Blogs e Colunistas

Arquivo da categoria VEJA Acompanha Transição

03/01/2011

às 13:28

Gilberto Carvalho ligou para Lula antes de tomar posse

A pedido da presidente Dilma Rousseff, o novo secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, ligou para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva antes de assumir o novo cargo, no último domingo, em Brasília. “Gilbertinho, você já ligou para o presidente hoje?”, perguntou a nova presidente. “Ainda não”, respondeu Gilberto, que foi encorajado por ela a fazer a ligação.

Na rápida conversa, Lula deu a benção para a nova função de seu ex-chefe de gabinete. Carvalho será o canal de comunicação entre antigo e o novo governo. Ex-seminarista, ele também terá papel importante na mediação das relações de Dilma  religiosos e movimentos sociais, dois grandes desafios para a nova presidente.

(Marina Dias, de Brasília)

03/01/2011

às 11:26

Miriam Belchior promete eficiência e lembra Celso Daniel

A nova ministra do Planejamento, Miriam Belchior, assumiu o cargo na manhã desta segunda-feira, prometendo aumentar a eficiência da máquina pública e melhorar a qualidade dos gastos do governo. A petista também se emocionou ao lembrar o ex-marido, o ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, morto em 2002.

Em seu discurso de posse, a sucessora de Paulo Bernardo prometeu tentar fazer mais com menos. “Os gastos de custeio não podem ser satanizados. Não abriremos mão de prestar serviços públicos. Tenho a convicção, no entanto, de que isso pode ser feito com mais eficiência”, afirmou.

A petista também fez questão de dizer que vai trabalhar em sintonia com a equipe econômica do governo. Disse ter boas relações com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e com o novo presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.

Em entrevista coletiva, a nova ministra já adiantou:vai haver cortes no Orçamento de 2011. “Contingenciamento tem todo ano e esse ano vai ter porque a receita prevista está bastantee superior ao que acreditamos que vai acontecer”, afirmou. O tamanho do corte, no entanto, ainda vai ser decidido ao longo do mês de janeiro, em análises internas e conversas com Guido Mantega. A petista defendeu a manutenção do salário mínimo de 540 reais, conforme previsto na Lei Orçamentária.

Miriam Belchior assume um ministério que ganha importância no novo governo. Ela terá a função de comandar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que agora passa a ser atribuição do Ministério do Planejamento. No governo Lula, as ações do PAC eram coordenadas pela Casa Civil – onde a responsabilidade sobre o programa era justamente de Miriam Belchior.

A nova ministra chorou quando agradeceu ao antecessor Paulo Bernardo e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas o momento de maior emoção ocorreu quando ela mencionou o ex-marido: “O cargo que ocuparei a partir de hoje talvez tivesse sido ocupado por ele no governo Lula. Obrigada, Celso Daniel”, afirmou. O então prefeito de Santo André foi assassinado numa trama que, conforme numerosos indícios, pode estar ligada a irregularidades na gestão da prefeitura.

A posse de Miiram Belchior reuniu parlamentares, integrantes da nova equipe de governo, militantes de Santo André e aliados de Dilma Rousseff, como o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB).

Bernardo - Ao se despedir do cargo, Paulo Bernardo – que assume a pasta das Comunicações – afirmou que o ministério do Planejamento vai ter um upgrade com a chegada de Miriam Belchior. Ele também confessou não estar familiarizado com as novas atribuições: “É uma área em que eu não tenho tanto domínio. Vou precisar estudar, trabalhar e correr atrás”.

(Gabriel Castro, de Brasília)

01/01/2011

às 13:56

Marina Silva aconselha Dilma Rousseff pela internet

No dia em que a primeira presidente mulher assume a Presidência do Brasil, outra personagem que representou o sexo feminino na disputa pelo posto volta à cena. S senadora Marina Silva (PV) divulgou, neste sábado, em seu blog uma carta a Dilma Rousseff. Em menos de uma hora, o link da página em seu perfil do Twitter tornou-se o mais acessado do Migre.me, encurtador de links mais popular do país.

Na carta, Marina refere-se a Dilma como ‘presidenta’ e disse que não fará parte do “grupo do quanto pior melhor, da oposição pela oposição”. A senadora não assume em 2011 nenhum mandato eletivo, mas poderá permanecer em cena como liderança do PV e ativista ambiental. “Vou exercer o espírito republicano que deve conduzir o discernimento daqueles que fazem política voltada para o interesse público, sobretudo no reconhecimento dos acertos, na crítica aos equívocos, para que sejam superados, e na disposição democrática de ouvir e buscar consensos amplos e abertos”, afirma no texto.

Marina elogia a “maturidade econômica” do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, mas aponta o que chama de carências que deverão ser enfrentadas pela presidente, como as da área de educação, saneamento básico, saúde, o combate às drogas e à corrupção, a segurança pública, as questões ambientais. A senadora faz referência também ao modo feminino de governar. “Pelo fato de ser mulher, espero que nossa presidenta ponha a serviço da política aquilo que nos diferencia do jeito masculino de liderar – capacidade de escutar e de acolher, a busca do entendimento e do equilíbrio, a gestação do futuro”, cita.

Destaque - Em 2010, a senadora Marina Silva (PV) ganhou os holofotes durante a campanha presidencial por aproximar-se dos jovens pela internet e falar de sustentabilidade. Houve quem duvidasse de sua influência, mas o resultado do primeiro turno tornoua candidata disputada pelo PT e o PSDB, que seguiam na corrida – contrariando as expectativas, Marina teve quase 20 milhões de votos.

Em outubro, durante mais de 15 dias, enquanto estudava apoio a um dos candidatos, a ex-ministra do Meio Ambiente esteve no auge. No entanto, após anunciar a neutralidade no segundo turno, Marina Silva afastou-se do noticiário. Em entrevista ao site de VEJA, afirmou que pretende estudar e continuar com a “militância institucional” à frente do Instituto Democracia e Sustentabilidade.

(Adriana Caitano)

30/12/2010

às 20:21

Cardozo nomeia mais quatro secretários; entre eles, Pedro Abramovay

O futuro ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou, por meio de nota divulgada nesta quarta-feira, mais quatro nomes de secretários indicados por ele. Pedro Vieira Abramovay comandará a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD) – órgão que era comandado pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), mas que passará para o Ministério da Justiça a pedido de Dilma Rousseff.

Reportagem de VEJA de outubro deste ano revelou conversas entre Abramovay – que hoje é secretário de Assuntos Legislativos da pasta – e seu antecessor no cargo, Romeu Tuma Júnior. Na ocasião, ele disse que não “aguentava mais” receber pedidos de Dilma e de Gilberto Carvalho, futuro ministro da Secretaria-Geral da Presidência, para fazer dossiês. “Eu quase fui preso como um dos aloprados”, afirmou Abramovay.

O comando a Secretaria Nacional de Justiça (SNJ) ficará a cargo de Paulo Abrão Pires Junior, que se destacou no governo Lula como presidente da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça. Os outros nomeados são Regina Maria Filomena De Luca Miki, que vai dirigir a Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) e Vinícius Marques de Carvalho, que ficará à frente da Secretaria de Direito Econômico (SDE).

(Luciana Marques, de Brasília)

30/12/2010

às 18:00

Dilma recebe árvore genealógica do primeiro-ministro da Bulgária

A presidente eleita, Dilma Rousseff, reservou uma agenda especial nesta quinta-feira para receber o primeiro-ministro da Bulgária, Boyco Borissov. A nova presidente, que tem evitado aparições públicas nos últimos meses, resolveu dar atenção à presença do chefe de governo no Brasil, já que seu pai, Pedro Rousseff, nasceu na Bulgária.

O encontro no Palácio do Itamaraty, em Brasília, começou às 17h e durou cerca de meia hora, repleto de mimos e agrados. Dilma recebeu uma árvore genealógica de sua família desde 1840 e ainda uma foto de sua avó, Vana Rousseff. O futuro ministro de Relações Exteriores e atual secretário-geral da pasta, Antonio Patriota, foi quem recebeu o primeiro-ministro búlgaro na entrada do edifício. Como Dilma ainda não foi empossada, o protocolo não permite que ela receba autoridades internacionais na porta do Palácio.

A presidente eleita ficou emocionada ao receber os presentes e, em resposta, disse ter orgulho de sua ascendência búlgara. Ela prometeu visitar o país em breve, provavelmente no próximo verão europeu, no meio do ano que vem. Dilma ainda tem parentes que moram na Bulgária, como tios e primos.

Relações com o país – No encontro, a nova presidente demonstrou preocupação com a crise europeia e prometeu  ampliar as relações bilaterais com a Bulgária, principalmente nas áreas de tecnologia da informação e transportes. “Há um interesse de ambas as partes na área de transporte, seja ferroviário, seja rodoviário. Interesse inclusive para que companhias brasileiras possam se juntar para explorar não só o mercado búlgaro, mas também a área balcânica toda”, informou o assessor especial da Presidência para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia.

Segundo a assessoria do primeiro-ministro da Bulgária, Dilma Rousseff é admirada pelos búlgaros, que acompanharam de perto as eleições presidenciais brasileiras. “Todo o mundo a conhece e gosta dela”, afirmou um assessor. Para ele, a campanha brasileira foi mais empolgante do que a da própria Bulgária.

União Europeia – A reunião foi no gabinete do ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, que também estava presente. O primeiro-ministro da Bulgária levou uma mensagem de congratulações do presidente da União Europeia, Herman Van Rompuy, a Dilma. O encontro despertou interesse da imprensa da Bulgária, que veio ao Brasil para acompanhar a reunião.

O primeiro-ministro confirmou presença também na posse de Dilma, neste sábado. Após o encontro no Itamaraty, Dilma seguiu para o Palácio do Planalto, onde se encontrará com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

(Luciana Marques, de Brasília)

30/12/2010

às 15:19

Rolls-Royce está pronto para a posse de Dilma

O Rolls-Royce que será usado por Dilma na posse presidencial (Foto: Divulgação/Presidência)

Uma relíquia sairá da garagem no dia 1º de janeiro. O Silver Wraith Rolls-Royce, que foi entregue ao presidente Getúlio Vargas em 1953, está pronto para conduzir a presidente eleita, Dilma Rousseff, em seu desfile de posse na Esplanada dos Ministérios.

O motorista que conduz o veículo em ocasiões solenes costuma ser escolhido pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Mas, desta vez, o indicado será de confiança da própria Dilma. Valdecir da Silva Ribeiro, que acompanha a nova presidente desde a Casa Civil, vai dirigir o Rolls-Royce no próximo sábado. 

O carro só é usado em datas especiais, como 7 de setembro, posse de Presidente da República e em algumas visitas de autoridades estrangeiras. O veículo teria sido comprado em Londres por empresários do setor cafeeiro e doado ao presidente Vargas na década de 1950.

Outros presidentes já usaram o Rolls-Royce, como Juscelino Kubitschek, José Sarney, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, antecessor e padrinho político de Dilma. A rainha Elizabeth II, da Inglaterra, e o ex-presidente francês Charles de Gaulle também já desfilaram no carro.

Rainha Elizabeth II, da Inglaterra, desfila em Copacabana (RJ) no Rolls-Royce (Foto: Divulgação/Presidência)

Até hoje o Rolls-Royce conserva os mesmos equipamentos internos e externos. Apenas o estofado de couro foi trocado. Uma vez por semana ele circula pela garagem que fica atrás do Palácio do Planalto para manutenção.

Durante a posse, o vice-presidente eleito, Michel Temer, será conduzido em outro carro: um Cadillac conversível preto, de propriedade de um colecionador de Brasília. Em caso de chuva, Dilma e Temer seguirão em carros fechados. Atrás dos dois veículos seguirá um terceiro carro, para casos de emergência.

“Nas nuvens” – Apesar de faltarem apenas dois dias para sua posse, Dilma Rousseff não tem aparentado nervosismo aos mais próximos. “Ela está ótima”, diz uma de suas ministras nomeadas. A presidente eleita caminha todos os dias para manter a forma e redobrou o cuidado com a alimentação.

(Luciana Marques e Marina Dias)

29/12/2010

às 21:29

Dilma recebe primeiro-ministro da Bulgária, país de seu pai

A presidente eleita, Dilma Rousseff, receberá nesta quinta-feira o primeiro-ministro da Bulgária, Boyco Borissov, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. A reunião acontecerá às 17 horas e marca o encontro da nova presidente do Brasil com um representante do país natal de seu pai, o empreendedor búlgaro Pétar Rússev, que foi naturalizado brasileiro como Pedro Rousseff.

Dilma estará acompanhada pelo atual ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, e pelo novo ministro da pasta, atual secretário-geral das Relações Exteriores, o embaixador Antonio Patriota. O primeiro-ministro da Bulgária trará mensagem de congratulações do presidente da União Europeia, Herman Van Rompuy, a Dilma.

Ainda na quinta-feira, a presidente receberá outras autoridades internacionais em rápidas reuniões. No domingo, um dia após a posse, Dilma terá encontros em separado com seis chefes de estado e de governo, como o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, o presidente da Bolívia, Evo Morales, entre outros.

(Marina Dias)

29/12/2010

às 21:02

Dilma se reúne com seis autoridades internacionais no domingo

O segundo dia como presidente da República será bastante movimentado para Dilma Rousseff. Ela terá reuniões em separado com seis chefes de estado e de governo no domingo, aproveitando a presença das autoridades internacionais para posse, em 1º de janeiro.

Todos os encontros têm duração marcada: 25 minutos. É um primeiro sinal de que Dilma tratará os representantes de diferentes países com igualdade. A primeira reunião será com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, às 9h da manhã, no Palácio do Planalto.

Dilma se encontra em seguida com Evo Morales, presidente da Bolívia; José Mujica, presidente do Uruguai; Kim Hwang-Sik, primeiro-ministro da Coreia; Bruce Golding, primeiro-ministro da Jamaica; e Souleymane Ndéné Ndiaye, primeiro-ministro do Senegal.

Antes de tomar posse no sábado, Dilma deve receber autoridades internacionais no Palácio do Itamaraty nesta quinta-feira.

(Luciana Marques)

29/12/2010

às 16:54

Leandro Daiello Coimbra será o novo diretor da PF

O futuro ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou nesta quarta-feira a escolha do delegado Leandro Daiello Coimbra, 44 anos, para assumir a diretoria-geral da Polícia Federal (PF). Ele é o atual superintendente da PF em São Paulo e vai substitui Luiz Fernando Corrêa no cargo de diretor-geral. A aposentadoria voluntária de Corrêa foi publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União.

O atual superintendente da PF no Rio Grande do Sul, Ildo Gasparetto, também foi cotado para assumir a função. Seu nome, contudo, não vingou mesmo após pedidos do ex-ministro da Justiça Tarso Genro (PT), seu padrinho político. Genro deixou o ministério para concorrer ao governo do Rio Grande do Sul e venceu a disputa.

“Não foi uma escolha simples, a Polícia Federal hoje tem quadros altamente qualificados, com pessoas extremamente gabaritadas. Não é fácil escolher um nome entre a oferta de nomes absolutamente fantástica”, justificou o futuro ministro. A decisão, segundo ele, foi tomada em acordo com a presidente eleita Dilma Rousseff.

Cardozo pediu ao diretor nomeado que apresente em breve um plano de estratégia para a próxima gestão da PF, baseada na “mesma linha que [a PF] vem seguindo no último período, com aprofundamento na defesa da segurança pública e combate ao crime organizado”.

Cardozo prometeu aprofundar também as relações com os países que fazem fronteira com o Brasil. Ele disse ter marcado uma reunião com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, para a primeira semana de janeiro a fim de discutir o tema. “Se nós não tivermos uma integração de polícias e de políticas, nós não conseguiremos combater de forma eficaz o crime organizado”, afirmou. O site Wikileaks divulgou documentos que revelam a preocupação do governo dos Estados Unidos com a rota do tráfico de drogas entre Brasil e Bolívia.

Ainda de acordo com Cardozo, o atual ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto,  voltará ao cargo de secretário executivo da pasta. E Hélio Derenne será mantido na direção-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Ele ocupa o cargo há oito anos.

Sobre a permanência do secretário de Assuntos Legislativos, Pedro Abramovay, no cargo, o futuro ministro respondeu: “Posso dizer que ele vai ficar em outro lugar, por exemplo”. Reportagem de VEJA de outubro deste ano revelou conversas entre Abramovay e seu seu antecessor, Romeu Tuma Júnior. Na ocasião, ele disse que não “aguentava mais” receber pedidos de Dilma Rousseff e de Gilberto Carvalho, futuro ministro da Secretaria-Geral da Presidência, para fazer dossiês. “Eu quase fui preso como um dos aloprados”, afirmou Abramovay.

Os nomes dos demais integrantes do ministério a serem nomeados por Cardozo serão divulgados nesta quinta-feira. Entre eles, está o do novo integrante da Secretaria de Políticas sobre Drogas (Senad) – órgão que era comandado pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), mas que ficará sob a tutela do Ministério da Justiça a pedido de Dilma.

(Luciana Marques, de Brasília)

29/12/2010

às 14:59

Réveillon de Dilma terá festa pequena na Granja do Torto

Um dia antes de tomar posse como a primeira mulher presidente do Brasil, Dilma Rousseff comemorará a passagem do ano com uma pequena festa na Granja do Torto, residência oficial da Presidência. Para as celebrações, foram convidados apenas alguns amigos próximos e integrantes da família de Dilma, além do presidente Lula e da primeira-dama, Marisa Letícia, que ainda não confirmaram presença.

Durante a festa, Dilma contará com a companhia da mãe, Dilma Jane, e da tia Arilda, que morarão com ela no Palácio da Alvorada a partir de 1º de janeiro de 2011. Além delas, a filha da nova presidente, Paula Rousseff, virá de Porto Alegre com o marido, Rafael Covolo, e o filho Gabriel, único neto de Dilma, que nasceu durante a campanha eleitoral, para virarem o ano em Brasília.

A festa será fechada a jornalistas, mas uma foto oficial da comemoração deve ser distribuída à imprensa por Roberto Stuckert, fotógrafo oficial da Presidência da República.

Dia da posse – Dilma deve dormir cedo, já que logo na manhã de sábado, dia 1º de janeiro, a nova presidente recebe uma equipe de especialistas que cuidará de seu visual para a posse, que acontece a partir das 14 horas, em Brasília. Cabelo, maquiagem, roupa e acessórios serão supervisionados pelo cabelereiro Celso Kamura, pela maquiadora Rose Paz e pela estilista gaúcha Luisa Standlander.

(Marina Dias)

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados