Blogs e Colunistas

Igreja Universal

28/09/2012

às 17:32 \ Sanatório Geral

Ah, bom!

“Perguntem ao apóstolo Estevam Hernandes ou ao bispo Edir Macedo o preço que eles pagam”.

Marcelo Crivella, ministro da Pesca, ensinando que os chefes da Renascer e da Universal/Record estão na mira da Justiça do Brasil e de outros países porque chefiam igrejas evangélicas, não por atropelarem a lei, a moral e os bons costumes com frequência e ferocidade.

05/05/2012

às 17:00 \ Sanatório Geral

Vagas no céu

“Por isso que a gente tem que perguntar ao fiel: você crê mais na crise ou você crê em Deus? Porque, se você crê na crise, então você vai guardar para ela, ela vai pegar o que você tem. Sem que você saiba, quando você acordar, já era. Mas se você crê em Deus, você vai pegar o que a crise pode pegar e você vai colocar onde?… Vai semear no altar”.

Romualdo Panceiro, bispo da Igreja Universal, apontado como sucessor do superbispo Edir Macedo, em 13 de abril de 2010, na videoconferência em que ensina aos pregadores da seita o que deveriam dizer durante a crise econômica para que os fiéis usassem o dinheiro da poupança na compra de uma vaga no céu.

01/03/2012

às 21:44 \ Direto ao Ponto

O Ministério da Pesca e Aquicultura representa, em proporções bíblicas, o milagre da subtração do lulismo

 CELSO ARNALDO ARAÚJO

Criada em 2003 como secretaria especial para “formulação de políticas e diretrizes para o desenvolvimento e fomento da produção pesqueira e aquícola”, nos sete primeiros anos a pasta esteve posta em marasmo ao nível dos lambaris, sob os cuidados de dois burocratas semi-invisíveis, José Freitsch e Altemir Gregolin, até receber de Lula, em 2009, o caniço, o samburá e a rede de arrastão dos ministérios “aparelhados” ─ instituídos exclusivamente para conchavos partidários, negociatas diversas e acomodação da vagabundagem companheira.

Ideli Salvatti, a primeira “ministra” dessa nova fase, tinha a seu dispor uma equipe de 67 funcionários ─ cuja importância, no conjunto da obra, pode ser medida por um exercício de hipótese: será que o extermínio sumário desse ministério de águas turvas afetaria o destino de uma única tilápia ou do mais carente dos caiçaras? Examine-se o quadro da pesca do Brasil antes e depois da farsa.

O sucessor de Ideli no falso ministério foi um sabujo chamado Luiz Sérgio Nóbrega de Oliveira, cuja mediocridade adaptou-se bem à insignificância funcional da pasta ─ leitor diário e inveterado dos principais jornais e portais do país, incluindo os obituários, não me recordo de ter lido qualquer menção a ele ou à “Aquicultura” brasileira nos oito meses em que essa sumidade teve status de ministro. Dizem ter sido demitido em férias, como é próprio dos sabujos, sem quê nem porquê.

O Ministério da Pesca e da Aquicultura agora pertence ao “bispo” senador ou senador “bispo” Marcelo Crivella ─ não importa a ordem, um termo desmerece o outro. Ingenuamente, analistas de bom calibre questionaram que a pasta tenha sido entregue a quem provavelmente só conhece peixe da travessa de bacalhau do Antiquarius. Menos mal, não apelaram para a passagem bíblica da multiplicação dos peixes a justificar a unção de Crivella como ministro ─ os “bispos” da Universal só conhecem e citam as passagens do Livro Sagrado que embasam ou estimulam, mesmo alegoricamente, o assalto pecuniário à fé dos fiéis.

Digo ingenuamente, para não dizer cinicamente, porque a última coisa que Dilma espera de seu novo ministro da Pesca é que entenda de pesca ─ como não entendiam Ideli e Luiz Sérgio. Este ficou no cargo durante o breve interregno em que caía um ministro ladrão atrás do outro ─ o material de manobra então era melhor e mais nobre para a gatunagem. Agora que a reforma que nunca começou foi encerrada, o Ministério da Pesca voltou a ser a única reserva técnica para os conchavos. A pasta foi criada não para entendidos em piscicultura, mas para experts na pior e mais indecente forma de fazer política que caracteriza até aqui os nove anos de lulismo.

No caso específico de Crivella, o Ministério serve de isca podre para as eleições municipais paulistanas, coisa de peixe graúdo, e para tapear os ferozes e insaciáveis barracudas da bancada evangélica ─ que reúne as figuras mais diabólicas do jogo político contemporâneo.

Mesmo sendo uma excrescência, o uso permanente do Ministério da Pesca e Aquicultura pela presidente Dilma como peão de sacrifício no xadrez imundo do tabuleiro da base aliada é uma ofensa às criaturas marinhas ─ e a todos que não respiram bem nesse mar de lama.

20/06/2010

às 20:00 \ Sanatório Geral

Quadrilha da sacolinha

“Aos pastores estaduais, vou dizer uma coisa para vocês; se vocês não imprimirem, se vocês não colocarem esse ritmo de trabalho aqui, eu vou visitar, sem falar com vocês, e, se eu encontrar o povo frio, a igreja vazia, a cabeça de vocês vai rolar”.

Romualdo Panceiro, n° 2 da Igreja Universal, no vídeo divulgado pela Folha, ameaçando castigar os pastores que não atingirem as metas estabelecidas pelo plano de vendas de lotes no céu, confirmando que se todos os bandidos brasileiros que lucram em nome de Deus forem submetidos a julgamento o Dia do Juízo Final não vai terminar em menos de 50 anos.

28/04/2010

às 18:43 \ Sanatório Geral

Cumplicidade premiada

“A palavra de um delator deve ser tomada com muita reserva”.

Antônio Sérgio Altieri de Moraes Pitombo, advogado da Igreja Universal, na mira da Justiça pela remessa ilegal ao exterior de R$ 400 milhões, ensinando que só ganha vaga no céu quem não abre o bico sobre as bandalheiras promovidas pela turma da sacolinha.

15/04/2010

às 18:15 \ Sanatório Geral

Vagas no céu (4)

“A gente viu aí tantos países quebrando, não é verdade?, com a crise, e graças a Deus a campanha de fé de Isaac, que nós fizemos, funcionou porque o Brasil não quebrou. Em toda parte do mundo, a gente vê o Brasil sendo elogiado, o espírito da crise foi amarrado. Você está vivendo uma crise, faz uma prova com Deus e sua vida nunca mais será a mesma”.

Romualdo Panceiro, o número dois da Igreja Universal, explicando em um novo vídeo, postado no blog de Edir Macedo, que o Brasil só saiu da crise econômica de 2008 graças à fé inabalável dos bispos da seita e à movimentação financeira resultante da venda de moradas no céu.

15/04/2010

às 0:55 \ Sanatório Geral

Vagas no céu (3)

“É uma interpretação equivocada de um trecho isolado do seu contexto geral”.

Igreja Universal, na nota sobre o vídeo em que o bispo Romualdo Panceiro ensina a turma a encher a sacolina mesmo em tempos de crise e recomenda que todos sejam cúmplices de bandidos, explicando que tudo fica diferente visto pelos olhos de quem sabe que a morada é do Senhor e de quem mais puder pagar.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados