Blogs e Colunistas

Arquivo de 5 de março de 2012

05/03/2012

às 8:16 \ Cenas

Um dia perfeito para o Peixe-banana

Thinckstock

 

Um dia perfeito para o Peixe-banana é o nome de um conto de J.D. Salinger publicado pela primeira vez em 1948 e imediatamente reconhecido pelo público e pela crítica como uma obra-prima. Eu gosto muito do conto, e o recomendo imperiosamente aos que não o leram, mas nunca soube se esse “Peixe-banana” existe mesmo ou se foi criação da mente brilhante de J.D.

Por que um peixe ganharia esse nome? Por se assemelhar a uma banana? Ou por gostar de comer banana? Peixes comem banana? Bem, dúvidas assim serão finalmentes esclarecidas agora que Marcelo Crivella é o ministro da Pesca. Algo me diz, porém, que Crivella entende tanto de peixes quanto eu entendo de engenharia naval. Ouço por aí que esse ministério, na melhor tradição “história de pescador”, não passa de uma abstração, um lugar estratégico para alocar políticos aliados descontentes ou companheiros sem aparente função no governo. Dizem que o “Bispo” ganhou o cargo para acalmar as bancadas evangélicas – sempre tão irritadas com qualquer possibilidade de luz que ilumine as trevas em que vivem – e para facilitar a vida do candidato do PT nas eleições municipais de São Paulo.

É dose. Como se não bastasse, leio que parlamentares evangélicos tentam reverter uma resolução do Conselho Federal de Psicologia – que proíbe qualquer profissional da psicologia de tratar a homossexualidade já que esta NÃO é doença -, pois querem ter o direito de “curar” homossexuais em seus ritos. Assim já é demais, galera das Trevas, vamos maneirar na maluquice, por favor. Aqui vai um velho ditado de pescadores para a reflexão do novo ministro da pesca e de toda a bancada evangélica: “Que peixes cegos queiram viver como peixes cegos, tudo bem. Mas não podem querer que TODOS os peixes vivam como peixes cegos”.

O provérbio me foi dito ainda na década de 70, numa praia da Ilha do Mel, no Paraná, por Santiago, um velho pescador, enquanto assava uma tainha (ou seria um robalo?) numa fogueira à beira-mar, depois de oitenta e quatro dias sem conseguir pescar um peixe.

Sei não, algo me diz que hoje é um dia perfeito para o peixe-banana.

 

Por Tony Bellotto

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados