Blogs e Colunistas

12/06/2008

às 19:19 \ Arquivo

Casamento entre primos

Meu nome é Mayara Leandro, eu namoro com meu primo (o pai dele é irmão da minha mãe) e nós pretendemos nos casar em no máximo quatro anos. Gostaríamos de saber se o que falam é verdade: “casamento entre primos geram filhos deficientes”. Se isso é verdade, por que acontece? Nós corremos mais riscos por sermos primos de primeiro grau? O que devemos fazer quando planejarmos nossos filhos?

O risco de filhos com doenças genéticas

Está na boca do povo que casamento entre primos aumenta o risco de ter filhos deficientes. Verdade ou lenda? É verdade sim. Para entender porque, é importante lembrar de modo simplificado que as doenças genéticas podem ser causadas por três tipos de herança: dominante, recessiva ou multifatorial. No caso da herança dominante, freqüentemente basta um gene para que a doença se manifeste. É o caso, por exemplo, da acondroplasia, a forma mais comum de nanismo, onde adultos não passam de 1.20m. Já na herança recessiva, é preciso ter duas cópias de um gene – uma herdada da mãe e outra do pai – para que a característica apareça. É o caso do albinismo, onde as pessoas não têm pigmentação na pele ou nos cabelos. A herança multifatorial é mais complexa. Ela depende de vários genes que interagem com o ambiente, por exemplo, a hipertensão ou algumas formas de diabetes.

O que acontece no casamento entre primos?

Todos nós temos genes recessivos, mas em dose simples eles não causam doenças. Por exemplo, se eu tiver um gene que causa cegueira e meu marido tiver um gene que causa surdez, isso não vai causar problemas em nenhum dos dois. Mesmo que um descendente meu herde o meu gene de cegueira e o de surdez do pai, ele não será cego ou surdo. Mas se eu tiver um gene para cegueira e meu marido tiver um gene que causa o mesmo tipo de cegueira, o meu filho poderá herdar dois genes para cegueira e aí sim ele será cego. Existem milhares de genes que causam doenças genéticas, mas é difícil que duas pessoas não aparentadas sejam portadoras dos mesmos genes recessivos. Entre parentes, no entanto, ocorre exatamente o contrário. Em pessoas da mesma família é muito fácil encontrar os mesmos genes herdados dos pais e avós. Aí está o perigo!!!!

Quanto mais próximo o parentesco maior é o risco

Crianças nascidas de relações incestuosas (entre pai e filha ou entre irmãos) têm um risco de 50% de nascer com alguma doença genética. No seu caso Mayara, você e seu namorado são filhos de irmãos, isto é são primos em primeiro grau (veja o esquema abaixo). Estima-se que o risco de terem um filho com uma doença genética, se não houver nenhum caso já conhecido na família, é da ordem de 10 a 12%.

O que pode ser feito?

Eu sugiro que vocês procurem um serviço de genética que levantará todos os dados da genealogia. Os profissionais poderão explicar melhor as possibilidades, riscos e vão orientá-los deforma adequada.

 

Por Mayana Zatz

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

3 Comentários

  1. Francisco

    -

    15/04/2012 às 18:42

    bom eu agra-desso pela dica pois a mãe da minha prima e irmã do meu pai eu nos meio q se gostamos isso futuramente pode afetar nosso filho.O que você recomendaria com conselho pra mim

  2. rejane

    -

    10/06/2011 às 16:13

    muito bom explicar com detales.muito obrigado

  3. linaldo

    -

    22/01/2011 às 16:14

    estou precisando de uma pesquisa ou projeto sobre loços sanguineos para ser apresentado no seminario de pedagogia escolhemos casamento de primo com primo nos ajude espero resposta

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados