Blogs e Colunistas

Arquivo da categoria Corpo

26/08/2014

às 16:14 \ Beleza, Corpo

Como ai fazer a barba ai com ai espinhas?

Thinkstock

Thinkstock

Lembra de quando você era garoto e ficava olhando o seu pai se barbear, com inveja? Pois é, agora você tem barba. E espinhas também. O que fazer? Não coce a barba enquanto pensa, só vai piorar. Em vez disso, tome alguns cuidados, que vou listar abaixo.

Na hora de fazer a barba 

Preste atenção para não machucar as espinhas ao se barbear. Passe a lâmina sempre no sentido do crescimento dos pelos, evitando escanhoar (ato que pode deixar sua pele tão feia quanto esta palavra). Se a lâmina estiver irritando sua pele, experimente trocar por um barbeador elétrico, que corta menos rente e por isso não afeta tanto a pele.

Depois de se barbear, aplique peróxido de benzoila, que elimina bactérias, diminui a oleosidade da pele e causa uma leve descamação, bons efeitos para quem tem acne. Outra opção, sempre de acordo com avaliação do dermatologista, é usar creme de barbear com antibiótico.

Foliculite 

Às vezes, o que parece ser acne é foliculite. Ela acontece quando o folículo, a estrutura que produz o fio de barba, inflama ou infecciona. A foliculite pode desaparecer em alguns dias, se for leve. Mas, se for recorrente e estiver incomodando, procure um dermatologista. E, muitas vezes, as pessoas não conseguem distinguir entre acne ou foliculite. Neste caso, também recomendo consultar um especialista. 

Mantenha limpa a pele com acne 

Isso vale tanto para a pele do rosto quanto do resto do corpo: lave a região com acne duas vezes ao dia. Use uma escova macia, com cabo, para limpar as áreas difíceis de atingir, como as costas. E, para não piorar a acne das costas, use camisas ou camisetas de algodão. 

Outras boas opções de tratamento da acne 

Seu dermatologista pode indicar medicamentos com retinóides, se for o caso. E, se a acne for severa, ela pode ser tratada com isotretinoína por via oral, com ótimo resultado. Existem também tecnologias como laser e peeling, que podem ser indicadas.

Essas são algumas dicas e cuidados que você deve ter, caro barbudo. E se quiser complementar com mais informações, leia também alguns textos que escrevi anteriormente.

 

Por Lucia Mandel

19/08/2014

às 13:31 \ Corpo

Para que serve a cor da pele?

Thinkstock

Thinkstock

A variedade na cor da pele deve ser comemorada como uma das manifestações mais visíveis da nossa evolução como espécie. ”
(Nina Jablonski e George Chaplin) 

Por que nós, humanos, temos cores de pele tão diversas? Nossos ancestrais mais antigos tinham pele clara, coberta de pelos escuros, igual nossos parentes mais próximos, os chimpanzés. Mas foram perdendo os pelos do corpo.  A pele clara ficou exposta à radiação solar dos trópicos, onde viviam. Para sobreviverem a tanto sol, sua pele começou a produzir melanina, pigmento que dá cor à pele e que funciona como protetor contra os raios UV.

Só que os raios UV, tão nocivos por um lado, têm também uma função importante: ativam a produção da vitamina D, essencial para a formação dos ossos. Tudo ia bem nos trópicos: a pele escura filtrava os raios UV, mas mesmo assim a quantidade que atingia a pele era suficiente para sintetizar a vitamina D. Até que nossos ancestrais resolveram se aventurar pelo mundo. Ao chegar em regiões frias, a pele escura virou um sério problema: filtrando a pouca radiação solar disponível, a pele não conseguia receber radiação solar suficiente para a produção da vitamina D. Naquele momento, a sobrevivência demandava uma despigmentação da pele. Quanto menos radiação solar tinha a região, mais despigmentada a pele tinha que ser, para maximizar a produção da vitamina D.

E assim, como resultado da seleção natural, o ser humano atingiu um equilíbrio: em regiões quentes, as populações nativas têm pele escura; em regiões frias, as populações nativas têm pele clara. Sempre com a finalidade de proporcionar tanto fotoproteção quanto síntese da vitamina D.

Desequilíbrio 

Com as migrações dos últimos séculos, muitos grupos humanos passaram a viver em regiões para as quais sua pele não está adaptada. Dois casos:

-Os ingleses que se estabeleceram na Austrália nos séculos XIX e XX. Não é por acaso que a Austrália hoje tem um dos maiores índices de câncer de pele do mundo.

-Os indianos e os paquistaneses que se mudaram para o norte da Inglaterra em décadas recentes. Por muito tempo não se sabia por que eles sofriam de doenças relacionadas à deficiência de vitamina D, como raquitismo e osteoporose. A pele deles, adaptada à sua terra de origem, é a explicação.

Essas informações interessantes fazem parte do artigoThe evolution of human skin coloration - Nina G. Jablonski and George Chaplin (Department of Anthropology, California Academy of Sciences)

 

Por Lucia Mandel

30/07/2014

às 15:37 \ Corpo

Sobre pés e príncipes

stk84675cor
E foi então que Cinderela olhou o relógio, soltou um palavrão e saiu correndo do baile. Na pressa, voou um sapato do pé mas ela nem pensou em parar, foi embora meio manca mesmo. O príncipe, que tinha se engraçado pela moça durante o arrasta-pé, resgatou o sapatinho e prometeu: iria encontrar a dona dele e pediria aquele pé em casamento. Lá foi ele procurar, entre todos os pés de moças do reino, o pé adorado. Testou um por um. Até o encontrar, o pé dos pés. E então viveram felizes para sempre.

Me parece que o príncipe aí tinha fetiche por pés. Não é o único: existem estudos que indicam que pé é o mais comum de todos os fetiches relacionados às partes do corpo. Tenha você esse fetiche ou não, quer saber algumas coisas sobre pés e sapatos? Aí vão 10 informações, uma pra cada dedo:

-  Um quarto de todos os ossos do corpo está nos pés. Há 26 ossos em cada pé (e 27 em cada mão)

-  Cada pé tem 250.000 glândulas de suor. Não é de se admirar o chulé que elas causam num sapato fechado

-  É raro nossos pés serem do mesmo tamanho. O mais comum é que um deles seja maior do que o outro. Dica útil: compre sapatos pelo maior

-  Caminhar, além de fazer bem para sua saúde geral, também é o melhor exercício para os seus pés.

-  Por carregar tanto peso, o coitado do pé (calcanhar principalmente) acaba tendo pele seca e grossa. Passe um creme hidratante durante a noite. Você vai ver como ele vai ficar macio

-  Ficar parado em pé é mais cansativo do que andar, porque exige muito de um pequeno grupo de músculos, por um longo período de tempo

-  Nove entre cada dez mulheres usam sapatos menores do que deveriam (a Cinderela devia ser uma delas)

-  Muitos homens também acabam escolhendo tamanho menor do que o ideal. Na hora de comprar, leve em conta que o pé aumenta de tamanho quando ficamos em pé. E vá comprar à tarde, quando o pé está um pouco mais inchado

-  As mulheres têm cerca de quatro vezes mais problemas nos pés que os homens. Saltos altos e sapatos de bico fino têm sua parcela de culpa nisso

-  Sapato apertado pode causar calos, joanetes, dedos deformados e neuroma (lesão dos nervos que ficam entre os dedos, causando dor). Não use sapato de número errado. A não ser que você queira tentar a sorte em um baile da corte

Por Lucia Mandel

16/07/2014

às 15:51 \ Corpo

A carinha (nada) feliz do Sol

Em vez de escrever mais um post praguejando contra os malefícios do Sol e dando uma bronca em você que não se protege dele, resolvi fazer diferente desta vez: vou mostrar uma campanha publicitária que diz exatamente isso, só que de forma bem-humorada. Gostei desses comerciais espanhóis, que acabaram de ganhar um prêmio no festival de publicidade de Cannes. Assista e lembre-se da proteção daqui para a frente. Senão eu volto aqui e faço outro post mal-humorado.

Vídeo 1:

Vídeo 2:

Vídeo 3:

Por Lucia Mandel

10/07/2014

às 7:52 \ Beleza, Corpo

Pele ressecada odeia o inverno

frio-rosto

O inverno é um desafio para quem tem pele ressecada. O clima frio e seco intensifica o ressecamento. Alguns hábitos que a gente tem, justamente no inverno, contribuem para piorar. O banho quente e demorado, uma delícia no frio, é um deles. Tem gente que sai do banho sentindo a pele repuxar, de tão ressecada. Os aquecedores de ambiente também dão sua contribuição para o ressecamento do ar e da pele.

Sabendo disso, aí vão algumas sugestões:

O banho

Não pode ser exageradamente quente. Pois é, nesse caso, quanto mais quente, pior. Tente tomar um banho morno e curto. Escolha um sabonete suave, apropriado para pele ressecada. Pode ser o chamado syndet, muito comum hoje em dia, ou o sabonete de glicerina. E não use bucha.

O hidratante

Aplique hidratante logo depois de sair do banho, com a pele ainda úmida. Ureia ou lactato de amônio são os ingredientes mais potentes num hidratante. Outros bons ingredientes são manteiga de karité, lipídeos ou glicerina. Se precisar, use o hidratante mais de uma vez ao dia. Um cuidado: a ureia pode arder se a pele estiver inflamada ou machucada, e nesse caso deve ser evitada.

Se sua pele é muito ressecada, o inverno é a época de usar um creme hidratante mais espesso. Ele gruda mais na pele, o que ajuda a reter água. Se sua pele for ressecada mas nem tanto, uma loção mais fluida, que se espalha melhor, é mais confortável e pode resolver.

Qualquer que seja o seu caso, procure sempre um produto hipoalergênico e sem fragrância.

 

Por Lucia Mandel

24/06/2014

às 8:57 \ Beleza, Corpo

Cuide de sua pele aos 20 anos. Sua pele, aos 50, vai agradecer

Thinkstock

Thinkstock

Se uma versão sua aos 50 anos viesse do futuro para falar com você que tem seus 20 anos hoje, com certeza diria muita coisa interessante. Para começar, o resultado da loteria. Ou se você deve mesmo casar com esse namorado atual ou é roubada. E, com certeza, também diria o seguinte: cuide da sua pele. Por mais que você não ache este um assunto tão primordial agora, sua versão de 50 anos insistiria nisso.

No auge da beleza física, vale a pena você se preocupar com futuras rugas. Cuidando, a pele lisa dos 20 anos pode permanecer lisa por muito mais tempo. Vai depender, por um lado, da sua genética. Por outro, de algumas precauções que fazem toda a diferença.

O filtro solar

O primeiro cuidado é a proteção solar. Entre várias medidas para se proteger do sol, uma delas é a utilização de filtro. Use sempre que estiver ao ar livre, inclusive em dias nublados. Procure um que se adapte ao seu tipo de pele – seja ela seca, oleosa ou mista. Peles oleosas ou mistas, as mais frequentes aos 20 anos, se adaptam bem a protetores solares em gel, gel creme ou em loção oil-free. Uma sugestão é procurar filtro solar com ativos hidratantes ou antioxidantes na formulação. Além do filtro solar, procure ficar à sombra, principalmente nos horários de pico do sol. E use um chapéu de abas largas sempre que possível.

Você pode incrementar mais ainda sua prevenção com cremes hidratantes à base de vitamina C. Ela é um antioxidante e ajuda a preservar o colágeno da pele contra os efeitos do tempo. E existem outras opções de ativos para a sua idade, como vitamina E, acido glicólico ou retinol.

Mais uma coisa que você aos 50 alertaria: outras áreas da pele também precisam ser protegidas do sol para se manterem jovens. Aplique filtro solar e hidratante com ativos anti-idade também no pescoço, colo e dorso das mãos. Para quem dirige, uma luva especial com proteção UV é ótima.

A saúde geral

Seus hábitos de vida contam muito na prevenção do envelhecimento. Alimente-se bem, beba água, evite bebidas alcoólicas, refrigerantes, café. Não fume e, na medida do possível, durma bem. E faça exercícios físicos regularmente. Seria muita chatice se sua versão aos 50 pedisse tudo isso a você? Um pouco, mas ela ficaria eternamente grata.

Por Lucia Mandel

10/06/2014

às 7:41 \ Corpo, Doenças

Conhece aquela do marido com alergia a aliança?

Thinkstock

Thinkstock

Um homem entra no consultório da dermatologista e diz:

-Doutora, tenho alergia à aliança. O que faço?

Se você está esperando uma continuação engraçada, desculpe a decepção. Apesar de parecer o início de uma piada, acontece mesmo nos consultórios. Não é incomum ver esse tipo de alergia.

A causa é simples: sabão acumulado debaixo da aliança, quando a pessoa lava as mãos e não enxagua direito.

O tratamento é mais simples ainda. A primeira coisa a se fazer é retirar a aliança e enxaguar bem o local. Além de lavar o anel para retirar os vestígios de sabão. Depois, para tratar a área do dedo com a alergia, use uma pomada com corticóide e deixe a aliança de lado durante esse tempo. Ou, se não tiver pressa, deixe a pele se recuperar sozinha, sem o anel.

Pronto, problema resolvido, pode voltar a usar sua aliança normalmente. Mas preste atenção daqui para frente, para não acumular sabão debaixo dela.

E aquela da mulher que entra no consultório da dermatologista com um papagaio, conhece? Fica para outro post.

 

 

 

 

Por Lucia Mandel

03/06/2014

às 8:05 \ Corpo, Tratamento

Suplemento de proteína e acne

Thinkstock

Thinkstock

Quem frequenta academia de esporte conhece o produto: chama-se whey protein e nada mais é do que proteína obtida do soro de leite, aquela porção líquida que se separa do leite ao se fazer queijo ou coalhada. Muito usado por quem quer ganhar  massa muscular, tem um inconveniente: pode desencadear acne.

O Departamento de Dermatologia  do  Roosevelt  Hospital Center de Nova York fez uma pesquisa com cinco rapazes de 14 a 18 anos que tomaram whey protein para ganhar músculo ou peso. Durante o uso tiveram acne que não cedeu com a aplicação  de antibióticos. Mas que cedeu completamente quando pararam de tomar o suplemento. Em um deles a acne ressurgiu quando ele retomou o uso.

Novas pesquisas são necessárias para descobrir o mecanismo desse surto alérgico, mas fica o alerta para os consumidores desse suplemento alimentar.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22988649   

 

Por Lucia Mandel

08/04/2014

às 7:35 \ Corpo, Tratamento

Marcas de grafite

lapis

“Tenho dois pedaços de grafite no corpo. Grafite mesmo. De lápis. O primeiro foi resultado de uma flechada dada por minha prima Fernanda com uma lapiseira Compactor. Fui sacudir o apontador no quintal e, quando virei, só vi a pequena travessa mirando a lapiseira recém-apontada na minha direção. Eu tinha onze anos de idade e um fio de sangue correu esquisito de um ponto cinza em minha testa. Minha tia me levou pro hospital, desesperada: “Graças a Deus não foi na vista!”. Até hoje carrego entre as primeiras raízes de meus cabelos um engraçado ponto azul de grafite esfarelado pelo tempo. É uma boa história. Não é qualquer um que tem um grafite na testa. E eu ainda tenho dois. O outro pedaço mora em minha mão direita e fui eu mesma que enfiei. Estava distraída na aula, equilibrava o lápis entre as mãos espalmadas e, de repente, o sangue, a vergonha e a tentativa de esconder o absurdo de ter furado a própria mão com um lápis. Olho-o agora. Este pálido pontinho azul me enche de amor por minha infância tímida”.

Esse é um trecho de Histórias Tatuadas, da Denise Fraga,  que li na Revista da Folha há algumas semanas. Acho que muita gente deve ter se identificado com o texto, escrito com tanta sensibilidade.  Eu mesma me identifiquei: minha filha tem um pequeno rastro de grafite na bochecha, resultado de um golpe de lápis do irmão.

Surpreendentemente, não são poucos os que carregam uma marca de grafite pela vida. Na mão, na perna, no rosto, até a gengiva entra nessa lista. Cada marca com sua história.

Alguns se incomodam com essa marca cinza ou azulada, principalmente se for no rosto. Aí, existe a possibilidade de remoção com laser ou com uma pequena cirurgia. Se esse for o seu caso, um bom dermatologista retira a marca. Mas, se não estiver incomodando, deixe a marquinha ali. Como disse a Denise Fraga, alguns sinais servem para nos lembrar de momentos da nossa infância.

Por Lucia Mandel

18/03/2014

às 7:36 \ Corpo, Tratamento

Como escolher seus óculos de sol?

oculos escuros

Entrevista com o presidente do Hospital Albert Einstein

Tenho certeza que você se certifica de muitas coisas antes de comprar seus óculos de sol: se ficou legal, bonito, cool, charmoso, fashion. Tudo bem, todo mundo faz isso. Mas tem outros fatores importantes que você não pode deixar de checar também. Por exemplo:

Proteção UV – A cor da lente não tem nada a ver com a proteção UV: uma lente incolor de grau, de boa qualidade, oferece essa proteção, e algumas marcas de lente de contato também. É importante verificar sempre se os óculos têm proteção UV, independentemente da cor das lentes.

Tonalidade -  É mais uma questão de conforto: as lentes devem ter tonalidade média ou escura, para reduzir o incômodo causado pela luminosidade solar.

Tamanho – Quanto maior, melhor. A luz solar incide no olho diretamente, e pelas laterais, por cima, por baixo. Por isso, os óculos devem ser grandes e devem estar bem ajustados no rosto. Óculos adequados protegem os olhos e também a pele delicada das pálpebras. Hastes largas protegem melhor porque diminuem a entrada da luz solar pelas laterais.

E existem outros pontos importantes. Você vai ficar sabendo nessa entrevista que fiz com o Dr. Claudio Lottenberg, médico oftalmologista e presidente do Hospital Israelita Albert Einstein.

VEJA.com: Como podemos nos assegurar que os óculos têm realmente a proteção UV?

Dr. Claudio Lottenberg: Os óculos de sol devem ter 100% de proteção UV. Essa característica depende fundamentalmente da confiança na ótica e em seus funcionários. Pode ser mensurada em aparelhos específicos que estão presentes nas óticas (espectrofotômetro) e consultórios médicos. O consumidor também pode exigir a certificação NBR ISO 15111, norma que estabelece as características que devem ter os óculos para proteger os olhos adequadamente do sol.

Muitas grifes conhecidas oferecem óculos com lentes de materiais como acrílico ou policarbonato. Devemos confiar que esses materiais são bons?

O fato de ser de uma grife não significa que o material utilizado seja adequado. A qualidade da lente está diretamente relacionada a seu índice Abbe. Quanto menor este índice, mais aberração cromática esta lente terá e consequentemente pior será sua qualidade. As lentes acrílicas possuem alto índice Abbe (58) e portanto são de boa qualidade. Já as lentes de policarbonato possuem um índice Abbe baixo (30). Mas, por serem mais resistentes, as de policarbonato são muitas vezes usadas por crianças e esportistas.

Quais cores de lente são melhores?

Marrom, cinza e verde são as melhores cores, por realçarem contrastes e detalhes.

Lentes polarizadas eliminam reflexos horizontais como os da água, o que é útil para quem pesca, por exemplo. Elas podem ser usada no dia a dia?

As lentes polarizadas são utilizadas para bloquear a luz intensa que é refletida em superfícies planas. Além de oferecerem proteção 100% contra raios UVA e UVB, elas fazem com que o reflexo do sol se torne quase imperceptível, tornando a visão mais definida. Contudo estas lentes têm a desvantagem de reduzir a visibilidade das imagens produzidas por telas de cristal líquido (LCD), presentes em celulares e aparelhos de GPS encontrados em carros e barcos, assim como prejudicam a visão através de vidros blindados, hoje bastante comuns em automóveis.

Crianças também devem usar óculos de sol?

Eu recomendo, pois a radiação agride as estruturas oculares e pode danificar os olhos e a visão.

Devemos usar óculos de sol apenas nas ocasiões de sol forte ou sempre que estivermos ao ar livre?

Devemos usar sempre. A proteção que buscamos para a pele é a mesma que em tese deveríamos ter para os olhos. A proteção contra os raios ultravioleta previne muitas patologias oculares como a catarata precoce, o pterígeo e doenças retinianas da mácula.

Por Lucia Mandel
 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados