Roberto Pompeu de Toledo: ‘Caro Golpista’

Publicado na edição impressa de VEJA ROBERTO POMPEU DE TOLEDO Você que foi à manifestação da Avenida Paulista e pediu intervenção militar, vamos lá, raciocinemos juntos. Intervenção militar precisa de militar, certo? Veja o que disseram os comandantes militares à coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo. O comandante da Marinha, almirante Júlio Soares […]

Publicado na edição impressa de VEJA

ROBERTO POMPEU DE TOLEDO

Você que foi à manifestação da Avenida Paulista e pediu intervenção militar, vamos lá, raciocinemos juntos. Intervenção militar precisa de militar, certo? Veja o que disseram os comandantes militares à coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo. O comandante da Marinha, almirante Júlio Soares de Moura Neto: “Os militares estão totalmente inseridos na democracia e não vão voltar. Isso eu garanto”. O comandante da Aeronáutica, Juniti Saito: “São coisas de extremistas. (…) não há a menor chance de essas ideias evoluírem”. O comandante do Exército, Enzo Peri: “Nós vivemos há muitos anos em um ambiente de absoluta normalidade”. O.k., mas imaginemos que em algum momento esses comandantes mudem de ideia, ou que outros venham a sobrepujá-los e aceitem aderir à sua proposta. Um golpe precisa de uma justificativa, não é verdade? O que temos à frente do país é um governo legitimamente reeleito, ainda que por pequena margem. Sim, é um governo incompetente, que levou a economia ao fundo do poço, teve medíocre desempenho na educação e na saúde, só fez trapalhadas na infraestrutura e, para culminar, se vê enredado num escândalo de corrupção gigante. Mas as instituições funcionam, em primeiro lugar as encarregadas de apurar as roubalheiras, e não há sinal de motins dentro das Forças Armadas, como em 1964. O.k., se você insiste, continuemos – mesmo assim o golpe é desfechado e instala-se a ditadura.

O quê? Será que ouvi bem? Você diz que a intervenção é “só” para afastar o atual governo, não para implantar a ditadura? Em 1964 havia também esse argumento. Mas vamos lá: depois de afastar o governo, o que se faz? Ahn? Ah, entendi: convocam-se novas eleições, você diz. Nesse caso, abrem-se duas alternativas: ou se restauram completamente as liberdades democráticas, e nesse caso o partido deposto pode participar da nova eleição, ou se restauram pela metade, e ele é proibido de participar. Se lhe é permitido participar, é grande a chance de ganhar, e desta vez ganhar com ampla vantagem, fortalecido pela aura de vítima. Lembre-se do que ocorreu na Venezuela, com o ridículo golpe desfechado contra Chávez em 2002. Foi a partir daí que ele cresceu, ganhou crescente confiança, arrebatou multidões e acabou por projetar sua sombra por cima das instituições do país. Pela segunda alternativa, propõe-se uma eleição viciada. É imperativo que as forças democráticas, inclusive da oposição, se recusem a participar de tal farsa. Inviabiliza-se a saída eleitoral. Os militares anunciam que governarão eles mesmos. Fecham o Congresso, censuram a imprensa, prendem opositores. No dia seguinte…

Não, nem será preciso esperar o dia seguinte. No mesmo momento, pela internet e pela televisão, a imagem de um general de óculos escuros sintetiza os acontecimentos no Brasil. Uma risada universal explode em resposta. Você se lembra do Bananas, de Woody Allen? Mas isso não é o pior. Seguem-se os pedidos de boicote ao Brasil pela quebra da ordem democrática. O governo dos Estados Unidos anuncia a reavaliação das relações. Países europeus chamam seus embaixadores para consultas. Dezenas de países decidem não participar da Olimpíada do Rio de Janeiro. O movimento cresce, e os Jogos são cancelados. Cineastas recusam-se a ceder seus filmes para a mostra de São Paulo e escritores recusam-se a vir para a Flip.

Enquanto isso ocorre no plano externo, no interno os novos donos do poder enfrentam dificuldades. Por mais que prendam, torturem e silenciem, não conseguem conter os desafios. Goste-se dele ou não, o partido alijado do poder tem raízes profundas na sociedade. Sucedem-se as greves, que, quanto mais reprimidas, mais se multiplicam. Manifestações de rua afrontam as proibições e são engrossadas mesmo pelas forças democráticas que se opunham ao governo deposto. Mais grave é o que acontece no campo. Movimentos sociais se transmudam em forças de guerrilha. Quem temia o fantasma da Venezuela tem agora pela frente o fantasma da Colômbia. A situação se agrava, e a unidade militar, que nunca fora tão unida assim, se rompe. Nesse ponto ou eclode uma guerra civil, o país se incendeia e as ruas se juncam de cadáveres…

…ou o amigo golpista acorda, recolhe sua faixa e toma juízo. Deixe de ser besta, cara. Se você quer fazer oposição ao governo, está marcando gol contra.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    fernando

    Bom texto!
    Militar não é feito para resolver a incompetência civil.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Ivan, o Terrível

    Par que intervenção militar? O PT está se auto-destruindo! Vai demorar um pouquinho, mas em breve estará no caixão.

    Curtir

  3. Comentado por:

    wendel cerutti

    resumindo ,estamos fritos ……….

    Curtir

  4. Comentado por:

    Thogu

    Deixa como está, pra ver como é que fica….

    Curtir

  5. Comentado por:

    Marcos

    O problema do Brasil é que os políticos corruptos não cumprem as penas que deveriam. Corrupção deveria dar no mínimo 30 anos de cadeia. Crime hediondo. Agora o PT diz que vai expulsar os que fazem parte do partido que participaram de corrupção. kkkkkkkk. Expulsaram o Zé Dirceu , o Genoíno e outros???? Não. Foram tratados como heróis. Mais uma mentira do PT para sair pela tangente. Quando o Lula for pra cadeia eu começo a acreditar na justiça brasileira.

    Curtir

  6. Comentado por:

    Marco

    Quando o Exército entrou no governo em 64, eu tinha 11 anos, quando saiu em 87, 34 anos. Não vi nada disso que foi mencionado nesse texto, acontecer. Em 64 o Brasil sofreu retaliação mundial? Os embaixadores foram chamados de volta aos seus países, cancelar as Olimpíadas, quanto mais rápido melhor. Mas não se preocupem, as Forças Armadas não querem voltar, estão bem adaptados aos novos tempos.

    Curtir

  7. Comentado por:

    Bee

    Eu estava na paulista, posso assegurar que o grupo que manifestava o desejo pela volta dos militares, além de absoluta e ridiculamente pequeno, foi devidamente rechaçado pelos manifestantes pelo “fora dilma, fora lula e fora pt”. Valorizar a presença daqueles brasileiros equivocados é fazer o jogo da canalha.

    Curtir

  8. Comentado por:

    Paolo

    NÉ claro que o blog não é obrigado a dar publicidade aos desabafos de malvados anti-petistas! Todavia, parece-me, que por serem visceralmente contrários à ditadura militar implantada em 64 (tempo esse que, aliás, não vivi), faz com que não percebam que estamos sendo paulatinamente levados a uma pseudo-democracia, parecida com aquilo que vigora na Venezuela!!! Não percebem que o cerco está se fechando? Isso é ruim, principalmente para aqueles que não gostariam de vender suas consciências a estúpidos bolivarianos!!! Agora, se vocês acham que isso é muito “radical”, o que me dizem das declarações de Aécio a Roberto D’Ávila? Aécio percebeu do que se trata! Parece que vocês, pelo contrário, têm ilusões demais com relação às intensões do PT e asseclas!!!!
    Paolo Hemmerich

    Curtir

  9. Comentado por:

    Francisco Cesar

    Excelente Matéria.
    Temos que lutar contra o desgoverno Corrupto do PT pelas vias LEGAIS E DEMOCRATICAS… Jamais deveremos retroceder.

    Curtir

  10. Comentado por:

    Renata Daniel

    Augusto,
    Também não sou a favor de uma intervenção militar.
    Mas, não é disso que se trata. Trata-se de querer se apropriar de um movimento de indignação e repúdio ao PT, que é legítimo, e de TODOS QUANTOS QUEIRAM SE MANIFESTAR !
    Se, os próprios chefes das FAs, já declararam que são contra, é mais um motivo, para não tolhir nem reprimir,ninguém que esteja contra o PT.
    Nunca é demais lembrar, que o PT, abriga sob sua bandeira, bandidos de todos os matizes e facções, SEM distinção.
    A fragmentação e a cisão, só fortalecem o PT, que é o adversário a ser batido e que à essa altura, deve estar rindo das nossas caras, junto com os militares !

    Curtir

  11. Comentado por:

    Claudio

    Caro Roberto Pompeu de Toledo. Primeiramente, NAO FOI SOLICITADA INTERVENCAO MILITAR na manifestacao de sabado 29/11. Eu estava la!
    Visto que a pilastra mestra do seu TEXTO e uma INVERDADE, voce teria algo mais a falar para que clamam nas ruas por moralidade nas atividades petistas enquanto governo?

    Curtir

  12. Comentado por:

    Marco

    Sr. Roberto Pompeu de Toledo. Em primeiro lugar, com urna eletrônica qualquer um ganha eleição, quero ver ganhar no papel. Em segundo lugar o estado está aparelhado sendo assim as instituições só funcionam para inglês ver. Em terceiro lugar numa eleição honesta com certeza o PT estaria derrotado. Não sou intervencionista, mas também não sou burro.

    Curtir

  13. Comentado por:

    Gerson (PR)

    Estou com Santeófilo, comentarista dos mais lúcidos. Vamos continuar digitando os números de nossos candidatos nessas urnas eletrônicas made in Venezuela, democrática e pacientemente. Quem sabe lá para 2054 elas deem tilt e filho do Aécio seja eleito. Ficarei muito feliz então, mas aos 93 anos minha comeração terá que ser bem moderada…
    Seriamente agora, alguma coisa tem que ser feita – e isso depende apenas de nós, cidadãos. Não podemos incentivar César a atravessar o Rubicão.

    Curtir

  14. Comentado por:

    Gerson (PR)

    comemoração…
    Ceterum censeo petralios esse delendos.

    Curtir

  15. Comentado por:

    helio

    Eu acho interessante, o cidadão “usa” a democracia pra votar e depois quando esta discontente quer que os militares tomem o poder. Aprendam a votar e deixem de falar besteiras.

    Curtir

  16. Comentado por:

    sergio

    Infeliz seu primeiro parágrafo.Discordo totalmente quando se fala em governo “legitimamente eleito” ,pois foi uma FRAUDE,tudo menos eleição ;sem contabilidade e possibilidade de conferência dos votos.Não chame isso de eleição,sim de CRIME.

    Curtir

  17. Comentado por:

    Alex Wie

    Estes malucos, que pedem intervenção militar, não é muito diferente dos extremistas ptekhas,psolistas etc e etc, tudo um bando de jumento

    Curtir

  18. Comentado por:

    LABOR

    Augusto, a sua pergunta não faz muito sentido em relação ao que escrevi no comentário anterior e no que o antecede. Da forma como está fica parecendo que sou favorável ás intervenções militares, e não sou. No entanto, não posso deixar de afirmar que é a última opção democrática a ser adotada se esgotadas todas as outras. Mas o meu foco principal é a não distinção de uma intervenção de uma ditadura, colocadas quase sempre no mesmo saco, a exemplo do Pompeu, da Valentina e muitos outros. Não vejo nada de constrangedor, ruim , maléfico na aceitação de tão palpável diferença, a não ser que alguma animosidade esteja instalada . Creio que os comezinhos exemplos que forneci no primeiro comentário ajudam a entender a diferença. Quanto a sua
    pergunta a primeira opção você a tem em 1964. Outras existem: o vice-presidente, a indicação de um competente e conceituado político, a depender da situação reinante.
    Ora, , poderá você alegar: a democracia foi violentada. Qual nada, apenas foi pedido um tempo para debelar a doença de que era acometida, tempo esse diretamente proporcional ä gravidade da infecção. Doente recuperado, vida normal.

    Curtir

  19. Comentado por:

    João Leite

    O caso do Brasil não é intervenção militar mas. Impeachment pelo congresso nacional. Motivos sobram para o impeachment. Doze anos de corrupção ativa e passiva e o povo calado. Tem que ir as ruas sim e exigir ação do congresso nacional.

    Curtir

  20. Comentado por:

    Hipócrates Viana

    Este texto deveria ser ampliado adequadamente e afixado ao lado de todos os panfletos que aparecerem pedindo intervenção militar. Lido após a leitura do panfleto, o leitor rasgará automaticamente o panfleto. Funcionará como uma vacina. Para essa ideia de intervenção, a matemática diz: “para todo problema sempre existirá uma solução rápida e errada”.

    Curtir

  21. Comentado por:

    jo oliveira

    O que percebo e sinto é que a dilma não tá nem aí para a Constituição. Já tem sob controle o STF o TSE o judiciário, o congresso em sua maioria e a grana para continuar roubando e comprando os aliados. Ainda bem que morro logo para não ver seus filhos em uma ditadura do proletariado sendo odiados pela zelite do luladrão, a madame Mim, e a facção criminosa. FIM.

    Curtir

  22. Comentado por:

    Pereira Passos

    Ao querido amigo Labor:
    “Todo o poder emana do povo e em seu nome é exercido”.
    Sob uma leitura oblíqua, exatamente esse trecho da Constituição foi usado pelo PT para enfiar goela abaixo o famigerado Decreto 8243 para instituir os conselhos populares na administração pública – uma espécie de “soviet” tupiniquim, aqui representados na prática pos movimentos sociais.
    Estava em curso um golpe contra as instituições constitucionalmente estabelecidas.
    Ora, conselhos populares sob a batuta do PT não representam o povo. Representam uma parcela dele, nada mais que isso.
    Pois é… militares representam uma parcela do povo, nada mais que isso.
    O fato é que a Câmara enterrou o monstrengo, curiosamente imediatamente após as eleições – políticos sabem interpretar recados de urnas e das ruas…
    Tudo feito como manda o figurino: dentro das regras do jogo democrático e, mais que tudo, dentro da lei!
    Amigo, intervenção militar é absolutamente ilegal. Agir contra quem descumpre a lei exige necessariamente o fiel cumprimento da lei.
    Não se combate bandidos com ações ilegais. O cargo de fora-da-lei neste país tem assento exclusivo reservado. Para eles!

    Curtir

  23. Comentado por:

    João pinto

    Acho que alguns de vocês vivem num universo paralelo. Devem achar que as instituições brasileiras ainda funcionam.
    Acho que alguns de vocês continuam estacionados nos anos 60.

    Curtir

  24. Comentado por:

    Freed

    Senhor Roberto Pompeu de Toledo. A eleição foi fraudada, e seu artigo como posto também é uma fraude. A pior parte do artigo é a que diz que o partido deposto tem raízes profundas na sociedade(hahahahahah). E o resto da população, que é muito maior que os militontos do PT? Você não falou nada que o restante da população é muito maior e que tem raízes mais profundas na sociedade do que o PT. Entende sr. Roberto, que somos a imensa maioria, e não somos semvergonha como a escória petista.Desta vez, seus texto foi muito infeliz, espero que converse e veja de perto o sentimento de quem está nas manifestações.

    Curtir

  25. Comentado por:

    Luis Machado

    Evolução, e não revolução. Quando a nação vai entender? Culpo mais os eleitores ausentes que os débeis que manejados que re-reconduziram a quadrilha.

    Curtir

  26. Comentado por:

    SidneyCWB

    Instituições estão “firmes”? Não. Ao fim deste mandato o STF estará totalmente dominado pelo PT. Congresso? Comprado e agora chantageado explicitamente. Executivo? Totalmente tragado pela esquerda, desde o mais alto ao mais baixo escalão. Estatais como filiais do partido. Imprensa quase que totalmente cooptada e a que não está, sendo fortemente agredida. E, a cereja do bolo, fraude nas eleições. Não vejo por onde nós possamos combater este mal com a Constituição nas mãos contra literais guerrilheiros. É o mesmo que enfrentar bandidos armados com estilingue.
    E quando conseguirem calar a imprensa que presta? E quando o STF não mais nos proteger? E quando o Congresso já estiver totalmente cooptado? Quem nos irá salvar?
    Ou a proposta seria esta mesmo? Irmos para o abatedouro quietos, silenciosos e conformados? Não sr. Roberto Pompeu. Desculpe-me mas acho que a situação JÁ passou do ponto em que a “briga” vai ser resolvida com belas palavras no Congresso. Estamos à beira de nos tornar uma segunda Venezuela. Quando este próximo mandato de Dilma terminar já estaremos lá, pode acreditar. E o povo? Ah! o povo… Encheu as ruas em 2013, sem agenda, todos reclamando de tudo, sem objetivos claros e deixando a esquerda mais radical se apoderar de tudo. Desculpe, mas não vejo mais saída, só o aeroporto…

    Curtir

  27. Comentado por:

    Rogerio

    Parei de ler em “é um governo legitimamente reeleito”.

    Curtir

  28. Comentado por:

    Ivonete V. M da Silva

    Digamos que eu vivi a história do ponto de vista do povão.
    E a vida na época do governo militar era boa.
    Mas concordo com o prezado jornalista em gênero e grau, o povo brasileiro é pacifico, sendo assim ou muda no voto ou não muda nunca. Parabéns pelo seu artigo, “Estupendo””.
    Abraços

    Curtir

  29. Comentado por:

    Júnior

    Tenho 63 anos. Aos 9 , em 1960, via o repórter Esso na finada tv tupi e o telejornal Pirelli ancorado pelo jornalista Leo Batista na TV RIO.Me lembro muito bem da eleição presidencial de 1960, entre Lott, Janio Quadros e Adhemar de Barros. Em 1964 o Brasil era um circo,uma zona, no termo popular, falta de hierarquia nas forcas armadas, greves variadas inclusive de solidariedade.Me recordo muito bem que certo dia, minha mãe ao tentar fazer o café observou falta de gaz. Era uma greve da CEG aqui no RJ. Era o auge da guerra fria e a ameaça de um golpe de esquerda com inspiração cubana, que exportava sua revolução comunista pairava no ar. A revolução como se chamava na época golpe militar de 31/03/1964 nos livrou de nos tornarmos uma Cuba. Estes mesmos elementos que mataram, assaltaram bancos, explodiram bombas que mataram muita gente hoje posam de “anjos” vitimas da “opressão militar”. Digo que vivia muito, mas muito melhor do que hoje naquele tempo. Podia andar na rua altas horas da noite sem correr o risco de assaltos. A porta de meu prédio ficava aberta das assa manha as 10 horas da noite sem que ninguém entrasse para assaltar. Hoje e uma jaula, cercada de grades.Os melhores anos de minha vida foram de 1964 a 1975, todos que viveram este período sao unanimes de dizer que viviam muito melhor. Nao defendo um golpe para retirar esta quadrilha que assalta este infeliz brasil mas e um testemunho da vida que tive na “ditadura”. O pt deturpa, engana, mente descaradamente, distorce como se fossem donos da verdade . Queriam naquela época como querem agora, transformar este pais num lixo como Cuba, como se fossem arautos da moralidade. Só nao prendem,torturam e matam porque nao podem. Fariam tudo isto que condenam se tivessem o poder total. As eleições de 2014 provam isto. Pt , dilma,lulla sao como gigogas, filhos do esgoto, florescem na miséria na ignorância das pessoas. Sao tipos de gente, se e que podemos chamar assim, deploráveis, insignificantes, medíocres, verdadeiras nulidades. Chega de falar de coisa ruim.

    Curtir

  30. Comentado por:

    Klaus Klein

    Sr. Rogério, o governo de Cuba, da Coreia do Norte também é “democraticamente eleito”. Me lembrei também da Venezuela.

    Curtir

  31. Comentado por:

    Ademir

    Prezado Sr. Pompeu de Toledo, que simulacao mais patetica o sr. escreveu gastando valioso espaco de uma revista e seu precioso tempo com esse manifestante imaginario!
    Sera tao dificil perceber que um manifestante a favor de intervencao militar nao iria com carro de som e que o ato e tipico de quem visava desmoralizar a manifestacao? O sr. tambem esta marcando gol contra com este artigo.
    E o comandante militar dizendo da absoluta normalidade democratica que vivemos? E claro que ele deve dizer algumas mentirinhas devido a etica exigida nesse cargo. Mas o sr. acredita mesmo que estamos vivendo normalidade democratica?
    O legislativo sob as redeas do mensalao e uma normalidade democratica?
    O executivo, com todo o aparelhamento e desvio gigatescos de recursos publicos para corromper representantes do povo, e uma normalidade democratica?
    O supremo tribunal e uma normalidade democratica sr. Pompeu?
    Sera que eu estou tao cego assim?
    Que nacao com normalidade de intituicoes demoraticas o sr. conhece que suportaria pelo menos 10% disso que acontece no Brasil? A Alemanha, a Franca, Dinamarca, Japao, Suecia, EUA, … ?

    Curtir

  32. Comentado por:

    angelo

    Senhores, Ao ler os comentários sobre o texto do Sr.Pompeu,
    concordo plenamente com os dizeres dos colegas de blog abaixo
    Sr.Freed.:02/12/2014 :23:09 e do Sr.Ademir 06/12 13:44

    Curtir

  33. Comentado por:

    Anselmo Heidrich

    Não é justo atribuir à massa de manifestantes em várias cidades brasileiras pelo impeachment da presidente a pecha de ‘golpista’, mas eu concordo com o comentarista em criticar e chamar de ‘besta’ o saudosista do Golpe Militar. Claro que tem que se entender em que contexto ele ocorreu, mas cá entre nós, em termos práticos, a economia dirigida pelos militares foi um primor de estatismo de causar inveja ao mais histérico dos militantes comunistas, aquele personagem odiado justamente pelos manifestantes atuais. Então, se não há clareza de que rumo tomar, de que princípios defender e de que condições se pautar, corremos o risco, sério, de sermos reféns de uma Teoria da Ferradura, para a qual a extrema-direita não passa de uma contraparte da extrema-esquerda com clichês, refrões e ícones distintos, mas com métodos e práxis odiosamente iguais. Não sei se são só bestas, patetas ou covardes que inflamam as massas para depois se recolherem a sua segurança atrás de seus teclados raivosos…

    Curtir

  34. Comentado por:

    Cesar

    Não dá para esquecer. Aécio tinha 88% até as urnas do Amapá revelarem a maior fraude eleitoral que se tem notícia. Eleições compradas são como apanhar da polícia sem ter feito nada de errado. Impeachment já, se bem que duvido.

    Curtir

  35. Comentado por:

    Cristina Cardoso

    Em resumo, se o atual governo decidir fazer do País (livre) um País comunista, permitindo que nosso espaço aéreo seja aberto bem como não haja mais fronteiras, e que até haitianos estão recebendo bolso miséria (desculpe, família), se o País não consegue controlar a própria criminalidade, imagine desarmando os policiais, colocando em suas mãos armas de brinquedo, mandando o exército pra morrer nas favelas do RJ, e ai com tanto estrangeiro morando, entrando e saindo aqui, claro que sem identificação, pois vai virar a casa da mãe Joana, ninguém sabe quem matou ou roubou quem….Comunismo, é isso que o exército que brada pela Democracia quer, lógico. Pra eles está bem como está. Só que pensei, acho que não entendi bem quando estudei e li, aprendi, sobre o juramento que As Forças Armadas fazem quando juram a bandeira. De defenderem seu País e seu povo de inimigos internos e externos….devo ter me enganado! Parabéns PT, Parabéns Dilma, Lula, e afins…. Só tomem cuidado para não morrerem pela própria espada! Um governo que faz o que vcs fizeram e estão fazendo e que prometem fazer mais, de tudo o que de ruim possa existir, só merecem uma coisa….. (e a justiça de Deus, não falha)…

    Curtir

  36. Comentado por:

    aldo soares

    Está tudo nos conformes. Como quer a quadrilha no poder.Oficiais generais, comtes. da forças, têm status e são remunerados como ministros de estado,vão se rebarbar por quê?. E nem devem; devem sim!, deixar o circo pegar fogo e chamar o bombeiro ;a sociedade dita organizada: Oab,Une,Abi,Stf, Ongs…e tantos outros grupos que arrotam democracia em detrimento de seus interesses. Gato escaldado teme água gelada no lombo. E segue o velho caminhão estrada afora com o condutor de carteira vencida e comprada. Vamos chegar ao final do destino?

    Curtir

  37. Comentado por:

    Reinaldo

    Vejo sentido nas considerações. Acrescento que o pedido de “impeachment” da Dilma é conveniente ao PT. Porquê? Se a coisa crescer, o PT entregará a cabeça da Dilma (com o consentimento dela) em uma bandeja. O povo ficará feliz e voltará para casa com sensação de vitória. Uma peça será retirada do jogo e outra será colocada no lugar e o projeto de poder continua normalmente.
    Mas falar do problema não basta. VOCÊ TEM UMA PROPOSTA MELHOR DO QUE ESTÁ SENDO APRESENTADA?

    Curtir

  38. Comentado por:

    rex

    é tudo verdade…

    Curtir

  39. Comentado por:

    Déo

    Criticam muito as mortes que a ditadura praticou, concordo,
    mas meus amigos, e as mortes nas portas, nos corredores dos hospitais, nas ruas pela falta de segurança, isso e certo, é tolerável, é normal? Tenham paciência! Na ditadura, quem morria era quem se opunha à ditadura, hoje quem morre é o trabalhador, é o indivíduo que sai na rua, como fica, minha gente, me expliquem!!!

    Curtir

  40. Comentado por:

    Valdir

    Isso mesmo. Vamos deixar como está p/ ver como fica.No fim tudo se ajeita. Vamos aguardar os acontecimentos.Eu acredito q o pais vive em plena
    democracia. E além do mais, esse mês teremos a
    visita do velhinho q trará novas urnas eletrônicas.

    Curtir

  41. Comentado por:

    Bosco

    As instituições funcionam? Onde o Senhor tem vivido nos últimos anos?

    Curtir

  42. Comentado por:

    Sergius

    O único golpe possível, respeitando-se e valorizando-se as instituições, deve ser dado pela Justiça brasileira, contra crimes de apropriação indébita e formação de quadrilhas, promovidos pelo Poder Executivo, através de subornos e distribuição de intendências “lucrativas” a comparsas.
    Um Supremo Tribunal Federal renovado, não o escolhido pela Presidência da República, também deveria ser instaurado, para julgar o holocausto de gerações de brasileiros, enterrados na vala comum da ignorância, com o único propósito de encenar o falso jogo do voto de cabresto, apenas para sufragar o despotismo dos eleitos.

    Curtir

  43. Comentado por:

    Iara

    Tirando o golpe militar defendido por uma parte pequena da sociedade e outra grande parte pedindo o impeachment , qual é a outra alternativa para tirar o Brasil das mãos desses bandidos? Pelo seu texto concluo que temos que engolir quietinhos esse famigerado desgoverno, e ficar torcendo para que na próxima eleição Deus se torne realmente brasileiro.

    Curtir

  44. Comentado por:

    roberto viana

    Quem decide os rumos do pais é o congresso, cheio de políticos corruptos, onde a maioria deles tem processos por improbidade, e como legislam em causa própria ficam impunes. os órgãos de estado(TSE,STF, etc)tem os cargos chaves indicados pelos mesmos políticos, causando o aparelhamento. Só teremos um pais sério com um regimento interno do congresso sem protecionismo e controlado por um órgão que não seja o próprio congresso, e abrindo concurso para preenchimento das vagas dos órgãos de estado.
    E isto só é possível através de uma intervenção militar.

    Curtir

  45. Comentado por:

    solange sabina de macedo

    Detalhe é que já nomearam outros,não são esses que voce cita que dizem que estão numa plena democracia

    Curtir

  46. Comentado por:

    Daniela

    Basta lembrar ao alto comando que está previsto no Art. 55 do Código Penal Militar, até morte para omissos e traidores da Pátria.

    Curtir

  47. Comentado por:

    Tancredo

    Prezado sr. Roberto Pompeu de Toledo,
    Entretanto, faltou nos explicar como seria se os “não-golpistas” continuarem no poder (onde já estão há mais de 12 anos); seremos Cuba, Argentina, Venezuela, Bolívia ou Equador?!?! Também faltou nos explicar o que seríamos hoje, se os “valentes corações guerrilheiros” – que se auto-denominam “democratas” – tivessem logrado colocar “o proletariado” no poder?!
    Faltou você, Roberto Pompeu de Toledo, descer do muro e dizer a que veio: você afinal é um “golpista”, é um “não-golpista”, ou é um saudosista “democrata” que “pegou em armas contra a ditadura” militar e a favor da ditadura do proletariado?!
    Hein homem, quem é você afinal e de que lado você está?!?! Diga…!
    PS: a propósito, as únicas “instituições” que funcionam no Brasil lulopetista de hoje são: a CORRUPÇÃO, a INFLAÇÃO, a DÍVIDA PÚBLICA DESGOVERNADA, A IMPRENSA CHAPA-BRANCA, o APARELHAMENTO & CAPTURA dos TRÊS PODERES pelos “NÃO-GOLPISTAS”, a POUCA-VERGONHA de quem defende isso e ainda chama de “golpistas” as dezenas de milhões de brasileiros DIREITOS & HONESTOS!

    Curtir

  48. Comentado por:

    JOSÉ MANOEL

    pelo artigo 28 da lei eleitoral , os partidos filiados ao foro de são paulo devem ser extintos. e não apenas proibidos de participar de novas eleições.
    Depor um governo ladrão não é golpe. É JUSTIÇA!

    Curtir