Blogs e Colunistas

24/08/2012

às 12:58 \ Arte, GPS/ Rio, Sociedade

A velhinha que restaurou o turismo de Borja

Borja entrou no mapa. Imagem: reprodução/ Twitter

A velhinha que restaurou atabalhoadamente um afresco do século XIX, em uma igreja de Borja, nordeste da Espanha, deixou o mundo estupefato. Sua ‘obra-prima’ virou meme na Internet, inspirou anônimos a mostrar como seriam suas versões de restauro para outras grandes pinturas: uma espécie de ‘Nina Congelada’ versão mundo das artes.

Talvez a bem-intencionada restauradora, a octogenária Cecília Giménez, que disse em entrevista já ter vendido vários quadros (assista ao vídeo abaixo, em espanhol), seja uma artista desvairada e incompreendida… Fato é que essa senhorinha espanhola conseguiu, sem querer, chamar a atenção do mundo para sua pequena cidade e para a igrejinha pela qual tanto zela. Desde que o restauro (?) veio a público, o interesse pela igreja aumentou e os turistas se multiplicaram ali, com filas de curiosos que querem tirar fotos  e que começam a dizer que a nova imagem tem poderes sobrenaturais e dá sorte. Enquanto isso, o governo local já pesquisa empresas que possam resgatar os traços originais do afresco.

Tamanha mobilização despertou o interesse dos curiosos e também dos acadêmicos. Segundo o jornal El País, pelo menos duas universidades americanas se ofereceram para estudar o episódio do ponto de vista sociológico. Uma petição pública que pede a preservação da nova versão de Ecce Homo dá uma amostra dessa mobilização. Em algumas horas, 5.000 assinaturas foram coletadas– número que já passava dos 11.000 na manhã desta sexta-feira. Essa turma já teve pelo menos uma primeira vitória. O prefeito da cidade rejeitou o pedido do pároco para que a arte de Cecília permanecesse  escondida da vista do público até o fim do restauro profissional. Tomara que a equipe tenha o senso de registrar devidamente a obra-prima de Cecília Giménez e, quem sabe, prestar a ela uma homenagem por ela ter feito desse velho afresco um dos mais famosos do mundo.

Por Paula Neiva

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados