Valentina de Botas: O que Mirian pretendia? Acusar FHC de ser um bom pai do filho que não gerou?

VALENTINA DE BOTAS O texto de Augusto Nunes ajuda a entender por que um homem de caráter e alma sãos é diferente de um sem caráter até mesmo quando ambos cometem erros na vida pessoal que podem ou não se refletir no exercício da vida pública e erros desta que servem àquela.

VALENTINA DE BOTAS

O texto de Augusto Nunes ajuda a entender por que um homem de caráter e alma sãos é diferente de um sem caráter até mesmo quando ambos cometem erros na vida pessoal que podem ou não se refletir no exercício da vida pública e erros desta que servem àquela.

Duas são as questões mais importantes para os contribuintes brasileiros: 1- não sustentamos a ex-amante de FHC; que, diferentemente do jeca, FHC não se portou como um PR que liberou a amante jeca a traficâncias e achaques; nem lhe franqueou um cartão corporativo; e 2 – contrastar mais uma vez o caráter das duas figuras que polarizam a política brasileira desde a redemocratização.

Jeca entre jecas num tempo que lhes sacia os apetites e premia a mediocridade, Rosemary é simplória sem ser simples. O mau gosto dela não é crime, é somente muito desagradável e um direito que lhe assiste. O problema da nação é a moral que o acompanha. Pois, ainda que Rosemary fosse cheia de finesse e doutorada em Rilke, usasse talher de peixe e frequentasse vernissages (que sempre achei meio jecas), nosso drama seria o mesmo: a nação, exaurida por mediocridades que custam de uma lipoescultura a um petrolão inteiro e respectivos afluentes, pagou e paga todos os gozos. Uma cornucópia aberrante de pilantras que degradam nosso presente, roubam nosso futuro e aprimoram a degenerescência da linhagem de homens e mulheres públicos.

Semelhante a Mônica Veloso que desaparecia como “a gestante” nas falas vigaristas de Renan Calheiros que não pronunciava o nome da amante sustentada pela Mendes Júnior numa troca de favores, Rosemary Noronha esconde-se, com as bandalheiras de fora, no “ela” do cúmplice PR nas poucas vezes em que se referiu, e vagamente, ao assunto.

E Mirian Dutra, açulada pela súcia, pretendia exatamente o quê? Acusar FHC de ser um bom pai do filho que não gerou? Bem, ele confirmou o bom pai que é do filho que não gerou. Vingar-se do fim do namoro? Ora, Mirian deveria ter sido avisada que essa exposição vexaminosa – para ela – não é a pior coisa que enfrenta alguém que, com décadas de vida pública, é contemporâneo de uma aberração chamada PT e a caça preferida dela – FHC, no máximo, deve estar compadecido da ex-amante. Ter alguma fama ainda que infamante? Pois, saiba Mirian, que o assunto não será ela, mas FHC, é dele que a súcia falará.

Mirian, que Mirian? A essa altura, a pobre mulher já deve estar de volta à vasta solidão habitada pelos fantasmas que o ressentimento nutre. Felizmente, resta a Tomás um pai de caráter e alma sãs. E tomara que o filho queira e possa cuidar da mãe; ela talvez não saiba, mas precisa muito.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    sylvio

    O Supra Sumo da Vigarice é parecer Honesto Sem O Ser.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Renato Carvalho

    Essa estúpida discussão parte do falso dogma de que somos, por decreto, monógamos, quando, de fato, por uma questão meramente biológica, é exatamente o que não somos. Atire a 1ª pedra aquele(a) que nunca se sentiu atraído por outro(a) que não o(a) titular previsto por lei. Mas o que tem a lei a ver com isso? Desde quando mentes esclarecidas se curvam a condicionamentos sócio culturais sem questionar seu valor existencial, aquele que vem antes dessas mesmas mentes serem aprisionadas em caixas lacradas? Em nome de que ou de quem? Quem pode ditar as regras do meu pensar, agir ou sentir? Onde fica a liberdade nisso tudo? É impressionante e desalentador constatar que as discussões sempre partem de premissas dadas como inalteráveis como se não tivéssemos capacidade alguma de perceber a essência por trás das aparências. Não há nenhuma chance de evolução enquanto o ser humano optar pela zona de conforto do que está estabelecido em vez da ousada – e desconfortável – coragem de desafiar leis, regras e rótulos que, até agora, só têm criado caos, desordem, tragédias e horrores.

    Curtir

  3. Comentado por:

    José Luiz

    O recalque de Lula e do PT com FHC é caso clínico de Psiquiatria… Deve ser considerado “case” para palestras
    dos psiquiatras!…

    Curtir

  4. Comentado por:

    regina

    O que a sra citada conseguiu foi ser defenestrada nas redes sociais onde falta muita educação.Ser xingada e ser julgada foi escolha dela pois lavou roupa suja com uma imensa e desconhecida vizinhança

    Curtir

  5. Comentado por:

    jr

    Esse TOMAS deve estar muitíssimo satisfeito com sua mamãe.

    Curtir

  6. Comentado por:

    João Campos

    Segundo O Antagonista, ela andou em Portugal com Franklin Martins. LEVOU UNS PIXULECOS! Isto sim.

    Curtir

  7. Comentado por:

    sebastião ferreira filho

    Quando veremos este molusco na cadeia.

    Curtir

  8. Comentado por:

    Wilson Vioti

    Na Papuda há local para visita entre o molusco e a ex-amante.

    Curtir