Câncer colorretal: uma ameaça crescente

A incidência de câncer colorretal ou de intestino no Brasil é muito alta, com mais de 35.000 casos por ano. Esse também é o 3º tipo de tumor que mais mata

Quando falamos em câncer, tendemos a lembrar dos tipos mais comuns da doença, como mama, próstata e pele, por exemplo. Porém, há alguns tipos de tumores que são cada dia mais comuns e bastante agressivos quando diagnosticados tardiamente. É o caso dos tumores colorretais, mais conhecido como câncer de intestino. Atualmente, a incidência desse tipo de câncer no Brasil é muito alta, com mais de 35.000 casos por ano, e continua a aumentar, sendo o terceiro tipo de tumor que mais mata.

Apesar dos dados alarmantes, é uma doença que, com prevenção adequada, tem grandes chances de cura e controle. Esse tipo de câncer usualmente leva mais de uma década para se desenvolver no organismo das pessoas, começando por alterações benignas, como os pólipos, antes de se tornar maligno.

Esforços para evitar ou parar estas alterações progressivas são o que chamamos de prevenção primária. No caso de tumores colorretais, incluem-se neste rol uma boa alimentação, rica em frutas e verduras desde a juventude, moderação no consumo de carne vermelha e gordura de origem animal, exercícios físicos regulares, além de evitar o tabagismo e o consumo excessivo de álcool. Um fator cada vez mais em voga é o combate à obesidade, que parece estar associada a um aumento real no número de diversos tipos de câncer.

Mesmo quando estas medidas não são feitas, ou não atingem seus objetivos, ainda podemos falar em prevenção secundária, ou seja, a detecção de um câncer em um estágio mais inicial, quando apresenta maior probabilidade de cura.

A incidência entre homens e mulheres do câncer colorretal é muito similar, sendo mais comum em pessoas com mais de 50 anos. Por isso, é muito importante que indivíduos a partir dessa idade iniciem uma rotina de exames preventivos. Para aqueles que tem casos na família, a recomendação é conversar com seu médico para que esse controle seja iniciado na idade adequada para cada caso.

O exame mais comum para detectar alguma anomalia intestinal é o teste de sangue oculto nas fezes. Se realizado anualmente, é possível reduzirmos em quase 1/3 as mortes por câncer colorretal. É um exame simples e barato, de fácil realização. Exames mais sofisticados, como a colonoscopia, são mais eficientes, mas demandam mais infraestrutura, pessoal, e recursos financeiros. Portanto, devem ser discutidos individualmente.

A prevenção, seja primária ou secundária, ainda é a maior arma disponível contra o câncer. Existem fatores de risco que não conseguimos prevenir, como a hereditariedade, a idade, e a exposição a fatores ambientais. Mas, independentemente disso, a prevenção sempre será benéfica, seja para evitar a doença ou para tratá-la quando a chances de cura é mais significativa.

 

blog-letra-de-medico-paulo-hoff

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)

Quem faz Letra de Médico

Adilson Costa, dermatologista
Adriana Vilarinho, dermatologista
Ana Claudia Arantes, geriatra
Antônio Frasson, mastologista
Artur Timerman, infectologista
Arthur Cukiert, neurologista
Ben-Hur Ferraz Neto, cirurgião
Bernardo Garicochea, oncologista
Claudia Cozer Kalil, endocrinologista
Claudio Lottenberg, oftalmologista
Daniel Magnoni, nutrólogo
David Uip, infectologista
Edson Borges, especialista em reprodução assistida
Fernando Maluf, oncologista
Freddy Eliaschewitz, endocrinologista
Jardis Volpi, dermatologista
José Alexandre Crippa, psiquiatra
Luiz Rohde, psiquiatra
Luiz Kowalski, oncologista
Marcus Vinicius Bolivar Malachias, cardiologista
Marianne Pinotti, ginecologista
Mauro Fisberg, pediatra
Miguel Srougi, urologista
Paulo Hoff, oncologista
Paulo Zogaib, medico do esporte
Raul Cutait, cirurgião
Roberto Kalil – cardiologista
Ronaldo Laranjeira, psiquiatra
Salmo Raskin, geneticista
Sergio Podgaec, ginecologista
Sergio Simon, oncologista

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Há pouco tempo sentia pontadas frequentes no anus, fiz uma colonoscopia e batata, estava com uma lesão plana de reto o médico achou por bem retirar via colonoscopia, fiz várias e não obteve exito pois era muito extensa, consultei um proctologista Dr Ramon, com ele fiz um procedimento chamado abaixamento de cólon, transcorreram-se dois anos e venho realizando retrosignoscopia e graças ao Bom Deus, o local está cicatrizado, sei que tenho que continuar a prevenção pela vida inteira. a prevenção é o melhor remédio.

    Curtir