Blogs e Colunistas

Fernando Haddad

09/09/2014

às 14:56 \ Opinião

‘O silêncio de Lula’, de Marco Antonio Villa

Publicado no Globo desta terça-feira

Na história republicana brasileira, não houve político mais influente do que Luiz Inácio Lula da Silva. Sua exitosa carreira percorreu o regime militar, passando da distensão à abertura. Esteve presente na Campanha das Diretas. Negou apoio a Tancredo Neves, que sepultou o regime militar, e participou, desde 1989, de todas as campanhas presidenciais.

Quando, no futuro, um pesquisador se debruçar sobre a história política do Brasil dos últimos 40 anos, lá encontrará como participante mais ativo o ex-presidente Lula. E poderá ter a difícil tarefa de explicar as razões desta presença, seu significado histórico e de como o país perdeu lideranças políticas sem conseguir renová-las.

» Clique para continuar lendo

02/08/2014

às 9:33 \ Sanatório Geral

Caso de polícia

“Fiz um acordo antes das eleições com o PP. Eu preciso do Ministério das Cidades para que a habitação saia do papel”.

Fernando Haddad, prefeito de São Paulo, de volta da segunda temporada de férias em um ano e meio de mandato, ao tentar justificar irregularidades na Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab) que envolvem delinquentes filiados ao PP, confirmando que a aliança entre a companheirada e a turma de Paulo Maluf vai resultar num extraordinário aumento da representação brasileira na lista dos procurados pela Interpol.

01/08/2014

às 20:28 \ Homem sem Visão

Fernando Haddad conquista o troféu de julho e dedica a vitória à primeira-dama

haddad-hsv

“Dedico este troféu tão honroso à minha querida esposa Ana Estela”, emocionou-se Fernando Haddad ao ser oficialmente informado da conquista do título de Homem sem Visão de Julho. “A primeira-dama vive me lembrando a meta mais importante do programa de governo: colocar a vida familiar sempre acima da vida de prefeito”, prosseguiu o campeão, que antecipou o retorno ao Brasil para participar da festa de premiação. “Foi por isso que instituí as férias de seis em seis meses para o prefeito, o regresso obrigatório ao lar às seis da tarde nos dias úteis e a interdição do prédio da prefeitura nos fins de semana, feriados e dias santos”.

» Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

31/07/2014

às 19:05 \ Homem sem Visão

O segundo turno acaba nesta sexta-feira, leitores-eleitores. Que vença o pior!

boopo chuva sapos hsv

28/07/2014

às 16:37 \ Homem sem Visão

Aldo Rebelo, Fernando Haddad, Henrique Alves, Felipão, Moreira Franco e Renan Calheiros brigam na enquete pelo troféu

Começou a votação na enquete que apontará o ganhador do título de Homem sem Visão de Julho. Inscritos voluntariamente ou por determinação dos leitores-eleitores, seis feras estão na disputa.

Aldo-Rebelo

» Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

23/07/2014

às 13:30 \ Direto ao Ponto

Se aparecer no local de trabalho com mais frequência, Haddad será lembrado para sempre como o pior prefeito da história

Fernando-Haddad

Há um ano e meio no cargo, o prefeito Fernando Haddad acaba de conceder-se o segundo período de férias. Em outubro, foi festejar o aniversário de casamento na Itália. Nesta semana, refugiou-se em algum canto do mundo para convalescer do divórcio litigioso noticiado pelo Datafolha: quase metade do eleitorado de São Paulo nem quer conversa com o encarregado de administrar a maior metrópole brasileira.

Foi uma ruptura e tanto: segundo a pesquisa que o Ibope ainda não teve tempo de retocar, 47% da população acha “ruim” ou “péssimo” o desempenho do prefeito. Só dois antecessores conseguiram ir mais longe que Haddad em 18 meses de governo: Jânio Quadros (66%, em 1987) e Celso Pitta, que em 1998 embolsou a medalha de prata com 54% de desaprovação.

O Datafolha também constatou que o prefeito percorre a rota do naufrágio mais pelo que andou fazendo e menos pelo que deixou de fazer. Os insatisfeitos com Haddad pouco se importam, por exemplo, com o sumiço do Arco do Futuro, codinome do colosso de “intervenções urbanas” que fariam de São Paulo uma Paris com pastel e caldo de cana. A imensidão de indignados é fruto das sucessivas demonstrações de incompetência político-administrativa.

Os 47% de impopularidade se devem às faixas exclusivas semidesertas, às linhas de ônibus que desaparecem misteriosamente da noite para o dia, aos paquidermes sobre rodas em acelerada decomposição, à subordinação aos “movimentos sociais” (sobretudo ao liderado por Guilherme Boulos e sua trupe sem-teto armada de telefones celulares), à transformação das principais avenidas em parque de diversões em poder dos black blocs, à expansão da Cracolândia e a tantos outros monumentos ao amadorismo amalucado. Sempre que a luz acesa no poste instalado por Lula na prefeitura informa que vem aí mais uma ideia, a cidade se prepara para outro curto-circuito.

Jânio e Pitta são concorrentes respeitáveis, mas Haddad não demoraria a derrotá-los se aparecesse com mais frequência no local do emprego. Ele chegou aos 47% trabalhando só em dias úteis, reservando todas as noites ao convívio com a família e saindo de férias quando lhe dá na telha. Caso se livre da laborfobia, a produção de projetos e ideias lhe permitirá superar, antes que o mandato chegue ao fim, o recorde estabelecido por Jânio há 27 anos.

A façanha eternizará o companheiro trapalhão na memória paulistana como o pior prefeito da história. Não é pouca coisa.

23/07/2014

às 11:46 \ Opinião

‘Paulistanos ingratos’, editorial do Estadão

Publicado no Estadão desta terça-feira

Ao transformar a cidade de São Paulo em um laboratório de experiências esdrúxulas e marqueteiras, o prefeito Fernando Haddad demonstrou, em menos de dois anos de gestão, que não governa para todos, mas apenas para grupos minoritários estridentes, e que se preocupa somente com os eventuais ganhos eleitorais de suas decisões. Como resultado, Haddad é considerado um mau prefeito por nada menos que 47% dos paulistanos, segundo a mais recente pesquisa Datafolha sobre a qualidade de sua gestão.

Com esse índice, Haddad passou a fazer companhia aos piores prefeitos que São Paulo já teve desde a redemocratização do Brasil. Ele não está muito longe, por exemplo, de Celso Pitta (1997-2000), cuja administração, após 1 ano e 6 meses, foi considerada ruim ou péssima por 54% dos paulistanos. Como os paulistanos hão de se recordar, Pitta foi aquele prefeito que chegou a ser afastado do cargo em razão de denúncias de corrupção e que destroçou as finanças do Município.

» Clique para continuar lendo

22/07/2014

às 19:15 \ Opinião

José Nêumanne Pinto: Fernando Haddad é a mais nova unanimidade paulistana

Em sua coluna Direto ao Assunto, veiculada pela Rádio Jovem Pan, o jornalista José Nêumanne Pinto comenta o alto índice de rejeição de Fernando Haddad, atualmente em 47%. De todos os prefeitos de São Paulo, o petista perde apenas para Jânio Quadros, que atingiu 66%, e Celso Pitta (54%). Confira:

19/07/2014

às 14:44 \ Sanatório Geral

Poste abandonado

“Eu, às vezes, estou no carro e xingo ele. Fico vendo a faixa vazia e xingo. Posso xingar porque estou de carro. Agora, quem está dentro do ônibus, quem está ganhando 40 minutos por dia para chegar em casa, não está defendendo ele. Precisamos explicar para a população o que está acontecendo”.

Lula, ao confessar que está entre os 47% de moradores de São Paulo que, na pesquisa Datafolha, qualificaram de ruim ou péssima consideram a gestão do prefeito Fernando Haddad.

17/07/2014

às 20:23 \ Sanatório Geral

Poste valorizado

“Se eu pudesse, teria o presidente todos os dias conosco, porque ele sempre valoriza as ações da prefeitura”.

Fernando Haddad, explicando que é por valorizar demais as ações do poste transformado em gerente da maior metrópole brasileira que Lula participou pela primeira vez desde o dia da posse de um ato público ao lado do prefeito.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados