Blog Felipe Moura Brasil

Felipe Moura Brasil

Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

sobre

Felipe Moura Brasil estreou este blog em 2013, após dez anos como cronista na internet. Idealizou e organizou o best seller de Olavo de Carvalho, "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota". Autor da Editora Record, trabalha em dois livros previstos para 2016.

A verdadeira “quadrilha” do PT

Calma que eu explico as aspas

Por: Felipe Moura Brasil

Delcidio-Lula

Este é o poema “Quadrilha”, de Carlos Drummond de Andrade:

“João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história”.

Esta é, em parte, a “Quadrilha” do PT:

Mercadante tentou comprar o silêncio de Delcídio,
que tentou comprar o silêncio de Cerveró,
cuja escolha para a Petrobras foi “sacramentada” por Lula,
que estava fugindo da polícia para o governo Dilma
quando veio à tona a gravação do novo “imbecil”, Mercadante.

Mercadante tem de ir para a cadeia,
Delcídio foi para casa,
Cerveró continua preso,
Lula adiou sua fuga para o ministério
e o governo Dilma suicidou-se,
entrando de vez na lata de lixo da história.

(Fica, no entanto, a pergunta: quem vai tentar comprar o silêncio de Mercadante?)

Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Voltar para a home

Comentários

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

*