Dilma aceita oferecer ministério a Lula para evitar prisão na Lava Jato. Corra, Lava Jato!

Só falta o "chefe" virar ministro da Justiça para blindar a si próprio

alx_dilma-lula-cortadas_original

Bateu o desespero.

Parlamentares e militantes virtuais do PT relançaram na terça-feira a campanha “Lula ministro”.

Nesta quarta, a coluna Painel, da Folha, informa:

“A presidente Dilma Rousseff topou oferecer um ministério a Lula para evitar que ele possa ser preso na Lava Jato por uma decisão de Sergio Moro.

Ministros do círculo próximo tanto da petista quanto de seu antecessor entraram numa verdadeira operação nesta terça-feira para convencê-lo a aceitar a oferta.

No centro do governo, há fortes temores de que a operação possa tentar levar Lula à prisão. Até o início da noite, antes portanto do jantar no Alvorada, ele ainda resistia à ideia.”

Não sei se Dilma realmente lhe daria uma pasta ou se está só posando de acolhedora por meio da imprensa.

Mas esse papo de que Lula “resiste à ideia” de ter foro privilegiado do STF petista pode servir a dois objetivos:

1) para depois ele posar, se virar ministro, como alguém que foi convencido pelos outros, eximindo-se da responsabilidade direta de amarelar para Sergio Moro.

2) para depois ele posar, se não virar ministro, como alguém que tinha a opção de fazê-lo e, mesmo assim, preferiu ficar à disposição das autoridades (evitando, claro, a confissão escancarada de culpa).

O fato é que Lula está em Brasília tramando com Dilma a melhor forma de ambos se salvarem (ou tramando com o PMDB a melhor forma de derrubar Dilma).

Se dependesse só dele, emplacaria seus camaradas Paulo Teixeira ou Wadih Damous no Ministério da Justiça; o problema é que uma escolha tão escancarada para blindar Lula pode ser um desgaste político fatal para o governo moribundo de Dilma (que, com medo da perda progressiva de apoio, cogita até apressar o rito de impeachment para tentar se livrar de uma vez do processo).

Se o próprio Lula virasse ministro da Justiça para barrar as investigações de que é alvo, aí então seria o apogeu do escárnio petista.

O cálculo de Lula e Dilma, portanto, têm de levar em consideração a situação política e penal de cada um e do PT.

A de Lula ficou ainda mais complicada com a descoberta de uma troca de e-mails entre um diretor do Instituto Lula e executivos da OAS, que indicam um pagamento de US$ 200 mil por suposta palestra do petista no Chile antes da formalização do contrato.

Até o fim da madrugada, a Lava Jato ainda não tinha ido prender Lula.

Em todo caso, é melhor a força-tarefa correr.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s