Blogs e Colunistas

igreja

14/02/2012

às 9:03 \ Arquivo

O dia em que o bispo levou um sermão

Thinckstock

 

A declaração cafajeste vem de ninguém menos que o bispo de Assis, SP, José Benedito Simão, que chamou a recém empossada ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, de “uma pessoa infeliz, mal-amada e irresponsável” por ter defendido o aborto em declarações à imprensa.

Que falta de educação, senhor bispo! Muito me admira que um homem que tenha se imposto o celibato, e portanto renunciado ao amor na sua expressão física, possa dizer que alguém é mal-amado. Além do mais, chamar uma mulher de mal-amada é expressão típica de machistas e misóginos, e não condiz com a conduta que se espera de um líder religioso.

Ninguém é à favor do aborto pelo aborto e o senhor sabe disso muito bem. O que muitas pessoas defendem, inúmeras mulheres católicas entre elas, é que as mulheres que pratiquem o aborto não sejam criminalizadas pela lei e que tenham uma política eficiente de saúde pública para ampará-las.

Que as religiões não recomendem a prática do aborto aos seus seguidores e fiéis é legítimo, assim como são legítimas as campanhas de conscientização para evitar a gravidez não desejada. Mas condenar ao crime mulheres que praticam o aborto não é uma atitude digna de um estado laico, responsável e democrático.

Dom José, há muitos cidadãos brasileiros, eu entre eles, que não pautam suas vidas e condutas pela moral religiosa, mas pelo humanismo e o respeito aos direitos individuais. O senhor tem todo o direito de pregar contra o aborto na sua paróquia e no seu templo. Mas não tem o direito de agredir uma mulher de forma tão deselegante.

Senhor bispo desça do púlpito e dê uma voltinha qualquer hora dessas pela vida real, isso lhe fará bem. Take a walk on the wild side, como diria Lou Reed.

E por favor, considere meu sermão: peça desculpas à ministra Eleonora por tê-la ofendido. Isso é o que se espera de um homem digno, bispo ou não.

Por Tony Bellotto

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados