Valentina de Botas: ‘Nenhum erro de FHC pode equipará-lo a Lula porque o caudilho é uma desgraça singular’

VALENTINA DE BOTAS Preciso de um pouco de barulho para me concentrar, o silêncio me faz ouvir coisas; é combustível para a imaginação, veículo possante que me leva para longe do agora. Trabalhando na revisão ou na tradução de um texto, abro a janela para as polifonias do mundo ou ouço música. Também para missões […]

VALENTINA DE BOTAS

Preciso de um pouco de barulho para me concentrar, o silêncio me faz ouvir coisas; é combustível para a imaginação, veículo possante que me leva para longe do agora. Trabalhando na revisão ou na tradução de um texto, abro a janela para as polifonias do mundo ou ouço música. Também para missões domésticas: lavar a louça, por exemplo, ao som do “Coro dos Escravos” do “Nabucodonosor” de Verdi; ou Luiz Gonzaga cantando “Assum Preto” é o barulhinho perfeito para refazer a barra da calça do uniforme escolar da minha filha. Senão, perco o foco.

Vou me repetir porque as circunstâncias se repetem: nenhum defeito do PSDB o iguala ao PT pela razão bastante de nada se igualar a uma anomalia; nenhum erro de FHC o equipara a Lula porque o caudilho é uma desgraça singular. Para quem os difere apenas pela rapidez maior e escrúpulo menor dos petistas, os objetivos dos tucanos são os mesmos: perpetuarem-se no poder e, de quebra, enriquecer a tigrada.

Ainda que não tivesse sido o melhor presidente que tivemos, o que já começa a soar como uma acusação, FHC é um homem de caráter; Lula, não. No que isso resulta para o país? Para uma resposta possível, convido os leitores, que acusam em FCH um Lula letrado, a contemplarem o Brasil que aquele entregou a este e o Brasil de hoje. Quanto ao primeiro, nem me refiro à revolução socioeconômica do Real, mas somente ao caráter que o governante imprime ao governo.

No ambiente moral da era FHC, um Procurador-Geral da República não deixaria de cumprimentar o Presidente da Câmara como fez Rodrigo Janot com Eduardo Cunha; parlamentares não vaiariam a Presidente da República no Congresso como aconteceu recentemente, mas, depois da fala dela, tomariam a palavra e confrontariam a governante na tribuna; um vice-presidente da Câmara não desacataria o Presidente do STF como fez André Vargas ao Ministro Joaquim Barbosa há dois anos. E essa desinstitucionalização do país não se desdobraria na abjeção dos blogs estatizados, na patrulha ideológica, na radicalização e rarefação de argumentos no debate.

Tendo FHC governado com dignidade e competência nas circunstâncias dadas, e daí que seja socialista? Essa intolerância desvia o foco do que realmente infelicita o país e despreza o fato de que erros e acertos habitam entre socialistas e não socialistas. Sem socialistas – se modernos, democratas, competentes e honestos – o que fazer de uma democracia reduzida a um só nicho ideológico?

Além disso, não é a aproximação ideológica que leva FHC a ainda constatar em Lula ou no PT alguma legitimidade, mas, talvez, a índole conciliatória do democrata que, de certo modo compungido diante do estilhaçamento de uma ex-liderança, teria a mesma atitude com qualquer outro símbolo caído em desgraça. Discordo vivamente de FHC sem rebaixá-lo a integrante da súcia e, para evitar que o silêncio do imperdoavelmente omisso PSDB me tire do foco, sonorizo tudo com a polifonia lúcida na permeabilidade dos contrários, lendo e ouvindo quem me ajuda a me concentrar no agora: combater os inigualáveis lulopetistas.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Eufrazio Clemente Figueiredo

    Devemos entregar o governo aos Fabianos ou aos Lula da Silva? Eis a questão!

    Curtir

  2. Comentado por:

    Luciano

    Boa análise. Eu resumiria assim. Ainda que houvesse nos anos FHC uma taxa de desemprego elevada, a inflação estava debelada e a economia estabilizada. Havia a esperança de que o país caminhava para uma abertura econômica ainda maior e também para o aperfeiçoamento das instituições democráticas, tornando-se algo mais próximo de uma Itália do que uma Bolívia, com tudo para crescer a taxas consideráveis.
    .
    Nos anos PT-Lula-Dilma, esse processo foi abortado. Vemos a destruição das bases do plano real. A demagogia, a irresponsabilidade fiscal, o retorno da inflação, a desindustrialização, a volta do desemprego, o aparelhamento do Estado e o solapamento das instituições republicanas, crescente autoritarismo — marcam esse período. A corrupção, transformada em uma forma de fazer política, cresceu a níveis inimagináveis. O país está agora, em frangalhos, mais para uma Venezuela ou uma Bolívia. E não há nem inseticida para matar os mosquitos. Vamos ver até quando dura o papel higiênico.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Anonyma

    O PT é mesmo uma anomalia em todo sentido acho que nada é pior que este partido na política atual e olha que o resto que sobra não presta também salvo algumas exceções individuais mas é menos pior/ concordo com o comentarista João 11/2/2016 às 9:43 em quase tudo só acho que cotas não deve se dar para ninguém e sim uma politica de criação de empregos e incentivo à pequenos autônomos para os mais pobres porque o assistencialismo convêm a políticos populistas corruptos de mau caráter e ao voto de cabresto/ quanto a FHC e Lula lógico que há diferenças FHC é culto instruído mas vaidoso demais este é o seu defeito ele facilitou a chegada do PT ao poder sim mais por vaidade de querer ser visto como um presidente que passou a faixa presidencial a um representante da classe operária do que ser um verdadeiro democrata quando já se podia perceber que este partido PT não tinha nada de democrático e ele FHC sabe que errou por isso vive dando declarações com sentimento de culpa/ quanto ao Lula não se podia esperar diferente ele não têm cultura nem instrução é um ignorante arrogante presunçoso/ pois é isso/ cobra-se mais de quem sabe mais acho que é por isto que muitos não perdoam o ex presidente FHC.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Maria Neuma

    Pela primeira vez discordo de você. Você falou bonito, deu a distância exata entre o homem e o projeto de gente, etc, etc. Mas se esqueceu de responsabilizar o Sr. Fernando Henrique Cardoso pela omissão de não querer, ou não conseguir, enxergar no lula o que ele realmente foi. Não se brinca com a saúde de uma nação. E nosso amigo FHC tem uma responsabilidade muito grande com o povo brasileiro, pela confiança que despertou nele, ao longo de seu governo. Devia ter um pouquinho mais de firmeza contra esses abutres que estão aí.

    Curtir

  5. Comentado por:

    sas

    O PT está colocando o Brasil e a Petrobras em liquidação. Com o dólar valorizado, o Brasil ficou barato para o estrangeiro. Mas os estrangeiros estão com medo de investir no Brasil por causa do péssimo clima político, da economia em frangalhos, da credibilidade da Dilma no menor nível da história e da corrupção desenfreada no lulopetismo.
    ‘Petrobrás coloca usinas térmicas, terminais de gás e gasodutos à venda’ (Adamastor)
    http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios,petrobras-coloca-usinas-termicas–terminais-de-gas-e-gasodutos-a-venda,10000015760
    Método aprimorado pelo PT: Troca de interesses, fingimento, conchavos, TEATROS, tráfico de influencias, ameaças, subornos, propinas, troca de favores. Características marcantes das PESSOAS que estão no poder no Brasil. O SISTEMA está infestado de parasitas que, em nome da constituição socialista cidadão, deitam e rolam em cima do erário público em prol de seus próprios interesses, dos interesses dos parceiros da iniciativa privada (amigos do REI), INTERESSES dos outros REIS vizinhos e interesses no projeto de manutenção de poder!!!! (José Adelmo)

    Curtir

  6. Comentado por:

    Textículos do Jota (ES)

    Segundo Reinaldo Azevedo, “um ladrão de dinheiro público é um caso de polícia; um ladrão de instituições é um caso de política”. Penso que se os ladrões de instituições de hoje tivessem sido tratados como caso de polícia ontem, certamente as instituições brasileiras não teriam sido tomadas de assalto. Estou certo que deu no que deu porque Lulla e companheirada sempre foram tratados pela imprensa e pelos partidos ditos de oposição como caso de política, quando deveriam ser encarados como assunto policial. Hoje, se você perguntar a um adolescente de 13 anos qual é o caso de Lulla, dirá que o boneco pixuleco é objeto de polícia. Sei disso porque, com essa idade, eu já enxergava o mau-caratismo de lideranças esquerdofrênicas como Stalin, Mao, Hitler, Mussolini, Getúlio, Guevara, Fidel, Jânio, Brizola e Jango. Tenho vários conhecidos, aparentemente pessoas honradas, que são declaradamente de esquerda. Um deles, certa feita, foi bem claro comigo: “Não critica a esquerda que todo mundo aqui em casa é petralha”. Se isso não é caso de polícia, muito menos de política, restou o caso de distúrbio mental. Como entender alguém que se enquadra rigorosamente dentro da ética e da lei e, ao mesmo tempo, defende, por conivência ou omissão, o “gigantesco mural de sangue e excremento” – como escreveu Nelson Rodrigues – que é a história socialista? É óbvio que não há que se comparar as pessoas honestas, sejam quais forem os seus “matizes ideológicos”, com o “Brahma” dos empreiteiros. No entanto, há que ser colocado que a principal queixa que se tem contra Fernando Henrique é a de que o seu governo não privatizou a Petrobras e tudo mais, por motivos ideológicos iguais aos do PT. Tivesse tomado as decantadas “medidas amargas” de austeridade como deveriam ser assumidas, o ex-presidente teria evitado a megarroubalheira praticada pelo projeto de poder esquerdista que se tornou realidade “nextipaiz”. Por ter privatizado algumas estatais, passou a ser odiado pela esquerda; por não ter privatizado as demais estatais, deixou de ser unanimidade como o melhor governo do Brasil. Resumo dessa ópera bufa: FHC é um caso de política, o lulopetismo é um caso de polícia, e a esquerdice é um caso de psiquiatria.

    Curtir

  7. Comentado por:

    julia

    Vou usar um termo antigo para definir o que o PT conseguiu com a peculiar incapacidade:
    A V A C A L H A R o Brasil.

    Curtir

  8. Comentado por:

    Charles A.

    Textículos do Jota (ES) – 11/2/2016 às 14:00. Excelente comentário! Se possível fosse,faria minhas as suas palavras.

    Curtir

  9. Comentado por:

    Ferreira Pena

    Às vezes me sinto só nestas discussões sobre os artigos e comentários. Nunca vi ninguém chamar o Lula do que ele realmente é. Foi tolerado e premiado pelos militares que sempre o trataram com pão de ló, e esse sujeito maléfico cresceu na política corrompendo, roubando e multiplicando suas crias. Como se pode ainda chamar um desse de político?, se o que fez a vida inteira foi corrupção? Vai pagar por suas sacanagens contra o país, temos procuradores e juízes aptos a fazerem valer a justiça, ou as idéias socialistas (ou oportunismo covarde) os impedirão de agir? É o que está posto!

    Curtir

  10. Comentado por:

    Heldentenor

    Não entendo por que meu comentário foi barrado, mas de repente ele não faz muita falta, pois vai na linha dos vários publicados que deixam claro que criticar FHC não é o mesmo que equipará-lo a lullalau.

    Curtir

  11. Comentado por:

    Oliver

    O JOTA DA QUESTÃO
    Também gostaria de endossar o excelente comentário do Textículos de Jota (ES) – 14:00, aqui publicado. É de uma verdade absolutamente lapidar. Não enxerga quem não quer enxergar, caro amigo. Tive um professor de criação publicitária – o melhor que já vi na vida – que uma dia nos surpreendeu com dois exemplares idênticos da revista VEJA na sala de aula. Levantou as duas revistas e lançou a pergunta fatídica: Estas duas revistas aqui em minha mão, do mesmo número e da mesma semana; são iguais ou diferentes? Uma sonora discussão tomou conta da sala. Publicidade e propaganda são iguais ou diferentes? Ficou mais ou menos acordado o seguinte: Do ponto de vista da informação, conteúdo, texto, elas são rigorosamente iguais. Já do ponto de vista da fabricação, resma de papel, volume de tinta e origem das árvores que foram usadas em sua produção, rigorosamente diferentes. Isto serviu para nosso mestre subir na mesa e brandir aos gritos: Então publicidade e propagando são a lesma lerda !!! Não importa que tenham origens absolutamente distintas e conceitos idem. Do ponto de vista da informação hoje contida nos termos, são rigorosamente a mesma goma. É esta falácia que os aqui presentes, que perderam esta aula magistral, insistem em brandir para diferenciar os iguais, meu caro Textículos. Para eles, é importante – quase vital – que a roubalheira empreendida por uma quadrilha seja de uma diferença absolutamente conceitual da roubalheira empreendida pela outra. Sou muito atacado por aqui pela questão da probidade que sempre levanto como niveladora desse discurso manco. Jamais duvidei da lisura individual de FHC. O que eu duvido – e quero ser convencido por ele mesmo do contrário – é que essa postura malemolente de defesa dos ideais de esquerda não esconda a verdadeira natureza da coisa, que é não ter roubado um centavo de presidencia, mas não ter feito rigorosamente nada para impedir que outros o fizessem, enquanto responsável pela coisa. Dilma encontra-se no mesmo balaio, meus caros. Confunde-se deliberadamente ser “culpada” por tudo o que aí está com ser “responsável direta” por tudo o que andam fazendo. É o discurso calhorda em ação, meus amigos. É o “não sabia de nada” elevado ao estado de arte da empulhação, com o beneplácito de todas as esquerdas reunidas e cantando “Gracias a la Vida” num corinho esquisito. Hoje mesmo ouvi a Lobo afirmar algo sobre o “apartamento que a família Lula desistiu de comprar”. Se minha tevê não fosse tão cara e comprada com o suor do meu rosto, teria levado um pé nas fuças de raiva deste textinho sempre polido e alinhado com a vigarice. Isto está ficando insuportável, na nossa sociedade cada dia mais esclarecida. Essa coisinha relativa e relativizada, que se apega nos meandros para não ver a corrente principal. Essa página vai ser virada com ou sem FHC na parada, meus caros. Quem viver vai ver que o bom senso tarda, mas se instaura. É isso aí.

    Curtir

  12. Comentado por:

    Ferreira Pena

    Deus do céu, está ficando lugar comum achar que direita e esquerda se confundem, isso só é bom para as esquerdas que não criam nem produzem nada, a não ser miséria, ditaduras e assassinatos aos milhões.

    Curtir

  13. Comentado por:

    Creso

    Olha gente; vamos resumir: peão é peão. lulla-13-171 foi e sempre sera peão. Alguém conhece um peão que ganhou na sena e conseguiu administrar a bolada.

    Curtir

  14. Comentado por:

    ket

    Tem sim. Único erro “estratégia das tesouras”.
    E mais nosso TSE que não garantiu a legitimidade nos processos FICHA LIMPA.

    Curtir