Coluna Augusto Nunes

Augusto Nunes

Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido.

sobre

Colunista de VEJA.com, colaborador da edição impressa e apresentador do Roda Viva. Foi redator-chefe de VEJA e diretor de redação das revistas Época e Forbes e dos jornais O Estado de S. Paulo, Jornal do Brasil e Zero Hora. Autor do livro 'Minha Razão de Viver - Memórias de Samuel Wainer'.

  • De volta ao lar

    Por: Augusto Nunes

    “Este 2015 foi um ano muito duro”.

    Dilma Rousseff, em artigo publicado na Folha no primeiro dia de 2016, sem explicar por que ainda não aceitou a demissão, já endossada por mais de dois terços dos brasileiros, que a livraria do emprego tão cansativo.

    Voltar para a home
    TAGs:

    Comentários

    Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

    Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

    *

    1. delmo oliveira

      Caro Augusto;
      Quem mandou dizer:”Na hora da eleição se pode fazer o diabo.” Não, não e não, agora o moço do tridente cobra sua parte nas mentiras ditas durante a campanha para perpetuar o tal projeto bolivariano de poder. Vamos no dia 13 de março mostrar nossa indignação com essa petezada. PT NUNCA MAIS!!!

    2. Marquês de Casca Fina

      Foi duro mesmo. De lascar.
      E enquanto ela não desocupar o trono ficará pior. Muito pior.
      Ou ela sai do trono, ou o Brasil vai feder cada vez mais.
      A esperança virou excremento.

    3. RONALDE

      Ela que se prepare para 2016……

    4. Jacinto Aquino Rego

      Duro igual a uma MANDIOCA BRAVA que ela adora IDOLATRAR kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    5. santos

      nós temos que tirá-la, porque sair ela não sai, o PODER é bão demais !!!!!

    6. RedFox

      Dona Dilma não completou a frase. Era longa demais para ela, e assim a dama esqueceu o adjunto adverbial e o complemento definidor do objeto. O que ela queria dizer é que: “Este 2015 foi um ano muito duro, ispecialmeinte procêis, rárárá…”

    7. Walter CWB

      90% da dureza mencionada foi causada por ela mesma, devido à falta de cérebro e escrúpulos. 10% é pela incompetência mesmo.

    8. Dexter

      Duro para quem, dona cínica?
      Duro para quem paga aluguel, plano de saúde, escola, alimentação do próprio bolso, não para quem gasta R$ 35.000,00 reais do bolso dos otários que pagam a conta da esbórnia em só UMA diária em NY, ou R$ 3600,00 para o japa fazer um “escova” para a bruxa aparecer na televisão e continuar a mentir tentando enganar mais quem?????

    9. fortruth

      Problema nenhum. Pede pra sair. Já vai tarde e fará um favor pra nação.