Blogs e Colunistas

16/11/2011

às 5:22 \ Sanatório Geral

Complemento salarial

“O ministério não remunera seus servidores no mesmo nível de uma multinacional.”

Aldo Rebelo, ministro do Esporte, explicando para que servem os convênios com ONGs de estimação.

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

16 Comentários

  1. Vanderlei

    -

    16/11/2011 às 23:03

    Então, tá. já que não pagam um bom salário, vamos avançar no cofre público.
    Eu já sabia. Trocaram a coleira ou ainda, trocaram as moscas.

  2. André

    -

    16/11/2011 às 19:55

    o comunista capitalista é um comediante de quinta categoria , eu to com tanta peninha dos servidores , coitadinhos ! hahahaha. eles ganham salário minimo ? ! ahh , fala sério ! os servidores não trabalham , não fazem nada de produtivo para o país . o bando quer mamar na teta gorda do governo. o aldo rebelo é um imbecil , só fala asneira . eu garanto que a patota ganha muito bem . as multinacionais tem criterios nas contratações , eles contratam funcionarios qualificados e as multinacionais demitem sem nenhuma piedade qualquer funcionario que comete algum crime . o governo adora apoiar corruptos

  3. Dirceu Inacio

    -

    16/11/2011 às 15:41

    É! Só que a macacada gosta mesmo é de mamar nas têtas
    macias da vaquinha mimosa do governo.
    Que tal um concurso público para o preenchimento das
    vagas? Não é uma boa idéia?

  4. Malur

    -

    16/11/2011 às 15:39

    Eis aí, dada e referendada, a licença para roubar. Dizer mais o quê?

  5. fpenin

    -

    16/11/2011 às 13:19

    Augusto,
    Já sinto o clima de Natal. Que tal uma vaquinha para ajudar essa turma mal remunerada? Dá uma peninha…

  6. carlos

    -

    16/11/2011 às 13:06

    Isso só pode ser piada. Se o ministério fosse uma multinacional, ele funcionaria. Teria um quinto de funcionários e produziria dez vezes mais. Quase a totalidade dos servidores seriam demitidos e jamais, jamais mesmo, pessoas como a antigo e atual ministro seriam contratados.
    Conta outra camarada.

  7. V.H.

    -

    16/11/2011 às 12:39

    Não há ninguém mais capitalista que um comunista no poder.

  8. fpenin

    -

    16/11/2011 às 12:13

    Augusto,
    No último Canal Livre, Aldo pisou na bola várias vezes, ao chamar Dilma de presidente.Está correto, Aldo, mas áulico tem de falar segundo o dilmês. Em tempo: excelente a participação de Eliana Calmon no programa Roda Viva desta segunda-feira. Aos poucos aparecem nomes decentes: Eliana, Beltrame, etc. A safra é pequena, mas é melhor que nada.

  9. PAPAGAIO

    -

    16/11/2011 às 11:40

    ….LÓGICO NÉ SEO ARDO, REMUNERAR MELHOR COMO, NÉ?????
    SE NÃO SOBRA DIM DIM.
    ELE É TODO SURRUPIADO POR ÊSSE MINISTROS CORRUPTOS.
    COMANDADOS POR UMA CHEFE QUE NÃO ENTENDE DE NADA.

  10. arilson sartorato

    -

    16/11/2011 às 10:58

    LEMBRANDO PARA QUE ENTRAR NUMA MULTICIONAL, TEM QUE TER CAPACIDADE,FICHA LIMPA, TER DECORO, E ACIMA DE TUDO, SE COMETER ALGUM DESLIZE É SUMÁRIAMENTE DEMITIDO SEM DELONGAS.

  11. Petista arrependido

    -

    16/11/2011 às 10:54

    Augusto,
    Nessa o Rebelo foi bem didático.
    Como não pode remunerar os servidores no nível de diretor de multinacional,a complementação salarial tem de vir de ONGs fantasmas!!!

  12. CarmemK

    -

    16/11/2011 às 10:27

    Santa coerência, Batman!! Desde quando comunista se preocupa com isto?
    E nos países de primeiro mundo, quanto ganha um alto funcionário? Certamente a proporção é a mesma. Cargo público a nível ministerial não é emprego, pois que me conste, não há relação trabalhista como no emprego formal. As pessoas que são escolhidas para estes cargos, o são pelo notório conhecimento na área de atuação – claro que continuo falando de países sérios…
    Já no Brasil…a relação também não é trabalhista, mas como em geral tem sido usada como cabide para os cumpanhêro, aí está a justificativa para a roubalheira. Agravada pela quantidade de escalões onde é possível ter acesso sem concurso público, pois 100% destes energúmenos não teria capacidade intelectual para ser aprovado.
    Só esta declaração infeliz já deveria ligar as antenas do país que presta, pois ele está anun ciando que a festa vai continuar!

  13. Markito-Pi

    -

    16/11/2011 às 9:50

    MulinacionAIS ( E NACIONAis)REMUNERAM MUITO MELHOR, PORQUE OS PROCESSOS DE SELEÇÃO DOS PROFISSIONAIS SÃO RIGOROSÍSSIMOS. é EXIGIDA COMPETENCIA.Já nos ministérios,a remuneração é muito superior à qualidade dos ministros e apaniguados. Num ministerio petista a unica exigencia é a oligofrenia, como a deste idiota do esporte.

  14. rita

    -

    16/11/2011 às 9:10

    É mesmo?
    Puxa…E ralam tanto
    para entrar no serviço
    público.É amor ao sofri-
    mento ?

  15. Nuno Alves

    -

    16/11/2011 às 8:03

    Aldo Rebelo está tendo a grande chance em sua vida de emporcalhar sua biografia como o fizeram seus camaradas. É duro aguentar o fascínio que poder provoca.

  16. Siará Grande

    -

    16/11/2011 às 7:51

    Afinal, caro Rabello, a cumpanhêrada é contra ou a favor do grande capital? Na hora de falar, Vocês são contra. Na hora de faturar Vocês querem ser iguais, inclusive desprezam o SUS em favor do hospital da Zellite. Não entendo mais nada, pois pensava que a cumpanhêrada queria assumir o poder para trabalhar de graça pelo bem do prolletariado.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados