Blogs e Colunistas

06/01/2009

às 7:17 \ Arquivo

As roupas e a proteção solar

Os tuaregues são um povo nômade do deserto do Saara, onde o sol não é lá dos mais bonzinhos. Eles se cobrem com um véu azul característico, o tagelmust, com o qual acreditam se defender dos maus espíritos, além de se proteger contra a violência do sol e das rajadas de areia durante suas viagens em caravanas. Usam a roupa como um turbante, cobrindo todo o rosto, exceto os olhos.

Se você não é um tuaregue, provavelmente não conta com a opção do tagelmust para se proteger do sol neste verão. Mas o fato é que, além do filtro, as roupas também são uma grande arma para se defender dos raios ultravioleta. Nesta coluna, a discussão é sobre o grau de proteção solar dado por diferentes tipos de tecidos, e sobre roupas especialmente incrementadas que aumentam a proteção solar.

Antes de mais nada, uma explicação: para medir a proteção de uma roupa, é usado o FPU, ou Fator de Proteção Ultravioleta. Ele mede a porcentagem dos raios ultravioleta A e B que ultrapassam o tecido. Por exemplo: o FPU 5 significa que um em cada cinco raios ultrapassa o tecido e chega na nossa pele; o FPU 50, que um em cada 50 raios atinge a pele.

Uma boa proteção começa com FPU 15. Ela é muito boa a partir de FPU 25 e excelente a partir de FPU 40. As roupas vendidas em lojas especializadas para proteção solar costumam ter FPU 50.

As roupas e seus FPUs

Se você é mãe ou pai, posso apostar que já deixou seu filho na praia usando uma camiseta branca de algodão, e que se sentiu seguro com a proteção solar que esse tipo de roupa oferece. Se você pratica esportes ao ar livre, provavelmente já confiou na mesma roupa. Afinal, algodão deixa a pele respirar, e a cor clarinha é a ideal em dias muito quentes porque não esquenta. Mas será que a proteção solar desse tecido é bom mesmo? Vamos ver.

O FPU depende de algumas variáveis:

1. Tipo de fio. Os tecidos que naturalmente protegem mais contra a radiação ultravioleta são os mais pesados, como o algodão, o linho, a sarja. No entanto, existem tecidos sintéticos leves, como o poliéster, que também protegem bem.

2. Densidade da trama. Quanto mais densa a trama, maior a proteção. É possível avaliar se um tecido filtra bem os raios ao observá-lo contra a luz. Se passar pouca luz, o FPU deve ser bom. Caso contrário, mau sinal.

3. Cor.
Quanto mais escuro o tecido, maior o FPU. O pigmento ajuda a absorver os raios ultravioleta, e por isso a cor escura pode aumentar o FPU do tecido em até 5 vezes. Ponto negativo para a confortável camiseta branca de algodão. Outro detalhe: como o branco reflete a luz, a camiseta branca de algodão acaba refletindo a radiação solar em direção ao rosto de quem usa. Mas apesar do FPU de tecidos claros ser menor que o de tecidos escuros, roupas claras são as mais indicadas para serem usadas sob o sol, pois esquentam menos, são mais confortáveis e ajudam a proteger contra a insolação.

4. Umidade. Se molhar, a camiseta estica e as tramas se abrem. Com isso, o FPU cai.

5. Roupa folgada ou apertada. Se a roupa for mais folgada, o FPU aumenta. Se o tecido for esticado, como no caso de uma roupa apertada, a trama perde a densidade e o FPU cai.

Em vista desses fatores, conclui-se que em geral um tecido claro, leve e com trama solta não tem FPU ideal. Sinto informar, mas a camiseta branca de algodão tem FPU baixo, em torno de 6. Molhada, ela perde metade do seu fator de proteção. Conclusão: pais, continuem a vestir seus filhos com roupas de algodão branco, mas não confiem completamente na proteção que o tecido oferece. O ideal é usar junto um filtro solar.

Poliéster protege mais que algodão: se for branco, o FPU é 16. Se for vermelho, 29. Preto, 34. Roupas desse material são encontradas em lojas esportivas, pois são levinhas e absorvem o suor.

As roupas especiais

Existem roupas especiais, feitas com tecido de altíssimo FPU. Essa tecnologia surgiu há mais de uma década, na Austrália, onde a preocupação com a exposição ao sol é extrema, já que a incidência de melanoma é muito alta no país. Há lojas brasileiras especializadas que oferecem roupas com essa tecnologia. Elas utilizam tecidos nacionais para a confecção, e os enviam para a Austrália para realizar testes de eficiência de FPU.

Nessas roupas tecnológicas, o tecido usado é a poliamida. Na hora de confeccionar a fibra usa-se um protetor solar: o dióxido de titânio. Ele se incorpora à fibra e é o responsável pela proteção solar do tecido. Por isso, o FPU é excelente independente da cor do tecido, e isso não se perde nas lavagens. Enquanto a roupa não for danificada, o FPU se mantém. Além de camisetas, encontramos várias outras roupas com essa tecnologia: bonés, viseiras, maiôs, luvas e sombrinhas.

Não estamos no deserto do Saara, mas por aqui o sol também é cruel. Portanto, não se esqueça de se proteger muito bem neste verão.

Por Lucia Mandel

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

17 Comentários

  1. eu

    -

    25/04/2013 às 22:51

    esse texto e otimo mim ajudou muito

  2. Edson Mannes

    -

    04/11/2012 às 18:48

    Ola Doutora.
    Sou acadêmico de administração de empresas da FCJ – Faculdade Cenecista de Joinville e gostaria de saber qual a porcentagem de dióxido de titânio que é usada nos tecidos de algodão, poliamida e poliéster.Estamos realizando um trabalho para a criação de uma empresa de tecidos para confecção de roupas com proteção solar.

  3. Mara

    -

    19/03/2011 às 11:59

    Gostaria de saber, se em dias de sol forte, utilizando minha sombrinha feita com tecido sintético escuro,a mesma oferece algum tipo de proteção, ou isto é um equívoco?
    Parabens pelo artigo.

  4. Andre Araujo

    -

    12/03/2011 às 9:54

    Dra.Parabens pela materia. Sou téc.seg.trabalho e tenho grande interesse em confeccionar uniforme para meus colaboradores que labora suas funções esposto ao sol, hoje utilizamos bloqueador solar FPS 30 e as vestimentas são confeccionadas em algodão. Embora não conheçar a testura desse tecido, gostaria muito de passar a confeccionar os uniformes com FPU 25 OU 40, porém estou tendo dificuldade em localizar lojas que forneça esse material, gostaria, se possivel uma indicação da dra. para que eu possa fazer contato. Desde ja agradeço pela execelente materia. Sem mais subscrevo.

  5. Sidnei

    -

    24/02/2011 às 13:02

    Parabens pelo artigo.Bem interessante.

  6. Julia

    -

    09/06/2010 às 17:05

    ola doutora ! gostei da sua coluna ! Eu gostaria de perguntar se voce sabe quando foi criada a primeira roupa com FPU, eh para um trabalho…. obrigada

  7. Fernanda

    -

    22/02/2010 às 13:14

    Olá pessoal! A marca que faz roupas com proteção solar FPU 50 + é a Uv Line. http://www.uvline.com.br

  8. edna hawerroth

    -

    07/07/2009 às 20:04

    importante para os dias atuais, essa preocupacao com os problemas causados a nossa saude pelos raios solares. Por isso, deveria ser mais divulgado o vestuario que nos oferece tal protecao.edna hawerroth.

  9. Leila Queiroz

    -

    25/05/2009 às 14:56

    Olá. Gostei muito da matéria. Preciso muito saber como posso adquirir estas roupas especiais, feitas com tecido de altíssimo FPU. Tenho Lúpus discóide e intolerância aos raios solares (10 minutos de exposição ao sol já provoca insolação). Por favor, me enviem, com urgência, o endereço ou o site desta empresa. Obrigada.

  10. Flávia

    -

    27/04/2009 às 21:43

    oi! quero saber onde encontro o tecido para roupas especiais feita com o dióxido de titânio

  11. elaine

    -

    10/03/2009 às 0:00

    Olá, Onde encontro peças citadas em roupas especiais – dióxido de titânio

  12. Mônica Melo

    -

    02/02/2009 às 0:00

    Tenho duas filhas (uma de 15 anos e uma de 13 anos), as duas têm muitas espinhas, já fizemos de tudo e nada de melhora, ainda não estão na fase mais grave, mas, estamos muito incomodadas…

  13. Lucia Portela

    -

    28/01/2009 às 0:00

    Adorei a reportagem principalmente sobre a que fala a respeito de proteger a pele. Eu trabalho externo e sempre uso protetor solar, pois aqui em Fortaleza o sol queima pra valer, e é muito bom termos orientação médica. Obrigada Dra. Lúcia.

  14. Paula

    -

    15/01/2009 às 0:00

    Dra, parabens pela materia. Amei. Eu uso luvas enquanto dirijo, para proteger minhas mýos do sol. Mas nýo sei se o tecido da minha luva ý esse especial que vocý mencionou na coluna. Onde ý que existem luvas feitas com esse tipo de tecido? Obrigada, sempre leio o que vocý escreve!

  15. Rosangela

    -

    13/01/2009 às 0:00

    Ótima matéria. Esse assunto deveria ser mais divulgado, pois achamos que vestidos com qquer tecido estaríamos protegidos do sol.

  16. Flora

    -

    08/01/2009 às 0:00

    Prezada DoutoraGostei muito das 2 colunas ,Insolação e FPU. Porem fiquei com a cuca fundida.Minha conclusão da leitura é que o tuareg da foto não vai ter, de jeito nenhum, cancer de pele, mas certamente terá uma baita insolação com aquela roupa.Alem disso, nem água suficiente ele tem no deserto, que dizer de 3 litros!

  17. Carlos W. Martins

    -

    08/01/2009 às 0:00

    Oi Dra. Lucia, primeiro parabéns por sua coluna. Sobre esse assunto, as roupas que encontramos nas lojas não deveriam vir com o FPU descrito em suas etiquetas? Assim seria mais fácil escolher uma adequada. Será que a associação médica não pode sugerir isso aos fabricantes? Obrigado e abraço.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados