Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Se os mais ricos dependessem de ônibus e metrô, haveria greve?

Nas cidades onde o transporte público serve apenas aos mais pobres, as leis e punições para quem faz paralisações são menos duras

Greve de transporte público em Dhaka, em Bangladesh (Banglar Chokh)

Com greve de ônibus pela manhã e metrô paralisado, São Paulo bateu hoje o recorde de congestionamento do ano, deixando milhões de pessoas sem opção de deslocamento ou paradas no trânsito. Em qualquer grande cidade do mundo, greves de transporte nunca são fáceis de lidar. Mas poder evitá-las não depende apenas de uma boa negociação: depende também de quem usa esses serviços.

Locais onde ônibus e metrô levam a bordo gente de todos os níveis econômicos são menos propensos a sofrer com as greves. Um bom é exemplo Nova York, onde a mais recente grande greve data de 2005, doze anos atrás. Em 2016, apesar de ter havido uma ameaça, a situação foi contornada sem causar maiores problemas aos usuários. Quando os mais ricos também dependem do transporte público, o resultado é a criação de leis e punições mais severas para quem organiza e participa de paralisações. Em Nova York, onde todos usam o sistema, as greves se tornaram eventos isolados a cada dez anos.

Já nos locais onde apenas a população mais pobre depende do transporte público, as greves tendem a se tornar mais frequentes — e também mais longas. Em Dhaka, a maior cidade de Bangladesh, com 7 milhões de habitantes, a greve realizada no início deste mês chegou durou mais de 48 horas, para desespero da população. Em outubro, apenas cinco meses antes, os moradores já haviam enfrentado outra grande paralisação.

Em vez de chamar um Uber, como em São Paulo, o jeito foi recorrer aos riquixás para conseguir chegar ao trabalho ou em casa, enquanto milhares de pessoas tiveram de seguir a pé.

Moradores de Dhaka se deslocam em riquixás (DzTraveler)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. José Gonzaga da Silva

    Ue, pensei que o lugar que os ricos utilizam transporte público os funcionários tinham era melhores salários, não punição mais severas….

    Curtir