Dow Jones e da International Financing Review (IFR). Foi produtor do Podcast Rio Bravo e consultor de hedge funds americanos com investimentos no Brasil. Desde 2014, é responsável pelo VEJA Mercados.

Banqueiro: “Reeleição de Dilma não é o fim do mundo”

Por: Geraldo Samor

Ricardo Lacerda1O banqueiro Ricardo Lacerda tem todas as credenciais para ser visto com suspeita pelo PT. Começou sua carreira no Goldman Sachs em 1996 e era chefe do banco no Brasil quando um analista do Goldman lançou o Lulômetro, que media o risco da eleição de Lula para o mercado financeiro.

Depois, Lacerda foi trabalhar para o Citibank — outro desses bancos que, na propaganda do PT, fazem a comida sumir do prato dos brasileiros. Lá, foi chefe da área de banco de investimento, primeiro do Brasil, e depois da América Latina.

Há alguns anos, com o apoio de vários empresários que haviam sido seus clientes, Lacerda fundou a BR Partners, um banco de investimento dedicado a fusões e aquisições.

Numa campanha eleitoral em que os banqueiros estão sendo satanizados, e num final de governo em que a maioria dos empresários se sente, se não no Inferno da economia, num dos círculos do Purgatório, Lacerda poderia ser mais um banqueiro alvo fácil para os dilmistas.

Exceto pelo que ele acha que vai acontecer nos próximos dias.

Lacerda acha que a Presidente Dilma será reeleita — e, mais chocante ainda, que isso não vai ser necessariamente um desastre.

“No segundo mandato, ela vai mostrar um pragmatismo que não mostrou até agora,” diz ele. “Tem gente achando que virei petista, mas faço apenas uma análise conjuntural do cenário que considero mais provável.”

 

Por que o senhor acha que a Presidente Dilma vai ser reeleita?

Em condições normais a tendência é sempre pela reeleição e tirar alguém do poder é uma tarefa árdua. É preciso um motivo forte para não reeleger um governante. Não vejo esse motivo no cenário atual. Criou-se muita riqueza no país nos últimos 20 anos e, a despeito de um quadro mais adverso a partir de 2013, os principais indicadores econômicos ainda estão em níveis razoáveis. O desemprego ainda é baixo e persiste uma sensação de bem estar na população. Certamente veremos uma disputa acirrada, mas minha leitura é que no frigir dos ovos a maioria vai optar pela continuidade do atual governo.

 

O mercado financeiro reflete a economia colocando preços nos ativos. A Bolsa cai e o dólar se fortalece quando a Presidente Dilma sobe nas pesquisas. A maioria dos empresários está cansada do modelo dos últimos anos e não quer a reeleição. Por que o senhor está sendo tão construtivo na absoluta ausência de evidências para isto?

Não é possível que não haja denominador comum entre uma presidente reeleita e o mercado. Tem que haver um jeito de trabalhar junto. Vejo como altamente viável uma reaproximação da presidente Dilma com o setor privado após a reeleição. Basta um nome de credibilidade no comando da economia e uma política fiscal séria para as coisas voltarem aos eixos. O mercado tem o direito de especular sobre o que bem entender, mas isso não quer dizer que esse movimento tenha tanta importância. Vejo esta histeria das bolsas como um movimento artificial. Uma coisa é discurso de campanha, a outra é a realidade. No contexto eleitoral, o discurso do governo soa mal para o mercado e o da oposição como música.

 

Dá para acreditar numa reconciliação depois de tudo que o Governo fez nos últimos quatro anos? A intervenção pesada em vários setores, o enfraquecimento do tripé macroeconômico…

Claro que sim, é natural fazer mudanças de curso após uma eleição. O Brasil não foi o único país do mundo a relaxar política monetária e fiscal diante da maior crise dos últimos oitenta anos. O mercado exagera quando enxerga descontrole fiscal ou inflacionário. É evidente que o intervencionismo teve um efeito pernicioso e criou um clima de desconfiança, prejudicando o investimento. Mas nada que não seja reversível ou ajustável. O governo precisa abandonar seu viés ideológico e confiar mais na iniciativa privada.

 

Quando o senhor diz que o mercado “exagera” quando vê descontrole fiscal, parece relevar o fato de que a economia hoje está lotada de subsídios cruzados, que as tarifas públicas estão represadas, e, pior, que o Governo faz uma alquimia contábil pra esconder a realidade…

Não se trata de relevar esses fatos, mas tudo isso é resultado de decisões conscientes dos gestores da economia que, se equivocadas, podem e devem ser revertidas. Não há nenhum tipo de problema cuja solução esteja fora do nosso alcance. É evidente que teremos que fazer ajustes em 2015, nem o próprio governo nega isso.

 

O senhor diz que o Governo tem que abandonar o viés ideológico. Mas a presidente Dilma não é conhecida exatamente por ouvir muito a opinião de terceiros e talvez tenha sido a presidente mais ideológica desde a redemocratização. Por que ela mudaria de curso agora? É muito mais provável ela dizer: “Vejam, ganhei a reeleição, eu estava certa!”

A reeleição da Dilma não é o fim do mundo. Confesso que não vejo na presidente o bicho papão em que o mercado financeiro insiste em transformá-la. Talvez estejam todos dando uma importância excessiva ao [seu] estilo. A reeleição não significa que o governo estava certo em tudo. Muitos erros estão hoje evidentes. O desejo de mudança está claro em todos os sinais emitidos pela população. Acho que a presidente saberá entender essa mensagem e prevalecerá o bom senso.

 

O senhor deve estar tendo um ano de vacas magras.. A atividade de fusões e aquisições não caiu muito com toda essa incerteza eleitoral?

Nosso mercado realmente se retraiu muito em 2014, mais em função da desaceleração econômica do que da incerteza eleitoral. De 2002 pra cá, não temos mais visto uma grande preocupação de investidores de longo prazo com questões políticas. Nossas instituições são sólidas. Mas o aumento de juros e a queda na atividade econômica reduziram o valor das empresas. Houve uma destruição temporária de riqueza e isso ocasionou uma forte retração nas emissões de ações e nas fusões e aquisições. Apesar da nossa carteira de negócios em andamento estar robusta, as operações estão levando mais tempo pra fechar. Mas nosso mercado é cíclico, já passamos por isso antes.

 

Falando do seu negócio, em que setores da economia vamos ver mais fusões e aquisições no ano que vem? Essa resposta não depende muito de quem vai sentar na cadeira em janeiro?

Varejo, educação, saúde, bens de consumo e financeiro são setores que dependem menos de regulamentação e onde há tendências claras de mercado e consolidação. Já os setores de energia e infraestrutura podem sofrer maior ou menor impacto dependendo da postura do novo governo. A boa notícia é que os preços dos ativos em níveis mais acessíveis têm atraído investidores estrangeiros, que voltaram a olhar ativamente oportunidades no Brasil. Com correções na política macroeconômica, mais clareza regulatória e liberdade para a iniciativa privada, podemos ter boas surpresas em 2015.

 

Essa sua leitura de que o Governo errou mas vai se redimir… não é muito naive?

De forma alguma. Ingenuidade é imaginar que um país com as complexidades do Brasil pode adotar uma política econômica absolutamente ortodoxa, como nós do mercado financeiro gostaríamos. Não há nada mais distante da realidade do que essa pretensão. Temos um país com enormes diferenças e uma dinâmica política que exige inúmeras acomodações. Nesse contexto, não há muito o que fazer a não ser aprender com nossos erros. Quanto mais rápida e enfaticamente o governo eleito sinalizar essas correções de rumo, menor será o custo dos ajustes.

Voltar para a home

Comentários

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

*

  1. Rodolfo

    Que maravilha revisitar opiniões um ano depois.

  2. Renato

    ESTAMOS MORTOS!!!…. PREPAREM-SE PARA A “FAXINA” ALÁ VENEZUELA, QUE OS PETISTAS VÃO POR EM EXECUÇÃO EM 2015!!!

  3. willian

    esse nao da murro em ponta de faca,sujeito é esperto,vai receber ó,um “ão” um bocanhão

  4. Marcus

    Grandes problemas

  5. Marcus

    Afirmar que a Dilma e o Pt não são grandes é ser otimista demais, o único governo do Pt que não deu errado (pq certo não deu, só não fez besteira) foi o governo lula e tudo por causa de uma pessoa, Henrique Meireles, só devido a este senhor é que o governo lula não afundou com o pais, saiu o Meireles tai o resultado, as contas cada vez piores, inflação, crescimento zero, só não tem desemprego, mas espera mais um ano desse governo pra ver. A argentina ta no nosso retrovisor cada vez mais perto.

  6. Elissandro

    Realmente, para o povo mais pobre ter uma tv lcd uma geladeira e um carro financiado significa enriquecer. Mas não conta que esta pagando altos juros e nao consegue uma boa alimentação para seu lar.

  7. Marcelo Albuquerque

    … vai esperar papai noel também?

  8. Felipa

    O perigo maior para os banqueiros seria o Aécio, pq ele representa uma mudança em tudo o que está dando certo. É muita incerteza. É o nome da descontinuidade.

  9. Joe Silva

    O PT sempre foi o maior amigo dos banqueiros. Onde no mundo esses parasitas cobrariam 200% aa de juros ? Só aqui mesmo.
    Uma dívida pública paga com os maiores juros do mundo. A maior moleza.
    O cara trabalhou no Goldman Sachs, o banco mais sangue-suga, mais sabotador que existe no mundo…está dando risada, quer que o Brasil se lasque.

  10. José de CARVALHO

    A Veja quer forçar o cara a pensar como ela. Um absurdo! Isso dá nojo!

  11. luiz fernando c f mattos

    Quando um banqueiro ta gostando é ruim pra todo mundo, menos para ele..

  12. Eliana Frajhof

    Pior do que a crise financeira será a virada para o autoritarismo de esquerda. Fiquei estarrecida com esta entrevista.

  13. Costa

    Me engana que eu gosto.
    Se ela se reeleger não vai ser ruim, vai ser uma catastrofe irrecuperável!
    O principal ponto que falta para esse governo, é a “FALTA DE DIGNIDADE”.
    Se Aécio não ganhar vai ser um desastre total.

  14. Adriano de Paula

    Análise tendenciosa que busca visar apenas o lado dos bancos, quanto maior a inflação, taxa de juros e afins, maior será o lucro dos banqueiros.
    O baixo crescimento da economia brasileira nos últimos anos é preocupante, por isso cresce a necessidade de mudanças drásticas no governo, precisamos de novas idéias, novos mecanismos, para fazer com que a economia do país volte a crescer.
    Talvez um nome com mais credibilidade no mercado financeiro, para atrair novamente os investimentos no país.

  15. papatango no charlesuniform de victorcharles

    Olha só. A revista tá mudando de lado?

  16. Mario

    Esse cara pode entender de economia mas não entende de pessoas ideologicamente formadas como a Dilma é.
    Ela não vais mudar nada das suas ideias esquerdistas, ela pode colocar ou mudar nomes nas posições chaves do seo novo governo (que ja poderia ter feito ate aqui, visto os runos negativos da economia do Pais), mas quem vais mandar será sempre ela com o seo jeito: ERRADO.
    Portanto não vejo meliorias com uma re-eleição da Dilma. Vejo Colombia e Venezuela se aprosimar.
    Onte ela declarou que a midia deve ser controlada, so porque desmascara os malfeitos dela e dos seos apadrinhados.
    Esse cara entende do que: so do seo dinheiro. Os governos sempre precisam de bancos, então que seja sopa ou pão molhado; tanto faz. Eles sempre gahnam.

  17. Rubens

    Aff… acho q tem mais banqueiro nos comentários do que na entrevista, ou serão todos pobres de direita ?

  18. Fernando

    Não temos quer ser partidário e sim realistas, temos que ver o que a presidente fez em 4 anos outros partidos não fizeram em 100 anos. Muitas gente saiu da pobreza extrema e passou a ter o que comer em casa. São esses “riquinhos” ignorantes que não aceitam ver a classe c estar mais perto e ter uma vida digna, coisa que não tínhamos então a 12 anos. Ninguém vê as melhorias e sim apenas erros ridículos de alguns e sai crucificando todos. A presidente fez com que nosso país evoluísse perante países desenvolvidos. Hoje somos a sexta potência mundial. Não podemos deixar nosso país na mão de um ser que preocupa em difamar o atual governo a apresentar um projeto digno para nosso país. Temos que dar continuidade no que está dando certo.

  19. Hayek

    Mais um que o PT comprou. Cedo ou tarde vai aparecer a evidencia.

  20. Marcos de Oliveira

    Esse banqueiro para mim é igual e tem cara de petista é mais um empresário sugando o povo brasileiro assim como os corruptos dessa praga que se instalou no Brasil,faz parte dessa ceita maligna chamado PT.São matadores,porque não precisa ter armas na mão para matar,matam com seus juros acachapantes,oferecem empréstimos para os aposentados e para o povão se afundarem em dívidas.Quantas familias não estão dilaceradas hoje para esses sangue-sugas cumprirem suas metas bilionárias.

  21. José Pires de souza neto

    Esse cara pode entender de política, mas não justifica deixar o pt no poder devido toda essa corrupção encontrada no governo. Sem contar que a presidenta Dilma perdeu o controle de governar, ou seja, a falta de planejamento em diversas áreas, compromete o crescimento da nossa nação. Estamos num tempo que devemos priorizar escolhas técnicas para os cargos, e não dá tantas secretarias a um e a outro partido.

  22. Salomão Filho

    É impressionante como certas pessoas não se importam com o próprio país.

  23. jose renato

    Não será para Bmg, Friboi e outros clientes também pendurados na PTralhada.

  24. Luciano

    Eu gosto de ler os comentarios dos pseudo-direitosos, sim, pq nao entendem nada de politica e odeiam a ideia de que pobre hj está nas prioridades do governo. Eles nao suportam isso. Usam qualquer argumento pra meter pau no governo atual. façam o seguinte. Ta ruim? façam alguma coisa, doem, saiam nas ruas a noite e doem comida, agasalho àqueles que precisam….vão em orfanatos, em casas de repouso…..Ah nao, isso quem tem que fazer é o governo…..É DILMA 13 e depois LULA de novo sim……

  25. Werner

    É uma análise puramente econômica, que não considera o vies político ideológico do PT e principalmente da própria Dilma. Acho ingênuo, ou “esperto demais” fazer análises econômicas sem lembrar que Dilma foi guerrilheira comunista e o PT faz parte do Foro de São Paulo.
    Os erros da política econômica são nítidos, os caminhos a seguir também. Por pura ideologia, Cristina Kirchner e Maduro não o fizeram. Por que Dilma faria?⁇

  26. RTF

    Ignorado.

  27. Clovis Leal

    A opinião desse “mama tetas” não conta! O povo que trabalha vai tirar essa quadrilha sim!!!

  28. Joao Soares

    É o FIM, FORA DILMA PRA SEMPRE JUNTO COM O PT!

  29. Fabio

    Pra ele vai ser ótimo, quanto mais inflação, mais juros altos, mais lucros dos bancos.

  30. Manoel francisco da Rocha Filho

    Um pensamento sensato, a releição da Dilma e certa.uma parcela de eleitores fica ressentida por isso, o surgimento do PT, na politica nacional, foi motivado por erros das politicas sociais, criando uma insatisfação com a direita, portanto agora tem que se repensar no social hoje existentes para se adequar de novo ao poder.

  31. Pedro Paulo

    Compactuo com o argumento do mesmo que a economia brasileira não pode ser regida aos moldes ortodoxos. Seria, ao meu ver, incompatível com os fatores econômicos aqui vigente. Visa vis a baixa infraestrutura que assola nosso meio de produção. Então, incentivos são necessários e os mesmo devem partir do Governo. Mas acredito que o atual governo, acaba intervindo demais. O que deixa a eficiência de mercado, o que Smith chamava de mão-invisível, presa. Acredito, se reeleita, a presidência tornará a economia mais nas mãos do mercado. Visto que o atual modelo de governo, não deu muito certo.

  32. marcos

    Santa ignorancia ou nao? Alguma empresa que ele assessora deve estar pendurada no BNDES?

  33. Pedro Goulart

    Com certeza!
    Para quem faz parte do esquema, o PT DEVE continuar no poder.
    Na era da banalização total de todos os aspectos da vida humana, o corporativismo, o pensar só no grupo do qual faz parte, ou da família, ou mesmo até, em si próprio, caso de luizinácio, essa noticia não causa estranheza alguma; todos alimentando esta “sofisticada organização criminosa”. Todos sem-vergonhas!
    O hedonismo na acepção plena da palavra! Ninguém se constrange mais em mostrar a vaidade exacerbada. Tudo pelo dinheiro! Tudo pelo poder! Até funk ostentação temos.
    Só que, esta banalização já nos faz experimentar também, a sua própria saturação. Não consigo mais pensar o Brasil, se continuar nesta pegada, e mesmo o mundo todo, mais cinco anos. Tudo irá saturar por aqui; é muita perversão!

  34. Rodolfo

    Lamentável. Falou besteira do início ao ao fim.

  35. Sandy

    Para os bancos o governo do Lula e da Dilma foi ótimo!Os banqueiros os amam! Lucros estratosféricos!!! Mudança na lei que facilita os imóveis serem retomados pelo banco financiador ( antes era mais difícil, mas garantia a comprador) no caso de não pagamento em dia de financiamento e outras vantagens a mais…

  36. Almeida

    Ele está querendo mamar no BNDES. Assim fica mais fácil.

  37. Souza

    Esse não dá murro em ponta de faca. Vai lucrar de qualquer jeito. Sujeito esperto. Vai operar um ão, que tal um bancalão ?

  38. Wander Tavares Júnior

    É verdade, não será o fim do mundo. Será apenas o fim do Brasil…

  39. Almeida

    Tá querendo mamar no BNDES. Assim fica mais fácil.

  40. Lopes

    Esse cara deve acreditar em papai Noel, que Maluf é inocente, e o Lula nunca soube de nada. E, também, queira aumentar seus ganhos com um possível prognóstico certo.

  41. Firmino

    Não é uma opinião isenta: para quem se dedica a fusões e aquisições de empresas, quanto mais destas estiverem em dificuldades, melhor. Também os advogados especilistas em falências e concordatas ficam muito felizes com a eventual vitória de Dilma.

  42. José Carlos Benites

    Esse PETRALHA está querendo o lugar do demitido PETRALHA Mantega.

  43. Gilberto

    O que o Sr. Ricardo Lacerda acha das ultimas noticias sobre a roubalheira na Petrobras? E os investimentos sigilosos realizados com recursos do BNDES em Cuba? Não seria mais lógico fazer estes investimentos no Brasil?
    Concordo com alguns comentários aqui expressos, de que talvez o Sr. Lacerda esteja querendo ficar bem na fita, por acreditar na vitória da candidata do PT.

  44. Adriana

    Não, não será o fim do mundo, porque o mundo é bem maior que o Brasil, que hoje, apesar de sua grandiosidade territorial e populacional, é um nada em termos mundiais.
    Será apenas o fim da redemocratização, com uma ditadura esquerdista, à la Cuba e Venezuela, a serviço de interesses escusos, e sem interesse na economia de mercado, a economia real dos países estáveis e sérios.
    Talvez o banqueiro esteja se precavendo, para no caso de reeleição, ter já deixado aberto um canal com os petralhas, para não sucumbir, como sucumbem e continuarão a sucumbir os demais brasileiros.

  45. Marcelo

    Acho meio imparcial comentário de Banqueiro sobre o atual
    Desgoverno, haja vista que nunca antes na História desse Brasil Banqueiros ganharam tanto dinheiro quanto no Desgoverno Petista.

  46. Marco Liberatti

    O ‘Terceira Onda’ (9:41) aprecia discursos de Maduro e Dilma, mas ele acha que parei na Guerra Fria. Tenho saudades daqueles anos, sim, principalmente da Família Dinossauro, que fazia sucesso enquanto caía o Muro de Berlim, que os esquerdistas brasileiros cultivam todos os dias em suas cabeças obscuras. Ao contrário dos petistas, aqueles dinossauros eram, ao menos, divertidos. Ainda bem que a série está em reprise na TV a cabo mantida pelos capitalistas gananciosos. Toda vez que o ‘baby’ diz “não é a mamãe!” fico a lembrar do pobre ingênuo que votou num poste, plantado por um anão moral de nove dedos para representar o povo brasileiro aqui e lá fora. Hoje resta ao nosso ‘Homer Simpson’ que votou em Dilma por poder comprar seu fogão em 329 prestações berrar em frete a TV: não é a mamãe! Mas claro que, para quem aprecia os discursos de um lunático que fala com pássaros que incorporam Chávez e de uma lunática que pretende desenvolver projetos de barcos de fibra ótica e dialogar com o Estado Islâmico restará uma de suas duas taras para se satisfazer: o oráculo de Stalin ou a cueca recheada de dólares.

  47. Leniéverson

    Visão Lúcida e corajosa?

    Tipico comentário de trols.

  48. João dos Santos

    Lembro-me nas vésperas da eleição de 2010: uma entrevista de um grande empresário que elogiava o governo do PT, aliviando as minhas preocupações com a Dilma. Depois, a coisa toda estourou e só então fui entender a razão dos elogios.

    O nome do grande empresário? Eike Batista.

  49. Ribeiro

    Muito lúcida as idéias deste financista, que fez uma análise brilhante do momento atual.Vejo com bons olhos que a a reeleição de Dilma será um novo marco para o desenvolvimento do país, pois pobre hoje está no orçamento do governo federal o a muitos anos não víamos.

  50. Giovani

    Por que o senhor acha que a Presidente Dilma vai ser reeleita?

    Porque estão ha doze anos comprando votos com dinheiro público, em nenhum país do mundo existe isto, compra compulsória de votos de brasileiros pagos mensalmente, e muitos ainda recebem salários por três meses em todo o Brasil para ‘trabalhar’ em campanha. De onde vem este dinheiro?