Blogs e Colunistas

copa do mundo de 1994

11/09/2012

às 9:05 \ Seleção Brasileira

A cidade que adora empurrar a seleção

A torcida da seleção no Recife (Foto: Mauro Akin Nassor/Fotoarena)

A cidade do Recife, em Pernambuco, se divide entre três torcidas apaixonadas: Sport e Náutico, na primeira divisão, e Santa Cruz, na terceira. A paixão pelo futebol só consegue unir os fanáticos torcedores quando o assunto é seleção brasileira. O Brasil já empatou sem gols com a seleção pernambucana, em 1978, e viu Zico fazer um dos seus melhores jogos com a camisa amarela, na vitória por 4 a 2 sobre a Iugoslávia, em abril de 1986, com três gols do meia do Flamengo. Mas um jogo é marcante na história da seleção na capital pernambucana: a vitória sobre a Bolívia por 6 a 0, em 1993, nas Eliminatórias para a Copa de 1994, nos Estados Unidos (confira as imagens da partida no vídeo abaixo). A equipe de Carlos Alberto Parreira, em má fase, vinha desacreditada até a partida no Estádio do Arruda. Antes de entrar em campo, o zagueiro Ricardo Rocha pediu que os jogadores entrassem de mãos dadas, uma forma de sinalizar que a equipe estava unida. A convincente vitória por 6 a 0 foi o ponto de virada para o Brasil garantir a vaga no Mundial. No ano seguinte, a equipe conquistou o tetracampeonato nos EUA.

Passadas quase duas décadas, a seleção brasileira voltou ao Recife, de novo sob desconfiança, pressionada mais uma vez. Aos visitantes, os torcedores locais explicam que virou quase um ritual apoiar a equipe quando ela está em baixa, assim como aconteceu em 1993. O apoio ao time não é coincidência: na semana que antecede um jogo do Brasil, o assunto na cidade é justamente a chance de aplaudir e tranquilizar a seleção. Coincidência ou não, os quase 30.000 torcedores que compraram ingressos para o amistoso de segunda-feira, contra a China, viram outra demonstração de união do grupo, assim como em 1993: na hora de cantar o hino nacional , saiu a tradicional mão no peito e entrou um abraço coletivo. Era outro gesto combinado pelos jogadores, assim como a entrada de mãos dadas, para mostrar que a equipe está disposta a se dedicar muito em busca de um bom futebol para vencer a Copa de 2014. Os jogadores corresponderam em campo ao carinho do torcedor e massacraram a fraquíssima seleção chinesa por 8 a 0, com direito a fartos aplausos e muita comemoração nos gols. Assim, a equipe de Mano Menezes sai de Recife, mais uma vez, com uma sensação de alívio e com a confiança recuperada para os dois amistosos contra a Argentina, em 19 de setembro (em Goiânia) e 3 de outubro (em Resistencia).

Leia também:

Pressionada, seleção busca apoio da torcida no Nordeste
Seleção aproveita a fragilidade da China e massacra: 8 a 0
Mano lista Luis Fabiano e Bernard para enfrentar Argentina
Mano aprova a ‘raiva gostosa’ da seleção depois das vaias
Galeria de fotos: Cenas do amistoso de segunda no Recife 

(Davi Correia, do Recife)

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados