Blogs e Colunistas

Operação Lava Jato

30/07/2015

às 15:34 \ Feira Livre

A charge do Alpino

Share

30/07/2015

às 14:07 \ Direto ao Ponto

J. R. Guzzo no Aqui entre Nós: ‘A Operação Lava Jato vai ficar’

Share

29/07/2015

às 20:30 \ Direto ao Ponto

1 Minuto com Augusto Nunes: Dilma jura que combate à corrupção emagrece o PIB

 

A presidente que não diz coisa com coisa e erra até conta de jardim da infância surpreendeu o mundo com outro prodígio estatístico: segundo Dilma Rousseff, o Produto Interno Bruto caiu 1% por causa da Operação Lava Jato. O que ela chama de Operação Lava Jato é o esquema corrupto do Petrolão que tornou indispensável o desencadeamento da Operação Lava Jato.

O neurônio solitário, portanto, acha que combater a roubalheira faz mal à saúde da economia nacional, que os investimentos estão perto de zero porque os donos das grandes empreiteiras engrossaram a população carcerária e que o PIB sofre uma queda sempre que sobe a taxa de honestidade. Como as investigações que começaram nas catacumbas da Petrobras já chegaram aos porões da Eletronuclear, como logo serão lancetados os tumores que infestam o BNDES, anotem: se a dedetização for em frente, o pibinho brasileiro vai ficar menor que o PIB do Haiti.

Share

21/07/2015

às 14:25 \ Opinião

Fernando Gabeira: As meninas entram em cena

Publicado no blog do Fernando Gabeira

FERNANDO GABEIRA

Você poderia chamá-las de petroputas ou prostipetro, mas não seria preciso. As meninas aparecem em quase todo grande escândalo em Brasília. Não são especializadas. Finalmente, deram as caras no escândalo do Petrolão. Documentos da PF indicam que houve gastos com garotas de programa, mencionadas em rubricas como Jô 132 e 3 Monik nas planilhas de Alberto Youssef, um dos grandes nomes do caso.

» Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

Share

20/07/2015

às 15:23 \ Sanatório Geral

Piloto esperto

“O argumento da operação foi o de evitar a destruição de provas. Depois de dois anos, evitar a destruição de provas como se lá houvesse algum tipo de prova. E prova de quê, afinal? Por acaso, um veículo é documento, é um computador? Qual seria o objetivo a não ser o de constranger, intimidar e promover cena de espetáculo pura e simplesmente visando a exploração midiática?”.

Fernando Collor, sobre a apreensão da frota de carros de luxo pela Polícia Federal, garantindo que tem evitado a transformação de veículo em prova do crime desde a descoberta daquele Fiat Elba.

Share

20/07/2015

às 6:59 \ Sanatório Geral

Napoleão de hospício

“Tudo fazendo parte de uma operação espetaculosa, midiática, com vários helicópteros, dezenas de viaturas, absolutamente desnecessários e maldosamente orquestrada pelo procurador, com o intuito mesquinho e mentiroso de vincular a uma investigação criminosa bens e valores legalmente declarados e adquiridos antes de qualquer investigação, muito antes do suposto cometimento de pretensos crimes maldosamente a mim imputados”.

Fernando Collor, depois da apreensão de alguns destaques da frota de carros de luxo, caprichando no dialeto de napoleão de hospício para fazer o país acreditar que o único vínculo entre ele e a estatal saqueada é o uso da gasolina distribuída pela Petrobras.

Share

19/07/2015

às 18:05 \ Sanatório Geral

Gatuno feliz

“Dilminha ganhou!!!!”

Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, em mensagens enviadas a parceiros do Petrolão em outubro passado, logo depois do anúncio da reeleição da madrinha da quadrilha, comemorando com quatro pontos de exclamação mais quatro anos de negociatas bilionárias.

Share

16/07/2015

às 16:30 \ Direto ao Ponto

1 Minuto com Augusto Nunes: O aumento da fortuna e do prontuário de Fernando Collor prova que por trás do Lula pai dos pobres existe um Lula mãe dos ricos

Lula recita de meia em meia hora que só pensa nos pobres. Mas o farsante que inventou o Brasil Maravilha rsempre encontrou tempo para enriquecer, garantir a prosperidade da família e aumentar a fortuna de amigos já milionários. Fernando Collor, por exemplo, foi premiado com uma diretoria da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras.

Numa negociata desvendada pela Operação Lava Jato, embolsou 20 milhões de reais. Essa e muitas outras maracutaias em que se meteu justificaram a operação da Polícia Federal que deixou  “indignado” o ex-presidente defenestrado do Planalto por vontade popular. Muito maior é a indignação do Brasil decente, ultrajado pelas delinquências protagonizadas em parceria porLula e Collor.

Por enquanto, só foram apreendidos carrões e computadores. O país que presta aguarda, com justificada ansiedade, o confisco de ex-presidentes que imploram pela traseira de um camburão.

Share

15/07/2015

às 14:15 \ Opinião

José Nêumanne: Dilma contra Montesquieu

PUBLICADO NO ESTADÃO

Primeiro, Dilma Rousseff meteu os pés pelas mãos e perdeu totalmente a popularidade que nunca teve antes na História deste país, mas ganhou como mimo do padrinho. Depois, abusou tanto das mentiras que terminou por ficar também sem credibilidade. Agora, ela tem dado sinais de que começa a deixar pelo caminho toda a compostura. É possível chegar a essa conclusão sem levar em conta as descomposturas que costuma dar em seus subordinados quando contrariada e nas quais abusa na intimidade do palavreado chulo, da mesma forma como expõe seu raciocínio confuso quando fala em público, lendo ou de improviso.

O episódio narrado por Natuza Nery e Marina Dias na Folha de S.Paulo de domingo, contudo, perturba muito menos pelo destempero do uso exagerado de um linguajar rasteiro e desrespeitoso, tratando o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, como lacaio, que ele não é, mas um servidor público com tarefas importantes a cumprir para preservar a natureza republicana das coisas. O episódio descrito na notícia é repulsivo, mas deixa de ser relevante, já que a presumida vítima poderia ter reagido por honra ou vergonha, e não o fez.

» Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

Share

22/06/2015

às 18:11 \ História em Imagens

Quando os chefões se juntarem na cadeia a Vaccari e Vargas, terão de explicar por que só um foi enterrado sem choro nem vela

Atualizado às 18h10 

O bando reunido em Salvador para o congresso nacional do PT não parou de chorar a ausência forçada do companheiro João Vaccari Neto. (O avô do gatuno, por sinal, não merecia ser lembrado assim, mas isso é assunto para outro post. Voltemos aos surtos de saudade provocados pelo tesoureiro nacional do partido engaiolado em Curitiba por estar envolvido até o pescoço na roubalheira do Petrolão).

CONGRESSO PT / LULA / DILMA / PT

(Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

Na foto acima, o clima de velório é escancarado pela cara de viúva inconsolável dividida por José Nobre Guimarães, Lula, Fernando Haddad, Jaques Wagner e Fernando Pimentel. Trocando figurinhas falsas e caprichando no sorriso de inimigo íntimo, Dilma Rousseff e Rui Falcão parecem destoar do espetáculo da tristeza.

O equívoco seria desfeito minutos depois, quando ambos engrossaram com especial entusiasmo a salva de palmas que pranteou por três minutos seguidos a memória do amigo Vaccari, confiscado semanas antes pela Operação Lava Jato. Naquela mesa está faltando um, berra a imagem da perda irreparável.

Congresso 2013

(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

Estão faltando pelo menos dois, corrige a foto acima, que eterniza um dos muitos momentos festivos do encontro promovido pelo PT em dezembro de 2013. Clique no círculo e veja os rostos ampliados da dupla de meliantes: ao lado de Vaccari, braço direito erguido, vibra o companheiro André Vargas, então uma estrela ascendente da sucursal paranaense do ajuntamento dos fora-da-lei disfarçados de guerreiros do povo brasileiro.

(“Nossos valores são eternos”, jura a inscrição providenciada pelos cenógrafos da reunião que em qualquer país sério só ocorreria na clandestinidade. Depende, condiciona a inflação cada vez mais obesa. Pelo menos os valores em dinheiro amealhados pela turma só serão perenes se depositados nos poucos paraísos fiscais ainda fora do alcance do FBI. Feita a ressalva, voltemos ao larápio que antes de ser desmascarado desafiava até presidentes do STF).

Vice-presidente da Câmara dos Deputados, ex-vice-presidente de Comunicação do PT, Vargas sonhava com o comando do Poder Legislativo quando foi pilhado pela Polícia Federal voando de graça em jatinhos do parceiro Alberto Youssef. Era só a ponta do iceberg imenso e malcheiroso, sabe-se agora. André Vargas e Vaccari hoje descansam no mesmo xilindró. Mas apenas o tesoureiro foi homenageado na Bahia.

Isso não vai ficar assim, avisam parentes do esquecido. Pelo andar da carruagem, gente graúda que aparece nas duas imagens não demorará a ser transferida do retrato para uma cela em Curitiba. Quando estiverem todos juntos na cadeia, Vargas vai querer saber por que só ele foi enterrado sem choro nem vela.

Share
 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados