Blogs e Colunistas

19/01/2010

às 14:49 \ Tratamentos

Como eliminar manchas em torno dos olhos?

Olho

Gostaria de saber qual é o melhor tratamento para acabar com manchas de xantelasma ao redor dos olhos. Obrigada! (Lylia)

Pessoas com xantelasma desenvolvem lesões elevadas e amareladas nas pálpebras, principalmente nas superiores. As manchas refletem um acúmulo de gordura e de colesterol na pele. Na média, uma em cada duas pessoas com xantelasma encontra alterações no colesterol dosado no sangue. Por isso, a primeira coisa a fazer é dosar seu colesterol. Se ele estiver alto, trate-o. Isso é fundamental para a saúde, mas não reduzirá o xantelasma, pois a redução dos níveis de colesterol não diminui a lesão na pele.

Quanto ao tratamento da pele, existem algumas opções. A melhor opção é removê-lo com cirurgia. Isso é possível se o xantelasma não tiver ocupado grande proporção da sua pálpebra. Caso não dê para operar, seu dermatologista poderá cauterizá-lo com aplicações de ácido. O tratamento reduz o tamanho e diminui consideravelmente o amarelado, mas não deixa a pele da pálpebra perfeita. Ao final do tratamento, a pele fica mais clara e ligeiramente amarelada.

Por Lucia Mandel

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

6 Comentários

  1. Fabiana

    -

    19/06/2012 às 11:07

    Com relação aos tratamentos para xantelasmas, gostaria de saber se existe alguma contra indicação na aplicação de pilling mecânico?

  2. DORA

    -

    28/09/2011 às 19:24

    TENHO UMAS BOLIHAS DE MASSA NOS OLHOS O QUE FAZER

  3. lucy neves

    -

    17/06/2010 às 16:02

    Achei ótimo o seu comentário , com certeza é o que muitas gostariam de dizer, temos que ter respeito por nós mesmas, a mulher está cada dia mais se rebaixando, buscando igualdade só que não da maneira certa, e sim dando espetáculo de nojeira e burrice.

  4. Paula

    -

    06/02/2010 às 14:22

    DIGA-ME O QUE FALAS E TE DIREI QUEM ÉS…

    A linguagem pode moldar o pensamento humano?

    Um grupo de cientistas da Universidade Columbia, em Nova York, estudou uma tribo do Amazonas e afirma que sim. Eles descobriram que, por falarem uma língua em que a contagem dos números só vai até dois, os índios dessa comunidade também são incapazes de diferenciar conjuntos de quatro e de cinco objetos. (Revista Galileu Nº 159)

    Será que a ciência explica a burrologia ideológica das novelas?

    Parece que sim.

  5. Sarah

    -

    06/02/2010 às 11:11

    Gostei do comentário sobre:

    A IDEOLOGIA TUPINIQUIM DA NOVELA VIVER A VIDA



    Tenho para mim que se o autor dessa novela fosse um grande intelectual, o enredo teria mais qualidade e não seria recheado de clichês baratos de quinta categoria:



    * esposas e namoradas traídas

    * amigas rivais e desleais

    * empregadinha doméstica vagabunda

    * garanhões de bengala correndo atrás de garotinhas

    * mulheres burras que só pensam em beleza e moda



    Logo se vê porque o povo brasileiro não tem um pingo de cultura!

    Os políticos de Brasília, que desejam ver o povo sempre ignorante, devem adorar essa novela! Aff

  6. ONDE ESTAO AS FEMINISTAS BRASILEIRAS?

    -

    25/01/2010 às 18:03

    A IDEOLOGIA TUPINIQUIM DA NOVELA VIVER A VIDA
    (Fonte: Jornal ADEM)

    Quando pensamos em arte, pensamos logo em ficção e já fica subentendido que a vida real é uma outra coisa. Seria! Se estivéssemos vivendo em um país desenvolvido, culto e de primeiro mundo, mas no Brasil, onde cento e oitenta milhões de telespectadores são praticamente “educados” pela televisão, a historia é outra. Vida e arte se misturam e a TV vai ditando os padrões de comportamento ou regras de conduta para crianças, adolescentes e também para pessoas ignorantes, desprovidas de educação moral, religiosa e de senso crítico.

    Repare na ideologia machista da novela VIVER A VIDA. O que significa aquele bando de mulheres desocupadas em volta da piscina, disputando quem tem o menor Q.I.? E a paparicação das modelos ao garanhão com crise da meia idade? Sem falar que José Mayer está mais para vovozinho, dando comida para os pombos na pracinha, do que para o galã da novela das oito. Toda essa opressão ideológica é fruto de uma alienação cultural machista e patriarcal.

    E não, minha amiga, o machismo não nasceu na igreja da sua avozinha nem é fruto do casamento dos seus pais. Pelo contrário, Jesus Cristo foi o primeiro feminista de toda a história da humanidade, o único herói que teve coragem de dizer “não” a toda aquela putaria que imperava na cultura poligâmica do judaísmo e, posteriormente, criticada por São Paulo, que abominou as orgias da Grécia Antiga. Há quem ache normal dividir o marido com um harém e tenha a coragem de se dizer feminista, mas nem vamos entrar no mérito da questão, pois aí também o assunto é outro.

    A realidade é que o verdadeiro pai do machismo e da cultura patriarcalista se chama “Discurso”, e o seu berço são os veículos de comunicação de massa, a podridão da mídia e, principalmente, a ideologia tupiniquim das telenovelas brasileiras, as quais são exportadas para o exterior e representam a imagem do Brasil no mundo. Infelizmente, as feministas ainda não se deram conta de que as verdadeiras causas da opressão feminina estão todas relacionadas à linguagem.

    A propósito, minha vida não vai mudar em nada se o Lula der permi$$ão para a instalação de clínica$ de aborto no país inteiro. Minha vida não vai mudar em nada se os gays e as lésbicas conseguirem o direito ao casamento. Minha vida não vai mudar em nada, enquanto as causas feministas estiverem voltadas para assuntos secundários. O que precisa ser combatida, de fato, é a linguagem que prevalece em nossa cultura varonil, pois enquanto aceitarmos conviver com mensagens subliminares machistas, o mundo patriarcalista continuará sempre o mesmo.

    Impossível a uma mulher pensante não se sentir oprimida diante do discurso machista que predomina nos veículos de comunicacação de massa, a comecar pela vulgarização da mulher nas novelas, nos comerciais de cerveja e no show de bundas que refletem o Carnaval brasileiro: o verdadeiro massacre da dignidade feminina e humana. Afinal, onde estão as deputadas e políticas desse país, que nao enxergam essa aberração?

    Enquanto Manoel Carlos transfere para suas personagens todas as sacanagens que gostaria de viver na vida real, milhões e milhões de telecpectadoras domésticas, que jamais tiveram o prazer de ler um livro, vão convivendo durante meses e meses intermináveis com a podridão ideólogica das telenovelas globais, e passam a achar um fato normal o abandono, as traições do marido, a deslealdade e a destruição de seus lares.

    Repare na formula clássica e antiga do enredo da novela VIVER A VIDA: Marcos, marido de Helena, é o comedor de donzelas frágeis e indefesas. Ele deixou sua linda companheira Tereza, a típica imagem do lar, a representação calorosa e amorosa da figura materna, pois ela já estava ficando “velha” demais para ele (embora ambos tenham a mesma idade). E o fodedor disse mais, declarou ao amigo que reencontrou a moça “bobinha” (Dora) que conheceu em Búzios, exibindo então a sua canalhice como se fosse um troféu. E observe que esse personagem não representa o vilão, mas sim o “galã” da história. Eis o ponto crítico!

    Manoel Carlos, o autor dessa novela esdrúxula, está sendo bombardeado pelas feministas. Ele respondeu que vai mudar o enredo e criar um par para Tereza, a esposa abandonada. Mas faça ele o que fizer, as figuras femininas dessa novela são todas burras, fúteis, alienadas e desprovidas de intelectualidade. E as heroínas, “Dora” e “Helena”, estão mais para putas oprimidas ou vilãs da história do que para ícones femininos.

    Pergunta às mulheres inteligentes: Quem já viu uma novela global que exalte os valores e as qualidades de uma mulher velha, de cabelos brancos? Quem já viu uma senhora de meia idade sendo disputada por jovens lindos e esbeltos? Quem acha que o cabelo grisalho de uma mulher é um charme? Quem já viu ou consegue imaginar uma velha, enrugada, seduzindo rapazes, como um evento natural, que expresse o charme e a beleza da maturidade (ou melhor idade) feminina? Impossível, pois quem sustenta a supremacia do discurso varonil, nesse país, são os homens. Quem domina a política, ainda são os homens, que comandam também o patriarcalismo que vigora nos veículos de manipulação de massa.

    Evidente que José Mayer pode ser o galã do horário nobre da televisão brasileira, pois quem escreve a novela é um outro velho gagá, viciado em Viagra. Acontece que quem assiste a esses lixos culturais são as donas de casa, muitas delas sem cultura, sem estudo, sem patrimônio, sem renda ou profissão, e com muitos tanques de roupas, cuecas e fraldas para lavar… Que auto-estima resiste a tanto silicone, a tanta futilidade e à coisificação explícita da figura feminina? Esse é o mundo machista que queremos para nossas filhas?

    O mais irônico de tudo isso é que nós, mulheres, atingimos a maturidade sexual depois dos quarenta anos, justamente a idade que os homens começam a descer a serra. E quando entramos na idade da Loba, nunca ficamos impotentes nem precisamos tomar Viagra. Nós não sabemos o que é brochar nem ficar careca. Juventude? Hoje vemos mulheres de 60 anos que oferecem seus corpos para gerar bebês de filhas estereis. Quem disse que a natureza feminina é frágil? Frágeis, minha amiga, são os perus decadentes que vão perdendo suas funções.

    Beijos a todas!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados