Blogs e Colunistas

02/05/2011

às 19:02 \ Voo AF447 (Rio-Paris)

França envia navio-patrulha para escoltar a caixa-preta

La Capricieuse’, navio-patrulha costeiro classe P400 da Marinha da França, deixou o porto de Caiena, em direção a zona do acidente do voo 447 da Air Fance no qual  morreram as 228 pessoas a bordo do Airbus A330. O navio de guerra francês tem por missão buscar no navio lança-cabos ‘Ile de Sein’ e levar de volta a Caiena, a caixa-preta com os registros de 1 300 parâmetros do Airbus A330, acidentado na madrugada do 1 Junho de 2009. ‘La Capriosa’ realizará o percurso de ida em 5 ou 6 dias. Se até lá, a segunda caixa-preta com os registros de áudio da cabine de pilotagem do avião tiver sido encontrada e resgatada, será também transportada para Guiana Francesa onde embarcará em avião para Paris.

O Crash Survivable Memory, a unidade de memória encontrada ontem pelo veículo autônomo submersível Remora 6000 a 3 900 metros de profundidade no Oceano Atlântico está sendo conservado em um “aquario” de água salgada para evitar mudança brusca em relação ao ambiento que foi encontrado. O Escritório de Investigações e de Análises (BEA) da Aviação Civil da França, órgão responsável pela apuração das causas do acidente, afirma que a caixa-preta será lacrada por agentes da Polícia Judiciária francesa (OPJ). Em seguida, serão colocadas sob custódia dos agentes da Gendarmaria do Transporte Aéreo (GTA) até ao aeroporto Le Bourget, norte de Paris, onde fica a sede do BEA.

Será nos laboratórios do BEA, e somente em presença dos investigadores franceses, de um oficial da OPJ e registrado por uma câmera de vídeo, o momento determinante da investigação: verificar se a caixas-pretas estão em condições de “falar”. Se  tudo estiver bem, as informações poderão ser extraídas em menos de 20 minutos por um leitor. Mas se os registros estiverem danificados ainda haverá esperança. Elas serão enviadas para o fabricante americano Honeywell. A tentativa de restauração dos dados pode levar meses. Os dados do Flight Data Recorder (FDR, na sigla em inglês) encontrada ontem são considerados os mais importantes nas investigações sobre o acidente.

Leia o post do Blog de Paris: “Encontrada e resgatada uma das caixas-pretas do AF 447

Por Antonio Ribeiro

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Powered by WP Hashcash

2 Comentários

  1. Antonio Ribeiro

    -

    02/05/2011 às 21:58

    Caro Gustavo,

    Obrigado pela leitura e envio do comentário.

    Você tem razão. Seria a melhor medida para evitar suspeitas sobre uma investigação que tem claros conflitos de interesses. No entanto, a Convenção de Chigago determina que o país de origem do avião, quando o acidente acontece em águas internacionais, tem a prerrogativa de realizar a investigação.

    De Paris, um abraço

    Antonio Ribeiro

  2. Gustavo Fernandes

    -

    02/05/2011 às 21:41

    Acredito que o correto seria enviar a caixa preta para especialistas fora da França e Brasil (Principais envolvidos e interessados no tema).

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados