Oliver: Manifesto dos mano

VLADY OLIVER Nóis, os mano, vem por meio desta se manifestar também. Nós também somos acusados. Como acusados, também queremos umas garantia dos meganha. Os caras também tão violando tudo. Roubam uma grana preta da pretobras e depois pagam uma fortuna para esses advogadões saírem por aí, depredando os decente. É um desrespeito. Bandido é […]

VLADY OLIVER

Nóis, os mano, vem por meio desta se manifestar também. Nós também somos acusados. Como acusados, também queremos umas garantia dos meganha. Os caras também tão violando tudo. Roubam uma grana preta da pretobras e depois pagam uma fortuna para esses advogadões saírem por aí, depredando os decente. É um desrespeito. Bandido é bandido até a presunção de inocência.

Cada vez mais convencidos de nossa própria inocência, também assinamos este manifesto – e falsificamos algumas assinaturas – para podermos ter o direito de quebrar algumas catracas sem sermos presos e termos a nossa cara estampada naquela revista de grande circulação, de forma vil e espetaculosa. Uma parcela significativa da população ainda não se deu conta disso.

Como bandidos, meliantes, punguistas, estelionatários, políticos e administradores que somos, exigimos o devido respeito das instituições as quais assaltamos. Não é possível que o monopólio do massacre – coisa que era exclusivamente nossa – agora também recaia sobre os justiceiros da justiça, os jornaleiros dos jornais, os revisteiros das revistas, os policiais da polícia e outras organizações não alinhadas com o nosso movimento.

Tão usando a mídia de forma inconsequente e irresponsável contra nóis, os bando. Querem que a sociedade fique contra nóis e nossas prática, uma vez que roubar, traficar, assaltar, mentir e dissimular faz parte da nossa cartilha de atuação sobre essa mesma sociedade, que deveria receber o assalto, o estrupo e a roubalheira como políticas de Estado. É o estado lastimável que nóis temos.

É de todo inaceitável que uma justiça achada na rua como a nossa queira agora nos culpar pelo que somos ou fazemos. Somos produto dessa mesma sociedade que nos quer presos. Batemos nossos tambores, colocamos nosso som alto e incomodamos a vizinhança com nosso churrasquinho de gato porque essas são as formas de aumentar a intolerância, fingir que somos arruaceiros e barulhentos e afugentar nossos desafetos.

Na verdade, precisamos de mãe. Nascemos sem ela. Por isso o nosso repúdio. O Estado de Esquerda está sob ameaça do Estado de Direita e o Poder Judiciário não pode esquecer de seus apartamentos luxuosos em Miami. Exigimos um julgamento justo e imparcial, de preferência com vista pro mar e smartphone liberado. Urge uma postura rigorosa de todos nóis contra essa sociedade tão injusta com a gente. Nóis constituímos uma gangue. Eles querem mesmo é acabar com a gente.

Assinado: É nóis.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    José Teixeira

    O tal “manifesto” desses “causídicos do milhão”, pode ser traduzido rapidamente. A realidade é que eles não se conformam por não conseguirem libertar seus clientes, uma vez que não há nesse grupo de “justiceiros”, homens que possam ser “comprados”. Sendo assim, não recebem os “bônus” (milhões de dólares) que um habeas corpus lhes renderia. Daí, tentam transformar os BANDIDOS em MOCINHOS e MOCINHOS em BANDIDOS, com um texto ridículo, criado exclusivamente em NOME DO DINHEIRO, mesmo que este, seja MAIS SUJO QUE PAU DE GALINHEIRO! É só DINHEIRO que importa, nada mais!Só isso. Ética??? kkkk! O negócio é GRANA meus amigos, venha ela de onde vier, inclusive do CRIME!

    Curtir

  2. Comentado por:

    Um amigo

    Ai seu Valdir Oliva, tu num qué publica o post da genti não, é ? Tu é qui sabe o que tu faiz, mano…Aconselhu tu a publica….Nois e amigu dus mano do PT, chefia…Cum tudo o respeito, um amigo.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Manuel Quebra Côco

    O acima exposto, é a cara deste Brasil “dilmaveril”. Os
    mano estão com a razão, Não é só petralha que tem direito a roubar, aqui nesta terra onde a ocasião apenas revela o ladrão que já nasceu com pedgree.
    Os “lambuzados” da facção política-criminosa,não querem largar o “osso”. Sabem jamais terão outra chance de enri-
    quecer com pixulecos tirados dos bolsos dos contribuintes.
    A “velha”, na maior cara de pau do mundo, quer mais impostos. Ah! liga o desconfiômetro de uma vez e te manda la para a Bulgária, talvez precisem de uma musa
    para voltarem ao comunismo.

    Curtir

  4. Comentado por:

    sergio braga

    Estou anotando um a um, o nome desses advogados de empreiteiros e políticos corruptos, que estavam “se achando”, pensando que mentindo bastante e subornando quem quer que fosse, se dariam bem!!!!!! Essa escória da advocacia brasileira, acostumada a cobrar horrores para defender bandidos, deve ser banida da OAB, puxadinho do PT. E agora, OAB???????????????

    Curtir

  5. Comentado por:

    Octávio

    Esse Sérgio Moro é um chato! O Brasil estava ajustado na injustiça, ladrão pobre na cadeia, ladrão rico no Habeas Corpus… Lá vem o Moro e bagunça tudo! Rico pagava advogado rico e saia rindo da cara da sociedade… Lá vem o Moro de novo e… Moro é o estraga festa!

    Curtir