Blogs e Colunistas

Casa do Characulum

26/02/2012

às 22:31 \ Feira Livre

Deonísio da Silva enquadra Celso Amorim

Reproduzo aqui na Feira Livre o recado do meu velho amigo Deonísio da Silva.  Já registrei faz tempo que, para a coluna, ter um grande escritor como titular do timaço de comentaristas é uma honra e um privilégio. Os dois parágrafos do texto confirmam que não exagerei (AN)

Augusto, você tem criado aqui expressões da Casa do Characulum, mastro em latim. Nas antigas naus havia acima do cesto da gávea a casa do characulum. Para lá era mandado o marujo preguiçoso, inconformado em fazer tantos trabalhos a bordo, como os de limpeza das naus, por exemplo. Na casa do characulum, o vagabundo sofria frio ou calor, dependendo do tempo, estava exposto a vento, tempestade, sol escaldante, chuva etc. E comia alguma coisa apenas quando alguém lá subisse levando um pouco de comida. Era um lugar de sofrimento e foi dali que o Brasil foi descoberto: Terra à vista, gritou o marinheiro que no dia 22 de abril de 1500 tinha sido mandado para a Casa do Characulum. Como Characulum era pronunciado “caráculo” pelos portugueses, e depois “caralio” e “caralho”, a expressão de ofensa ganhou e consolidou a seguinte forma: casa do caralho, que originalmente não foi palavrão.

Desde os tempos em que Celso Amorim dirigia a Embrafilme, o que abortou minha incipiente carreira de roteirista de cinema, pois meu nome teve de ser retirado de um filme premiadíssimo, porque o roteirista cumpria pena sob sursis, condenado pela Lei de Segurança Nacional e Lei da Imprensa combinadas, porque eu escrevera um artigo considerado ofensivo à moral e aos bons costumes (era, então, um bom costume proibir autores e livros…), tenho vontade de mandar o indigitado ministro pra lá. Mas você já o fez no artigo aqui pertinentemente republicado. É simplesmente uma tristeza escolher ministros abaixo de mínimos critérios que possamos respeitar. Por último, como gosto de etimologia, lembro que Amorim, desde a Idade Média, significa Amorzinho.E Celso quer dizer elevado, alto. Rapaz, o homem é um paradoxo até no nome!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados