“Atômica” x “Dupla Explosiva”: a nova cara da pancadaria

Charlize é um estrondo mas não faz milagre; prefira a parceria de Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson

Na Berlim da década de 80, às vésperas da queda do Muro, Charlize Theron usa roupas de matar de inveja, persegue outros espiões e é perseguida por eles, bate duro em todo mundo e apanha muito também – e, levando ao pé da letra a caracterização de loira gelada, cura os hematomas num banho de banheira on the rocks antes de sair para mais uma rodada de pancadaria. Em resumo, é disso que consiste Atômica, uma adaptação de uma graphic novel cujas únicas ideias verdadeiramente sólidas são a de apoiar-se no carisma de Charlize, e a de aproveitar a magnífica aptidão física da atriz em cenas de ação feitas com grande perícia e impacto. David Leitch, que dirigiu algumas cenas de De Volta ao Jogo e de John Wick – Um Novo Dia para Matar (ele é sócio do diretor Chad Stahelski na produtora 87Eleven), aplica à perfeição a fórmula que Stahelski e ele próprio desenvolveram, de ação agilíssima tanto na coreografia quanto na câmera, estruturada com grande complexidade mas filmada de forma quase seca. Ex-dublês, Stahelski e Leitch não são os inventores do estilo chamado gun fu, mas são seus grandes formatadores e aprimoradores.

Atômica

Atômica (Universal/Divulgação)

O problema de Atômica é que ele não inclui na receita o humor descarado dos dois John Wick. Fora ação e Charlize (admito, não é tão pouco assim), o filme não tem muito mais a oferecer. James McAvoy, Eddie Marsan, Sofia Boutella, John Goodman e Toby Jones entram e saem da história sem deixar grandes marcas – uma decepção em se tratando de atores naturalmente tão marcantes. Roteiro não há. E, para quem acha que nem precisa haver, sugiro uma espiada em Dupla Explosiva, que usa mais ou menos os mesmos elementos (inclusive o jeito de filmar a ação) com efeito infinitamente mais divertido: como aquele velho clichê dos dois inimigos que têm de manter um ao outro vivos até o fim do filme, Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson se beneficiam de uma história escrita para ser uma daquelas bobagens pelas quais paga-se com gosto o preço do ingresso – e que, ademais, foi cuidadosamente revisada e burilada para tirar o máximo partido dos talentos naturais de cada um dos atores.

Dupla Explosiva

Dupla Explosiva (California/Divulgação)

É mais ou menos assim: se o Frank Capra de Aconteceu Naquela Noite ou o Ernst Lubitsch de Ninotchka recheassem suas comédias românticas dos anos 30 com ação enlouquecida, tiros aos montes e diálogos repletos de expressões impublicáveis, o resultado ficaria parecido com este Dupla Explosiva: como o par desencontrado que precisa acertar o passo, Reynolds e Jackson compõem uma química tão festiva quanto a de Claudette Colbert e Cary Grant, ou a de Greta Garbo e Melvyn Douglas. Aqui, Reynolds é Michael Bryce, que já foi um guarda-costas classe AAA mas perdeu o negócio e a reputação ao deixar um cliente ser alvejado pelo assassino profissional Darius Kincaid (Jackson) – que já tentou matar Bryce nada menos do que 28 vezes. Pois esse arquiinimigo é a única chance que resta a Bryce de recuperar seu prestígio: basta que ele consiga driblar as hordas de capangas bielo-russos fortemente armados que pretendem impedir Kincaid de depor contra um ditador (Gary Oldman) no tribunal internacional de Haia, na Holanda. Só pretexto para fazer a coisa toda acontecer, claro. Mas um pretexto muito bem empregado. A cena em que Bryce reclama e se queixa de Kincaid enquanto Amsterdã vai pelos ares atrás dele, por exemplo, é uma delícia – assim como as participações de Elodie Yung (a Elektra de Os Defensores) e de Salma Hayek, esta boca-suja que só vendo. O diretor Patrick Hughes, vindo do não muito promissor Os Mercenários 3 (exceto por aquela cena genial com Chuck Norris), acerta o tom, o ritmo e a mão, e faz muito com pouco. Pouca afetação, sobretudo – muito menos que em Atômica.


Trailers

ATÔMICA
(Atomic Blonde)
Estados Unidos/Alemanha/Suécia, 2017
Direção: David Leitch
Com Charlize Theron, James McAvoy, Sofia Boutella, Eddie Marsan, John Goodman, Toby Jones, Bill Skarsgard, Barbara Sukowa, Til Schweiger
Distribuição: Universal
DUPLA EXPLOSIVA
(The Hitman’s Bodyguard)
Estados Unidos/Holanda/China/Bulgária, 2017
Direção: Patrick Hughes
Com Ryan Reynolds, Samuel L. Jackson, Gary Oldman, Salma Hayek, Elodie Yung, Joaquim de Almeida, Richard E. Grant
Distribuição: Califórnia

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s